Buenos Aires: a milonga de La Glorieta, em Belgrano 1

Buenos Aires: a milonga de La Glorieta, em Belgrano

Glorieta de Belgrano

Com raras exceções (como esta), show de tango em Buenos Aires é supercaro — e também superturístico. Quer ver o tango dançado na vida real? Então vá a uma milonga — baile de tango freqüentado por argentinos de carne e osso, não bailarinos profissionais.

Cada milonga tem seus dias específicos. Toda noite (e também à tarde, na Confitería Ideal) é possível encontrar alguma milonga em Buenos Aires. Para entrar, paga-se pouco. Não espere nada superproduzido: muitas se realizam em clubes de bairro (como a La Viruta de Palermo Soho).

La Glorieta de Belgrano

Pois esta aqui é grátis. Seguindo a dica da Gisele Teixeira, do excelente Aquí me quedo, uma caravana de #vibanas foi conferir La Glorieta, uma milonga que acontece num coreto (glorieta, em espanhol) da praça de Barrancas de Belgrano, todo sábado e domingo à noite.

La Glorieta de Belgrano

Quer saber? Acho que não deve haver melhor iniciação à milonga do que esta.

La Glorieta de Belgrano

Para começar, o cenário não podia ser mais bonito, com ar interiorano em plena Buenos Aires.

O horário também ajuda: a milonga começa às oito, bem mais cedo do que as outras (com exceção da Confitería Ideal, que funciona à tarde, nas outras não acontece nada antes das 11 da noite).


mataderos2-thumb

Tradições gaúchas

La Glorieta de Belgrano

Querendo aprender, basta chegar mais cedo, às 6 da tarde, e usar os serviços dos instrutores — que, segundo a Gisele, passam o chapéu ao fim da clase para recolher o que os alunos acharem justo pagar.

La Glorieta de Belgrano

O povo é animadíssimo, e praticamente não sai da pista. Há tangueros de todos os níveis, dos basiquinhos aos mais rebuscados. A sensação é a de estar num rinque de patinação — com a diferença que, se você for mulher e estiver parada junto à grade, poderá ser convidada a dançar por um dos gardelóns que ficam dando voltas em torno da pista. (Várias de nossas #vibanas rodopiaram pelo salão.)

La Glorieta de Belgrano

Uma outra vantagem da milonga de La Glorieta é que o passeio pode (deve!) ser combinado com uma passada na calle Arribeños, a Chinatown porteña, que fica do ladinho, praticamente atravessando a rua. Indo antes você pode comprar quinquilharias chinesas; e no pós-milonga você pode jantar num dos muitos restaurantes da rua — como o tailandês Lotus Neo Thai e os chineses Palitos e Apu.


Visualizar La Glorieta + Chinatown em um mapa maior

Leia mais:

49 comentários

Cuidado com o mico. Dançar tango é pra quem sabe.
Lembrem que gringo sambando no RJ é, na imensa maioria das vezes, ridículo. Prefiro apreciar os hermanos dançando ao som de Gardel, Edmundo Rivero, Piazola, etc.

    Que mico ????
    Milonga é pra todo mundo dançar o que e como quiser.
    Não existe mico 😀

    Viajante Oficial, bem se vê que você nunca foi a uma Milonga! Porque comparar isso a gringo tentando aprender samba é, no mínimo, engraçado (para ser elegante!) 🙂

    Viajante Oficial,
    dançar é pra quem gosta e pra quem sente! Se a falta de conhecimento dos passos corretos diverte a audiência, não tem o menor problema. Faz parte da graça! Duro é ficar parado ouvindo uma boa música 😉

    se dançar tango é para quem sabe, como “quem sabe” aprendeu um dia??? Seguindo esta lógica, ninguém mais dançaria tango… 🙂

A Glorieta pra mim foi um dos pontos altos do encontro! Quando voltar a Buenos Aires, certamente estará em meus planos!

    Vais ter que nos chamar pra irmos juntos de novo Adri.
    Bue sem a compania #vibanas não tem a metade da graça 😉

Moro em frente a glorieta aqui em Bue, sábado e domingo lota, mas durante a semana também rola, sempre comecando ali pelas 18h, com algum professor dando aulas.. Sexta, por ex, é um dia super bom. No verao, mais gente, mas mesmo no invernao o pessoal nao falta, só dia de chuva, aí nao tem como! O Barrio Chino é isso mesmo, lojinhas de quinquilharias, restaurantes com boa comida e preco acesíivel, simples. Tem o Lotus q é de comida tailandesa, o primeiro de Buenos Aires, bem bom, recomendo tambem a parrillada (o dono é uruguayo) El pobre Luis, q fica sob a calle aribenos, uma delícia! Por fim, dá pra antes de tudo, dar uma caminhada pela Cabildo, (q esta a 5 quadras da glorieta), entre José Hernadez e Juramento, onde tem um comercio bem interessante.

Os queridos Nick e Lena dançaram lindamente, idem a Silvia D.Matraca. Pena que não vi a Marilia, deve ter arrasado também 😆 😆 😆

Estamos com viagem programada para Buenos Aires em junho e vamos aproveitar as dicas!! Em abril voltei do Chile e as dicas de voces foram otimas pra elaboração de nossos roteiros.
Valeu galera, e parabens pelos sites, especialmente Ricardo e Sylvia matraqueando!!

Emoções diferentes por aqui… Minha maior decepção do ano: não ter conseguido ir pra ConVnVenção e passar um tempinho com este pessoal que admiro muito… Pelo que acompanhei foi muuuito divertido. Mas a decepção logo abre espaço pra alegria de ver o quanto vocês aproveitaram e se divertiram na minha cidade do coração, recebendo e compartilhando dicas preciosas de gente que eu adoro. Muito legal acompanhar o passeio, e ver o esforço de trazer dicas de Buenos Aires fora do circuito turístico (que, convenhamos, é muito mais interessante!!!). Abração a todos!!!!!! 🙂

Uhuu, que bom que vocês foram provar a milonga e gostaram! Estão iniciadas! Outra milonga que indico sempre é a Maldita MIlonga, em San Telmo, porque ela tem uma ótima orquestra ao vivo, chama El Afronte, e oferece aulas de tango para quem não sabe NADA. Essa milonga é sempre às segundas e quartas-feiras, a partir das 21h. Nesse horário começa a aula. O show é pelas 23h. A parte boa é que tudo – aula, milonga e show – sai por 25 pesos.

Dica de espetáculo: Buenos Aires está com um excelente espetáculo de tango chamado Chantecler, baseado em um antigo cabaré portenho. Os dois bailarinos principais são super conhecidos. Eles são irmãos e se chamam Mora e Horácio Godoy. Ele é o dono do La Viruta. Super recomendo. Os ingressos podem ser comprados no teatro mesmo, na Corrientes, 1659 e custam de 20 a 120 pesos, dependendo do lugar.

Boa viagem a todos e bom baile!!

    Olá, Gisele! Obrigada pelas dicas! Já estou repassando a do Chantecler para o Zé Maria que pediu logo acima 😀

    Em 2010 eu fui na Maldita Milonga por orientação da Gisele e foi o melhor programa que fiz na cidade. Agora vou nesse Chantecler aí. Obrigado.

    Legal Gisele! Dia 20/05 estou desembarcando em Buenos Aires e vou ficar no centro (eu sei, não é o melhor lugar, mas com milhas foi o que deu pra conseguir :)) e vou ficar exatamente na Corrientes. Tava pensando em ir no Rojo Tango, com já indicado aqui, mas esse me atraiu, por ser perto de onde vou ficar. Me interessei também pela dica do Torquato Tango… talvez dê um repeteco lá 🙂 Abraços a todos!

Certamente um dos programas mais bacanas pra se fazer em BUE.
Lena, Nick, Silvia e Marília nos deixaram orgulhosos! Deram um show!
Tudo isso num lugar lindo!
Esse é o problema de ler os posts de cada evento… dá uma saudade danada…

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.