Miniguia de praias | Alagoas: Rota Ecológica e Maragogi

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Camurim Grande

Pousada Camurim Grande, Maragogi

Passando Barra de Santo Antônio, 50 km ao norte de Maceió, a estrada costeira alagoana desvia para o interior, poupando uma faixa de mais de 50 km de costa do tráfego intenso e do turismo predatório. A estradinha secundária que serve a região, de Barra de Camaragibe a Japaratinga (e é interrompida, em Porto de Pedras, pelo rio Manguaba, onde é preciso pegar uma balsa) acabou conhecida como Rota Ecológica, e tornou-se um pólo de pousadas de charme.

A estrada principal só volta ao litoral em Maragogi, o segundo pólo turístico de Alagoas -- onde, entre resorts e passeios às piscinas naturais, dá para encontrar também praias pouco ocupadas e pousadas de pequeno porte.

    Estratégia & roteiros

  • Seja lá para onde você queira na Rota ou em Maragogi, não tente sair de Maceió e voltar no mesmo dia. No caso da Rota Ecológica, o bate-volta vai impedir você de curtir o que a região tem de mais precioso, que é a desaceleração total (se é para simplesmente pegar praia, não precisa ir tão longe de Maceió). E no caso de Maragogi, o bate-volta é puxado demais: você vai passar 5 horas na estrada, entre a ida e a volta, e dificilmente vai chegar na hora mais propícia para fazer o passeio às piscinas naturais (leia mais aqui).
  • Você vai precisar de dois dias em Maragogi para ir às piscinas naturais e aproveitar alguma das belas praias ao norte da vila. E os mais estressados só sentirão o efeito relaxante da  Rota Ecológica lá pelo terceiro ou quarto dia (uma semana é a estada ideal).
  • A Praia dos Carneiros, 50 km ao norte da fronteira pernambucana, é um bate-volta redondo desde Maragogi ou Japaratinga mas inviável para quem está na Rota Ecológica.  Caso você esteja pensando em dividir a estada entre Carneiros e Maragogi, deixe Carneiros por último; se for entre Carneiros e a Rota, deixe a Rota por último.

Role a página para ler mais sobre Barra de Camaragibe, São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras, Japaratinga e Maragogi. Para ler sobre Maceió e litoral sul, clique aqui.

    Barra de Camaragibe, São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras

Praia do Toque

Piscina natural, Praia do Toque

  • É a sua praia: se você procura uma pousada charmosa pé na areia e um mar calmíssimo
  • Não é a sua praia: se você é viciado em passeios ou precisa de um vilarejo para bater perna à noite

Vai por mim: São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras

Barra de Camaragibe

Barra de Camaragibe

Faço propaganda deste pedacinho precioso do litoral brasileiro desde 2000, e fico feliz de informar que, apesar da súbita atenção despertada nos últimos anos, com reportagens de Luciano Huck, Ana Maria Braga e Fátima Bernardes, o lugar mudou relativamente pouco; visualmente, ainda é bastante parecido com o que encontrei há 15 anos. Hoje esse trecho da Rota Ecológica ostenta a mais interessante coleção de pousadas de charme pé na areia da costa brasileira. Vou descrever a região praia por praia -- mas não se afobe em querer ver tudo. Sair em frente à sua pousada e caminhar meia hora para um lado ou para o outro já fará você ver "outras" praias e mudar um pouco a paisagem. Há pouca vantagem em pegar um carro e ir a uma praia próxima, já que o ambiente e o serviço de bordo da sua pousada normalmente serão mais bacanas do que o que é oferecido fora das pousadas.

Rio Camaragibe

Rio Camaragibe | Travessia para a Praia dos Morros

Praia dos Morros

Praia dos Morros

A primeira praia da Rota é a Praia dos Morros. Enquanto não construírem um resort (prometido há mais de dez anos), continuará deserta. É a praia mais diferente da região, e por isso a que mais justifica a saída da sua pousada. É a única praia com ondas (a ponto de ser freqüentada por surfistas!) e também com falésias, no canto direito. As falésias são as mesmas de Carro Quebrado, que fica do outro lado do morro (impossível contornar a pé). É preciso deixar o carro no estacionamento do bar à beira-mar em Barra de Camaragibe. Desça para a areia e siga pela direita por cinco minutos, que você vai encontrar o barqueiro que faz a travessia. Custa R$ 5 ida e volta por pessoa (você marca a hora de ser buscado). Uma vez na Praia dos Morros, se você quiser caminhar até a ponta onde estão as falésias, levará 40 minutos para ir, outros 40 para voltar. Leve água e alimentos; não há nada à venda na praia.

Praia do Marceneiro

Praia do Marceneiro

A próxima entrada para o mar é na Praia do Marceneiro, ainda em Barra de Camaragibe, que tem acesso de paralelepípedos. A orla é ocupada por casas; o mar é gostoso, com alguma ondulação na maré alta. Um vendedor de cerveja, refri e salgadinhos fica postado na rua de acesso.

Praia do Marceneiro

Praia do Marceneiro

(Na semana do réveillon, é nesta praia que funciona o Bar da Praia, que é a central de festa durante o dia do pessoal do Réveillon dos Milagres/Tamo Junto.)

Praia do Riacho

Praia do Riacho

Já em São Miguel dos Milagres, a Praia do Riacho é uma lindeza.

Praia do RiachoRecanto dos Milagres

Recanto dos Milagres, praia do Riacho

Quem não está hospedado nela pode vir a pé (são 45 minutos desde a Praia do Toque) ou seguir a placa que leva ao Recanto dos Milagres, um misto de pousada e receptivo. O restaurante fica a 50 metros da praia, mas serve também na areia, sob uma amendoeira; costuma receber ônibus de excursão de Maceió. A praia seca bastante na vazante e pode desaparecer durante a maré baixa nas luas cheia e nova (outro motivo pelo qual eu desaconselho vir de longe). Fora da área do receptivo, a praia é superdeserta, e uma delícia para caminhar.

São Miguel dos Milagres
São Miguel dos Milagres

São Miguel dos Milagres

O vilarejo de São Miguel dos Milagres também tem a sua entrada para a praia (siga a seta indicando "Mijadela"); é um trecho muito bonito para quem vem a pé pela areia (são 25 minutos desde a praia do Toque), mas nem sempre agradável para quem precisa ficar por lá, já que é ponto de excursões e pode haver também som de carros. No domingo fica especialmente cheio e barulhento.

Praia do Toque
Praia do Toque

Praia do Toque

A Praia do Toque não tem nenhum acesso para carros até a areia (os caminhos param nos fundos das pousadas), e por isso se mantém bastante reservada, mesmo havendo quatro pousadas e alguns sítios nesse trecho. O Toque é um pólo de ótimos restaurantes: as pousadas do Toque, Casa Acayu e Amendoeira atendem não-hóspedes mediante reserva antecipada por telefone (a Casa Acayu não recebe crianças, e o Toque só recebe crianças no almoço). Fora das pousadas, o ótimo restaurante No Quintal, escondido entre a praia e a estradinha, tem feito bastante sucesso desde que abriu, em 2011 (funciona de 3a. a domingo das 13h às 21h).

Porto da Rua

Porto da Rua

A última entrada para a praia antes do rio Tatuamunha é no vilarejo de Porto da Rua -- que, apesar de ser um distrito de São Miguel dos Milagres, é maior e mais populoso do que a sede. A praia em frente à vila é pitoresca, sempre com barquinhos, mas não é o melhor trecho para entrar no mar. Caminhando para a direita, em dez minutos você está na Praia do Toque; caminhando para a esquerda, em quinze minutos chega à bela foz do rio Tatuamunha.

Porto da Rua

Praia de Porto da Rua, a caminho da foz do Tatuamunha

Foz do rio Tatuamunha

Foz do rio Tatuamunha

Enildo, Porto da Rua

Enildo, Porto da Rua

Na vila, não perca os caldinhos e os frutos do mar caprichados e com preço justo do Restaurante do Enildo, na pracinha à beira-mar.

Luna Bar

Luna Bar

Querendo um ambiente mais transadinho à beira-mar, andando para a esquerda do Enildo você encontra o Luna Bar.

Porto dos Milagres

Creperia Porto dos Milagres

Indo para a direita do Enildo, a Creperia Porto dos Milagres, do outro lado da praça, tem crepes e, no almoço, pratos do dia (arroz de polvo, frango ao curry). A crepe de creme de pastel de Belém é uma delícia (se você não gostar de raspas de limão, peça para vir sem).

Eco Restô & Pizzaria

Eco Restô & Pizzaria

Mais adiante, o Eco Restô & Pizzaria tem pizzas de massa fininha a lenha à noite e um cardápio eclético de pratos para almoço e jantar. Experimentei a pizza no primeiro dia de funcionamento e achei a massa crua; mas certamente esse senão já deve ter sido corrigido.

Já fora dos limites da vila, a pousada Côté Sud também tem um restaurante elogiado; não-hóspedes precisam reservar por telefone (o restaurante não recebe crianças).

Rio Tatuamunha

Rio Tatuamunha

Projeto Peixe-boi

Rio Tatuamunha & Projeto Peixe-Boi

O rio Tatuamunha marca o início do município de Porto de Pedras. A primeira entrada para a praia leva à foz do rio Tatuamunha (que funciona como prainha, e é bastante procurado no fim de semana) e à sede do Projeto Peixe-Boi, que introduz na natureza peixes-bois nascidos nos criadouros da sede do projeto em Itamaracá. A visitação é restrita a 72 turistas por dia, levados por condutores autorizados. As pousadas agendam visitas para seus hóspedes, que normalmente são buscados de jangada. Quem não está hospedado na Rota pode agendar diretamente com a Associação de Observação do Peixe-Boi (tel.: 82/3298-6247, 9171-7749).

Praia Tatuamunha

Praia de Tatuamunha

A praia de Tatuamunha, ou Jibaba, tem acesso sinalizado só até a foz do rio. O longo trecho de costa fica praticamente reservado aos hóspedes de duas pousadas e algumas casas de praia.

Tatuamunha

Tatuamunha

A outra atração deste trecho são os casarões centenários do vilarejo de Tatuamunha.

Praia da Laje

Praia da Laje

A praia do povoado seguinte é a Praia da Laje, que para mim tem o desenho mais bonito da região. Não há acesso direto à praia; a estradinha acaba nos fundos das pousadas e casas, o que faz desse trecho um dos mais desertos de toda a Rota. Pegando a entradinha sinalizada para a Praia do Patacho, porém, você poderá ver a praia e, se quiser, caminhar nela: quando a estradinha chega  junto ao mar você pode estacionar no coqueiral e seguir a pé pela direita. Na areia, não há nenhum bar aberto ao público.

Uí Bistrô

Uí Bistrô

Balai de Gato

Balai de Gato

Na viela de acesso às pousadas Villages e Aldeia Beijupirá abriu o Uí Bistrô, capitaneado pela jovem chef Maria Schaefer, e, a partir das 18h na temporada, o bar de espetinhos Balai de Gato.
Beija-Flor

Beija-Flor

O povoado da Laje ganhou uma casa bacana, o Beija-Flor, que serve saladas, sanduíches criativos (salmão com cream cheese e cebola caramelizada, por exemplo) e prepara caipiroskas em grandes potes de conservas. Abre das 15h às 21h, de 3ª a domingo.

Praia do Patacho

Praia do Patacho

A Praia do Patacho é a última antes do rio Manguaba. Extensa, está cada vez mais ocupada por casas. Para quem não está hospedado na praia, o bacana é a estradinha que corta o coqueiral, com vista para o mar.
Cokoloco

Cokoloco

Querendo pegar praia, é só estacionar no coqueiral -- ou aproveitar o day-use do Cokoloco, que mantém um bem-estruturado restaurante e cobra R$ 50 pelo uso da área da piscina.

Restaurante Xuê

Restaurante Xuê

Um pouco mais adiante, os restaurantess das pousadas Xuê e Patacho recebem não-hóspedes desde que reservem com antecedência. Na cidade, o restaurante mais recomendado é a Peixada da Marinete.

Se você estiver hospedado na região, quais os melhores passeios? O melhor de todos é caminhar: explore as praias à direita e à esquerda da sua pousada, e você passará por diferentes paisagens. Na maré baixa (melhor se for durante a lua cheia ou nova), encaixe-se num passeio de jangada às piscinas naturais. Noutro dia, visite o Projeto Peixe-Boi (peça para a sua pousada agendar, porque há limitação de visitantes); você pode ir até lá de jangada ou de bugue (pela estrada). Querendo outras praias da região, o melhor esquema é contratar um bugueiro legal, que use a estrada (é proibido trafegar pela areia). Recomendo o Pablo (tel. 82/9801-3239), que faz passeios à Praia dos Morros e também a Patacho e Laje (com parada num ateliê de artesanato). Qualquer um desses passeios sai R$ 90.

Onde ficar: São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras

Escolher uma pousada na Rota é praticamente como escolher o seu destino. Muitas pousadas incluem meia-pensão na diária (sobremesa e entrada costumam ser cobradas à parte). Vou falar delas em ordem geográfica, do sul para o norte.

A meio do caminho entre a vila de Barra de Camaragibe e a Praia do Marceneiro, a nova Pousada do Marceneiro tem quartos confortáveis dispostos numa casa de dois andares plantada num gramado à beira-mar.

Infinito MarInfinito MarInfinito Mar

Infinito Mar

Em Barra de Camaragibe, a meio caminho entre a vila e a Praia do Marceneiro, está a Infinito Mar, com apartamentos arejados e uma bela piscina junto à praia. Não recebe crianças.

Villas do Paru

Villas do Paru

No canto direito da Praia do Marceneiro, afastado da muvuca do meio da praia, outra novidade: a Pousada Villas do Paru, com apartamentos de um e dois quartos, com cozinha completa, ocupando dois bangalôs de dois andares. Apesar da cozinha completa, as diárias incluem café da manhã.

Pousada Riacho dos Milagres

Riacho dos Milagres

Num ponto sossegadíssimo da paradisíaca Praia do Riacho, longe do receptivo, a Riacho dos Milagres costuma oferecer a melhor relação custo x benefício da região. Os apartamentos ficam na sede da pousada, e não em bangalôs isolados. Tem piscina e mirante -- e aceita crianças.

Pé na areia na bonita praia de São Miguel dos Milagres, a uma distância mais ou menos segura da muvuca, a Encanto das Águas leva jeito de casa de sítio.

O eixo Toque-Porto da Rua é o mais bem servido por pousadas.

Villas Taturé

Villas Taturé

Ocupando o trecho junto à praia de uma grande fazenda de coco, a Villas Taturé tem bangalôs confortáveis, alguns com cozinha equipada, e todos com cabanas privativas na praia. Na temporada, o aluguel é por semana.

Pousada do Toque

Pousada do Toque

Pousada do ToquePousada do Toque

Pousada do Toque

Na Praia do Toque está a pousada que imprimiu à região a marca da hospedagem de charme: a Pousada do Toque, dos meus queridos amigos Gilda e Nilo. Os apartamentos são amplos e bastante confortáveis: o maior (Bem-Te-Vi), tem 160 m², piscina, sauna e sala de massagem privativa; mas mesmo os mais básicos oferecem mais conforto do que pousadas de luxo da mesma faixa de preço, em outras latitudes. Dos 16 apartamentos, 6 ocupam bangalôs individuais. Quatro deles vêm com piscina privativa e outros seis têm ofurô e jardim de inverno. Não passa ano sem que a pousada inaugure um novo ambiente -- hoje o Toque tem sushi bar, cozinha gourmet (onde o hóspede pode cozinhar, recebendo os ingredientes necessários, como parte da meia-pensão), loja, um pequeno spa com sauna, um elegante living com biblioteca e mesa de sinuca e um charmosíssimo restaurante de praia (inaugurado no verão passado e, na minha opinião, o mais charmoso de toda a Rota). Mesmo com toda essa estrutura, a pousada conserva as características que me fizeram me apaixonar pelo lugar, 13 anos atrás: a total falta de afetação, a cozinha deliciosa do Nilo e a simpatia da equipe, estrelada pelo garçom-figuraça J.R., autor de uma magnífica caipiroska de limão, gengibre e manjericão.

(A propósito: não importa em que pousada você se hospede, é certo que você sairá sabendo o nome dos funcionários.)

casa-acayu2

Casa Acayu

casa-acayu3

Casa Acayu

A Casa Acayu (ex-Pousada do Caju) prima pelo capricho e pelo serviço esmerado. Os donos, os dedicados portugas Zé Carlos e Alírio, aplicam padrões de grande hotelaria numa pousada pequena e de ótimo custo x benefício. Os apartamentos mais em conta são compactos e ficam na sede, construída antes da dupla comprar a pousada. Sob a nova gestão, a pousada ganhou bangalôs de luxo (todos com banheira integrada a um jardim de inverno), uma boa piscina (com bar molhado e cascatinha) e um restaurante com mesas que podem ser postas no jardim (não deixe sua estada acabar sem provar o bacalhau). A última novidade é uma suíte master elevada, com a melhor vista para o mar deste trecho da Rota. A pousada fica a menos de 5 minutos de caminhada da praia, mas não deixa de ser pé na areia: no caminho do portão ao mar não há nenhuma construção; você anda sob o coqueiral. Funcionários montam guarda-sol e cadeiras na praia e ficam de plantão para atender pedidos.

Pousada Amendoeira
Pousada Amendoeira
Pousada da Amendoeira

Pousada da Amendoeira

A Pousada Amendoeira é uma graça e tem uma energia especial. Você pode filmar um comercial da Natura aqui -- ou fazer uma capa de "Vida Simples": essa é a vibe do lugar. Os donos atuais, o israelense Tsachy (diga: Tsárri) e a paulistana Gessy, respeitaram o DNA de juventude e comprometimento com a sustentabilidade da pousada, e acrescentaram conforto e charme. Os bangalôs têm luxo onde importa: colchões, travesseiros de pena de ganso, roupa de cama, ar condicionado, mas não há nada supérfluo. Ah, sim: três bangalôs têm ofurô (um deles fica num jardim privativo). A culinária é saudável e sem frituras -- e inventiva e gostosa, garanto. A ausência (proposital) de piscina leva a aproveitar a paz dos gazebos da praia ou usar as bicicletas, caiaques e equipamento de frescobol que a pousada oferece sem taxa. Não há restrição para receber crianças.

Ainda no Toque, a Pousada Origami tem chalés caprichados dispostos ao longo de um gramado bem-cuidado. Não tem piscina e aceita crianças.

Pousada Abaetetuba
Pousada Abaetetuba

Pousada Abaetetuba

A novidade deste trecho é a Pousada Abaetetuba, de apenas três chalés arejados, de ótima arquitetura, dispostos sob o coqueiral. Os donos são o Vittorio e a Luisa, italianos que veraneiam por ali há 15 anos, e resolveram passar para o outro lado do balcão. Espere um belo café feito na moka, iogurte orgânico, capuccino e massas realmente à italiana.

Côté Sud
Pousada Côté Sud
Pousada Côté Sud

Côté Sud

A Pousada Côté Sud foi uma das pioneiras -- estabeleceu-se menos de um ano depois da inauguração da Pousada do Toque. Tem a maior frente de praia entre as pousadas ao sul do rio Tatuamunha, com espaço suficiente para espalhar seus bangalôs pelo coqueiral. Os donos, Corinne e Roger, são belgas. A cozinha, a cargo de Corinne, é bastante elogiada, com um pé na Europa e outro em Alagoas. A piscina fica debruçada na praia; das espreguiçadeiras vê-se de esguelha os barquinhos da praia central do povoado de Porto da Rua, que está a cinco minutos de caminhada. Oferece bom custo x benefício. Não aceita crianças.

Villa PantaiVilla Pantai

Villa Pantai

A Villa Pantai, próxima à foz do Tatuamunha, tem a maior densidade de construção da região, com bangalôs de dois andares (um apartamento no térreo, outro no andar superior) bastante próximos uns dos outros e também da praia. A decoração emula Báli. Tem piscina e aceita crianças.

Pousada do Sonho

Pousada do Sonho

A Pousada do Sonho mantém aspecto rústico e costuma ser bastante em conta. Fica entre o vilarejo de Porto da Rua e a foz do rio Tatuamunha, num trecho da praia em que as marés são mais largas, transformando a praia a cada novo ciclo. Há duas suítes com capacidade para cinco pessoas; a mais bacana fica praticamente pé na areia. Não tem piscina, mas oferece caiaque e equipamento para stand-up paddling. Aceita crianças.

Angá Beach Hotel
Angá Beach Hotel

Angá Beach Hotel

O verão de 2015 viu a reabertura do hotel que foi o pioneiro da região, agora como Angá Beach Hotel. Os apartamentos do prédio principal já tiveram todos os móveis e equipamentos renovados; os do andar térreo ("superiores") ganharam uma reforma mais completa, com substituição das portas e modernização dos banheiros. O restaurante e a piscina ganharam mobiliário charmoso. Os 16 bangalôs entre a piscina e a praia serão reformados ainda no primeiro semestre e tendem a ficar irreconhecíveis. A praia é bem tranqüila e está a uns 10 minutos da foz do Tatuamunha.

Passando o rio Tatuamunha começa o município de Porto de Pedras. (É uma gafe se referir às próximas pousadas como sendo em São Miguel dos Milagres.)

Na praia deserta de Tatuamunha (ou Jibaba) há duas pousadas. A Villa Tatuamunha é novinha e leva jeito de casa de praia: são apenas três quartos rente à praia. Aceita criança.

Borapirá
BorapiráBorapirá

Borapirá

A Borapirá está num amplo terreno à beira-mar, todo gramado, e tem duas piscinas -- uma para adultos, outra infantil. É a pousada mais amigável para famílias com crianças: na temporada, tem recreadora. Os bangalôs são suuuperespaçosos.

Aldeia Beijupirá
Aldeia Beijupirá
aldeiabeijupira4
Aldeia Beijupirá

Aldeia Beijupirá

A Aldeia Beijupirá deixa você na linda Praia da Laje. As áreas sociais são puro charme, decoradas com objetos que remetem às navegações portuguesas e móveis de design clássico recriados com materiais autóctones. A piscina tem um gazebo gostosíssimo; o restaurante segue o cardápio consagrado do Beijupirá de Porto de Galinhas. Os bangalôs (aqui chamados malocas) fazem a linha rústico-clean (com banheiros grandes, alguns com jacuzzi de casal), sem luxos de cidade; o astral é de Grécia em Alagoas. Há alguns verões a pousada ganhou uma nova ala de malocas na parte de trás do terreno, seguindo a mesma linha das originais. Não aceita crianças.

Sem acesso direto à praia, mas com vista desimpedida para o mar através do coqueiral, a Pousada Villages tem bonitos bangalôs branquinhos de dois andares e uma piscina das mais gostosas.

Reserva do Patacho

Reserva do Patacho

Na Praia do Patacho, a nova Reserva do Patacho funciona anexa ao day-use Cokoloco, onde funcionam o restaurante e a piscina da pousada.

Pousada Patacho
Pousada Patacho
Pousada Patacho

Pousada Patacho

Primeira pousada a se instalar na Praia do Patacho, a Pousada Patacho é a mais fotogênica de toda a Rota. Se uma equipe da Elle Décor francesa chegar a qualquer momento sem aviso prévio, não precisará fazer nenhuma produção para realizar sua matéria. (Explica-se: Christian, o dono, é um diretor de arte francês há muitos anos no Brasil, com passagens por Paraty e Santana de Parnaíba.) São apenas cinco apartamentos -- dois na casa principal, três em chalés individuais no caminho da praia. Em todos, o bom gosto não se separa do aconchego. A cozinha há um ano tem consultoria da chef Patricia Possas, que também prepara jantares gastronômicos com menu-surpresa, mediante reserva. Não tem piscina e não aceita crianças.

Pousada Xuê
Pousada Xuê
Pousada Xuê

Pousada Xuê

Um pouco adiante, a Pousada Xuê é uma pousada de chef -- o italiano Guido Migliorini, casado com a brasileira Mariella --, em que o restaurante é a mais importante das áreas sociais. Os chalés charmosamente praianos se enfileram no caminho da praia, onde há um gostoso deck. Não tem piscina; aceita criança.

Vila do Patacho
Vila do Patacho
Vila do Patacho

Vila do Patacho

Finalmente, a Vila do Patacho tem casas com cozinha equipada e chalés sem cozinha, construídos nas laterais do terreno, que mantém o miolinho desimpedido e uma frente ampla de praia. Os chalés não têm ar condicionado mas são super ventilados. O astral é totalmente "Vida Simples" -- e o custo x benefício, um dos melhores da rota (dá para pensar em passar uma pequena temporada). O café da manhã e a limpeza diária estão incluídos. Não tem piscina; aceita criança.

Como chegar: São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras

Passo de CamaragibeRota Ecológica

Passo de Camaragibe | Trecho litorâneo da Rota

São Miguel dos Milagres está a 100 km ao norte de Maceió; Porto de Pedras, a 115 km. Você sai de Maceió pela AL 101 Norte; passando São Luís do Quitunde, logo depois de uma usina, aparecerá a saída para a Rota. A estrada é totalmente asfaltada e cruza por dentro de Passo de Camaragibe antes de chegar ao litoral, em Barra de Camaragibe.

Vindo do Recife, venha pela PE-060 até a fronteira e siga pela AL-101 Norte ao longo de Maragogi; entre então em Japaratinga, onde você vai continuar pelo trecho norte da Rota Ecológica até a balsa do rio Manguaba. No total, são 140 km até ali. A balsa funciona sempre que há carros (se vier à noite, confirme antecipadamente com a sua pousada sobre o funcionamento noturno da balsa no dia da sua viagem). Do outro lado da balsa, já é Porto de Pedras; São Miguel dos Milagres está a 15 km.

Todas as alternativas, com mapas:

    Japaratinga

Balsa do Rio Manguaba

Balsa do Rio Manguaba

  • É a sua praia: se você quer se hospedar pé na areia na Rota Ecológica, por um preço mais em conta do que no trecho São Miguel dos Milagres-Porto de Pedras, e ainda passear em Maragogi
  • Não é a sua praia: se você precisa fazer footing no vilarejo à noite

Vai por mim: Japaratinga

Praia das Bicas

Barreiras do Boqueirão (Praia das Bicas)

O trecho norte da Rota, por estar próximo a Maragogi e à estrada principal, é mais vulnerável ao turismo de massa; ainda assim, conserva vastos trechos de praias desertas, onde se instalaram pousadas com boa relação custo x pé na areia.

A primeira praia depois da travessia da balsa é o Pontal do Boqueirão, que é visível da estrada e tem um belo coqueiral. Ao final dela fica Barreiras do Boqueirão, mais conhecida como Praia das Bicas, por causa da fonte (encanada) de água mineral. É uma enseada com desenho muito bonito, com restaurantes e lanchonetes (e que costuma receber ônibus de excursão nos fins de semana). Dali até a vila, 10 km adiante, não há pontos públicos de entrada na praia; só pousadas. No centrinho, a Praia de Japaratinga tem a presença pitoresca de barquinhos de pescador. Ao longo de toda a costa, o mar é calmíssimo. Na maré baixa, a praia costuma secar em vários trechos; na maré alta, é a vez da areia sumir embaixo d'água nos mesmos pontos.

Para almoçar, faça uma reserva no ótimo restaurante da Estalagem Caiuia ou vá à Cia. da Lagosta, em Barreiras do Boqueirão (Praia das Bicas). Na orla de Japaratinga, vá ao Mama Pereira. Você pode também tentar reservar o restaurante da Pousada do Alto, que tem ótima comida e a linda vista como acompanhamento.

Os melhores passeios são às piscinas naturais de Japaratinga (combine com os jangadeiros na vila), às Galés de Maragogi (a 10 km) e às praias ao norte de Maragogi (Burgalhau, Ponta de Mangue, 15 km). Atravessando o rio Manguaba de balsa, dá para percorrer o coqueiral entre as praias do Patacho e Laje e marcar uma visita ao Projeto Peixe Boi (agende com a Associação de Observação do Peixe-Boi pelos tels.: 82/3298-6247, 9171-7749).

Onde ficar: Japaratinga

Les Terrasses
Les Terrasses

Les Terrasses

Na praia do Pontal do Boqueirão, a novidade de 2015 é a pousada Les Terrasses (ainda sem site; tel. 82/9184-7904), que marca a volta à região de Jérôme Pérez, um dos donos originais da Pousada do Caju. São cinco apartamentos; três em bangalôs com frente envidraçada, banheiros amplos e mobiliário leve. A praia só não é totalmente deserta no domingão.

Ainda na praia do Pontal, o hotel Igarakuê tem piscina (de fibra) e uma boa frente de praia.

Pousada Humaitá

Pousada Humaitá

Numa ruazinha interna da praia das Bicas, a Pousada Humaitá é caprichada e tem bons preços. A estrutura de praia fica de um lado da ruazinha, enquanto os apartamentos e a piscina, do outro -- mas como é uma passagem secundária, o incômodo é mínimo.

Mais adiante, na isolada praia de Bitingüi, a Vila Cobé é a novidade mais charmosa; a Estalagem Caiuia (que tem quartos compactos praticamente sobre a praia e um ótimo restaurante), a mais tradicional; e o Hotel Bitingüi, o mais estruturado.

Pousada do Alto

Pousada do Alto

Pousada do AltoPousada do AltoPousada do Alto

Pousada do Alto

Pertinho da vila, no topo de um morro, a Pousada do Alto é um camarote para a mais bonita vista da Rota Ecológica. De sua piscina de borda infinita você aprecia o vaivém radical da maré, que torna a praia lá embaixo diferente a cada hora do dia. Originalmente o lugar era uma casa (mansão!) de praia. Adaptado para pousada de luxo, não perdeu o flair burguês. O dono, o afável Leopoldinho, mantém tudo no maior capricho. Obras de artistas alagoanos e pernambucanos estão espalhadas pela propriedade; o jantar é à luz de velas. O cardápio é tão sofisticado quanto a casa. É preciso ir de carro à praia, mas... com essa piscina, é provável que você só desça quando for passear de barco ou de jangada... Não aceita crianças.

Para quem faz questão de ficar a uma distância caminhável do centrinho, o hotel Albacora é a melhor pedida. Sua estrutura é conveniente para famílias.

Como chegar: Japaratinga

Vindo de Maceió, o mais rápido é sair de Maceió pela AL-101 Norte e seguir pela estrada principal até ela retornar à costa. Ali você já verá à entrada para Japaratinga, à sua direita (sul). São 120 km desde Maceió.

Vindo do Recife, basta emendar as litorâneas PE-060 com AL-101 Norte. Logo depois de Maragogi, antes da estrada desviar para o interior, você verá, à sua esquerda (norte), a entrada de Japaratinga. São 130 km desde Recife.

    Maragogi

Maragogi

  • É a sua praia: se você quer visitar as Galés ou aproveitar a estrutura de bons resorts all-inclusive
  • Não é a sua praia: se você está à de procura um vilarejo de praia descolado

Vai por mim: Maragogi

Galés de Maragogi

Galés de MaragogiGalés de Maragogi

Galés de Maragogi

As Galés de Maragogi -- enormes piscinas naturais que emergem na maré baixa em alto mar, a vinte minutos de catamarã do continente -- são o maior objeto de desejo turístico de Alagoas. Para colocar as Galés no seu currículo de viajante, turistas fazem loucuras, como vir lá longe de Maceió, Porto de Galinhas ou até Recife só para passar o dia. (Não recomendo. É muita estrada, e você se arrisca a chegar em Maragogi num horário não favorável para a visita.)

Ponta de Mangue

Ponta de Mangue

Praia do Antunes

Praia do Antunes

Maragogi tem mais do que apenas as famosíssimas piscinas. As praias ao norte da vila -- especialmente Antunes e Ponta de Mangue -- têm um mar de incrível tom azul-bebê. E com uma densidade demográfica infinitamente menor do que as piscinas.

Croa de São Bento

Croa de São Bento

Existe também outra alternativa, ainda pouco conhecida, tanto às piscinas naturais quanto às praias do norte: a Croa de São Bento, uma ilhota que aparece na maré mais baixa e que forma uma praia temporária tipo Maldivas a dez minutos de jangada da costa.

A vila de Maragogi leva mais jeito de cidade do interior do que de vilarejo de praia. Há uma orla com quiosques (ali ficam alguns bons restaurantes, como o Frutos do Mar), mas não espere encontrar uma cena gastronômica ou uma noite tipo Pipa ou Porto de Galinhas. Os maiores hotéis e as pousadas mais charmosas ficam fora da vila; seus hóspedes não vão à noite para o centrinho.

Hoje há um número limitado de visitantes por dia às Galés, e os operadores de passeios se revezam nas piscinas principais. Outras piscinas da região também estão sendo visitadas; não são tão grandes nem têm tantos peixinhos, mas possivelmente oferecerão um mergulho mais tranqüilo, com menos gente. O ideal é agendar os passeios pelo menos na véspera; assim você já se dirige ao ponto de embarque na hora certa. Os barcos partem de vários pontos da vila e da costa (inclusive dos resorts). Os horários variam diariamente, porque a maré baixa ocorre com uma diferença de meia hora a 45 minutos a cada novo dia.

Onde ficar: Maragogi

O trecho mais ao sul de Maragogi é o endereço de ótimas duas pousadas que conceitualmente têm a ver com a Rota Ecológica: oferecem charme e sossego.

Camurim Grande
Camurim Grande
Camurim Grande
Camurim Grande

Camurim Grande

A mais estruturada é a Camurim Grande, que ocupa uma península no encontro de um rio com o mar. Os apartamentos mais luxusos ocupam bangalôs de dois andares com estrutura de madeira, com um ar vagamente japonês; portas de correr se abrem entre o quarto e a sala de banho para integrar uma jacuzzi ao dormitório. A piscina tem porte e desenho de piscina de resort -- mas sem a densidade demográfica de piscina de resort. A pousada tem hobbie cat, SUP e caiaque à disposição dos hóspedes, e uma pista de corrida que acompanha a beira-rio e a beira-mar, sob o coqueiral. O restaurante é comandado pela chef Mara Cardoso; um ótimo buffet de antipastos e saladinhas acompanha o prato principal do jantar. A pousada é vizinha de muro do resort Salinas, mas na maior parte do tempo você nem vai notar.

Praiagogi
Praiagogi
Praiagogi

Pragogi

Num trecho totalmente sossegado da praia do Camacho, a A que faz o estilo mais rústico é a Praiagogi é uma ilha de bom-gosto e sensibilidade. O holandês Sandrijn e a mineira Fernanda -- ele chef, ela profissional de hotelaria -- escolheram esse pedacinho de paraíso para se radicar e criar filhos. Encontraram a Praiagogi já construída, mas deram um banho de leveza nas acomodações e criaram um dos espaços de praia mais gostosos que eu já vi -- e que ficou ainda mais bacana com a adição mais recente, uma pequena piscina de borda infinita, ladeada por tendas invocadíssimas. No cardápio do restaurante Tuyn, procure os pratos com um pezinho na Ásia -- Sandrijn tem também ascendência indonésia e encontra ótimos pontos de intersecção entre as culinárias nordestina e do Sudeste Asiático. (Peça qualquer coisa com a farofa molhadinha de banana -- é um cruzamento do sticky rice tailandês com a nossa farofa.)

Little Praiagogi
Little Praiagogi
Little Praiagogi

Little Praiagogi

Separada da Praiagogi por duas casas, a Little Praiagogi é a ala da Praiagogi que recebe casais com bebês, crianças ou adolescentes. Berços, trocadores e banheirinhas podem ser instalados em todos os três quartos (um deles, conjugado, para pais que não queiram ficar no mesmo ambiente que as crianças). O jantar dos pequenos é servido no começo da noite, e depois uma babá fixa da pousada fica de olho nas crianças enquanto os pais jantam com tranqüilidade na Praiagogi.

Salinas do Maragogi

Salinas do Maragogi

O resort Salinas do Maragogi também está ao sul da vila. É cortado por um rio e tem jardins muito bonitos; caracteriza-se por um sistema all-inclusive de bom custo x benefício.

Na vila, o maior hotel é o Areias Belas. O Orla dos Corais é bastante novo. A pousada Olho d'Água fica num trecho bonito e sossegado da orla central e ganhou um banho de loja desde que me hospedei por lá, na outra encarnação.

Passando a vila, na praia do Burgalhau, o hotel Praia Dourada é indicado para famílias que não queiram cacifar os resorts.

Gran Oca Maragogi

Gran Oca Maragogi

E na praia de Ponta de Mangue, o Gran Oca Maragogi tem estrutura menor do que o Salinas mas está numa praia mais gostosa. Também é all-inclusive.

Como chegar: Maragogi

Saia de Maceió pela AL-101 Norte e siga pela toda vida pela estrada principal. São 130 km.

Vindo do Recife, basta emendar as litorâneas PE-060 com AL-101 Norte. Maragogi será o primeiro município de Alagoas. São 130 km desde Recife.

Leia também:

287 comentários

Socorro Leite
Socorro LeitePermalinkResponder

Excelente postagem, parabéns, tudo muito bem exposto,

Isabella Cristina Lima de Carvalho

Adorei a postagem, as dicas estão ótimas. Eu e meu marido vamos viajar para São Miguel dos Milagres em abril e estou olhando as opções. Já gostei de tudo. Hahaha.

wilson a Bonadio

Ja fui para Maceió duas vezes. a última fiquei no salinas de Maceió num reveillon. Conheci Maragogi num passeio. E vou voltar e ficar uma semana neste paraíso. adorei seu mineguia rico em detalhes. super util.showwwww

Camila
CamilaPermalinkResponder

Gostaria de esclarecer uma dúvida: quais são as praias de São Miguel dos Milagres que oferecem passeios às piscinas naturais?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Camila! Não há turismo de massa nas piscinas naturais da região. São piscinas pequenas, em nada comparáveis às de Maragogi ou Paripueira. Quando hospedada numa pousada da região, você pode contratar um jangadeiro para fazer um passeio à piscina mais próxima.

Flavia
FlaviaPermalinkResponder

Olá bóia, estarei em porto de galinhas de 8 a 12 de maio a trabalho e resolvi dar uma esticadinha, como eu ja conheço, gostaria de ir conhecer a praia patacho e a merceneiros, minha duvida é, consigo ir de van para lá? Nao vou alugar carro, planejei ir dia 4 bem cedo e ir embora dia 5 de maio. Agradeço a ajuda

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Flavia! Não existe esse tipo de transporte entre Porto de Galinhas e a Rota Ecológica. Não existe sequer entre Porto de Galinhas e Maragogi, nem entre Maragogi e a Rota. Se houvesse esse tipo de transporte, estaria mencionado na seção "Como chegar".

Maio é época chuvosa. Aproveite as eventuais aberturas de sol na praia onde você estiver; não perca tempo na estrada só para pegar chuva nos lugares onde quer passear.

Angela Salvi
Angela SalviPermalinkResponder

Penso que a Pousada Barra Velha poderia ser incluída nas indicações. É uma pousada pé na areia, mas com um atendimento muito acolhedor, um restaurante bom e acomodações rústicas, limpíssimas e sem frescuras. Para casais com filhos, é sensacional! Frequentou a praias a, pelo menos, sete anos, não gosto de resorts, pois acho que eles não conseguem mão de obra suficiente para um bom atendimento. Quem duvidar do meu depoimento, pode consultar o tripadvisor. Ela tem as melhores avaliações. Quem for, não irá se arrepender.

dimas
dimasPermalinkResponder

Quando forem á praia do toque e piscina do toque( que fica a 1500 m da praia), vá nos dias em que a tábua de marés estiver em 0,1 ou menos, pois com a maré mais seca, além das piscinas aparecem bancos de areia que formam lindas prainhas.E quando retornarem, peçam ao jangadeiro para deixá-los na pousada em frente e depois sigam caminhando até a praia central ( de porto da rua), pois é simplesmente maravilhosa esta praia e ficar observando-a enquanto caminhamos ao longo dela.

Lilian
LilianPermalinkResponder

Excelente este guia!

Não conheço ainda está região. Estou programando viagem para Fevereiro de 2017, e gostaria de saber se é fácil me locomover dentro do vilarejo de Porto da Rua, onde pretendo ficar. Pelos mapas, os restaurantes e pousadas com restaurantes interessantes me parecem bem afastados uns dos outros. Há necessidade de alugar carro ou dentro do vilarejo há outros transportes acessíveis???
Agradeço imensamente desde já.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lilian! Estando em Porto da Rua você pode ir a pé, pela areia da praia, de dia, aos restaurantes da Côté Sud, da Amendoeira, do Caju, do Toque e ao Quintal. À noite, a pé, você terá que se restringir aos restaurntes da orlinha de Porto da Rua e à Côte Sud. Para os outros restaurantes de pousadas, à noite, você terá que ir de mototáxi ou táxi. Para ir aos restaurantes de Porto de Pedras, também, de dia ou de noite.

GILZA C F F ALMEIDA

Olá, irei em fevereiro 2017 e ficarei na Pousada Padre Cícero, que fica em Porto da Rua. Gostaria de saber como chegar de Maceió de transporte público, soube que há vans, mas gostaria de saber de nde elas saem e tempo aproximado da viagem . Grata.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gilza! Há táxis compartilhados que partem do posto Mar Azul na saída de Maceió. Devem levar umas duas horas e meia até Porto da Rua. As vans ("transporte complementar") saem do centro popular de Maceió; nem sabíamos que havia van para Porto de Pedras, mas parece que há, sim. Quem pode lhe informar melhor é a pousada; dê uma ligadinha.

Cris
CrisPermalinkResponder

Sabe quando vc esta no teatro e a peça é maravilhosa e aí vc levanta empolgadíssima e aplaude? Pois é

GUSTAVO
GUSTAVOPermalinkResponder

Vou no fim de setembro para São Miguel e estou precisando de um transfer desde o aeroporto de Maceió. Alguém pode me indicar algum?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gustavo! Sua pousada pode.

Rachel
RachelPermalinkResponder

Acabei de voltar da rota ecologica, ficamos 3 dias, alugamos um carro no aeroporto de maceio e fomos tranquilamente seguindo o google maps (durante o dia) ate a Pousada Marceneiro (pousada perfeita, vista maravilhosa, a praia esta logo aos seus pes, atendimento cordial, quarto confortavel, amplo e bem decorado, nenhum ponto negativo). Fizemos um passeio de jangada saindo da praia do marceneiro, eramos os unicos turistas no meio daquele mar azul imenso...somente alguns pescadores pelo caminho... Lugar perfeito pra relaxar e esquecer do mundo... Fora da pousada nao ha estrutura nenhuma pra turistas...parece uma vila de pescadores que parou no tempo...nao ha ambulantes...ngm pra te incomodar... Pode ser pq eh baixa temporada (final de agosto)...mas nao podia ter sido mais perfeito... Espero que o lugar continue assim por mt tempo... O problema eh que agora vai ser dificil gostar de outra praia...

Marcia Ogata
Marcia OgataPermalinkResponder

Adoro as dicas do Viaje na viagem.

Rodrigo
RodrigoPermalinkResponder

Estive em Maragogi uma semana, as praias do Norte da cidade são lindíssimas... Burgalhau, e em especial Antunes e Ponta de Mangue são indescritíveis, de uma beleza ímpar..

Programe para ir em uma época de maré baixa, até 0,4 no máximo!

Maragogi sem carro não rola, acho que o carro é essencial para conhecer as praias e cidades próximas..

Visitamos também Japaratinga e Milagres em um bate e volta de Maragogi.

Mas o top mesmo foi a praia do Patacho e da Laje, em Porto das Pedras. .. Meu Deus!!

Uma praia paradisíaca, beleza impressionante, águas mornas e sem nenhuma estrutura de apoio (o que é ótimo), acesso tranquilo via balsa.

Saindo de Maragogi gastei uma hora de viagem, a maioria do caminho a beira mar, com paisagens deslumbrantes.

Optamos por passar o dia nesse paraíso e contratamos previamente os serviços jangadeiro Dodo,
O contato dele é 82-993353264 .

O cara é uma figura, nativo do local, nos levou até as piscinas naturais das praias de Patacho e da Laje e o ponto alto foi a lagosta que o próprio Dodo preparou em uma churraqueirinha improvisada na jangada e nos serviu em pleno mar.. Ficamos ali admirando as belezas da região e curtindo as piscinas por 4 horas.

Tomara que o turismo de massa não aterrise por aqui, pois é uma beleza indescritível..

Top, top e muito top... Nota mil.

Roberta Mares
Roberta MaresPermalinkResponder

Bom dia, tenho lido incansavelmente td sobre maragogi, mas não consigo me decidir onde ficar... Vou viajar com marido e filha de 3 anos e gostaria de ficar na parte q tenha o mar mais lindo.... Aquele tom caribenho.... Seria na ponta do mangue?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roberta! Está bem claro no texto que o mar mais bonito fica nas praias do norte, Ponta de Mangue entre elas.

Roberta Mares
Roberta MaresPermalinkResponder

Então entendi certo. .. Agora vou sem medo de errar...Obrigada!

Dani
DaniPermalinkResponder

Ola, estou com uma dívida: vc falou no texto que as praias de peito das pedras e são miguel não são para quem quer vilarejo pra ir à noite. Como se faz então para jantar se não houver esse serviço no hotel? Essa vila de Porto das pedras não serve para um passeio à noite?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Dani! Os vilarejos de Porto da Rua (o maior da região, perto de São Miguel), de Porto de Pedras e da Laje (perto de Porto de Pedras e do Patacho) têm restaurantes que abrem à noite. É possível reservar jantar em pousadas das praias do Patacho, da Laje, de Porto da Rua e do Toque.

O que não existe na região é um footing noturno, como existe em vários destinos de praia do país. Não se deve ir para essa região achando que à noite será possível encontrar um ambiente como em Arraial d'Ajuda, Pipa, Jericoacoara, Morro de São Paulo ou Caraíva.

Dani
DaniPermalinkResponder

O corretor ortográfico me sacaneou um pouquinho, mas obrigada por entender e me responder! grin

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Estive na região este último fim de semana na Pousada MARCENEIRO e recomendo muito! Ótimo atendimento, instalações novas, de bom gosto e confortáveis! Comida de qualidade. Lindo jardim e um encanto de praia. Voltaria mil vezes àquele paraíso. Ahh.. gostaria de informar que o COKOLOCO, onde teria restaurante com day use fechou. Tentei ir lá e foi informado pela recepção da pousada da qual fazia parte, que não existe mais sad

Ricardo Freire

Georgia, tô sabendo! Em breve vou atualizar este post e também o destino Rota Ecológica. Surgiram outros pontos de acesso em São Miguel dos Milagres. Obrigado por reportar!

Carla
CarlaPermalinkResponder

Olá...vou para Maragogi em Março/ 2017 irei ficar hospedada na Shalom Beach Pousada em São Bento. Como ela fica mais retirada, gostaria de saber se tem algum meio de transporte taxi, onibus que faça o trajeto da pousada até o centro de Maragogi. Tem noção de custo?
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carla! Seu hotel poderá chamar táxi (pergunte a tarifa ao chegar; deve ser algo como R$ 20 por corrida) ou ir até a estrada e pegar qualquer van (não deve sair mais do que R$ 3).

Priscilla
PriscillaPermalinkResponder

Acabo de retornar da Rota e realmente é espetacular. Gostaria de compartilhar uma dica de restaurante em Japaratinga : o restaurante da pousada Yapara- Tyba. Ele funciona todos os dias para não hóspedes das 11h às 21h, tem um cardápio bem bacana, refeições para duas pessoas com bons preços. Jantei duas vezes neste restaurante e super indico , comida muito saborosa e farta. Fica a 5km da entrada da cidade, próximo da Estalagem Cauia.
Não fiquei hospedada lá, mas pareceu ser interessante.

marilena kriguer cunha

Outubro 2015, fomos conhecer a rota ecológica, através da opinião de vocês. Ficamos encantados.Partindo de Maceió, viajando de ônibus urbano até Paripueira, vans até Japaratinga linda, lugar de paz.conhcemos as galés, bem mais tranquilas .nos hospedamos na bela pousada praia dos encantos.Novamente , fomos Até Maragogi, de ônibus urbano.Uma grande e deliciosa aventura.Retornamos a Maceió de taxi lotação. Ficamos 40 dias , curtindo muitas praias lindas , somente em vans, táxi lotação e ônibus urbano.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Boa tarde! Gostaria de sabe se a pousada les terrasses tem uma boa localização. A praia em frente à pousada é bonita? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! Está perto da balsa para Porto de Pedras. A praia em frente é próxima à foz do rio, sua melhor qualidade é ser deserta. Há praias mais bem desenhadas em outros pontos da rota.

Renata
RenataPermalinkResponder

Estive em Maragogi em 2014. Aluguei carro desde Recife e fiquei 9 dias por lá e fui a todos os lugares mencionados. Para quem quer fazer todo os passeios, pode ficar em Maragogi e ir todo dia conhecer um lugar. Só senti falta de indicações de pousadas econômicas. Na orla de Maragogi, no centro, existem pousadas boas e baratas. Só cuidado para não ficar perto da saída dos barcos para as piscinas, pois costuma ter barulho de música alta, dependendo da época do ano. No mais, fiquei encantada com as praias. Do jeito que gosto:desertas. Na praia do Riacho, fui uma segunda-feira (cuidado a pousada/receptivo não abre às segundas) e só tinha eu e mais 5 pessoas. Linda, linda. Em Maragogi, Ponta de mangue é a melhor praia. Antunes, deserta, sem infra, mas tb é linda para passar algumas horas. Patacho, Toque, de tirar o fôlego. Aproveitam. Espero voltar em breve.

Lucimar Viscovini

Estou hospedada na pousada Aldeia de Beijupira, pela segunda vez. Fica na praia da Lage. Pousada e praia fantasticas. Maceió fica a 150 km daqui. O atendimento e o charme da pousada fazem toda diferença. É um lugar para repor as energias e se reequilibrar.

Gisele
GiselePermalinkResponder

Parabéns pelo site, e sempre meu guia.
Fui em Maceió ha 2 semanas e visitei Barra de São Miguel, Gunga e suas, orla do centro e fiquei um dia inteiro no hibiscus (amei).
Vou voltar em junho com meus pais, eu moro perto Maceió mas eles vem e voltam de avião por Maceió.
Enfim...estaremos de carro e eu quero conhecer mais lugares.
Chegada dia 15 de junho e ir embora dia 23. Pensei em ficar 3 dias em Maceió, subir e ficar 2 dias em Japaratinga pra conhecer a praia do Patacho e São Miguel. Chegar dia 20 em Maragogi e conhecer as prais do norte e aproveitar a maré baixa na manhã do dia 21 para as gales. Depois subir para Porto...passar 21 e 22 e no dia 23 descer para Maceió já que o voo é as 15h.
Acha possível. ? Modificará algo.?
Desculpa pelo tamanho do texto.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gisele! É um bom plano. Em Maragogi, aproveite para fazer o 'passeio de orla', que não existia quando o post foi publicado. Dê preferência aos passeios em lancha pequena, para até 8/10 pessoas (os catamarãs são muito farofa). É o melhor tour pelas praias do norte que há.

valeria
valeriaPermalinkResponder

Oi Gisele! VocÊ foi em junho? Pegou muita chuva?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Valeria!

Veja isso:
https://www.youtube.com/watch?v=Z_04S8oMRCI

Eloisa Casimiro

Fiz a pé de Peroba, divisa Pernambuco/ Alagoas até Tabuba.
Lógico q precisei utilizar balsa em Porto de Pedras e desviar pela br de van, pois não tive como atravessar o Tatuamanha.
Sem reservas, no mês de outubro, andava de manhã até às 14 hs, descansando na hora do sol mais quente , debaixo da orla de coqueirais que parecem infinitos nesta rota. De mochila, iPad, lanchinho, água e paradas para banho de mar, posso dizer que eu e minha irmã fizemos uma viagem deliciosamente incrível e tranquila. Passamos por 22 praias, muita história prá contar...comer o bobó de camarão por. Dona Ilze no Paraíso dos Coqueirais, em Japaratinga e o doce de jaca da Dona Marinete em Porto de Pedras e andar 8 dias descalça não tem preço! Posso dar todas as dicas de roteiro/ distâncias/ comer e dormir para quem quiser se aventurar. A alma agradece.

Eloisa Casimiro

Olá, viajo para Porto da Rua, é preciso saber se há como fazer a travessia pelo Rio Tatuamanha, no sentido norte, Lage, Patacho etc..apé ou de carro. Já estive pelos locais, num treeking de 8 dias por conta, mas não encontrei maneira de atravessar o rio e acabei tendo que pegar uma van . Alguém aí sabe me dizer? Grata.

Beatriz Ribeiro

Com certeza, este é um dos melhores sites de viagem. Sempre que viajo, busco informações aqui, pq sei que vou achar muita coisa interessante e útil aqui. Parabéns pelo trabalho.

PATRICIA R
PATRICIA RPermalinkResponder

Voltei recentemente a Sao Miguel e um restaurante muito bom em Porto da Rua foi o Grande Lau (abriu no começo de 2017). Fica perto da pizzaria Eco, cuja pizza, alias, continua sendo servida com a cobertura um pouco crua e fria... O Luna Bar nao abre mais a noite, só durante o dia. Uma pena. E no povoado da Laje/Patacho agora tem o restaurante Amor q abre para o jantar e parece ser bom.

Sabrina Colares

Bóiaaaa...helppp...estou indo para São Miguel dia 09/01, e, apesar de ter reservado a Pousada do Marceneiro, agora meu deu dúvida se fico lá ou na Villa Tatuamunha, em razão da localização, somente. O que me diz? Gosto do burburinho...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sabrina! A Villa Tatuamunha está num ponto mais recluso da rota.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Olá! Gostaria de conhecer São Miguel nas minhas próximas férias, mas tenho 2 filhos, um de dois anos e meio e o outro é bebê. Vi que varias pousadas não aceitam crianças e agora estou na dúvida se esse seria um destino adequado para ir. Fiquei com a impressão que esse é um destino mais para casais. O que vc acha?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! Por ter águas calmas e quentinhas, é um destino ótimo para levar crianças. Basta escolher uma pousada que aceite, como a Borapirá.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Muito obrigada!!

Talitha
TalithaPermalinkResponder

Olá! Queria fazer o passeio de lancha para as piscinas naturais de Barra Grande, em Maragogi, pois vi que seriam mais rasas que as Galés (tenho criança pequena) e de lancha seria mais rápido. No entanto estou com dificuldade em achar uma empresa que faça esse passeio. Vcs têm alguma sugestão? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thalita! As piscinas naturais são visitadas em rodízio pelas operadoras. A profundidade depende da maré, não da piscina.

Thais Melo
Thais MeloPermalinkResponder

Como sempre os textos do Viaje na viagem me ajudam muito a escolher os roteiros de viagem. Já decidi que quero ficar na região entre Praia do Toque e Porto da Rua, mas tenho dúvida se da para andar tranquilamente entre elas e qual teria “melhor água” para entrar. Olhei a tábua de mares e na época que vou terá maré baixa de 0,2 por volta de 11h às 12h, nessa condição, qual das duas praias escolheria? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thais! Trata-se de uma praia só, com exatamente as mesmas características de água, temperatura e maré. Têm nomes diferentes apenas porque Porto da Rua está à altura do povoado de Porto da Rua, enquanto no Toque o povoado não alcança a beira-mar.

Uma maré de 0,2 neste trecho significa que a praia vai estar bem seca -- para entrar n'água você vai precisar andar em direção aos corais. Mas é uma maré ótima para fazer o passeio de jangada às piscinas naturais.

ana carolina
ana carolinaPermalinkResponder

boa tarde

Obrigada pelo excelente trabalho do blog. Já me ajudou em outras viagens.
Fiz perguntas sobre a rota ecologica e não tive resposta, li bt sobre a material do site, e outras perguntas também e tb li a politica de critérios para respostas. Ficou tudo bem claro, mas uma coisa não achei, e gostaria de saber, se puderem me ajudar. Vou pra Porto de Galinhas 5/6 dias e depois 2/3 Porto da rua. Onde escolho o voo de volta? Recife ou Maceio.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar