Compras: onde é melhor? Nova York, Miami ou Orlando?

Woodbury Commons

Qual o destino favorito dos brasileiros que viajam para os Estados Unidos? É fácil: o outlet. Em segundo lugar vem… o shopping.

Não há viagem pros States que não inclua uma paradinha para compras. (Sem contar aquelas em que a finalidade principal é comprar.)

De vez em quando aparecem perguntas sobre qual das três cidades favoritas dos brazucas — Orlando, Miami e Nova York — é a melhor para compras. Muita gente também tem dúvida se vale a pena combinar duas cidades só por causa das compras.

A verdade é que os preços serão ótimos em qualquer lugar dos Estados Unidos. Toda grande cidade vai ter pelo menos um outlet por perto, e não há lugar em que você não encontre uma Best Buy (a meca dos eletrônicos). Os fatores que mudam de cidade para cidade são a sales tax (o “ICMS” sobre as compras, que varia por estado e condado), o preço da hospedagem, o transporte e a combinação entre compras e turistagem.

Se você vai fazer uma viagem picada, o mais sensato é deixar as compras grandes para a última escala, para não ficar carregando peso a mais (que pode ser taxado como excesso de bagagem em vôos domésticos, se não estiverem vinculados à passagem internacional).

Compras em Nova York

Jersey Gardens

Nova York é perfeita para incorporar as compras ao dia-a-dia da turistagem. Passear e comprar se completam naturalmente.

Para onde quer que você vá sempre vai haver lojas bacanas e vitrines tentadoras. Midtown tem várias grandes lojas de departamentos; a rua 34 tem lojas das marcas mais procuradas. Soho, Nolita e Meatpacking têm lojas descoladas — e onde quer que você vá, sempre haverá quinquilharias por perto. As redes principais têm lojas espalhadas pela cidade inteira, tornando mais fácil a busca do modelo e do tamanho exato que você deseja: se não tem numa, pode ter na próxima.

Para câmeras e eletrônicos sofisticados a superstore da B&H da rua 34 com 9a. Avenida não tem rival nos Estados Unidos.

Há os que defendem que visitas bem-feitas à Macy’s da Herald Square e incursões ao mundo selvagem dos saldos da Century 21, no Ground Zero, podem poupar você de viajar aos outlets dos arredores. É a estratégia de quem não quer arredar pé de Manhattan. Porque, ao contrário dos outros destinos, Nova York permite que você inclua as compras na sua agenda normal de turista: as vitrines estarão sempre no seu caminho.

Já não abrem mão de ir aos outlets de Woodbury ou ao Jersey Gardens (ou a ambos) para fazer compras como se estivessem em Orlando ou Miami — de carro alugado e tudo. (Mas também dá para ir de ônibus.)

Balanço:

– Turismo: intenso

– Sales tax:

– 8,85% em Nova York

– 0% para roupas e calçados de valor unitário até US$ 110 em Nova York

– 3,5% no Jersey Gardens

– 0% para roupas e calçados de qualquer valor em todo estado de New Jersey

– Hotelaria: cara

– Alugar carro: só para os dias de outlet

Vale a pena vir só para comprar? É um desperdício. Vir para comprar só vale a pena se incluir uma boa dose de comércio de rua. Se for para se limitar a superstores e outlets, tanto Orlando quanto Miami são mais práticos.

Compras em Miami

Sawgrass Mills

Miami é interessante para quem pretende dar dedicação total ao esporte de fazer compras. Dá para juntar dias dedicados ao mega-outlet Sawgrass Mills (na vizinha Fort Lauderdale) com visitas a shoppings convencionais, com coleções atuais — do popular Dolphin Mall e Dadeland Mall ao elegante Aventura Mall ao chiquerrérrimo Bal Harbour Shops.

O comércio de rua não é páreo para o de Nova York, mas existe, sim — em South Beach, no calçadão da Lincoln Road e adjacências da Washington Avenue.

No quesito eletrônicos, Miami leva uma vantagem sobre Orlando: só Miami tem lojas da Brandsmart, que costuma ter preços ainda mais baratos que a concorrente BestBuy.

A desvantagem de Miami está no trânsito, que é muitíssimo pior do que o de Orlando (as distâncias são maiores, também) e nos estacionamentos, que são caríssimos (sobretudo nos hotéis e em South Beach).

Balanço:

– Turismo: é uma cidade mais para curtir do que para turistar

– Sales tax: 7%

– Hotelaria: na praia é cara; nos arredores do aeroporto é em conta

– Alugar carro: faz toda a diferença; mas ficando em South Beach é possível ir de van para o Sawgrass e de ônibus para o Aventura Mall

Vale a pena vir só para comprar? Sim

Compras em Orlando

Orlando Premium Outlet, Vineland

Parques + outlets é a fórmula que define a viagem de brasileiros a Orlando.

Os dois outlets principais de Orlando acabam funcionando como parques de diversões, só que sem montanha-russa: o Premium International Drive, mais central, e o Premium Vineland Ave., pertinho da Disney (US$ 30 de táxi desde a porta do seu hotel). Brazucas são mega bem-tratados em ambos.

Além dos outlets, há as BestBuys, as Walgrens, os Wal-Marts, os Targets, mais o popular Florida Mall e o sofisticado Mall at Millenia.

O problema do combo parques + outlets é que ambos requerem muita atividade física. A fórmula para não ser nocauteado é nunca emendar um parque com uma ida a outlet. Separe os dias de Mickey e Harry Potter dos dias de Nike e Diesel, e você vai aproveitar muito mais.

Balanço:

– Turismo: intenso

– Sales tax: 6,5%

– Hotelaria: em conta

– Alugar carro: fundamental

Vale a pena vir só para comprar? Se você conseguir resistir…

Nova York + Flórida na mesma viagem

Só por causa das compras? Não precisa. Você pode brincar de Flórida naquele(s) dia(s) em que alugar carro e for à luta nos outlets fora de Manhattan.

Caso o seu objetivo seja fazer turismo em Nova York e em Orlando, então pense em duas semanas de viagem. 7 dias são o mínimo que um visitante deve dedicar a cada uma dessas cidades numa primeira vez.

(Caso você faça as duas cidades, lembre-se de deixar as compras para a última, para não pagar uma fortuna de excesso de bagagem no vôo interno, que não terá a mesma franquia de bagagem do vôo internacional.)

Miami + Orlando na mesma viagem

É perfeitamente factível — as cidades estão a 4h de carro ou 1h de vôo — e fica mais interessante quando você traça uma estratégia. Tipo: usar Miami para complementar as compras em shoppings convencionais, ou deixar os eletrônicos para Miami, ou ainda usar Miami para dar uma relaxadinha na praia antes de voltar para o Brasil.

 

Passagens mais baratas para os EUA no nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel nos EUA no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Mondial Assistance

Alugue de carro nos EUA na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões nos EUA com a Viator

Compre ingressos para os parques temáticos na RCA

742 comentários

Estive em Orlando no ano passado, por 15 dias. Fui em quase todos os parques e, em dias de chuva, frio, ou mesmo em um dia que queria dar uma relaxada da maratona de parques, ia aos outlets. Uma coisa que achei bem interessante são algumas lojas de rua na International Drive. Se você estiver com tempo, vale a pena dar uma parada para conferir.

Perto do Premium International Drive tem algumas pequenas galerias com lojas diversas. Recomendo a Perfumeland, administrada por brasileiros, que sempre concede belos descontos nas compras. Anexa à loja de perfumes, tem uma de eletrônicos, que bateu a BestBuy nos preços. Além dos preços normais serem mais baratos, há o desconto para brasileiros. Vale a pena. Todos os perfumes e eletrônicos foram adquiridos nestas lojas.

Sobre o gancho do post, imagino que valha a pena fazer a combinação Orlando + Miami se o objetivo for apenas compras. Ir uma vez por ano para troca de guarda-roupa e equipamentos é uma boa pedida.

NY, na minha opinião, é turismo mesmo. Lojas serão bem-vindas, mas se estiverem no percurso. Ir só pra comprar, vá para a Flórida. Eu acho.

    Eu acho que essas lojas de brasileiros são cheias de pegadinhas. Jamais compraria eletrônicos nelas. Como uma loja pequena consegue ter preços melhores do que a gigante BestBuy? Ou do que a Amazon?

    Gabriel, saber eu não sei, mas que os preços que paguei foram menores… ahhhh isso sim.

    Muitas vezes eles vendem produtos refurbished como sendo novos, por isso o preço é mais barato.

Acho Miami mais fácil por conta do carro. Depois das duas primeiras sacolas fica difícil ver mais coisas, e com carro dá pra deixar no porta malas e voltar (cruzes!! hehehe!!)…Ah vc esqueceu do Village of Merrick Park, acho o shopping mais bonito de Miami, todo aberto, só lojas chiques, gente bonita e carrões. Acho que o Coco Walk anda meio caidão.

Pra quem vai viajar focado nas compras (e deixar a turistagem apenas como extra), Orlando me parece a melhor opção: fácil de circular e de chegar aos locais (que costumam ser próximos, permitindo idas e vindas sem precisar planejar muito), além de muitas opções de hotéis baratos –– e os parques como atrativo adicional, mesmo pra quem não curte muito.

Como já mencionado, comprar pela internet e mandar entregar no hotel é uma excelente opção: permite pesquisar com calma, elimina o risco de não encontrar e economiza tempo na viagem.

Pessoal:
alguém conhece alguma loja de artigos médicos(estetoscópio, aparelho de medir pressão..) em Orlando?

Obrigada

    Em orlando especificamente, nao conheco.
    MAs comprei pela internet daqui do Br e mandei entregar no hotel em Orlando pelo site allhearts.com e deu super certo.
    Boa sorte

Caros: NY é melhor para compras, acredito, se você está sozinha e quer comprar enquanto passeia e principalmente se quer comprar artigos de luxo, de marcas especiais (pouco do bom), eletrônicos especializados na B&H, new trends, novos designers descolados. Miami e Orlando oferecem opções para aquelas compras mais práticas, de volume, fora o conveniente de fazer compras com carro…em NY vc abusa na Macy’s e carrega sacola de taxi em taxi, dentro e fora de museu, um estorvo! Agora, entregar Amazon no hotel, uso há anos, e além dos Estados Unidos, funciona tambem na Amazon.uk se vc vai para Londres. Uma dica é na primeira linha do endereço colocar: Mr. (ou Mrs.) seu nome – Guest at the XX Hotel from X to Y, o que basicamente quer dizer que vc será hóspede do hotel X naquele exato período, o que ajuda o pessoal do hotel a encontrar sua reserva e guardar seu pacote: lembre-se sempre de confirmar o prazo de entrega antes de fechar o pedido na Amazon, e de colocar o nome do destinatario da encomenda igualzinho ao da sua reserva no hotel.

O post ficou ótimo e vou dar a minha opinião. Eu prefiro fazer compras em Orlando, que é bem mais tranquilo, barato e tem todas as lojas muito próximas, além de Orlando ser bem tranquilo para andar de carro. Em NY eu preferi fazer compras a medida que ia passando pelas lojas, sem dedicar um tempo específico. Assim você mescla bem os passeios com compras.

Eu nunca programo uma viagem com o objetivo específico de fazer compras, mas nas viagens ao EUA eu sempre reservo um bom tempo para elas. Eu nunca deixo de fazer um passeio ou conhecer um local para fazer compras, pois elas são secundárias. O que eu faço é sempre reservar tempo suficiente para fazer os dois, mas se faltar tempo, os passeios são prioridade e as compras são deixadas de lado, nunca ao contrário.

Leandro: conferi em Sunny Isles o hotel Newport Beachside Hotel & Resort parece razoável quanto a preço e localização pelo menos.

Dani G: olha, não tem nada de cafona fazer enxoval nos UUSS. Só com o carrinho e bebê conforto, por exemplo, que aqui custariam 1800 reais, comprei em Orlando por 229 dólares o conjunto. Só aí, nesse pequeno detalhe, pagaria parte da viagem de uma pessoa. Roupas, então, sem comentários.

Luciana, muito legal o blog, parabéns, vou conferir e obrigado pela dica

Dani G
Eu já tive 2 filhos, e , particularmente, nunca fui aos EUA fazer enxoval. Mas cafona, nao acho nao! Vale muito a pena financeiramente , mesmo incluindo os preços de passagens, porque infelizmente, as coisas no Brasil sao caríssimas. Entao , muita gente normal e nada cafona , vai prá lá!Acho que depende do momento de cada família, se a viagem for focada nisso, de modo prático, por que nao(interrog). Vi os relatos do Breno, que teve trigemeos e foi prá lá fazer enxoval pros bebes, e , pelo que me pareceu, ele tem um super bom gosto, inclusive de destinos de viagens, o casal se presenteia em datas especiais prá lugares muito legais! Generalizar nao me parece legal…e olha que eu to aqui de advogada do Diabo, porque eu nunca pautei viagens em compras, mas já fui a um ou outro outlet sim. E foi uma experiencia palatável…nao perdi a viagem, foi uma tarde.
É muito de gosto e da necessidade de cada um! Mas respeito sua opniao e dou a minha!

Obrigada pela resposta! Procurei e achei a T1i, parece ser leve, funções bárbaras, mas sem muitas complicações… Vou levar anotado para comprar lá no Chile! Pena que começo minha viagem pelo Atacama (Tierra Atacama, culpa sua Ricardo, Rrsrsrsrs!!!) Mas quando chegar em Santiago vou procurá-la!!!

Acho cafona essa coisa de viajar pra fazer ” enxoval”, visitar outlet, etc. Coisa meio emergente… Compras aparecem naturalmente no meio do caminho, uma coisinha q vê aqui, outra ali… #prontofalei

😛

    Cafona para mim é pagar os exorbitantes preços cobrados no Brasil. Viajar para fazer compras é um excelente negócio, desde que você aproveite também para conhecer a cidade, fazer programas culturais e etc. É importante unir o útil ao agradável.

    Sem contar as coisas LINDAS que a gente acha BARATÍSSIMO nos EUA. A diversidade e qualidade dos produtos deles é infinitamente superior aos encontrados no Brasil. Mas eu só faria uma viagem focada em compras pra algum lugar que já conheça, e já tenha feito a parte turística, cultural, etc.

    Dani, também já pensei como você, que acredito não ter filhos.
    As roupas para criança tem preços imbativeis nos outlets. A mesma roupa que aqui no Brasil voce não encontra por menos de 100 reais, lá vai custar em média 10 à 15 dólares, no máximo. Ainda com as vantagens de lavar super bem na máquina, não soltar tinta, etc, etc. Ou seja, qualidade muito superior.
    Eu, por exemplo, não encontro roupas bonitas e de bom preço aqui no Brasil( sou GG) Nos Estados Unidos, encontro até calça comprida que não precisa cortar dois palmos para que me sirva.
    Portanto, como resistir???
    Por isso, sempre reservo dois dias para compras em outlet, minhas filhas e noras adoram as roupinhas. Depois desses dias de compra, nem olho mais vitrine, fecho a mala e curto a viagem.
    Acho que fazer compras no Estados Unidos faz parte da viagem!!

    As pessoas com mais grana que eu conheço, que podem comprar uma Louis Vuitton de 10,000 na hora do almoço, no Brasil, vão pra fora passear e comprar feito loucas, então cafona é quem acha que viajar pra comprar é cafona.

    Acho é hipocrisia uma pessoa dizer que vai viajar para ter cultura e no entanto na volta não consegue dizer nada a respeito do local que conheceu, apenas da aparência das lojas. Se vai viajar pra comprar tralha, então assuma…rsrs

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.