Primeira viagem a Bariloche: roteiro completo

Bariloche

Este é o post para você que sonha em visitar Bariloche pela primeira vez –e também para você que quer voltar e curtir a cidade ainda mais.

–> Qual é a melhor época do ano para visitar Bariloche?

Se você pretende conhecer a neve e até se aventurar praticando algum esporte ou atividade de neve, deve vir entre julho e setembro. Quanto mais tarde em julho, mais chances de ver neve (em alguns anos a primeira nevasca demora um pouco para cair). Os dias são mais curtos e o vento gelado sopra a todo o vapor. Nessa época a cidade fica ainda mais tomada por turistas brasileiros, uma festa tupiniquim em terras argentinas.

Maio, junho e julho são os meses mais chuvosos na região segundo o gráfico de precipitações do Weather.com. (É bom lembrar que neve é chuva que congela.)

Chuvas Bariloche

Mas será que neva em Bariloche em junho? Você deve estar se perguntando… É difícil prever, eu não contaria com isso ao agendar uma viagem para Bariloche nesse período. As aberturas das temporadas de esqui no hemisfério Sul têm começado em julho, com datas diretamente ligadas às nevascas nas semanas anteriores em cada estação de esqui.

No verão os dias costumam ser mais longos e ensolarados, com poucas chuvas e clima mais ameno.

Temperatura Bariloche

Leia mais> Como pesquisar temperatura e chuvas no exterior

–> Atividades no verão

Bariloche

As condições climáticas no verão são ideais para a prática de atividades ao ar livre como caminhadas, golf, passeios de bicicleta, escaladas, esportes náuticos e passeios de barco. Aliás, a programação pode ser bem intensa em Bariloche no verão se você gosta de contato com a natureza.

São diversos circuitos de trekking em meio a florestas, estepes e até mesmo no Cerro Tronador (Glacial); a caminhada nesse cerro é leve e ainda é possível observar algumas quedas d’água que aparecem nas falhas das rochas.

bariloche

Passeios a cavalo, observação de aves e pesca esportiva também fazem parte dos programas de verão em Bariloche. Mas as atividades ainda não param por aí: para os mais aventureiros é possível fazer rafting nos rios que cercam a cidade, parapente, arvorismo e mergulho. Ufa.

Veja como foi o rafting pelo Rio Limay que a Rapha Aretakis do blog Rapha no Mundo fez:

Bariloche sem neve: rafting

–> Qual é a melhor região para eu me hospedar em Bariloche?

Bariloche

Por ser um pólo turístico, Bariloche tem uma estrutura hoteleira bem diversificada. São inúmeros tipos de acomodação: desde hotéis de luxo, hotéis intermediários e até pousadas, cabañas, albergues e campings. No auge da temporada de inverno, quando todos os hotéis parecem estar bloqueados pelas operadoras brasileiras, o viajante independente ainda pode encontrar a sua cabaña (apartamentos ou casinhas equipados com cozinha, que funcionam como um flat).

–> No centro ou na estrada?

A dúvida que persiste: procurar por um hotel no Centro, com todos os restaurantes e lojinhas na porta do seu hotel, ou na avenida Bustillo, que leva para o Cerro Catedral e para o Parque Nacional Nahuel Huapi?

Funciona igualzinho a Foz do Iguaçu, onde também há hotéis na cidade e na estrada que leva ao parque (leia: “Onde ficar em Foz? No Centro ou na estrada?”). A única diferença é que em Bariloche você encontrará mais restaurantes na estrada…

Bariloche

Os melhores hotéis da cidade atualmente ficam ao longo da estrada — mas ao optar por se hospedar nessa região, tenha em vista que para se locomover, você dependerá praticamente o tempo todo de remis (uma espécie de táxi com corridas acertadas previamente), ônibus ou de um carro alugado para chegar ao Centro.

Já no centro de Bariloche ficam os hotéis um pouco mais antigos, que demandam um cuidado extra para escolher. Entretanto, a principal queixa de quem se hospeda nessa região é o barulho que os adolescentes, que estão aproveitando sua viagem de formatura, fazem ao voltar de madrugada da balada. Isso pode incomodar quem tem o sono muito leve.

Villa Huinid, Bariloche

Eu fiquei no Villa Huinid Lodge no km 2,6 da Avenida Bustillo e gostei da localização. (Atenção: a quilometragem indica exatamente a distância ao centro. Este hotel fica a dois quilômetros e meio da cidade). O café da manhã era farto, o pessoal da recepção atencioso, sempre chamando prontamente os remises quando eu precisava, e a infraestrutura correspondia bem às expectativas de um hotel desse porte.

bariloche hotel

bariloche cafe da manha hotel

Leia mais: Hotéis em Bariloche e região: os relatos dos leitores

–> Qual moeda eu levo para Bariloche?

Bariloche

A fórmula do sucesso é basicamente a mesma de uma viagem para Buenos Aires. Faça saques em pesos da sua conta corrente ou do seu VTM sempre que necessário (no centro da cidade você encontra vários caixas eletrônicos). Não recomendamos fazer câmbio paralelo (o risco de receber notas falsas é enorme), mas vale a pena trazer dólares para usar no comércio (lojas e restaurants). Em agosto, encontrei um restaurante oferecendo 5,50 pesos para cada dólar gasto (a cotação nas casas de câmbio era de 4,60).

Leia mais: Que moeda eu levo para Argentina?

–> Como se locomover em Bariloche? Carro alugado, remises ou trânsfers das agências locais?

bariloche como se locomover

Em Bariloche dois tipos de transporte são muito comuns entre os turistas: os trânsfers privados oferecidos pelas agências locais e o remises, que são um tipo de táxi com preço fechado e sem taxímetro. O táxi dentro da cidade não é caro: do km 3 da Bustillo ao centro eu paguei, em agosto de 2012, 30 pesos (6 dólares). De remis saía 20 pesos (4,50 dólares).

O táxi que me trouxe do aeroporto de Bariloche até o meu hotel, no km 3 da avenida Bustillo, custou cerca de 110 pesos (24 dólares pela cotação oficial da época);  os remises cobrariam cerca de 70 pesos pela mesma corrida (16 dólares).

Para conseguir utilizar o transporte público, é preciso comprar um cartão que custa 15 pesos e carregá-lo com quantos pesos forem necessários para o total de viagens que você pretende fazer. Em agosto de 2012, cada viagem custava 3,75 pesos. Esse cartão é vendido em algumas lojas do centro da cidade. Pelo mapa, aparentemente todas as principais atrações de Bariloche são servidas por essas linhas de transporte público. Mas na prática, não consegui testar o quão eficiente e rápido é esse meio de transporte.

Caso você contrate os passeios diretamente numa agência de receptivo, você não precisará se preocupar com o transporte: os trânsfers estão incluídos no valor dos passeios. Neste caso, você só vai depender do dos remises ou táxis quando quiser ir ao centro ou jantar em algum restaurante ao longo da rodovia.

Se você procura um pouco mais de liberdade e não gosta do pinga-pinga inevitável das vans nos hotéis ou aquele 5 segundos de negociação do valor da corrida com o motorista do remis, alugar um carro pode ser um opção válida, desde que as estradas não tenham as suas condições afetadas por conta de alguma nevasca. O carro pode proporcionar maior conforto para quem viaja em família e segue um ritmo diferente ou para quem prefere ter mais autonomia quanto à definição do percurso e a sua duração.

–> Onde comprar? Explorando o Centrinho e a calle Mitre

bariloche chocolate

As lojas que mais chamam a atenção do turista ficam espalhadas pela calle Mitre, no centro de Bariloche. São diversas lojas de roupas de inverno, sapatos, aluguel de equipamentos, chocolates patagônicos e souvenirs.

Fique atento, não sei se a culpa é da inflação ou da alta procura, mas alguns produtos custavam tanto quanto aqui no Brasil. Quem sabe no final da temporada você não encontra uma boa promoção?

Ao caminhar pelas lojas que alugam roupas de frio, não estranhe caso lhe orientem a comprar um par de luvas e não a alugar. Conversei rapidamente com a gerente de uma loja e ela me disse que, desde o surto de H1N1, muitas lojas pararam de oferecer o aluguel de luvas, pois é algo muito íntimo e podem não ser lavadas com a mesma freqüência que os casacos, por exemplo O.0

–> Programas românticos

bariloche chá llao llao

Viagem a dois? Lua de mel? Que tal incluir um programa romântico entre um passeio na neve e outro?

bariloche chá llao llao

O chá da tarde no famoso hotel Llao Llao é uma agradável opção para quem procura algo diferente no fim de tarde em Bariloche. Os doces são pura tentação :P Não apareça de surpresa, é importante fazer uma reserva. Chegando no hotel de remis ou táxi, já agende o seu retorno, pois o pessoal da recepção, ao contrário da equipe que serve o chá, não é muito simpático com quem não está hospedado no hotel e solicita esse tipo de auxílio.

bariloche chá llao llao

E, se você procura um hotel romântico mas menos aristocrático que o Llao Llao, inclua nos seus itens de pesquisa o hotel Charming. Ele não fica tão longe do centro da cidade como o Llao LLao, mas ao mesmo tempo fica numa região muito bonita e tranquila da avenida Bustillo.

–> Programas com crianças

bariloche programas com crianças

Pode parecer mais um clichê dos textos de turismo, mas Bariloche realmente tem programas e atrações para toda a família. O Cerro Catedral tem uma estrutura preparada para receber os pequenos e o grandinhos também e garantir bons momentos para a família. O teleférico do Cerro Campanário também é diversão garantida, assim como o esquibunda em Piedras Blancas (inevitável crise de risadas :P ) e o passeio de barco até a Ilha Vitória e o Bosque de Arrayanes.

E você? Tem alguma dica especial para quem quer conhecer Bariloche junto com a turminha do barulho? ;)

–> Restaurantes em Bariloche

bariloche restaurantes

Fui para Bariloche com algumas dicas de restaurantes mais descolados e gourmets anotadas no meu caderninho. Ao chegar na cidade descobri que alguns desses restaurantes não suportaram a crise pós vulcão e acabaram fechando suas portas, como é o caso do muito bem resenhado Naan. Outros restaurantes, como o Don Molina, ao ficarem famosos e passarem a atender muitos turistas, deixaram a peteca cair de acordo com alguns comentários locais.

Para quem gosta de alta cozinha internacional, o pequeno restaurante Butterfly pode ser uma ótima pedida. Ele foi bem indicado por alguns moradores mas infelizmente eu não consegui uma reserva.

Na minha última noite na cidade, aproveitei para conhecer o famoso, e aprovado pelo Bill Clinton O.0, El Patacon. O restaurante tem um menu variado com diversos cortes de carne típicos patagônicos, opções para vegetarianos e celíacos (uma alternativa bacana para quem tem problemas com restrição alimentar). Os pratos são bem servidos e, se você não é tão bom de garfo assim, é até possível dividir as porções ;)

bariloche chocolate

Procurando outras dicas de restaurante em Bariloche? Não deixe de ver esses posts:

Chocolaterias e outros restaurantes nos Destemperados

Restaurantes: procurando Palermo em Bariloche

Cerveza Berlina no Rapha no Mundo

Você tem algum segredinho local para dividir conosco e deixar a viagem ainda mais saborosa?

Hotel Llao Llao, Bariloche

–> Outros passeios para uma primeira, segunda ou quinta visita :)

A lista de passeios e atividades ao ar livre em Bariloche é muito variada. Desta vez tive a oportunidade de fazer os passeios mais tradicionais e conhecidos entre os turistas brasileiros. Entretanto, se eu tivesse mais alguns dias livres ou se puder retornar à região no futuro, já tenho em mente quais outros passeios eu gostaria de fazer:

- Cerro Tronador e a Cascata los Alerces. A vista da geleira e todo percurso até ela deve ser muito bonito e com formações rochosas um pouco diferentes das vistas em outros Cerros. Leia mais sobre o passeio no blog Viagens e Andanças da Camila Guerra (e babe nas fotos): Cerro Tronador e Ventisquero Negro, Bariloche

- Circuito Grande. É passeio pelos 7 lagos da região até a Vila Angostura.

- Cerro Leones e suas cavernas diferentes.

-  El Bolsón e Lago Puelo

- Cerro Bayo, o centro de esqui de Angostura.

–> Se o frio apertar…

bariloche roupas de frio

Agasalhe-se da maneira correta: abuse das jaquetas “corta-vento”, capriche no hidratante e protetor labial e siga as dicas dos posts abaixo. Apesar de falarem sobre inverno na Europa, as dicas também são válidas para o inverno em Bariloche ;)

Férias no inverno: como não passar frio

No ar: Vai por mim | Europa no frio

–> Baladas?

bariloche bar do gelo

O mais próximo que eu cheguei do circuito de baladas da cidade, foi visitar, a convite da Emprotur, o bar do gelo recém-inaugurado no hotel Panamericano no centro da cidade. A entrada custa 130 pesos para quem não está hospedado no hotel e eles prometem abrir o ano todo.

Você que é da turma da balada, indica algum lugar legal para quem quer cair na noite pós esqui em Bariloche? Deixe sua dica na caixa de comentários e faça uma bóia feliz :)

Quer dividir alguma dica especial para dividir com os nossos leitores? A caixa de comentários é toda sua =) Vale dizer qual é o seu chocolate favorito, o restaurante que você mais gostou, o passeio que mais lhe surpreendeu, o hotel bacana ou nem tão bacana assim que você ficou… A tripulação agradece!

Mais Bariloche no Viaje na Viagem:

Circuito Chico, a introdução clássica a Bariloche

Como funciona o Cerro Catedral, a estação de esqui de Bariloche

Bariloche: de barco a Puerto Blest e Cascata dos Cântaros

Bariloche: teleférico e esquibunda no Cerro Otto

Bariloche: como é o passeio Noche Nórdica

Piedras Blancas, um dos passeios mais engraçados de Bariloche

Bariloche: o que esperar do finzinho do inverno

Bariloche sem neve: bonito de todo jeito

2 países, 3 barcos, 4 ônibus: como é o Cruce de Lagos

Villa La Angostura com crianças: os relatos do Amaro e da Ana

Restaurantes: procurando Palermo em Bariloche

San Martín de Los Andes: Rota dos 7 Lagos e Paso Córdoba

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


515 comentários para “Primeira viagem a Bariloche: roteiro completo”

  1. Olá Bóia, vi em algum lugar do site, mas não lembro onde, já olhei em vários posts e não encontrei. Uma indicação para achar neve no final de junho. Só lembro que começava com Cerro, mas não lembro o resto. Já li tb sobre as roupas a serem usadas para esquiar, que podemos alugar lá, mas não encontrei dicas do que levar para usar durante o dia em outros lugares. Como nunca fui para um lugar frio que tenha neve, estou com dúvidas. Poderia me ajudar? Obrigada desde já.

    1. Olá, TCris! É no Cerro Castor, em Ushuaia:
      http://www.viajenaviagem.com/2012/07/cerro-castor-ushuaia-esqui/

  2. Obrigada. E quanto as roupas? Algum post que eu pudesse olhar? Já li sobre as roupas de esqui para alugar, mas as do dia-a-dia? Abraços.

  3. Vou a Bariloche do dia 20 a 26 de Agosto/14.Vou ficar hospedada no lago gutierrez lodge.Gostaria de saber se fica muito longe do centro, e indicações se este lugar é bom.

    1. Olá, Sandra! O hotel fica a 20 minutos de carro do centro. Leia depoimentos de ex-hóspedes do Lago Gutierrez Lodge no Booking.

      E, na próxima viagem, não se esqueça de pesquisar antes de reservar ;)

  4. vou a bariloche em julho , tenho dúvida de com que roupa desembarcar no aeroporto e as roupas para andar na cidade. ref. a gripe como funciona as pessoas costumam tomar alguma precaução

    1. Olá, Mirtes! Se você continua paranóica com a gripe de quatro anos atrás, leve álcool gel.

      O ideal é ir com o casaco mais pesado que você tiver e comprar lá um casaco de penas de ganso (naturais ou sintéticas) como este aqui:
      http://www.viajenaviagem.com/2011/11/piumino-voce-ainda-vai-ter-um/

1 ... 3 4 5

ATENÇÃO:
Antes de perguntar, veja se a dúvida já não está respondida no texto. Perguntas redundantes e comentários em maiúsculas serão apagados. Obrigado!