Morro de São Paulo volta a cobrar taxa de visitação: R$ 15

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Morro de São Paulo taxa de visitação

Desde 1º de novembro de 2017, visitates a Morro de São Paulo têm que pagar R$ 15 como taxa de visitação. É a TUPA, ou Tarifa por Uso do Patrimônio do Arquipélago.

Visitantes até 5 anos e acima de 60 anos estão isentos da taxa. Estudantes e portadores de necessidades especiais pagam meia, R$ 7,50.

A cobrança é feita no píer de desembarque na ilha, uma única vez por permanência. O recibo será conferido também no píer de embarque aos passeios de volta à ilha. Quem tiver chegado à ilha por outro ponto (de avião ou pela ponta sul, atravessando o rio desde Boipeba), e for fazer passeio de barco, pagará sua taxa nesse guichê.

Mas essa taxa já não existia?

Morro de São Paulo: taxa de visitação

Taxa de Morro: era TPA, virou TUPA

A prefeitura de Cairu (o município onde está Morro de São Paulo) já cobrou uma taxa de visitação à ilha. Foi entre 2013 e 2016. A taxa se chamava TPA (taxa de preservação ambiental) e acabou impugnada pelo Tribunal de Justiça da Bahia.

Um ano depois de suspensa na Justiça, a taxa volta, agora com outro nome.

A idéia da prefeitura é estender a cobrança a outros destinos do município. A ilha de Boipeba, a praia de Garapuá e o centro histórico de Cairu também cobrariam a visita.

Outras praias que cobram taxa

Barra Grande, na Península de Maraú, também cobra taxa de quem chega por mar.

Recentemente -- desde setembro de 2017 -- Jericoacoara, no Ceará, passou a cobrar uma taxa de visitação. Lá custa R$ 5 por dia de permanência).

O caso mais estabelecido de destino que cobra taxa de permanência é o de Fernando de Noronha. A taxa de Noronha começa em R$ 68 por dia (e baixa um pouquinho a partir do 5º dia).

Leia mais:

3 comentários

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Em alguns lugares do meu pais, como nas Ilhas Baleares, uma taxa ambiental é cobrada para manter a limpeza, coleta de lixo, etc. Não me parece errado, se bem gerido. Aco que um euro por pessoa por dia é mais do que apenas. A viagem não encarece-se, somente um pouco, pouco.

Filipe Morato Gomes

O mesmo está acontecendo em algumas cidades de Portugal, onde o turista tem de pagar uma taxa de 1 ou 2 euros por noite (até um máximo de 7 euros). A ideia, controversa, é que o turista contribua para os custos locais que o turismo provoca (recolha de lixo, desgaste do património, etc...)

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar