Motorhome: de Las Vegas ao Yosemite e costa da Califórnia (a viagem da Marina)

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

Emerald Bay
Emerald Bay

A Marina passou quase duas semanas entre a Califórnia e Las Vegas viajando de motorhome e visitando parques nacionais pelo caminho. Neste super-relato, ela compartilha suas dicas de planejamento, conta os perrengues no meio do caminho e ainda divide os gastos totais da viagem. Vai pela Marina:

Texto e fotos | Marina Heringer

Tudo começou quando fui para Chicago fazer um estágio e descobri que teria 15 dias de férias antes de voltar para o Brasil. Organizamos então um roteiro que já tínhamos em mente há um bom tempo, viajar pela Califórnia a bordo de um motorhome -- ou 'RV' (ár-vi), como dizem nos Estados Unidos. Foi bem difícil o planejamento dessa viagem pois era uma experiência nova; nunca tínhamos nem visto um carro desse tipo antes, então foi muita coisa para pensar e decidir.

    A escolha do carro

Motorhome

Estrada Death Valley e o motorhome da Marina

A ideia inicial era alugar um carro normal para fazermos a viagem e dormir em hotel ou acampamento, mas fizemos as contas e o motorhome, além de ser superlegal, sairia ainda mais barato que o esquema pensado inicialmente. Vou tentar explicar um pouco do nosso raciocínio:

Orçamento para viagem de carro

  • Diária do carro: US$ 30.
  • Diária do hotel: US$ 120. Essa foi a média de preço que achei. Em Las Vegas hotel é barato, mas íamos ficar apenas uma noite por lá e na Califórnia hotel é bem caro, então orçamos uma média de 120 dólares a diária para o casal.
  • Alimentação: US$ 40 por dia para o casal.
  • Gasolina: US$ 350. Fizemos um orçamento de acordo com o nosso roteiro num aplicativo chamado Roadtrippers.
  • Total para vajar 13 dias de carro: US$ 2.820

Orçamento para viagem de motorhome

  • Diária do motorhome: US$ 110 por dia
  • Estacionamento dos acampamentos: US$ 20 por dia. Fizemos essa média por que teríamos que pagar para estacionar e dormir em alguns acampamentos.
  • Alimentação: US$ 15 dólares por dia para o casal. Economizamos bastante na alimentação pois no motorhome tem cozinha e todos os utensílios, então era só o preço do supermercado.
  • Gasolina: US$ 500. Foi o que o site em que alugamos o motorhome estimou que seria o nosso gasto.
  • Total para viajar 13 dias de motorhome: US$ 2.385

    Orçamento e reserva do motorhome

Death Valley - Artist Drive

Death Valley, Artist Drive

Então nos animamos bastante com a ideia do motorhome e começamos nossas buscas sobre seu funcionamento e onde seria mais fácil alugá-lo. Orçamos em vários sites e o mais barato que encontramos foi o Idea Merge. Alugamos um veículo da companhia Apollo Motorhome, que é famosinha nos Estados Unidos. Também conseguimos 1.000 milhas de graça, o que barateou quando comparado ao próprio site do Apollo Motorhome.

O único inconveniente é que teríamos que pegar e devolver o carro em Las Vegas, o que significaria dar uma volta além do necessário de Los Angeles para Las Vegas, mas mesmo assim compensaria, pois a taxa para devolução em outro lugar era de US$ 700 e esse era o último veículo disponível.

O preço total - já com taxas e milhas incluídas - para os 13 dias foi de US$ 1.265. Pagamos US$ 988,40 no momento da reserva e outros US$ 276,60 na hora da retirada. O único extra que precisávamos pagar era o gerador de energia que custava US$ 6 por hora.

Sobre a questão das milhas: eles vendem cada pacote de 500 milhas por US$ 165 e o que passar disso eles cobram US$ 0,40 por milha extra. Pelas nossas estimativas, rodaríamos 1.600 milhas, então compramos o pacote de 1.500 milhas e no final pagaríamos o que rodássemos a mais.

    Funcionamento do motorhome

RV por dentro

Parte interna do motorhome

Sobre o funcionamento do motorhome encontramos pouca informação. Assistimos alguns vídeos no Youtube sobre o modelo que tínhamos alugados e não encontramos nenhum relato de brasileiro que tinha feito essa viagem. Meu namorado pesquisou mais sobre a questão do esgoto, água e energia, que vou falar ao longo do relato.

A geladeira e o aquecedor da água funcionam a base de gás propano, o mesmo utilizado no fogão. O gás dura bastante, pois quando acabamos a viagem, utilizamos apenas 1/3 do gás. O gerador é apenas para energia nas tomadas mesmo (micro-ondas, máquina, secador etc). Como em quase todos os locais que paramos tinha energia, ligamos o motorhome na tomada, quase não utilizamos o gerador.

    Roteiro e hospedagem

Decidido e alugado o carro, passamos para a fase de escolher certinho os lugares que iríamos e onde dormiríamos. Descobrimos que existem alguns locais onde pode-se estacionar e dormir de graça, como estacionamento de supermercados como o Walmart, alguns cassinos e alguns estacionamentos públicos, mas achamos melhor não contar com isso pois, segundo alguns relatos, não é muito seguro e confortável.

Fechamos o nosso roteiro da seguinte maneira:

  • Dia 1: Otavio chega em Los Angeles e pega o ônibus para Las Vegas
  • Dia 2: Otavio pega o motorhome em Las Vegas e busca Marina no aeroporto
  • Dia 3: Death Valley
  • Dia 4: Death Valley até Bridgeport, passando por Wild Willy's Hot Spring e Bodie
  • Dia 5: Yosemite via Tioga Pass
  • Dias 6: Yosemite
  • Dia 7: Yosemite
  • Dia 8: Yosemite para Lake Tahoe passando pelas sequoias gigantes
  • Dia 9: Lake Tahoe
  • Dia 10: Lake Tahoe para San Francisco
  • Dia 11: San Francisco
  • Dia 12: Bigsur dormindo em Monterey
  • Dia 13: Bigsur dormindo em Santa Barbara
  • Dia 14: Santa Barbara para Las Vegas
  • Dia 15: Devolver o carro em Las Vegas, alugar o carro e ir para Los Angeles
  • Dia 16: Los Angeles
  • Dia 17: Los Angeles

Pesquisamos alguns acampamentos e já deixamos a maioria reservado, mas isso vou detalhando de acordo com o dia.

    Dias 1 e 2: Las Vegas

O Otavio chegou em Los Angeles por um voo da Avianca que conseguimos barato (R$ 1.200 saindo de São Paulo). Chegou e já foi para a rodoviária da Greyhound pegar o ônibus para Las Vegas, passando a noite no ônibus.

Chegou no outro dia cedo e já foi direto na Apollo Motorhome pegar nosso motorhome. O veículo veio extremamente limpo, era novíssimo, tão novo que nem tinha placa, só colocaram um papel no vidro da frente para identificar o veículo. Após a retirada do carro, o Otávio já garantiu nossa vaga num estacionamento próprio, descansou um pouco e foi para o Walmart fazer as compras iniciais como roupa de cama, produtos de limpeza, comida.

O meu voo chegava a noite em Las Vegas e como o Otavio estava sem internet no celular combinamos um local para ele me buscar. O primeiro perrengue da viagem começou quando ele bateu o teto do motorhome entrando no aeroporto. O local que tínhamos combinado era muito baixo para passar o motorhome (muita atenção com isso!) e ficamos até de madrugada no local tentando resolver o problema. Vieram 3 policiais diferentes para registrar o boletim. Não deu em nada porque só deu uma arradinha no carro que conseguimos limpar e tirar.

No teto do local onde ele bateu, havia uns rolos que estavam lá justamente para veículos altos não passarem; um desses rolos caiu no chão. Nosso seguro obrigatório, basicão e incluído no preço do aluguel, cobriu esse custo. Saímos quase às 3 horas da manhã do aeroporto e fomos para o nosso estacionamento.

Fiquei encantada com o motorhome! Além de limpíssimo, ele era mais confortável que eu imaginava. Tinha uma cama de casal, um banheiro completo com um box de um tamanho bem razoável, a cozinha toda equipada e uma mesa com sofá. Tinha até televisão!

O carro possui um reservatório de água, de esgoto e um gerador de energia, mas preferimos ficar em estacionamentos com full hook up pelo conforto (o gerador é bem barulhento e os reservatórios não muito grandes).

Estacionamos no RoadRunner RV Park que custava US$ 18 e oferecia o serviço full hook up (água, esgoto e energia em cada uma das vagas para cada veículo).

    Dia 3: Death Valley

Death Valley

Death Valley

Apesar de termos dormido super tarde, acordamos bem cedo pois tínhamos um longo dia pela frente. Coloquei o despertador às 8h da manhã, o Otavio dirigiu até o Walmart que era bem perto. Ele ficou no carro descansando, já que era o motorista, enquanto fiz as compras que faltavam no supermercado. Já tinha feito uma lista, então fui só completando com o que ele não tinha comprado ainda. Somando as compras no supermercado que nós dois fizemos, pagamos quase US$ 200.

De lá voltamos para o nosso estacionamento para ligar o carro no full hook up, tomarmos banho e um café da manhã reforçado. Saímos de Las Vegas por volta das 11h rumo ao Death Valley. A estrada é maravilhosa! Escolhemos um trajeto um pouco maior porque tinha lido que essa estrada – a Old Spanish Road – valia a pena. Paramos várias vezes para foto.

Depois de quase quatro horas, chegamos ao Death Valley National Park e tivemos que pagar US$ 20 de entrada (preço por veículo, válido por até 7 dias). Além de lindíssimo, o parque é bem quente, por isso é conhecido como o deserto mais quente do mundo. A temperatura estava uns 45 graus. Nesse calor todo, acabamos entrando em um restaurante para comer e gastamos cerca de US$ 40.

Dentro do parque, os lugares que visitamos foram: Zabriskie Point, Artist Drive e Sand Dunes. Chegamos no nosso acampamento, já reservado, quando estava anoitecendo. Ficamos um bom tempo admirando o céu, que é maravilhosamente estrelado.

Estacionamento escolhido: Panamint Springs, US$ 35, full hook up. Reservamos pelo site com antecedência.

    Dia 4: Wild Willys Hot Spring

Wild Willys Hot Spring - caminho

Wild Willys Hot Spring

Só conseguimos ajeitar tudo e sair por volta de 11h da manhã, pois o dump (local onde esvazia-se o tanque de esgoto) estava meio entupido, então demoramos para resolver. Pegamos uma estrada também maravilhosa e depois de 3h de viagem chegamos em Wild Willys Hot Spring. Esse é um local que achei na internet e fiquei doida pra ir! São umas piscinas de água quente naturais.

Para chegar até lá, pegamos um atalho na estrada, depois uma estrada de terra, que foi bem perrengue com o motorhome, e por fim uma caminhadinha até chegar lá. Ficamos um tempo nadando e resolvemos almoçar por ali mesmo, com aquela vista maravilhosa.

Essa noite não tínhamos onde dormir, mas o plano era passar em Bodie, uma cidade fantasma da época de faroeste, e depois dormir lá perto. Estávamos muito cansados então resolvemos deixar Bodie para o próximo dia.

Fomos para Virginia Lakes tentar encontrar algum lugar para dormir, mas estava tudo fechado e com muita neve ainda. Tentamos em Bridgeport, uma cidade maiorzinha, e no meio do caminho na estrada, encontramos um local chamado Willow Springs, administrado por uma senhora bem simpática. Passamos em Bridgeport para abastecer e lá estava supercaro, o galão custou US$ 4,20, mas não tivemos escolha e abastecemos lá mesmo gastando cerca de US$ 110.

Estacionamento da noite: Willow Springs, US$ 40, full hook up.

    Dia 5: Bodie National Park

Bodie

Bodie National Park

Do nosso acampamento fomos direto para Bodie National Park (entrada: US$ 5 por pessoa), uma cidade fantasma antiga, toda construída de madeira e bem conservada. Foi um passeio bem legal, mas minha única recomendação para quem quer visita-lo é levar repelente por que tem mosquito demais.

Depois dessa parada, iniciamos nosso caminho para o Yosemite e fomos pela rota Tioga Pass que é uma estrada maravilhosa, mas que costuma ficar fechada grande parte do ano por causa da neve. Tivemos sorte e ela abriu uma semana antes de chegarmos. Ainda tinha bastante gelo pelo caminho ainda, apesar da temperatura quente, e paramos muitas vezes para tirar foto.

Chegamos no Yosemite Valley por volta de 16h, andamos um pouco, pegamos mapa e aproveitamos o wi-fi de uma lanchonete dentro do parque, já que estávamos desde o início da viagem sem wi-fi e sem sinal no meu celular. Depois fomos para o nosso acampamento, que já tínhamos reservado. A taxa de entrada no parque é de US$ 30 para o carro e é válida por até 7 dias.

Estacionamento da noite: Indian Flat RV Park, US$ 48 por dia, ficamos 3 dias lá. Full hook up. O acampamento ficava a 30 minutos de Yosemite Valley já fora do parque. Todos os acampamentos dentro do parque estavam esgotados. O acampamento era bem organizado e tinha até piscina.

    Dia 6: Yosemite Valley

Tioga Pass

Tioga Pass

Resolvemos deixar o motorhome estacionado e pegar o ônibus para o Yosemite Valley. Tinha um ponto na frente do nosso acampamento e o bilhete custava US$7 ida e volta por pessoa e em mais ou menos uma hora nos deixou na porta do centro de visitantes. Compramos um lanche por US$8 e iniciamos nossas pequenas caminhadas.

Fomos até o Lower Yosemite Falls, caminhamos em alguns campos bem bonitos e pegamos um transporte gratuito para o Mirror Lake, um lago sazonal dentro do parque. Na volta passamos no supermercado perto do Visitor Center para comprar algumas coisas que faltavam e gastamos US$ 12. Tanto o supermercado, quanto todas as lojas dentro do parque têm preço bom e não são caras. Pegamos o ônibus de volta para o acampamento e fomos dormir cedo.

    Dia 7: Tunnel View e Glacier Point

Yosemite - Tunnel View

Yosemite, Tunnel View

Dia mais lindo! Saímos cedinho do acampamento para tomar café com a vista do Tunnel View. Paramos o motorhome em frente ao mirante e tomamos um café da manhã maravilhoso com uma paisagem lindíssima. Fizemos uma trilha bem curtinha e muito mal sinalizada até o Artist Point e voltamos para o motorhome.

Do tunnel view fomos para o Glacier Point parando no Washburn Point e no Taft Point. Os três lugares são maravilhosos e a visita é mais que recomendada. O Taft Point fica a uma caminhada de 40 minutos do estacionamento e é bem tranquilo encontrá-lo. Pra quem tem medo de altura (eu!) é um desafio chegar na pontinha do mirante, mas toda a náusea é recompensada com fotos belíssimas. Voltamos para o supermercado do Vistor Center e deixamos mais US$ 20 em compras e fomos para o nosso estacionamento dormir.

    DIA 8: Toulumne Groove e Lake Tahoe

Yosemite - Meadow 2

Yosemite 

Saímos do estacionamento logo cedo e fomos ao Toulumne Groove, um local para ver sequoia gigante dentro do Yosemite. Existem outros lugares maiores para passear e ver as sequoias gigantes, mas o principal estava fechado para reforma e os outros eram fora de mão. Passamos no Toulumne Groove e valeu a pena fazer a caminhada de meia hora, com subida na volta e muito calor.

Em seguida, pegamos estrada rumo ao Lake Tahoe. No caminho paramos em uma cidade chamada Sonora, onde abastecemos o carro com mais US$ 100, almoçamos por US$ 27 e fizemos algumas compras no Walmart por US$ 17.

Depois de três horas em uma estrada linda e cheia de curvas, chegamos em South Lake Tahoe e iniciamos nossa jornada em busca de um acampamento. Todos que tínhamos pesquisados estavam ou cheios ou caros, então resolvemos dormir no estacionamento de um cassino.

Estacionamento da noite: Montbleu Casino, paramos ao lado de outros dois RVs e não tivemos problema nenhum.

    Dia 9: Sand Harbor

Death Valley -Sand Dunes

Death Valley, Sand Dunes

Acordamos cedo com a claridade e com o barulho da rua e fomos para o Sand Harbor, um lugar lindo! Tomamos café e fomos para a praia, tiramos fotos, tomamos sol e seguimos em direção a Secret Cove, uma outra praia próxima que está escondida nas pedras e só é acessível com uma caminhada de 20 minutos. Não tem estacionamento no local, por isso, paramos junto com outros carros no acostamento da rua. Saindo de lá, fomos rumo ao nosso acampamento passando pela maravilhosa Emerald Bay.

Estacionamento da noite: Willian Kent Camping, US$ 28, só a vaga. Tem um local para dumping lá dentro do acampamento e o custo é de US$7.

    Dia 10: San Francisco e San Jose

Estrada Death Valley

Estrada Death Valley

Tomamos café no McDonalds (péssima escolha) e iniciamos nossa longa jornada até San José. Foram duas horas até Sacramento, onde paramos para abastecer (mais US$ 100 de combustível) e depois mais duas horas até San Francisco, passando pela Golden Gate Bridge, com direito a time lapse e sem pagar pedágio porque domingo é liberado.

Só passamos por San Francisco e fomos direto para San José, onde ficamos hospedados na casa de uma amiga minha. De San Francisco para San Jose é uma hora de carro. Paramos na rua da minha amiga e lá ficamos estacionados por dois dias. Saímos para jantar com minha amiga e o marido dela em um restaurante de churrasco japonês. Eu amei o restaurante, a comida é ótima e o preço super em conta. O lugar chama Gyu Kaku Cupertino (The Marketplace, 19620 Stevens Creek Blvd, tel. 1/408-865-0149), só mais tarde descobri que essa é uma rede que existe em vários locais no Japão e nos Estados Unidos.

    Dia 11: San Francisco

Decidimos ir de trem até San Francisco porque o motorhome é desconfortável para andar dentro da cidade. A passagem custou US$ 29, ida e volta para nós 2, e demorou quase 1h30m para chegar. Andamos muuuito, o dia inteiro. Almoçamos em uma restaurante italiano bem gostoso em Little Italy por US$28, fomos ao Pier 39, Lombard Street e de lá pegamos um ônibus para ver a ponte de perto. Voltamos para a estação de trem e chegando em San Jose fomos jantar na Cheesecake Factory (Westfield Oakridge, 925 Blossom Hill Rd, tel. 1/408-225-6948).

    Dia 12: Big Sur

Big Sur

Big Sur

De San Jose, passamos em um outlet em Gilroy (681 Leavesley Rd, Gilroy, tel. 1/408-842-3729) que é bem barato para comprar algumas coisas. Almoçamos no in’n’out (550 Newhall Dr, tel. 1/800-786-1000), uma rede de fast food da Califórnia por US$10 e fomos ao Walmart e deixamos US$ 28 com gastos de supermercado. Seguimos rumo a Big Sur, a Highway 1. A paisagem é linda, mas o tempo estava feio esse dia. Paramos no início da estrada para dormir no acampamento que tínhamos reservado.

Estacionamento da noite: Riverside Campground, US$ 60, água e energia, não tem dumping. Foi superdifícil achar alguma local disponível, sugiro reservar com antecedência.

    Dia 13: Santa Barbara

Dia muito especial, descemos a costa da Califórnia até Santa Barbara. Paramos no meio da estrada em um lugar com uma vista maravilhosa para almoçar. Abastecemos o carro com mais US$ 70 em San Luis Obispo e iniciamos nossa busca por algum lugar para dormir. Acabamos encontrando uma estrada no litoral onde tinham vários RVs estacionados, é uma estrada quase chegando no Faria Beach Park que estava cheio. Dormimos com o barulho do mar, adoramos!

    Dia 14: Las Vegas

Acordamos com um guarda batendo na porta pois tínhamos estacionado em local proibido. Como paramos lá de noite não vimos uma placa que mostrava que a partir de tal lugar estava proibido parar devido a obras. O policial nos cobrou uma multa de US$ 28 e nos expulsou do local às seis da manhã. Estacionamos o carro um pouco mais pra frente e acabamos de nos arrumar e tomar café. Iniciamos nossa viagem rumo a Las Vegas, onde iriamos devolver o carro. Paramos para abastecer com mais US$70 e depois de quase cinco horas, chegamos no mesmo acampamento que havíamos parado no primeiro dia (Road Runner RV Park, US$ 18).

Fizemos uma faxina no RV e nos arrumamos para curtir a noite em Las Vegas. Nenhum de nós conhecia a cidade, então pegamos um ônibus e fomos direto para a área de cassinos. Las Vegas é uma cidade totalmente peculiar e diferente, jogamos e perdemos dinheiro em alguns cassinos e voltamos de táxi para nosso acampamento. A experiência foi bem legal. Las Vegas estava ainda mais quente e mais seco que o Death Valley. Vá preparado.

    Dia 15: Los Angeles

Acabamos de arrumar tudo no RV, enchemos o tanque com US$ 100 e fomos devolver o carro na locadora. Chegando lá tivemos que pagar um extra de US$ 230 pois andamos 2.000 milhas e tínhamos reservado apenas 1.500 milhas. O gerador utilizamos por menos de uma hora, então não nos cobraram.

Do estacionamento do Apollo Motorhome, pegamos um táxi até o aeroporto onde alugamos um carro para ir para Los Angeles passar os próximos três dias. O aluguel do carro com o tanque cheio custou US$ 230 sendo que devolveríamos no aeroporto de LA, na hora de ir embora.

Willow Spring

Willow Spring

No final das contas, o aluguel do RV ficou um pouco mais caro que o esperado, pois tivemos que comprar roupa de cama, paramos em estacionamentos caros e comemos fora algumas vezes, mas nada que tenha fugido muito do orçamento. A experiência foi maravilhosa, recomendo a todos e mal posso esperar para programar minha próxima viagem de motorhome. Estou à disposição para qualquer dúvida ou comentário!

Superobrigado pelo relato, Marina!

Leia também:

12 comentários

Rubens
RubensPermalinkResponder

Que viagem linda, adicionei aos favoritos!!!!!!!! Quem sabe um dia! rsrs

Maria Ines Vargas

Olá !!
Fizemos uma road trip de RV pela costa oeste americana em dez/jan 2016 !!
Fizemos um relato completo da nossa aventura no blog do Felipe, o pequeno viajante, que por sinal é a bíblia de quem quer viajar de RV pelo mundo !! Tem EUA, Leste Europeu, Nova Zelândia, Canadá, ....
Quem quiser ler, será um grande prazer dividir com todos a nossa grande aventura !
http://www.felipeopequenoviajante.com/2016/01/viagem-de-motorhome-pelos-estados-unidos-california-quanto-custa.html

Forte Abraço !!

Samantha Figueiredo

Fiz uma viagem em fev/março de 2016 pela costa da Califórnia de SF a SD e fomos até Las Vegas tb de motorhome. Passamos 21 dias e foi incrível. Queria poder fazer todas as minhas viagens num MH, foi inesquecível!!!

Andreza Trivillin

Se me permitem colaborar, eu fiz uma viagem de mortorhome pela Califórnia em janeiro/2015.
Eu contei como foi alugar o motorhome nesse post: http://andrezadicaeindica.com.br/alugando-um-motorhome-ou-trailer-california.html
E o nosso roteiro nesse outro: http://andrezadicaeindica.com.br/nosso-roteiro-de-22-dias-na-california.html
Como era a nossa primeira viagem de RV optamos por ficar somente 4 dias com o motorhome para "testar", mas na próxima com certeza já estamos preparados para ficar com ele por vários dias.
Espero que ajude

Marcela Sousa
Marcela SousaPermalinkResponder

Ótimo relato!!
Estou indo semana que vem fazer uma viagem de 20 dias de RV pelo Alasca e apenas concordando com o que a Maria Inês falou no comentário ali de cima, a melhor fonte de informações sobre viagens de motorhome em português é o blog da família da Claudia, do http://www.felipeopequenoviajante.com/
Me ajudou demais no planejamento da nossa viagem, explicando certinho como tudo funciona!!

smile

Maria Ines Vargas

Não é mesmo Marcela !!!

Ademar
AdemarPermalinkResponder

É verdade. O site Felipe, pequeno viajante tem um espaço só dedicado a viagem de Motorhome pelos EUA e CAnadá. Eu li todos os relatos das pessoas que fizeram esse tipo de viagem (inclusive o seu) tendo por base a experiência da Família da Cláudia. Eu sou um desses que em breve (14/12) estarei realizando essa nova experiência em viagem com a família. Parabéns para Marina que compartilhou (em detalhes) sua experiências, pelos Blogs (viaje na viagem, felipe, entre outros) e pelos relatos de todos que fizeram e compartilham esse tipo de viagem. Valeu

Claudia Pegoraro

Vocês são 2 queridas, gurias! Agora, além de viagens de motorhome pelos EUA, Canadá, Nova Zelândia, Bálcãs e Islândia, tem muitas dicas lá no blog das nossas 2 últimas viagens de motorhome por 9 países europeus também (Alemanha, Espanha, etc) <3
Bjos

Liliane Inglez

Roteiro lindo mesmo!! Parabéns pelo post! Ficou show!!! Fiquei curiosa para saber em qual época do ano foram... Acabei de chegar de uma viagem pelo Arizona e California. Fizemos um roteiro parecido, mas visitamos também Grand Canyon (AZ) e parque das Sequoias (CA) e não fizemos Death Valley, nem toda a costa (paramos na McWay Falls). Tem muita coisa linda na California, né??

Cintia
CintiaPermalinkResponder

Nossa!!!!Lindo e detalhado,quem sabe um dia!

Marina
MarinaPermalinkResponder

Oi Liliane, a viagem foi feita em junho de 2016. Quero muito ir para os parques do Arizona e redondezas agora. Você foi de motorhome?

Salomão Dias
Salomão DiasPermalinkResponder

Bom, fiquei até sem palavras rsrs que viagem maravilhosa, parabéns tenho esse sonho se Deus me permitir com certeza irei sim e de RV grande abraço e obrigado por compartilhar sua linda viagem.??????

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar