Dubai da janela

Dubai da janela

Gilberto Gil uma vez disse que gostava de andar de carro pela Marginal Pinheiros, na margem oposta ao centro. O trajeto por ali, como ele bem observou, funciona como um traveling de cinema pelo skyline do centro de negócios de São Paulo.

Dubai da janela

Esse é um efeito que normalmente precisa do espaço proporcionado por um espelho d’água para dar certo. Da margem oposta de um rio, ou passeando de barco, você experimenta essa sensação cinematográfica.

Dubai da janela

Em Dubai não é preciso nada disso. Basta andar de táxi pela avenida Sheik Zayed (que eu só consigo chamar de Chucri Zaidan, paulistanos entenderão) que os vários skylines de Dubai desfilarão pelo seu caminho.

Dubai da janela

A propósito — táxi em Dubai é surpreendentemente acessível, levando-se em conta as distâncias. De Dubai Marina, na ponta norte da cidade, onde estou, até o Mall of the Emirates, no meio do caminho para o centro, dá 8 dólares. Do aeroporto até o meu hotel, pelo taxímetro, deu menos de 30 dólares. Bastante razoável.

Dubai da janela

Os travelings janelísticos também rolaram ontem na viagem de ônibus ao estádio de Abu Dhabi. Cada obra neofaraônica, acabada ou não, é um gigantesco outdoor.

Abu Dhabi da janela

Abu Dhabi da janela

Abu Dhabi da janela

Ontem fomos à velha Dubai, ciceroneados pela Ana Karina (Karinissima/ALibanesa). E a partir de hoje vamos visitar os personagens apresentados no trailer da janelinha. Té mais!

Dubai da janela

Leia mais:


25 comentários

Ricardo
gostei muito dos teus comentários sobre Dubai e, em especial, aquele depois da derrota no primeiro jogo.
Foi um prazer te encontrar lá, pois já sou teu fã de carteirinha. Não sabia que eras colorado e acho isso muito legal.
Gostaria do teu email para mandar a foto que tirei contigo.
Abaixo o comentário que mandei aos amigos após o retorno.
Grande abraço
Léo

Meus amigos

O Internacional só me proporciona alegrias.

Acabo de voltar de Dubai, onde nosso time, na condição de Campeão da Libertadores, esteve disputando o Mundial de Clubes.

É o único time gaúcho a disputar o mundial de clubes da FIFA. Em 2006 foi CAMPEÃO MUNDIAL FIFA vencendo ao Barcelona no Japão. Eu estava lá.

Agora, junto com outros 8.000 mil colorados, invadimos Dubai e vivemos dias inesquecíveis.

Só quem é colorado tem oportunidade de ver uma cidade do golfo pérsico vestir-se de vermelho e confraternizar com amigos no outro lado do mundo. Foi indescritível.

Perdemos para o campeão da África e ficamos fora da final. É ruím. Colorado não está acostumado a perder. Quem já foi duas vezes da segunda divisão é mais afeito à derrota.
Mas só está lá quem vence. Nós vencemos a Taça Libertadores, a Recopa, a Sulamericana (único time brasileiro até hoje) e o Mundial de 20006.
Nós torcemos pelo NOSSO time.

Por falar em Sulamericana teve um grupo de gaúchos que torceu como ninguém na final deste campeonato. Para variar, torceu para outros times, pois para o próprio não pode torcer, pois não estava disputando. Como sempre. Agora no mundial de clubes também torceram para outro time. Por isso o anúncio publicado nos classificados do último domingo:

EMPRESA QUE EXPLORA ESTACIONAMENTO PROCURA FUNCIONÁRIO.
Requisitos:
CNH com mais de 2 anos.
Instrução secundária.
Ser gremista.

O Ministério Público do Trabalho foi investigar se estava havendo discriminação e veio a explicação da empresa.

Os gremistas são os melhores funcionários.
Pois, mesmo não tendo carro, gostam de curtir os carros dos outros.
E comemoram muito quando conseguem uma vaga.

Com todo o respeito pela honrada e operosa categoria profissional dos manobristas, mas esse espírito flanelinha do pessoal da Azenha é muito deprimente.

Os três jogos mais importantes deles foram: Ganhar do timeco do Náutico, secar o Goiás e torcer contra nós em Abu Dahbi. Que tristeza.

Enquanto isso, os colorados viajam pelo mundo, conhecem lugares interessantes, acumulam títulos e curtem a alegria de ser um time vencedor.

Esse ano não conseguimos o bi-mundial FIFA, mas todos sabem que logo estaremos outra vez lá e traremos este troféu, outra vez.

Por falar nisso, sabem quem é MARCOS ANTONIO DE LIMA?
É o Índio, zagueiro do Inter.
Pois saibam que ele sozinho tem mais títulos internacionais pelo Colorado, do que o Grêmio em toda sua história.
Vejam só: Campeão mundial FIFA, bi-campeão da Libertadores, campeão da Sul-Americana, campeão da Recopa, Campeão do Copa Dubai, Campeão da Taça Suruga, afora alguns campeonatos locais.

Puxa, quando apenas um jogador do nosso time tem mais conquistas internacionais que o time deles em mais de 100 anos, a gente começa a entender a vibração deles com a vitória do Mazembe.

Tenho ótimos amigos gremistas, mas reconheço que é difícil para eles. Basta dizer que enganam a própria torcida com a tal batalha dos aflitos, por isso a frase definitiva:

“No momento em que o Grêmio escolheu a vitória contra um medíocre time da segunda divisão como um dos momentos mais importantes de sua história,
selou definitivamente o seu destino”.

Uma vez sengundona, outra vez segundona, o espírito fica para sempre de segundona…

O Inter conquista a América e o Mundo. Eles nunca disputaram um Mundial FIFA. Por tudo isso, é que dizemos:

Colorado, Colorado
nada vai nos separar,
somos todos teus seguidores,
para sempre eu vou te amar.

Está encerrando 2010 e podemos dizer: Valeu Inter, valeu o bi da América e valeu competir, outra vez, o Mundial de Clubes da FIFA.

Internacional – Campeão de tudo.

Parabens galera e um orgulho ser soçio deste grande clube que ja esta entre os 4 melhores do mundo o pior que nao estou acostumado com derrotas ea ficha demora para cair mas isto aconteçe com os grandes mas nao diminui em nada a grandeza deste apaixonado clube. Obrigado por tudo campeao de tudo de primeira e que sempre pense grande porque de pequenos ta cheio por ai so assistindo. Valeu INTERNACIONAL o maior clube da decada BRASILEIRA.

Leio sempre o Juca também, e quando vi a chamada para seu post lá, achei legal prá caramba – afinal, 1 cara que admiro muito se revela também ele um fã seu (ou ao menos acompanhou aquele em particular).
È uma pena que um ato tão simples causou tanta confusão por aqui… mas infelizmente o futebol ainda faz o povo perder a cabeça.

Bom: parabéns pelo post – mostra que apesar da dureza da derrota, isto está loooonge de ser o fim do mundo. Por outro lado, não tem como escapar da gozação mesmo hehehe.

Saudações tricolores-tricampeões.

Parabéns por este post também, belo e interessante.

Mas vim aqui cumprimentá-lo, mesmo, sobre o post “a mais bela das derrotas”, ao qual cheguei a partir da mais que merecida citação no Blog do Juca Kfouri.

Lamento pelos comentários estúpidos que, pelo que li, foram feitos por aqui; basta ignorá-los, de fato. Mas muitos parabéns pela poesia e racionalidade com que relataste a invesão colorada – 5 a 10 mil pessoas é um número que realmente impressiona, e muito!! A torcida do Inter está de parabéns, assim como o clube também está por ter chegado onde chegou. Pena não ter vencido desta vez, mas vencerá uma próxima, pois é um clube vencedor.

Infelizmente, meu time – o Guarani FC, de Campinas, que já pretendeu ser grande um dia – não me permite ambicionar sequer títulos estaduais ou nacionais para os próximos anos. De todo modo, saudações bugrinas!!

Abs, Rogério.

Que lugar bonito! E a cidade ficou muito bonita com o vermelho da torcida aí! Não sou colorado, mas senti que a final não seja duelo de Inters…Mas, ainda vou conhecer esse lugar!

Adorei essa silhueta na antepenultima foto! Eu fico só babando aqui na Wealth TV com esses prédios de Dubai! Não sou paulistana, mas entendi o Chucri Zaidan, só porque trabalhei lá por 2 anos… num prédio q por sinal, não faria feio em Dubai.
Continue curtindo por aí, que a gente vai de carona aqui!

Curta bastante e vai postando tudo, to viajando muito nesta sua viagem!! rs E olha que eu tenho um preconceito horroroso com os Emirados Arabes, acho tudo beleza fabricada…

bjs

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.