Suíça francesa: Montreux x Lausanne x Genebra

Genebra


Depois de destrinchar as peculiaridades de três cidades alemãs (Zurique x Lucerna x Berna), entre três vilarejos alpinos (Interlaken x Zermatt x St. Moritz) e cinco trens panorâmicos (Golden Pass Line, Jungfraubahn, Glacier Express, Bernina Express, Wilhelm Tell Express), vamos ver as principais diferenças entre as três mais importantes cidades francesas da Suíça.

A idéia é permitir que você escolha uma opção de cada grupo, para racionalizar o seu itinerário e evitar redudâncias durante seu tempo na Suíça. (Não deixe também de ler o post sobre Lugano.)

Bora?

MONTREUX | Riviera suíça

Freddie Mercury em MontreuxMontreuxMontreux


“Parece Cannes”. Foi a primeira coisa que veio à minha cabeça quando desci do meu quarto de hotel em Montreux e cheguei à promenade do Lago Léman, o Chemin Fleuri (caminho florido). Só nas cidades beira-lago da Suíça italiana você sentirá um clima tão mediterrâneo. Mas em Montreux, o idioma, o cassino, o Festival de Jazz e as referências a ícones pop (como a estátua de Freddie Mercury) remetem direto aos balneários do sul da França.

Castelo de Chillon, Montreux


A cidade é pequenininha e tem toda pinta de balneário. (No verão, é possível cair n’água e toda a extensão da promenade, mas as praias estruturadas, com areia e banheiros, estão mais adiante, em Chillon e Villeneuve, ou antes da cidade, em Vevey.) Tudo parece voltado ao turismo; não é a cidade para quem quer compartilhar do dia-a-dia dos suíços de verdade.

Cassino de Montreux

Os grandes trunfos de Montreux são justamente o tamanho compacto (dá para fazer tudo a pé — e até mesmo ir caminhando à vizinha Vevey) e sobretudo a localização estratégica, próxima às cidades francesas maiores (Lausanne, Genebra) e ao pé da subida para estações alpinas como Gstaad e, mais adiante, Zermatt.

Dentro da cidade, a maior atração histórica é o castelo de Chillon. Entre maio e outubro, vale a pena também fazer passeios de barco pelo Lago Léman: dá 1h20 até Lausanne, onde você pode atravessar o lago até Evian, na França (mais 35 minutos); os trajetos são cobertos pelo Swiss Pass.

Um dos passeios mais concorridos da Suíça também parte da cidade: o Trem do Chocolate. A cidadezinha de Vevey (bem mais “de verdade” do que Montreux) e os vinhedos tombados de Lavaux também rendem um ótimo passeio em dobradinha.  A época mais concorrida é o verão, quando a cidade ferve durante o animadíssimo Montreux Jazz Festival (datas para 2014: de 4 a 19 de julho).

Vinhedos de Lavaux

Tempo de viagem de trem/Distâncias rodoviárias

Aeroporto de Genebra 1h11/94 km, Vevey 7 min/7 km, Lausanne 21 min/30 km, Genebra 1h/94 km, Gstaad 1h19/64 km, Berna 1h33/89 km, Interlaken 2h17/147 km, Zermatt 2h33/146 km, Zurique 2h35/210 km, Lugano 5h27/277 km.

Montanhas próximas

O passeio de montanha mais à mão é para Rochers de Naye, a 2.000 metros de altitude (55 minutos de trem). No verão há lindas vistas do Lago Léman, trilhas e oportunidade de observar marmotas em seu habitat natural. No inverno funciona uma estação de esqui.

Outra estação dos arredores é Les Diablerets, que oferece uma geleira a 3.000 metros de altitude, o Glaciar 3.000. O acesso é pela cidade de Aigle (10 minutos de trem), de onde parte um outro trem (50 minutos até Les Diablerets).

Mas a estação mais famosa dos arredores é a sofisticada Gstaad, a 3.000 metros de altitude (1h19 de trem), à beira de seu próprio lago, o Lauenen.

Bate-voltas

A vizinha Vevey (6 minutos de trem, ou menos de uma hora a pé, pela beira-lago) e os vinhedos tombados de Lavaux, mais adiante, oferecem o melhor passeio aos arredores (veja detalhes aqui). Lausanne, a vinte minutos de trem ou 1h20 de barco (vá de um jeito, volte do outro; ambos os trechos são cobertos pelo Swiss Pass), também cabe direitinho num dia. Caso você não monte base em nenhuma cidade alemã, vale a pena o bate-volta a Berna (1h33 de trem).

Trens panorâmicos

O passeio ferroviário mais concorrido da cidade é o Trem do Chocolate, um tour de dia inteiro em trem vintage que leva primeiramente a Gruyère (onde há visitação ao castelo e depois a uma fábrica de queijo) e continua a Broc, onde se visita uma fábrica de chocolate da Nestlé. O passeio opera às segundas, quartas e quintas em maio, junho, setembro e outubro;  diariamente em julho e agosto (não funciona entre novembro e abril). Sai às 8h57 de Montreux e volta às 17h38. Custa 99 francos suíços sem Swiss Pass (69 francos suíços para crianças); 49 francos suíços para portadores de Swiss Pass de 1ª classe e 69 francos suíços para portadores de Swiss Pass de 2ª classe.

O outro trem panorâmico que parte de Montreux é a Golden Pass Line; leia sobre o trajeto aqui.

Lago Léman, Montreux

Onde ficar

O hotel mais próximo da estação de trem (você desembarca, atravessa a rua e está na recepção) é o renovado 4 estrelas Grand Hôtel Suisse Majestic; o hotel dá de fundos para a estação e de frente para o lago. Ainda na beira-lago, e razoavelmente perto da estação, com preços um pouco mais camaradas, considere o Splendid e o Best Western Eurotel Riviera. A duas quadras do lago, o B&B Trois Quarts é bem elogiado. Fora da região imediata à estação, o Bon Port (beira-lago) tem alguns apartamentos com cozinha equipada; o Tralala (numa ladeira) tem quartos moderninhos bastante interessantes.

LAUSANNE | Altos & baixos

Lausanne


Se você passou antes por outras cidades suíças beira-lago, vai se surpreender com Lausanne. Seu layout é único: dividida entre Cidade Alta (Haute Ville) e Cidade Baixa (Basse Ville, ou Ouchy), espalha-se em plano inclinado do alto de um plateau até o Lago Léman.

LausanneLausanneLausanne

[Hauteville, Lausanne]

Parecem duas cidades distintas. A parte alta é histórica e labiríntica, e revela uma Suíça da vida real, mais classe-média e pé no chão do que as metidíssimas Zurique e Genebra. No topo da Cidade Alta está a Catedral de Lausanne, maior construção gótica da Suíça. A 1,5 km dali, já fora do coração do centrinho histórico, a Coleção de Arte Bruta O ponto mais animado da Cidade Alta é Le Flon, uma região com bares e nightclubs. Dali sai o metrô que leva à Cidade Baixa, ou Ouchy.

A região da beira-lago (Basse Ville ou Ouchy) é verdíssima, arejada e pontilhada de hotéis clássicos de balneário. Desça para dar um rolê pelos jardins, tomar um café ou um drink numa das esplanadas dos hotéis , visitar o Museu Olímpico (fechado para renovação até o fim de 2013) ou pegar um passeio de barco pelo lago Léman.

Flon, LausanneFlon, LausanneLausanne

–> Tempo de viagem de trem/Distâncias rodoviárias:

Aeroporto de Genebra 44 min/63 km, Montreux 21 min/30 km, Genebra 35 min/64 km, Berna 1h06/104 km, Zurique 2h08/226 km, Lucerna 2h10/212 km, Interlaken 2h10/163 km, Basiléia 2h10/198 km, Chamonix 35 min trem + 1h15 ônibus/170 km, Zermatt 3h/174 km, Lyon 2h40|211 km, Paris 3h34/535 km, Milão 3h20/329 km, Turim 4h50/260 km.

LausanneLausanneLausanne

–> Montanhas próximas

Lausanne tem vista para os Alpes do outro lado do lago Léman. Para subir numa montanha e voltar no mesmo dia, considere as duas estações próximas a Montreux: Rochers de Naye, a 2.000 metros de altitude (21 minutos de trem a Montreux + 50 minutos de trem ao alto da montanha) ou Les Diablerets, a 3.000 metros de altitude (30 minutos de trem a Aigle, então 50 minutos de trem ao topo).

A estação mais famosa perto de Lausanne, porém, está em território francês: é Chamonix. É preciso ir à gare central de Genebra de trem (35 min.) e então pegar um ônibus (1h15).

LausanneLausanneLausanne

–> Bate-voltas

Os vinhedos tombados de Lavaux estão a 10 minutos de trem. Montreux, a 21 minutos (ou 1h20 de barco, coberto pelo Swiss Pass). O melhor passeio é ir de barco até o Castelo de Chillon e voltar de trem.

Genebra está a 35 minutos de trem. A capital Berna, com sua arquitetura personalíssima, está a 1h05.

Entre maio e outubro, os barcos da CGN atravessam o lago Léman em direção às cidades francesas de Evian, onde estão as famosas fontes minerais, e o vilarejo medieval de Yvoire (2h). Os trajetos estão cobertos pelo Swiss Pass.

–> Trens panorâmicos

Não há nenhum trem panorâmico que sirva Lausanne. Você pode ir até Montreux (21 min. de trem) para pegar o Trem do Chocolate (leia mais detalhes no tópico de Montreux, acima) ou seguir viagem a Gstaad, Zermatt, Interlaken ou Lucerna pelo Golden Pass Line.

Lausanne

–> Onde ficar

Nos arredores da estação ferroviária, considere os econômico À La Gare e Résidence Boulevard, o confortável Continental e o moderninho Agora Swiss Night. No Flon, uma boa pedida é o L’Hôtel; ali pertinho, no início da subida para a cidade antiga, pense no Hôtel du Raisin.

À beira-lago, os mais abordáveis são o Aulac e o Hôtel du Port. Se você está podendo, porém, cacife o deslumbrante Beau Rivage Palace.

GENEBRA | Business class

Genebra

[Genebra]

Nações Unidas e Cruz Vermelha, entre outras entidades, fazem de Genebra a mais internacional das cidades suíças — ou a menos suíça das cidades da Confederação Helvética. A mistura de alto custo de vida com a grande população de funcionários públicos de elite tornam Genebra a base suíça menos convidativa para o turista.

Genebra

[Genebra]

A cidade é linda, sobretudo à beira-lago, com o monte Salève ao fundo (e, num dia claro, com a pontinha do Mont Blanc bem ao longe). O centro histórico fica na margem oposta à da estação ferroviária; o ponto mais gostoso por ali é a Place du Bourg-de-Fours, a mais antiga da cidade, perto da Catedral — é o lugar para pegar uma mesa e observar os genebrinos.

O lugar mais relaxado da cidade, porém, é o bairro de Carouge, que já pertenceu ao reino da Sardenha; passe por lá para o happy hour ou jantar.

Entre os melhores lerês de Genebra estão, nos meses de abril a outubro, os passeios de barco pelo lago Léman (pode ser pela CGN, cobertos pelo Swiss Pass; pela Swissboat, que também faz cruzeiros pelo rio Rhône; e pelas Mouettes Genevoises, barquinhos que fazem a travessia do lado de uma margem a outra). O ano inteiro dá para visitar o Palácio das Nações, sede européia da ONU (veja detalhes aqui). O teleférico do Mont Salève, a 1.000 metros de altitude, já em território francês, oferece as melhores vistas da cidade.

GenebraGenebraGenebra

[Genebra]

–> Tempo de viagem de trem/Distâncias rodoviárias

Lausanne 35 min/64 km, Montreux 1h/94 km, Berna 1h41/168 km, Zurique 2h38/279 km, Interlaken 2h42/217 km, Lucerna 2h45/290 km, Zermatt 3h30/238 km, Chamonix 1h15 ônibus/82 km, Lyon 1h53/148 km, Paris 3h07/240 km, Milão 3h53/320 km, Turim 5h10/247 km.

GenebraGenebraGenebra

[Genebra]

–> Montanhas próximas

As montanhas vizinhas a Genebra ficam na França. 30 minutos de ônibus levam a Veyrier-École, onde se pega o teleférico para as vistas do Mont Salève, a 1.000 metros de altura. Querendo ver neve, vá mais adiante, a Chamonix, que fica a 1h15 de ônibus (mas planeje a viagem com cuidado, porque há poucos horários para ir e voltar no mesmo dia).

GenebraGenebraGenebra

[Genebra]

–> Bate-voltas

Um passeio a Montreux (1h de trem) permite visitar os vinhedos de Lavaux e o castelo de Chillon no mesmo dia. Lausanne está ainda mais perto, a 35 minutos (veja o que fazer mais acima). Caso você não monte base em nenhuma cidade suíço-alemã, vale a pena dar um pulo em Berna, a capital medieval suíça (1h40 de trem).

Genebra

[Genebra]

–> Trens panorâmicos

Genebra está fora do circuito de trens panorâmicos suíços. Indo a Montreux (1h) você pode pegar o Trem do Chocolate (leia mais sobre o trem no tópico de Montreux) ou seguir viagem pela Golden Pass Line a Gstaad, Zermatt, Interlaken ou Lucerna.

Genebra

[Genebra]

–> Onde ficar

Dentre os hotéis baratos próximos à estação ferroviária, o mais bem avaliado no Booking é o Les Arcades. Um pouco abaixo vêm o Best Western Strasboug, o Bernina Swiss Quality e o International & Terminus. Fãs de hotéis moderninhos vão curtir o Design Cristal. Se for para cacifar um dos clássicos da beira-lago, vá direto ao Four Seasons Hôtel des Bergues.

Ricardo Freire viajou à Suíça a convite do Swiss Travel System.

Leia mais:

59 comentários

A.L.
Obrigada pela dica! Mas a minha maior dúvida é se dá tempo de fazer toda a programação do dia 01/05…

Olá! Estou indo para suíça no início de maio com meu marido, quando ficaremos 4 dias inteiros em Berna (já reservei o hotel e comprei o suwiss pass). Estou pensando em fazer o seguinte roteiro (gostaria da sua opinão)
Dia 30/4- conhecer Berna e Interlaken
Dia 01/05- ir a Lausanne e depois conhecer a fábrica de queijo em Gruyere e a fábrica de chocolate em Broc (dá tempo?)
Dia 02/05- bate e volta em Lucerna
Dia 03/05- Top of the world
Dia 04/05- ir para Zurique pela manhã, onde vamos passar o dia e dormiremos, para posteriormente ir à Viena.

Desde já obrigada!

    Eu modificaria o seguinte: ao invés de escolher um dia para ir ao Jungrfraujoch, vá no primeiro dia em que tiver tempo bom.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.