Amsterdã a pé: roteiro para a mais bonita caminhada pelos canais

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Amsterdã: caminhada pelos canais

post64-sup2016

Amsterdã é dessas cidades feitas para você se perder e fazer suas próprias descobertas ao acaso. Mas... e se você não tiver tempo para se perder? Ou se você preferir primeiro se localizar, pra depois se perder com mais propriedade? Em qualquer um desses casos, esse roteiro de caminhada pelos canais vai levar você pelo filé da área central de Amsterdã. Garanto para você uma seqüência de oh!s e no mínimo uns três ou quatro uau!s.

Quanto tempo leva esta caminhada pelos canais?

O itinerário completo, com visitas às atrações no caminho (Casa de Anne Frank, Museu da Casa-Barco, Begijnhof, Sinagoga Portuguesa, Museu-Casa de Rembrandt) pode tomar um dia inteiro de sólida turistagem.

Se você não fizer nenhuma das visitas, pode completar o circuito com calma em quatro horas, com paradas para reabastecer.

Fazendo a linha The Flash, dá para percorrer os 6 km em menos de duas horas. Mas não corra! Não vale a pena.

O que você NÃO vai ver nessa caminhada pelos canais

Este roteiro passa longe da Museumplein, onde estão os museus mais visitados de Amsterdã, e não é nada prático para encaixar a Heineken Experience.

Caminhada pelos canais de Amsterdã: um roteiro prático

Nosso ponto de partida é a estação Centraal, destino da maioria dos bondes que circulam pelo centro. Caso você vá visitar a Casa de Anne Frank, programe a saída para pelo menos 90 minutos antes da hora marcada da visita (assim você vai ter tempo de fazer pelo menos uma paradinha para tomar café, sem pressão do relógio).

Do portão principal, saia pela direita, na direção do Ibis. Antes de chegar ao Ibis, vire à esquerda e atravesse a pontezinha. Você vai passar ao lado de um posto de venda de passeio de barco. Atravesse a avenidona até a calçada do Café Capershoek. Siga pela direita. Te prometo que rapidinho a gente deixa esse burburinho para trás.

Uma quadra adiante, tcharam: chegamos ao canal Singel. Atravesse para a outra margem.

Amsterdã: caminhada pelos canais

Siga à esquerda. Você vai passar uma rua que pode ser útil nos próximos dias: a Haarlemmerstraat tem restaurantezinhos simpáticos e baratos para uma refeição sem maiores pretensões.

Amsterdã: caminhada pelos canais

Mais um pouco e você chega ao Brouwersgracht, primeiro momento Roberto Carlos (quando eu estou aqui/eu vivo esse momento lindo) do passeio. Nas próximas três quadras, você vai passar por mais três cruzamentos de canais, já que o Brouwersgracht cruza com o Herengracht, o Keizersgracht e o Prinsengracht. A gente mal começou a caminhada, e você já pode ser acometido por uma súbita overdose de canais.

Amsterdã: caminhada pelos canais

Amsterdã: caminhada pelos canais

(Sim: conforme você deve ter intuído, 'gracht' quer dizer canal. Eventualmente você verá algum 'gracht' que foi aterrado e virou rua, mas a maioria continua navegável. Caso você faça questão de falar direito, a pronúncia é RRRR-rá-RR-t -- o "g" tem som de "r" gutural, o segundo "r" é fraco, como em "aroma", e o "ch" também é pronunciado na garganta, mas um pouco menos gutural que o "g". Ou assim me soa...)

Amsterdã: caminhada pelos canais

Amsterdã: caminhada pelos canais

No Prinsengracht, atravesse para a outra margem e vire à esquerda.

Amsterdã: caminhada pelos canais

Em apenas uma quadra você chega à Noordermarkt, a praça da igreja Noordenkerk. Se for segunda-feira, você vai encontrar um pequeno mercado de pulgas; se for sábado, é a vez da feira de produtos orgânicos. O Café Proust é a sua primeira opção de pausa no roteiro.

Amsterdã: caminhada pelos canais

A próxima esquina é a da Westerstraat. Anote o nome e a localização: esta é uma das melhores portas de entrada para o bairro do Jordaan, onde você deverá voltar outro dia para passar em revista as lojinhas ou escolher um restaurantezinho charmoso. Na esquina com a praça, outra alternativa de pit-stop: o café Winkel 43, cuja torta de maçã causa uma fila permanente na porta.

Amsterdã: caminhada pelos canais

Siga em frente apreciando as belezuras do Prinsengracht.

(Se estiver com tempo para um desvio de 15 minutinhos, dê uma escapadinha do Prinsengracht na próxima ponte à esquerda, que vai dar na Prinsenstraat. Continue até o Singel, então vire à direita e suba de volta ao Prinsengracht pelo canal Leliegracht, que é a próxima à direita. Chegando de novo ao Prinsengracht, volte meia quadra para retomar o passeio à altura do próximo parágrafo.)

Amsterdã: caminhada pelos canais

Uma quadra antes da casa de Anne Frank, quem estiver na margem oposta vai ver um dos canais mais bonitos do passeio: o Egelantiersgracht. Sortudo de quem conseguir uma mesa à beira-canal no 't Smalle.

Casa de Anne Frank Amsterdã

Não falei que a gente ia levar pelo menos uma hora e meia até a Casa de Anne Frank? (Se você for do tipo superflanador/parador, talvez vslha a pena iniciar a caminhada duas horas antes da hora marcada no seu ingresso. Mas qualquer problema com horário é facilmente ajustável: a partir do Brouwersgracht, lá no início do post, você estará a no máximo 15 minutos de caminhada do museu. Pode interromper a caminhada a qualquer momento e retomar de onde parou. Se chegar muito antes da hora, também dá para continuar o circuito, voltar para a visita e depois seguir de onde interrompeu.

Casa de Anne Frank: compre o ingresso com antecedência

      Até as 15h30, só quem tem ingresso com hora marcada pode visitar a

Casa de Anne Frank

      . E depois das 15h30, a fila é dureza. O museu abre diariamente, só fecha no Yom Kippur. Veja mais informações

aqui

    .

Visitando ou não a casa de Anne Frank, prossiga pelo Prinsengracht; atravesse o Rozengracht (aterrado) e, na próxima ponte, vire à esquerda, na Reestraat.

9 Stratjes

Ali começa a região conhecida como 9 Straajies, ou "9 ruazinhas". São na verdade três ruas de comércio que ganham nomes diferentes em cada trecho entre os canais Prinsen, Keizers, Heren e Singel. Eu não acho nada demais nelas; no quesito descobrir lojinhas, o Jordaan é bem mais interessante. Mas já que estamos aqui, o que custa fazer um ziguezague, certo?

Amsterdã: caminhada pelos canais

Quando você voltar pela Berentraat, procure um barco na margem de fora do Prinsengracht: trata-se do Museu da Casa-Barco, que oferece uma oportunidade bacana de entender como se vive numa embarcação estacionada num canal de Amsterdã. Veja mais detalhes da visita aqui.

Amsterdã: caminhada pelos canais

Antes de virar à direita na próxima ponte (da Runstraat), olhe para o canal da esquerda -- é o Looiersgracht; a foto do alto do post é de lá.

A Runstraat leva às últimas das três ruazinhas das 9 Straatjes. Siga em frente ao final da última delas, a Weide Heisteeg. Você vai atravessar o canal Singel, continuar por uma ruela e dar na praça Spui. Ali, procure uma portinha do seu lado esquerdo.

Begijnhof

Esta portinha leva a um jardim escondido no centro de Amsterdã: o Begijnhof (diga: Berréin-rôf).

Begijnhof

Aqui moravam as beguinas, uma ordem de católicas celibatárias formadas no século XII. É possível visitar a capela e a igreja presbiteriana -- mas o barato está mesmo em ver aquele claustro verde circundado por casas antiqüíssimas.

Amsterdã: mercado de flores

Ao sair, vá em direção ao Singel, atravesse o canal e vire à esquerda na outra margem. Você logo chegará ao Mercado de Flores, que funciona menos como uma floricultura e mais como uma feira de jardinagem: é onde os amsterdamers compram sementes e mudas para suas plantas e flores de casa.

Paté Tuschinski

Quando a rua acabar, vire à esquerda e pegue logo a primeira da direita, a Reguliersbreestraat. É uma rua de comércio central. Fizemos este desvio para dar uma espiadinha na fachada e no saguão do cinema Pathé Tuschinski, que tem um estilo estranhíssimo meio gótico, meio art-nouveau. (É possível também que você esteja com fome; para uma refeição rápida e cumplidora recomendo a portinha do Wok to Walk, que é tipo um China in Box só que thai.)

Rembrandtplein

No fim da rua você chega à Rembrandtplein, que é um dos centros de balada (turística) na cidade. (A foto foi tirada do alto do QG do Booking.com; contei a visita neste post). Se for o caso, volte mais tarde. Nesse momento, vire à esquerda na Halvemaansteeg, que leva à beira do rio Amstel. Tome a direita, e atravesse à esquerda a ponte Blauwbrug. Você vai chegar à Waterlooplein mas já vai pegar a primeira ruazinha à direita, a Nieuwe Amstelstraat.

Sinagoga Portuguesa Amsterdã

Em duas quadrinhas você chega à Sinagoga Portuguesa, uma das atrações mais injustamente subestimadas da cidade. Atenção para os horários de visitação: leia mais aqui.

Museu-Casa de Rembrandt

A Sinagoga está pertinho de outra atração considerada fora de mão: o Museu-Casa de Rembrandt: é só seguir a Jodenbreestraat. Se está com tempo, entre para ver onde o grande mestre morou e pintou. Mais informações, aqui.

Vou fazer você andar dois quarteirões por uma das ruas mais sem-graça de Amsterdã, a Sint Antoniebreestraat. Mas você vai desembocar no Niewmarkt, que é uma região bacana para parar e recuperar as energias para o trecho final do passeio.

Niewmarkt

A partir daqui, a idéia é se perder pelo coração medieval de Amsterdã. Se você quer saber onde fica o Bairro da Luz Vermelha, é só procurar no entorno da igreja Oude Kerk. Cuidado com os bolsos e as bolsas, essa região é uma das preferidas dos mãos-leves! Use a mochila para a frente e aproveite o fim da caminhada, que está cheio de ângulos instagramáveis.

Caminhada pelos canais de Amsterdã

A estação está pertinho, não tem como você não chegar. Foi lindo pra você também? Boa continuação de viagem!

Ricardo Freire voou à Holanda a convite da KLM

Leia mais:

post64-rod2016-02

14 comentários

Eli Moreira
Eli MoreiraPermalinkResponder

Que roteiro, Comandante!

Fui um dos sortudos a conseguir uma mesa no "pierzinho" do 't Smalle e, posso dizer, foi um melhores programas que fiz na cidade.

Com sua licença, dou dois pitacos meramente complementares ao seu mais que bem traçado plano: se calhar da passagem pelas 9 Ruelas ocorrer depois das 17h, um bom restaurante ali no miolo é o 't Zwaantje, com comida holandesa de primeira; e um lugar massa para recuperar as energias no Niewmarkt é o de De Bekeerde Suster, que serve algumas cervejas de produção própria, com destaque para a Witte Antonia, uma witbier feita com maestria - como diria vc, uma djiliça!

debora borgs
debora borgsPermalinkResponder

nossaaaa, que delicia! vou aproveitar esse roteiro e acrescentar suas dicas, adorei!

Wander trips
Wander tripsPermalinkResponder

boa Ricardo, obrigado VnV !!! embarco dia 01/06 para Amsterdam e claro já favoritei o post e vou fazer o roteiro, beleza !!! Obrigado também ao Eli Moreira pelas dicas. Vamos que vamos, abraços a todos do VnV.

val
valPermalinkResponder

e no cruzamento do Leidsegracht com Herengracht fica o simbólico banco do filme A culpa é das Estrelas...

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Que volta olímpica perfeita em uma das cidades mais lindas e de melhor astral que conheço.
Se me permite três sugestões para a larica nos arredores da Rembrandplein, recomendo o croquete do Van Dobben, verdadeira instituição de Amsterdam, na Korte Reguliersdwarsstraat.
O Salsa Shop, pra mim o melhor mexicano de Amsterdam, simples e barato (estilo fast food), na Amstelstraat. Mas cuidado com o molho mais forte, de pimenta habanero, pois o picante se sente em "dose dupla", se é que me entendem...Depois não digam que não avisei!
A multinacional Vapiano, comida italiana BBB, tem um restaurante na praça, também na Amstelstraat. Massas e carpaccios deliciosos.
A rede Wok to Walk realmente é uma ótima sugestão, já comi em NY e Bogotá, bem gostoso. Agora, é bom mesmo pular o Heineken Experience, bem pega-turista. É muito mais autêntico e bacana ir tomar umas cervas na Brouwerij 't IJ, ótima cervejaria em um dos poucos moinhos da cidade.
Abraço!

Izabella Zava
Izabella ZavaPermalinkResponder

Ai, que saudade de Amsterdã. Lembro da visita em cada um dos pontos que você descreveu. É tudo perfeito! Gostaria só de acrescentar duas dicas: ao lado da casa do Rembrandt tem o restaurante Rembrandt corner, que tem uma massa com salmão e uma lasanha sensacionais. E também, além de andar a pé por Amsterdã, é muito divertido andar de pedalinho nos canais. Uma aventura ótima, vc tem que desviar dos barcos bem maiores que vc e não pode bater nas casas barco. Vale a pena!

Márcia
MárciaPermalinkResponder

Considero Amsterdam uma das cidades mais belas que conheço. E olha que já rodei bastante ! Uma dica de hotel super bem localizado e ainda com café da manhã incluído na diária, coisa rara na Europa, é o Hotel Hoksbergen. Excelente atendimento e bom preço, na caríssima Amsterdam.

Lu
LuPermalinkResponder

Fantástico, Riq, o seu roteiro! E q dias maravilhosos de sol, coisa rara en Amsterdam!!!
A Haamelstraat é uma delícia: restaurantes, lojinhas, cafés, delis, queijaria, mercado, enfim td q vc precisar no Joordan, lá tem.
Tem uma outra feirinha (acho q no sábado), de organicos e de roupas no canteiro central da Lindengracht (lembrei da rua graças ao seu mapa!).
Aproveito p recomendar o bed&breakfast No 56, q na verdade é um ap moderninho de qto e sala c cozinha completa q fica na Palmgracht e cuja dona, mto simpática , mora na quadra seguinte. P quem gosta de ficar misturado c os locais, fora da muvucada turística, o ponto é excelente. E está pertinho de tudo! Aliás, o Joordan é td de bom!

Rosana
RosanaPermalinkResponder

Gostaria de agradecer a oportunidade de conhecer Amsterdã através deste roteiro ?
A minha experiência foi demais e o passeio com as paradas durou praticamente todo o dia.
Tive a sorte de fazê-lo em um lindo dia ensolarado!!!
Obrigada

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Eu sou completamente apaixonada por esses seus roteiros, Riq.
Aquele velhinho de Berlim, que não fazia tanto sentido pra mim aqui no Rio, foi como colocar óculos em alguém com miopia grau 10 quando cheguei naquela cidade.
Esse post é pra favoritar, guardar, ler, reler, imaginar e seguir o mapa da mina quando estiver em Amsterda.
Gratidão.

Tania Janin
Tania JaninPermalinkResponder

Día 03/06 vou dar um confere nesse roteiro, Ric ??

Mayve
MayvePermalinkResponder

Cuidado com o Bairro Vermelho. Meu marido e eu estávamos passeando e resolvemos tirar umas fotos. Umas das moças que ficam seminuas nas vitrines se ofendeu e saiu correndo atrás de nós com um balde de água. Sorte que apenas uns respingos nos atingiram.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mayve! Não se fotografa o Bairro Vermelho.

Elisa Araujo
Elisa AraujoPermalinkResponder

Posso atestar que a torta de maçã do café Winkel é sensacional, servida com creme de chantilly de verdade.
Outras duas dicas de locais para café/café da manhã no Joordan: o café Café Thijssen (Brouwersgracht 107) e o PicNic (Lindengracht 59HS), que só serve café da manhã (combos simpáticos e bem apresentados com ovos mexidos, frutas, iogurte etc) e almoço (sopas e sanduíches estilo picnic).

Atenção: Bóia de férias! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 2 de outubro de 2017. Obrigado pela compreensão!
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar