Atacama com estilo: Tierra Atacama

A piscina que não deu tempo para aproveitar... snif

Minha ida ao Atacama não serviu apenas para ver com meus próprios óculos as paisagens singulares do deserto mais árido do planeta. Aproveitei o convite do hotel Tierra Atacama para conferir um tipo de hospedagem que nasceu na região e combina, numa mesma experiência, aventura e sofisticação.

Ferrugem, pedra, madeira, vidro: rústico com design

Não chega a ser “luxo”, porque o luxo tradicional não caberia num lugar como o Atacama. A palavra central aqui é “rusticidade” — cenografada com extremo bom-gosto, acolchoada com todos os confortos e mordomias, e envolta por uma aura eco de turismo sustentável.

Um dos ambientes do living

Quem inventou o estilo foi o hotel Explora, aberto em 98, que fez pela hospedagem em destinos de aventura a mesma revolução que, na década anterior, os Amanresorts tinham feito pela hospedagem em destinos exóticos. (Outros hotéis do gênero na região: Awasi, Cumbres (ex-Kunza) e Alto Atacama).

Meu bangalô

O Tierra Atacama é um dos mais novos no seu nicho. É da mesma família que opera a estação de esqui de Portillo, no alto dos Andes (bem na divisa de Chile e Argentina). Ao ser aberto, em 2008, o Tierra entrou tanto na Hot List da Condé Nast Traveler quanto na It List da Travel + Leisure.

A vista do solário do meu bangalô

Como os demais hotéis top da região, o Tierra Atacama fica fora do centrinho de San Pedro — a 5 minutos de carro, ou pouco mais de quinze minutos de bicicleta (que são emprestadas grátis na recepção). O hotel aproveita as instalações de um antigo curral; a piscina, as áreas sociais e a ala de bangalôs da frente têm vista para o vulcão Licancabur.

De noite eles acendem uma fogueirita nesses nichos

Você chega, se instala e logo volta para fazer uma consulta com uma espécie de concierge de expedições. Em frente a um excelente mapa plotado numa das paredes do living, você discute os passeios possíveis durante a sua estada, levando em conta a aclimatação à altitude e a sua forma física.

Escolhendo os passeios

As diárias incluem dois passeios curtos ou um passeio longo por dia. Os grupos são pequenos — você sai sempre de van — e os guias são fluentes em várias línguas; muitos têm formação em geologia ou biologia. Tudo perfeitamente organizados e rico em informação.

Passeios da manhãDetalhe do quartoUm mergulho depois do passeio?

Refeições e bebidas — vinhos Casillero del Diablo, cerveja, quantos piscos sauer você quiser — também estão incluídas. O café da manhã é buffet, e há um menu compacto no almoço e no jantar, com três opções de entrada, prato principal e sobremesa (no almoço também há uma opção de sanduíche). Na minha estada, o ponto alto à mesa foi um pato com coulis de framboesa e muffin de milho que estava divino. (O ponto baixo foram conchiglioni aos quatro queijos que passaram do ponto no forno e vieram quase torrados.) O serviço é suuuuupersimpático, sem nenhuma afetação.

Pato, framboesa, muffin de milho, nham!

Locos e batatasCamarões do Equador empanados com cocoPeixe com legumes

São pagos à parte vinhos nobres, massagens e tratamentos no spa (mas o uso da sauna é livre).

A piscina térmica no spa

Nos pacotes a partir de três noites, as diárias para casal ficam um pouco abaixo de US$ 800. Vale tudo isso?

Outro ambiente do livingO restauranteDucha na piscina

Evidentemente é possível fazer o Atacama por muito menos. San Pedro é uma meca para mochileiros do mundo inteiro. A Sílvia Oliveira do Matraqueando recentemente fez um belo trabalho identificando alternativas confortáveis e abordáveis.

Pelo pacote completo, porém — o estilão, o conforto, a gastronomia, a qualidade e a comodidade dos passeios — o investimento me parece plenamente recompensado. Dá para gastar mais do que isso em alguns hotéis de praia no Brasil, só com café da manhã. E a experiência de visitar um dos lugares mais bonitos do planeta sem absolutamente nenhum risco de perrengue — é um momento MasterCard, pípols.

Sol garantido: não tem preço

Fiquei três dias no Tierra Atacama; foi pouco. O ideal — não importa a maneira que você viaje — é ficar pelo menos cinco dias, para fazer todos os passeios imperdíveis (no meu caso, faltaram as lagoas altiplânicas e o Salar de Tara). Se você vai ficar no Tierra Atacama, sugiro programar uns dois dias apenas com passeios curtos, para poder curtir o hotel e o spa. Uma piscina bacana no deserto permite que você se vingue de todos aqueles dias chuvosos que você pegou na última ida à praia…

Hospedagem a convite do hotel Tierra Atacama

Leia mais:

73 comentários

Acha que vale a pena dividir a hospedagem entre um dos hoteis de luxo e algum hotel do centrinho ? (3 e 3 dias)
Além de alguma economia também daria pra conhecer melhor o centrinho a noite …

    Olá, Letícia! Não há o que “conhecer” na vila, só vida social mesmo. Se vc quer sair à noite, hospede-se direto no centro.

André, ja fiz isso. ë o seguinte. Saindo de sao paulo a rota é mais ou menos como abaixo (claro que voce pode dirigir menos por dia, mais por dia, depende de você)

Dia 1) SP-FOZ DO IGUAÇU. +- 1000km… eu fiz em um dia, dividindo o volante em 4 pessoas. Deu umas 12h.
Dia 2)FOZ-CORRIENTES/RESISTENCIA. +- 600km. Fizemos em 8 horas. Duas cidades pequenas. Paramos apenas para dormir em um hotel.
DIa 3) CORRIENTES/RESISTENCIA – SALTA. +- 800 km. Fizemos em 9 horas. Salta vale a pena perder um dia para conhecer…. fizemos isso.
Dia 4) SALTA
Dia 5) SALTA – San Pedro de Atacama (pelo paso JAMA) +- 600km. Faz em 8 horas. Uma das estradas mais bonitas do mundo com certeza. Passa por paisagens sensacionais na cordilheira. Cuidado com as nevascas e abastecimento do veículo neste trecho.

PS: Todas as estradas são (eram ao menos em 2009) excelentes. Cuidado com a policia corrupta no norte da argentina e os animais na estrada das mariposas.

Acabo de voltar do Tierra Atacama e é tudo o que o Ricardo Freire fala e mais um pouco….visual maravilhoso,comida excelente e todos que lá trabalham saõ extremamente gentis..Realmente uma viagem que jamais esquecerei!!Agora quero conhecer o outro hotel da mesma rede na Patagônia Chilena!!!

Alguem sabe dizer como fica o movimento por lá durante o nosso Carnaval? Será que fica muito cheio e pode haver risco de não conseguir se fazer alguns dos passeios por lá por conta do movimento?

Voltei e quero dizer que o deserto é incrível. Ficamos no Tierra Atacama que é um hotel excelente, as refeições são deliciosas, incluindo muitos pratos típicos, as excursões são ótimas, os guias são realmente especializados.
Não tivemos nenhum problema com a altitude, mas o ar é muito seco e é recomendável não esquecer o sorine e o colírio.
A temperatura é bem suportável, à noite faz mais frio, mas o céu incrível, coberto de estrelas, compensa…

Ana Carolina e Bóia, muito obrigada pelas respostas. Os links são bem completos…estou um pouco assustada, mas seguindo os conselhos do Comandante ficarei em um hotel bom (Tierra Atacama), com muito conforto, o que já me tranquiliza.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.