Lençóis Maranhenses

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Lençóis Maranhenses: onde comer

Veja nesta página um guia de restaurantes dos Lençóis Maranhenses. Se preferir, clique para ir direto ao tópico:

Comer nos Lençóis: o que esperar

Onde quer que você esteja, seu dia vai começar com uma tapioca fofinha, lambuzada na manteiga e enrolada feito panqueca, que fica divina dividindo o prato com um ovinho mexido. Tomara que o bolo seja de macaxeira -- não há melhor. (O bolo de leite, com consistência quase de pudim, também é mara.)

No almoço e no jantar, um peixe frito com os acompanhamentos de praxe nunca vai decepcionar. Mas se puder, experimente as especialidades locais: camarões normalmente graúdos, deliciosas tortas de caranguejo, e as duas estrelas da culinária sertaneja: a galinha caipira ensopada e o cabrito no leite de coco.

Se for a Atins, não deixe de experimentar o camarão da Luzia.

Voltar | Topo

Restaurantes em Santo Amaro

As melhores pousadas de Santo Amaro têm bons restaurantes, abertos a não-hóspedes. Se você estiver hospedado, escolha do cardápio com antecedência e marque um horário para ser servido. Se for passante, chegue sem pressa, peça um aperitivo, já sabendo que pode haver pedidos na sua frente de gente que ainda nem sentou à mesa.

Se houver no cardápio, não deixe de pedir como acompanhamento o arroz de cuxá, que só existe no Maranhão. É um arroz turbinado com vinagreira, que dá um azedinho, e microcamarõezinhos secos, que dão o salgadinho.

Outra receita típica da região é a camaroada, que leva leite de coco.

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Pousada Cajueiro, Atins

Pousada Cajueiro

Na Cajueiro o restaurante é ventilado pela brisa do rio. Peça o peixinho fresco ou a camaroada. Se vier de dia, vai ter vista (tel. 98 3369-1119).

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Pousada Água Doce

Pousada Água Doce

O restaurante da Água Doce é um dos maiores e mais eficientes da vila. Tem um gostoso arroz de cuxá. A TV costuma estar ligada, aproveite para ver o jornal (tel. 98 3369-1105).

Lençóis Maranhenses: onde comer

Sol de Amaro - Restaurante do Gordo

Dois bons restaurantes funcionam fora de pousadas. O Restaurante do Gordo tem PFs e pratos mais elaborados, como o camarão graúdo na manteiga com arroz de cuxá (tel. 98 98820-2417).

O Sol de Amaro é vizinho da Água Doce e prepara ótima cozinha caseira, como esse arroz de mariscos da foto. Se estiver num grupo maior, peça a torta de caranguejo (tel. 98 3369-1282)

Depois do jantar, é de lei ir caminhando até a praça e fechar a noite com um sorvete na Casa do Picolé.

Fora da vila

Onde comer em Santo Amaro: Rancho das Dunas

Rancho das Dunas

Fora do povoado, o (enorme) restaurante da Rancho das Dunas costuma ser usado para pit-stop de almoço por grupos voltando das lagoas de Santo Amaro. O cardápio é extenso e o serviço, superprofissional. Não deixe de fechar a refeição com uma das deliciosas mousses de bacuri ou graviola.

Voltar | Topo

Restaurantes em Barreirinhas

Na beira-rio

Lençóis Maranhenses: onde comer

À noite, em Barreirinhas, não tem jeito: todo mundo acaba indo à beira-rio. Ao longo do bonito deck enfileiram-se restaurantes de cardápio variado e pratos, em sua maioria, para dividir. Alguns também servem em mesas no deck. (Ah, sim: e também tem um Subway.) De sobremesa, escolha um picolé de fruta do Cerrado ou da Amazônia na loja da Frutos de Goiás.

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: O Jacaré Barreirinhas

Peixe frito e camarão no leite de coco n'O Jacaré

O Jacaré tem o ambiente mais interessante da beira-rio. Experimente o camarão no leite de coco ou no wok. (tel. 98 98785-1965).

Lençóis Maranhenses: onde comer -- O Bambu

O Bambu

O O Bambu é praticamente uma praça de alimentação num restaurante só: de sushi a pizza, o cardápio tem de tudo. (tel. 98 3349-0264)

Seu vizinho Canoa é o mais concorrido do pedaço. O cardápio, extenso, tem filés, salmão e frutos do mar. (tel. 98 3349-1724)

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Divino Cafeteria

Divino Cafeteria

Numa das transversaizinhas do porto, a Divino Cafeteria serve tapiocas, sandubas, cuscuz, bolos e tortas. O café é bem tirado (r. Professor Viana, 62).

Fora do Centro

Bambaê

Bambaê

Caso você esteja em Barreirinhas na hora do almoço, não há melhor lugar para ir do que o Bambaê, nos fundos da pousada Encantes do Nordeste, à beira-rio. O robalo é pescado em Caburé. Aproveite para aproveitar a prainha, que é bem montada. Se vier à noite, há tambem a opção de pizza (tel. 98 3349-0691).

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Porto Preguiças

Porto Preguiças

Uma reserva para almoçar ou jantar no restaurante do Porto Preguiças serve de passaporte para conhecer o resort. O cardápio tem um pé no regional (carne de sol, cabrito, galinha caipira) e outro no mundo (paella, risotos, pizza). Como não poderia deixar de ser, a carta de vinhos é a mais completa da cidade (tel. 98 3349 6050).

Voltar | Topo

Restaurantes em Atins

Na praia

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: restaurantes de praia em Atins

Zero Estresse, Restaurante do Rico e refeição no Rico

Se você for passar o dia na praia, os melhores apoios são o Restaurante do Rico, com boa comida, e a barraca Estresse Zero, que é mais pé na areia (e pode ter música ao vivo no fim de tarde).

Se você for até a ponta da praia e fizer sinal, o pessoal da Cabana da Isabel, que se mudou para a Ponta da Brasília, em mar aberto, atravessa o canal de barco para te buscar.

Um almoço tardio é a pedida também para aproveitar a boa cozinha da Vila Guará (e dar uma espiada na pousada, que é das melhores do pedaço). O restaurante também abre à noite, mas é bem mais fácil chegar de dia (tel. 98 99720-3720).

Na vila

Muitas pousadas têm restaurantes próprios. Sair à noite, porém, é uma experiência e tanto: você anda por ruas de areia iluminadas apenas pela lua e pelas estrelas.

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: La Pizzeria

La Pizzeria

A pizza da La Pizzeria, na pousada Maresia, é feita com farinha de fermentação natural. Na última visita, porém, não achei nem o sabor nem o ponto de cozimento muito napolitanos, não. A pizza continua boa, mas pelo jeito se dobrou ao paladar do brasileiro, que prefere pizza menos azeda e mais assada. De todo modo, chegue cedo (tipo 19h), porque a base feita para o dia costuma acabar antes das 21h. Serve também massas e saladas (tel. 98 98816-7265).

Lençóis Maranhenses: onde comer - Pousada Cajueiro

Cajueiro

O restaurante da pousada Cajueiro também serve uma ótima pizza em forno a lenha (igualmente preparada por italiano), além de massas e pratos de pescados e frutos do mar (tel. 98 99204-0222).

O Estresse Zero também tem um bar/restaurante na vila, com ambiente de botequim. Experimente as cachaças curtidas com ervas maranhenses.

Entre os restaurantes dos nativos, considere o Céu Aberto, com cardápio enxuto que muitas vezes traz pratos regionais fora do óbvio, como a moqueca de arraia e a torta de caranguejo (tel. 98 98831-7087).

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Urra Bier

Urra! Bier

A novidades da temporada 2019 é a cervejaria Urra! Bier, que produz na casa pelo menos seis estilos de cerveja (IPA, APA, stout, fruit beer, Weiss e Pilsen). No cardápio, burgers e pratos completos (tel. 98 99146-3505).

Camarão da Luzia

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Camarão da Luzia

Camarão da Luzia

Comer camarão no Canto do Atins é o final praticamente obrigatório de qualquer passeio às lagoas de Atins. Os guias passam no início do passeio nos restaurantes para reservar a quantidade e o horário em que a refeição vai ser servida.

A responsável por transformar esse fim de mundo perdido no areal num point gastronômico é a Luzia, que prepara camarão de um jeito que você não vai comer em nenhum outro canto do Brasil.

Esqueça suas referências de camarão. O camarão à moda da Luzia não é esturricado, nem oleoso, nem cozido demais, como estamos acostumados Brasil afora, sobretudo em lugares simples. O camarão da Luzia é posto numa marinada com tempero secreto. Depois são cuidadosamente encaixados numa grelha fechada, dessas de assar peixe, e vão para a brasa por pouquíssimo tempo. Chegam à mesa num ponto sensacional, ainda al dente porém tenros pela marinada, e descolando naturalmente da casca (atualmente, inclusive, já chegam sem casca à mesa).

A iguaria é servida com acompanhamentos simples -- arroz, feijão, farinha grossa, salada de tomate. Custa R$ 40 por pessoa. De sobremesa, doces caseiros. Depois, dá para usar as redes para descansar. Não perca!

O camarão é da Luzia

Camarão da luzia

Era uma vez um restalrante com L...

É impossível falar do camarão da Luzia sem entrar nas fofocas sobre o camarão da Luzia. A poucos metros da Luzia, seu cunhado (e antigo funcionário) abriu, há alguns anos, o Restaurante do Antônio. Antônio certamente tem tino comercial muito melhor do que Luzia. Remunera melhor os guias e conseguiu disseminar a história de que ele seria, de fato, o autor da receita. Resultado: seu restaurante virou praticamente uma filial do Posto Graal no meio dos Lençóis Maranhenses.

Vou contar a minha história com o camarão da Luzia.

Em setembro de 2005, na primeira viagem aos Lençóis Maranhenses, eu cheguei a Atins pegando o passeio do rio Preguiças e negociando para ser deixado na outra margem (e buscado no dia seguinte). A última parada antes disso era em Caburé. Eu estava almoçando e, quando o garçom soube que eu iria a Atins, falou:

- Então você vai comer o camarão da Luzia, não vai?

2005, gente. 14 anos atrás. Depois do garçom de Caburé, mais duas pessoas comentaram comigo do camarão da Luzia, que era de outro mundo.

Cheguei a Atins e, juro, eu era o único turista na cidade. Tinha chovido pouco naquele ano e as lagoas de Atins estavam praticamente secas. O kitesurf ainda não tinha chegado. Havia duas ou três pousadas na cidade, e só.

Fiz um passeio às lagoas a cavalo -- era o único meio de transporte disponível. Paramos no restaurante da Luzia, cuja placa era grafada como Restalrante, com L.

Camarão da Luzia, 2005

Luzia em 2005

Não existia cunhado da Luzia. Era só a Luzia na cozinha. E o camarão era igualzinho. A persistência dessa mulher em preparar um camarão tão fora do padrão brasileiro num lugar tão remoto até hoje me assombra.

Não fui eu que descobri a Luzia. O restaurante já tinha sido listado pelo Guia 4 Rodas. (Acho que, no ano em que eu fui, não estava no guia, mas depois voltou.) Eu publiquei a minha história no Viaje na Viagem (ainda na época do Zip.net -- clique aqui e dê um F5 buscando o texto "Vou até ali movimentar uma economia e já volto"), e depois, na coluna que eu tinha na revista Época (Enquadra e pendura, Luzia).

O restaurante da Luzia pode não ter virado o posto Graal do cunhado (ainda bem), mas estava lotado na minha última visita. No salão, só vi clientes contentes. Um dos italianos que estavam no meu grupo queria repetir o prato, mas não dava pra fazer o pedido em cima da hora por causa dos outros agendados. Quase não consegui tirar Luzia da cozinha pra lhe dar um beijo. Sucesso, Luzia!

Voltar | Topo

8 comentários

Flavia Julião

Estivem nos Lençóis na semana de 16 a 23 de setembro . Quanto aos restaurantes da Luzia e Antônio, vá de Antônio !!! O dono da receita original é ele e também foi cozinheiro da irmã. Passamos primeiro pelo restaurante dela. Fomos tão destratados quando perguntamos se aceitavam cartão que demos meia volta e fomos ao concorrente, bem mais educado e amável.

Gabriel BF
Gabriel BFPermalinkResponder

O Boia, uma pergunta, no restaurante da Luzia existe a possibilidade de comer algo que não seja frutos do mar ou peixe, como carne, frango ?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabriel! Sim, certamente tem carne ou frango.

Gabriele
GabrielePermalinkResponder

Acabei de voltar e sem dúvida o melhor restaurantes que eu comi foi o Restaurante da Sese. Chegamos depois de um dia longo até a Lagoa Paraíso, e o motorista indicou. Chegamos no fim do dia, sem reserva, sem avisar (todos os outros pediram para avisar antes o que comer) e comi a melhor comida de Atins. A moqueca é inexplicável. O pirão imperdível. A macaxeira estava dos deuses. E a Sesé chegou na hora de nos servir, pq estava num mutirão "verde" recolhendo lixo das areias dos lençóis. É professora e faz muitos pelo social. Só por isso, já comeria de joelhos! e assim foi. Palmas para Sese.

Gabriele
GabrielePermalinkResponder

Outra opção que para mim foi incrível: na pousada Oceano Atins Casas de Charme, onde me hospedei por duas noites, sob reserva é possível jantar a comida da Chef Jenny, casada com o italianíssimo Antonio Testa, e um cardápio veramente italiano. Recomendo o Peixe na Manga. Outros pratos tão bons, mas o meu era disparado o melhor. Sob reserva, ou nada feito.

Patrícia
PatríciaPermalinkResponder

Te acompanho no rádio e sempre busco suas dicas na internet quando faço alguma viagem. Estou comovida com a história da Luzia, irei aos Lençóis agora no dia 26/07 até 03/08, claro que farei questão de comer o camarão da Luzia e, não o do Graal.
Um abraço.
Patrícia.

Valéria de Oliveira Lopes

Ricardo, de qual restaurante é essa pizza da foto? rs Vou pra lá no final de semana! Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Valéria! Quem responde é A Bóia. É La Pizza, em Atins.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar