Lençóis Maranhenses

O que fazer

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Lençóis Maranhenses: o que fazer

Barreirinhas, a 'capital' dos Lençóis maranhenses, é a base que oferece os passeios mais diversificados e mais em conta. Santo Amaro aparece como a porta de entrada para as lagoas que permanecem cheias por mais tempo, até iniciozinho de outubro. Atins funciona como a praia dos Lençóis -- e depois que as lagoas secam (fim de setembro), a temporada continua até dezembro, graças aos ventos que trazem os kitesurfistas.

Se preferir, clique para ir direto ao tópico:

Onde ficar | Como chegar | Onde comer | Roteiros

  • O que fazer em Barreirinhas

Barreirinhas

É muito fácil passear em Barreirinhas. Na temporada, várias agências oferecem saídas diárias dos principais passeios. É só passar no centrinho da cidade, próximo à beira-rio, e reservar na véspera. (A maioria dá para reservar até no mesmo dia.) É bastante provável que a sua pousada ofereça esses passeios a você já no e-mail de confirmação de reserva. As jardineiras passam nas pousadas para pegar e levar de volta os passageiros.

Note que todos os passeios às lagoas de Barreirinhas envolvem alguma caminhada: é preciso subir e descer dunas sob o sol. Não são atividades recomendadas para crianças pequenas ou pessoas com mobilidade reduzida.

Circuito Lagoa Bonita

Circuito Lagoa Bonita

No início da temporada, quando as lagoas estão ainda cheias, este passeio proporciona o mais belo panorama que se pode ter dos Lençóis Maranhenses sem embarcar num aviãozinho.

Depois de atravessar o rio de balsa e rodar meia hora no areião, pela mata, a jardineira estaciona atrás de uma duna de 70 metros. A escalada conta com a ajuda de uma cordinha instalada no trecho final. Lá de cima, você consegue avistar pelo menos 8 lagoas entre dunas. É um espetáculo.

Circuito Lagoa Bonita

Depois de contemplar a vista 'de sobrevôo', o seu grupo vai partir por um circuito livre de uma hora e meia entre as dunas, com uma ou duas paradas para banho. No caminho, você avistará dunas e lagoas sem ninguém em quadro, e vai fazer suas melhores fotos dos Lençóis. Nos passeios vespertinos, ao final do circuito todos ficam a meia hora final no alto da primeira duna, assistindo ao pôr do sol.

A partir de meados de agosto, porém, informe-se se as lagoas ainda estão com bom volume. É um passeio de 4 horas; custa R$ 80 (julho/2017)

Circuito Lagoa Azul

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Circuito Lagoa Azul

Este é o circuito de lagoas Barreirinhas que costuma ter lagoas com bom volume d'água por mais tempo. Uma frota de jardineiras atravessa o Preguiças de balsa e percorre trilhas no areião por 45 minutos até chegar ao ponto de desembarque.

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Circuito Lagoa Azul

Ali os grupos partem para o passeio por seis lagoas -- dos Toyoteiros, Esmeralda, da Preguiça, da Paz, do Peixe e Azul.

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Circuito Lagoa Azul

Há pelo menos três paradas para banho. Vendedores de água e picolé aguardam os banhistas na margem.

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Circuito Lagoa Azul

As agências fazem duas saídas por dia, à manhã e à tarde. As saídas da tarde ficam até o pôr do sol. O passeio dura 4 horas e custa R$ 70 (julho/2017).

Lagoa da Esperança

É vendida como a única que não seca. E de fato, é uma lagoa perene e pode ser visitada o ano inteiro. Só tem um detalhe: não é cercada de dunas por todos os lados. O paredão de areia existe só de um lado; a outra margem tem mata. O passeio é vendido a R$ 80 (julho/2017).

De voadeira pelo rio Preguiças

É o passeio clássico de Barreirinhas: uma voadora (lancha baixa) percorre o ziguezagueante rio Preguiças em direção ao mar. A paisagem começa com mangue altíssimo nas duas margens; aos poucos, as dunas vão aparecendo, primeiro na margem esquerda, depois na margem direita.

Vassouras

Vassouras

O passeio tem três paradas regulamentares: o lugar conhecido como Vassouras, onde ao pé de uma duna há uma palhoça freqüentada por sagüis; ali você pode fazer um lanche, comprar um artesanato ou fazer um esquibundazinho rápido.

Mandacaru

Mandacaru

Mandacaru

De lá a voadeira toca para Mandacaru, um vilarejo na margem esquerda onde dá para subir no farol (e fazer um lanche e comprar um artesanato).

Caburé

Caburé

A terceira parada é em Caburé: quase na foz do rio, Caburé é uma faixa de areia com praias voltadas para o rio e o mar. As atividades aqui (não-incluídas no preço do passeio) são almoço (há três ou quatro restaurantes) e passeios de quadriciclo. O passeio dura o dia inteiro e, sem os extras, custa R$ 80.

Este passeio é também um jeito divertido de se deslocar de Barreirinhas a Atins -- nesse caso, você vai precisar negociar com a agência a travessia de Caburé a Atins (algumas agências oferecem a travessia de graça, outras cobram entre R$ 20 e R$ 30 por pessoa). Caso você negocie para ser deixado em Atins, acerte um horário para avisar sua pousada, que deve enviar uma jardineira ou quadriciclo para buscar você na praia.

Também é possível fretar uma voadeira pequena para fazer esse passeio evitar chegar nos lugares no momento que estão tomados pelos grupos. O passeio deve sair entre R$ 350 e R$ 400 (julho/2017).

Bóia-cross na Cardosa

Este passeio de meio dia é oferecido o ano inteiro, porque usa um rio perene. As agências levam de jardineira até o vilarejo de Cardosa, onde acontece a flutuação em bóias pelo rio Formiga. A corrente é tranqüilinha -- a idéia é relaxar, não provocar a adrenalina. O rio não tem peixes. O passeio dura 4 horas e custa R$ (julho/2017).

Sobrevôo do Parque Nacional

Sobrevoo

Sobrevôo

Enquanto não houver vôos entre São Luís e Barreirinhas, esta vai ser a única maneira de ver os Lençóis do alto. Se você está podendo (e não tem medo de teco-teco), vale cada pila dos R$ 350 cobrados por pessoa (julho/2017). O sobrevôo leva 25 minutos. Reserve com a Ava (tel. 98/982-871-854).

Passeio de um dia a Santo Amaro

Com o calçamento do areião entre a BR 402 e a vila, as lagoas de Santo Amaro estão bem mais próximas de Barreirinhas. A viagem de Barreirinhas até o centrinho de Santo amaro, que antes levava 3h30, agora pode ser feita em 2h. De lá é feito o circuito da Lagoa das Andorinhas ou da Betânia, dependendo do operador. Agências em Barreirinhas oferecem o passeio a R$ 160 por pessoa (julho/2017). As saídas, porém, não são diárias -- em muitas agências, depende de formação de grupo.

Passeio de um dia a Atins

O passeio normalmente vai pela estrada de areia, usada pelas Toyotas: são duas horas de solavancos. Na volta, a parada de praxe para comer camarão na Luzia ou no Antônio. Dura o dia inteiro, e custa R$ 120 por pessoa (julho/2017).

Minha opinião, sem ter feito: acho bastante sacrificado, por causa da ida e da volta pela areia; você deve voltar moído a Barreirinhas.

Caso você não tenha tempo para passar uma ou duas noites em Atins, o ideal é formar um grupo e formatar junto a uma agência um passeio privativo com ida e volta de voadeira, combinado com uma jardineira ou Hilux para fazer lagoas e Canto do Atins. Deve sair entre R$ 600 e R$ 800, divisíveis por quatro a seis passageiros.

  • O que fazer em Santo Amaro

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Santo Amaro

Santo Amaro fica praticamente dentro do parque nacional. Há lagoas que podem ser acessadas a pé, em caminhadas (guiadas) de menos de uma hora.

Santo Amaro do Maranhão

Santo Amaro também é o destino indicado para quem quer caminhar menos, já que os veículos (credenciados pelo parque) podem chegar (pelos caminhos autorizados) mais perto das lagoas. São três as rotas oficiais

  • De Santo Amaro à lagoa das Andorinhas
  • De Santo Amaro à lagoa da Betânia e ao Espigão
  • De Santo Amaro ao Espigão, pela mata (inacessível no início da temporada)

Há também o circuito da Lagoa das Américas, que é acessado de barco e completado com caminhada.

Todos essas rotas passam por diversas lagoas. Indo na época das lagoas cheias e tempo firme (entre meados de junho e setembro) você fará um lindo passeio em qualquer dessas rotas. Nos anos em que tenha chovido muito no primeiro semestre -- 2017 é um desses anos -- é possível encontrar lagoas com um bom volume d'água até o início de outubro.

Até 2015, o maior diferencial de Santo Amaro era a possibilidade de encontrar lagoas totalmente vazias de gente e de carros. Com o calçamento da estrada de acesso à vila, em 2016, o panorama começou a mudar: hoje a Lagoa das Andorinhas já ganhou um jeitão de 'praia', e o tráfego de veículos (ainda que credenciados) vai precisar logo, logo ser mais organizado, porque as jardineiras e jipões estão estacionando muito próximo das lagoas, estragando a paisagem (e cortando o grande barato de Santo Amaro, que era o de entregar ao visitante o cartão-postal dos Lençóis ao vivo, sem gente nem carros).

Em contrapartida, ficou mais fácil e mais barato fazer os passeios de Santo Amaro, porque a cooperativa de transporte turístico da vila, a Santo Amaro Coop, está com saídas regulares de 'coletivos', vendendo lugares avulsos. Os passeios custam entre R$ 45 e R$ 80 por pessoa (julho/2017).

Passeios em Santo Amaro: tabela da Santo Amaro Coop

Caso os 'coletivos' estejam lotados, você pode fretar um passeio privado. Custam entre R$ 250 e R$ 400, dependendo do circuito (julho/2017).

Como reservar os passeios em Santo Amaro

A Santo Amaro Coop tem um telefone, 98/989-088-493, mas as comunicações em Santo Amaro são bastante difíceis. O mais indicado é pedir com antecedência à sua pousada para encaixar você e o seu grupo em passeios 'coletivos' aos principais circuitos (Andorinhas, Betânia e Américas).

Sua pousada também pode fretar passeios privativos com motorista e arranjar um guia para caminhadas a lagoas próximas, como a da Serra.

Circuito Lagoa das Andorinhas

O que fazer em Santo Amaro: Lagoa das Andorinhas

Leva à maior das lagoas dos arredores de Santo Amaro, com parada em outras pelo caminho. É um passeio de 3 horas. No modo coletivo, sai R$ 60 por pessoa. Privativo, R$ 250 para até 5 pessoas (julho/2017).

Lagoa da Gaivota

Já foi a maior lagoa de Santo Amaro, mas 'furou' há alguns anos e está em tamanho menor. Fica mais perto, e por isso sai mais barato: R$ 50 por pessoa, ou R$ 200 o privativo para até 5 pessoas (julho/2017).

Lagoa da Betânia

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Lagoa da Betânia

É um passeio de dia inteiro, que aproveita uma das duas rotas mais longas onde veículos (credenciados) são permitidos. O passeio inclui banho de rio no Espigão e paradas em lagoas no caminho.

Há uma parada para almoço (não-incluído) no 'oásis' de Betânia, um povoado fixado numa área com água doce e vegetação permanentes. (É a sua melhor chance de pedir a galinha caipira ensopada, feita com um bichinho bem diferente -- e mais saboroso -- do que o frango 'industrializado' de granja que a gente conhece na cidade.)

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Santo Amaro

O pôr do sol também está incluído (desde que as nuvens cooperem). Custa R$ 80 por pessoa no modo coletivo -- ou R$ 400 no privado, para até 5 passageiros (julho/2017).

Circuito Lagoa das Américas

Ainda não fiz esse passeio, mas as referências são excelentes. Você sai de barco de Santo Amaro, navega por 20 minutos e chega ao ponto de partida de um circuito a pé por lagoas fora das rotas em que os carros (credenciados) são permitidos. É um passeio de meio dia e custa R$ 45 por pessoa. O barco pode ser fretado por R$ 150 (julho/2017).

Lagoas a pé

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Lagoa da Serra, Santo Amaro

Lagoa da Serra

Dá para ir a pé a lagoas que ficam a menos de uma hora de caminhada da vila, como a lagoa Tinoca e a lagoa da Serra. (Depois de aprender o caminho, você pode voltar a essas lagoas próximas sozinho.) Um guia vai cobrar entre R$ 80 e R$ 100 para acompanhar até 4 pessoas.

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Lagoa das Cabras

Lagoa das Cabras, próxima a Queimada dos Britos

Existe um roteiro híbrido que combina carro com caminhada. O jipe ou jardineira percorre a rota de Santo Amaro até um pouco adiante da lagoa da Andorinha. De lá, acompanhado pelo guia, o seu grupo faz uma caminhada de 90 minutos a duas horas, passando por várias lagoas, com paradas para banho. O carro estará à espera do grupo em Betânia, onde é servido o almoço, voltando de lá para a vila, com uma parada final para o pôr do sol. O carro com guia para a caminhada deve sair entre R$ 500 e R$ 600 para até 4 passageiros (julho/2017).

Para visitar o miolo do parque, onde o tráfego de veículos para turismo é totalmente proibido, clique para ler sobre as travessias do parque de Atins a Santo Amaro.

  • O que fazer em Atins

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Atins

O vilarejo de Atins também está praticamente fincado no parque nacional -- mas as lagoas ficam um pouco mais distantes do que as de Santo Amaro. As mais bonitas requerem rodar pelo menos 45 minutos, em carro credenciado, pelas rotas autorizadas.

Como reservar os passeios em Atins

Há pequenas agências na ruazinha principal da vila. Mas todos os passeios podem ser perfeitamente reserváveis por meio de sua pousada.

Lagoa e camarão no Canto do Atins

Caminho a Baixa Grande

Lagoa no caminho a Baixa Grande (acesso apenas a pé)

O passeio-padrão de Atins, feito em jardineira ou 4x4, combina uma lagoa (normalmente, Guajiru ou Tropical, que são as com maior volume d'água e que duram mais) com uma parada num dos restaurantes do Canto do Atins para experimentar o famoso camarão grelhado do lugar.

Camarão da Luzia

Camarão da Luzia

Um passeio privativo de 5 horas, para até 5 passageiros, deve custar R$ 400; de 3 horas, R$ 300. É possível também tentar se encaixar em passeios coletivos por R$ 80 (passeios de 5 horas) ou R$ 65 (passeios de 3 horas). Os preços são de julho/2017; a refeição não está incluída.

Praia e kite

Lençóis Maranhenses: o que fazer - Atins

O melhor uso que você pode fazer de Atins é como um fecho praiano para a sua aventura. Durante a temporada do kitesurf, que começa em agosto (e vai até dezembro), você curte uma praia permanentemente ensolarada, enfeitada pelas velas dos kitesurfistas, e aproveitando a sombra, a cerveja gelada e os petiscos de duas barracas supimpas -- a rústica Cabana da Isabel e o internacional Bar.co (veja em Onde comer).

Pôr do sol e guarás

Guarás em Atins

Atins

Um passeio imperdível é ver a revoada de guarás ao entardecer. Você vai de voadeira ou rabeta até uma área próxima à foz do Preguiças e logo verá os pássaros vermelhíssimos voltando para dormir nas árvores. O pôr do sol vem de lambuja, na travessia de retorno à vila. Custa entre R$ 25 e R$ 30 por pessoa (julho/2017).

Travessia Atins-Santo Amaro
Travessia a pé Lençóis Maranhenses

  • As travessias a pé são a única maneira de visitar o coração do parque nacional, onde não é permitido circular de carro. De lambuja, você tem a experiência de passar duas noites em 'oásis' (como são chamados os povoados estabelecidos em zonas de lagoas e vegetação permananentes), convivendo com o povo do lugar, dormindo em rede e comendo comida caseira do sertão.
  • É possível fazer a travessia nos dois sentidos, mas os guias preferem fazer no sentido Atins-Santo Amaro, para caminhar a favor do vento e do sol. As caminhadas são feitas de madrugada e de manhã cedo, para que não seja necessário andar sob o sol a pino.

  • No roteiro 'hard', você pernoita no Canto do Atins e sai de madrugada (antes das 4h) para uma caminhada de 7 a 8 horas até o oásis de Baixa Grande. O segundo dia é mais tranqüilo, com uma caminhada de 2 a 3 horas entre os oásis de Baixa Grande e Queimada dos Britos. O terceiro dia também requer saída de madrugada (3h no máximo) para uma última caminhada de 8 horas até Santo Amaro.
  • Na versão 'light', você corta caminho de carro nos trechos em que isso é permitido, no início e no fim da travessia. Você sai de Atins e roda 1 hora de jipe, Toyota ou quadriciclo até o Bonzinho ou Caiçara, de onde a caminhada até o oásis de Baixa Grande leva menos de 3 horas. O segundo dia é igual ao do outro roteiro, com uma caminhada de 2 a 3 horas entre os oásis de Baixa Grande e Queimada dos Britos. No terceiro dia, você acorda antes das 4 da madrugada para caminhar 6 horas até a Lagoa da Andorinha, perto de Santo Amaro, de onde continua de jipe, Toyota ou quadriciclo até Santo Amaro (20 minutos).
  • A diária do guia custa entre R$ 200 e R$ 250 (julho/2017; a travessia custa 3 diárias), divididos entre até 4 passageiros. A dormida em rede nos oásis (com café da manhã, almoço e jantar) custa entre R$ 105 e R$ 120 por pessoa, por dia (julho/2017). Quem adicionar os trechos de carro do primeiro e do último dia vai gastar mais R$ 200 a R$ 300 por trecho (julho/2017), dependendo do veículo (se for jipe ou Toyota, o valor é divisível com outros passageiros). Peça para sua pousada intermediar o contato com um guia recomendado; faça esse contato com pelo menos 30 dias de antecedência, porque os melhores guias estão sempre ocupados na temporada. Viaje com o mínimo de peso possível; sua mala ou mochila grande pode ser despachada nas Toyotas de linha para a pousada em que você for dormir na chegada em Santo Amaro (é cobrado como se fosse um passageiro).
  • Eu fiz a travessia em junho de 2017 e tão logo publique o relato, acrescento o link aqui.

32 comentários

Cátia
CátiaPermalinkResponder

Foram uma das melhores dicas que já encontrei. Inclusive sobre o sobrevôo...Obrigada

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Olá.
Vocês acham que vale a pena fazer um passeio de um dia inteiro de Barreinhas até Santo Amaro para conhecer a Lagoa da Gaivota e Betânia? Vi em uma agência que o passeio sai as 07:30 e retorna as 18h. Ou fica muito corrido e desgastante?
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! Qualquer passeio bate-volta a Santo Amaro será desgastante, mas se você não vai pernoitar por lá, a viagem vale pelas lagoas (desde que você vá na época de sol e lagoas cheias, entre meados de junho e setembro).

Não fizemos o passeio a Betânia, mas por tudo o que vemos por aí o forte do lugar não é a lagoa, mas o vilarejo e a comida. Verifique se o passeio explora mais lagoas próximas a Santo Amaro antes de esticar a Betânia.

Isis
IsisPermalinkResponder

Olá! Planejando ir esse ano, gostaria de saber o seguinte: para as caminhadas entre as lagoas, o melhor é realmente ir de tênis ou dá para ir de chinelo mesmo??

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Isis! Chinelo pode ser incômodo. Papete, pé descalço, meia ou tênis usado são mais confortáveis.

Fábio
FábioPermalinkResponder

Ricardo,

Acompanho você desde a época do Xongas, seu guia, embora antigo, ainda é o meu favorito porque seus comentários são sempre certeiros. Antes de ir aos Lençois já tinha lido seu post e mesmo assim, fiz a besteira de fazer bate-volta de Barreirinhas a Atins. Como não o fez, deixo aqui minha opinião para outros turistas. Programa de índio total. Pior passeio da minha vida. Atins é muito longe e além disso tem os deslocamentos. Somando tudo, fica-se meia hora nas lagoas, meia hora numa praia horrorosa, meia hora no encontro do rio com o mar e absurdos 8 horas balançando dentro do carro. Eu não vi absolutamente nada em Atins que justificasse uma ida até lá. Sinceramente, as lagoas são muito parecidas. Não precisa ir tão longe para ver mais do mesmo. As agências ficam inventando passeios, mas dois dias para conhecer as lagoas são mais do que suficiente. Todos os outros passeios outros destinos oferecem com muito mais qualidade.

Fabíola
FabíolaPermalinkResponder

Oi Ricardo, bom dia.
Estou organizando uma viagem para visitar umas amigas em Barra Grande e vou aproveitar para fazer um tour na "região"... Vamos uma amiga, minha filha (9 anos) e eu. Estou contando com ajuda dessas amigas e de algumas pessoas indicadas por elas e, logicamente, dos sites...quando, de repente, encontro o seu e estou aproveitando muito todas as informações... Enfim, mesmo com tudo isso ainda é difícil decidir algumas coisas e por isso resolvi lhe perguntar. Minha rota é um pouco ao contrário do que tenho visto: sairei de Barra Grande para ir aos Lençóis. Então, o que pensei foi ir para Barreirinhas (duas noites), passar por Atins (2 noites) e terminar em Santo Amaro (1 noite). Eis minha dúvida.... pelo que você disse, Santo Amaro é muuuito bacana e tem lagoas muito lindas. Será que troco e fico 1 noite em Atins e 2 em Santo Amaro? Outra pergunta: não é preciso voltar para Barreirinhas, né? Posso ir de Santo Amaro para São Luís direto, digo, passando por Sangue, certo?
Agradeço demais a atenção, desde já.
Abraços.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fabíola! Santo Amaro tem lagoas mais bonitas que Atins. Atins tem pousadas mais charmosas que Santo Amaro, mas não são tão charmosas quanto as de Barra Grande. Ir de Atins a Santo Amaro é bem exaustivo, é preciso passar por Barreirinhas. Você pode passar duas noites em Barreirinhas para fazer o passeio do Rio Preguiças no segundo dia, e ir direto a Santo Amaro. Os mesmos operadores que transportam de São Luís a Santo Amaro evidentemente fazem o sentido oposto.

Marina
MarinaPermalinkResponder

Ola! Estou indo para os lençóis em meados de junho e gostaria de saber se vocês pensam ser necessário reservar os passeios com antecedência ou se posso deixar para decidir no local, quando eu chegar. Mesma duvida com relação ao traslado Barreirinhas-Santo Amaro. Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marina! Os passeios é fácil comprar localmente. O deslocamento de Barreirinhas a Santo Amaro é complicado, porque não há linhas regulares. Ou você freta um transporte privativo, ou vai com o ônibus da Cisne Branco até Sangue e prossegue de jardineira. A jardineira precisa ser reservada com alguns dias de antecedência. Os detalhes de como se deslocar nos Lençóis estão na página http://www.viajenaviagem.com/como-chegar-lencois

Há passeios para Santo Amaro saindo de Barreirinhas. Agora com a estrada nova é possível que eles sejam mais freqüentes.

Regina Silva
Regina SilvaPermalinkResponder

Olá, estou indo para Lençóis entre 22 e 28 de julho. Chegarei por São Luís. E retornarei para BH por São Luís. Pretendo fazer o Delta do Parnaíba. Sendo assim, devo ir direto para o Delta e depois ir fazendo os Lençóis? Ou vou para Barreirinhas , desço até o Delta e depois retorno em uma van ou ônibus direto?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Regina! Não há nenhum transporte direto de Parnaíba a São Luís. Você teria que pegar as vans locais ou a Rota Combo até Barreirinhas e de lá voltar a São Luís. Se a sua intenção é apenas fazer o passeio do Delta, repense. O passeio do Rio Preguiças é bem parecido, revela um ecossistema semelhante. Continuar ao Piauí vale a pena num itinerário que continue a Jericoacoara e Fortaleza ou que pelo menos inclua alguns dias de descanso em Barra Grande do Piauí, que realmente acrescenta elementos novos aos que você terá experimentado nos Lençóis.

MANOEL SANTANA CÂMARA ALVES

Passe uma noite de luar nos lençóis maranhense e sinta no brilho das estrelas a presença do Grande Arquiteto do Universo.Voce jamais esquecerá.

Karen
KarenPermalinkResponder

Olá Bóia,
lendo sua resposta à Regina, fiquei na dúvida do roteiro a seguir. Inicialmente faria Barreirinhas/Parnaíba, ficaria 2 noites pois o translado nos obriga a isso e depois iria à Jeri. Será que vale a pena fazer o passeio do Delta ou seria mais interessante ir direto à Barra Grande ou mesmo Jeri? Infelizmente não há o trecho de Barreirinhas à Barra Grande pela Rota Combo.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Karen! Parnaíba é uma parada interessante para quem está indo a Jeri. O que não vale muito a pena é fazer como bate-volta de Barreirinhas para lá. Mas caso você prefira ficar mais tempo em Barra Grande, é só seguir de Paranaíba a Barra Grande de táxi ao chegar.

Isadora
IsadoraPermalinkResponder

Obrigada pelas dicas!
A propósito: como fizeram os traslados entre as cidades? Minha intenção é ficar um pouco em cada uma, hospedada mesmo. É fácil ir de uma para a outra sem ser com excursão? Ou melhor seria ficar em Barreirinhas mesmo como "pouso"? Grata,

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Isadora! Leia na página Como chegar:

http://www.viajenaviagem.com/como-chegar-lencois-maranhenses

Isadora
IsadoraPermalinkResponder

Olá,

Para ver a revoada dos guarás é necessário pernoitar em Atins? Como ir de Barreirinhas para lá?
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Isadora! Os passeios regulares voltam a Barreirinhas antes do entardecer. Você teria que fretar uma voadeira e combinar o passeio. A volta seria no escuro.

Sergio Moura
Sergio MouraPermalinkResponder

Olá Fábio. Já fui em Atins e concordo com sua opinião. Acho que serve para quem já conhece as principais atrações e tem tempo sobrando para pernoitar. O bate-volta é um passeio interessante para os que curtem off road , dentro da área permitida obviamente.

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Eu fiz a Rota das Emoções (de São Luis até Fortaleza) em setembro passado, usando apenas transporte local. Fui a Atins partindo de Parnaíba. É mais perto e o passeio valeu a pena. O transporte entre as cidades é uma série de aventuras. Os unicos trechos com ônibus de viagem confortáveis são entre São Luis e Barreirinhas e entre Jijoca e Fortaleza. Nos demais trechos, fomos de jardineira, de ônibus velho sem ar condicionado, de carona paga, de van e de taxi. Tem que gostar muito de aventura pois tem trechos bem cansativos e demorados. Vou escrever um relato detalhado deste passeio e divulgo depois pra quem se interessar. Valeu a pena pelo inusitado do passeio e beleza dos lugares.

Lilian
LilianPermalinkResponder

Boa tarde, vou fazer uma viajem a Barreirinhas para conhecer os Lençóis no fim do mês de julho. Pretendo fazer alguns passeios, vc acha que vale a pena ir até Atins num bate e volta? Estou programando vários passeios, mas esse realmente me deixou em dúvida, pelos comentários que li.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lilian! O bate-volta só vale a pena se o deslocamento a Atins for de voadeira. Se for de jardineira, fuja.

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Olá. Obrigado pelas dicas, foram muito úteis. Minha esposa e eu pretendemos ir aos lençóis agora em Agosto. Pretendemos nos hospedar em Barreirinhas. É preciso alugar carro para ir do aeroporto de São Luiz? Tem alguma dica de hospedagem com bom custo-benefício? Obrigado!

Andrea
AndreaPermalinkResponder

Vou para os Lençóis em agosto/17. Ficarei 3 dias em Santo Amaro e 4 dias em Barreirinhas. Já defini alguns passeios após ler os relatos do blog. Por tudo que li, concluí que não vale a pena o bate-volta até Atins por Barrerinhas em 4x4. Gostaria muito de conhecer o restaurante da Luzia (aqueles camarões maravilhosos) e gostaria de saber se no passeio de voadeira pelo Rio Preguiças ao chegar em Caburé, consigo atravessar o rio e chegar no famoso restaurante para o almoço e voltar para Caburé a tempo para retornar à Barrerinhas com a voadeira. Esse tipo de passeio é comum por lá ou fica fora de mão. Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Andrea! Só juntando um grupo e fazendo um passeiro privativo de voadeira e 4x4. Não há tempo hábil para deixar o grupo em Caburé, fazer a travessia, ir de 4x4 até o Canto do Atins, almoçar, fazer a travessia de volta e ainda pegar o pessoal terminando de almoçar. Mesmo se fosse possível, custaria entre R$ 300 e R$ 400 extras.

Andrea
AndreaPermalinkResponder

Bom dia! Muito obrigada por todas as informações que nunca cansamos de ler!

Beatrice
BeatricePermalinkResponder

Olá! Pretendo ir agora com minha família em Agosto. Liguei para os estacionamentos para já deixar certo o lugar do nosso carro. Nos dois estacionamentos disseram que fazem também os passeios. Será que realmente é confiável contratar por eles? Se não, você indica alguém para fazer? Obs: Estou ligando para a Santo Amaro Coop e não dá mais certo.
De qualquer jeito, muito obrigada por todas essas dicas.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Beatrice! As comunicações em Santo Amaro são bastante difíceis mesmo. Não temos experiência em fazer passeios com o pessoal dos estacionamentos. Veja se o preço está dentro da tabela. Você pode usar sua pousada para arranjar tanto passeios privativos quanto coletivos.

Thiago Costa
Thiago CostaPermalinkResponder

Olá Ricardo, estou planejando uma viagem a pé no sentido de Santo Amaro a Pergunto isso porque gostaria de deixar uma mala grande (23kg) por lá e buscar na volta, já que este trekking será apenas parte das minhas férias e necessito da mala para o restante em outra cidade.
Desde já agradeço

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thiago! Quem responde é A Bóia.

Estamos mexendo nesta página neste instante, para incorporar informações mais detalhadas sobre a travessia. É possível enviar sua mala para a pousada onde você estará na volta.

Por enquanto, leia aqui:
http://www.viajenaviagem.com/destino/lencois-maranhenses/como-chegar-lencois-maranhenses#travessia

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar