Onde comer nos Lençóis Maranhenses 1

Guia dos Lençóis Maranhenses

Onde comer nos Lençóis Maranhenses

Onde quer que você esteja nos Lençóis Maranhenses, seu dia vai começar com uma tapioca fofinha, lambuzada na manteiga e enrolada feito panqueca, que fica divina dividindo o prato com um ovinho mexido. Tomara que o bolo seja de macaxeira — não há melhor (o bolo de leite, com consistência quase de pudim, também é mara).

No almoço e no jantar, um peixe frito com os acompanhamentos de praxe nunca vai decepcionar. Mas se puder, experimente as especialidades locais: camarões normalmente graúdos, deliciosas tortas de caranguejo, e as duas estrelas da culinária sertaneja: a galinha caipira ensopada e o cabrito no leite de coco.

Se for a Atins, não deixe de experimentar o camarão da Luzia.

Veja nesta página um guia de restaurantes dos Lençóis Maranhenses. Se preferir, clique para ir direto ao tópico:

Restaurantes em Santo Amaro

As melhores pousadas de Santo Amaro têm bons restaurantes, abertos a não-hóspedes. Se você estiver hospedado, escolha do cardápio com antecedência e marque um horário para ser servido. Se for passante, chegue sem pressa, peça um aperitivo, já sabendo que pode haver pedidos na sua frente de gente que ainda nem sentou à mesa.

Se houver no cardápio, não deixe de pedir como acompanhamento o arroz de cuxá, que só existe no Maranhão. É um arroz turbinado com vinagreira, que dá um azedinho, e microcamarõezinhos secos, que dão o salgadinho.

Outra receita típica da região é a camaroada, que leva leite de coco.

Pousadas na vila

Pousada Cajueiro

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Pousada Cajueiro, Atins

Na Cajueiro o restaurante é ventilado pela brisa do rio. Peça o peixinho fresco ou a camaroada. Se vier de dia, vai ter vista.
Cajueiro | R. Oswaldo Cruz, s/n | Tel. (98) 3369-1119 | Facebook

Pousada Água Doce

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Pousada Água Doce

O restaurante da Água Doce é um dos maiores e mais eficientes da vila. Tem um gostoso arroz de cuxá. A TV costuma estar ligada, aproveite para ver o jornal.
Água Doce | R. Oswaldo Cruz, s/n | Tel. (98) 3369-1105 | Instagram

Fora das pousadas

Lençóis Maranhenses: onde comer

O Restaurante do Gordo tem PFs e pratos mais elaborados, como o camarão graúdo na manteiga com arroz de cuxá.
Restaurante do Gordo | R. do Alecrim | Tel. (98) 98820-2417

O Sol de Amaro é vizinho da Água Doce e prepara ótima cozinha caseira, como esse arroz de mariscos da foto. Se estiver num grupo maior, peça a torta de caranguejo.
Sol de Amaro | R. Osvaldo Cruz, 9 | Tel. (98) 3369-1282 | Facebook

Depois do jantar, é de lei ir caminhando até a praça e fechar a noite com um sorvete na Casa do Picolé.
Casa do Picolé | Pracinha principal | Tel. (98) 98769-5654

Fora da vila

Pousada Rancho das Dunas

Onde comer em Santo Amaro: Rancho das Dunas

Fora do povoado, o (enorme) restaurante da Rancho das Dunas costuma ser usado para pit-stop de almoço por grupos voltando das lagoas de Santo Amaro. O cardápio é extenso e o serviço, superprofissional. Não deixe de fechar a refeição com uma das deliciosas mousses de bacuri ou graviola.
Rancho das Dunas | R. Olho d’agua, 11 | Tel. (98) 98769-5654 | Instagram

Restaurantes em Barreirinhas

Na beira-rio

Frutos de Goiás

Lençóis Maranhenses: onde comer

À noite, em Barreirinhas, não tem jeito: todo mundo acaba indo à beira-rio. Ao longo do bonito deck enfileiram-se restaurantes de cardápio variado e pratos, em sua maioria, para dividir. Alguns também servem em mesas no deck. (Ah, sim: e também tem um Subway.) De sobremesa, escolha um picolé de fruta do Cerrado ou da Amazônia na loja da Frutos de Goiás.
Frutos de Goiás | R. Beira Mar, 329 | Tel. (98) 3349-1223 | Instagram

O Jacaré

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: O Jacaré Barreirinhas

O Jacaré tem o ambiente mais interessante da beira-rio. Experimente o camarão no leite de coco ou no wok.
O Jacaré | Av. Beira Rio | Tel. (98) 98785-1965 | Instagram

O Bambu

Lençóis Maranhenses: onde comer -- O Bambu

O O Bambu é praticamente uma praça de alimentação num restaurante só: de sushi a pizza, o cardápio tem de tudo.
O Bambu | Av. Beira Rio, 203 | Tel. (98) 3349-0264

A Canoa

Seu vizinho Canoa é o mais concorrido do pedaço. O cardápio, extenso, tem filés, salmão e frutos do mar.
Canoa | Av. Beira Rio, 300 | Tel. (98) 3349-1724 | Instagram

Divino Cafeteria

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Divino Cafeteria

Numa das transversaizinhas do porto, a Divino Cafeteria serve tapiocas, sandubas, cuscuz, bolos e tortas. O café é bem tirado.
Divino Cafeteria | R. Professor Viana, 62 | Instagram

Fora do Centro

Bambaê

Bambaê

Caso você esteja em Barreirinhas na hora do almoço, não há melhor lugar para ir do que o Bambaê, nos fundos da pousada Encantes do Nordeste, à beira-rio. O robalo é pescado em Caburé. Aproveite para aproveitar a prainha, que é bem montada. Se vier à noite, há tambem a opção de pizza.
Bambaê | Av. Paulista, s/n | Tel. (98) 99167-3414 | Instagram

Porto Preguiças

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Porto Preguiças

Uma reserva para almoçar ou jantar no restaurante do Porto Preguiças serve de passaporte para conhecer o resort. O cardápio tem um pé no regional (carne de sol, cabrito, galinha caipira) e outro no mundo (paella, risotos, pizza). Como não poderia deixar de ser, a carta de vinhos é a mais completa da cidade.
Porto Preguiças | Estrada do Carnaubal, s/ns/ | Tel. (98) 3349 6050 | Instagram

Restaurantes em Atins

Na praia

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: restaurantes de praia em Atins

Se você for passar o dia na praia, os melhores apoios são o Restaurante do Rico, com boa comida, e a barraca Estresse Zero, que é mais pé na areia (e pode ter música ao vivo no fim de tarde).

Se você for até a ponta da praia e fizer sinal, o pessoal da Cabana da Isabel, que se mudou para a Ponta da Brasília, em mar aberto, atravessa o canal de barco para te buscar.

Restaurante do Rico | R. Principal s/n | Tel. (98) 99240-4054 | Facebook

Vila Guará

Um almoço tardio é a pedida também para aproveitar a boa cozinha da Vila Guará (e dar uma espiada na pousada, que é das melhores do pedaço). O restaurante também abre à noite, mas é bem mais fácil chegar de dia.
Vila Guará | R. Beira Mar S/N | Tel. (98) 99720-3720 | Instagram

Na vila

Muitas pousadas têm restaurantes próprios. Sair à noite, porém, é uma experiência e tanto: você anda por ruas de areia iluminadas apenas pela lua e pelas estrelas.

La Pizzeria

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: La Pizzeria

A pizza da La Pizzeria, na pousada Maresia, é feita com farinha de fermentação natural. Na última visita, porém, não achei nem o sabor nem o ponto de cozimento muito napolitanos, não. A pizza continua boa, mas pelo jeito se dobrou ao paladar do brasileiro, que prefere pizza menos azeda e mais assada. De todo modo, chegue cedo (tipo 19h), porque a base feita para o dia costuma acabar antes das 21h. Serve também massas e saladas.
La Pizzeria | R. Principal, 100 | Tel. (98) 98816-7265 | Site

Cajueiro

Lençóis Maranhenses: onde comer - Pousada Cajueiro

O restaurante da pousada Cajueiro também serve uma ótima pizza em forno a lenha (igualmente preparada por italiano), além de massas e pratos de pescados e frutos do mar.
Cajueiro | R. Oswaldo Cruz, s/n | Tel. (98) 3369-1119 | Facebook

Estrezzero Zero na vila

O Estresse Zero também tem um bar/restaurante na vila, com ambiente de botequim. Experimente as cachaças curtidas com ervas maranhenses.

Céu Aberto

Entre os restaurantes dos nativos, considere o Céu Aberto, com cardápio enxuto que muitas vezes traz pratos regionais fora do óbvio, como a moqueca de arraia e a torta de caranguejo.
Céu Aberto | R. Principal, Atins | Tel. (98) 98831-7087 | Facebook

Urra! Bier

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Urra Bier

Aberta em 2019, a cervejaria Urra! Bier produz pelo menos seis estilos de cerveja na casa (IPA, APA, stout, fruit beer, Weiss e Pilsen). No cardápio, burgers e pratos completos.
Urra! Bier | Av. Principal (em frente a Pousada da Tia Rita) | Tel. (98) 99146-3505 | Instagram

Camarão da Luzia

Restaurante da Luzia

Onde comer nos Lençóis Maranhenses: Camarão da Luzia

Comer camarão no Canto do Atins é o final praticamente obrigatório de qualquer passeio às lagoas de Atins. Os guias passam no início do passeio nos restaurantes para reservar a quantidade e o horário em que a refeição vai ser servida.

A responsável por transformar esse fim de mundo perdido no areal num point gastronômico é a Luzia, que prepara camarão de um jeito que você não vai comer em nenhum outro canto do Brasil.

Esqueça suas referências de camarão. O camarão à moda da Luzia não é esturricado, nem oleoso, nem cozido demais, como estamos acostumados Brasil afora, sobretudo em lugares simples. O camarão da Luzia é posto numa marinada com tempero secreto. Depois são cuidadosamente encaixados numa grelha fechada, dessas de assar peixe, e vão para a brasa por pouquíssimo tempo. Chegam à mesa num ponto sensacional, ainda al dente porém tenros pela marinada, e descolando naturalmente da casca (atualmente, inclusive, já chegam sem casca à mesa).

A iguaria é servida com acompanhamentos simples — arroz, feijão, farinha grossa, salada de tomate. De sobremesa, doces caseiros. Depois, dá para usar as redes para descansar. Não perca!
Restaurante da Luzia | Canto do Atins, s/n | Tel. (98) 98709-7661 | Facebook

O camarão é da Luzia

Camarão da luzia

É impossível falar do camarão da Luzia sem entrar nas fofocas sobre o camarão da Luzia. A poucos metros da Luzia, seu cunhado (e antigo funcionário) abriu, há alguns anos, o Restaurante do Antônio. Antônio certamente tem tino comercial muito melhor do que Luzia. Remunera melhor os guias e conseguiu disseminar a história de que ele seria, de fato, o autor da receita. Resultado: seu restaurante virou praticamente uma filial do Posto Graal no meio dos Lençóis Maranhenses.

Vou contar a minha história com o camarão da Luzia.

Em setembro de 2005, na primeira viagem aos Lençóis Maranhenses, eu cheguei a Atins pegando o passeio do rio Preguiças e negociando para ser deixado na outra margem (e buscado no dia seguinte). A última parada antes disso era em Caburé. Eu estava almoçando e, quando o garçom soube que eu iria a Atins, falou:

– Então você vai comer o camarão da Luzia, não vai?

2005, gente. 14 anos atrás. Depois do garçom de Caburé, mais duas pessoas comentaram comigo do camarão da Luzia, que era de outro mundo.

Cheguei a Atins e, juro, eu era o único turista na cidade. Tinha chovido pouco naquele ano e as lagoas de Atins estavam praticamente secas. O kitesurf ainda não tinha chegado. Havia duas ou três pousadas na cidade, e só.

Fiz um passeio às lagoas a cavalo — era o único meio de transporte disponível. Paramos no restaurante da Luzia, cuja placa era grafada como Restalrante, com L.

Camarão da Luzia, 2005

Não existia cunhado da Luzia. Era só a Luzia na cozinha. E o camarão era igualzinho. A persistência dessa mulher em preparar um camarão tão fora do padrão brasileiro num lugar tão remoto até hoje me assombra.

Não fui eu que descobri a Luzia. O restaurante já tinha sido listado pelo Guia 4 Rodas. (Acho que, no ano em que eu fui, não estava no guia, mas depois voltou.) Eu publiquei a minha história no Viaje na Viagem (ainda na época do Zip.net — clique aqui e dê um F5 buscando o texto “Vou até ali movimentar uma economia e já volto”), e depois, na coluna que eu tinha na revista Época (Enquadra e pendura, Luzia).

O restaurante da Luzia pode não ter virado o posto Graal do cunhado (ainda bem), mas estava lotado na minha última visita. No salão, só vi clientes contentes. Um dos italianos que estavam no meu grupo queria repetir o prato, mas não dava pra fazer o pedido em cima da hora por causa dos outros agendados. Quase não consegui tirar Luzia da cozinha pra lhe dar um beijo. Sucesso, Luzia!

Receba a Newsletter do VNV

Serviço gratuito

11 comentários

Vi uma matéria no domingo espetacular de 28/02/21 sobre os lençóis maranhense e fiquei babando. Como faço pra chegar nesse lugar que o repórter da Record foi?

Ricardo, de qual restaurante é essa pizza da foto? rs Vou pra lá no final de semana! Obrigada!

Te acompanho no rádio e sempre busco suas dicas na internet quando faço alguma viagem. Estou comovida com a história da Luzia, irei aos Lençóis agora no dia 26/07 até 03/08, claro que farei questão de comer o camarão da Luzia e, não o do Graal.
Um abraço.
Patrícia.

Outra opção que para mim foi incrível: na pousada Oceano Atins Casas de Charme, onde me hospedei por duas noites, sob reserva é possível jantar a comida da Chef Jenny, casada com o italianíssimo Antonio Testa, e um cardápio veramente italiano. Recomendo o Peixe na Manga. Outros pratos tão bons, mas o meu era disparado o melhor. Sob reserva, ou nada feito.

Acabei de voltar e sem dúvida o melhor restaurantes que eu comi foi o Restaurante da Sese. Chegamos depois de um dia longo até a Lagoa Paraíso, e o motorista indicou. Chegamos no fim do dia, sem reserva, sem avisar (todos os outros pediram para avisar antes o que comer) e comi a melhor comida de Atins. A moqueca é inexplicável. O pirão imperdível. A macaxeira estava dos deuses. E a Sesé chegou na hora de nos servir, pq estava num mutirão “verde” recolhendo lixo das areias dos lençóis. É professora e faz muitos pelo social. Só por isso, já comeria de joelhos! e assim foi. Palmas para Sese.

O Boia, uma pergunta, no restaurante da Luzia existe a possibilidade de comer algo que não seja frutos do mar ou peixe, como carne, frango ?

Estivem nos Lençóis na semana de 16 a 23 de setembro . Quanto aos restaurantes da Luzia e Antônio, vá de Antônio !!! O dono da receita original é ele e também foi cozinheiro da irmã. Passamos primeiro pelo restaurante dela. Fomos tão destratados quando perguntamos se aceitavam cartão que demos meia volta e fomos ao concorrente, bem mais educado e amável.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.