El Calafate

Patagônia on the rocks
  • 0
Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Se preferir, clique para ir direto ao tópico:

  • Por que ir a El Calafate

perito moreno

El Calafate é a base para se descobrir algumas das paisagens mais impressionantes da Patagônia –- e de todo o nosso continente. A 80 km do Parque Nacional Los Glaciares, a pequena cidade recebe turistas do mundo inteiro, que vão conhecer e se curvar diante do majestoso glaciar Perito Moreno.

Com mais de 250 quilômetros quadrados de área (mais do que uma Buenos Aires inteira!), o Perito Moreno é uma geleira incrivelmente acessível, e infinitamente fotografável. Não dá nem pra entender –- como assim, a gente pega uma horinha e meia de van no centro da cidade, e já dá de cara com esse monumento, sem precisar de escalada, sem embarcar em expedição para o Ártico, nem nada disso?

Aproveite a viagem para navegar pelo belíssimo Lago Argentino e adicionar outras geleiras ao seu repertório, e, se for de aventura, não deixe de viver a experiência de fazer um trekking sobre o Perito Moreno.

Junto com a compra da passagem e a reserva do hotel, não se esqueça de tomar mais uma providência antes de embarcar: comprar um segundo cartão de memória para sua câmera. Você vai precisar...

Voltar | Menu

  • Quantos dias em El Calafate?

rios de hielo express

Descontados os dias de chegada e de saída, 3 dias inteiros (ou seja, 4 pernoites) são o suficiente para se conhecer as geleiras, fazendo os passeios verdadeiramente imperdíveis no Parque Nacional Los Glaciares:

  • 1 dia para o passeio pelas passarelas do Perito Moreno;
  • 1 dia para a navegação Ríos de Hielo Express, para ver as geleiras Upsala e Spegazzini;
  • 1 dia para o minitrekking no Perito Moreno (ou para o trekking Big Ice).

Adicione mais um dia inteiro se quiser incluir um passeio alternativo na sua programação – como a visita a uma estancia, tour de 4x4, cavalgada ou passeio de caiaque – ou para fazer um bate-volta a El Chaltén.

Mais dias pela Patagônia

A 5 horas de ônibus de El Calafate, Puerto Natales, no Chile, é a cidade mais próxima do parque de Torres del Paine. Passar 2 dias na cidade proporciona uma visita mais proveitosa e descansada ao parque do que os passeios bate-volta que saem de El Calafate. Se ficar 3 ou 4 dias você também vai poder fazer passeios de navegação a glaciares chilenos.

A 1h20 de avião, Ushuaia tem passeios suficientes para ocupar 4 dias (não fique menos do que 3).

  • Quando ir a El Calafate

el calafate

Não dá para julgar quem, nascido e criado em um país tropical, acabe associando “geleiras” a “inverno”. Mas, por mais incrível que pareça, a melhor época para ver as geleiras em El Calafate são os meses mais quentes do ano, e o inverno é a estação a se evitar.

A alta temporada em El Calafate vai de outubro até a Páscoa, e os meses mais concorridos são janeiro e, especialmente, fevereiro. Se puder viajar entre novembro e dezembro, tanto melhor. Não use o mesmo raciocínio de fugir da alta temporada que costumamos aplicar à maioria dos destinos de viagem. Não haverá vantagem (na verdade, só haverá desvantagens) em se viajar fora da alta.

Quanto mais perto do verão, mais agradáveis vão ficando as temperaturas, e mais longos serão os dias, com mais horas de sol. Em alguns momentos do dia, você pode até conseguir tirar o casaco, estando no centrinho. E mesmo durante a estação mais quente do ano, ao cair da noite faz aquele friozinho gostoso, e perto das geleiras vai ser sempre necessário um abrigo bem reforçado.

Ainda mais importante: entre outubro e a Páscoa, todos os passeios estarão em operação.

A época mais cheia em El Calafate é ao redor do dia 15 de fevereiro, quando se comemora o batismo do Lago Argentino na Fiesta del Lago, e uma série de eventos culturais e esportivos acontece na cidade. Evite, ou procure organizar as reservas de passeios e hospedagem com alguns meses de antecedência.

O que levar na mala

  • Mesmo no verão, é importante carregar na mala todos os acessórios de praxe das viagens de inverno. Segunda pele térmica, cachecol, gorro, luvas, calçado impermeável e de sola antiderrapante, casaco fleece. Não esqueça também de levar óculos escuros, filtro solar e protetor labial. E o mais importante de tudo: uma jaqueta corta-vento, imprescindível nos passeios de barco e caminhadas.

Por que não ir a El Calafate durante o inverno?

Resista aos impulsos de aproveitar aquela viagem de neve na Argentina para dar uma chegadinha em El Calafate. Durante o inverno, muitas atividades não são oferecidas (como o trekking nas geleiras, um dos principais passeios da região) e alguns hotéis fecham. Os dias têm poucas horas de luz, e você vai precisar levantar da cama ainda no escuro para se preparar para os passeios.

Quais passeios operam no inverno?

As passarelas do Perito Moreno ficam abertas à visitação em qualquer dia do ano, e também não deixa de funcionar a navegação Ríos de Hielo Express, mas vai ser menos prazeroso ficar ao ar livre em temperaturas próximas a 0°C.

Voltar | Menu

  • Dinheiro e câmbio em El Calafate

Câmbio em El Calafate

Não há casa de câmbio formal em El Calafate (já houve, mas fechou). No aeroporto existe só caixa automático, e no terminal rodoviário não há nem isso (mas existem caixas na rua principal, pertinho da rodoviária).

O câmbio é feito nos bancos, como no Banco Nación (Avenida Libertador, 1133) e no Banco Tierra del Fuego (25 de Mayo, 34). O expediente bancário em El Calafate é de 8h às 13h, de segunda a sexta; horário em que é bem provável que você esteja fazendo passeios. Portanto, já chegue com pesos trocados a El Calafate. Algumas agências de receptivo fazem preços ligeiramente melhores para pagamento de passeios em pesos cash ('efectivo').

  • Se você vai passar alguns dias em Buenos Aires antes de ir a El Calafate, faça seu câmbio em Buenos Aires (de reais por pesos, ou de dólares por pesos). Na capital você vai conseguir a melhor cotação possível para o seu dinheiro. Atualmente o melhor câmbio para reais é nas agências do Banco Nación dos aeroportos Ezeiza e Aeroparque; para dólares, nas corretoras da calle Sarmiento. Leia mais aqui.
  • Se você vai direto a El Calafate, com apenas uma conexão rápida em Buenos Aires, prefira levar dólares. Tente trocar no Banco Nación do aeroporto em Buenos Aires (Ezeiza ou Aeroparque), entre um vôo e outro. Na pior das hipóteses, com atraso no vôo ou filas grandes para câmbio, você vai desembarcar com dólares em El Calafate.

Dólar em El Calafate

Usar dólares para pagar passeios e diárias de hotel em El Calafate não é vantajoso – as cotações praticadas nunca são melhores do que a cotação oficial, e raras vezes são iguais ao câmbio do dia. Mas dá para encontrar cotações próximas à oficial e, se há um lado positivo, pelo menos você carrega menos bilhetes na doleira (quando você troca todo seu dinheiro por pesos, ganha um bolo de dinheiro para carregar).

Cartões de crédito em El Calafate

Cartões de crédito e cartões pré-pagos são bem aceitos em El Calafate, mas é bom sempre confirmar no hotel, restaurante ou agência antes de contar com isso.

Cartões de débito em El Calafate

Você pode habilitar o seu cartão do banco para fazer saques em pesos nos caixas automáticos na Argentina. Seu cartão funcionará em qualquer caixa automático. A pegadinha é que existem tarifas de saque e de uso do equipamento, então deixe o saque para aquela situação em que você realmente precisa de pesos e não tem outra alternativa. Sempre faça o saque de maior valor disponível, para que as tarifas (que são fixas) se diluam no montante.

Reais em El Calafate

Em hipótese alguma leve reais para suas despesas em El Calafate. Reais não são quase nunca aceitos – e, quando são, a cotação é de chorar.

Preços: por que usamos 'equivalente a x dólares'

  • A inflação alta ainda persiste na Argentina, mesmo com a mudança da política econômica do governo Macri; em 2017, foi de 20%. Qualquer informação de preço em pesos tende a ficar desatualizada muito rapidamente. Por isso todos os preços -- atualizados em novembro de 2017 para a temporada de 2018 -- estão convertidos para o dólar, pela cotação do Banco Nación do dia da apuração. Assim fica mais fácil ter uma noção de grandeza dos preços, mesmo se houver desvalorização do peso (ou do real).

Voltar | Menu

  • Como chegar a El Calafate

De avião

Não há vôos diretos do Brasil para El Calafate. É preciso fazer uma conexão em Buenos Aires. A rota pode ser feita com a Aerolíneas Argentinas ou a Latam. O voo de Buenos Aires a El Calafate leva 3h20.

Antes de comprar a passagem, saiba que:

  • Num vôo Brasil-Buenos Aires-El Calafate, a imigração é feita em Buenos Aires. É preciso retirar a bagagem, passar pela alfândega e redespachar as malas. Não compre passagem com intervalo menor que duas horas entre os vôos -- nem passagem que envolva troca de aeroporto em Buenos Aires (você precisaria de duas horas para se deslocar com segurança entre Ezeiza e Aeroparque).
  • El Calafate também é ligada por vôos diretos a Ushuaia (1h20, Aerolíneas ou Latam) e Bariloche (1h45, Aerolíneas).
  • Se você quer incluir outras cidades na mesma viagem (por exemplo: Brasil-Buenos Aires-Ushuaia-El Calafate-Brasil), o melhor negócio é comprar uma passagem na modalidade 'múltiplos destinos' (ou 'várias cidades'), que rentabiliza ao máximo a tarifa.
  • Ficar um ou mais dias em Buenos Aires é melhor na ida do que na volta: na ida você ganha tempo para resolver assuntos de ordem prática, como fazer câmbio (que é melhor em Buenos Aires do que em El Calafate) e comprar um chip local para o celular.

Chegando (ou saindo) pelo Chile

Não há vôos de Santiago para El Calafate. O aeroporto mais próximo para quem está viajando pelo Chile fica em Puerto Natales, a 5 horas de ônibus de El Calafate.

O aeroporto de Puerto Natales recebe vôos regulares apenas durante a temporada. A rota mais direta é operada pela SkyAirline, que faz Santiago-Puerto Natales sem escalas na ida e na volta. Já a Latam voa de Santiago direto a Puerto Natales apenas na ida; o vôo de volta faz uma escala em Punta Arenas.

Como ir do aeroporto de El Calafate ao hotel

O aeroporto de El Calafate fica 20 km a leste do centro. Para ir ao centro, você pode escolher entre vans compartilhadas e remises (carros com motorista que fazem corridas como táxi), ou então pegar já na chegada o seu carro alugado.

transfer aeroporto el calafate

Van compartilhada

As vans compartilhadas são da empresa VES. Comprando apenas a ida, são 190 pesos por pessoa (novembro/2017, equivalente a 11 dólares); comprando ida e volta, são 300 pesos por pessoa (novembro/2017, equivalente a 17 dólares). Para conseguir o desconto no retorno, é preciso comprar junto com a ida. Só é aceito pagamento em dinheiro, que pode ser feito em pesos ou em dólares.

O serviço de remis é da empresa Cóndor, que é a única habilitada a operar na saída do aeroporto. A ida a hotéis no centro custa 480 pesos por veículo (novembro/2017, equivalente a 30 dólares), que leva até 4 passageiros. A volta com a mesma empresa custa 300 pesos por veículo (novembro/2017, equivalente a 19 dólares). Não é preciso contratar o retorno junto com a ida. O pagamento pode ser feito em pesos ou dólares, ou com cartão de crédito.

As duas empresas têm balcões na frente do desembarque e o transporte pode ser acertado na hora, sem necessidade de agendamento prévio.

De ônibus

El Calafate está muito, muito longe para ir de ônibus. São 2.800 km desde Buenos Aires -- a mesma distância que separa São Paulo de Belém. Não há ônibus diretos da capital. É preciso ir de Buenos Aires a Río Gallegos (36 horas de viagem, pela Andesmar, ou 40 horas, pela El Pingüino) e seguir de Río Gallegos a El Calafate (4 horas de viagem, pela Andesmar ou Taqsa).

Ushuaia está a 880 km (são 12 horas de Ushuaia a Río Gallegos pela Taqsa, mais são 4 horas de Río Gallegos a El Calafate pela Andesmar ou Taqsa). Bariloche está a 1.450 km (25 horas de viagem pela Taqsa).

Há dois destinos, porém, perfeitos para combinar de ônibus com El Calafate. El Chaltén está a 4 horas de viagem (por Cal-Tur, Chaltén Travel ou Taqsa). Puerto Natales, no Chile, a cidade mais próxima de Torres del Paine, está a 5 horas de distância (por Bus-Sur, Cootra ou Turismo Zaajh).

Como ir do terminal rodoviário de El Calafate ao hotel

terminal rodoviário el calafate

Terminal rodoviário

Chegando pelo terminal rodoviário ('Terminal de Buses') de El Calafate, use os remises em frente ao terminal para ir ao seu hotel. Uma corrida a um hotel no centro custará em torno de 50 pesos (equivalente a 3 dólares).

De carro

Dirigir do Brasil à Patagônia austral é assunto para blogs de jipeiros: trata-se de um turismo de nicho que a gente aqui no Viaje na Viagem não domina (nem endossa). Agora: ir de avião até El Calafate, alugar um carro por lá e aproveitar para esticar a El Chaltén e a Puerto Natales/Torres del Paine é perfeitamente factível mesmo para que não tem experiência em rali.

Ao alugar seu carro, certifique-se de que a locadora permite atravessar a fronteira chilena. Será preciso emitir um documento especial, que custa em torno de R$ 500.

Os leitores Silvio e Simone Cury fizeram El Calafate, El Chaltén e Torres del Paine de carro; seu relato, com todos as pegadinhas e os macetes do aluguel do carro, estão neste post.

Transporte em El Calafate

el calafate remis terminal rodoviário

Ponto de remis e Terminal de Buses

A parte mais turística do centro de El Calafate é caminhável de ponta a ponta. Escolhendo um hotel de localização conveniente, você só vai precisar de transporte na hora dos passeios.

Se o seu hotel não estiver bem no centrinho, vai ser necessário chamar um remis para sair para jantar, para contratar passeios ou dar uma volta pela Avenida Libertador. Espere pagar a partir de 50 pesos por essas corridas (equivalente a 3 dólares). Os remises trabalham com relógio para viagens curtas, e têm tabelas com preços fechados para passeios e traslados. Os pontos ficam em ruas transversais à Avenida Libertador, mas pode pedir para o recepcionista do hotel ou para o garçom chamar um carro para você, quando precisar.

Quem gosta de dirigir nas viagens deve pesquisar preços e alugar o carro com antecedência, especialmente na alta temporada. O veículo pode ser retirado no aeroporto ou no centro de El Calafate. Mas estar de carro só é especialmente interessante no dia de visitar as passarelas do Perito Moreno, quando é bom não ter hora marcada para ir embora, e fazer o passeio mais à vontade. Para os demais passeios, é mais prático contratar trânsfer compartilhado nas agências, junto com os tours.

Da rodoviária também saem ônibus diários para o Glaciar Perito Moreno (leia mais sobre este serviço na seção O que fazer em El Calafate).

Voltar | Menu

  • Onde ficar em El Calafate

el calafate

Centrinho de El Calafate

O centrinho de El Calafate tem a Avenida Libertador como via principal. Nela e em seus arredores é onde estão as agências de receptivo, restaurantes, lojas e bancos. O melhor trecho do centro para se hospedar fica entre as ruas 7 de Diciembre (que, passando a Avenida Libertador, vira Valentín Feilberg) e Perito Moreno (que, depois da Avenida Libertador, muda o nome para 15 de Febrero).

Ficar afastado do centro só vale a pena se você escolher um hotel com vista para o Lago Argentino, e quiser passar algum tempo da sua estada curtindo o próprio hotel. Saiba que não haverá nada a ser visto no entorno além da paisagem, e que a parte mais bonita do centro estará mais distante.

Centro, a pé

madretierra el calafate

MadreTierra

Ficar na pequenina pousada-boutique MadreTierra é como se hospedar na casa de amigos. A duas quadras e meia da rua principal, e bem no miolinho do centro, tem clima aconchegante e equipe mais que prestativa, que dá dicas da cidade e cuida das reservas de passeios.

ACA El Calafate

ACA El Calafate

O ACA El Calafate tem localização privilegiadíssima, a apenas uma quadra da Avenida del Libertador, e não cobra a mais por isso. Pelo contrário: é das melhores relações custo x benefício de El Calafate, e tem quartos muito simpáticos.

kosten aike

Kosten Aike

Também bastante bem localizado, o hotel Kosten Aike tem quartos espaçosos e especialmente cômodos para quem viaja em família: há suítes em que podem dormir confortavelmente até quatro pessoas. Apesar da decoração um pouco datada, é um hotel em boa forma, e oferece aos hóspedes sala de jogos, academia e spa.

posada los alamos

Posada Los Álamos

A Posada Los Álamos é dos hotéis mais tradicionais de El Calafate, e está entre os maiores e mais bem equipados da cidade. A área de lazer do hotel fica separada do prédio principal, cruzando a rua, e conta com piscina coberta, spa, academia e até um pequeno campo de golfe, tudo rodeado por muito verde.

Com localização prática, considere também o Calafate Parque Hotel e o Hotel Quijote.

Centro, com remis ou carro

esplendor el calafate

Esplendor El Calafate

O Esplendor El Calafate não fica distante da rua principal, mas para chegar até lá é preciso subir uma pequena ladeira. Nada que um remis não resolva nos momentos de preguiça (50 pesos, equivalente a 3 dólares). E em contrapartida, você pode aproveitar a hospedagem no hotel mais elegante de El Calafate, com quartos em estilo rústico-chic (alguns, com vista para o lago) e áreas comuns amplas e charmosas. Há piscina coberta e spa.

Mais afastado do miolinho do centro, o Mirador del Lago entrega o que o nome promete: se hospedar ali é ter um camarote para o Lago Argentino. Para fazer valer a distância, escolha um quarto com vista – alguns têm sacada.

Com vista para o Lago Argentino, considere também o Xelena e o Terrazas del Calafate.

Voltar | Menu

  • Onde comer em El Calafate

Restaurantes

A especialidade nos restaurantes de El Calafate é o cordeiro patagônico – de carne mais firme, com menos gordura, e de sabor mais suave do que os cordeiros de outras bandas.

cordeiro patagonico la tablita

Cordeiro patagônico no La Tablita

O La Tablita (Coronel Rosales, 28, tel. 2902/49-1065) é o restaurante mais famoso de El Calafate pelo cordeiro patagônico a la parrilla, que é servido ou sozinho, ou em um mix com cortes de carne bovina ou frango. Ligeiramente fora do centrinho, mas ainda a uma distância caminhável, é frequentado por grupos grandes de turistas, que podem fazer o melhor uso do cardápio: pedindo pratos para dividir.

mako fuegos y vinos

Mako Fuegos y Vinos

O Mako Fuegos y Vinos (Avenida Libertador, 1610, tel. 2902/49-3414) também tem o churrasco de cordeiro patagônico como carro-chefe, em um ambiente agradável e com atendimento nota 10. As linguiças artesanais são feitas na casa (existe uma versão de cordeiro patagônico, inclusive), e todos os pratos são lindamente apresentados.

la zaina

La Zaina

Instalado em um galpão que já foi um galinheiro, o restaurante La Zaina (Gobernador Gregores, 1057, tel. 2902/49-6789) é um lugarzinho pitoresco, decorado com objetos antigos e com um clima dos mais aconchegantes. O cardápio é enxuto, mas bastante variado. Truta, massas caseiras e um cordeiro cozido longamente no vinho malbec são os grandes destaques.

isabel cocina al disco

Isabel Cocina al Disco

No Isabel Cocina al Disco (Gobernador Moyano, 1020, tel. 2902/48-9000), os pratos são todos preparados da mesma maneira curiosa: cozidos em panela de ferro, feita a partir de um disco de arado. Há discos de frutos do mar, de frango, de carne de boi ou de porco, e a panela vai inteira à mesa. Não tenha vergonha de usar o pão para aproveitar todo o molhinho...

viva la pepa

Viva La Pepa

O colorido Viva La Pepa (Emilio Amado, 833, tel. 2902/49-1880) é um ótimo lugar para dar uma variada nas refeições. Tem como especialidade crepes doces e salgados, com recheios mil, e também serve sopas e saladas. Com tempo bom, dá para aproveitar as simpáticas mesinhas no exterior.

Cafés e bares

café olivia

Olivia

O lindinho Olivia (9 de Julio, 131, tel. 2902/48-8038) é um café que poderia muito bem estar em Buenos Aires, mas está em El Calafate, então há de se aproveitar. Lá, seu espresso, cappuccino, affogato ou macchiato pode ser acompanhado por sanduíches, bolos ou outras gostosuras. É desses lugares em que a gente usa o wifi grátis como desculpa para acabar se demorando mais do que devia...

ananda restobar

Ananda

O restobar Ananda (Paseo Costanera, tel. 2902/48-9889) é um bom lugar para pedir petiscos e jogar conversa fora após um dia de passeios. De frente para o calçadão, e pertinho da reserva da Laguna Nimez, tem ambiente descontraído, tábuas de frios e empanadas.

la zorra taproom

La Zorra Taproom

El Calafate tem também a sua cervejaria artesanal: é a La Zorra Taproom (Avenida Libertador, 832, tel. 2902/48-8070), que serve chopp de fabricação própria e comidas rápidas em um barzinho descolado. Seu pedido vai ser “cantado” em um megafone quando estiver pronto, e, se você estiver sozinho, pode aproveitar o mesão coletivo para se enturmar com outros viajantes.

sorveteria tito

Sorvete de calafate

E não se pode sair de El Calafate sem provar um licor, geléia ou sorvete de calafate, a frutinha da região que dá nome à cidade. Os licores e geléias são vendidos nas lojas de souvenir do centro. Para experimentar um sorvete de calafate, vá à sorveteria Tito (Avenida Libertador, 1150, tel. 2902/49-4602).

Merenda para viagem

  • É bastante comum que se leve uma marmita (ou vianda, como chamam por lá) para os passeios, para substituir o almoço. Alguns hotéis têm cardápios de viandas, que podem ser encomendadas de véspera e são entregues aos hóspedes pela manhã. Na cidade, algumas pequenas lanchonetes vendem kits prontos com sanduíche, bebida fria e fruta. Você também pode comprar biscoitos, castanhas e outras coisinhas no supermercado La Anonima (Avenida Libertador, 902, tel. 2902/49-2611), sucos orgânicos e lanches saudáveis no Green Market (Avenida Libertador, 1008, tel. 2902/48-9696) ou bolos e pães artesanais na simpática padaria Pantagonia (Avenida Libertador, 1329, tel. 2902/48-8047).

Voltar | Menu

  • O que fazer em El Calafate

perito moreno

Perito Moreno

Caminhar pelas passarelas em frente ao glaciar Perito Moreno, fazer um trekking sobre a geleira e navegar ao encontro dos glaciares Upsala e Spegazzini são os três principais passeios em El Calafate. Não se obrigue a escolher entre um e outro; não são atividades excludentes, mas complementares -- cada uma com o seu encantamento.

Como contratar passeios em El Calafate

el calafate agencia

Agências em El Calafate

Os passeios devem ser contratados nas agências de receptivo de El Calafate; use o seu dia de chegada para isso. A maioria tem loja na Avenida Libertador, ou em seus arredores. Alguns hotéis também auxiliam na reserva de passeios, podendo cobrar ou não alguma taxa pelo serviço.

As agências vendem passeios de diversos operadores, e numa agência só você pode resolver toda a sua viagem.

Os tours organizados incluem trânsfer de ida e volta do hotel ao local da atração, e a companhia de um guia turístico. Dependendo do tamanho da agência, e de quantas pessoas reservaram o passeio, o transporte pode ser feito em caminhonete, van ou ônibus. Ir em grupo pequeno é sempre uma experiência mais agradável; vale a pena consultar antes de fazer a reserva.

As agências praticam preços iguais ou muito próximos para os passeios. Na véspera, pode haver alguma promoção para as últimas vagas de algum passeio no dia seguinte.

Os preços dos passeios são dados em pesos. Dólar e cartão de crédito são bem aceitos, mas para conseguir um descontinho, só pagando em pesos cash ('efectivo').

Algumas agências que você pode procurar em El Calafate: Aventura Andina (Avenida Libertador, 761, tel. 2902/49-2112), Always Glaciers (Avenida Libertador, 924, tel. 2902/49-3861), Glaciers Land (9 de Julio, 57, tel. 2902/49-0300), Chaltén Travel (Avenida Libertador, 1174, tel. 2902/492-212).

É preciso reservar passeios com antecedência?

  • É recomendável reservar lugar com antecedência para os trekkings sobre a geleira Perito Moreno – o Minitrekking ou o Big Ice –, que têm vagas limitadas por dia e são os passeios mais disputados. Se você pretender fazer o passeio de caiaque em frente à geleira Upsala, reserve antes também. No mais, não há problemas em deixar para reservar e pagar os passeios ao chegar em El Calafate, com exceção do período da Fiesta del Lago, que acontece anualmente no mês de fevereiro e lota a cidade.

Passarelas do Perito Moreno

perito moreno

Perito Moreno

Deixe que o glaciar Perito Moreno faça as honras da casa: a visita às passarelas é o melhor primeiro passeio para se fazer em El Calafate.

passarelas do perito moreno

Passarelas

O circuito de passarelas na porção mais famosa do Parque Nacional Los Glaciares entrega de bandeja vistas panorâmicas extraordinárias.

São cinco trilhas sobre passarelas de metal, suspensas, assim como aquelas do parque argentino das Cataratas do Iguaçu. Cada percurso tem uma dificuldade diferente, sinalizada em um mapa logo na entrada, e conduz a paisagens distintas (são quatro passarelas para ver a geleira, e uma para caminhar por dentro do bosque).

perito moreno

Perito Moreno

Você pode visitar as passarelas por conta própria e sem guia, ou contratando um tour organizado. O Parque Nacional Los Glaciares funciona todos os dias do ano, de 8h às 20h, e fica a mais ou menos a 1h30 do centro de El Calafate.

A vantagem de ir por conta própria às passarelas é ter a liberdade de fazer o passeio do seu jeito e no seu tempo, especialmente se você estiver de carro alugado.

Dá também para ir de ônibus, que sai do terminal de ônibus de El Calafate. Dispensando o guia e o conforto do transporte porta a porta, você economiza só 20% do preço do tour organizado, mas tem mais tempo no parque do que as excursões costumam proporcionar. Cada empresa de ônibus oferece um tempo de permanência diferente, que pode ser de 4 horas (com a Chaltén Travel, saindo de El Calafate às 13h), 4 horas e meia (com a Taqsa, saindo de El Calafate às 8h30 ou 13h30, ou com a RP Transportes, saindo de El Calafate às 9h30) ou 5 horas e meia (com a Cal-Tur, saindo de El Calafate às 9h ou 13h). É recomendável comprar a passagem no dia anterior da visita ao parque, direto no terminal de ônibus. A passagem é de ida e volta, e custa a partir de 550 pesos por pessoa (novembro/2017, equivalente a 31 dólares). Ingresso ao parque não-incluído.

O tour ao Perito Moreno oferecido pelas agências de receptivo em El Calafate costuma incluir até 3 horas para passeio nas passarelas. Um guia acompanha o grupo no trajeto até o parque, e, dependendo da agência, pode permanecer ou não com os visitantes durante todo o passeio. A vantagem de ir com um tour organizado é justamente a presença do guia, que explica a formação das geleiras, fala sobre a vegetação e o clima, e conta a história da cidade. Mas vale a pena ter alguns minutos para ficar sozinho e fazer uma contemplação silenciosa da paisagem. Os passeios organizados, com trânsfer de ida e volta ao hotel, custam a partir de 700 pesos nas agências de El Calafate (novembro/2017, equivalente a 40 dólares). Ingresso ao parque não-incluído.

safari náutico perito moreno

Safari Náutico

É comum incluir no pacote da visita às passarelas um passeio de barco no mesmo setor do parque. O Safari Náutico da Hielo & Aventura faz uma navegação de uma hora pelo chamado Braço Rico do Lago Argentino, saindo do porto Bajo de las Sombras, que fica 7 km antes das passarelas. Vale a pena para chegar pertinho da geleira e, com sorte, presenciar cara a cara um desprendimento. Nunca vai ser ruim ver o Perito Moreno de mais um ângulo diferente, mas é preciso saber que a muvuca e o empurra-empurra pela melhor selfie são inevitáveis. O Safari Náutico funciona o ano inteiro. Tem cinco saídas diárias, às 10h, 11h30 e 14h30, e custa 500 pesos (novembro/2017, equivalente a 29 dólares). Ingresso ao parque não-incluído.

Atenção: o ingresso ao parque é pago à parte

Qualquer que seja a forma de visita às passarelas, vai ser preciso pagar também pela entrada no Parque Nacional Los Glaciares, que custa 500 pesos (novembro/2017, equivalente a 29 dólares). Só se aceita pagamento em pesos.

Garanta seu passeio ao Glaciar Perito Moreno incluindo Safari Náutico com a Viator

Navegação Ríos de Hielo Express

navegação rios de hielo express

Rios de Hielo Express

Os catamarãs que fazem a navegação Ríos de Hielo Express às geleiras Upsala e Spegazzini saem diariamente do porto de Punta Bandera, a 50 km de El Calafate. Na fila do embarque do passeio dá para perceber um ou outro rosto preocupado, já prevendo uma disputa pelos bons lugares dentro do catamarã. Nem esquente: quase todos os passageiros acabam preferindo enfrentar o frio e ficar nas áreas externas do barco, de pé, durante a maior parte do tempo a bordo.

geleira upsala

Geleira Upsala

São 5 horas de navegação que nunca ficam entediantes, tamanha a quantidade de paisagens bonitas do lado de fora. O passeio começa em direção à geleira Upsala, com pequenas pausas pelo caminho junto a portentosos blocos de gelo – um espetáculo que, infelizmente, tem a ver com um acelerado processo de perda de superfície da geleira.

geleira spegazzini

Geleira Spegazzini

Na segunda metade da navegação, é a vez de ir ao encontro do espantoso glaciar Spegazzini – que, com uma frente que chega a 130 metros sobre o nível do lago, vai ser das vistas mais impressionantes de toda a sua viagem.geleira spegazzini

Geleira Spegazzini

A navegação Ríos de Hielo Express é operada pela Solo Patagonia. Há saídas todos os dias, às 8h30, e custa 1.950 pesos (novembro/2017, equivalente a 112 dólares). Traslado e ingresso ao parque não-incluídos.

Garanta seu passeio Ríos de Hielo + traslado com a Viator

Minitrekking & Big Ice

Minitrekking

Minitrekking

Fazer um trekking sobre o Perito Moreno é o gran finale perfeito para a sua viagem às geleiras de El Calafate. Existem duas modalidades: o Minitrekking e o Big Ice, ambos operados pela Hielo & Aventura (a mesma do Safari Náutico).

Nos dois casos, depois de uma navegação curtinha, o grupo faz uma trilha que leva até o ponto de partida para o trekking na geleira. A trilha no Minitrekking é de 20 minutos; a trilha no Big Ice, de pouco mais de uma hora. Completada esta etapa, os calçados recebem o reforço de grampões, e a verdadeira aventura começa.

O Minitrekking já é uma experiência e tanto, com uma hora e meia de caminhada sobre o gelo ao encontro de incríveis paisagens congeladas. No Big Ice, o circuito é maior e mais exigente (com duração média de três horas e meia), e inclui cavernas de gelo pelo caminho.

Escolha entre um e outro de acordo com suas aptidões físicas e pretensões aventureiras. O Minitrekking é uma atividade de média dificuldade e permitida para pessoas entre 10 e 65 anos; o Big Ice, de dificuldade alta, é permitido para pessoas entre 18 e 50 anos. Grávidas e cardíacos não podem participar de nenhum dos dois trekkings, e há também restrições quanto ao peso dos participantes (informe-se aqui).

É recomendável reservar com antecedência o seu lugar no Minitrekking ou no Big Ice, especialmente se você viaja nos meses de janeiro ou fevereiro. Mas atenção: o Minitrekking não é oferecido nos meses de junho e julho, e o Big Ice não opera de maio a meados de setembro. Os passeios podem ser reservados diretamente com a Hielo & Aventura ou com as agências de receptivo de El Calafate. O Minitrekking custa 3.200 pesos, com traslado (novembro/2017, equivalente a 183 dólares), e o Big Ice, 5.400 pesos, com traslado (novembro/2017, equivalente a 309 dólares). Ingresso ao parque não-incluído.

Garanta seu Minitrekking no glaciar Perito Moreno com a Viator

Passeios alternativos

glaciarium

Glaciarium

Sobrando algum espaço no seu roteiro por El Calafate, você pode somar aos passeios principais uma ou outra atividade extra:

Upsala Kayak Experience: passeio de dia inteiro que combina navegação no Lago Argentino com passeio de caiaque. São duas horas de remadas entre grandes blocos de gelo, originados dos desprendimentos do glaciar Upsala. Saídas às segundas, quartas, sextas e sábados. Preço: a partir de 7.200 pesos (novembro/2017, equivalente a 411 dólares). Não inclui ingresso ao parque. Não opera de abril a outubro.

Garanta seu passeio de caiaque ao glaciar Upsala com a Viator

balcón de calafate

Balcón de El Calafate

Balcón de El Calafate: passeio panorâmico curto de 4x4, em um caminhão adaptado, para ver a cidade do alto entre curiosas formações rochosas. O tour leva 3 horas e pode ser combinado com um circuito de quadriciclo. Saídas diárias, às 10h e às 15h. Preço: a partir de 990 pesos (novembro/2017, equivalente a 57 dólares). Não opera de maio a setembro.

glaciobar bar de gelo

Glaciobar

Glaciarium: centro de interpretação muito bem montado, que usa maquetes, fotografias, vídeos e outros recursos para explicar a formação das geleiras e incentivar sua conservação. No subsolo, o bar de gelo Glaciobar tem entrada à parte e é uma maneira engraçada de terminar a visita. Horário Glaciarium: todos os dias, das 9h às 20h (de setembro a março), ou das 11h às 19h (de abril a agosto). Preço: 360 pesos (novembro/2017, equivalente a 21 dólares). Horário Glaciobar: todos os dias, das 11h30 às 19h. Ingressos no local. Trânsfer de ida e volta gratuito, saindo do estacionamento da Secretaria de Turismo Provincial.

laguna nimez

Laguna Nimez

Laguna Nimez: reserva de aves muito próxima do centrinho de El Calafate, que pode ser visitada a pé e funciona o ano todo. O circuito é autoguiado, e entre as espécies que podem ser avistadas estão flamingos, cisnes-de-pescoço-preto e o ganso cauquén. Horário: das 9h30 às 18h30. Preço: 150 pesos (novembro/2017, equivalente a 9 dólares). Ingressos no local.

Estancia Nibepo Aike: manhã ou tarde de passeio em uma fazenda típica desta região da Patagônia, com uma linda vista para as montanhas. Demonstração de tosquia de ovelha, churrasco e cavalgada. Saídas diárias, às 8h30 e 16h30. Preço: a partir de 1.300 pesos (novembro/2017, equivalente a 74 dólares). Não opera de maio a setembro.
Garanta seu passeio à estância Nibepo Aike, incluindo almoço, com a Viator

el chaltén

El Chaltén

Bate-volta a El Chaltén: um longo dia de verão pode ser aproveitado para um passeio de dia inteiro à cidadezinha de El Chaltén que, aos pés da montanha Fitz Roy, é a capital argentina do trekking e porta de entrada para o setor norte do Parque Nacional Los Glaciares. Pelas agências de El Calafate são oferecidas algumas opções diferentes de passeio. Na agência Aventura Andina são dadas 5 horas de tempo livre para que se faça por conta própria trilhas curtas como a do Chorrillo del Salto (dificuldade baixa; 2 horas, ida e volta), ou do Mirador del Torre (dificuldade média; 2 horas e meia, ida e volta). Na agência South Road, o passeio de um dia combina navegação no Lago del Desierto com um trekking curto até a base da geleira Vespignani, de dificuldade média. Na agência Viva Patagonia há a possibilidade de combinar uma navegação pelo lago Viedma com um trekking de média dificuldade, subindo e descendo pelo promontório à frente da geleira de mesmo nome. Também é comum a oferta de navegação à geleira Viedma com almoço, mas não valerá tanto a pena se você já tiver feito a navegação Ríos de Hielo Express. Preço: a partir de 2.000 pesos, apenas o trânsfer de ida e volta, sem atividades inclusas (novembro/2017, equivalente a 114 dólares).

Bate-volta a Torres del Paine: menos recomendável que o bate-volta a El Chaltén, o bate-volta ao parque de Torres del Paine também é bastante vendido pelas agências em El Calafate. Pense duas vezes: o trajeto é ainda mais puxado que o de El Chaltén, por causa do tempo perdido para trâmites de alfândega, na ida e na volta. A maior parte das 14 horas de passeio acabam passadas dentro do ônibus. É mais jogo se hospedar em Puerto Natales, e fazer de lá a sua base para passeios entre as geleiras e montanhas da Patagônia chilena. Mas se você não tem tempo para dividir a viagem, nem planeja voltar à Patagônia tão cedo, o bate-volta a Torres del Paine pode ser 'melhor do que nada', como dizem em El Calafate (mas não diga que a gente não avisou!). Custa desde 2.300 pesos (novembro/2017, equivalente a 131 dólares).

Garanta sua excursão de um dia a Torres del Paine com a Viator

Voltar | Menu

216 comentários

Rita Santana
Rita SantanaPermalinkResponder

Ola. Gostaria de uma indicação. Estou planejando ir a El Calafate no final de Novembro e ficar 3 noites. Acrescentaria também 2 dias em El Chalten, mas após a leitura dos posts, fiquei em dúvida se vale a pena ir a El Chalten ou fazer o bate e volta partindo de El Calafate. Avaliando o custo x beneficio também acredito que o bate e volta pode atender a minha necessidade, já que não faço caminhadas. Obrigada.

Mariana Amaral

Rita, ir até El Chaltén só vale mesmo a pena para quem gosta de trekking. Os passeios de barco não são tão bonitos quanto os que você vai fazer em El Calafate, e é bastante tempo de estrada.

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Ola, Rita
Já estive em El Calafate e El Chalten.
Apesar dela ser a "capital argentina do trekking" e você não fazer caminhadas, eu recomendo o pernoite.
Pelos seguintes motivos:
São 3 horas de distancia de El Calafate. Pessoalmente, acho puxado passar 6 horas de um dia dentro do carro para apenas um bate e volta.
Passear pelo proprio vilarejo, curtir as lojas, bares e restaurantes de um lugarzinho perdido no meio dos Andes, com turistas do mundo inteiro, é uma baita experiencia.
E, tem 1 hotel , na beira de um lago , que é um baita lugar para voce curtir ao menos 1 pernoite:
http://www.aguasarribalodge.com/espanol/index.html#

João
JoãoPermalinkResponder

Parabéns por mais um excelente post!
Uma dúvida: é possível combinar no mesmo dia passarela+safari nautico+minitrekking no Perito Moreno, ou realmente são necessários dois dias diferentes?

Obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, João! A logística é até possível, mas é muita coisa para um só dia. Depois do minitrekking você já vai estar cansado para percorrer as passarelas, que também demandam algum esforço físico. E vai precisar apressar a visita, para conseguir pegar o passeio de barco. Se a intenção de juntar todos os passeios em um dia for para abreviar a estadia em El Calafate, pense que você não terá espaço de manobra em caso de mau tempo, por exemplo, ou se achar que a visita às passarelas foi curtinha demais. Prefira ir com calma wink

Ebeling
EbelingPermalinkResponder

Rita se você gosta de Trekking no mínimo 4 noites El Chaten pesquisamos muito e tem muita coisa para fazer. Vamos 26/11

Ricardo Alexandre Gonçalves

Minha Principal Duvida é posso carregar Maquina Fotrográfica no Mini trekking?
Além de um dia nas Passarelas e outro no mini trekking,
Teria outro passeio que seria imprescindível fazer já que etamos lá?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ricardo! Pode levar a câmera, sim. Leia sobre passeios na seção O que fazer.

Weider
WeiderPermalinkResponder

Oi, boia! Chego em El Calafate dia 17/02 e saio dia 23/02. Gostaria de ir a Puerto Natales e Torres del Paine. Você sugere ir logo no dia 17/02 ou seria melhor deixar pro final? Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Weider! Para que se estressar com uma conexão que você não sabe se vai conseguir fazer? Deixe para ir no meio da viagem, com pernoites em El Calafate na ida e na volta também.

Katia Freo
Katia FreoPermalinkResponder

Sou casada e tenho um filho de 18 e um de 11 anos. Me sugeriram ir pra Ushuaia em Janeiro. Gostaria de saber se eles curtiriam ou não e ideia de quantos dias e passeios que posso fazer na região. Adoro o frio e por isso gostei da sugestão recebida. Grata

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Katia! Este é o guia de El Calafate.

Leia o guia de Ushuaia:
http://www.viajenaviagem.com/destino/ushuaia

Guilherme W
Guilherme WPermalinkResponder

Vale a pena fazer o Safári Náutico de 1 hora e também o Rios de Hielo Express? São passeios muito parecidos?
Meu plano é fazer as passarelas do Perito Moreno na tarde do 1o dia. Como chegaremos no final da manhã, acho que o tempo será curto para conciliar com o Safári Náutico.

Aproveito para dar os parabéns ao viajenaviagem! Já perdi a conta de quantas viagens já planejei com a ajuda de vocês! Um abraço!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Guilherme! Sim, vale a pena. São passeios completamente diferentes. O ideal é combinar as passarelas com o Safari Náutico, pra não precisar voltar ao parque só por causa disso. E, em outro dia, fazer o Ríos de Hielo. Se não couber na sua programação, faça as passarelas em um dia, e o Ríos de Hielo em outro, deixando o Safari Náutico de fora.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar