3 noites em Lima | Primeira viagem ao Peru (II)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

3 noites em LIma: Mundo Mágico del Agua

Este post com roteiro para 3 noites em Lima é o segundo de uma série para você planejar sua primeira viagem ao Peru. Não deixe de ler também:

LIMA

3 noites em Lima: Malecón

Malecón de Miraflores num raro dia de sol

Sob um céu permanentemente nublado (e com um trânsito caótico!), a capital do Peru dificilmente vai figurar entre as cidades mais bonitas que você já visitou. Mas não se deixe enganar pela primeira impressão. Depois que você ajusta o olhar, percebe que as áreas mais arrumadas de Lima são civilizadíssimas (e só a visita ao museu Larco já justifica a escala na cidade). Com três noites na cidade, você terá tempo para se recuperar do vôo da vinda, resolver galhos burocráticos e ser apresentado à diversidade da culinária peruana. O roteirinho de passeios e restaurantes vem mais abaixo.

Onde ficar em Lima

Lima é como Los Angeles -- um conglomerado de cidades com prefeituras autônomas. A mais importante dessas cidades é Miraflores; a mais chique é San Isidro. As duas concentram a maior parte dos hotéis de Lima. Ambas têm um centro (o de Miraflores, nas imediações do Parque Kennedy; o de San Isidro, no entorno do Óvalo Gutiérrez, já na divisa com Miraflores) e áreas mais residenciais (San Isidro também tem modernos edifícios de escritórios fora do centrinho). Uma terceira possibilidade é se hospedar em Barranco, onde a noite é mais animada.

As notas dos hotéis foram apuradas em junho de 2018

Miraflores

Miraflores é a escolha-default para se hospedar em Lima.

3 noites em Lima: JW Marriott, shopping Larcomar

JW Marriott, Shopping Larcomar

A oferta de hotéis no bairro atende a todos os orçamentos: aqui estão desde os hotéis mais luxosos da cidade -- o Belmond Miraflores Park (nota 9,4 no Booking) e o JW Marriott, que fica em frente ao shopping Larcomar (nota 9,1 no Booking) -- até os hotels mais procurados pelos mochileiros a caminho de Cusco, como o Flying Dog (nota 7,9 no Booking) e o Che Lagarto (nota 7,9 no Booking).

Felizmente não faltam opções intermediárias entre as duas pontas da tabela.

3 noites em Lima: hotel Atrium

Hotel Atrium Miraflores

Provavelmente a melhor relação custo x benefício do bairro está no Tierra Viva Miraflores Larco (nota 9,0 no Booking), resenhado pela Sylvia Lemos aqui. A Tierra Viva é a melhor rede de hotéis básicos do Peru: os quartos são enxutos mas funcionais; o café da manhã é bom e o serviço, consistente e profissional. O hotel de Miraflores fica na transição entre o centrinho do bairro e a área residencial da costeira. Bem no centrinho, o Atrium Miraflores (nota 9,2 no Booking) é um flat com alma de pousada; os quartos têm uma pequena cozinha, o café da manhã é excelente e o serviço, bastante atencioso. O único defeito é que fica numa viela que os taxistas não conhecem (dê o nome da transversal, calle Cantuarias). Fora do miolo central, mas numa localização superchique -- a duas quadras do shopping Larcomar e do Malecón --, o Ibis Larco Miraflores (nota 8,4 no Booking) em tudo para agradar aos fãs de rede.

Caso você siga o meu roteiro e chegue na sexta ou no sábado, vale a pena conferir as tarifas dos 4 estrelas com perfil business, que baixam suas diárias no fim de semana. Confira o Four Points by Sheraton (nota 8,6 no Booking), resenhado pela Sylvia Lemos aqui; o Courtyard by Marriott (nota 8,9 no Booking); o Radisson Decapolis (nota 8,8 no Booking); o Casa Andina Select (nota 8,8 no Booking); Sonesta Posadas del Inca (nota 8,7 no Booking) e Casa Andina Private Collection (nota 8,9 no Booking) -- este, certamente o mais caro da turma (concorre na faixa JW Marriott-Belmond).

Caso você esteja procurando um hotel com vida noturna na porta, o melhor trecho de Miraflores é a calle Berlín, onde se enfileiram barzinhos e restaurantes animados desde a happy-hour. A melhor pedida por ali é o Dazzler Lima (nota 8,8 no Booking), na avenida paralela. Na própria rua, considere o QP (nota 8,1 no Booking), o Miramar (nota 8,1 no Booking) e o Pacific (nota 7,8 no Booking).

Ainda numa faixa econômica, são muito bem avaliados o León de Oro (nota 8,5 no Booking), resenhado pela Lu Malheiros no Dividindo a Bagagem, e a pousada Imperial Inn (nota 8,0 no Booking).

San Isidro

É o bairro mais chique de Lima -- de vez em quando você tem vontade de perguntar, "estou na América do Sul mesmo?". As ruas e jardins são impecavelmente cuidados, a começar pelo parque El Olival, um jardim de oliveiras que se tornou um parque público (e onde os guardinhas dão buenos días ao passar pelos visitantes). O entorno do Olival é o lugar mais auspicioso para se hospedar em San Isidro -- o Sonesta El Olival (nota 8,9 no Booking) fica em frente, e o estiloso Aku (nota 9,0 no Booking), a meia quadra.

3 noites em Lima: hotel Aku

Hotel Aku San Isidro

O elegante Foresta (nota 9,0 no Booking) está perto do Golf Club de Lima (os andares mais altos têm vista para o green). Já o moderno NM Lima (nota 8,9 no Booking) tem como maior vantagem a proximidade da muvuca do Óvalo Gutiérrez.

Mas o hotel do momento é o novíssimo Westin (nota 9,3 no Booking), encravado no corredor de prédios de escritórios que concentra boa parte do PIB peruano.

Por se tratar de um bairro muito procurado por viajantes de negócios, no fim de semana e feriados as diárias costumam ficar menos caras.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Mondial Assistance

Barranco

Tradicional bairro de veraneio dos limeños -- por conta de sua praia de areia, algo raro na costa da cidade -- Barranco se tornou o mais animado pólo boêmio da capital, sobretudo nas noites de sexta e sábado. O MATE, o museu do fotógrafo Mario Testino, fica no bairro.

3 noites em Lima: Hotel B

Hotel B, Barranco

Caso o seu orçamento permita, fique no Hotel B (nota 9,1 no Booking), charmosamente instalado numa mansão meio art-nouveau, meio art-déco (se não der para se hospedar, passe para jantar ou tomar um chá da tarde).

3 noites em Lima: Second Home Peru

Second Home Peru

O hotel pioneiro da região é o Second Home Peru (nota 9,1 no Booking), que funciona na casa do artista que criou a escultura "O Beijo", no Parque del Amor do Malecón de Miraflores. A Casa Falleri (nota 8,3 no Booking) completa o trio de hotéis-boutique do bairro.

Sexta e sábado: banho de história

Chegada no aeroporto e trânsfer para o hotel

Todos os passageiros, mesmo os que têm conexão imediata para outro destino no país, precisam fazer imigração e passar as bagagens pela alfândega em Lima. Entre as esteiras de bagagem e a imigração você encontra um caixa automático da GlobalNet (não-recomendado: o limite por saque é baixo, 400 soles, e a tarifa é alta, 14,50 soles) e o guichê da casa de câmbio, aberto 24 horas. Mesmo com a comissão de 3% cobrada pela casa de câmbio, é melhor usar os seus serviços. Troque ali 100 dólares, só para ter os primeiros soles no bolso.

Logo depois da imigração você passará por uma sala onde estão os guichês das locadoras, dos remisses (que são os trânsfers pré-contratados junto aos hotéis) e de um "táxi oficial". Pré-contratar um trânsfer com o seu hotel é uma boa; costumam cobrar 20 dólares pela corrida até 3 passageiros e incluem na conta (normalmente os hotéis oferecem esse trânsfer por email, ao confirmar a sua reserva, mesmo as feitas pelo Booking). Se o seu hotel não oferecer trânsfer, você também pode reservar um online pela TaxiDatum, que também cobra 20 dólares. Caso você não tenha pré-contratado o trânsfer, porém, passe reto para o saguão do desembarque -- não caia na furada desse "táxi oficial", que é um táxi especial caríssimo: cobra 50 dólares até os hotéis de Miraflores ou San Isidro.

Lima Taxi Green

Guichê do Taxi Green

Continue ao saguão de desembarque: à esquerda você verá o guichê do Taxi Green, a cia. que detém a concessão de táxis comuns no aeroporto de Lima (o guichê já não é o mesmo aí dessa foto). Ali você compra a sua corrida tabelada (55 soles a San Isidro, 60 soles a Miraflores) até o seu hotel. Os táxis são razoavelmente novos e confortáveis, e o serviço é seguro. O Taxi Green agora aceita cartão de crédito, segundo o Leonardo (obrigado pela informação!). Você também pode usar o wifi grátis do aeroporto para chamar um Uber.

Se você conseguir chegar na sexta-feira à noite, instale-se no seu hotel tenha uma boa noite. Caso só dê para chegar no sábado de manhã, vá até o hotel para deixar as malas (o quarto provavelmente só estará disponível depois das 14h) e siga a programação logo abaixo.

Mas vale a pena chegar na sexta só para dormir?

  • Antes de viajar, quando a gente está na fissura de cortar todos os gastos posíveis, cacifar uma diária a mais de hotel (de 100, 150, 200 dólares) só para chegar na hora de dormir parece uma extravagância desnecessária -- ainda mais que é perfeitamente possível chegar na manhã seguinte e cumprir um programa praticamente idêntico. Mas vai por mim: é um bom investimento. Ao passar essa primeira noite já em Lima, você enterra no dia anterior toda a tensão e os perrengues do deslocamento (trânsito para o aeroporto, check-in, imigração, 5 horas na classe econômica), acorda descansado, toma um belo café da manhã e inicia a viagem fresquinho e perfumado. Vale a pena, sim.

Câmbio, chip, passagem de ônibus

Se você precisa fazer câmbio, a maior concentração de casas de câmbio convencionais está na avenida Pardo, perto do Óvalo de Miraflores. A avenida Larco também tem suas casas de câmbio, como a Unión Express, no número 799, esquina com a calle San Martín. Além dessas casas de câmbio (todas abertas no sábado até as 14h), você também pode usar os serviços dos cambistas autorizados, postados na calçada da avenida Larco em frente ao parque Kennedy, identificados por jalecos da prefeitura de Miraflores. (Eu acho meio bizarro tirar grana do bolso, fazer câmbio e contar dinheiro no meio da rua, mas a cotação costuma ser ligeiramente melhor com os cambistas do que nas casas de câmbio. Eu não tive coragem.)

Chip: vá à loja Claro da av. Larco

Com o câmbio resolvido, passe numa loja Claro (tem uma grande na av. Larco, 652, entre Alfredo Benavides e Schell) para comprar o apetrecho mais útil para a sua viagem: um chip 3G local. Você vai precisar levar seu passaporte (ou carteira de identidade e papeleta de entrada), pegar uma senha e entrar na fila. Espere perder uns 45 minutos nessa operação, entre fila e preenchimento de papelada. O chip sai baratinho (5 soles) e depois de tudo registrado você vai precisar carregar um plano de dados. Peça para o vendedor da loja explicar os planos disponíveis. Para ficar 7 dias no Peru, usando wifi do hotel sempre que houver, ter 1 giga de dados é suficiente. Mas se você for super-heavy-user de Google Maps enquanto passeia, garanta-se com um plano de 3 gigas. A pegadinha é que não dá para comprar o plano de dados na loja da Claro: tem que ser num posto de recarga. Na própria avenida Larco, junto ao Parque Kennedy, você pode comprar seu plano de dados de um dos vendedores com coletes das operadoras de celular. Eles são eficientes e honestos. Dá também para carregar seu plano em qualquer lojinha que tenha o cartazete da Claro anunciando recarga.

Passagens de ônibus

Balcão da Teleticket no Wong

Caso você precise emitir alguma passagem de ônibus da Cruz del Sur (para Ica, Nasca, Arequipa, Puno...), passe no quiosque da Teleticket no térreo do hipermercado Wong, na Bajada Balta 626, ali pertinho.

Lima: EasyTaxi

Táxi: vá de EasyTaxi (ou Uber)

  • Até alguns anos atrás, pegar táxi em Lima era complicado: você precisava negociar o preço da corrida com o taxista antes de entrar no táxi (na maioria das vezes, uma lata-velha). Hoje em dia, se você acena para um táxi na rua, ainda vai precisar usar o seu portunhol para barganhar o preço: nenhum táxi tem taxímetro. Mas a partir do momento em que você instala o chip pré-pago no seu celular, seus problemas acabaram: você pode saracotear para cima e para baixo usando os aplicativos EasyTaxi e Uber (se você já instalou os apps no Brasil, não precisa baixar mais nada). Ambos serviços são confiáveis, têm tarifas compatíveis com as distâncias percorridas e garantem carros em condições aceitáveis de uso.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Mondial Assistance

Plaza de Armas e Convento San Francisco

3 noites em Lima: centro histórico

Palácio Arquiepiscopal

Chame o seu primeiro EasyTaxi ou Uber para levar você à Plaza de Armas, ponto de partida para um breve rolê a pé pelo centro histórico. A plaza é o local de refundação da cidade, em 1535, pelo conquistador Francisco Pizarro (o lugar já era povoado antes da chegada dos espanhóis).

Chegou em Lima na sexta?

  • Às 11h você já deve estar livre dos compromissos burocráticos, então vai pode encaixar esse passeio nesse finzinho de manhã.

Chegou em Lima no sábado?

  • Não vai dar tempo de você fazer esse passeio hoje. Guarde para fazer no domingo de manhã. Encontre a gente na próxima parada, a Antigua Taberna Queirolo, mais adiante nesta página.

Passagens promocionais para Lima no nosso parceiro Viajanet

A única construção que remonta ao vice-reinado espanhol, no entanto, é a Catedral de Lima (visitas de 2ª a 6ª das 9h às 17h; sábado das 10h às 13h; ingresso: 10 soles), cujo portal é o mesmo desde 1622 (a construção só terminaria em 1797). Os outros (belos) edifícios da praça são mais recentes: vizinho à catedral, o Palácio Arquiepiscopal (visitas de 2ª a 6ª das 9h às 17h; sábado das 9h às 13h; ingresso: 20 soles) é de 1922; na calçada oposta, o Palacio de La Unión é de 1942 e o Palácio Municipal, de 1944; na quadra lateral, o Palácio do Governo é de 1938.

3 noites em Lima: centro histórico

Por que parecem mais antigos do que são? Porque entre os anos 20 e 40 estava em voga a arquitetura neocolonial -- que tinha uma quedinha toda especial pelos balcões de madeira entalhada, presentes nos edifícios da praça e figurinhas fáceis em casarões e palacetes espalhados pelas ruelas do centro histórico.

Centro histórico de Lima

Nos arredores da praça, dois conventos estão entre as construções mais antigas que resistem em Lima. Continuando na calçada da Catedral e do Palácio Arquiepiscopal em direção ao fim da rua, você vira à direita no jirón Ancash e dá no Museu & Catacumbas do Convento São Francisco, (plazuela San Francisco; museu aberto diariamente das 9h às 20h15; igreja aberta diariamente das 7h às 11h e das 16h às 20h; ingresso: 15 soles), fundado em 1546 e reconstruído pela última vez em 1642. Mesmo num passeio tão condensado como esse nosso, vale a pena entrar no museu: sua grande atração são as catacumbas, onde os limeños faziam questão de ser enterrados para estar mais perto de Deus, e que funcionaram até 1810.

Na saída do convento, dê uma entradinha no Parque da Muralha, debruçado no rio Rímac (que nem sempre tem água correndo).

O segundo convento nos arredores da catedral fica para o outro lado do Palácio do Governo: é o Convento de Santo Domingo (jirón Camaná, 170; aberto diariamente das 8h30 às 17h30; ingresso: 5 soles). Fundado em 1535 e reconstruído pela última vez em 1746, seu interior é indicado a quem tem interesse por arte sacra.

Você tem até umas 14h, 14h30 para passear pelo coração do centro histórico, antes de chamar o seu próximo táxi.

Mas não é muito pouco tempo para o centro histórico?

  • Sim, a gente passou rapidinho porque depois de amanhã já precisa embarcar pra Cusco. Mas se você ficar mais dias em Lima, o centro histórico rende fácil um dia inteiro de exploração. A Manu Tessinari do Cup of Things tem um roteiro completo do centro histórico com as fachadas mais célebres, restaurantes indicados e ainda o interessante Museu Bodega y Quadra, que conta a história de Lima. Já a Lu Malheiros do Dividindo a Bagagem recomenda também dar uma passada pelo centro histórico à noite, de táxi, para ver a cidade antiga lindamente iluminada.

Antigua Taberna Queirolo

Antigua Taberna Queirolo, Lima

Clássico botequim limeño -- que me foi apresentado pela Manu do Cup of Things -- a Antigua Taberna Queirolo (av. San Martín, 1090, Pueblo Libre, tel. 01/460-0441; abre de 2ª a sábado das 9h30 à meia noite, domingo das 9h às 16h) entra no nosso roteiro por (a) estar no caminho da próxima atração (o Museu Larco) e (b) por ser o melhor lugar da cidade para apresentar você ao chilcano, o drink de pisco, ginger ale, suco de limão e angostura que é muito mais gostoso que o pisco sour. Para acompanhar, piqueos (tábuas de frios), sánguches (sanduíches, os mais-mais são o de butifarra e o de peixe-rei) ou ceviches. Daqui, peça um táxi para o Museu Larco.

Museu Larco

3 noites em Lima: Museu Larco

Não inicie nenhum périplo pelo Peru sem passar antes neste museu espetacular. Instalado num palácio do século 18, o Museu Larco é um Museu Larco (av. Bolívar, 1515, Pueblo Libre, tel. 01/461-1312; aberto diariamente das 9h às 22h; ingresso: 30 soles) é um museu privado, constituído em 1926 a partir de uma coleção de cerâmicas e artefatos pré-incaicos. Sim: o que o museu Larco revela é a evolução da civilização no Peru até o breve período em que os incas unificaram os Andes sob seu império. Há galerias dedicadas às diferentes culturas que antecederam os incas, explicando suas contribuições. O acervo é dividido em galerias por material -- ouro, prata, têxteis, cerâmica. A mais cobiçada das salas é a galeria de cerâmica erótica -- mas acredite, trata-se apenas de uma curiosidade; o museu já seria totalmente imperdível mesmo sem essa seção. O Larco também tem um café-restaurante charmosíssimo, com avarandado e vista para o jardim, aberto -- assim como o museu -- até as 22h. (Seu eu fosse você, começava a visita por ali, completando o almoço na Queirolo com café e sobremesa daqui -- experimente a mousse de lúcuma ou o suspiro limeño.)

Noite

Miraflores

Bateu o cansaço? Fique por Miraflores mesmo. Para jantar, recomendo o despretensioso Punto Azul (San Martín, 595, esquina Arcanflores; tel. 01/445-8078; abre de 2ª a sábado para jantar; fecha domingo), onde comi um arroz de pato espetacular (é uma receita norteña peruana, difícil de encontrar em Cusco).

La Emolientería, Lima

La Emolientería

Se você é de barzinho, vai encontrar vários enfileirados na calle Berlín (entre o Malecón Balta e a calle General Recavarrén). Fora da muvuquinha, eu curti muito o La Emolentería, um bar hipster que prepara drinks com pisco e emolientes (av. Diagonal, 598, em frente ao Wong, tel. 01/446-3431), e o Huaringas, mais mauricinho, que tem uma ótima carta de chilcanos com frutas andinas (Óvalo Bolognesi, 460, tel. 01/243-8151).

Barranco

Está com aquele pique total de início de viagem? Então toca pra Barranco, o bairro boêmio que é a Lapa/Vila Madalena/Rio Vermelho de Lima.

Isolina, Lima

Isolina

Para jantar muito bem, faça uma reserva no Isolina Taberna Peruana, com um cardápio que cobre todas as especialidades peruanas, preparadas com leveza; os preços são ótimos (Prolongación San Martín, 101, tel. 01/247-5075; abre de 3ª a sábado até as 23h, domingo e 2ª só almoço até as 15h).

Bar Ayahuasca, Lima

Ayahuasca

Depois emende a meia quadra dali no bar Ayauhasca, que fica num palacete antigo com 12 ambientes exoticamente decorados (Prolongación San Martín, 130, tel. 981-044-745; abre de 2ª a sábado das 20h às 3h).

Barranco

Bar Piselli, Barranco

Ou faça suas próprias descobertas: no sábado à noite, não faltam bares fervilhando ao longo das avenidas San Martín, Miguel Grau, Pedro de Osma e suas transversais.

Astrid y Gastón ou Central?

Com a devida preparação (traduzindo: reserva com várias semanas de antecipação), você também pode aproveitar sua noite de sábado para jantar num dos über-restaurantes de Lima.

O mais tradicional é o Astrid y Gastón, de Gastón Acurio, que detém o título semi-oficial de embaixador da cozinha peruana. Você pode experimentar sua comida em outros 15 restaurantes prêt-à-porter em Lima (todos os da rede Tanta, mais a cevicheria La Mar, o restaurante criollo Panchita, a hamburgueria à peruana Papachos, mais o italiano Los Bachiche e o sino-peruano (chifa) Madam Tusan), mas para provar a haute cuisine de Gastón, você vai precisar se dirigir à Casa Moreyra, o palacete centenário que foi sede da Hacienda San Isidro (a fazenda que acabou dando o nome ao bairro). Ali, desde 2014, funciona o restaurante top do império acuriano, cujos cardápios voltaram a ser assinados por Gastón no início de 2016 (depois de dois anos nas mãos do chef moderninho Diego Muñoz). A razão para batalhar por uma reserva no Astrid y Gastón é experimentar um dos dois menus-degustação -- de 5 passos (300 soles/85 dólares; bebida à parte) ou 10 passos (400 soles/115 dólares; bebida à parte). Toda a mesa precisa optar pelo mesmo menu. O A&G também serve à la carte, mas se você não estiver considerando a degustação, é melhor já reservar no segundo restaurante da Casa Moreyra, o La Barra, mais informal, com pratinhos para compartilhar e preços mais abordáveis (pratos entre 40 e 60 soles/12 e 17 dólares). Faça reservas online: no Astrid & Gastón (com pelo menos duas semanas de antecedência) aqui, no La Barra aqui (av. Paz Soldán, 290, San Isidro, tel. 01/442-2775; abrem de 2ª a sábado para almoço e jantar; domingo só jantar).

A estrela atual da cena gastronômica peruana, porém, é o Central, que ficou em primeiro na lista de 2015 de melhores restaurantes da América Latina da revista Restaurant. O casal de chefs Virgilio Martínez e Pía León cria menus-degustação que viajam pelas diversas altitudes e ecossistemas peruanos, trabalhando ingredientes autóctones de maneira original. Ao fazer a reserva, você já escolhe um dos dois 'caminhos': Alturas (17 pratos, 398 soles/115 dólares; bebidas à parte) e Ecossistemas (12 pratos, 318 soles/90 dólares; bebidas à parte), que por sua vez podem ser pedidos na versão Mater (com carne) ou Vegetal (vegetariana). Faça sua reserva com pelo menos um mês de antecedência aqui (Santa Isabel, 376, Miraflores, tel. 01/242-8515; abre de 2ª a 6ª para almoço e jantar; sábado só jantar; fecha domingo).

(Não, ainda não comi nem no Astrid y Gastón de Lima -- só no de Santiago -- nem no Central.)

Domingo nos parques

A noitada foi longa? Tudo bem: não é preciso acordar cedo. Dá pra tomar café no último horário, sem problema.

El Olivar e San Isidro

El Olivar, Lima

El Olivar

Um gostoso início de domingo, e que dará a tônica do dia, é uma caminhada leve pelo Bosque El Olivar. Localizado no coração do bairro/município de San Isidro, o bosque contém 1.500 oliveiras remanescentes da Hacienda San Isidro. No início do século XX, a área foi loteada e construíram-se casarões elegantes nas bordas do parque, incorporando o verde a seus jardins -- o que deixa o lugar ainda mais charmoso.

Vá do hotel Sonesta até a extremidade do parque, e então coloque no Google Maps: calle Victor Maurtua, 225, San Isidro. Em menos de 10 minutinhos você chega a um outro oásis urbano: um parque cercado por prédios baixos e simpáticos. O bairro é cheio desses espaços: você vai ter vontade de morar ali.

Passagens promocionais para Lima no nosso parceiro Viajanet

Não deu para ir no centro histórico sábado?

  • Se você desembarcou na manhã de sábado e não deu tempo para ir à Plaza de Armas, vá no domingo. Cabule o El Olivar. Vá de táxi do centro histórico direto à cevicheria que escolher para almoçar.

Ceviche estrelado

Do ponto em que paramos, estamos a menos de 10 minutos de caminhada da zona das cevicherias mais famosas de Lima. De repente, as ruas arborizadas e arrumadinhas dão lugar a quarteirões feiosos, ocupados por oficinas mecânicas e depósitos. Não se deixe impressionar. Um grande ceviche está à sua espera.

Tradicionalmente, o ceviche é um prato para se comer na hora do almoço, com peixe pescado no dia. Não passa pela cabeça de um limeño comer ceviche de peixe descongelado. Faça sua reserva para um dos primeiros horários -- 12h30 ou 13h -- para aproveitar melhor a tarde.

Pescados Capitales

Pescados Capitales

Eu fui conferir os ceviches bem-feitos (e bem-humorados) do Pescados Capitales (av. La Mar, 1337, tel. 01/222-5731, reservas em tempo real pelo Restorando) que incluem variantes com frutas e até com peixes de carne vermelha (uma heresia chevítica). O ceviche mais bem-cotado com os foodies é o do El Mercado (Hipólito Unanue, 203, tel. 01/221-1322), a cevicheria do chef Rafael Osterling, do badalado Rafael. Completando o trio de ceviches 5 estrelas tem o La Mar (av. La Mar, 770, tel. 01/421-3365), a cevicheria de Gastón Acurio com filiais espalhadas pelas Américas (incluindo São Paulo).

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Mondial Assistance

Malecón de Miraflores

De qualquer uma das cevicherias da região da avenida La Mar você estará a poucas quadras do Malecón de Miraflores -- o magnífico parque costeiro instalado no topo das falésias de Lima. Eu falei parque, no singular? Minto: o Malecón é formado por 15 parques contíguos ao longo de 5 quilômetros. Cada um tem um uso particular -- quadras poliesportivas, canchas de tênis, pista de skate, espaço para leitura. Em comum entre todos, a jardinagem impecável, a ciclovia, o passeio de pedestres e a vista permanente para o Pacífico.

Malecón de Miraflores

Não esqueça do filtro solar: mesmo com tempo encoberto e ainda que a temperatura esteja amena, o mormaço de Lima é implacável: queima mesmo.

Malecón de Miraflores

Do Pescados Capitales ao Shopping Larcomar são 4 quilômetros que podem ser percorridos com calma em uma hora. Parando nas principais atrações -- o parque Maria Reiche, com seu seus jardins que recriam as linhas de Nasca; o Farol da Marina; a área de paragliding (ficou com vontade? 10 minutos de sobrevôo com instrutor custam 240 soles/68 dólares) e o Parque del Amor, que lembra o Parque Güell de Gaudí e tem a escultura mais fotografada de Lima, "O Beijo", de Victor Delfín (o dono do hotel Second Home, em Barranco) -- a caminhada sem pressa pode levar até duas horas.

Malecón de Miraflores

Mirabici, Miraflores

Termine o passeio com um sorvete no shopping Larcomar, bela construção dependurada na encosta. (Se preferir andar de bicicleta em vez de caminhar, vá de táxi ao shopping e alugue uma bicicleta por lá, no quiosque Mirabici.)

Às 16h30 no máximo, pegue o táxi para a próxima parada. Mas não pegue esses táxis amarelos em frente ao shopping, não: são os mais caros de Lima. Chame um EasyTaxi ou um Uber.

O Beijo

MATE

3 noites em Lima: MATE

A cerca de 15 minutos de táxi do shopping, instalado numa discreta casa art-déco em Barranco, o MATE (Pedro de Osma, 407, tel. 01/251-7755; aberto de 3ª a domingo das 10h às 18h30; ingresso: 10 soles) é o museu privado de Mario Testino, o fotógrafo peruano que está para os editoriais de moda assim como a nossa Gisele Bünchen está para as passarelas.

Visitar o MATE é como penetrar numa Vogue gigante. As fotos mais célebres de Testino ganham um suporte inusitado -- a parede -- e compõem uma extraordinária coleção de portraits da realeza do nosso tempo: Gisele, Kate Moss, Madonna, Brad Pitt, Gwyneth Paltrow (e, claro, Lady Di). A sala mais espetacular, no entanto, é a dedicada aos trajes típicos de vilarejos andinos da região de Cusco, que recebem de Mario Testino o mesmo tratamento fashion de um editorial de alta costura.

O museu é compacto e, mesmo visitando também a exposição temporária, você não gastará mais de 40 minutos por aqui.

Entardecer ao mar

Bajada de Baños

Bajada de Baños, Barranco

Opa! Você já está há quase 48 horas em Lima e ainda não desceu ao nível do mar? Esta é a hora. A 5 minutos de táxi do MATE, o Cala (Circuito de Playas, Barranco, tel. 01/252-9187; abre diariamente do meio-dia à meia-noite) tem dois andares envidraçados e uma varanda aberta para o Pacífico. Ótimo para tomar um drink (vai mais um chilcano aí?) e pedir uns belisquetes. Num dia sem nuvens (coisa raríssima em Lima), de lambuja você vai ver o sol se pôr no oceano.

Cala, Barranco

Cala, Barranco

O Cala é cool e está pertinho, mas não posso deixar de lembrar que, 5 minutos adiante pela costeira, o Rosa Náutica (Circuito de Playas, Miraflores, tel. 01/445-0149; aberto diariamente do meio-dia à meia-noite) é a grande referência em restaurantes à beira-mar em Lima. Quer dizer: à beira-mar, nada -- o Rosa Náutica fica sobre a água, ao final de um bonito píer de madeira. Por mais turístico que seja, é difícil resistir a tomar um drink dentro de um dos cartões-postais de Lima.

Você pode aproveitar para jantar em qualquer um dos restaurantes. Mas preciso lembrar que ainda temos uma atração para encerrar a noite...

Passagens promocionais para Lima no nosso parceiro Viajanet

Circuito Mágico da Água

3 noites em Lima: Circuito Mágico del Agua

Ah, não: você não vai sair de Lima sem dar uma passadinha na mais folclórica de suas atrações: o conjunto de fontes luminosas do Parque de la Reserva, conhecido como Circuito Mágico del Agua (jirón Madre de Dios, Cercado de Lima, tel. 01/424-0827; funciona de 3ª a domingo das 15h às 22h30; ingresso: 4 soles). Esqueça aquela fonte de cidadezinha do interior, e nem pense em comparar com as do Bellagio ou de Dubai. As fontes de Lima são mais do que lindas: são interativas. Você pode passear por um túnel de água, ou fazer como a garotada e ficar no vão entre os jatos, numa fonte em que os neófitos podem sair molhados. Além das fontes que dançam ininterruptamente, a Fonte da Fantasia exibe um show holográfico três vezes por noite. (Não curti esse show não. Achei brega demais. Sou mais as fontes "puras".)

Vá agasalhado -- no meio do ano, a temperatura baixa legal durante à noite. Peguei um resfriado que me acompanhou por bem uns três dias.

La Lucha

La Lucha

Não é fácil achar um restaurante aberto domingo à noite em Lima. Os do shopping Larcomar (incluindo um Tanta, de Gastón Acurio) abrem normalmente. Mas minha sugestão é que você termine sua noite experimentando a sanguchería que é uma das marcas registradas de Lima: La Lucha (Diagonal, 308, em frente ao Parque Kennedy/Parque Central de Miraflores; aberta diariamente até 1h da madrugada). Combine um sanduíche (lechón a la leña, filé com queijo, frango com abacaxi) com uma crema (ají apimentado, tártaro, mostarda), peça as batatas fritas (com casca e tudo) e um dos sucos exóticos, e volte feliz para o hotel smile

Mercado de Surquillo

Mercado de Surquillo

Huaca Pucllana

Huaca Pucllana

Mais dias em Lima

Não, não dá para esgotar Lima em dois dias. Eu acho que você vai gostar, e vai voltar -- seja para passar um feriadão gastronômico, seja para iniciar outro circuito pelo Peru. Idéias para quem chegar antes (ou voltar) a Lima:

  • Mercado de Surquillo (Av. Paseo de la República; aberto diariamente das 6h às 16h; veja posts dos foodies Luciana Betenson, Edu Luz e Constance Escobar), combinado com um almoço no La Picantería (Francisco Moreno, 388, tel. 01/241-6676; abre de 2ª a sábado das 11h às 17h; veja post da Manu Tessinari) e, se for fã de bugigangas, o Mercado Indio's (av. Petit Thouars; aberto diariamente das 10h30 às 21h).
  • Estenda o passeio de San Isidro até a Huaca Pucllana (General Borgoño, quadra 8, tel. 01/617-7138; abre de 4ª a 2ª das 9h às 17h com ingresso a 12 soles, e de 4ª a domingo das 19h às 22h, com ingresso a 15 soles; site oficial aqui), sítio arqueológico recentemente desencavado na divisa com Miraflores.
  • Dedique um dia inteiro ao centro histórico (siga a Manu)
  • Estenda o passeio em Pueblo Libre, começando no Museu Nacional de Arqueologia (tel 01/321-5630; abre de 2ª a domingo das 8h45 às 17h; ingresso: 10 soles; site oficial aqui) antes de ir à Taberna Queirolo e ao Museu Larco
  • Passe uma tarde caminhando por Barranco, incluindo uma descidinha pela Bajada de Baños; almoce ou tome o chá da tarde no Hotel B (Sáenz Peña, 204, tel. 01/206-0800).

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Mondial Assistance

Extensão a Nasca

Nasca, onde estão os geóglifos que só perdem para Machu Picchu no ranking de ícones do Peru, está a longas 7 horas de viagem de Lima. Infelizmente não existem vôos entre Lima e Nasca. Trata-se de uma parada que se encaixa naturalmente num périplo de ônibus pelo sul do Peru, parando em Ica (de onde você pode fazer um paseio às ilhas Ballestras, visitar destilarias de pisco e passear nas dunas do oásis de Huacachina), então em Nasca, depois em Arequipa e em Puno, antes de chegar a Cusco. Vou escrever sobre esse circuito, mas saiba que recomendo três semanas para a viagem completa, de Lima a Machu Picchu, com todas essas escalas.

Nasca

Nasca como bate-volta de Lima

O bate-volta é possível, mas é bastante sacrificado. Agências em Lima vendem um pacote em que você sai no ônibus Cruz del Sur das 3h45 da madrugada, chega às 11h em Nasca, tem traslado até o aeródromo, faz o sobrevôo de meia hora e volta ainda de tarde a Lima, chegando perto da meia-noite. O jeito menos maluco de fazer esse passeio é pernoitando em Nasca; saia num horário digno de Lima, tenha uma noite decente de sono (por exemplo, no Casa Andina Classic, e na manhã seguinte faça o seu vôo previamente agendado com a AeroParacas (US$ 85). Volte a Lima à tarde.

O bate-volta menos desconfortável custa bastante caro: o passeio mais vip a Nasca inclui transporte de van até Paracas (4 horas de viagem), de onde você segue a Nasca em aviãozinho (meia hora para chegar a Nasca, meia hora sobrevoando as linhas, meia hora para voltar a Paracas). A volta a Lima é imediata (mais quatro horas de viagem). A Viator vende o passeio por US$ 464 por pessoa.

Caso você faça o bate-volta, acrescente uma noite ao itinerário: serão 10 noites no total.

Pesquise seguro de viagem com nosso parceiro Mondial Assistance

Nasca entre Lima e Cusco

Se você dispõe de duas noites e bastante disposição, pode substituir o vôo de ida Lima-Cusco por uma viagem de ônibus com um pernoite em Nasca e outro na estrada. A Cruz del Sur opera as duas rotas. De Lima a Cusco são 7 horas de viagem. Tenha uma boa noite de sono (como eu disse no item anterior, o Casa Andina Classic é um bom hotel), faça o sobrevôo no dia seguinte -- agende com a AeroParacas (US$ 95) e pegue um dos ônibus noturnos para Cusco. Há dois horários: 20h50 e 23h55. A viagem leva 15 horas.

No papel, você mata os dois principais coelhos peruanos (Nasca e Machu Picchu) com apenas uma cajadada rodoviária. O desgaste, porém, é enorme: você pode chegar em Cusco no bagaço. Se eu fosse você, deixava Nasca para uma segunda viagem, parando com calma em Paracas e/ou Ica, e prosseguindo a Arequipa e Puno (para de repente atravessar à Bolívia).

Mais primeira viagem ao Peru:

81 comentários

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Quando eu fui, com tempo, fui de Cusco a Arequipa(noite de viagem), o Canyon del Colca e dali para Nazca(outra noite). Honestamente? O Canyon eu não curti muito, não! Melhor no papel que na realidade

Nazca na época(2004) parecia cidade fantasma.Descemos do onibus e fomos quase sequestrados por algum vendendo o sobrevoo. Apesar da desconfiança, foi tudo tranquilo e o voo é muito legal de se fazer. Há ali também uns aquedutos que são muito interessantes e um cemitério antiquíssimo com múmias muito conservadas por causa do seco. Para quem vai a tão longe, ao menos o cemitério eu recomendo conhecer.(os aquedutos só para quem curte estas obras, visto que tem alguams centenas de anos e são usados até hoje).

Dali fui para Pisco(pré terremoto de 2007, que destruiu a cidade) que era a base para Ica e Paracas, um dia muito gostoso de passeio.
Em Lima passei 1 dia só no centro histórico, com destaque total para as catacumbas. Também havia um museu da inquisição ali no centro que é bem interessante

Curioso que na época Lima era considerada uma cidade suja(discordei totalmentE) e a comida não tinha fama nenhuma - assim quando comi superbem um ceviche em algum lugar que nem sei o nome e especialmente um restaurante com comida Chifa(que nem sabia o que era) fui surpreendido positivamente. Muito legal ver alguns anos depois que começaram a fazer sucesso internacional.

De passeio gostei muito do Shopping Larcomar e o Parque do amor -andar por Miraflores era muito gostoso. Mas a cidade marcou muito mais pela nostalgia da primeira viagem mesmo(e até hoje a mais longa de todas).

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

P e r f e i t o !!!

Kristen
KristenPermalinkResponder

Essa dica do Easy Taxi e Uber foi demais, eu já estava preparada para barganhar preço (coisa que detesto) nos taxis na minha viagem mês que vem.
Outra dica de hostel é o Pariwana, que é até melhor classificado no Hostelworld que o Che Lagarto e o Flying Dog. Acredito que ele não foi citado no post porque não está no Booking, parceiro do VnV.

Danilo
DaniloPermalinkResponder

Esses posts sobre o Peru estão fantásticos! Se para cada lugar que eu fosse existisse um post desse eu nem precisaria perder tempo pesquisando em outros blogs.

Só uma observação, esta página/post não está abrindo corretamente no Safari do iPad (IOS 8); as outras estão normais.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Danilo! Por enquanto para acessar o blog em tablet é preciso clicar em Versão Desktop, ao pé da página. Ainda estamos trabalhando na nova versão responsiva para tablet sad

maria luiza nunes

em Lima não dá pra perder o Museu do Ouro... E no centro de Miraflores, pra quem gosta do artesanato local, tem uma rua com diversas galerias onde se encontra todo o tipo de artesanato, especialmente os feitos em prata (incluindo joias), fica quase encostado ao Parque Kenedy

Andréa
AndréaPermalinkResponder

Obrigada pessoal do vnv pelo ótimo post! Acabei de chegar em Cusco depois de 5 dias em Lima. Seguindo seus conselhos consegui fazer tudo que gostaria e ainda fiz um tour de ônibus panorâmico a noite, com direito a um coffe break no Hotel Sheraton! Maravilhoso! Obrigada

ARTHUR VINICIUS DE SOUSA

Boa tarde,

Farei uma viagem para Bolivia no mês de Junho e na minha volta meu vôo fará uma escala em Lima no Peru com previsão de chegada lá as 18:05hs, onde terei de aguardar o avião que vai para o meu destino final em São Paulo com previsão de saída de Lima as 00:20hs. Nesse tempo (6hs aproximadamente) há algo interessante próximo ao aeroporto em que eu possa sair nesta noite e conhecer ou até quem sabe jantar, considerando também o tempo que já irei perder de desembarque e reembarque?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Artur! Se você se desvencilhar da imigração até as 19h, pode ir jantar em Miraflores (no Shopping Larcomar, por exemplo, aí você já vê a vista) ou San Isidro (1h para ir com trânsito, 1h30 para jantar, 1h para voltar com trânsito).

Fernanda Scafi

Super post este aqui hein??? Parabéns!!! Estive em Lima ano passado, mas ficou faltando bastante coisa (e restaurantes), claro então não vejo a hora de voltar. Ah, Astrid y Gastón foi uma decepção sinceramente... Não consegui conhecer o Central (ainda).

Cristiane
CristianePermalinkResponder

Em alguns dias estarei em Lima. Uma coisa que gostaria de saber é em relação a segurança para andar na rua. Li em um blog que devemos andar em Lima como se anda no Rio de Janeiro. É verdade?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristiane! Ande em qualquer lugar do mundo como você anda no Brasil. Fora do Brasil, na verdade, você tem que aumentar sua vigilância, porque se por um lado eles não têm assaltos violentos como os que nós temos, por outro eles têm batedores de carteiras e descuidistas, que tiram documentos e carteiras de bolsas quando estamos no transporte público ou em aglomerações, algo que entre nós é mais raro (furto sem violência). Isso vale para a Europa também. Estados Unidos e Japão são mais seguros.

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Oi Cristiane. A melhor medida para se medir os índices de violência de um país ou cidade é o índice de assassinatos por 100.000 habitantes.
O índice do Peru é de 7, parecido com a Argentina ou Uruguai. Nosso Brasil tem 27, ou seja, é 4 vezes mais violento que o Peru.
O Rio de Janeiro tem um índice de homicídios de 10, Porto Alegre tem o dobro, 20. Pra que falar de nosso Nordeste, Fortaleza por exemplo, tem 72 assassinatos por 100 mil habitantes. É sete vezes pior que o Rio!
Então siga os conselhos da Bóia, e mais que andar como se anda no Rio, tente andar como em Porto Alegre ou, com mais cautela ainda, como andaria em Fortaleza...
Abraço!

Cristiane
CristianePermalinkResponder

Obrigada Bóia e Neftalí. Seguirei as recomendações.

Maria Claudia
Maria ClaudiaPermalinkResponder

Olá
Quanto tempo imagina ser necessário para conhecer o Museu do Larco? Um turno ou um dia inteiro?
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Claudia! Duas horas é uma permanência de bom tamanho.

Thais
ThaisPermalinkResponder

Olá! Chegarei em Lima num domingo, consigo comprar o chip e habilitar? As casas de cambio também estarão abertas?
Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thais! Como está escrito no texto, as casas de câmbio abem só até sábado na hora do almoço. A do aeroporto estará aberta. Mas você conseguirá comprar e habilitar o chip, sim.

Carol Borges
Carol BorgesPermalinkResponder

Oi gente! Tudo bom? Uso muito o blog para tudo que faço na vida (até para dicas do Rio, onde moro, e São Paulo, onde nasci) e sempre prometo a mim mesma que vou voltar aqui para compartilhar as minhas experiências (o que acabo não fazendo por preguiça e falta de vergonha na cara). Mas precisava vir aqui para dizer que uma amiga minha peruana, de Trujillo, que mora em Lima, acompanhou o meu roteiro (seguindo as dicas do blog à risca hehe) e ficou impressionada, disse que as minhas dicas eram muito boas, que só um limeño conheceria tão bem a cidade. Obrigada por tudo!!!!

Ana
AnaPermalinkResponder

Ola gostaria de uma ajuda!
vou chegar em Lima a noite, 22.30h para ser exata, voce acha que consigo me organizar com cambio e tickets no domingo?
A ideia era seguir no proprio domingo pela manha ate Huaraz, mas se for complicado talvez eu deixe para viajar no domingo a noite e use o domingo pela manha para fazer um tour e cuidar das burocracias em Lima.
Vc chegou a usar Uber em Cusco?
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana! Como está escrito com clareza no post, as casas de câmbio não funcionam no domingo. Só a do aeroporto, com o câmbio ruim. Considere usar cartão de crédito, a cotação será melhor.

https://www.viajenaviagem.com/2016/07/cartao-de-credito-em-viagem

Brunno Prado Viggiano

Parabéns pelo ótimo relato.
Um dos mais completos que já li. Ajudou muito na elaboração da viagem.

Maria Claudia P

Estou neste momento em Arequipa, cheguei pela manhã de Lima, e queria dizer uma primeira coisa: OBRIGADA VNV!! Obrigada Ricardo Freire!! Depois de várias viagens bem sucedidas me guiando por aqui (o guia de Aruba e Curacao é fantástico) desta vez o Peru.

Segui (mais ou menos) à risca as dicas do VNV, e tive oportunidade de conhecer lugares maravilhosos como a " Antiga Taberna Queirolo" que não iria se não fosse pelo VNV. Se a dica está no site, não questiono: sei que é quente! smile

Deixo aqui outras dicas e impressões que me parecem válidas sobre Lima:
- o trânsito é MUUUUITO pior do que vc pode imaginar!!!!! Desconte esse tempo para seus deslocamentos.
- não chove. Ponto. Imagine que a média de chuvas em 1 ano é 20 milímetros!
- não faz sol. Ponto. Então, se vc pegou chuva, ou sol, considere-se sortudo, pois esses acontecimentos são raros em Lima!
- andei para cima e para baixo de Easy-Taxi. O bom é q a corrida vem com preço justo e já no aplicativo! Não precisa negociar nada - como Ric comentou wink
- Huacca Pucllana - boa opção para quem ainda não foi ao Vale Sagrado / Cusco. Se tem uma bela introdução do que vem pela frente, ruínas enormes bem no meio da cidade!! Impressionante. Tem visitas noturnas com excelente restaurante para jantar! Super recomendo, lindo à noite!
- Fiz um tour guiado de bicicleta ao Barranco e outro bairro mais ao sul, com as bicicletas alugadas na dica do Ric, Mirabici, em frente ao shopping Larcomar: um dos melhores passeios!!
- e finalmente, em 3 dias da para fazer bastante coisa, mas... Lima é legal demais e interminável!!! Poderia ter ficado uma semana com tranquilidade!

Abraços!!!

Carina
CarinaPermalinkResponder

Oi pessoal, vale a pena ir só a Lima, sem passar em Cusco?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carina! Lima é um excelente destino de feriadão, por exemplo. Vale um pulinho exclusivo, sim. Daí quando você for a Cusco, pode até ir direto.

Marina Magalhães

Cheguei de lá há 2 semanas e suas dicas foram fantásticas, ótimo roteiro!
Quantidades de dias em cada cidade, localização, restaurantes, por onde começar....
Por exemplo, nós só usamos Uber em Lima o tempo todo e foi perfeito.
E a melhor dica de todas foi o passeio pelo Bosque El Olivar no domingo de manhã e depois "brincar de se perder" pelo bairro San Isidro até chegar à outra praça com os prédios baixinhos (sim! eu teria também vontade de morar por ali!) Passamos inclusive por uma feira de rua de produtos orgânicos, bem coisa de bairro mesmo. Muito bom. Parabéns!

Perdigão
PerdigãoPermalinkResponder

Boia, o link do post Primeira viagem ao Peru (IV) | 2 noites entre Machu Picchu e Cusco não está abrindo. Agradeço as dicas.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Perdigão! Pra mim, abre...

https://www.viajenaviagem.com/2016/04/machu-picchu-e-cusco

Perdigão
PerdigãoPermalinkResponder

O do final da pagina está ok. O do topo não está abrindo. Pelo menos para mim. Mas já consegui abrir pelo link do final da página.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Perdigão! Está corrigido. Obrigada por avisar!

Jorge Rodrigues

Estou querendo viajar no Carnaval e pensei em Lima, principalmente depois desse post. Como dou ênfase nas minhas viagens à parte gastronômica, estou com receio de encontrar muita coisa fechada. A Bóia tem como me ajudar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jorge! O carnaval não é feriado no Peru. É celebrado nos fins de semana de fevereiro mais no interior do país -- as festas mais procuradas são as de Cajamarca e Puno. Em Lima há festa de rua (desfiles de grupos e gente brincando de molhar uns aos outros) em Magdalena del Mar e em Barranco. Mas tudo funciona e os restaurantes abrem. É uma excelente pedida para o Carnaval smile

Bruna
BrunaPermalinkResponder

Em todas as newsletter que recebi nesse últimos dias, onde diz: Os estúdios de Harry Potter + 3 passeios para Pottermaníacos, direciona para esse post de Lima.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bruna! Obrigada por avisar!

Este é o link correto:

https://www.viajenaviagem.com/2015/05/harry-potter-studio-londres-dicas

Patricia Luck
Patricia LuckPermalinkResponder

Vale a pena alugar carro em Lima já que minha família é grande e taxis raramente aceitam 5 passageiros?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Patricia! Conseguir dois táxis é mais fácil e barato do que dirigir numa cidade grande.

Leonardo Maya
Leonardo MayaPermalinkResponder

Os links para o blog da Manu (dia inteiro no centro histórico) não funcionam.

Mara
MaraPermalinkResponder

Verdade, tb percebi isso. Mas passeando pelo blog dela eu consegui achar os posts, e achei vários outros posts que também salvei pra ler mais tarde.
Segue o link atual:
http://cupofthings.com/centro-historico-de-lima/

http://cupofthings.com/museu-bodega-quadra-lima/

Priscila
PriscilaPermalinkResponder

Caros, as informações sobre a compra de cartões SIM estão atualizadas? Pergunto pois soube que estrangeiros estavam tendo dificuldades para comprar chips no Peru, mas não acho informações recentes em outros lugares. Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Priscila! Promulgaram uma lei há um ano e meio que restringia a venda anônima de chips. No começo houve problemas para estrangeiros, mas levando passaporte você consegue. Vá à loja da Claro na avenida Larco, eles sabem como fazer.

Norma Abelaira Paz Teixeira

Olá Boia, não tenho como expressar os beneficios que tenho tido nesses, talvez 10 ou 8 anos, viajando com VnV. Atualmente tenho 74 anos e sou viajante. Sigo sempre todas as suas orientações e sempre foi maravilhoso. Obrigadíssima. Bem, agora estou planejando ir ao Perú, sozinha como sempre, me hospedo em hostel, adora a confraternização e o clima amigável. Gostaria de orientação quando ao período bom para ir ao Perú. Não tenho limite de tempo, sempre prefiro ficar um pouco mais de 30 dias de viagem. Seguindo sempre orientação do VnV fico no mínimo cinco dias em cada cidade. Obrigada mais uma vez.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Norma! Caso inclua Cusco e Machu Picchu no roteiro, vá na época seca, entre maio e setembro.

Fátima
FátimaPermalinkResponder

Olá, estou programando ir ao Peru e adorei o roteiro Lima/Cusco/Machu Pichu em 9 dias, porém quero incluir Paracas e Nazca. Tenho mais uns 3 dias livres porém não tenho dias livres para seguir até Arequipa e Puno. Estou pensando em sair de Lima e ir até Nazca, pernoitar para no dia seguinte fazer o voo. Depois seguir para Paracas ou Ica e ficar 2 noites para posteriormente voltar a Lima. O que acham? Melhor montar base em Paracas ou em Ica? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fátima! Ica é uma boa base para fazer uma destilaria de pisco e Huacachina num dia e Paracas no outro dia. Para Nasca, é melhor domir lá mesmo. A sua estratégia de voltar a Lima, já que você não tem tempo para Arequipa e Puno, é a mais conveniente, sim.

Pascoal Veneroso

Perfeito o post sobre o Perú. Estive em maio/17 e a compra do chip no Supermercado Metro nào é mais possível para estrangeiros. Tem que ir direto à loja da Claro na Avenida Larco.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Pascoal! Já tínhamos atualizado essa informação no texto. Só esquecemos de retirar a foto do supermercado, agora tiramos.

Marina
MarinaPermalinkResponder

Obrigada, pessoal do VnV! Sensacionais as dicas. Comprei um chip da Claro no dia 15/05. Sobre "A pegadinha é que não dá para comprar o plano de dados na loja da Claro: tem que ser num posto de recarga.", parece que já alteraram também. Eu comprei o chip na loja da avenida Larco e lá mesmo comprei o pacote de dados. O procedimento é o seguinte: primeiro tem que pegar uma fila logo na entrada da loja à esquerda. Essa fila é somente pra pegar uma senha. Quando chamarem a sua senha, você vai ao guichê determinado e pede o chip. Aí te dão um papel para ir ao caixa pagar o chip. Depois disso tem que voltar no guichê e escolher o plano de dados. Aí tem que voltar no caixa para pagar o plano. Em seguida voltar ao guichê para ativar o plano. Brincadeira que durou pouco mais de 2 horas. Valores dos pacotes de dados em 15/05: 100 MB 3 soles; 200 MB 5 soles; 500 MB 10 soles; 1 GB 20 soles; 2 GB 30 soles. Todos com vigência de 30 dias.

Luci Taveira
Luci TaveiraPermalinkResponder

Oi pessoal, uma dica: queria dar uma parada em nazca, entre lima e Cusco, como seria melhor fazer isso, como ir (ônibus, avião...) onde ficar e se uma noite é suficiente.
é viável isso? Lima - Nazca - Cusco - dormindo uma noite em Nazca?
grata.
Luci

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luci! Dá para ir de ônibus de Lima a Nasca e depois pegar o noturno de Nasca a Cusco. Reserve na http://www.cruzdelsur.pe .

Michelle
MichellePermalinkResponder

Sobre a recarga na Claro: "A pegadinha é que não dá para comprar o plano de dados na loja da Claro: tem que ser num posto de recarga."
Já existe a possibilidade de fazer a recarga em um "caixa eletrônico" na própria loja com a ajuda de um vendedor.

Andre
AndrePermalinkResponder

Voltando pra agradecer as excelentes dicas e reforçar algumas. O Bar Cala é ótimo fim de tarde. O Museo do Larco é disparado um dos mais interessantes que já visitei. Principalmente porque já tinha visitado Cusco e região (fiz o roteiro ao contrário). O El Mercado no almoço foi a melhor opção gastronômica (inclusive batendo o Astrid). Recomendo o Barbariam se você gosta de cervejas artesanais. Em barranco o Ayahuasca é sensacional! As visitas históricas do centro estão dimensionadas exatamente. O outlet que fica ao lado do aeroporto é perda de tempo. O parque das águas muito interessante e vale a visita. Fui a noite mas acho que deve ser muito legal durante do dia (mas ai você perde o show noturno). Uber é a melhor opção e não se preocupe se você não habilitar sua internet. É bem fácil encontrar wifi na maioria dos estabelecimentos. Valeu VNV - roteiro impecável.

Maria Isabel
Maria IsabelPermalinkResponder

Estou em Lima e ontem (20/09/17) compramos o chip na loja da Claro. Acredito que nao ficamos 20 minutos ali. O chip custa 5 soles e o plano de 3 gigas esta 30 soles. No aeroporto tem um quiosque da Claro, mas ali os preços são muito caros.

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

Ola!! Estamos em Lima, ticando item por item de mais um roteiro viaje na viagem. Chegamos pela manhã. Pegamos o taxi green até o Hotel Ibis Larco. Aceita cartão, por isso nao fizemos câmbio no aeroporto. Já no Ibis Larco Miraflores, deixamos as malas e fizemos câmbio na Avenida Larco (US 3,24). Aquela casa de câmbio Union Express fechou, mas existem várias outras por ali. Na loja Claro, compramos o chip e UEBA!! agora lá mesmo já habilita plano de dados (20 soles 1 GB, 30,00 3 GB). Ticamos a Antigua Taverna e Museo Larco. Estamos jantando no punto azul. E seguimos viajando na viagem! Abs!!

RODRIGO DRAGO DE FREITAS PEREIRA

Parabéns pelo Post, gostei da parte que você fala : "Eu acho que você vai gostar e vai voltar.." rsss, FUI em Janeiro, num mochilão pela Colômbia, Equador e Peru, gostamos tanto, eu e minha noiva que pretendo voltar! abs

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Estamos em Lima e voltamos p o Brasil amanhã. 3 dias de fato é um tempo ótimo p Lima. O Larco SENSACIONAL, Central e Maido (vamos no astrid e Gastón hj) incríveis, e o Barranco maravilhoso p fazer a pé num fim de tarde. Ficamos hospedados no B e o entorno do Hotel é um charme (junto c seu bar, o chá da tarde e todos os mimos maravilhosos). San Isidro e seus parques um dos melhores passeios sem duvida, como não querer morar aqui é a pergunta certa... ah e adorei a dica p visitar o Museu das Catacumbas ! Minha viagem foi 100erente ao roteiro de vcs e está sendo maravilhosa! Obrigada, obrigada e obrigada!

Victor Tseima
Victor TseimaPermalinkResponder

Muitas dicas boas nesse post! Alguns links não funcionam, a saber: "roteiro completo do centro histórico" e "Museu Bodega y Quadra", do Cup of Things dão erro; "Antiga Taberna Queirolo", apesar de formatado como link, não há link.

Em tendo tempo, acho que vale explorar mais Barranco. Algumas coisas que gostamos: Ceviche com uma Cusqueña no Canta Rana e sorvete na Blu. Para quem gosta de cerveja artesanal, a Barranco Brewing Company é a primeira de Lima a produzir cerveja artesanal - cerveja boa, local nada demais.

Obrigado pelo post!

Meg
MegPermalinkResponder

Oi, li todos os posts, estamos planejando ir em JUNHO/18 nas datas (01/06/18 a 10/06/18) (ainda não comprei as passagens, mas devo fazer isso este final de semana), porém queria uma opinião se vale a pena incluir Puno

Conexões São Paulo - Lima saindo voo sexta 05:55 e chegando 08:50;
Lima - Cusco e
Juliaca - Sao Paulo ( com escala em Lima)

Gostaria de saber se é possível agregar o passeio a Puno (conhecer lago Titicaca e ilhas Uros e Taquile?

Eu estou pensando sinceramente diminuindo uma noite em Lima e Cusco, acrescentando vale sagrado ...

O que você acha?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Meg! Vá a Puno antes de Cusco e Machu Picchu. Puno é menos espetacular, deve ser vista antes.

simone
simonePermalinkResponder

vou ao Peru em agosto, com ponto de partida em Lima, minha dúvida: quero visitar Nazca e oasis em huacachina. Como faço os deslocamento entre estes pontos?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Simone! Vá de ônibus a Ica (para visitar o oásis de Huacachina) passe uma ou duas noites, depois de ônibus a Nasca, passe uma noite. Compre em https://www.cruzdelsur.pe .

Josmar
JosmarPermalinkResponder

Acabamos de voltar. As dicas são ótimas, apenas duas atualizações/contribuições: (1) na loja Claro você sai com o celular funcionando. O chip custa 5 soles e o plano de 1 Gb custa 20 soles,. O de 3 Gb custa 30 soles (comprei esse e sobrou muito). (2) muita atenção com os tempos de táxi em Lima, um dos piores trânsitos do mundo. Quase enfartamos para chegar no aeroporto, com as ruas completamente paradas. Era uma quarta, pós-feriado, cedo, pegando avião para Cusco. Mas se não tivéssemos saído duas horas e meia antes, não teríamos chegado.

P.S. Ricardo, comprei seus flocos de plátano em Maras. Um presentinho ridículo, por tantas coisas boas que devo ao seu blog. Como moramos perto, me contate no email para que eu mande para algum lugar.

Jayme Emygdio
Jayme EmygdioPermalinkResponder

boa noite a todos.
preciso de um help!!!
o dolár esta pela hora da morte. está sendo mais vantajoso reais/sol.
para quem foi recentemente, como está a cotação dolar/sol real/sol ?
iremos agora dia 27/05

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jayme! Ao desvalorizar frente ao dólar, o real desvaloriza frente às outras moedas também. Em 2015, na última grande crise cambial brasileira, o Ricardo Freire estava no Peru e a cotação do real diminuía frente ao sol dia a dia, à medida que o dólar aumentava no Brasil. O câmbio entre sol e real é calculado numa regra de três em que o dólar é o terceiro vértice. Naquela crise, muitas casas de câmbio simplesmente nem aceitavam o real. Pesquise o dólar menos caro que você achar na sua cidade.

Não há escapatória ao dólar. Se você quer escapar da gangorra cambial, compre dólares aos pouquinhos, para evitar ter que comprar tudo num momento de desvalorização aguda do real. Faça isso mesmo sem viagem marcada, como uma poupança a prestação para a sua próxima viagem.

E veja: não caia nessa de "quem esteve recentemente". A única comparação que vale é a do momento. O mercado cambial é interligado. Não há escapatória ao dólar.

Jayme Emygdio
Jayme EmygdioPermalinkResponder

Muito obrigado pela ajuda!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Olá, Bóia! Irei com meu marido pra Cusco em agosto, chegaremos em Lima às 22:30 de um domingo e nosso voo pra Cusco é na terça 16:30. Com tão pouco tempo, o que vocês indicariam nesses "nem dois dias inteiros" na capital peruana rsrs? O Museu Larco está nos planos, mas não sabemos o que priorizar dentre as opções "ao ar livre". Desde já agradeço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carla! Câmbio, chip, centro histórico e Museu Larco na segunda, malecón de Miraflores na terça de manhã. O Circuito Mágico del Agua não funciona segunda-feira, e a noite de Barranco é fraca nesse dia. A Huaca Pucclana não fará falta se você vai para Cusco.

Carla
CarlaPermalinkResponder

Permita-me corrigi-los (ou atualizá-los): a huaca pucclana funciona às segundas, porém só das 9 às 17h: http://huacapucllanamiraflores.pe/horariosytarifas/

Carla
CarlaPermalinkResponder

Permita-me corrigir-me: o que vocês disseram que não funciona segunda é o Circuito Mágico del Agua.

Adriana Rodrigues

Ontem 05/06/18 eu troquei no aeroporto 200 reais.. valendo cada real 0,8. Com a taxa de 4,8 que cobraram...me restou 155,20.?‍♀️Praticamente saiu a 0,77 cada real.
Imaginei que aqui fora estaria melhor, porem a tarde cansei de bater perna e: nao passou de 0,78!!
Foi o que melhor consegui.
Dólar: ontem e hj 06/jun/18 pagam 3,25 soles por dólar
E a tia cambista na rua me pergunta: o que passas no Brasil.. pq esta caindo tanto????
Nem entrei em detalhes, so disse que estamos arruinados.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Adriana! Você infelizmente está comprovando na prática aquilo que a gente sempre fala: quando o real desvaloriza frente ao dólar, desvaloriza frente às outras moedas, também. É automático, o mercado é interligado. O Ricardo Freire esteve no Peru durante a crise de desvalorização do real em 2015 e muitas casas de câmbio nem estavam trocando real por causa da desvalorização acelerada.

Quem viaja com dólar viaja com uma moeda que mantém o poder de compra em qualquer lugar do mundo.

Renato
RenatoPermalinkResponder

Bóia - e amigos! Estou com uma dúvida: meu plano é sair de Lima, fazer uma parada em Paracas ou Ica (para também conhecer Nasca), de dois ou três dias e depois ir para Cusco (sempre de ônibu). Qual o melhor lugar para ficar nesses dias? Estabeleço uma sede em Ica e viajo para Paracas e para Nasca ou mudamos de cidade?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Renato! Fique duas noites em Ica (um dia para destilarias de pisco e Huacachina, outro dia para Paracas) e uma em Nasca. O ônibus para Cusco sai de Lima, passa em Ica e depois passa em Nasca, para então subir para o interior -- não vale a pena voltar 3 horas a Ica.

Alessandra
AlessandraPermalinkResponder

Estou com uma dúvida, chegarei em Cusco dia 02/07, eu consigo comprar a passagem de trem para Machu Picchu, com facilidade, ou e necessário comprar antes, tem alguma indicação?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alessandra! Compre antes. Julho é alta temporada e pode não haver lugar de última hora. O primeiro post da série mostra todas as providências que você precisa tomar antes de viajar:

https://www.viajenaviagem.com/2016/04/viagem-ao-peru-roteiro-9-noites/

Katielle Aurea Moris

Que roteiro maravilhoso! Estou preparando minha ida ao Peru em setembro e estou pegando todas as dicas aqui! Muito obrigada.
Só fiquei com uma dúvida: chegarei em Lima Sábado à noite e não sei se devo fazer o centro histórico no domingo, pois tenho receio de encontrar tudo fechado e deserto, tornando o local eventualmente perigoso, não sei... Seria melhor deixar pra segunda, perdendo o museu Bodega e Quadra que estará fechado?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Katielle! Centro histórico no domingo é um ótimo programa.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Estamos em Lima e trocamos dólar antes de vir, mas usamos mais o soles do que dólar, achei mais vantajoso. Foi a moeda que mais usamos e também acho melhor. O real é muito desvalorizado!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! Sim, é mais vantajoso trocar dólares por soles numa casa de câmbio do que pagar os passeios diretamente em dólar, porque na casa de câmbio a cotação é melhor.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Agradeço as informações que fora de grande valia para nos orientar. Pra quem não tem frescura e não se cansa fácil, da para esgotar Lima e seus pontos principais em 2 dias. O centro histórico é interessante, mas nada demais. Muito cheio, sujo. Miraflores legal, San Isidro tbm. Shopping Larcomar nada demais, só para relaxar um pouco e comer bem! Não indico comer ceviche em qualquer lugar na rua, de preferência a restaurantes bons e limpos. Uma dica, use o ônibus para andar pela cidade, bem mais barato (1 sole) e você passa pelo pontos turísticos. Leve mapa para se localizar.

Luis
LuisPermalinkResponder

Ricardo/Bóia,
Irei a Lima no próximo mês e chegarei no sábado à noite. Sabem informar se os cambistas autorizados ficam no Parque Kennedy aos domingos?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luis! Caso estejam, devem praticar uma cotação menos favorável do que nos outros dias. É melhor deixar para fazer câmbio em dias úteis. Troque pouco no aeroporto ao chegar ou faça um saque em caixa automático no valor máximo disponível na máquina (para que a tarifa de uso do equipamento se dilua).

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar