Passo a passo: como ir de Paris aos jardins de Monet em Giverny

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Jardim das Águas de Monet

Jardim das Águas, de Monet

Muitas casas onde moraram artistas e personalidades foram transformadas em museus mundo afora. Poucas, no entanto, explicarão tanto sobre a obra do morador quanto a casa de Claude Monet em Giverny, a pouco mais de uma hora de viagem de Paris.

O grande mestre do Impressionismo morou e pintou nesta casa entre 1883 até sua morte, em 1936. No início a propriedade era alugada, mas em 1890 foi comprada pelo pintor. Ao longo desse tempo, Monet cultivou os jardins que apareceriam de maneira recorrente em sua obra. Ou seja: além de inventar um estilo, o sujeito ainda produziu o cenário que queria pintar.

A casa e os jardins estão abertos diariamente entre o início de abril e o fim de outubro; do início de novembro ao fim de março, estão fechados. A visita é mais bonita em maio, no auge da primavera, mas o passeio vale a pena durante toda a temporada de funcionamento. A Lina do Conexão Paris esteve no outono e achou lindo.

Vamos ao passo a passo para fazer este passeio por conta própria.

1. O trem

Intercités

O trem Intercités da linha entre Paris e Vernon

A primeira etapa da viagem é de trem e leva entre 45 e 50 minutos. Os trens saem da Gare St.-Lazare, no 9º arrondissement, servida por quatro linhas do metrô (3, 12, 13 e 14) e uma de RER (linha E).

Gare St.-Lazare

Gare St.-Lazare

É preciso comprar passagem até Vernon. O trem que serve a rota é um Intercités, que tem configuração de trem regional de alta velocidade, com vagões de dois andares. A passagem custa € 14,70 em cada sentido. Não há lugar marcado nem desconto para compras antecipadas (os preços do print são de uma viagem de 2013).

Bilheteria Grandes Lignes

Bilheteria Grandes Lignes na Gare St.-Lazare

Ainda assim, vale a pena comprar no site da SNCF, http://www.voyages-sncf.com, para não precisar comprar na hora, na estação; as máquinas são complicadas (no dia em que eu fui, estavam travando direto) e a fila na bilheteria "grandes lignes" são tão grandes quanto as linhas (perdi meia hora nela).

Borne libre service

Comprando online

As passagens desta rota, nesta tarifa, são válidas por dois meses a partir da data de compra. Ao comprar pela internet, selecione a opção de entrega "borne libre service". Ao chegar, basta passar na máquina de auto-serviço o cartão de crédito usado na operação, e a sua passagem será impressa.

Composter 1Composter 2Composter 3

Se não for e-ticket, valide a passagem antes subir no trem!

Antes de subir no trem, não esqueça de validar ("composter") o seu bilhete, inserindo a passagem na maquininha postada na entrada da plataforma, com o código de barras voltado para você. Sem o carimbo da máquina a sua passagem não estará válida, e você pagará multa se for pego pelo fiscal (sem choro nem vela). Mas atenção: o e-ticket não precisa ser validado.

Horários de ida

Horários de ida

Os trens partem de duas em duas horas. Os horários que permitem que você aproveite melhor a visita são os das 8h20, 10h20 e 12h20. O das 8h20 faz você pegar os jardins com menos gente para atrapalhar suas fotos.

Painel

Painel de partidas

Para achar sua plataforma, procure pelo destino Rouen, que é o ponto final da linha.

2. O ônibus

Saída da plataformaAluguel de bicicleta

Siga as placas para o ônibus -- ou alugue uma bicleta

Ao descer da plataforma em Vernon você já verá placas indicando o caminho para os ônibus a Giverny. Haverá vários estacionados a meia quadra da estação; basta seguir o fluxo. Os horários são coordenados com os trens que chegam de Paris. Se houver mais passageiros do que assentos, pode-se viajar em pé.

NavetteNavette

Ônibus estarão à sua espera

A passagem é comprada a bordo com o motorista; a ida e volta custa € 10. Giverny fica a apenas 7 km de Vernon. O ônibus faz o trajeto em menos de dez minutos. Quem preferir pode alugar uma bicicleta no bar em frente à estação. Cada magrela custa € 15; é preciso deixar um documento de identidade (pode ser seu RG mesmo).

3. A visita

A fila

Se não quiser pegar fila, compre online

A casa de Monet está a pouco mais de cinco minutos de caminhada do fim da linha do ônibus. Nos fins de semana e meses de verão, espere encontrar uma fila moderada. Se quiser furar fila, você pode comprar o ingresso com antecedência na bilheteria online da Fundação Monet. O ingresso custa € 9,50 para adultos e € 6,50 para crianças a partir de 7 anos.

Eu fui no trem das 10h20, mas hoje acho que vale a pena madrugar para pegar o trem das 8h20 e entrar na casa logo que abre, às 9h30. Por quê? Porque entrando primeiro você pode atravessar o primeiro jardim  e pegar a passagem subterrânea para o Jardim das Águas, antes que suas alamedas encham de gente e você não consiga fotografar a ponte japonesa de Monet sem a presença de colegas turistas.

Jardim das Águas

Jardim das Águas

(Caso os jardins já estejam lotados, minha sugestão é dar contornos impressionistas à suas imagens, usando o filtro de desfocagem do instagram...)

Depois de contemplar a paisagem aberta -- os chorões, as canoas, as pontes e as ninféias (flores de lótus) do lago -- é hora de atravessar de volta a passagem subterrânea e passear pelo jardim das flores, o Clos Normand. Aqui o conjunto é bonito, mas os detalhes são estonteantes. Sua câmera vai virar um beija-flor, pousando sobre cada nova florzinha da alameda.

Clos NormandClos Normand

Clos Normand

Clos NormandClos Normand

Clos Normand

Clos NormandClos Normand

Clos Normand

Eu deixaria a casa para o fim do passeio. Ao entrar, você vai saber que o dono da casa não é só aquele pintor famoso que você conhece de livros e museus -- mas o jardineiro espetacular cuja obra você acabou de ver ao vivo.

A casa

A casa

A casa é uma graça e, assim como os jardins, tem o seu momento grandioso e seus tesouros sutis. O grande "uau" se dá quando você entra no ateliê do pintor, de pé direito alto e janelas generosas, que deixam a luz banhar o ambiente; espalhadas displicentemente pelas paredes estão reproduções de obras-primas de Monet, algumas delas retratando os jardins que você acabou de visitar. Já o equivalente às florzinhas delicadas do jardim são as gravuras japonesas da coleção de Monet, que ocupam as paredes dos corredores e dos cômodos do andar superior. É como se fosse um jardim de gravuras...

(Pena que o interior da casa não possa ser fotografado. Mas você pode ver fotos no site oficial, aqui.)

Na saída, a lojinha é uma mina de ouro de presentinhos e souvenirs de bom-gosto mrgreen

4. Fome?

Almoço normandoAlmoçoAlmoço

Bon appétit!

Nos arredores do museu, no centrinho de Giverny e no caminho de volta para o ônibus você encontrará restaurantezinhos floridos servindo especialidades normandas. (A propósito, tinha esquecido de comentar: Giverny fica em território da Alta Normandia, na fronteira com a Île-de-France, que é o departamento de Paris. Tem também onde pedir sanduíches e tomar café.

5. A volta

Horários da volta

Horários do ônibus

No ponto final do ônibus Vernon-Givenchy você vai encontrar a tabela de horários de volta. Todos os ônibus são coordenados com as saídas do trem para Paris.

Horários do trem

Sempre há três ou quatro trens à tarde. (Os jardins fecham às 18h.) Os trens vêm de Rouen. Não esqueça de validar a sua passagem na maquininha.

6. O complemento

Museu Marmottan

O museu Marmottan

Para ficar pós-graduado em Monet, tire uma manhã ou uma tarde em Paris para complementar a sua experiência visitando o museu Marmottan. Funciona num elegantérrimo palacete do 16º arrondissement (metrô La Muette, linha 9) e abriga a maior coleção privada de Claude Monet -- incluindo inúmeros originais cujas réplicas você terá visto no ateliê de Giverny. Abre de 3ª a domingo, das 10h às 18h (5ª até as 21h). Custa € 11. O Paris Museum Pass não é válido. Sobre o Marmottan, leia o post da Majô no Filigrana.

Quando fui, em 2008, estava um dia lindo, e saímos caminhando de lá até o Trocadéro, na margem do Sena oposta à Torre Eiffel...

7. O resumo:

O bilhete

A passagem de trem

  • A casa e os jardins de Monet em Giverny abrem diariamente das 9h30 às 18h entre o início de abril e o fim de outubro. Fecham do início de novembro ao fim de março. O site oficial é este.
  • O ingresso custa € 9,50 e pode ser comprado online. No campo "mobile", para incluir o telefone do seu celular, ponha +55 e depois o código DDD sem o zero.
  • Compre passagem de trem da gare St. Lazare até Vernon. Custa € 14,70 em cada trecho e vale por dois meses a partir da data de compra. É preciso validar a passagem nas maquininhas antes de subir no trem. Não há lugar marcado. Em Vernon há ônibus coordenados com os horários dos trens. A passagem do ônibus é vendida a bordo, pelo motorista (€ 5).

Leia mais:

277 comentários

Monica Stellet

Olá!! Seu blog é fantástico e te sigo nas redes sociais! Vamos pra Paris dia 25/10/19 e queremos visitar os jardins de Monet. Queremos alugar um carro. Quanto tempo de carro pra Giverny e se é difícil pra estacionar. Estou achando ir de trem muito complicado para marinheiros de primeira viagem de trem na Europa. Rss! Obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Monica! Trem é muito mais fácil do que carro. Carro, além de mais caro, é mais lento, faz você perder tempo precioso de viagem nos procedimentos de retirada e entrega. Orientar-se na saída (e chegada) de Paris é dificílimo até com GPS. Habitue-se ao trem, é o melhor e mais prático meio de transporte já inventado.

Andreia
AndreiaPermalinkResponder

Olá!!precisamos de dicas! Vamos para Paris em 5/07/2019, gostaríamos de fazer no mesmo dia a visita em Giverny e Versalhes, de trem, o que você acha? Pode dar uma sugestão? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Andreia! Não dá. O único jeito de visitar os dois lugares no mesmo dia é com tour organizado.

Gabi
GabiPermalinkResponder

O trajeto completo de Paris à Fundação Monet é coberto pelo cartão de transporte navigo découvert? Inclusive o ônibus que faz o percurso estação de Vernon-Fundação-estação de Vernon?

Outra dúvida: o museum pass não dá direito à entrada em Giverny, né?

Muito obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabi! A navette da Fondation Vuitton não está coberta por passes de transporte. Giverny não está incluído no passe de museus.

Ana Clara Granato Nunes

Boa tarde!!!
Estou indo a Paris no final de maio e quero muito ir à casa de Monet, porém fiquei com muitas dúvidas em relação ao informado.
Primeiro, o link para compra de ingresso informa que as vendas estão encerradas. Vi que também vende pelo site da FNAC e pelo Ticketmaster, porém em ambos é necessário escolher um período de visita, ou 09:30 ou 13:30. É isso mesmo? Também não compreendi muito bem se comprando para o período de 09:30 posso estender até após as 13:30 ou a visita deve encerar até 12:30 (encontrei informação de que a casa fecha entre 12:30 e 13:30).
Em segundo, no site informado para a compra da passagem de trem é preciso escolher o horário de ida e retorno, por isso a informação anterior é imprescindível, a fim de evitar a perda de tempo (por exemplo ter que sair as 12:30 e ter comprado o trem de 17:50, perdendo esse tempo lá).
Por isso questiono, chegando na casa às 09:30 qual seria o tempo ideal de visita? Compro o trem de retorno para que horas?
Caso disponha da informação, aguardo o retorno.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Clara! Precisamos atualizar o site de vendas, que realmente mudou. Duas horas são suficientes para uma visita proveitosa. Três horas se você for muito detalhista. Nesta rota não importa o horário dos trens, basta que você esteja com uma passagem válida para o dia.

regina araujo
regina araujoPermalinkResponder

Olá, tudo bem? Estou tentando comprar ingresso para visitar os jardins de Monet em maio e quando vou para o link da fundação de Monet tem uma informação dizendo que as vendas estão encerradas com data de 2013. Vc poderia me ajudar. É preciso comprar antes?

Rafaella Cedro stock

Bom dia
Qual o melhor período para visitar os jardins de Monet?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafaella! Se você estiver em Paris durante a abertura dos jardins, visite. Você não sabe quando voltará numa época em que os jardins estejam abertos à visitação.

Barbara
BarbaraPermalinkResponder

Ricardo e Boia, olá! Farei de carro o percurso entre Paris e Mont Saint-Michel e pensei em fazer uma parada de algumas horas em Giverny para visitar o museu. Vocês aconselham (ou não recomendam)?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Barbara! É uma parada estratégica, já que está no caminho mesmo. Saia cedo de Paris, porque de Giverny ao Monte serão 3 horas de estrada .

Marcelo Jesus
Marcelo JesusPermalinkResponder

Barbara, fiz esse mesmo trecho de carro e deu tudo certo. Apenas fui de Giverny às praias do Desembarque da Normandia (dormi duas noites lá, gostei muito) e das praias fui ao Monte Saint Michel (dormi uma noite lá).
Como sugerido pela Boia, saia cedo de Paris para ir com calma e compre os ingressos para Giverny pela internet com antecedência. Quando fui havia uma entrada separada para quem tinha o ingresso antecipado, sem fila.
Giverny vale muito a pena.

Ana Paula Rodrigues

Olá, estou buscando horário para retorno de giverny até paris mas pelo que vi só tinha dois horários 17h e 18h, sendo que comprei a ida pra chegar na visitação de 9:30. Queria voltar no máximo num trem de 14h pra aproveitar um pouco de Paris. Se de fato eu não encontrar trens num horário que eu queira (esse de 14h) que outra opção eu teria para voltar para Paris e não ter que ficar fazendo hora por Vernon até 17-18h?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Paula! Você está pesquisando errado. Provavelmente o site usou o horário do seu computador no momento da pesquisa e deu apenas os horários posteriores.

Tem tem às 13h08, 14h53, 15h07, 16h47...

Alexandre Ventura

Gostaria de saber como valida o bilhete de passagem pq não ficou bem claro.
Desde já agradeço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alexandre! Se a sua passagem tiver sido comprada na estação, procure um totem de validação na entrada da plataforma, e insira ali a passagem para ser validada.

Se comprar a passagem pela internet como e-ticket, basta imprimir ou levar no celular, sem necessidade de validação.

Aline Silveira

Olá pessoal, o cartao Naviggo é aceito para Giverny?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aline! Não.

DANIELLE LIMA
DANIELLE LIMAPermalinkResponder

Se a pessoa descer em Bonnières, estação dentro da zona 5 do Navigo, uma antes de Vernon, como chegar até Giverny?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Danielle! O Navigo vale no metrô e no RER. Não vale no trem. Se você embarcar com um Navigo e passar um fiscal, vai pagar multa na hora.

Para o seu bem, não queira ter idéias mirabolantes que ninguém nunca pensou antes para economizar no transporte público.

Gilmara
GilmaraPermalinkResponder

Uma das visitas mais incríveis que já fiz durante minhas viagens! Se tiver oportunidade, vá visitar a Casa e os Jardins! Adoro você, Comandante!!! ??? Bóia, você também está no meu ❤️!!!!

Edinaldo Oliveira

EXCELENTE esse passo a passo para ir de Paris a Giverny! Parabéns!!!!!

sandra
sandraPermalinkResponder

Gostei muito do seu site, bem explicativo. Por gentileza marquei viagem para Paris começo de novembro, e pelo que entendi não valeria a pena ir até a cidade, o que vc acha?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sandra! Verifique o funcionamento. Mas mesmo se estiver aberto, estará bem tarde no ano para ver flores bonitas.

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Olá! Pretendo visitar Giverny em 28/10/19. Na postagem você diz que a passagem do trem é válida por 02 meses após a compra. Fiz a pesquisa hoje (28/07/2019) no site da SNCF e encontrei passagens de trem para os 4 passageiros, ida 08h19min e retorno às 12h51min (Paris - Vernon) com uma tarifa total de 52,80 euros para os dois trechos. Fiquei com medo de comprar pela informação dada (como faltam 3 meses, entendi pelo post, que meus tickets não estarão válidos). É isso mesmo? Muito obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luciana! É um trem regional, sem variação de tarifas. Mas se você conseguir emitir com a data de outubro, então está valendo.

Cris
CrisPermalinkResponder

Olá, adorei o site de vocês e estou bem empolgada para fazer esse passeio. Minha dúvida é: na hora de comprar o passe do trem qual estação eu coloco na partida e qual coloco na chegada? Coloquei os nomes do texto, mas apareceram várias opções.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cris! Gare Saint-Lazare.

Camila Schmitz

Nossa!!! Finalmente alguém que sabe explicar de forma bem direta o passo a passo da viagem. Obrigada pelas dicas!

Erika
ErikaPermalinkResponder

Olá, Mônica!
Concordo com você, o blog do Ricardo Freire é demais! Fomos a Giverny em julho e de carro. Alugamos o carro porque além de Giverny, o nosso roteiro incluiu 5 dias pela região da Normandia. As estradas são ótimas, fomos pelo Waze e pagamos o pedagio com cartão de crédito. Super tranquilo! A demora maior é a saída de Paris, aonde o trânsito é sempre mais intenso. A viagem durou por volta de 1h30. Se puder ficar uma noite lá, a cidade é um charme. Nos hospedamos em uma pousada linda, charmosa e que a dona é a gentileza em pessoa, o La Pruniere. Tb jantamos num restaurante, mesas ao ar livre, o Baudy. Comida deliciosa! Aproveitem! A viagem é maravilhosa!

Carneiro
CarneiroPermalinkResponder

As informações de como chegar estão erradas!!!! Não é pela linha E, é linha J. Acabo de me perder e perder horas de passerio por isso.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carneiro! As informações estão corretas e têm ajudado os leitores desde a publicação do post, em 2013. Foram 6 anos sem reclamações até esta sua.

O que acontece é que você confundiu os trens. RER é o nome do trem suburbano de Paris, que complementa a rede de metrô. O RER só tem 5 linhas. A linha E é uma delas, e está citada no post como uma forma de chegar à Gare St.-Lazare. Não existe linha J do RER.

Essa linha J que você cita é da rede Transilien, um trem de cercanias que leva além da área metropolitana de Paris. Vernon está nesta linha. Mas não é sequer necessário mencionar o nome da linha, porque não é pelo nome da linha que se compra a passagem, mas pelo nome do destino.

O caminho está claramente explicado no texto e tem sido entendido por milhares de leitores: vá à Gare St.-Lazare (use o metrô linhas tais e a RER linha E) e de lá siga a Vernon.

Viajar por conta própria é sempre uma aventura, e na pressa pode haver mal-entendidos. A gente lamenta o acontecido mas, veja, não há o que mexer no texto. Incluir informações sobre uma linha J só complicaria o entendimento.

Anna
AnnaPermalinkResponder

Uau, que texto bem escrito! Obrigada.
Parece escrito por um capricorniano, acertei? (Identificado por uma, rsrs)

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar