Saiba tudo sobre o Volcano Bay, o novo 'parque aquático temático' de Orlando

Heloísa Dall'Antonia
por Heloísa Dall'Antonia

Volcano_Bay_orlando_vulcao

Kia ora! É assim que você será recebido por todos os funcionários que encontrar enquanto estiver no Volcano Bay, o novo parque aquático temático do Universal Orlando Resort (que 'substitui' o Wet’n Wild, fechado no último dia de 2016). O cumprimento, que é tipo um "oi", assim como os nomes das atrações e restaurantes do local, são inspirados na Polinésia, na Ilha de Páscoa, no Havaí e na Nova Zelândia, além de outros cenários paradisíacos do Pacífico Sul, lugares que serviram de molde para as quatro áreas temáticas distribuídas em 113 mil m². O parque faz parte do mesmo complexo do Universal Orlando, vizinho do Universal Studios e do Islands of Adventure (o Wet'n Wild ficava em outra região, perto do Sea World).

Volcano_Bay_orlando_sapo-ambientacao

A ideia de um parque temático aquático não se refere apenas à história que dá vida ao empreendimento, mas também ao tipo de atrações do espaço, algumas bem diferentes do que as normalmente vistas em parques do gênero -- a começar pela primeira montanha-russa aquática da Flórida. Além disso, é no Volcano Bay a estreia do Universal Studios na tecnologia que conecta cartão de crédito e 'fura fila' num mesmo item. O parque deve ficar aberto até às 20h durante parte do ano, esticando as horas úteis do seu dia em Orlando.

É possível inclusive combinar os outros dois parques (Universal Studios e Islands of Adventure) com o Volcano Bay: basta comprar o novo ingresso 3-Park Explorer Ticket, que dá direito a 14 dias entre os três parques, e custa US$ 279 (US$ 269 para crianças de 3 a 9 anos), mais impostos. A entrada para um dia, apenas para o Volcano Bay, pode também ser comprada pela internet ou na bilheteria por US$ 67 (US$ 62 para crianças), mais impostos.

A lenda do Volcano Bay

Volcano_Bay_orlando_produtos

Assim como em outros locais de Orlando, o Volcano Bay também tem uma trama mitológica que explica seu surgimento.

Tudo começa com o deus flamejante Krakatau, que tinha ira e fúria como suas principais características. Mas sua filha, Tai Nui, era uma garota aventureira, que se apaixonou por um nativo comum, Kala, deixando o pai furioso. Krakatau então expulsou a menina para o céu, e ela virou a Lua. Tai Nui chorou de tristeza, e suas lágrimas criaram o Mar. Foi só aí que a divindade percebeu que sua filha nunca seria feliz. Arrependido, o deus decidiu unir novamente o casal, estendendo sua mão até a Terra e a puxando para o alto, criando assim Volcano Bay. Krakatau também aproveitou o embalo para confinar o restante de seu orgulho na forma de um espírito de fogo, chamado de Vol, e o prender no fundo desse recém-nascido vulcão.

Volcano_Bay_orlando_estatua-tiki

Volcano Bay ficou desabitada até ser encontrada pela tribo Waturi. Por muito tempo esse povo procurou um novo lar, e uma lenda dizia que um peixe mágico, chamado de Kunuku, guiaria os errantes para essa nova casa. Mas mesmo navegando pelos mais diferentes lugares do Pacífico, eles ainda não tinham o encontrado. A cada nova parada que faziam, os Waturi aprendiam sobre os costumes, a música e a arte dos povos que tão bem os recebiam. Foi só quando chegaram ao fim do mundo que finalmente avistaram Kunuku, que brincava nas ondas. Em apenas um dia ele os levou até Volcano Bay, onde os Waturi passaram a morar e onde agora recebem os visitantes.

As atrações do Volcano Bay

Volcano_Bay_orlando_vista-geral
Bem no centro do parque está o vulcão Krakatau, uma estrutura de mais de 60 metros de altura cuja aparência muda ao longo do dia: enquanto está claro, várias cachoeiras podem ser vistas caindo por ele; de noite, as cachoeiras tornam-se lava.

volcano_bay-detalhe-capsula

'Dentro' do vulcão, subindo uma escadaria, estão os toboáguas Kala e Ta Nui. São duas cápsulas que lançam dois visitantes em uma queda livre ao mesmo tempo, a partir de uma espécie de pequeno alçapão, que está fechado quando se entra na atração. Ele abre de repente e... pronto, você desce quase 38 metros serpenteando pelo caminho. Apesar da tensão, o processo todo dura menos de dez segundos. Mas quem quer ir sozinho - e é mais corajoso -, pode tentar o Ko’okiri Body Plunge, que no mesmo esquema dos outros, provoca uma queda quase vertical, a 70 graus, em alta velocidade, que leva a um mergulho ao centro do Krakatau. Esse é o primeiro brinquedo do gênero no mundo em que o tubo que contém o aventureiro atravessa uma piscina que estará sempre cheia de pessoas.

Atrás da estrutura do vulcão está o Punga Racers, onde quatro escorregadores servem de pista de corrida para até quatro visitantes sentados em tapetes com formato de arraias.

volcano_bay_orlando_krakatau

Volcano_Bay_orlando_krakatau_veiculo

Uma das grandes atrações do parque está na Krakatau Acqua Coaster, a primeira montanha-russa aquática da Flórida. Barquinhos comportam até quatro visitantes que, sentados um na frente do outro, vão passar por um percurso em ziguezague pelos corredores do interior do vulcão, sendo lançados em tubos e em subidas e descidas pra dar frio na barriga (principalmente na última queda da atração). Prepare-se para se molhar e, eventualmente, engolir um pouco de água enquanto grita nas descidas. Sentiu que conhece a deliciosa sensação de algum lugar? O brinquedo usa a tecnologia de motores de indução linear, a mesma da montanha-russa Revenge of the Mummy, do Universal Studios. Imhotep certamente aprovaria.

Na base do vulcão está a área Wave Village, perfeita para quem quer apenas tomar sol nas cadeiras, relaxar e, no meio tempo, brincar de estar na praia. Lá está a Waturi Beach, uma piscina de ondas que tem em suas areias até chalés privativos que podem ter até dois andares (claro, com gastos a mais).

Volcano_Bay_orlando_maku-puihi

Na Rainforest Village estão a Maku, um tobogã fechado que comporta grupos de até seis pessoas em bóias que serão lançadas deliciosamente pelo tortuoso caminho fechado até a piscina (a bóia vai de um lado para o outro, subindo e descendo pelas paredes); e a Puihi, logo ao seu lado, que oferece gravidade zero a quem se aventura por ela. O desfecho dos percursos sempre acontece em piscinas que dão pé, e onde salva-vidas esperam cada chegada. Se você prestar atenção antes de cair tubo abaixo, há sempre uma estátua de inspiração tiki que fica vermelha ou verde conforme o momento certo de um novo grupo descer.

Volcano_Bay_orlando_ohyah_ohno

Por ali estão também os toboáguas Ohyah e Ohno Drop, que em vez de lançar o passageiro diretamente dentro da piscina, catapultam você a uma altura entre um e dois metros acima do nível da água antes do tchibum final. Dá pra saber quando alguém está chegando pelos gritos.

Volcano_Bay_orlando_taniwha

Volcano_Bay_orlando_taniwha_vista-lateral

O TeAwa The Fearless River é o oposto de um lazy river, com corredeiras de alta velocidade bem divertidas. Já a estrutura do Taniwha Tubes é de quatro toboáguas inspirados na Ilha de Páscoa (inclusive com moais pelo caminho, que ficam jogando água nos visitantes). Você pode descer sozinho ou em dupla, e o caminho é delicioso e acelerado.

Volcano_Bay_orlando_area-infantil

Volcano_Bay_orlando_riozinho

O River Village combina atrações tranquilas e outras radicais. Entre as calminhas estão o Kopiko Wai Winding River, um rio calmo que passa por algumas cavernas ocultas do vulcão; o Tot Tiki Reef, um parquinho infantil com escorregadores e até uma simpática família de estátuas que jorram água, e o playground Runamukka Reef. Mas a área também é o endereço da maravilhosa Honu ika Moana, que oferece duas experiências diferentes quando você chega ao topo, em bóias para seis pessoas. Numa dessas experiências, o caminho é fechado e bem amplo, permitindo que o bote vá de um lado para outro. Na outra, boa parte do percurso é fechado, até que se abre dando espaço para dois half-pipes super altos em que a bóia escorrega livremente. Para garantir mais diversão, vá com a bóia na capacidade máxima: quanto mais gente, mais alto ela chega. Aceite a palavra desta Bóia: é MUITO bom!

TapuTapu, a pulseira eletrônica do Volcano Bay

volcano_bay_orlando-tapu-tapu

Com cara de relógio de pulso e resistente à água, a TapuTapu do Universal vai ser entregue aos visitantes assim que eles entrarem no parque.

Com ela é possível:

  • Guardar lugar na 'fila virtual' das atrações (o dispositivo vai vibrar no seu pulso e avisar quando chegar a hora de ir ao brinquedo)
  • Pagar por todo o consumo no parque
  • Interagir com locais do parque, usando a função TapTu Play, que aciona efeitos especiais -- como controlar a água que jorra de algumas estátuas ou acender imagens ocultas no vulcão
  • Cuidar do locker que você alugar sem ser necessário lembrar do número que está usando

A propósito, há lockers nas quatro áreas do parque. Vêm em três opções de tamanho, que vão do menorzinho, para quem só quer guardar o celular e a carteira, ao maior, em que é possível guardar toda a tralha de uma família inteira. Na entrada da maioria das atrações também há uma pequena estrutura de 'redes' que permite guardar alguns itens até que você termine, como chinelos e toalhas.

volcano-bay-orlando-detalhes-decoracao

Como a pulseira contém os dados do cartão de crédito do visitante, ela serve para consumo de comidinhas e bebidas, sem que você precise carregar a carteira enquanto estiver no parque. O cartão pode ser associado à pulseira tanto na chegada ao parque quanto pelo aplicativo do Universal Orlando. É possível selecionar um mesmo cartão para até quatro pessoas.

Já o processo de 'guardar lugar na fila' é bastante simples. Na entrada das atrações, procure pelo totem com o logo do Volcano Bay. Ao encostar a sua TapuTapu ali, você já garante espaço na fila virtual. Vá relaxar ou se divertir em qualquer outra área do parque até que a pulseira vibre: aí sim é hora de voltar à atração. De forma simpática, a TapuTapu também avisa em qual brinquedo você está, ou lembra que é necessário devolver a pulseira ao final do dia.

Você pode trazer sua toalha, ou alugar por um dia inteiro enquanto estiver no parque.

A graciosa ideia é que os visitantes se sintam tão despreocupados quanto os ancestrais dos Waturi que cruzaram o mundo até chegarem a Volcano Bay. smile

Volcano_Bay_orlando_produtos-garrafinhas

Onde comer no Volcano Bay

Volcano_Bay_orlando_lanche-mahi-mahi

Há seis restaurantes espalhados pelo parque, além de diversas barraquinhas com petiscos. São mais de 60 comidinhas oferecidas, várias delas inspiradas na cozinha do Pacífico Sul, incluindo carnes, sanduíches e saladas. Há também as tradicionais pizzas, churros, sorvetes (inclusive um feito especialmente para o parque, com bolinhas verdes e azuis) e outras sobremesas. Drinks e cervejas estão disponíveis para adultos.

Volcano_Bay_orlando_coqueteis

O Volcano Bay se torna agora o terceiro parque do Universal Orlando Resort, juntamente com o Universal Studios (onde estão atrações como The Simpsons Ride e a Hollywood Rip Ride Rockit, entre outras) e o Islands of Adventure (casa de Harry Potter and the Forbidden Journey e The Incredible Hulk Coaster, além de muitas mais).

O Viaje na Viagem viajou a convite do Universal Orlando Resort.

Leia mais:

13 comentários

Rachel
RachelPermalinkResponder

Boa tarde! Vou ficar em um resort da universal. Tem algum benefício relacionado a este parque? O fura filas que eu ganho no resort funcionará para este parque? Tem child swap?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rachel! O Volcano Bay não tem Child Swap, mas como o parque oferece a tecnologia de filas virtuais não há aquela perda de tempo interminável para fazer uma mesma atração quando o grupo se divide. Tendo o ingresso e ficando em um dos hotéis do complexo Universal Orlando Resort você poderá entrar uma hora antes da abertura oficial do Volcano Bay. Já o Universal Express, o passe "fura-fila", não vai funcionar para o parque aquático, ao menos por enquanto.

André Oliveira

Olá, você saberia dizer se a adição do cartão de crédito no TapuTapu é obrigatória ou se é possível colocar um cartão de débito travel money para o pagamento do que foi consumido? Ou se é possível pagar no ato da compra de algo ou no final do passe / dia? Irei agora em julho e ter que usar cartão de crédito em Orlando não está nos meus planos. Apenas em último caso. É ótimo texto, com certeza irá ajudar quando estivermos lá.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, André! Vai por mim: leve um cartão de crédito internacional para os Estados Unidos. Não é possível usar cartão de crédito para alugar carro, por exemplo. E em vários lugares, de hotéis a postos de gasolina self-service, quando você usa o pré-pago é feito um bloqueio de saldo que tende a ser maior do que o gasto efetivo; o reembolso só é feito dias depois, e enquanto isso o montante pré-bloqueado fica indisponível. Caso você possa associar um cartão pré-pago a essa pulseira (acredito que não conseguiria, mas enfim....), aconteceria isso: seria feito um bloqueio e, caso você gastasse menos do que o bloqueado, ficaria com o saldo indisponível por algum tempo.

Se você está com medo de desvalorização do real, OK, dê preferência ao pré-pago. Mas não abra mão do cartão de crédito. É uma ferramenta indispensável nos Estados Unidos. Basta usar apenas nos momentos em que seja necessário, e mesmo se houver uma desvalorização do real seu prejuízo não será relevante.

Marco
MarcoPermalinkResponder

O parque parece bem interessante em mesclar um pouco a ideia dos temáticos tradicionais ao conceito de parque aquático.

OBS: O Wet´n Wild não ficava colado ao complexo da Universal, mas era muito proximo, no cruzamento da Intl Drive com a Universal Blvd. Não confundir com o Aquática, esse sim junto ao SeaWorld

Suelen Vianna
Suelen ViannaPermalinkResponder

Com as pulseiras do parque, quantas atrações eu consigo, 'guardar o lugar na fila' antecipadamente?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Suelen! Você só pode fazer uma reserva por vez. A próxima reserva, só depois de ter feito (ou cancelado) a atração anterior. Em vez de esperar na fila, você se diverte nas atrações "abertas".

Selma
SelmaPermalinkResponder

Olá, primeiro gostaria de dizer que, como sempre, o post ficou ótimo. Vocês sempre me salvam com as explicações tim tim por tim tim, rsrsrs. Por isso, gostaria que vocês me tirassem uma dúvida cruel sobre o ingresso " 3- Park Explorer" da Universal - nesse tipo de ingresso vem discriminado que tenho direito a admissão todos os dias durante um período de 14 dias (essa frase me deixa maluca rsrsrs).
Pergunta: esses 14 dias ilimitados significam que posso entrar nos 3 parques da Universal nos 14 dias (posso ir 14 vezes nos 3 parques)? Exemplo: posso entrar dia 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07 e assim sucessivamente ( ou pulando alguns dias- essa parte eu já sei que não precisa ser sucessivo rsrs), ou só posso entrar 3 dias num período de 14 dias, por exemplo: entro no dia 01, depois posso ir no dia 07 e mais uma entrada só, por exemplo, no dia 13?
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Selma! O seu passe vale por 14 dias a partir do primeiro uso. Como você vai usar é com você -- dá pra ir nos 14 dias aos 3 parques, se quiser.

Jetnba
JetnbaPermalinkResponder

a água das piscinas é aquecida?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jetnba! Sim, em dias frios e no inverno. É praxe em todos os parques aquáticos (menos nos que mantêm vida animal nas piscinas, como o Discovery Cove).

Fernanda Covic

É possível ir no Volcano Bay em janeiro? Passaremos muito frio?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernanda! Orlando tem temperaturas máximas em torno de 20ºC nesta época. A água dos parques aquáticos é aquecida. Mas se passar uma frente fria você não vai ter vontade de ir a parque aquático.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar