Atacama: um roteiro completo com 50 dicas selecionadas

Salar de Atacama

Programar uma viagem ao Deserto do Atacama não é complicado. Com cinco noites, idealmente seis, você dá conta dos principais passeios. Os vôos saem de Santiago e em duas horas chegam a Calama. De lá a San Pedro de Atacama é só mais uma hora e meia de trânsfer. No centrinho da cidade se concentram diversos hotéis e as muitas operadoras de excursão.


Atacama: as dicas do Viaje na Viagem
Novo e atualizado!

Xi, são várias opções de hotéis? Muitas operadoras? Como escolher? E para ir de Calama a San Pedro, será que tem trânsfer? Vale a pena cacifar aqueles hotéis de luxo com serviço all inclusive? Dá pra encarar a dobradinha Atacama e Salar de Uyuni?

Para a sintonia fina da sua viagem, contamos com as opiniões dos nossos especialistas: os leitores. Reunimos 50 dicas, com sugestões de hotéis, excursões, restaurantes e formas de driblar o mal estar pela altitude. Para desfrutar o Atacama em grande estilo — gastando pouco ou com grana para gastar — , vai por eles:

Gêiseres de Tatio

Passeios

Giovanna
Contratamos todos em uma empresa na Caracoles, chamada Maxim. O atendimento foi excelente, conseguimos reduzir bastante o preço dos passeios e tivemos até alguns períodos vagos para curtir a piscina do hotel ou para fazer explorações solo de bike. Ah, e com exceção das subidas em vulcão, todos os passeios têm saídas diárias de San Pedro. Não é preciso muito exercício físico ou mental para montar um roteirinho básico. Relato completo aqui.

Tiago
Fiz todos pela Cumbres. Atendimento 10 e guias bem profissionais. O maior destaque fica por conta do passeio ao Salar de Tara, especialidade da agência. Relato completo aqui.

Anna
Recomendo programar a estadia toda de uma vez, em geral pode-se conseguir descontos se reservar todos os passeios com uma empresa só. O tour astronômico é imperdível. É como estar no planetário, mas a céu aberto. Chega a ser poético. Relato completo aqui.

Luciana
Utilizamos a agência Corvatsch, também numa esquina da Caracoles. Conseguimos ótimos preços e os passeios foram muito bacanas! Não vejo a hora de retornar. Relato completo aqui.

Felipe
Fiz os passeios com a Desert Adventure, e recomendo muito. Os microônibus são bem novos e com ar-condicionado. Os guias são bons também, um deles inclusive fala muito bem o português, o Danilo. Fiz o traslado desde/para o aeroporto de Calama com eles também. Foi tudo ótimo. Relato completo aqui.

Renata
Os passeios fizemos todos com a Grado 10 e ficamos bem satisfeitos. Os quatro passeios (Tatio, Luna & Muerte, Salar de Atacama e lagoas) ficaram a 65.000 cada + entradas. Talvez seja um pouco mais caro que outras agências, mas o truck deles é super cool e o serviço, realmente diferenciado. Não vi nenhuma outra agencia no Tatio oferecendo uma mesa com cadeiras e louça para o café da manhã. Além das excursões, fizemos tours de bike por Quitor + Quebrada del Diablo / Chulacao e pela Aldea de Tulor em dois dias diferentes. Relato completo aqui.

Wanessa
Fiz com duas agências. Os mais básicos, com a Layana. Gostei dos guias, todos super bem informados e nada monótonos. A única coisa que não gostei foi que o passeio mais básico de todos (Valle de la Luna e Valle de la Muerte) não foi feito com o pessoal da própria agência. O passeio não foi ruim, mas eu não tinha sido informada dessa possibilidade de o serviço ser prestado por terceiros. Já o passeio ao Salar de Tara fiz com a empresa Atacama Connection. Tive dificuldade de encontrar uma agência que o oferecesse (não era alta temporada, e as agências dependiam de um número mínimo de interessados para formar grupo), e nessa, encontrei a opção de fazer um tour privado (4 pessoas por carro). Realmente, encontramos pouquíssimas pessoas durante todo o dia nos locais por onde passamos, e esse acabou sendo o meu passeio preferido. Recomendo muitíssimo. Relato completo aqui.

Naldo
Em San Pedro eles têm uma espécie de sistema integrado, pois as vans estão sempre cheias de turistas que fecharam com outras agências diferentes da sua. E como os preços são tabelados, no fim não importa muito onde você negocia. Montar seu roteiro é simples também; é só dizer quanto tempo ficará e as agências oferecerão as opções com preços e horários. Relato completo aqui.

Sílvia
Contratei todos os passeios na agência Lickan Antay. Foi a que ofereceu os melhores descontos na época. Relato completo aqui.

Fafá
Os passeios foram comprados antecipadamente com a Planeta Aventura. Bons na prática (não fazem os passeios em horários convencionais, oferecem piquenique com queijos e vinhos ao anoitecer em Tebinquinche e explicam bastante sobre a região), mas um pouco atrapalhados na hora de confirmar, a agência está sempre fechada… Relato completo aqui.

Lu
Fiz 3 dos 5 passeios com o hotel em que estava, Atacamadventure. Os passeios oferecidos pelo hotel são feitos em 4×4, com no máximo quatro pessoas. São bem mais confortáveis, mais interessantes (por conta dos guias) e, claro, mais caros que a média. Fomos aos Gêiseres del Tatio + Termas de Puritama, Valle de la Luna e um trekking especial ao Cerro Toco. Fizemos outros 2 passeios com agências da cidade, que contratamos lá mesmo. Uma foi no Grado 10 (Lagunas Cejar + Salar de Tebinquinche) e outra com o Desert Aventure (Lagunas Altiplánicas + Salar de Atacama). Ambos foram divertidos, mais joviais e de ralação. Mas valeu também: gostei de balancear as duas experiências para aproveitar a beleza indescritível do Atacama! Relato completo aqui.

Yeda
Os passeios fizemos com a Grado 10 – eles têm um caminhão modificado (estilo usado nos safáris da África) com uma estrutura super legal para o café da manhã charmoso no Tatio. E o almoço nas Lagunas Altiplánicas, com mesa arrumada para o grupo, é sensacional. Vale todo o valor pago (não é muito diferente dos demais pacotes, pesquisamos antes). Outro passeio muito legal pra fazer é à noite, no SpaceObs, um tour astronômico. Realmente vale a pena ir… Relato completo aqui.

Pablo
A maioria dos passeios fiz pela agência Inca North (na rua ao lado da igreja). Os preços estavam excelentes e os guias foram fantásticos. Peça para ir com o Diego ou o Jorge. Outra agência boa, porém cara, é a TurisTour. Passeios imperdíveis: Valle da Lua e da Morte (a partir das 15h por $ 9.000), Lagunas Altiplánicas e Salar de Atacama (a partir das 6h por $ 25.000), Gêiseres el Tatio e Machuca (a partir das 4h por $ 15.000), Laguna Cejar e outras lagoas no salar (a partir das 15h por $ 8.000), Salar de Tara (a partir das 7h por $ 40.000), Vale do Arco Íris e Termas de Puritama (de manhã e à tarde por $ 10.000). Relato completo aqui.

Naty
Por indicação do próprio hotel, fizemos os passeios com a Andeswide. A agência é muito boa, os guias são experientes e os grupos geralmente são pequenos. Eles procuram fazer o passeio numa ordem diferente da maioria das agências, o que dá mais privacidade e fotos melhores, sem muita gente no fundo. Apenas em um dos passeios o serviço foi “terceirizado” e fomos com um grupo maior de outra agência. Relato completo aqui.

Sabrina
Queria fazer todos os passeios com a Grado 10, pois as recomendações aqui eram ótimas e eles têm aquele caminhão especial, mas como a maioria aconselhava fechar os passeios lá, deixei pra quando chegamos e nos demos mal! Era um feriado nacional, a cidade estava cheia e a maioria das saídas da Grado estavam lotadas. Conseguimos fazer alguns passeios com eles e foram incríveis! “É um pouco mais caro, mas é muito melhor”! Os guias são ótimos, jovens, educados, o caminhão é o máximo, espaçoso e os lanches/tratamento que eles oferecem totalmente diferenciados das outras excursões. Tomamos pisco sour em taça de champanhe vendo o pôr do sol na Laguna Cejar, com aperitivos, quando todas as outras excursões já tinham ido embora com seu sanduichinho. Então, se você pretende fechar com a Grado 10, faça suas reservas com antecedência! Fomos aos Gêiseres del Tatio com a Maxim, a guia também era ótima, mas não se compara à Grado. O micro ônibus era muito muito micro e fiquei com muita pena dos homens grandes e altos. Eu mesma fui espremida com minha irmã nos nossos lugares. Relato completo aqui.

Celso
Assim que chegamos fomos ao centro reservar nosso primeiro passeio. Fomos na Lickan Antay, por indicação de alguns blogs, mas não ficamos muito satisfeitos, porque nos convenceram a fazer o Salar de Tara logo na manhãzinha do dia seguinte. Perguntamos se havia o problema da altitude, porque tínhamos acabado de chegar e sabíamos que era um passeio difícil, mas falaram para nós que seria muito tranqüilo, tudo plano, sem muita altitude. Quando fomos descobrimos que era exatamente o oposto: o passeio é longo, com um grande trecho andando na areia (muitos solavancos e balanços) e em grande altitude. Como nossa van não era das melhores (abafada e apertada), sofremos bastante. E ainda sentimos o mal da altitude, prejudicando o final do passeio, com dores de cabeça e ânsia de vômito. Decidimos não fazer os outros passeios com a Lickan Antay por causa disso. Então fica a dica: não façam o passeio do Salar de Tara nos primeiros dias! Não importa o que digam, não façam. Assim como o do gêiser, é melhor deixar para os últimos dias, quando seu corpo já está adaptado à altitude. E sempre bebam muita água, é fundamental para suportar os efeitos. O restante dos passeios fizemos com a Grado 10 e valeu muito a pena! Não tem comparação, a estrutura é muito melhor. Outro detalhe: em todos os passeios que saem pela manhã (como Lagunas Altiplánicas, gêiser e Salar de Tara) a empresa da excursão passa nos hotéis para buscar. E na volta também perguntam se você prefere ficar no hotel ou no centro. Era uma dúvida que tínhamos, porque nosso hotel ficava um pouco afastado do centro. Facilitou bastante a logística. Relato completo aqui.

Laguna Colorada | Tiago dos Reis, Rotas Capixabas

Atacama + Salar de Uyuni

Camila
Fiz a rota Atacama – Uyuni em agosto de 2010. O passeio é lindo, mas é fato que os preços são meio polarizados. O melhor custo-benefício encontrei com a Cordillera Traveller (160 dólares), a mais bem recomendada pelos guias de viagem (Lonely Planet, Fodor’s, etc.) e administrada por uma família boliviana. De qualquer forma, não espere luxo e conforto, que acredito serem compensados pela beleza da paisagem. Relato completo aqui.

Rodrigo
Fizemos esse passeio em 2008, saindo de San Pedro de Atacama e voltando depois de 3 dias rodando pelo deserto. Desaconselho fortemente a fazer o passeio por conta própria, a não ser que você seja jipeiro nato e tenha a rota no GPS, caso contrário acho muito arriscado se aventurar num lugar onde não existem estradas. Depois de muitas perguntas para quem já tinha ido, escolhemos a agência Cordillera Traveller para o passeio. Na época era a única que parava para dormir no hotel de sal. A Colque Tur, uma espécie de CVC de SPA na época, parava em acampamento na segunda noite. No primeiro dia saímos de SPA, passamos nas lagoas coloridas, no banho termal e dormimos próximo à laguna colorada, no ponto mais alto da viagem (quase 5.000 metros). No segundo dia mais lagoas, flamingos, vulcão e dormimos na entrada do salar, no hotel de sal (existe um outro hotel de sal no meio do salar, que funciona como museu). No terceiro dia rodamos pelo salar, a ilha dos cactus, o hotel-museu e terminamos em Uyuni. Voltamos no início da noite pra SPA, com pernoite no meio do caminho, chegando na manhã seguinte. Antes de irmos, nos apavoraram muito de que o passeio era desconfortável, a comida era pouca e que os lugares para dormir eram horríveis. Claro que depende de cada um, mas não achamos nada disso. Acho que tem um outro fator aí que conta que é a companhia, já que vão 6 turistas em cada jipe (a turma que fizemos foi muito boa). Mas não falta comida, não se passa frio nos alojamentos (não são hotéis, mas também não são acampamentos), tem chuveiro quente… Enfim, acho que pra quem come coxinha de galinha com a mão e tomava água da torneira na infância, não tem nada de grandes desconfortos nessa viagem. E, por favor, com todas aquelas paisagens, você não vai focar seu pensamento em mordomias que você já sabe que não existem por lá, só para ficar reclamando. Relato completo aqui.

Philipp
No inverno de 2009, fiz desde San Pedro de Atacama até Cuzco e fiz este trecho. Como não tive muito tempo para planejar contratei pela Visit Chile, e o trecho de San Pedro até Uyuni fiz com 4×4 privado (para podermos ir parando onde queríamos) e ficando em condições melhores pois no inverno lá faz MUITO frio. As paisagens são realmente espetaculares. Ficamos no Hotel del Desierto (dormir a 4 mil metros de altura num hotel onde a eletricidade é toda gerada por painéis solares não foi fácil, acordamos enjoados pela falta de oxigênio, mas o pôr do sol foi inesquecível) e no Hotel Luna Salada (dizem que estes hotéis de sal não são nada ecológicos, eu fiquei sabendo somente depois pelo Lonely Planet. Enfim, o hotel é bem legal, a comida é boa, e fiquei surpreso em beber bons vinhos feitos na Bolívia). De Uyuni para La Paz foi bem punk, de ônibus noturno que trepidava o tempo todo até chegar na estrada principal (que não é lá grande coisa também). La Paz me surpreendeu, se não conhece vale a esticada. O problema é que aí você vai querer fazer o Lago Titicaca, Puno, Islas Flotantes. Relato completo aqui.

Valsir
Fizemos o roteiro San Pedro de Atacama-Uyuni-San Pedro de Atacama em janeiro de 2012, pela Ruta Verde. Serviço impecável, veículos 4×4 privados, motorista-guia super responsável, refeições adequadas e hospedagem nos melhores hotéis do altiplano boliviano. Solicitamos uma noite no Cristal Samaña e a operadora atendeu. As outras noites foram nos hotéis da rede Talka, com atendimento, acomodações, serviços e refeições excelentes. Não temos absolutamente nada a reclamar dos serviços da Ruta Verde. Obviamente que o preço é um dos mais altos, mas a qualidade dos serviços, refeições, passeios e hospedagens estão totalmente de acordo com o preço cobrado. Relato completo aqui.

Tiago
Apesar de todo o perrengue que eu passei, eu também acho que a Ruta Verde é a melhor agência para quem pode pagar e quer ter conforto, com o mínimo de risco. Mas, ainda assim, isso não é garantia de não haver surpresas desagradáveis. Tudo depende do grau de responsabilidade do motorista. O meu, por exemplo, não foi nem um pouco responsável e acabou com a minha viagem. Por isso, eu acho que, pelo preço que eles cobram, eles deveriam selecionar melhor e qualificar os motoristas! Relato completo aqui. Leia sobre a viagem do Tiago aqui.

Graziela
Primeiro, se a ideia é fazer o Uyuni e o Atacama na mesma viagem, sugiro ir primeiro ao Atacama. As paisagens do deserto na Bolívia são muito impressionantes, e a travessia te coloca em permanente contato com a generosidade da natureza. Tudo isso pode criar uma falsa impressão de que o Atacama não é tão legal assim. Por recomendação de vários guias de viagem, contratei a travessia em San Pedro mesmo, pois assim dá para conversar com quem fez o passeio e descobrir as empresas mais confiáveis. Fizemos com a Estrella del Sur, por algo em torno de US$ 150 por pessoa. O motorista era bastante prudente, o carro estava em boas condições – com todos cintos de segurança e quem já foi à Bolívia vai entender o que estou dizendo –, e a comida era mais decente do que eu imaginava – diria até gostosa. É uma viagem fantástica, daqueles que te faz esquecer todos os inconvenientes, como não tomar banho em um dos dias e passar um frio de doer nos ossos. Do Uyuni segui para La Paz. Como estava muito cansada, deixei de lado a opção do ônibus da Todo Turismo, pois imaginei que em estradas bolivianas não seria uma noite nada tranqüila. Preferi pegar o trem noturno que vai até Oruro e de lá pegar um ônibus para La Paz. Pelos relatos de outros viajantes que encontrei no caminho, fiz uma opção certa, pois parece que são 12 horas de sacolejos. E acaba saindo também um pouco mais barato, pois o preço da Todo Turismo é para inglês ver (e pagar). O trem sai às 0h05 de Uyuni e chega por volta de 7h em Oruro. Os ônibus para La Paz saem a cada 15 minutos (ou até menos) do terminal rodoviário. São cerca de 3 horas de viagem. Pelas informações que colhi pelo caminho (de bolivianos e estrangeiros), ficar em Oruro só vale mesmo no Carnaval, quando, dizem, a cidade se transforma. Relato completo aqui.

Tierra Atacama

Hotéis

Daniel
Fiquei hospedado no Puritama, que é meio hotel, meio hostel e tem um dono bem gente fina. Relato completo aqui.

Anna
Estive no Lodge Altitud em agosto de 2008 e adorei. Trata-se de uma pequena pousada com apenas quatro suítes. Na ocasião, a diária para o casal foi cerca de US$ 90 (agosto é considerado alta temporada no Atacama), com café da manhã caseiro e delicioso incluído. A hospedagem em San Pedro tende a ser bem cara em geral, facilmente paga-se US$ 300 por uma noite em um hotel mediano. Uma mala nossa havia sido extraviada e os proprietários se prontificaram a ligar para a sede da Aerolineas del Sur. No dia seguinte, ao voltar do primeiro passeio, a mala perdida repousava tranqüilamente no nosso quarto. A dona do hotel também nos levou em seu próprio carro à vila e nos mostrou pessoalmente como funcionava tudo por ali, num city tour a pé, delicioso, acompanhado pelo seu cão labrador. O Lodge fica a 10 minutos à pé do centro e acho que nunca andei por ruas tão escuras em toda a minha vida. Relato completo aqui.

Luciana
Passamos o Natal de 2006 no Atacama. Ficamos no Hotel Geiser del Tatio, na Caracoles. Básico, mas aconchegante. Valeu o que pagamos. Só tínhamos que lembrar o recepcionista de ligar o aquecedor para não tomarmos banho frio. A localização é excelente, ao lado do Café Adobe, que à noite parece uma convenção da ONU, com gente do mundo inteiro. A comida é maravilhosa! Muita quinoa e queijo de cabra. Relato completo aqui.

Felipe
Ficamos no Hotel Tambillo. Posso dizer que é honesto. O quarto e as roupas de cama eram bem limpos, e o banho bem quente. Mas bem simples. Nada de telefone, televisão no quarto. O despertador era o funcionário da recepção que vinha bater na porta no horário pedido… Mas não tenho o que reclamar da estadia. Foi o melhor hotel que consegui na oportunidade, pois reservei com dez dias de antecedência. Relato completo aqui.

Arthur
Eu fiquei na Hostería San Pedro de Atacama. Gostei muito. Perto da rua principal, quartos bons, atendimento idem. Isso foi em 2007. Relato completo aqui.

Renata
Ficamos em dezembro de 2011 no hotel Atacamadventure. Pegamos a tarifa bed & breakfast de 130 dólares, mas cheguei a ver por 95 (não fechei na hora, depois a tarifa sumiu). Posso dizer que vale cada centavo. Muito confortável. São apenas quatro quartos e um atendimento que nunca tivemos igual. Você se sente em casa. Não tínhamos comprado o pacote com refeições, mas acabamos jantando no hotel quase todas as noites. Comida de alto nível e vinho à vontade pelo mesmo preço que se pagaria na cidade. Recomendo muitíssimo. Relato completo aqui.

Viviane
Através de dicas obtidas aqui no blog, escolhi o hotel Atacamadventure, super bem recomendado. A partir da confirmação da reserva recebida por e-mail no início de setembro, fechei a parte aérea e os passeios para novembro. Qual não foi minha surpresa quando recebi um e-mail informando que minha reserva não tinha sido confirmada em razão de overbooking. Contactei o hotel através de e-mail e fui informada que em nenhum momento eles tinham recebido minha reserva, quando eu a tinha feito pelo site próprio do hotel. Com tão pouca antecedência da viagem marcada, tive que procurar o Booking e reservar em um dos pouquíssimos hotéis disponíveis, hotéis estes que não tinham o mesmo nível nem recomendação do que poderia ter encontrado à época da programação da viagem. Eu lamento ter optado por este hotel e não pelos vários outros disponíveis no Booking.com. E infelizmente não há nada que eu possa a fazer, senão meu relato de advertência aos viajantes. Relato completo aqui.

Wanessa
Estive no Atacama em setembro de 2010 e fiquei no Hotel Terrantai. Quem for reservar, deve prestar atenção no tipo de quarto, pois alguns são menores e mais simples. Mesmo tendo escolhido um desses, achei confortável, mas o banheiro é bem pequeno. A localização do hotel é ótima, porque está no centrinho de San Pedro de Atacama . O café da manhã era uma delícia! Relato completo aqui.

Rodrigo
Ficamos no camping do hotel Takha Takha . Muito bom, os campistas utilizam a mesma estrutura do hotel. Fica no final da rua principal. Relato completo aqui.

Naldo
Em 2011 fiquei no Hostal Terracota. Recomendo: twin em torno de R$ 120/dia, é do lado da Rua Caracoles, com café da manhã e banheiros em todos os quartos. Super confortável para o deserto! Detalhe: ao falarmos pra Maria (que cuida e gerencia) que íriamos sair muito cedo pra alguns passeios, ela preparava sanduiches, frutas e café, e deixava no quarto antes de dormirmos. Uma simpatia! Relato completo aqui.

Sílvia
Fiquei no Parina Atacama (primeiro apart-hotel da cidade). Tem sala e cozinha, wi-fi grátis e café da manhã servido no quarto, sem nenhum adicional! Hospedagem nova, acabou de completar 3 anos. Em 2011 estava a partir de US$ 120 – o casal. Relato completo aqui.

Pablo
Fiquei no Lickana Hostal. Super tranqüilo, quartos limpos todos os dias, café da manhã básico e gostoso, e o mais importante: perto de tudo. Diária para casal: 30.000 pesos chilenos por noite. Relato completo aqui.

Naty
Me hospedei no Hotel Dunas. O hotel é bem simples, mas é ótimo pra quem quer pagar pouco, mas quer um pouco de conforto e não quer ficar em hostel. Não tem TV nem frigobar, o café da manhã é simples e o banheiro e o quarto são um pouco escuros, mas a cama e o chuveiro são bons, e é o que importa depois de um dia de passeio. O valor da diária para casal é de 38.000 pesos chilenos e em dinheiro tem desconto de 15%. Relato completo aqui.

Sabrina
Ficamos no Domos los Abuelos e não gostei muito. É um camping/hotel afastado e parte do caminho à noite não tinha luz! Me encantei por ele, pois no site mostrava um banheiro novinho e tinha piscina. Doce ilusão, não tivemos tempo algum, ou vontade de perder tempo na piscina. Como era distante do centro, tínhamos que caminhar para o ponto de encontro das excursões debaixo do sol escaldante e à noite passar um frio danado pra chegar no quarto. Não recomendo! Na próxima vou procurar um bem baratinho no centro de San Pedro! Relato completo aqui.

Fafá
Estive em fevereiro de 2010 e me hospedei no La Casa de Don Tomás. Categoria turística, ótimo café da manhã, quarto espaçoso, banheiro clean, boa cama e pertinho da avenida principal. Relato completo aqui.

Giovanna
Eu e meu esposo nos hospedamos no Hotel Kimal, em dezembro de 2010. Recomendo fortemente. Tem uma excelente relação custo/benefício, é bem localizado, limpo e com quartos amplos.
Também ficamos em um hostel na primeira noite em San Pedro de Atacama e quando voltamos do tour pelo Salar do Uyuni. O Hostel El Monte é bem limpo, tem apenas quatro quartos, banheiro privativo, churrasqueira, café da manhã e é bem baratinho. O único porém é que fica a mais ou menos 10 minutos de caminhada da Caracoles, em frente ao cemitério, mas nada de assustador ou cansativo. Relato completoaqui.

Silvia
Estivemos no Altiplánico em abril de 2009. Sobre o hotel, posso dizer que tudo parece muito simples, mas de bom gosto. As cabanas são de adobe e teto de palha (tudo lá é feito assim e existe uma razão – nunca chove). Um aquecedor portátil e o mínimo de conforto. Um hóspede exigente pode estranhar, mas depois das primeiras horas, passará a ver beleza em pequenos detalhes (claro que o Vulcão Licancabur no fundo faz sua parte). O lugar com aspecto desértico te ganha depois de passar o dia sob o céu azul (e até um pouco de calor) e constatar que as noites são de um céu absolutamente cristalino (estrelas cadentes – muitas, muitas mesmo). Parece que você vai tocá-lo de tão limpo, mas faz frio. Na verdade as noites são geladas. Fomos inventar um banho de jacuzzi ao ar livre no entardecer e quem disse que se conseguia sair da água quentinha depois de 45 minutos… Relato completo aqui.

Cinthia
Estivemos no Atacama em abril de 2011 e ficamos no Kunza. Excelente hotel e serviço super atencioso. Estava com minha filha de 5 anos, que sempre recebia atenção especial. Fizemos um pacote com meia pensão, assim não tínhamos que sair no frio à noite para jantar e aproveitamos os bons restaurantes da Calle Caracoles no almoço. Relato completo aqui.

Simone
Eu e meu marido passamos o Natal de 2010 no Tierra Atacama. Foram 7 noites. Amamos! As comidas são deliciosas, os quartos super confortáveis. O spa, a piscina e uma hidromassagem ao lado de uma plantação de alecrim também nos conquistaram. Eu usei o spa algumas vezes e é excelente. Os passeios são fantásticos (todos incluídos na diária) e os guias e todo o staff do hotel são muito especiais. Não temos absolutamente nada a reclamar. Além dos passeios do hotel, fizemos a observação astronômica, que também gostamos bastante. Resumindo, valeu cada centavo. Foi uma viagem inesquecível. Apesar de preferir fazer meu próprio roteiro sem ficar presa a ninguém, adorei este tipo viagem, pois fizemos todos os passeios que escolhemos, sem nenhum problema, não precisamos procurar lugar para comer após chegar cansado dos passeios e não precisamos nos preocupar com mais nada. E você ainda pode comer entre as refeições, tomar sucos, etc. Recomendo muito o hotel. Relato completo aqui.

Edu
Nós ficamos cinco dias no Explora e é claro que adoramos. Tudo funciona perfeitamente e só nos restava tomar um pisco sour toda tarde no bar do hotel pra marcar os passeios (dependendo, poderiam ser 2) pro dia seguinte. Fomos em quase tudo: Vale da Lua, Salar, Tatio, Termas, andamos de bike, fizemos caminhadas em que o guia nos provou fisicamente que aquilo tudo já esteve embaixo do mar, almoçamos nas lagunas Altiplanas. Inclusive, nos levou até a casa dele. É caro, mas fazendo a conta com a inclusão de tudo (a ótima comida, todos os passeios, as informações que são passadas, etc.), os muitos benefícios compensam os custos. Só não fizemos o passeio astronômico porque ainda não existia! Relato completo aqui.

Fabricio Campos
Fiquei por sete dias no hotel Alto Atacama. O serviço é excepcional. Tão logo nos instalamos, tivemos um encontro com a chefe de excursões e fizemos um planejamento para todo o período. No site do hotel, prevêem excursões com até dez pessoas, mas saímos com no máximo seis. Passeios muito bem planejados, com o hotel evitando os locais mais “muvucados” das atrações. Os guias foram excelentes. Nos lanches e almoços, vinho, cerveja, sucos, salmão defumado, salada com abacate, queijos, embutidos, frutas, etc. O quarto é amplo, com iluminação indireta, cama king, frigobar com refrigerante e água mineral incluídos, terraço com vista para o vale. Turndown service. Banheiro enorme com duas pias, box de vidro com ótimo chuveiro, roupões disponíveis. Toalhas e amenities de boa qualidade. Comida: menus com entrada (duas opções), prato principal (três opções, sempre uma vegetariana) e sobremesa (quatro ou cinco opções). Sempre bem elaboradas visualmente, bem feitas, nem sempre memoráveis, mas excelentes para um all inclusive de aventura. Pelos comentários feitos sobre o risco de algumas agências em San Pedro, alguns hotéis duvidosos e restaurantes caros, eu acho que valeu muito a pena o preço pago pelo sistema all inclusive (US$ 960/dia). Estavam inclusos as excursões, serviço de trânsfer na chegada e saída para o aeroporto de Calama, trânsfer para o vilarejo de San Pedro, comidas e bebidas. Relato completo aqui.

Revoada de flamingos no deserto do Atacama

Outras dicas: dinheiro, trânsfer, alimentação e clima

Sabrina
Os restaurantes da Caracoles mais descolados são realmente muito bons e caros! É bom deixá-los para jantar, pois à noite não tem muito o que fazer na cidade. Mas descobrimos o El Toconar, onde a maioria dos guias almoça e o menu com entrada, prato principal e sobremesa, muito bem servido, custava 3.500 pesos. Virou nosso point para almoço. Fica no final da Caracoles, nº 362. Já citado aqui e recomendado por todos os guias, um pouco fora do eixo dos restaurantes fica o Baltinache da chef Marta que faz uma fusion de ingredientes tradicionais da comida atacamenha e mapuche. É gourmet sem o preço da Caracoles! O endereço é Domingo Atienza, 2, um pouco depois do hotel Kunza. Dinheiro: os tours e restaurantes aceitam cartão e Visa Travel Money, mas não conte em sacar dinheiro lá. Os caixas eletrônicos têm um limite de saque por dia, e quando acaba ninguém saca mais. Vi filas de desesperados para sacar dinheiro. Saquei todo o dinheiro que planejei usar em Santiago. Trânsfer aeroporto-San Pedro: feche antes com a Licancabur. Funciona super bem. A gente desce do avião e as vans já estão aguardando, são novas, com ar-condicionado e na volta eles marcam um horário que significa “a partir de” pois eles marcam o mesmo horário com todo mundo, então não entre em pânico se passados 20min do horário marcado eles não tiverem aparecido. Eles sabem o horário certinho que devemos chegar no aeroporto. Tempo de estadia: inicialmente planejei 3 noites por questão de economia de hotel, e tinha imaginado duas excursões por dia, cobrindo tudo. Mas, graças ao bom Deus, resolvi seguir a voz da experiência do Riq Freire e fechei 5 noites. É bom ter uns espaços no dia, um dia excursão só à tarde, outro só de manhã, para ter tempo de ficar pelo centrinho que é uma delícia, alugar uma bike e fazer o caminho até Pukará de Quitor, ou simplesmente descansar um pouco! Relato completo aqui.

Beth
Não tivemos nenhum problema com a altitude, mas o ar é muito seco e é recomendável não esquecer o Sorine e o colírio. A temperatura é bem suportável, à noite faz mais frio, mas o céu incrível, coberto de estrelas, compensa. Relato completo aqui.

Ana Carolina
Para evitar o mal da altitude, algumas dicas: evitar álcool, preferir comidas leves e beber muuuuita água. Quem sobe montanha sabe de alguns remédios para preparar o corpo, mas não acho isto necessário para quem só irá fazer os passeios básicos no Atacama. Os guias normalmente estão preparados para cuidar de quem se sentir mal – há tanques de oxigênio nos carros. Relato completo aqui.

Gerson
Hoje eu tenho 76 anos. Há 5 anos eu e minha mulher, 2 anos mais nova, fomos ao Atacama. Fizemos todos os passeios para lugares bem altos. Tudo perfeito. O que sentíamos um pouco era o sol do meio do dia. Agora, como o clima é muito seco, no dia seguinte à nossa chegada tive sangramento do nariz. No terceiro dia já estava adaptado. Relato completo aqui.

Celso
Clima e roupa: era verão, então estava muito quente, no meio da tarde fazia mais de 35 graus com facilidade. Mas as manhãs e noites são frias. Nos passeios que começavam à tarde era possível ir de bermuda e camiseta, numa boa. Mas sempre levando uma jaqueta corta-vento (essencial), porque no fim da tarde costuma ventar muito, principalmente no passeio do Vale da Lua. Eu fui só com uma malha no primeiro passeio, do Salar de Tara, e passei muito frio, mesmo com o sol escaldante. Nos passeios que começam pela manhã é bom ir de calça e uma blusa, além do corta-vento. Exceto no gêiser, que é muito mais frio, aí vale colocar luvas, gorro, casaco de frio e roupas por baixo do tipo segunda pele. Detalhes práticos: no passeio da Laguna Cejar, depois de flutuarmos na lagoa salgada, não tinha lugar para trocar de roupa, só um banheiro que ficava meio longe. Então colocamos nossa roupa seca por cima da molhada mesmo. Mas no passeio do gêiser tem a opção de mergulhar nas águas térmicas e lá existem vários trocadores de roupa bem do lado da piscina. Então se quiserem levar troca de roupa dá para fazer tudo com tranqüilidade. Relato completo aqui.

Leia mais:

Passagens mais baratas para o Atacama no nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Alugue carro no Atacama na Rentcars em até 10 vezes

Passeios e excursões em Atacama com a Viator

184 comentários

Chegamos no Atacama dia 02/08 e lá ficamos até o dia 08/08 quando partimos para o Uyuni com retorno dia 11/08 a São Pedro do Atacama…
Estava frio nessa época; mas um frio agradável durante o dia. Compramos os passeios todos lá. Passeamos na Caracoles e resolvemos fechar os passeios na Connection Tour ( fica bem perto da praça e da Igreja)… uma empresa pequena, mas q fez todo diferencial na nossa viagem. Bons guias, boa organização; pontuais; honestos. As atendentes Sílvia ( Venezuela) e Juliana (Brasil) foram mais que profissionais, viraram amigas de viagem… Fizemos vários passeios. ( começamos pedalando 20 Km passando por rios gelados de águas glaciais…) e paisagens de deixar qualquer um sem fôlego ( e não é pq a altitude tava em 2.400m… é q o lugar é lindo mesmo). Fizemos vale de la Luna; Pedras Rojas ( nosso guia era espetacular -Manolo; um venezuelano muito legal)… Géiseres del Tatio com o guia Henriques tb maravilhoso; Salar de Tara( lindas paisagens)… Voamos de Balão… Fomos para lagoa Cejar… Tudo ótimo… bem organizado ( só precisa tá com o parecer cardiológico em dia… é um turismo de aventura, caminhada; subidas… vc sai do hotel limpo e volta todo sujo de barro, poeira… mas feliz!! Pq cada nascer e por do sol; cada flamingo.. cada lagoa… tudo vai ficar na memória … ah, e muitas fotos q por melhor que seja sua câmera jamais irá captar o que realmente vc esta vendo…)
Em relação aos passeios, observações: o passeio da bike vai p pukara de Quitor e Catarpe … ida e volta da aproximadamente 20km.. se vc gosta de pedalar, o lugar é maravilhoso( poucas subidas; e mesmo assim sem dificuldades; tem uns rios p passar de água super gelada… e o céu mais azul q já vi)… o vale da Luna é bonito, sempre cheio de turistas pq é um passeio q tem todo dia e é bem barato aí todo mundo faz( agora, prepare-se p subida)… Pedras Rojas é fabuloso e não necessita de grande preparo físico. É imperdível. A experiência de ver os Géiseres del Tatio vale acordar 4h da manhã e enfrentar um frio de -10 graus…. mas o sacrifício é recompensado pelo nascer do sol; pela força q emana dos Géiseres e depois vc ainda vai visitar uma comunidade Mapuche e comprar espetinho de Lhama( é gostoso!!). Passear de balão… super tranquilo. Fui pela experiência de voar de balão, mas o Atacama é mais bonito no chão… Laguna Cejar que é feita com outra lagoa q esqueci o nome… ( o passeio em si é legal… a entrada nos parques, principalmente na lagoa Cejar é um pouco caro p estrutura oferecida…. mas, vale pelo mergulho q vc vai tentar e não vai conseguir… ). O por do sol no final do passeio é deslumbrante… Salar de Tara… ( passeio cansativo, vc utiliza banheiros naturais…e a altitude pode incomodar). As paisagens são lindas… mas se vc não curte fazer xixi atras da pedra e se incomodar com a altitude de São Pedro do Atacama… recomendo não ir ao Salar de Tara).
Ficamos hospedadas no Hostel Pueblo da Tierra( vc vai andar uns 15 min p chegar no centro… mas esse Hostel q na verdade é uma pousada é tão perfeito q se voltar ao Atacama irei me hospedar lá novamente).
Em relação a restaurantes só fomos a dois: La Estaka e Lola. Maravilhosos. O Lola tem Karaokê, menu variado; bebidas…e até uma Drag Queen encontramos lá animando o pessoal no karaokê… o lá estaka é mais tradicional, mais romântico e a comida é deliciosa( fomos duas vezes)…

Fomos ao Uyuni também com o pessoal da Connection Tour. Nosso guia chama-se Zigo… a reserva andina onde passamos 2 dias e o Salar são imagens inacreditáveis… ( novamente espero q o coração e todos os músculos das pernas estejam bem… pq vc sobe; anda… e agora é 3.500-5.000 m de altitude)… único perrengue( a primeira instalação… muito fria não consegui dormir). Conselho, na volta íamos dormir na mesma instalação da primeira noite… pagamos 60 reais por pessoa ( já convertendo p pesos chilenos)… e tivemos um quarto privativo com banheiro privativo e q deu p dormir com cobertores normais… então; meu conselho pague um pouco mais por um mínimo de conforto q fez toda diferença na minha vida. O Hotel de Sal é ótimo… é muito engraçado chão, paredes, camas- tudo de “sal”…
Faria tudo novamente exceto dormir a primeira noite no Uyuni nas instalações que eram do pacote….

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.