Compras: onde é melhor? Nova York, Miami ou Orlando? 1

Compras: onde é melhor? Nova York, Miami ou Orlando?

Woodbury Commons

Qual o destino favorito dos brasileiros que viajam para os Estados Unidos? É fácil: o outlet. Em segundo lugar vem… o shopping.

Não há viagem pros States que não inclua uma paradinha para compras. (Sem contar aquelas em que a finalidade principal é comprar.)

De vez em quando aparecem perguntas sobre qual das três cidades favoritas dos brazucas — Orlando, Miami e Nova York — é a melhor para compras. Muita gente também tem dúvida se vale a pena combinar duas cidades só por causa das compras.

A verdade é que os preços serão ótimos em qualquer lugar dos Estados Unidos. Toda grande cidade vai ter pelo menos um outlet por perto, e não há lugar em que você não encontre uma Best Buy (a meca dos eletrônicos). Os fatores que mudam de cidade para cidade são a sales tax (o “ICMS” sobre as compras, que varia por estado e condado), o preço da hospedagem, o transporte e a combinação entre compras e turistagem.

Se você vai fazer uma viagem picada, o mais sensato é deixar as compras grandes para a última escala, para não ficar carregando peso a mais (que pode ser taxado como excesso de bagagem em vôos domésticos, se não estiverem vinculados à passagem internacional).

Compras em Nova York

Jersey Gardens

Nova York é perfeita para incorporar as compras ao dia-a-dia da turistagem. Passear e comprar se completam naturalmente.

Para onde quer que você vá sempre vai haver lojas bacanas e vitrines tentadoras. Midtown tem várias grandes lojas de departamentos; a rua 34 tem lojas das marcas mais procuradas. Soho, Nolita e Meatpacking têm lojas descoladas — e onde quer que você vá, sempre haverá quinquilharias por perto. As redes principais têm lojas espalhadas pela cidade inteira, tornando mais fácil a busca do modelo e do tamanho exato que você deseja: se não tem numa, pode ter na próxima.

Para câmeras e eletrônicos sofisticados a superstore da B&H da rua 34 com 9a. Avenida não tem rival nos Estados Unidos.

Há os que defendem que visitas bem-feitas à Macy’s da Herald Square e incursões ao mundo selvagem dos saldos da Century 21, no Ground Zero, podem poupar você de viajar aos outlets dos arredores. É a estratégia de quem não quer arredar pé de Manhattan. Porque, ao contrário dos outros destinos, Nova York permite que você inclua as compras na sua agenda normal de turista: as vitrines estarão sempre no seu caminho.

Já não abrem mão de ir aos outlets de Woodbury ou ao Jersey Gardens (ou a ambos) para fazer compras como se estivessem em Orlando ou Miami — de carro alugado e tudo. (Mas também dá para ir de ônibus.)

Balanço:

– Turismo: intenso

– Sales tax:

– 8,85% em Nova York

– 0% para roupas e calçados de valor unitário até US$ 110 em Nova York

– 3,5% no Jersey Gardens

– 0% para roupas e calçados de qualquer valor em todo estado de New Jersey

– Hotelaria: cara

– Alugar carro: só para os dias de outlet

Vale a pena vir só para comprar? É um desperdício. Vir para comprar só vale a pena se incluir uma boa dose de comércio de rua. Se for para se limitar a superstores e outlets, tanto Orlando quanto Miami são mais práticos.

Compras em Miami

Sawgrass Mills

Miami é interessante para quem pretende dar dedicação total ao esporte de fazer compras. Dá para juntar dias dedicados ao mega-outlet Sawgrass Mills (na vizinha Fort Lauderdale) com visitas a shoppings convencionais, com coleções atuais — do popular Dolphin Mall e Dadeland Mall ao elegante Aventura Mall ao chiquerrérrimo Bal Harbour Shops.

O comércio de rua não é páreo para o de Nova York, mas existe, sim — em South Beach, no calçadão da Lincoln Road e adjacências da Washington Avenue.

No quesito eletrônicos, Miami leva uma vantagem sobre Orlando: só Miami tem lojas da Brandsmart, que costuma ter preços ainda mais baratos que a concorrente BestBuy.

A desvantagem de Miami está no trânsito, que é muitíssimo pior do que o de Orlando (as distâncias são maiores, também) e nos estacionamentos, que são caríssimos (sobretudo nos hotéis e em South Beach).

Balanço:

– Turismo: é uma cidade mais para curtir do que para turistar

– Sales tax: 7%

– Hotelaria: na praia é cara; nos arredores do aeroporto é em conta

– Alugar carro: faz toda a diferença; mas ficando em South Beach é possível ir de van para o Sawgrass e de ônibus para o Aventura Mall

Vale a pena vir só para comprar? Sim

Compras em Orlando

Orlando Premium Outlet, Vineland

Parques + outlets é a fórmula que define a viagem de brasileiros a Orlando.

Os dois outlets principais de Orlando acabam funcionando como parques de diversões, só que sem montanha-russa: o Premium International Drive, mais central, e o Premium Vineland Ave., pertinho da Disney (US$ 30 de táxi desde a porta do seu hotel). Brazucas são mega bem-tratados em ambos.

Além dos outlets, há as BestBuys, as Walgrens, os Wal-Marts, os Targets, mais o popular Florida Mall e o sofisticado Mall at Millenia.

O problema do combo parques + outlets é que ambos requerem muita atividade física. A fórmula para não ser nocauteado é nunca emendar um parque com uma ida a outlet. Separe os dias de Mickey e Harry Potter dos dias de Nike e Diesel, e você vai aproveitar muito mais.

Balanço:

– Turismo: intenso

– Sales tax: 6,5%

– Hotelaria: em conta

– Alugar carro: fundamental

Vale a pena vir só para comprar? Se você conseguir resistir…

Nova York + Flórida na mesma viagem

Só por causa das compras? Não precisa. Você pode brincar de Flórida naquele(s) dia(s) em que alugar carro e for à luta nos outlets fora de Manhattan.

Caso o seu objetivo seja fazer turismo em Nova York e em Orlando, então pense em duas semanas de viagem. 7 dias são o mínimo que um visitante deve dedicar a cada uma dessas cidades numa primeira vez.

(Caso você faça as duas cidades, lembre-se de deixar as compras para a última, para não pagar uma fortuna de excesso de bagagem no vôo interno, que não terá a mesma franquia de bagagem do vôo internacional.)

Miami + Orlando na mesma viagem

É perfeitamente factível — as cidades estão a 4h de carro ou 1h de vôo — e fica mais interessante quando você traça uma estratégia. Tipo: usar Miami para complementar as compras em shoppings convencionais, ou deixar os eletrônicos para Miami, ou ainda usar Miami para dar uma relaxadinha na praia antes de voltar para o Brasil.

 

Passagens mais baratas para os EUA no nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel nos EUA no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Mondial Assistance

Alugue de carro nos EUA na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões nos EUA com a Viator

Compre ingressos para os parques temáticos na RCA

742 comentários

Se eu já tiver feito esta pergunta neste post, me desculpem..
É tanta coisa que tenho lido, que minha cabeça já está ficando doidja.
A pergunta é a seguinte: alguém conhece alguma loja de artigos médicos em Orlando?

Bjs e obrigada

    Já procurou na Amazon? Lá você encontra quase tudo! E não perderá o precioso tempo da viagem correndo de um lugar para o outro atrás de artigos médicos, que deve ser difícil de encontrar.
    É preciso saber também se esses artigos são vendidos para qualquer pessoa.
    Eu tive dificuldades para compras lentes pela Internet. Só com uma receita em inglês que me venderam.

Boas tardes, tripulantes.
Íta blog pôrreta esse seu, hein comandante Riq?
Quanta informação legal de Boston e arredores. Graças a vocês, acabei de deletar Disney da viagem (era tudo que eu queria :). Com tantas atrações, minhas filhas – 5 e 3 anos, não vão sentir falta. O Six Flags mexeu comigo. Sou montanharussólatra e acho que vou pegar um trem até lá e tirar um dia de férias nas férias só para mim. Obrigado a todos pelas ótimas indicações. Boston em julho, me aguarde!

Não sei a idade das crianças mas em Boston além do aquário, já citado, tem um city tour que se chama Duck Tours que talvez seja interessante p/ elas pq são carros anfíbios da 2ª guerra que fazem o passeio pela terra e pela água. Não fiz mas posso te dizer que chama a maior atenção. Especificamente p/ as crianças tem o Children’s Museum e o Museu da Ciência. Os parques públicos: Boston Common e Public Garden (Jardim Botânico) e o observatório no Prudential Tower que c/ certeza agradarão a todos. Dependendo da idade e do interesse: Freedom Trail que passa por marcos históricos. Nos arredores, Harvard tem o museu de História Natural e Salem que é considerada a cidade das bruxas. Um espetáculo do Cirque du Soleil tb é uma boa opção para as crianças, só tem que ver se eles estarão por lá na mesma época que vcs.

Meu sonho é que algum dia os preços no Brasil possam ser os mesmos , ou no máximo uns 20 % a mais que nos EUA, pra poder viajar apenas pra conhecer os lugares e se divertir,e nunca mais na vida ter de pisar num outlet e perder um dia inteiro vasculhando prateleiras.

    Alexandre, desculpe-me ser um pouco chato como tenho sido nesse post do blog, mas ninguém é OBRIGADO a sair vasculhando pratelerias e outlets.

    Refraseando: eu não entendo por que algumas pessoas simplesmente não conseguem viajar e se desprecouparem de qualquer necessidade de comprar só porque estão, por ocasião, em um lugar com produtos baratos. Se a intenção é viajar a lazer e descanso, sem estresse – e gastos! – de compras, não é por se estar em um país de mercadorias baratas que existe uma OBRIGAÇÃO moral de comprar para economizar, por assim dizer.

    rsrss…. Concordo com você, André. Eu viajei recentemente a Buenos Aires para passear, descansar e conhecê-la sem correria. Os brasileiros que lá encontrei ficavam INDIGNADÍSSIMOS ao ouvirem de mim que eu não estava lá para compras. Aliás, quando viajo, compras só se sobrar algum trocado, pois minha férias são a lazer e culturais. Enquanto eu e minha filhota fomos e voltamos de lá com uma mala e bolsa, cada uma, a turma voltava com mil bagagens. Este consumismo exacerbado (entendo que está tudo muito mais barato que aqui), que eu percebia, as vezes, que não era somente para adquirir, mas sim parecia uma regra de comprar até o que não gostasse, só para mostrar aos amigos e parentes aqui no Brasil que adquiriu roupas de marcas, é algo doentio. Com certeza, muita gente vai se trombar por este país usando a mesma camisa, terno, vestido, saia, camiseta, parecendo até um uniforme, par de vasos…rsrs Cada um viaja com um objetivo, se indignar com alguém que não tem o mesmo objetivo que eles é quase que uma invasão de vida alheia! Quanto a conhecer a cultura dos argentinos…. eu ouvi cada besteira. Mas minha viagem valeu dentro do que planejei. Mas, não achei chato o que você escreveu, mas sim um fato,que você soube se expressar bem.

Comandante, em julho vou visitar parentes em Boston com duas crianças. Até pensei em parar antes em Orlando para elas darem uma fast disneysada, ir p/ Boston e, na volta, passar em NY, de onde viria direto para SP. Mas para duas semanas estou achando muita correria. Pessoalmente, prefiro um bom passeio em Boston e região (alguma sugestão? Não manjo nada de Boston e Vermont. Tem parques para levar as meninas?). Depois uma paradinha em NY para perder a virgindade na Big Apple. (7 dias com crianças não vai dar. É muito lerê). O que acham melhor? Brigadão.
Tomas

    Olá, Tomas! Vou pedir para o Comandante subir a sua pergunta para o Perguntódromo!

    Tomas, Boston é uma cidade linda e realmente fazer a Disney na mesma viagem vai ser muita correria, pois NY toma muito tempo. Boston é pequena e você não gastará tanto tempo assim para conhecê-la, mas é uma das cidades que mais gosto no EUA. Se você quiser conhecer um pouco mais, veja o meu post:

    http://wazari.wordpress.com/2010/03/18/boston/

    Com relação a parques, em Massachussets tem o Six Flags New England, que é um parque radical e fica a umas 2 horas de Boston. Não sei a idade de seus filhos e nem a época em que você vai, mas uma atração interessante é assistir a algum jogo na cidade, seja de basquete, hóquei, futebol americano ou beisebol, já que os times de lá são muito tradicionais.

    Quando fui, fiquei 3 dias em Boston e outros 3 em DC. Adorei as 2 cidades… Boston é uma delícia, sem dúvida nenhuma.
    E se tiver tempo, dá para fazer de NY um bate-e-volta até Filadélfia.

    Por fim: se gostar de história, antes de ir prá lá assista a série John Adams. São uns 7 capitulos de 1 hora, que falam sobre a independencia americana – a maior parte passada em Boston e Phily

    Tomas. Boston tem um aquario muito, mas muito bom mesmo. É melhor que os da costa oeste. Se as crianças curtem história você pode fazer uma caminhada por locais de muita importancia na história dos EUA. Acho que vale muito alugar um carro para passear nas estradas vicinais para sentir o ambiente de New England – as pequenas cidades com construções de madeira, a vegetação, os cultos. Se tiver tempo disponível dar uma esticada a Cap Code.

    Existem parques estaduais muito bonitos. Se vc quiser uma experiência diferente pode alugar uma motohome. No Maine ( caso vc decida ficar só na área de Boston em Boston ) o Acadia National Park, parque federal, que é muito bonito. Aliás, achei a costa do Maine maravilhosa. Pude entender porque os milionarios americanos gostam de ter casas por lá.

    Realmente crianças é bastante vago.
    Estive em Boston, vistando amigos, e em vários Parques como o Commons, exitem parques e espaço bem maneiros para crianças. Na região do Quincy Market existem Carrossel e etc pra crianças pequenas. O passeio do Duck Bus, dizem ser animado e todas as crianças gostam.
    Vários museus, Aquário, Celtics, Patriots, Six Flags.
    Opção com certeza não faltarão.

    Minha visita rendeu um post no Viajar e Pensar:

    http://viajarepensar.blogspot.com/2010/05/boston-europa-nas-americas.html

    Abraço e Boa Viagem!!! 😀

Tenho uma opinião bem próxima do Alessandro A. Orlando é mais legal pra fazer (um dia de) compras! NY (e todos os outros lugares q fui) as compras vão aparecendo pelo caminho, sem neuras! Não conheço Miami.

Primeiramente, só fui a NY e acho que ir lá só para comprar é uma besteira completa… mesmo quem já foi pelo menos, aproveitem algum espetáculo na Broadway, passear um pouco. Aquilo lá é bom demais! Fiquei 15 dias quando fui, e para compras mesmo ficou a Black Friday + meio dia na Century 21 – e no final, onde compramos mais foi na JCPenney, dentro do Manhattan mall. O resto, só se estiver no caminho mesmo.

Mas… algo que nunca tinha passado pela minha cabeça, agora passa: eu também sempre achei meio besta a ideia de viajar só para fazer enxoval, mas Baby chegando em Agosto, pela primeira vez na vida considero viagem para compras.

Se for, vou levar minha esposa junto – sou um completo desastre em compras (ela ficou doida quando voltei de Madrid, no auge das rebajas, e tinha comprado só 3 peças de roupa da Zara – a menos de 15 euros cada – prá ela e NADA prá mim). Ou seja: teria que compensar 2 pessoas na viagem. Vale mesmo a pena? A diferença de preços é tão grande assim? Até pq não daria tempo para muita coisa em Miami ou Orlando.

tks

    Alex, eu acho que vale a pena sim, desde que você junte o útil ao agradável. Tente programar uma viagem para fazer compras, mas com passeios também. Além das compras, você e sua esposa poderão aproveitar uma viagem a sós antes do nascimento do seu filho(a), pois depois é sempre mais complicado.
    As compras compensam sim, principalmente se você for comprar as coisas mais caras por lá, como carrinho de bebê, cadeirinha, etc… As compras vão bancar sua viagem e você ainda vai poder passear. Se você for comprar artigos para o casal e eletrônicos também, então compensa ainda mais. Só em 1 notebook você já economiza mais de R$1.000.

    Vou dar uma estudada em preços mesmo… ainda tem uns meses aí pela frente, mas passagem prá valer tem que ser bem antes. Vou pesquisar.

    E realmente: eletrônicos é o paraíso! hehe

    Valeu

    Alex, você não se arrependerá de fazer o enxoval do bebê.
    A economia que fizer pagará estadia e passagens. Como disse o Alessandro aproveita para passear e divertir. Compensa. Não é cafona não, é ecomonia com lazer.

Igor também concordo contigo em ir uma vez ao ano..é isso que temos feito!!! eu boicotei totalmente as compras no brasil e para nós mulheres a diferença é maior ainda!! um vestido aqui 300 …lá 50,00 reais!quem resiste??? rs!
Abraços!

E Ny ..pra mim é com pouquíssimas compras tbém just tourism!!! museus..parques…shows…broadway..

Olá Ricardo esse post é de utilidade pública obrigada!!! apesar de já ter ido em todas as cidades umas 6 vezes nos últimos anos..sempre encontro barbadas e boas oportunidades de compras toda vez que vou lá!! E compro muito depois que casei mobiliei minha cozinha inteira ..quartos tudo de lá..e acho super plausível ter economizado mais de 100% nas compras…aliás muito mais do que isso..é incrível um lençol de 1000 fios por 90 dolares e na m martam ser 1300 reais..sem chance..vou morrer comprando todo ano nos eua! nem que eu vá só pra isso! rs

“incursões ao mundo selvagem dos saldos da Century 21, no Ground Zero” por essas e outras q o Riq Freire é mestre. MUNDO SELVAGEM DOS SALDOS – nada mais define melhor a Century 21. Fiquei muito tonta lá, é muito selvagem. Aliás, achei “comprar em NY” bem difícil, é MUITA COISA, MUITA GENTE, pelo menos pra mim que não tô acostumada com essas viagens pra compras. Acho Miami BEM mais relax nesse sentido.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.