Fernando de Noronha

Praia da Conceição, Fernando de NoronhaCaribe brazuca | Ricardo Freire

Pode acreditar em tudo o que você ouviu e viu sobre as belezas de Fernando de Noronha. Seus amigos não exageraram nas descrições, e as fotos que saem publicadas nas revistas não são produto de uma escolha meticulosa de ângulos favoráveis. De frente para o mar, todos os ângulos de Noronha são favoráveis.

Águas cristalinas, recortes sensuais, pedras, morros, mata – os ingredientes são todos da melhor qualidade, e foram misturados por Alguém que claramente entende desse negócio de fazer praia bonita. Embaixo d’água, você cruza com uma fauna marinha difícil de encontrar tão perto de terra firme.

Apenas 700 forasteiros são permitidos na ilha a cada noite. Quando você for, aproveite o privilégio pelo máximo de noites que puder.


Quando ir Como chegar Onde ficar? O que fazer
Pôr do sol visto do Forte de São Pedro, Fernando de Noronha Baía do Sancho, Fernando de Noronha Pousada Colina dos Ventos, Fernando de Noronha Baía dos Porcos, Fernando de Noronha
A época mais seca se estende de agosto/setembro a fevereiro; as chuvas ocorrem entre março a agosto (e até nesse período você acaba pegando manhãs e tardes de muito sol).

Na baixa temporada, abril, maio e junho são os meses em que a ilha está mais vazia (e é possível negociar descontos nas pousadas).

Mais do que se preocupar com as chuvas, vale ficar atento às condições do mar. De abril a outubro, o Mar de Dentro (litoral voltado para o Brasil) tem as melhores condições de mergulho.

Agora, se o seu negócio é surfar, deixe pra ir entre dezembro e março, quando o swell cria ondas perfeitas na Cacimba do Padre, onde ficam as famosas pedras gêmeas conhecidas como Dois Irmãos.
Há vôos diários do Recife, pela Gol (Boeing 737-700) e pela Trip (Embraer 175 ou turbo-hélice ATR 42), e de Natal, apenas pela Trip (com ATR 42).

Tente reservar um lugar na janela do lado esquerdo, pois os pilotos costumam um sobrevôo panorâmico antes do pouso. A vista é espetacular.

Todo visitante deve pagar a taxa de conservação, que pode ser quitada com antecedência, pela internet. No desembarque haverá duas filas: uma para quem vai pagar na hora, outra para quem já pagou; a dos que já pagaram vai mais rápido.

No verão a ilha também é visitada cruzeiros. Ainda não está confirmada a temporada 2011/2012; há rumores (bem-vindos) de que os cruzeiros deixariam de passar pelo arquipélago.
Até os anos 80 Fernando de Noronha era uma base militar. As pousadas mais simples funcionam em casas de madeira das antigas vilas.

Há três núcleos principais. A Vila dos Remédios é o centro histórico da ilha e se estende até o mar. Além de concentrar a vida noturna, tem uma praia, a do Cachorro, e está a dez minutos de caminhada da Conceição.

A Vila Floresta Nova fica à altura da Vila dos Remédios, mas do outro lado da estrada. A Vila do Trinta se situa mais adiante, na direção do porto, e é menos conveniente para curtir a noite no centrinho.

Quem busca conforto encontra quase uma dezena de pousadas de luxo espalhadas das cercanias da Vila dos Remédios até a ponta do Sueste.
Procure passar seu primeiro dia perfeito de sol na Praia do Sancho, que é unanimemente considerada a mais bonita do Brasil. Antes de descer pela escadinha que atravessa a pedra, caminhe até o mirante da Baía dos Porcos.

A ilha é o paraíso para o mergulho com cilindro – mas mesmo com snorkel você aproveita bastante.

O aquário natural da Praia do Atalaia é aberto a visitas na maré baixa – e para quem chega a pé, com guia.

É possível também mergulhar com tartarugas na Praia do Sueste (procure o guia).

O melhor fim de tarde é na Praia da Conceição. À noite, depois da palestra na sede Projeto Tamar, a noite continua no centrinho da Vila dos Remédios.

Deixa a bóia te levar

Referências

Site oficial de Fernando de Noronha

Taxa de Preservação Ambiental – formulário para pagamento online

Previsão do tempo (role a página para gráfico de chuvas)

Noronha: as praias por Ricardo Freire

Desembarcando em Noronha: as pegadinhas da chegada por Ricardo Freire

Bugue ou táxi? por Ricardo Freire

Dormir

As pousadas top por Ricardo Freire

As pousadas do pelotão intermediário por Ricardo Freire

40 pousadas de Noronha comentadas pelos leitores por Ricardo Freire

Todas as pousadas de Noronha (do site oficial da ilha)

Pesquise pousadas de Fernando de Noronha no Booking

Comer

16 restaurantes recomendados por Ricardo Freire

Relatos

Noronha em janeiro: primeiras impressões por Ricardo Freire

Cruzeiro em Noronha: precisa? por Ricardo Freire

O Sancho também pode ser lindo no verão por Ricardo Freire


448 comentários para “Fernando de Noronha”

  1. Bom dia, programei uma viagem para Noronha em marco de 2014 mas fiquei gravida e estarei com 5 meses. Vc acha que vale a pena ir ou ficarei muito limitada quanto aos acessos as praias? Tem relato de alguma gravida que esteve lá?
    Estou na duvida se cancelo a viagem….. Obrigada

    1. Olá, Aline! Converse com seu médico sobre a conveniência de você pegar avião ou mergulhar. A única praia com acesso complicado é a do Sancho, por terra, que envolve descer uma escada por uma fenda. Esta praia também pode ser visitada de barco.

  2. Boa Tarde!

    Estou programando uma viagem para Noronha entre abril e maio, alguns receptivos vendem os pacotes dos passeios com antecedência. Visto se tratar de baixa temporada, é mais vantajoso deixar pra fechar quando chegar à ilha? Obrigada….Abs

    1. Olá, Sissi! Você pode contratar todos os passeios ao chegar. Esta época é chuvosa, então é melhor ficar livre para marcar os passeios de acordo com a previsão do tempo.

  3. Olá gostaria de saber se vale á pena fazer mergulho no mês de março período de chuva? A visibilidade é ruim nesse período? Grato…

    1. Olá, Phelippe! O mar agitado da época de swell (dezembro-fevereiro) é mais prejudicial ao mergulho do que chuvas.

  4. Boa tarde, estou me programando para ir a Noronha, queria ir entre a última semana de maio e a primeira de Junho…Essa época é boa? Os passeios são tranquilos de fazer? tenho medo de ir e não conseguir conhecer a ilha! Obrigada!!!

    1. Olá, Mônica! O mar estará calmo, mas você poderá pegar chuva. Dá para reservar os passeios ao chegar na ilha em qualquer época do ano.

  5. olá, quero conhecer Noronha no período entre 27/4/14 e 4/5/14 ou a segundas opção seria de 28/10/14 a 5/10/14 . Qual o melhor período para curtir praias, sol,passeios sem mergulhos ou surf. existe alguma festa típica nestes períodos?
    Grata
    Sonia Pineda

    1. Olá, Sonia! Em maio o mar estará perfeito para mergulho, mas pode chover. Em outubro haverá sol, mas poderá haver ondas. Para pegar mar flat sem chuvas, escolha agosto e setembro.

  6. Bóia, irei conhecer Noronha no período entre 20/01/2014/ a 26/01/2014 sei que poderá haver ondas fortes, mas as ondas fortes são em todas as praias?
    Bóia li já algum tempo que você indica sentar de um lado esquerdo do avião, que é o lado privilegiado pela vista abaixo na chegada ao arquipélago no vôo poderia repetir qual é este lado. Desculpe minha ignorância, mas este lado esquerdo que você indica eu estando sentado o meu lado esquerdo fica na janela da aeronave? Aguardo retorno e desde já, agradeço. Osória.

    1. Olá, Osória! Algumas praias não terão ondas fortes, mas terão espuma e uma barra de mar revolto na rebentação, como no Sancho e na Baía dos Porcos. Se você voar Azul, o comendante faz uma volta completa na ilha antes de aterrissar.

  7. olá, irei conhecer Noronha dia 31/01/2014 mas não gosto de surf nem de mar agitado. tem praias calmas neste período? quais são? da para fazer o passeio de barco que v os golfinhos mesmo com o mar assim?
    grata
    abraço

    1. Olá, Camila! Tem passeios de barco e a possibilidade de ver golfinhos é a mesma do resto do ano. O Sancho continuará calmo, mas sem a mesma transparência na beira.

      Para pegar mar calmo em Noronha, viaje entre abril e meados de outubro. Pegar mar calmo sem nenhuma chuva, entre agosto e meados de outubro.

  8. olá, no fim de janeiro irei para Noronha com duas crianças. gostaria de saber se o passeio de barco para ver os golfinhos é perigoso, já que é um mês que o mar est agitado.
    grata

    1. Olá, Maria! Não há registro de acidentes. O mar pode estar revolto, o que torna o passeio desconfortável, mas em condições de perigo não há passeio.

  9. Bom dia!
    Estarei de férias no final de junho a início de julho e gostaria que me desse uma dica de onde posso ir neste período. Gostaria que o lugar tivesse sol e bonitas praias. Pode ser no Brasil e exterior também, mas gostaria que fosse mais perto, não quero passar muito tempo dentro de um avião.

    Obrigada!

    1. Olá, Elaine! Neste post você descobre os lugares onde chove menos em junho e julho:

      http://www.viajenaviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/

      Leve em conta que será época de Copa do Mundo, com passagens aéreas provavelmente mais caras.

  10. Boa tarde!

    Adorei as dicas, estou indo em abril para Fernando de Noronha e gostaria de saber como é o pessoal da região, digo, gosto de usar bikini’s pequenos, posso ficar tranquila ? O pessoal vai me olhar com repudio ?

    Obrigada!

    1. Olá, Silvia! É tranqüilo.

  11. Fui para Noronha em setembro e devo dizer que realmente é um lugar fantástico! Como peguei várias dicas aqui no site e em alguns outros, me sinto na obrigação de ajudar também e contar um pouco da minha viagem (não se assustem com o tamanho do texto, hehehe).

    Começando pelo avião, fui de Azul/Trip saindo de Recife. A dica de sentar do lado esquerdo do avião (considerando que a cabine está a sua frente) valeu muito à pena, pois realmente é feita uma volta pela “ilha” antes do pouso, assim, pode-se avisar toda a beleza do arquipélago de cima.

    Conforme havíamos lido, em agosto/setembro começa a época mais seca do arquipélago, ideal para quem gosta de mergulhar e evitar as chuvas. Por isso, fomos exatamente nesta época (últimos dias de agosto e começo de setembro) e devo dizer que acertamos em cheio. Ficamos 13 dias, mais do que geralmente as pessoas ficam, pois queríamos ir com calma e aproveitar tudo, sem nenhuma correria. Apenas no segundo dia houve uma pequena pancada de chuva pela manhã, mas muito rápido, menos de 1h, e logo depois o Sol apareceu! No terceiro dia a manhã ficou um pouco nublada, mas antes do almoço já estava céu aberto. Por fim, no último dia, quando estávamos indo para o aeroporto começou uma leve garoa, mas logo parou. Nos demais dias, sol o tempo inteiro e muito calor! O mar estava muito calmo, excelente para mergulhar de snorkel, o que fazíamos praticamente o dia inteiro!

    Ficamos na Pousada Simpatia da Ilha e não tenho nada a reclamar. A pousada fica na Vila dos Remédios, próxima da Praia do Cachorro. Os funcionários são bem simpáticos e prestativos. Ficamos em um quarto, não nos chalés. O quarto não era luxuoso, mas limpo, tinha frigobar e TV. Como nossa idéia era simplesmente dormir e tomar café da manhã, a pousada foi perfeita. Nas dependências da pousada fica o restaurante Tricolor, especializado em Moquecas.

    Como ficamos bastante tempo na Ilha, não fizemos o tour pela ilha, onde se conhece a maioria dos pontos. Nos relatos que li, vi que para quem fica poucos dias, vale muito a pena, pois é possível ter um panorama geral e escolher quais lugares mais gostou para voltar.

    Sobre o ingresso do Parque devo dizer que só foi solicitado no PIC do Sueste, Sancho/Golfinho e no passeio de barco que fizemos. Nas demais praias, que eu me lembre, não. Aliás, sequer havia alguma estrutura para que houve essa fiscalização. De qualquer forma, é preciso adquirir para conhecer a praia do Sancho, não se pode ir para Noronha e não ir ao Sancho!

    Praias (para não deixar o texto maior do que já está, vou tentar resumir e dizer apenas minhas impressões):

    Baía de Santo Antônio (Porto): para quem gosta de mergulhar de snorkel, é possível ir ao naufrágio. Não foi uma das melhores praias que mergulhamos, mas acho que por azar, pois ouvimos muitas pessoas dizendo que encontraram tartarugas, raias, etc.
    Alguns dias da semana, a tarde, é possível acompanhar o trabalho do Projeto TAMAR, onde capturam algumas tartarugas para estudo e levam para a areia, onde explicam um pouco sobre as espécies.

    Biboca: ao lado da Baía de Santo Antônio, uma praia bem pequena de pedras. Em sua frente nadamos com 3 tubarões, o que valeu muito a pena! Mas a visibilidade não estava tão boa quanto nas demais praias.

    Cachorro: Para chegar é preciso descer alguns bons lances de degraus, a volta é que dura, hehehe. Assim como a Conceição, é a única que possui um quiosque.
    Como fica muito próxima da Vila dos Remédios, imaginei que seria a praia que menos gostaria, pois haveria muito agito e seria a mais “suja” já que é a praia mais “urbana”. Porém, foi uma das praias que mais gostei! A vista do Bar do Cachorro (encima da praia) é espetacular!!! A vida marinha é muito rica, sempre víamos tartaruga, raia, polvo e lógico, diversos peixes (o lado esquerdo, divisa com a praia do Meio, foi onde encontramos mais peixes e as tartarugas). O Burcaco do Galego no lado direito é bem legal e para quem tem coragem, vale a pena o pulo do alto das pedras (com cuidado, lógico).

    Praia do Meio: para quem tem pouco tempo, aconselho não ir e aproveitar outra praia, já que não possui nenhuma atração diferente.

    Conceição: uma praia mais agitada, com futevôlei e “stand up surf”. O lado direito, próximo a Pedra do Pião foi onde ficamos mergulhando e encontramos uma boa diversidade de peixes.
    Boldró: Uma praia com diversas piscinas naturais na beirada do mar, um pouco difícil para andar entre as piscinas, já que há muitos corais. É possível ver pequenos cardumes que ficam presos nas piscinas e até moréias. Do mirante do Boldró, acima da praia, se tem uma bela visão. Já o Forte, decepciona um pouco. Como a maioria os fortes, não está bem preservado, são ruínas onde mal se percebe o que havia, muitas vezes não passam de pedaços de “concreto” quebrados e espalhados pelo chão. Por outro lado, a vista de lá é muito bonita, avistando-se o Morro Dois Irmãos.

    Praia do Americano: bem reservada, quase não há turistas, também não possui nenhum grande atrativo, a não ser a sensação de estar em uma ilha deserta.

    Praia do Bode: também pouco freqüentada, é uma praia extensa e bonita, avistando-se o Morro Dois Irmãos. Na trilha de acesso, já chegando na areia, existem árvores enormes que praticamente se unem formando uma única árvore, muito bonito.

    Cacimba do Padre: praia que dá acesso à Baía dos Porcos. Tem-se uma visão muito próxima do Morro Dois Irmãos. Quando se chega à praia, é possível avistar apenas um dos morros, já que o outro fica encoberto.
    Baía dos Porcos: Para mim a mais bonita de todas (muitos consideram o Sancho, cada um tem o seu gosto e sem dúvida a Baía do Sancho é linda, mas como gosto de praia de pedras, a Baía dos Porcos para mim é a melhor). Bom, é uma praia de pedras, com uma pequena faixa de areia. Para chegar à praia é preciso andar um pequeno trecho de pedras, é preciso cuidado para não se machucar ou cair (nada de outro mundo é verdade).

    Baía do Sancho: Uma praia linda, considerada a mais bonita do Brasil por muitos. A vista do alto, antes de descer para a praia é de outro mundo! Antes de descer para a praia, siga pela trilha para o lado direito e chegará ao Forte São João Batista dos Dois Irmãos, a vista espetacular! Do forte não sobrou nada, mas a vista vale MUITO a pena. Verá de cima a Baía dos Porcos e o Morro Dois Irmãos.
    A descida não achei difícil como muitos relatam. Estava carregando duas mochilas e não tive grandes dificuldades. É verdade que o espaço é um apertado na primeira escada fixada na pedra, porém, mesmo com uma mochila nas costas consegui descer. As escadarias depois são fáceis de descer, o cansativo é a volta, mas compensa! É só ir devagar e parar para descansar quando precisar.

    Baía dos Golfinhos: Fomos logo cedo pela manhã, como recomendam, porém, não tivemos sorte e não avistamos nenhum golfinho. De qualquer forma, depois fizemos a trilha* em direção ao Sancho que valeu a pena pelas vistas.

    * Aqui vale uma observação. Em Noronha as trilhas não são verdadeiramente trilhas, isto é, não são “fechadas” no meio das árvores e vegetação. Elas são abertas, bem delimitadas e espaçosas, com pedras indicando o caminho em todo o percurso. No caso do Sancho e Golfinho inclusive é uma trilha feita de madeira (que na verdade não é madeira), acessível para cadeirantes.
    Praia do Leão: Quando fomos estava praticamente deserta, havia apenas duas pessoas. Uma praia muito bonita, principalmente vista de cima, mas o mar estava bem agitado e com ondas, completamente diferente das praias do outro lado da ilha. Aparentemente estão construindo um PIC lá, então, deverá ter em breve uma lojinha e lanchonete (e também solicitarão o ingresso).

    Baía do Sueste: A praia em si não é muito bonita, existem muitas algas na areia, assim, parece um pouco suja (mas são só algas mesmo). O atrativo são as tartarugas enormes que se pode ver mergulhando de snorkel. É possível ir sozinho ou contratar um guia (eles ficam lá mesmo, basta contratar na hora). A vantagem de contratar um guia é que ele pode rebocar você se quiser, assim, não exige muito esforço e ele te leva até o local onde elas ficam. É possível ver tartarugas de pente e verdes. Tivemos sorte e vimos um tubarão também. A visibilidade da água não é tão boa e, de acordo com o guia, é sempre assim, por causa das algas que deixam a água mais “escura”.
    É obrigatório o uso de coletes em uma determinada parte da praia (exatamente onde ficam as tartarugas) para não se pisar no chão. Pé de pato acho que não é obrigatório, mas recomendo, pois para ir até o local onde as tartarugas ficam, é preciso nadar um pouco.
    Para quem estiver de bugue, recomendo muito ir ao Mirante das Caracas (Ponta das Caracas) e, principalmente, o Forte São Joaquim do Sueste (mais uma vez, os resquícios do Forte não são lá estas coisas, na verdade, acho que só existem alguns canhões), onde se tem uma linda vista. Ambos ficam na região da Praia do Sueste.

    Piscina do Atalaia: antes de mais nada, quero ressaltar que não é necessário contratar guia (a não ser que deseje fazer a trilha longa, passando por mais piscinas naturais. Não realizamos, mas dizem que é muito bonita, mas também bem cansativa, demorada e estressante, pois se caminha sobre pequenas pedras soltas, portanto, é preciso ter muita atenção para não cair ou torcer o tornozelo).
    Para a trilha curta basta se registrar, gratuitamente, perto do posto do TAMAR. Para quem for por poucos dias, recomendo deixar os nomes logo nos primeiros dias, pois a piscina tem acesso restrito e, pelo que entendi (nas entrelinhas), deixam reservados alguns espaços para guias, pousadas e agências, assim, seria preciso contratá-los. Além disso, dependendo da maré, não abrem para visitação. De qualquer forma, se chegarem e não conseguirem deixar o nome, é possível ir até o posto que dá acesso à trilha da piscina e tentar um encaixe na hora, pois se não completarem o grupo ou alguém faltar, eles registram na hora (mas não é garantia).
    A piscina tem águas transparentes e, para quem não faz snorkel nas praias (ou vai em alguma época de ondas nas praias), é uma excelente oportunidade para ver peixes, polvos, moréias e tubarões. Por outro lado, para quem faz snorkel nas praias, não se vê nenhuma espécie diferente. No nosso caso, valeu mais pelos tubarões, pois, apesar de termos encontrado nas praias, a visibilidade aqui era muito maior. De qualquer forma, vale à pena, a visibilidade chega a ser ridícula de tão clara que a água é.
    É obrigatório o uso de coletes para não haver contato algum com o chão (para não danificar os corais), e é proibido o uso de protetores solares ou qualquer creme, pois como demora para haver a troca da água pela maré, haveria uma concentração muito grande de produtos químicos que seriam nocivos para as espécies da piscina.

    Enseada dos Abreus: não é um local muito visitado (na verdade não encontramos sinal algum de alguém por lá) e tivemos muita dificuldade para encontrar a trilha. Só encontramos porque insistimos muito. A trilha é um pouco cansativa, mas a visão da região é muito bonita e dizem que se formam piscinas naturais quando a maré está baixa. Quando fomos sabíamos que a maré estava alta e a descida para a “praia” estava complicada, assim, acabamos nem descendo, mas a vista valeu a pena! Em nossa tentativa de encontrar o início da trilha nos deparamos com um grande reservatório/açude/pedreira, hehehe.

    Enseada da Caieira: Proibido descer para as “praias”, mas a vista é muito bonita, próxima do Porto e do Museu dos Tubarões.

    Atrativos culturais

    Museu dos Tubarões: não é nada muito extraordinário, mas vale a pena um pulo. O bolinho de tubalhau não é nada demais, é mais para dizer que experimentou, porque o gosto não é diferente de um bolinho de peixe qualquer.

    TAMAR: não fomos em nenhuma palestra (a noite), mas muitos dizem que vale a pena. O “museu” não é lá essas coisas, mas também não custa dar um pulo.

    Capela de São Pedro: vale a pena ver o pôr-do-sol de lá.

    Igreja Nossa Senhora dos Remédios: bem simples, não achamos um grande atrativo, mas como está no caminho para as praias do Cachorro, Meio e Conceição pela Vila dos Remédios, é possível visitá-la rapidamente sem problemas.

    Memorial Noronhense: na Vila dos Remédios, um pouco abaixo da Igreja, no caminho da trilha para a Fortaleza da Nossa Senhora dos Remédios. Conta a história do arquipélago, com fotos e textos. Bem interessante, é possível ainda conversar com as funcionárias que contam um pouco mais da vida e história da ilha. Gratuito.

    Fortaleza da Nossa Senhora dos Remédios: Esta sim está mais conservada e é possível perceber que era estrutura militar, diferente dos demais fortes. Ótimo lugar para acompanhar o pôr-do-sol. Lindas vistas do Porto, até o Morro Dois Irmãos, incluindo as ilhas secundárias, a Vila dos Remedios e Morro do Pico.
    Não tivemos tanta sorte com o pôr-do-sol. Sempre que o sol estava chegando próximo do mar, apareciam algumas nuvens e encobriam parte da beleza. De acordo com alguns turistas com quem conversamos, esta não é a melhor época para ver o pôr-do-sol mesmo.

    Alimentação

    Li em muitos lugares que os restaurantes eram caros, o dobro do preço dos restaurantes do continente. Como moro em São Paulo, o custo de vida é relativamente alto se comparado com outras cidades do Brasil, assim, acho que estou um pouco mais acostumado. É verdade que muitos restaurantes em Noronha não são baratos, mas se comparados com restaurantes de mesma qualidade no continente, o valor não é tão diferente assim (pelo menos comparando com SP).
    O que realmente achamos mais caro foram os restaurantes mais simples, pois exatamente por serem mais simples, deveriam ser mais acessíveis, mas achamos mais caro (se comparado com restaurantes de mesma qualidade no continente)
    Vou citar alguns restaurantes que fomos, só vale a pena destacar que fomos sabendo que íamos gastar e estávamos dispostos a comer bem, mas existem outras opções mais acessíveis. Os valores que citarei já incluem as bebidas (café e caipirinha costumam ser bem caros) e serviços, e também sobremesas quando comemos.

    Flamboyant: Pedimos um peixe na folha de bananeira e um peixe com camarão (para dividir entre nós três). Gastamos cerca de R$ 60,00 por pessoa, lembrando que já estão inclusas as bebidas e os serviços. A comida estava boa, nada extraordinária, mas boa.

    Bar do Cachorro – Uma vista inacreditável da Praia do Cachorro e do Meio. A comida era muito boa. Fomos mais do que uma vez e sempre pedíamos algumas porções para dividir entre nós três. O bolinho de arroz com queijo era muito bom, por incrível que pareça, hehehe. Pedindo três porções diferentes e mais as bebidas a média foi de R$ 40-50,00 por pessoa. Mas duas porções eram suficientes para nós três. Mesmo para quem não queira comer por lá, vale a pena entrar para ver a vista!!!

    Bar do Meio – Pedimos duas porções (croquete de camarão e sardinha frita), o total ficou R$ 30,00 por pessoa. A comida não estava lá estas coisas e não tinha muita opção no cardápio, lembro que tínhamos escolhido outras porções, mas não tinham. Aliás, diversos lugares tivemos este problema, acho que por não ser alta temporada…

    Empório São Miguel: Na Praça Flamboyant. Foram dois pratos de Camarão a Provençal e um de Risoto de camarão. A conta no final, incluindo tudo, ficou em R$ 55,00 por pessoa. Em outra noite a conta foi menor, cerca de R$ 35, mesmo com a sobremesa, não me recordo o que comemos.

    Restaurante Varanda: lugar muito agradável e comida excelente! Pegamos a dica do prato número 29, um gratinado de frutos do mar (serve bem três pessoas), muito bom, recomendo! No final, R$ 70,00 por pessoa.
    Restaurante e Pousada Beijupirá: outro excelente restaurante, recomendo muito! Os funcionários eram muito simpáticos e atenciosos, a comida era fantástica! Este dia exageramos mesmo, hehehe, comemos muito bem, com direito a saborosas sobremesas! A conta foi um pouco mais salgada que os outros dias, mas valeu muito à pena e recomendo. R$ 100,00 por pessoa sem os 10%, que precisam ser pagos em dinheiro, pois não aceitam no cartão. Como estávamos completamente sem dinheiro, estávamos apenas com cartão, voltamos outro dia apenas para pagar os 10%, pois achamos muito justo e merecido.

    Mergulhão: restaurante bem legal com vista para o porto. Comida muito boa também! Recomendo. Pagamos R$ 90,00 cada, já com serviço, sobremesas e o café, pra variar, caro.

    Ecologiku’s: restaurante mais afastado, mas bem tranqüilo. Não há muita opção no cardápio, mas a comida é muito bem servida e bem saborosa! R$ 70,00 por pessoa. Boa opção.

    Barraca das Gêmeas: Na entrada da praia da Cacimba do Padre. É de fato uma barraca, com muitas moscas, hehehe, mas muito tradicional. Pedimos o peixe na brasa na casca de bananeira. A conta ficou R$ 40,00 por cabeça. As moscas estão lá e podem incomodar um pouco, mesmo com a fumaça de borra de café que supostamente deveria afugentá-las.

    Restaurante na Moita: pizzaria bem agradável. Pedimos apenas uma pizza se não me engano, o total com serviço e bebidas foi de R$ 30,00 por pessoa.

    Du Mar: ótima escolha, principalmente, para o último dia da viagem, pois eles vão até a pousada para te pegar, levam até o aeroporto para despachar as bagagens, levam até o restaurante e, depois, de volta para o aeroporto, sem nenhum custo adicional. A comida, que importa, também é muito boa. R$ 60-70 por pessoa.
    Xica da Silva: bom restaurante, pedimos um Camarão na Moranga e alguma entradinha, pagamos R$ 80,00 cada.
    Bar Duda Rei: lembro que pedimos algumas porções, mas achamos o valor um pouco alto e a comida não estava nada demais pelo preço. Como é um dos poucos restaurantes que ficam na areia, deve ser por isso que é mais caro…

    Tricolor: nas dependências da Pousada Simpatia da Ilha, onde ficamos. Especializada em moquecas, prato muito saboroso! Confesso que não recordo o preço, mas não era nada extravagante. Vale a pena.

    Para quem preferir, existem outros restaurantes mais acessíveis. Alguns dias comemos apenas lanches mesmo, assim, gastamos bem menos do que nos restaurantes. Geralmente comíamos porções no almoço e jantávamos melhor, assim, aproveitávamos mais as tardes.

    Dicas finais

    Alugamos um bugue para quase todos os dias, apenas nos primeiros achamos que não seria preciso, pois visitaríamos as praias próximas à nossa pousada, faríamos o mergulho e o passeio de barco. Foi uma boa decisão. As vantagens do bugue é que se faz tudo com mais liberdade e não se perde tempo esperando o ônibus. As desvantagens, o gasto com o aluguel é com o combustível, que é bem caro. Para quem puder gastar um pouco, recomendo.

    Para quem for mergulhar, é possível alugar em lojas ou na rua mesmo, máscara e snorkel, nadadeiras (pé de pato) e coletes. É possível alugar para um dia ou mais, assim, para quem for utilizar em mais de uma ocasião, vale a pena alugar por um período maior e pagar menos. Junto dos equipamentos fornecem uma sacola que ajuda na locomoção.
    Eu sinceramente aconselho que levem sua própria máscara, é possível achar em lojas em qualquer lugar e servem para as próximas viagens.

    Passeio de barco: não me recordo com qual empresa realizamos, foi uma indicação da pousada. Eles te pegam na pousada e depois levam de volta. O passeio passa por toda a costa das praias do Porto até a Ponta da Sapata, passando ainda pelas ilhas secundárias. Mas não vai para o outro lado da ilha. Vimos golfinhos e depois há uma parada para mergulho no Sancho.

    Mergulho (Batismo): fizemos com a empresa Noronha Divers. Foi tudo bem e foi uma ótima experiência, já que nenhum de nós tinha mergulhado com cilindro antes. Aliás, um de nós sequer sabe nadar e, mesmo assim, fez o mergulho sem problemas! Um fotógrafo acompanha o mergulho e, depois, se quiser, é possível comprar as fotos. É possível ainda ser filmado, mas neste caso, é preciso confirmar antes. Tivemos a sorte de encontrar uma tartaruga e sermos fotografados com ela. Apesar de não termos visto muitas espécies diferentes de peixes das que vimos nas praias com snorkel, recomendo a experiência, afinal, até os profissionais dizem que Noronha é um dos lugares mais bonitos para se mergulhar.

    Projeto Navi: não fizemos, achamos que não valeria a pena, afinal, é praticamente o mesmo que mergulhar de snorkel, mas bem mais caro, hehehe. Acho que é mais recomendado para quem não mergulha.

    Plana Sub: da mesma forma que o Projeto Navi, não fizemos pois seria o mesmo que fazer snorkel

    Espero que tenha ajudado um pouco.

    Boa viagem!

    1. Uma dica final que ficou faltando, levem uma câmera a prova d’agua! As imagens dos mergulhos ficam incríveis e poderá lembrar para sempre

    2. Obrigado por compartilhar sua experiência.
      Estou indo viajar para noronha e gosto sempre de saber como funciona a viagem na prática.
      Paz para a sua família

  12. Olá Bóia!
    Primeiramente quero deixar os meus parabéns pelo trabalho maravilhoso que desempenham neste site. Com certeza estão ajudando e esclarecendo muita gente na hora de se programar para viagens!

    Estou pensando em conhecer Noronha, pois realmente me parece um verdadeiro paraíso!
    Porém, tenho preocupações com relação à alimentação na Ilha, pratos típicos, comidas mais acessíveis para quem é alérgica a frutos do mar e não está acostumada com comidas picantes. Menina do interior de São Paulo…rs..vc deve imaginar…É possível encontrar restaurantes com comidas similares às do sudeste brasileiro? Por favor, me passe algumas dicas!

    Obrigada.
    Bjus.
    Flá.

    1. Olá, Flávia! Noronha não tem uma culinária “típica”. Quase todos os restaurantes vão oferecer pratos de carne. Muitos terão massas. Garanta-se na hora do almoço, quando há muitos restaurantes a quilo operando. O melhor é o Flamboyant, na entrada da Vila dos Remédios.

  13. O relato completo da minha viagem de 6 dias em setembro do ano passado encontra-se aqui: http://receitasroteiroserelatos.blogspot.com.br/2014/01/relato-fernando-de-noronha-sonho-de.html
    Noronha é um sonho que se torna realidade! Qualquer coisa que se lê ou se vê é muito pouco para representar a beleza daquele lugar. Nada é exagero! É mais que uma viagem; é uma experiência!!!

  14. Alou bóia!

    Vc disse que pode marcar os passeios chegando lá. Quando chove atrapalha tanto assim? Estava me programando para o feriado de abril…

    Tava preocupada de marcar logo os passeios pq disseram que contratando lá é mais caro. Procede?

    1. Olá, Rachel! Contratando lá não é mais caro. Caro é pagar para sair na chuva…

  15. Boa noite Bóia!!!
    Minha duvida é quanto a conexão de voos para Fernando de Noronha.
    Tenho passagem comprada para o dia 11/03 saindo de Curitiba para Recife pela TAM, com saída as 06:45 e previsão de chegada as 12:10 e outro voo para Noronha saindo de Recife pela Azul que foi antecipado em uma hora com saída as 13:10. Será que vou conseguir pegar o segundo voo? Ou devo alterar um dos voos para garantir?

    1. Olá, Cassio! Têm toda pinta de serem vôos desvinculados. Se esse for o caso e o primeiro vôo atrasar, nem TAM nem Azul se responsabilizarão pela remarcação do seu segundo vôo. Se forem desvinculados, será necessário também um novo check-in, para o qual você não terá tempo hábil.

      Caso sejam vôos vinculados, as cias. aéreas deveriam se responsabilizar pela continuação da viagem. Descubra isso ou altere um dos vôos.

  16. Olá Boia! tudo bem?

    Vamos lá.. li algumas perguntas sobre a melhor epoca do mes para viajar para Noronha, mas ainda não estou segura….

    Tenho uma passagem marcada para Noronha dia 02 de Abril e depois de ter comprado li que pe o mês que mais chove e entrei em desespero. Afinal, nada mais frustrante do que chegar em um lugar de praia e se deprar com chuvas e mar feio.

    Vi que você falou que pode chover ou não.. e falou que quem quer surfar o ideal é dez a jan, mas pra mim o mais importante é ver a água VERDE E TRANSPARENTE como nas fotos e que faça SOL! Estou pensando em mudar para Novembro a viagem, mas queria mesmo ir em Abril.

    O que você indicaria para quem quer ver o mar perfeito e dias de sol?

    1. Olá, Isabela!

      Para tempo seco: agosto a fevereiro.

      Para mar piscininha: de abril a início de outubro.

      Logo, para tempo seco e mar piscininha: agosto e setembro.

      Em abril o mar estará piscininha mas pode chover.

      Veja:
      http://www.viajenaviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/

  17. Olá. Eu acabo de voltar de noronha e gostaria de publicar um artigo no Viaje na Viagem para direcionar melhor outros turistas, pra onde posso mandar via e-mail o artigo para aprovação?

    1. Olá, Rafael! Legal! Envie o seu relato para redacao arroba viajenaviagem ponto com :)

  18. Boa tarde,
    Estou planejando ir a Noronha na semana santa entre 17 e 21 de abril. Estou em duvida se levo meu filho de 5 anos. Você sabe se é permito as crianças desta idade mergulharem com snorkel? Existe algum programinha de mergulho para crianças desta faixa etária? Estou com medo de ele não aproveitar a viagem.
    Obrigada,
    Milena

    1. Olá, Milena! A blogueira Patricia Papp já viajou com o filho pequeno para Fernando de Noronha e tem dicas aqui: http://coisasdemae.wordpress.com/2010/04/25/as-melhores-viagens-com-criancas-fernando-de-noronha/

  19. Tenho o dever de alertar a todos os brasileiros que desejam viajar para Fernando de Noronha de não fechar passeios pelo site http://www.ilhadenoronha.com.br.
    O site é muito bom. Funciona bem e é cheio de marketing. Mas na verdade os proprietários são uns oportunistas que abusam do fato da ilha não possuir nenhum outro tipo de portal para poder informar aos turistas sobre os preços reias praticados em Noronha e os abusos deste site.

    Só para se ter uma idéia da disparidade de alguns passeios::

    Projeto NAVI comprando lá já com a comissão das agências incluída: R$ 150,00 No site sai por R$ 195,00.
    Aluguel de Buggy de R$ 130,00 a R$ 150,00. No site R$ 220,00.
    Aluguel de moto R$ 70,00. No site R$ 100,00.

    Agora o maior absurdo de todos:,

    Aquasub custa R$ 40,00 comprando por lá em qq lugar. No site custa R$ 110,00. Isso mesmo quase 3 x o valor.

    E no site eles ainda querem te dar a impressão que trata-se de um passeio de 3 horas… Mera enganação. Dura apenas meia hora.

    Esta agência do site não existe em Fernando de Noronha. Qualquer problema ou reclamação vc precisa se virar sozinho lá em Noronha. Ou seja, dança como no caso do Aquasub que nós e outros turistas se sentiram indignados e não tinhámos nem a quem recorrer. Eles apenas vendem e compram das agências locais.

    Este é o meu dever como cidadão que existe respeito. O site é bom mas abusa do direito de ganhar dinheiro em cima das pessoas sem realmente oferecer um serviço digno.

    Isso não é se preocupar em realmente cativar o cliente. Todos saiem de lá se sentindo realmente enganados.

    1. Obrigado pelo aviso.
      Vou viajar para noronha e estava em dúvida se comprava logo sos passeios ou deixava pra comprar por lá. Agora estou com minha dúvida sanada.

  20. Sou de Brasília e preciso de uma dica de agencia de viagem que cuide da minha ida para Fernando de Noronha em abril próximo. Tem alguma dica que não seja a CVC?

    1. Olá, Naldete! A gente aqui é especializado em viagens independentes, desculpe!

  21. Olá! Estou querendo ir para Noronha na próxima quarta-feira (12). Só que está marcando chuva para toda a semana. Vale a pena ir mesmo assim?
    Obrigada!

    1. Olá, Juliana! A previsão da Climatempo é de sol com chuva todos os dias, o que é normal para esta época. Querendo ir com tempo seco, viaje entre agosto e fevereiro.

  22. Bom dia,
    gostaria de saber se alguém foi ou conhece alguém que tenha ido para Noronha em junho e possa me relatar se chove muito.
    Grata,
    Marcia

  23. Olá Bóia,
    Estou em dúvida se passo a lua de mel, que está marcado para o dia 19/março à 23/março, em Fernando de Noronha ou Gramado. Pesquisei bastante e gostei muito dos dois lugares; a questão é que meu foco em Noronha será fazer o mergulho de batismo e abusar do uso do snorkel, além de admirar a linda paisagem, por isso preciso que o tempo esteja bom para mergulho com águas quase transparentes e que se chover que seja apenas por pouco tempo. já em gramado gostaria de não pegar uma época quente e faria muitos passeios turísticos pra conhecer a cidade e tb conhecer canela.
    Minha pergunta é: Nesse período que citei, noronha vai ta com águas boas para mergulho e vai dar pra curtir a praia sem pegar chuvas que atrapalhem o passeio?
    Sei que a melhor época do ano para fazer esse tipo de passeio é de agosto à outubro como já foi falado aqui no site e sei também que prever clima é quase que prever a loteria.
    O maior contra dos dois são os preços de tudo, mesmo em “baixa estação” os preços são um absurdo.

    Agradeço se puder me ajudar, principalmente nessa minha dúvida sobre o mergulho e o clima.

    1. Olá, Genilson! O mar fica melhor para mergulhos entre maio e setembro. Em março você pode pegar chuva e vai pegar um mar ainda mexido do swell do verão.

      Em Gramado ainda não estará frio. Mas se você não estiver esperando frio, a cidade é gostosa de curtir o ano inteiro.

      1. Acho q então vou para gramado pois fazendo chuva ou sol , frio ou calor, a cidade continua charmosa; e me programarei para no futuro ir à noronha na época boa de mergulho + sol.

        Obrigado por sanar minhas dúvidas,

        Paz

  24. Olá Bóia!!
    Estou indo para Noronha em abril e quero saber o seu posicionamento sobre a postagem do Bernardo, comentando sobre os preços abusivos que o site ilhadenoronha está oferecendo.
    Tem procedência? Outros casos?

    1. Olá, Karine! O Ricardo Freire fala o tempo todo que não é preciso comprar com antecedência nenhum passeio na ilha. Deixe para comprar lá. O melhor é fazer o máximo possível por conta própria.

  25. hum… Entendido, obrigada. ;-)
    Mas eu queria outra opinião estarei chegando en noronha no sábado e vou embora na segunda a tarde.Chego no aeroporto de noronha 13h50, vi que do aeroporto para o hotel são 4km.Você acha que ainda vai dar tempo de fazer o passeio de barco ao entardecer? Pq vi no site que o horário de saída dele é 14h30, o que vc acha?

    1. Olá, Karine! Programar um passeio para 40 minutos após o pouso é correria na certa. Não podemos garantir que dê tempo.

      O melhor programa para a tarde da chegada é pegar praia na Conceição ou no Cachorro.

  26. Guia clássico de Noronha! Muito bom!!

    Estivemos no Arquipélago mais desejado por brasileiros e descobrimos alguns segredinhos da ilha. Estamos publicando uma série no blog e convido quem está planejando uma viagem para lá ler nossos relatos, bem atual e com um olha diferente deste destino maravilhoso!

  27. [...] Clique aqui para ver o post completo. [...]

  28. posso pagar a taxa ambiental nos banco bradeeco

    1. Olá, Magair! Pode pagar em qualquer banco.

  29. Queria ir no mês de junho é muita chuva? Estava dando olhada nas passagens e achei um absurdo de caro, saindo de Recife pra lá mais 1400 reais.

    1. Olá, Priscila! Consulte médias de chuva mês a mês no Praiômetro: http://www.viajenaviagem.com/2012/10/praiometro-nordeste-caribe/

  30. Acabei de voltar de Fernando de Noronha e realmente agora está muito chata a ilha. Para começar que além de pagar a taxa de preservação, existe uma outra taxa da icmbio em que eles “privatizaram”a praia. Sem a tal carteirinha, vc não tem acesso ao “parque nacional”, ou seja o governo não consegue fazer o trabalho dele, que é preservar e concede para outros e estes cobram. Mesmo assim não fazem direito o papel de preservar. Se quer preservar, porque não fecha logo a ilha para turismo? O sistema de internet da ilha é uma piada pronta e diversos pontos que vc tem que apresentar a carteirinha, o computador não funciona (motivo de piada). Eu tinha ido em 2000 para la e ja estava chato, agora esta insuportável!! ok!! Tem uns mergulhos legais, golfinhos etc, mas com o mesmo valor que vc gastaria para ir noronha, vc vai para o caribe, fica hospedado em lugares melhores e ainda sobra dinheiro para comprar eletrônicos nas ilhas que tem imposto baixo alem de ter agua se não igual, melhor que noronha!

  31. Boa noite

    Gostaria de saber como funciona e no que implica a maré para fazer os passeios, vou para a ilha em Novembro e em alguns sites a previsão da maré é de 0.9 a 1.8 em horarios da manhã, até que ponto essa maré de 1.8 atrapalha para fazer mergulho, visitar pscinas naturais etc vou estar na ilha entre dia 12 e 16 e gostaria de saber se pode me indicar empresas confiaveis para se fazer mergulho e outros passeios na ilha

    segue o link consultado
    http://www.mar.mil.br/dhn/chm/tabuas/30955Nov2014.htm

    Obrigado

    1. Olá, Thiago! A maré não infui absolutamente em mergulhos de cilindro.

      A maré apenas regula as piscinas naturais da praia do Atalaia, que só podem ser visitadas na maré baixa.

      1. Obrigado pela resposta, foi de grande ajuda!

  32. Olá Bóia,

    Estou indo a Noronha com meu marido em julho (rezando para chover bem pouquinho….)
    Como ele tem carteira de moto, pensamos em alugar uma por lá para nos deslocarmos pela ilha. Vale a pena, ou é mais difícil transitar pela ilha dessa forma?

    Obrigada!

    1. Olá, Ana Luiza! Fora a eventual chuva, não há inconvenientes não.

  33. Vou para Noronha em final de Junho inicio de julho, neste período tem chuva por lá? Vou com duas crianças e uma de 4 e outra de 9 anos, vamos passar 7 dias, será que em programa para elas durante este tempo? Minha preocupação e que elas fiquem entediadas com o clima de calmo.

    1. Olá, Eliane! A gente comenta na seção “Quando ir” que a época mais seca é de agosto/setembro a fevereiro. Dê uma olhadinha!

      Há muito o que fazer em Noronha, mas as crianças precisam essencialmente gostar de praia ;)

  34. Quantos dias são ideais para conhece Noronha? Acho que terei apenas 5 dias inteiros, seria suficiente?

    1. Olá, Raquel! É a nossa permanência mínima recomendada.

1 ... 3 4 5

ATENÇÃO:
Antes de perguntar, veja se a dúvida já não está respondida no texto. Perguntas redundantes e comentários em maiúsculas serão apagados. Obrigado!