Postal por escrito: Paris

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Aquarela de Pinky Wainer

Escrito em outubro de 1998, publicado em "Postais por escrito", de 1999. A aquarela é de Pinky Wainer.

Tenho por Paris a afeição que as pessoas normais costumam devotar a Nova York, Londres ou Barcelona. Gostar de Paris, hoje em dia, parece ser uma espécie de perversão reservada aos muito sofisticados, aos muito afetados ou às muito peruas. Gostaria de esclarecer que eu (ainda) não me classifico em nenhuma dessas categorias.

O que me atrai em Paris não são seus restaurantes celebrados nem o vitrinódromo da rue du Faubourg Saint-Honoré. Na verdade, me satisfaço plenamente com pratos manjados de brasserie ou jantando nos vietnamitas mais vagabundos, e só entro em loja quando preciso comprar cartão telefônico.

Gosto de Paris pelos mais mundanos dos prazeres -- caminhar, ir ao cinema, tomar sorvete. Paris é indiscutivelmente o maior triunfo do urbanismo sobre a natureza, e eu, metropolitano convicto, dou uma passadinha aqui sempre que posso, para recuperar minha fé nos incríveis poderes curativos de andar na rua.

E põe andar nisso. A temperatura tem se comportado de maneira moscovita (máximas de 1 ou 2 graus Celsius todos os dias), o metrô está mais limpo do que nunca (só pode ter sido a Copa), mas eu só não vou a pé quando está chovendo. Pior: fico inventando os percursos mais longos possíveis, que me forçam a cruzar a cidade do jeito mais esbaforido (senão eu morro de frio). Com o quê, minha Paris é a mais deslumbrante esteira aeróbica do mundo. E o que é melhor: grátis.

Ontem, um sábado, depois de passar a manhã trabalhando no laptop aqui no meu hotel da île Saint-Louis, fui até a Chinatown do 13ème. arrondissement almoçar num vietnamita recomendado pelo Gault-Millaut (45 min) -- ângulos inesperados do Panteão no caminho. De lá atravessei a cidade para ver a exposição dos artistas trans-viados Pierre & Gilles que abriu numa galeria da avenue Matignon (1h30min) -- passando por uma feira livre perto da Sorbonne, pelas Tulherias, place de la Concorde e rue du Faubourg Saint-Honoré. Depois, duas sessões de cinema na cinelândia dos Champs-Elysées (7 min). De lá para um indiano perto da rua Montmartre ( 30 min) e então de volta para a île Saint-Louis (45 min) para começar a escrever este postal. Na próxima encarnação eu quero ser desses um ônibus de dois andares que fazem sightseeing.

15 comentários

Vera Lúcia
Vera LúciaPermalinkResponder

Nova Iorque e Paris são cidades para caminhar sem cansar. Em Nova Iorque ando para ver gente diferente e descobrir as novidades que acontece quase que diariamente e a linda Paris para sentir-me íntima da história, da beleza, da cultura, da elegância... da cidade.

Leticia Greco
Leticia GrecoPermalinkResponder

Ai, ai... q saudades de andar em Paris!!! Ta ai um programa que eu nao cansaria nunca de repetir!!!!

Ana Gabi
Ana GabiPermalinkResponder

Estarei lá em Dezembro, e fiquei mais tranqüila agora quanto a temperatura. Amo Paris, mas fui na Primavera e caminhar foi realmente o maior programa!

Ricardo Freire

É muito muito muito frio, Ana. Eu é que ignorei e resolvi caminhar.

Magrineli
MagrineliPermalinkResponder

Riq, Paris entrou em mim de uma forma sem explicação. Roma não teve esse efeito. Comparo só com o q vivi com Lisboa, q ainda me fascina. Agora lendo minhas coisas de trabalho (no caso o site da "Eau de Paris") vi sobre um passeio inusitado, feito pela agência de água chamado "Parcours de l’eau à Paris". Iniciado em 2008, o projeto propõe "uma redescoberta de Paris e seus bairros, com a água como tema". São caminhadas inusitadas pela Cidade Luz, com percursos e datas diversas, passando por ruas e entrando em edifícios. O caminho reconstitui a história da água em Paris desde os romanos, que conduziu o segundo século, desde a primeira água de nascente nascente que chegava à Paris pelo Aqueduto de Lutecia até as mais modernas instalações em funcionamento. Como vou estar lá de 04 a 09/09 (Yesss) tô querendo fazer o trecho "Les Fontaines du quartier des Halles - CMN". Assim ponho em teste tb minhas aulas de francês. Bom, para terminar: maiores informações em http://www.eaudeparis.fr/page/pavillon/parcours-conferences?page_id=93

Angela
AngelaPermalinkResponder

Paris...acabei de passar um final de semana lá, com meu marido e filhos.Moramos na Alemanha e em 5 horas estamos lá.Suas ruas e parques,nao tem como nao estar em paz!!!Desta vez, caminhamos por ruazinhas no suburbio, e foi uma surpresa agradável.Adoramos!!!

Rosa
RosaPermalinkResponder

"Paris é a mais deslumbrante esteira aeróbica do mundo."
Que definição p e r f e i t a!!!
Só o genial Ric Freire!

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Acho Paris escancaradamente linda. A beleza está em todos os lugares e andar na rua é uma prazer enebriante MAS as pessoas se assuntam sempre que digo que, entre as duas, prefiro Londres.

patricia
patriciaPermalinkResponder

Apesar de ter estado apenas 1 vez em Paris, compartilho em tudo esse teu encantamento. Fiquei 2 semanas por lá e esses dias me marcaram para sempre. Amo Paris, amo suas ruas, amo a beleza e elegância das francesas! Lembro que caminhei tanto e por lugares "não turisticos" que minha vontade era nunca sair de lá.

Anna Francisca

Andando em Paris já me peguei, várias vezes, pensando "É mais bonita que o Rio". Será?

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Entendo perfeitamente essa sensação. Acho que vou ter que voltar lá esse ano - que chato! wink

Mirian
MirianPermalinkResponder

Paris na minha opinião fica melhor a cada vez que vc volta. Porque não estamos desesperados para ticar as listas interminaveis de lugares...
Paris é bom mesmo quando se vai no slow trip, caminhando e degustando. A percepção real da beleza desta cidade, so se tem depois de dias e dias por ali. Por isso que nunca recomendo uma primeira visita menos que 1 semana.
Paris é deliciosa.

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Eu fui ano passado em lua de mel... estou apaixonada... até sonho com Paris às vezes...
Vamos viajar novamente este ano e dei um jeitinho de ficar novamente uns 2 dias lá.. para matar a saudade...

petter
petterPermalinkResponder

Que maravilha! Começando a devorar todos os posts sobre Paris agora mesmo!

Adriana Zarosa Cunha

Estou apaixonada pelo blog e pela construção dessa minha primeira viagem a Paris com o amor da minha vida. Já fui a muitos lugares e em alguns voltei, tenho a impressão que com Paris será assim ...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar