Paris: vale a pena ônibus hop-on/hop-off?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Big Bus Paris

Foto: Divulgação

Normalmente eu recomendo esses ônibus de dois andares em cidades onde andar a pé/pegar transporte público é complicado. Acho o ônibus de Curitiba excelente; o de Salvador é uma mão na roda para ir ao Bonfim e à Ribeira; o de Dubai não tem contra-indicações; o de Miami é interessante para quem não quer alugar carro.

Já para lugares onde caminhar é um prazer e dominar o transporte público é uma maneira de entender melhor a cidade -- como é o caso de Paris, Londres ou Nova York -- não curto não. OK: no andar de cima, se o tempo colaborar, dá para fazer fotos bacanas. Mas o tour dá a ilusão de que você 'conheceu' a cidade, quando não faz mais do que oferecer um slide show. A cidade acontece ao rés do chão -- e a viagem, para mim, é tudo o que acontece de inesperado entre um cartão-postal e o seguinte.

Mas se você é fã do esquema, aí vão as coordenadas:

Big Bus/Les Cars Rouges

Em preto, a ida; em vermelho, a volta

O Big Bus/Les Cars Rouges tem uma linha só. Sai da Torre Eiffel, passa pelos Invalides, atravessa o Sena e então enfrenta o trânsito da cidade, passando pela Place de la Concorde, Opéra e Galleries Lafayette, Place Vendôme e pelo Louvre. De volta ao Sena, cruza a île de la Cité (onde está a Notre Dame) e volta pela margem esquerda, passando pelo Quai d'Orsay. Atravessa de novo para Place de la Concorde e então sobe e desce os Champs-Elysées até o Arco do Triunfo. Volta pelos Invalides e faz um novo ziguezague, passando no Trocadéro antes de voltar à Torre Eiffel. À noite o roteiro muda um pouquinho, com uma extensão até o Moulin Rouge. Comprando online, o passe diurno custa 27 euros para 1 dia e 30,60 euros para 2 dias. O passe diurno + noturno custa 44 euros para 1 dia e 47,60 euros para 2 dias. O passe exclusivo para o tour noturno sai 22 euros.

Foxity

O Foxity tem como vantagem ônibus com teto retrátil no segundo andar, para dias frios ou chuvisquentos. Seu itinerário é basicamente o mesmo (incluindo a variação noturna). O preço é low-cost: 17 euros sem direito a hop-on/hop-off, 19 euros para poder subir e descer durante 1 dia. A tarifa noturna, sem direito a parada, é 19 euros.

L'Opentour

O L'Open Bus é o único com várias rotas: são 4 itinerários que se comunicam e podem ser combinados à vontade durante a validade do passe -- de 1, 2, 3 dias consecutivos. A linha verde repete a linha básica básica dos outros ônibus, e é complementado pelas linhas amarela (que vai até Montmartre), azul (passa por fora do Marais e vai até Bercy) e laranja (que faz Quartier Latin, Sorbonne, Luxembourg e Montparnasse). Os preços do passe são: 32 euros para 1 dia, 36 euros para 2 dias e 40 euros para 3 dias.

Trem + cruzeiro no Sena

Todos os ônibus de dois andares oferecem também tarifas reduzidas para crianças e passes combinados com tour de barco pelo Sena. Verifique nos sites.

Leia mais:

20 comentários

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Eu andei. Ia ficar 8 dias na cidade, com ele dei uma geral e depois fiz tudo a pé.
Gosto desses ônibus e sempre faço o passeio.
(agora posso contar a real: eu dormi por 30 minutos, estava podre de cansada e ronc ronc apaguei zzzz)
Sabe que esqueci de pegar em NY???

Andrea
AndreaPermalinkResponder

Eu acho a pena só pra quem não quer ou não pode andar muito. Ou pra se ter uma boa localização da cidade, pra depois fazer o que mais gostar a pé. Em Paris, eu só andei de velob, as bikes da prefeitura, foi o máximo!

Tânia
TâniaPermalinkResponder

Acho interessantes esses ônibus porque eles te dão uma geral da cidade e o caminho mais fácil para chegar aos pontos turísticos. Para quem não conhece a cidade, ficar procurando esses lugares no mapa/guias perde-se um tempão. Quando estive em Paris, não usei o ônibus. Fiz um passeio guiado. O tour da agência foi a pé e acabei saindo de lá sem conhecer pontos básicos, como por exemplo, a Champs-Élysées.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Se a pessoa não tem muito tempo na cidade, acho interessante. Assim você não precisa entender o sistema de transporte local e nem deixar de ir nas principais atrações.

Mas se for ficar mais dias, acho que o melhor mesmo é andar pela cidade, descobrindo suas ruas, lojas e restaurantes, e pegando o transporte público apenas para as grandes distâncias.

Edson Florezi Filho

Minha dica é alugar uma bicicleta se você tiver pique e o tempo na cidade estiver bom. Ciclovias são abundantes e os motoristas parisienses respeitam os ciclistas até mesmo nas redondezas da Champs-Élysées . Tem pontos self-service para aluguel de Bike pela cidade toda e é bem simples podendo-se pagar com o cartão de crédito/débito . É bom fazer uma inspeção visual na bike antes de tirá-la do ponto de aluguel.... algumas estão em péssimo estado.

ADILA FERREIRA

Ah!!! Esses passeios sao uma mão-na-roda pra quem chega e nem sabe onde ele próprio está....Andei num desses em Paris, Munique, Colônia, Chicago, Amsterdam, Buenos Aires, além dos que tem aqui no Brasil, e APROVO.Só nao gostei do de Colônia - muito pobre o roteiro.Nos dias seguintes, voce já pode voltar aos locais que gostou com segurança.

Alex
AlexPermalinkResponder

Paris algumas vezes e experimentei alguns dos transportes. O metro é muito bom, as bicicletas também. Eu tinha uma certa implicancia pelo ônibus de lá, mas uma vez peguei e nao me arrependi. O Metro te leva sem dúvida a todos os principais lugares da cidade, mas eu sentia que nao era capaz de chegar nesses lugares sem ele. Me batia uma certa dependencia do metro, tipo: qual estacao é mais próxima ? Nossa Les Invalides é bem legal, mas eu nao consigo vê-lo se nao for para lá, como se é tão grande ? Pois é, ir por cima de ônibus, vendo o caminho te dá uma sensação espacial da cidade muito interessante, ainda mais que a cidade é cortada pelo Sena, e saber o que fica de um lado e do outro ajuda bastante. Me senti bem mais seguro depois disso. Eu recomendo pra quem um pouco mais de tempo e pretenda voltar a cidade outras vezes. Caso contrário, o metro é o melhor transporte. As bikes podem servir pra um passeio ou outro também, mas se você nao é bom de bike, não sei se pode ser uma boa idéia. O transito junto com as bicicletas, podem te causar mais preocupaçcao do que alegria, e não foi por isso que você foi pra lá.

Claudia Souza
Claudia SouzaPermalinkResponder

Eu acho que vale a pena o ônibus hop-on/hop-off em qualquer cidade que disponibilize o serviço, mesmo em Paris. Utilizando o ônibus, é possível ter um panorama geral do local para depois partir para visitas mais específicas. Eu utilizei o ônibus em Paris e não me arrependi.

Teresa Rocha
Teresa RochaPermalinkResponder

Fiz recentemente uso do ônibus no domingo e, achei super valido pois fizemos uma leitura dos pontos turísticos e, depois com calma, voltei aos que queria ir. Fiz conjugado com o passeio no Sena e, no fim, foi vantajoso.

Maria de Lourdes Quintiere

Usei o L'Open tour em Paris e valeu muito a pena justamente pela visão panorâmica da cidade. Isso foi logo no primeiro dos 11 dias que fiquei lá.
A partir daí caminhadas a pé e metrô .Circulando pela cidade por 10 horas seguidas. Muito Bom!

Beth
BethPermalinkResponder

Onde tem esses onibus eu uso!!!!Da pra ter uma geral da cidade,vc pode visitar alguns pontos turisticos mais longe que nao visitaria(desce,conhece e sobe)e depois vc faz o mais interessante a pe!!!!Acho que vale muito a pena!!!

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Acho que esse tipo de ônibus só vale a pena quando se tem bem pouco tempo em uma cidade. Usei em Santiago pois só teria dois dias por lá (e um eu gastei nas vinícolas e Vina del Mar) e achei que valeu a pena. Minha tia passou apenas um dia em Madri e tb gostou de ter usado o ônibus. Vc não perde tempo no transporte (nem se perde no mesmo) e maximiza as principais atrações a serem conhecidas em pouco tempo.

Mas acho que é o único caso para se usar esse tipo de serviço. Na boa, todo mundo pesquisa tanto os destinos da viagem que não é possível que não tenham uma "idéia espacial" do lugar. Além do mais, com o chip e podendo acessar Google e Google Maps, só se perde quem quer. Usar esse tipo de ônibus em NY pra mim é um contrasenso. Em Paris não faz sentido tb, a não ser que vc tenha problema de locomoção.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Usei o onibus de 2 andares na primavera e o utilizava como "táxi". Descia em cada ponto e desbravava a redondeza a pé por horas. Aí pegava o próximo bus e descia no ponto seguinte.
Compre o passe para pelo menos 2 dias.
Abçs

Maria Christina Cruz

Concordo que em Paris o melhor é fazer tudo a pé + transporte público que é muito fácil de usar (ônibus, metro, batobus). Acho que esses ônibus só valem a pena quando se tem poucos dias na cidade. Um problema que acontece com esses ônibus é que a eficiência deles depende da cidade, por ex: em Barcelona, Miami, NY, funcionam super bem, são em grande número e organizados. Em Roma achei o serviço regular, já em Atenas achei péssimo, serviço desorganizado e demorado, desisti dele no meio do tour.

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Parece que você tava adivinhando.. vou pra Paris com meus filhos de 7 e 10 anos, eu e meu marido já fomos algumas vezes a Paris, mas eles não conhecem. Acho esse ônibus uma boa para crianças, que se cansam de andar demais. Valeu pela dica, acho que vou de Foxity. Quando eu voltar, te mando meu post

Maisa
MaisaPermalinkResponder

Acho que vale a pena sim para o primeiro dia em Paris, independente de quantos dias ficará, pois ele dá uma ideia geral da parte turística da cidade e você já fica "localizado" na cidade. Recomendo dar a volta completa com ele para depois conseguir andar e saber onde está, mas explorar Paris tem que ser a pé mesmo... smile

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Acho que esse ônibus só vale para quem tem pouco tempo em Paris, ou pra quem não pode ou não gosta de caminhar muito (o que em Paris é um pecado).
Para todos os demais existe as pernas e os ótimos ônibus de linha parisienses, que custam 1,40 Euro (comprando o carnet de 10) e permitem combinações.

TANIA JANIN
TANIA JANINPermalinkResponder

As duas primeiras vezes que sai do Brasil, indo a Argentina e Paris, usei sim o hop-on/hop-off. Me deu mais segurança para me aventurar nos outros dias a fazer o que mais gosto que é escarafunchar a cidade a pé. Entretanto, durante os dois anos e meio que praticamente morei em Cuba usava o hop-on/ hop-off como meio de transporte para ir de casa ao Casco Antigo e lá transitava a pe. O onibus na época custava 5 dolares ou 5 CUC, bem mais barato que os 15 dolares cobrados pelos taxis. E verdade que demorava mais tempo, mas tempo talvez fosse a única coisa que não me faltava em Cuba.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Existe em Paris, também, o serviço do Bateaubus, que é de sair e entrar mas pelo rio Sena. Eu usei um dia o Les Cars Rouges e é bom mesmo para tirar fotos de um ângulo um pouco diferente.

Ribeiro
RibeiroPermalinkResponder

Nasci e moro em Curitiba e não havia feito o passeio de ônibus city tour e fiquei impressionado com a visão ¨de cima" de minha própria cidade natal, tendo razão o Ricardo já que o passeio é excelente. Gostei tanto que adotei o modelo para obter a impressão geral da cidade, para além dos pontos turísticos, fazendo em Berlin, Frankfurt, Dresden, Praga, Paris e Buenos Aires todos muito bons. Em Praga, é verdade, a vista não foi de cima porque as ruas estreitas não permitem ônibus, sendo o tour realizado em vans. Além disso, outra coisa que gostei muito foram as viagens de trem pela europa. Fiz os trechos frankfurt-berlin-dresden-praga-munique-fussen-paris de trem e as paisagens campestres, rios e montanhas são absolutamente sensacionais. Conhecer as estações de trem da alemanha (bahnhof) é por si só uma aventura muito legal. A bahnhof de Berlin é uma maravilha construída para a copa de 2006.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar