Chegando em Nova York: transporte de/para o aeroporto JFK

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Táxi! Siga aquele helicóptero!

Com a provável exceção deste peculiar veículo de aluguel com uma hélice espetada na capota (digo provável porque, evidentemente, nunca te$tei), não há jeito inteiramente digno de chegar em Nova York. O transporte público é pouco amigável -- como sempre, pensado para o morador, sem muita colher de chá para o visitante --, os taxistas são quase tão ríspidos quanto as aeromoças da classe econômica da American Airlines, e o trânsito entre o aeroporto e a cidade pode fazer você sentir saudade da hora do rush na Marginal Pinheiros em frente ao Robocop ou na Avenida Brasil carioca.

Isto posto... vejamos pelo lado positivo, Pollyana. Você vai chegar cedíssimo em Nova York, e o seu quarto de hotel não deve estar disponível antes das 3 da tarde. Ou seja: não há pressa nenhuma. Vamos examinar com calma, então, todas as suas opções de chegada (e já pensar nas opções de partida). Já fiz o trajeto de táxi, "car service", trem e metrô. Não testei nem van (shuttle) nem ônibus.

TÁXI

O perigo amarelo

Em qualquer um dos seus oito terminais, basta seguir a sinalização e entrar no fim da fila (que às vezes pode estar grande, sinto informar). Quando chegar a sua vez, o atendente vai perguntar para onde você vai e anotar o número do táxi numa ficha amarela, que fica com você, caso precise reclamar do taxista. A tarifa é fixa ("flat rate"). Do aeroporto a qualquer ponto de Manhattan são US$ 52 (último reajuste: setembro de 2012), mais o pedágio, mais a gorjeta. Não há sobretaxa por mala transportada. O pedágio varia de acordo com o caminho; o mais comum é custar US$ 5. Alguns motoristas -- olha a simpatia! -- pedem o dinheiro para o pedágio no momento de ser pago; outros deixam para cobrar no final. (A Marcie dá a dica: se você pedir para o motorista vir pela Queensboro Bridge, não há pedágio.) A gorjeta esperada é de pelo menos 15% (US$ 8,50).

(Mas atenção: a tarifa fixa vale apenas para Manhattan. Se você vai ao Brooklyn ou ao Queens, o táxi usará o taxímetro. Neste caso, calcule o preço neste site.)

Preço total: havendo pedágio no caminho, recomenda-se deixar 65 dólares com o taxista. (Se você der menos do que US$ 60, cuidado com a praga que ele vai te rogar.) Se não houver pedágio, deixe US$ 60. Um táxi sedan pode transportar até 4 passageiros (se as malas couberem no porta-malas). Existe uma alternativa aos táxis chamada "car service": empresas como Carmel Limo e Dial 7 cobram US$ 44 pela corrida (mais pedágio e gorjeta). Mas note que se o vôo atrasar você vai ser cobrado pela espera. São uma boa escolha, porém, quando você precisa de uma minivan (5 passageiros) ou van (9 passageiros); veja os preços para esses carros nos sites linkados em azul.

Tempo de viagem: entre 45 minutos, num dia sem muito trânsito, ao dobro disso, numa jornada particularmente infeliz.

A volta: é bom não contar com pegar táxi na rua; pode ser que justo quando você precise os táxis vazios sumam completamente da face de Manhattan. Se o seu hotel tiver concierge, peça para marcar um táxi para você, ou então reserve um shuttle (veja no próximo tópico) ou um "car service" (como Carmel Limo e Dial7). A tarifa para voltar de táxi ou car service é a mesma: US$ 52 mais pedágio (provavelmente US$ 5) e gorjeta.

VAN (SHUTTLE)

Sua perua!!!

Se você está sozinho, ir de van (em inglês, "shuttle") é uma alternativa a considerar. O SuperShuttle e o Go Airport custam US$ 19 e deixam você na porta do seu hotel. Teoricamente, basta sair do terminal e, na calçada, procurar o representante da companhia. Então você dá o seu código de reserva (caso tenha reservado e pré-pago pela internet) ou informa seu nome e destino. O sistema então coloca você numa van com mais 10 passageiros que vão na mesma direção. Se tudo der supercerto, rapidinho você estará sentado a caminho de Manhattan, e em menos de uma hora estará no seu hotel. Se tudo der errado, porém, você vai esperar um tempão pela van, vai ficar zanzando por outros terminais para pegar mais passageiros e ainda pode dar o azar de ser o último passageiro a ser entregue.

Preço total: No SuperShutle, US$ 20 por pessoa; a van inteira, até 10 passageiros, sai US$ 115; a van para 5 pessoas, US$ 118. Na Go Airport, US$ 24 por pessoa, US$ 174 a van inteira para até 11 passageiros, ou US$ 184 a van de luxo para até 6 passageiros.

Tempo de viagem: entre uma hora, se tudo der certo, a uma eternidade, se tudo der errado.

A volta: reserve pela internet, e uma van vai passar no seu hotel. O sistema pergunta o horário do seu vôo e programa a viagem para umas quatro horas antes...

ÔNIBUS NYC AIRPORTER

NYC AirporterA NYC Airporter é a concessionária de transporte de ônibus dos aeroportos que servem Nova York. De hora em hora (em horário limitado, das 11h às 19h) sai um ônibus que passa pelos terminais 4 e 8 e vai até a Grand Central Station (rua 42 esquina Park). Os ônibus funcionam das 11h às 19h.

Preço total: US$ 19.

Tempo de viagem: pelo menos 90 minutos.

A volta: reserve pela internet, pegue na Grand Central Station.

AIRTRAIN + TREM (LIRR)

Repeat after me: train bão

O AirTrain é uma belezinha: um monotrilho que interliga, de graça, os oito terminais do JFK. Pagando US$ 5, você pode deixar o monotrilho e fazer baldeação com o trem ou o metrô. O trem da LIRR (Long Island Rail Road) é o meio de transporte mais rápido entre o aeroporto e Manhattan: são 20 minutos até a Penn Station, na rua 33 com 7a. Avenida. As partidas são bastante freqüentes; você pode consultar o horário no site da MTA.

Modo de usar: Pegue o AirTrain no seu terminal e desça na estação Jamaica (conte em levar até 15 minutos). Para sair é do sistema é preciso comprar o ticket nas máquinas localizadas imediatamente antes das catracas. O MetroCard custa US$ 1, e você precisa acrescentar uma carga de US$ 5 -- este é o valor necessário para passar pela catraca. (As máquinas aceitam dinheiro ou cartão; se você pagar com cartão, lá pelas tantas uma tela vai pedir o seu zip code. Ponha os cinco primeiros números do CEP do endereço de cobrança do seu cartão). Depois de passar pela catraca, siga a sinalização para a LIRR. Compre sua passagem para Penn Station numa das máquinas postadas antes das escadas que descem para as plataformas. Para viajar entre 5h50 e 9h35 da manhã você vai precisar selecionar a tarifa "peak" -- pico -- que custa US$ 10. Nos outros horários, selecione "off peak"; custa US$ 7,25. Veja no painel eletrônico qual é a plataforma de saída do próximo trem para Penn Station. Você vai chegar na rua 33 Oeste, à altura da 7a. Avenida. Lá você pode pegar um táxi ou continuar a viagem de metrô. (Caso opte por metrô, lembre-se de que fatalmente vai precisar carregar a mala por alguns lances de escada). A Penn Station conecta com a estação da rua 34 com 7a. Avenida, onde dá para pegar as linhas 1, 2 e 3. Andando até a Oitava você pega as linhas A, C e E; se caminhar uma quadra até a Broadway pode pegar a B, D, F, V, N, Q, R ou W. (Entenda o metrô de Nova York neste post aqui.) Veja a estratégia de recarregar o seu MetroCard para usar no metrô no próximo tópico.

Preço total: até a Penn Station, US$ 15 no horário de pico (saindo de Jamaica 5h50 às 9h35 da manhã), US$ 12,25 nos demais horários. Da Penn Station ao seu hotel vai sair mais US$ 3 de metrô. Um táxi da Penn Station ao seu hotel provavelmente sairá menos de US$ 15.

Tempo de viagem: contando o tempo entre trens, uns 50 minutos do seu terminal à Penn Station.

A volta: o horário "peak" no sentido contrário (cidade-aeroporto) vai das 16h às 20h. Ao chegar em Jamaica, você vai precisar ter US$ 5 de carga no seu MetroCard para entrar no AirTrain e chegar ao seu terminal.

AIRTRAIN + METRÔ

Fechai a mão, irmãos

O AirTrain -- que, conforme eu disse logo acima, é o monotrilho moderninho que inteliga, de graça, os oito terminais do JFK -- também permite que você continue viagem a Nova York por quatro linhas de metrô. A que nos interessa é a E, que é a melhor para todos os hotéis do Soho para cima.

Modo de usar: Pegue o AirTrain no seu terminal e desça na estação Jamaica ou Howard Beach (dependendo da linha que você pegar). Para sair é preciso comprar o ticket nas máquinas localizadas imediatamente antes das catracas. Compre um MetroCard, que custa US$ 1, e acrescente US$ 5 -- este é o valor necessário para passar pela catraca. (As máquinas aceitam dinheiro ou cartão; se você pagar com cartão, lá pelas tantas uma tela vai pedir o seu zip code; insira os cinco primeiros dígitos do CEP do endereço de cobrança do seu cartão.) Você também pode carregar o seu MetroCard com um valor mais alto (por exemplo: US$ 20), e aproveitar o saldo para usar o metrô no sistema pay-per-ride (que debita US$ 2,75 a cada viagem). Também pode carregar o seu cartão com US$ 5 para pagar a saída do AirTrain e já acrescentar um passe de 7 dias, que custa US$ 31. Os hotéis mais fáceis de chegar de metrô, sem baldeação, são os que ficam próximos à rua 53 (estações: Lexington, Park, Broadway/Sétima Avenida) e depois ao longo da 8a. Avenida, no lado oeste, na direção sul (estações: ruas 50, 42, 34, 14), e finalmente Washington Square, Tribeca e Ground Zero. Para outros lugares, você vai precisar baldear: desça na 53 com Lexington para pegar a linha 6 (perfeita para o lado leste, tanto na direção norte quanto para o sul); e na 50 com Oitava para pegar a linha C (boa para hotéis no lado oeste, só que mais para o norte). Ao decidir pelo metrô você precisa ter consciência de que vai acabar carregando suas malas por vááááários lances de escada. Para entender o metrô de Nova York , leia este post aqui.

Preço total: US$ 8,75 (US$ 1 do cartão, US$ 5 do AirTrain, US$ 2,75 da viagem simples de metrô).

Tempo de viagem: contando o tempo entre trens, conte levar 1h15 do seu terminal até a rua 53.

A volta: É mais difícil conseguir lugar sentado no centro de Manhattan -- e você dificilmente vai escapar do fenômeno da multiplicação de bagagens que acomete turistas brasileiros em Nova York. Ao chegar em Jamaica, você vai precisar ter US$ 5 de carga no seu MetroCard para entrar no AirTrain e chegar ao seu terminal.

Trânsfer dos aeroportos para o hotel:

Trânsfer do hotel para os aeroportos:

Leia mais:

1145 comentários

Maria Isabel
Maria IsabelPermalinkResponder

Bom dia!
Super gostando de suas dicas porém ainda indecisa rs.
Previsão de chegada no JFK sábado pela manhã considerando que o Pod Hotel é em Williansburg no Brooklyn e o check in as 15:00 qual a melhor o opção segura sem desespero e melhor custo beneficio? Porque transfer com motorista brasileiro está bem salgado.
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Isabel! Para fora de Manhattan, Uber ou Cabify ou Lyft podem valer a pena.

Maria Isabel
Maria IsabelPermalinkResponder

Boia!
Esqueci de escrever que sou sua fã! E que é a “first time” em NY...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar