Bonito

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Bonito: o que fazer

Os passeios em Bonito podem ser divididos em 6 categorias: flutuações, grutas, cachoeiras, aventura, balneários e observação de animais não-aquáticos. Escolhendo um de cada gênero você tem uma experiência completa do que é o destino. Sobrou tempo no roteiro? Faça uma segunda flutuação -- o gênero de passeio que deu a fama, justificadíssima, a Bonito.

Comentamos aqui sobre os principais passeios em Bonito, para você montar o seu itinerário; explicamos como funciona o transporte até os atrativos, e também damos as dicas sobre como garantir seu lugar nos passeios. Alguns deles são muito disputados.

  • Como se deslocar aos atrativos

Há quatro maneiras de se locomover em Bonito até os atrativos: de carro, de transporte compartilhado, de transporte privativo ou em táxis.

De carro

Alugar carro é a alternativa mais prática. Em 3 pessoas, também é a opção mais econômica. A viagem acaba rendendo mais; você consegue fazer um roteirinho esperto encaixando dois passeios próximos em um mesmo dia, sem depender dos horários pré-determinados das vans compartilhadas. No centro de Bonito existem lojas da Unidas e da Localiza, que entregam carros no aeroporto. A agência Bonitour tem uma pequena frota própria de carros para aluguel. Reservar com antecedência garante descontos. As estradas até os atrativos não são asfaltadas, mas todas são tranqüilamente trafegáveis por carros comuns, mesmo os de motor 1.0.

De transporte compartilhado

Bonito: o que fazer - transporte compartilhado

O transporte compartilhado é uma opção boa se você viaja sozinho, ou se está em uma dupla que não dirige, e viaja com tempo sobrando. As vagas nas vans são limitadas e o serviço deve ser contratado com a agência de receptivo de Bonito no mesmo momento em que você for reservar os passeios. O transporte compartilhado custa, por pessoa, R$ 45 para passeios de meio dia (como ao Aquário Natural ou à Gruta do Lago Azul), ou R$ 75 para passeios de dia inteiro (à cachoeira da Boca da Onça ou ao Rio da Prata, por exemplo). Não é barato, mas é no máximo metade do valor de uma corrida ida e volta de táxi até os mesmos lugares. Como desvantagens, você não ter chance de escolher os horários dos passeios (que são definidos para que todo o grupo faça o passeio em um único horário, ou em horários próximos), e não vai conseguir encaixar dois atrativos em um mesmo dia. As saídas das vans são geralmente pela manhã, e muitas vezes é dado tempo de almoço e tempo livre antes do retorno -- o que faz com que a visita a um atrativo acabe demorando mais do que seria exatamente necessário. As vans compartilhadas fazem na ida um circuito pelos hotéis do centro para buscar os passageiros que contrataram o serviço, e na volta também deixam cada passageiro em seu hotel. Dependendo de onde o seu hotel esteja nesse itinerário, pode acontecer de você esperar até meia hora no lobby pela chegada da van. Não é oferecido transporte compartilhado para hotéis fora do centro de Bonito.

De transporte privativo

O transporte privativo vale a pena em grupos de 3 ou 4 pessoas que não dirigem. Acaba saindo mais barato do que o mesmo número de vagas em uma van coletiva, e sendo também mais conveniente: você pode agendar o horário que quiser para o passeio, sem precisar se prender aos horários pré-determinados do transporte compartilhado, e tem uma viagem mais proveitosa, conseguindo encaixar dois atrativos em um mesmo dia. Motoristas particulares podem ser contratados através das agências de receptivo, e os preços variam de agência para agência. O transporte privativo de ida e volta até o Aquário Natural pode custar entre R$ 100 e R$ 130; para a Gruta do Lago Azul, entre R$ 120 e R$ 130; para o Rio da Prata, entre R$ 190 e R$ 200. A diária do carro privativo com motorista, independente do número de passeios, fica entre R$ 190 e R$ 210.

De táxi

Também existe a opção de pegar táxis, que têm pontos fixos na cidade e preço tabelado para as corridas. Uma corrida de táxi ida e volta do centro ao Aquário Natural sai por R$ 100; para a Gruta do Lago Azul, R$ 110; para o Rio da Prata, R$ 180.

Existe transporte público para os atrativos?

  • Não tem não. Escolha uma das opções acima.
  • Como reservar passeios em Bonito

Bonito: o que fazer - agências

Bonito é o destino turístico mais bem organizado do Brasil e isso se faz notar já na hora de reservar os passeios. Os preços dos passeios são tabelados, e os vouchers que dão direito à entrada nos atrativos são emitidos exclusivamente pelas agências de receptivo da cidade. Não se pode visitar nenhum atrativo, nem os balneários, sem estar com um voucher na mão.

Ou seja: se a agência disser que um passeio esgotou, não adianta ir até o atrativo tentar descolar um ingresso. Não existem bilheterias nos atrativos.

Para conseguir vaga nos passeios mais disputados é sábio fazer as reservas com antecedência. As visitações são feitas em sessões de poucos visitantes; nas flutuações, são apenas 9 vagas a cada horário. A flutuação no Rio da Prata, a visita à Gruta do Lago Azul e o rapel no Abismo Anhumas são especialmente concorridos o ano inteiro.

Qual a antecedência recomendável para reservar?

Para garantir todos os passeios que você deseja fazer, siga esses prazos:

  • Carnaval ou Réveillon: 6 meses de antecedêcia
  • Férias e feriadões:3 meses de antecedência
  • Baixa temporada:1 mês de antecedência

Ao fazer sua reserva de hospedagem em Bonito, seu hotel ou pousada deve entrar em contato para oferecer os serviços da agência com que trabalha (alguns hotéis têm agências próprias). Para uma lista mais completa, você pode consultar o site da Associação dos Atrativos de Bonito, que tem uma página com todas as agências credenciadas da cidade. Quando fizemos a viagem mais recente para produzir este guia, fizemos nossas reservas anonimamente e contamos nossa experiência neste post (leia os comentários para ver as opiniões e indicações de leitores).

  • Escolha seus passeios

  • Flutuações

As flutuações são o gênero de passeio mais famoso de Bonito. De roupa de neoprene e snorkel, você desce pelos rios cristalinos da região, observando peixes nativos e fazendo pouco esforço. (Bater pernas e braços é proibido, para não levantar sedimentos do fundo dos rios.) Até quem não sabe nadar pode participar da diversão, já que coletes salva-vidas são sempre fornecidos, e o uso é obrigatório na maioria dos passeios. As flutuações acontecem na companhia de guias experientes.

Nenhuma flutuação é igual à outra; você pode repetir à vontade os passeios desse tipo, e também escolher qual combina mais com você.

Aquário Natural

Bonito: o que fazer - Aquário Natural

Se você quer um pitaco, lá vai: a flutuação no Aquário Natural é a única que ninguém deveria sair de Bonito sem fazer. São muitos, muitos peixes, que não se mostram nada tímidos com humanos invadindo seu pedaço. A vegetação aquática abundante, troncos e rochas deixam o visual realmente parecido com um aquário, e o cenário é a melhor oportunidade para se tirar fotos debaixo d'água, entre as flutuações (câmeras à prova d'água e GoPros podem ser alugadas nas agências de receptivo em Bonito). A flutuação no Aquário Natural é a mais recomendável para crianças e para pessoas que não sabem nadar, por ser bem tranqüilinha, quase sem correnteza, e acontecer na companhia de dois guias -- um, nadando, e outro em um barquinho de alumínio. Quem não quiser se molhar pode acompanhar o passeio no barco.

Aquário Natural

  • Rodovia Bonito/Guia Lopes da Laguna, km 7 | Tel. 67/3255-1193 | Duração: meio dia | Ingressos: alta temporada, a partir de 13 anos, R$ 210 (até 12 anos, R$ 21); baixa temporada, a partir de 13 anos, R$ 170 (até 12 anos, R$ 17) | Restaurante: à la carte

Rio da Prata

Bonito: o que fazer - Rio da Prata

A mais famosa de Bonito, a flutuação do Rio da Prata acontece na verdade em Jardim, um município vizinho. O que faz dela tão especial é o seu extenso percurso, que começa no rio Olho d'Água, mais raso e morninho, e termina no rio da Prata, mais profundo e gelado. Dos passeios do gênero, é sem dúvida o mais aventureiro, com trechos de corredeiras e pedras pontiagudas de que se deve desviar. Flutuar sem colete salva-vidas é permitido aos mais escolados. Pessoas que não saibam nadar podem fazer o passeio, mas as outras flutuações são mais recomendáveis do que a do Rio da Prata para uma primeira experiência. As vagas são concorridíssimas.

Rio da Prata

  • BR 267, km 512, Jardim | Tel. 67/3321-3351 | Duração: dia inteiro | Ingressos: alta temporada, a partir de 8 anos, R$ 210; baixa temporada, a partir de 8 anos, R$ 170 | Atividades extras: mergulho de cilindro, R$ 264; passeio a cavalo, R$ 75; observação de aves, R$ 85 | Almoço: R$ 54 (buffet)

Nascente do Rio Sucuri

Bonito: o que fazer - Nascente do Rio Sucuri

A flutuação da Nascente do Rio Sucuri não é onde se encontra o maior número de peixes, mas é onde a água do rio é mais transparente. Tem o segundo percurso mais longo entre as principais flutuações, perdendo apenas para a do Rio da Prata. A correnteza é suave e faz desse um passeio super relaxante. É uma ótima segunda flutuação para quem tem tempo para pelo menos dois passeios do gênero no itinerário. Alguma desenvoltura na água é bem-vinda, mas para quem não sabe nadar é um passeio mais fácil de cumprir do que o do Rio da Prata.

Nascente do Rio Sucuri

  • Rodovia Bonito-Fazenda São Geraldo, km 18 | Tel. 67/3255-1030 | Duração: meio dia | Ingressos: alta temporada, R$ 202; baixa temporada: R$ 168 | Atividades extras: tour de bicicleta, R$ 62 na alta temporada e R$ 57 na baixa temporada; cavalgada, R$ 62 na alta temporada e R$ 57 na baixa temporada | Almoço: R$ 30 (buffet)

Barra do Rio Sucuri

A flutuação da Barra do Rio Sucuri acontece no mesmo exato trecho de rio que o passeio da Nascente do Rio Sucuri, mas há diferenças no acesso. Com um receptivo em localização menos privilegiada, na Barra do Rio Sucuri não se avista a nascente como parte do tour, e a chegada ao ponto de início da flutuação é feita em um barco de alumínio. Serve como alternativa para quem não conseguir vaga no outro passeio, ou para quem a diferença de preço fizer muita diferença.

Barra do Rio Sucuri

  • Rodovia Bonito/Fazenda América, km 17 | Tel. 67/3255-3988 | Duração: meio dia | Ingressos: alta temporada: R$ 145; baixa temporada: R$ 125 | Restaurante: à la carte

Nascente Azul

Bonito: o que fazer - Nascente Azul

A Nascente Azul é a mais curtinha das flutuações em Bonito, quase sem correnteza, o que faz dela mais uma boa opção para crianças e para pessoas sem muita intimidade com a água. Em um trecho do passeio, quem se sentir mais seguro pode aproveitar para tirar o colete salva-vidas, prender a respiração e nadar em direção a uma grande fenda na parte mais profunda do rio, usando uma corda como guia. O visual é muito bonito tanto dentro da água, pelo tom azul turquesa, quanto fora dela, onde a vegetação é exuberante. O mais bacana é poder, em dias quentes, aproveitar a estrutura de balneário montada na mesma fazenda. Dá para passar o resto do dia tomando banho de rio, remando em caiaques e mergulhando com tirolesa, tudo incluso na entrada.

Nascente Azul

  • Rodovia Bonito/Bodoquena, km 29 | Tel. 67/3255-2297 | Duração: meio dia | Ingressos: alta temporada, R$ 200; baixa temporada: a partir de 12 anos, R$ 150; de 4 a 11 anos, R$ 17; idosos, R$ 121 | Atividades extras: mergulho de cilindro, R$ 170; acesso apenas ao balneário, R$ 42 na alta temporada, R$ 36 na baixa temporada | Almoço: R$ 40 (buffet)
  • Grutas

Gruta do Lago Azul

Bonito: o que fazer - Gruta do Lago Azul

O nome é auto-explicativo, mas não dá a dimensão da beleza do lugar: uma caverna inundada por um grande lago, que a incidência da luz do sol torna azul intenso. Não é a toa que a Gruta do Lago Azul é concorrida o ano inteiro. (Curiosidade: até hoje se desconhece de onde vem a água.) O passeio é contemplativo -- não, não se pode nadar no lago -- e requer algum esforço para descer e subir escadas. Mas vá fundo: é uma atração imperdível.

Gruta do Lago Azul

  • Rodovia Bonito/Três Morros, km 19 | Tel. 67/3255-2544 | Duração: meio dia | Ingressos: alta temporada, a partir de 5 anos, R$ 65; baixa temporada, a partir de 5 anos, R$ 50

Grutas de São Miguel

Bonito: o que fazer - Gruta de São Miguel

As Grutas de São Miguel podem ser visitadas no mesmo dia que a Gruta do Lago Azul. O programa não fica repetitivo, não: aqui o visual e a experiência são completamente diferentes. O passeio começa por uma trilha em ponte suspensa, e continua gruta adentro, com acesso por escadas. O barato é observar os impressionantes desenhos dos estalactites, estalagmites e outras formações no interior da caverna, criadas pelo gotejamento de água, anos e anos a fio.

Grutas de São Miguel

  • Alameda Rodovia Bonito/Três Morros, km 15 | Tel. 67/3255-5524 | Duração: meio dia | Ingressos: a partir de 12 anos, R$ 50; de 5 a 11 anos, R$ 40
  • Cachoeiras

Boca da Onça

Bonito: o que fazer - Boca da Onça

A trilha ecológica da Boca da Onça tem 4 km, 6 oportunidades para banho, inclui uma escadaria de 800 degraus e termina na cachoeira mais alta do Mato Grosso do Sul -- a homônima Boca da Onça, com 156 metros de altura. A cachoeira do Buraco do Macaco, ainda que menos famosa, é um delicioso ponto para se refrescar no meio do circuito, com acesso quase escondido (é preciso nadar por baixo de uma rocha). Se você gosta de adrenalina, adicione ao passeio uma descida da plataforma de rapel mais alta do Brasil.

Boca da Onça

  • Rodovia Bodoquena/Bonito, km 26 | Tel. 67/3255-1337 | Duração: dia inteiro | Ingressos: alta temporada, a partir de 12 anos, R$ 238, e de 7 a 11 anos, R$ 190; baixa temporada, a partir de 12 anos, R$ 202, e de 7 a 11 anos, R$ 160 | Atividades extras: rapel com circuito de cachoeiras, alta temporada, R$ 499; baixa temporada, 430 | Café de boas-vindas e almoço inclusos

Estância Mimosa

Bonito: o que fazer - Estância Mimosa

Bonito: o que fazer - Estância Mimosa

São 7 paradas para banho no circuito de cachoeiras de 2,8 km da Estância Mimosa, incluindo uma plataforma de onde se pode mergulhar de uma altura de 6 metros. O último trecho requer uma boa subida de escadas, mas mantenha em mente que o almoço típico da fazenda inclui doce de leite de tacho, feito lá mesmo. (É ou não é um bom estímulo?) A charmosa sede convida a uma visita sem hora marcada para ir embora. Passeios a cavalo podem completar a experiência.

Estância Mimosa

  • Rodovia MS 178, km 18 | Tel. 67/3255-2109 | Duração: meio dia | Ingressos: alta temporada, a partir de 12 anos, R$ 122, e de 6 a 11 anos, R$ 100; baixa temporada, a partir de 12 anos, R$ 100, e de 6 a 11 anos, R$ 78 | Atividades extras: passeio a cavalo, R$ 75; observação de aves, R$ 85 | Almoço: R$ 54 (buffet)

Parque das Cachoeiras

O Parque das Cachoeiras divide com a Estância Mimosa o mesmo circuito de cachoeiras, com 7 paradas para banho. Para saltar na água, no lugar de uma plataforma há uma tirolesa. A sede perde para a concorrente em charme, mas serve como alternativa caso os horários na Estância Mimosa estejam esgotados.

Parque das Cachoeiras

  • Rodovia Bonito/Anastácio, km 17 | Tel. 67/3255-6300 | Duração: meio dia | Ingressos: alta temporada, a partir de 12 anos, R$ 136, e de 5 a 11 anos, R$103; baixa temporada, a partir de 12 anos, R$ 115, e de 5 a 11 anos, R$ 91 | Almoço: R$ 40 adultos, R$ 35 crianças (buffet)

Cachoeiras do Rio do Peixe

Circuito em duas etapas e com muitas oportunidades para banho, as trilhas das Cachoeiras do Rio do Peixe garantem um dia inteiro de passeio. Na parte da manhã é feita a maior trilha, com 2 km de extensão e 7 oportunidades para cair na água. À tarde, mais 800m de caminhada e 3 paradas para banho. Há vários pontos com trampolins e tirolesas.

Cachoeiras do Rio do Peixe

  • Rodovia Bonito/Bodoquena, km 22 | Tel. 67/3255-3515 | Duração: dia inteiro | Ingressos: alta temporada, a partir de 13 anos, R$ 232, e de 6 a 12 anos, R$ 196; baixa temporada, a partir de 13 anos, R$ 211, e de 6 a 12 anos, R$ 172 | Almoço incluso

Fazenda Ceita Corê

Passeio de dia inteiro, feito em dois turnos: pela manhã, uma caminhada de 4 km por um circuito de cachoeiras, com 6 paradas para banho; de tarde, visita a uma pequena caverna inundada e banho na nascente. Entre um passeio e outro, aproveite para descansar na piscina de água natural ou nas espreguiçadeiras do jardim.

Ceita-Corê

  • Rodovia Bonito/Bodoquena, km 30 | Tel. 67/3255-2700 | Duração: dia inteiro | Ingressos: alta temporada, a partir de 12 anos, R$ 208, e de 6 a 11 anos, R$ 110; baixa temporada, a partir de 12 anos, R$ 184, e de 6 a 11 anos, R$ 100 | Almoço incluso
  • Aventura

Abismo Anhumas

O passeio mais radical de Bonito é o rapel no Abismo Anhumas: uma descida de 72 metros de altura, iniciada através de uma fenda estreita, e que continua caverna inundada adentro -- seguida por um passeio de bote e um mergulho de cilindro (ou snorkel). Debaixo d'água você observa impressionantes formações calcárias de milhares de anos. A única forma de entrar e sair da caverna é por rapel, e por isso um treinamento é dado no dia anterior, em uma instalação no centro de Bonito. O Abismo Anhumas é o passeio mais caro da região; são feitas só duas descidas por dia, num total de apenas 20 vagas. Reserve com bastante antecedência, especialmente se for mergulhar.

Abismo Anhumas

  • Estrada para Campo dos Índios, km 22 | Tel. 67/3255-3313 | Duração: dia inteiro | Ingressos: rapel com flutuação, a partir de 10 anos, R$ 910; rapel com mergulho, R$ 1.270 (apenas para mergulhadores certificados)

Lagoa Misteriosa

A Lagoa Misteriosa é um mistério, mesmo: até hoje não se identificou a sua profundidade exata, mas se sabe que chega a ultrapassar os 220 metros. A principal atividade oferecida é o mergulho de cilindro, tanto para quem tem experiência como para quem procura fazer mergulho de batismo. Quase não se vê peixes; o barato é observar a cavidade alagada que forma uma espécie de abismo. Fora dos meses de verão, também há flutuação com snorkel (no calor, a proliferação de microalgas prejudica a visibilidade na superfície). A Lagoa Misteriosa pertence ao mesmo grupo do Rio da Prata e está em uma propriedade vizinha. Combinar as duas atrações é fisicamente puxado, mas, se você tiver pique, pode aproveitar a viagem até Jardim para fazer uma dobradinha.

Lagoa Misteriosa

  • BR 267, km 515, Jardim | Tel. 67/3255-3021 | Duração: meio dia | Ingressos: flutuação, a partir de 8 anos, R$ 154; mergulho de cilindro, a partir de 10 anos, R$ 365 | Almoço: R$ 54 (buffet no Rio da Prata)

Bóia-cross e arvorismo no Hotel Cabanas

Bonito: o que fazer - Bóia-cross no Hotel Cabanas

O Hotel Cabanas é o mais lúdico de Bonito e tem um circuito de aventura aberto a não-hóspedes. O divertido bóia-cross acontece no rio Formoso e é um percurso a ser cumprido em bóias infláveis individuais, passando por corredeiras. O arvorismo combina obstáculos suspensos e tirolesas.

Hotel Cabanas

  • Rodovia MS 382, km 6 | Tel. 67/3255-3013 | Duração: meio dia | Bóia-cross: a partir de 12 anos, R$ 80, e de 6 a 11 anos, R$ 70 | Arvorismo: a partir de 12 anos, R$ 110 e de 6 a 11 anos, R$ 90

Eco Park Porto da Ilha

O passeio de bote inflável pelo rio Formoso no Eco Park Porto da Ilha não chega a ser rafting, mas também não é tão tranquilinho assim: no meio do caminho há corredeiras e cachoeiras, garantindo um percurso 'com emoção'. Para relaxar, há uma parada para banho. Existem também outras modalidades de diversão, como duck, stand-up paddle e bóia cross.

Eco Park Porto da Ilha

  • Rodovia do Turismo, km 13 | Tel. 67/3255-3021 | Duração: meio dia | Bote: a partir de 12 anos, R$ 121; de 5 a 11 anos, R$ 99 | Duck: a partir de 12 anos, R$ 121; de 5 a 11 anos, R$ 110 | Stand-up paddle ou bóia-cross: a partir de 12 anos, R$ 50; de 5 a 11 anos, R$ 40 | Restaurante: à la carte
  • Balneários

Balneário Municipal

Bonito: o que fazer - Balneário Municipal

O Balneário Municipal é o passeio mais barato de Bonito. Pertinho da cidade, permite ver peixes e nadar em águas transparentes sem pagar uma exorbitância por isso, e sem tempo cronometrado. (Mas não substitui a experiência de uma flutuação não, viu?) O Balneário Municipal tem banho liberado no rio Formoso, e conta com lanchonete, quadra de vôlei de areia e uma grande área gramada. Por ficar pertinho da cidade, é um bom passeio para fechar um dia de programação.

Balneário Municipal

  • Rodovia MS 178, km 7 | Tel. 67/3255-2160 | Duração: meio dia | Ingressos: alta temporada, R$ 36; baixa temporada: R$ 30

Praia da Figueira

A Praia da Figueira tem uma estrutura bacaninha, com quiosques com espreguiçadeiras, restaurante, vestiário, e várias opções de divertimento além de apenas cair na água. Pranchas de stand-up paddle, caiaques e pedalinhos podem ser utilizados pelos visitantes; há também uma tirolesa e equipamentos para flutuação. A Praia da Figueira pode ser combinada com os atrativos da Barra do Rio Sucuri ou da Nascente do Rio Sucuri, que estão próximos.

Praia da Figueira

  • Rodovia Bonito/São Geraldo, km 14 | Tel. 67/3255-6300 | Duração: meio dia | Ingressos: a partir de 12 anos, R$ 65; de 5 a 11 anos, R$ 45 | Atividades extras: flutuação no rio Formoso, R$ 89 para adultos e R$ 79 para crianças; mergulho com cilindro, R$ 270; stand-up paddle, R$ 30; quadriciclo, R$ 40; passeio de barco, R$ 35 por pessoa; caiaque individual, R$ 15; caiaque duplo, R$ 30; pedalinho, R$ 30 | Restaurante: à la carte

Balneário do Sol

O Balneário do Sol é uma ótima opção para famílias com crianças. Além do acesso ao rio Formoso, num trecho com pequenas cachoeiras, o balneário tem piscina natural, parquinho infantil, área de jogos, quadra de vôlei de areia e até búfalos para montar. Quem for passar o dia inteiro pode usar o restaurante e a lanchonete do local.

Balneário do Sol

  • Rodovia do Turismo, km 8 | Tel. 67/3255-3500 | Duração: meio dia | Ingressos: a partir de 12 anos, R$ 50; de 7 a 11 anos, R$ 30 | Restaurante: à la carte

Balneário Ilha Bonita

Por ser muito arborizado, o Balneário Ilha Bonita é especialmente aconchegante. Tirolesas e trampolins garantem a diversão das crianças e adolescentes. Há um restaurante no local.

Balneário Ilha Bonita

  • Rodovia do Turismo, km 8 | Tel. 67/3255-4247 | Duração: meio dia | Ingressos: a partir de 12 anos, R$ 60; de 6 a 11 anos, R$ 45 | Restaurante: à la carte
  • Araras, jacarés, capivaras e jibóias

Buraco das Araras

Bonito: o que fazer - Buraco das Araras

O impressionante Buraco das Araras é uma dolina de 500 metros de circunferência e 100 metros de profundidade que, recuperada após anos de abandono, voltou a ser lar de várias famílias de araras-vermelhas. O período de reprodução, nos meses do meio do ano, é o melhor para avistar em bom número as aves, e o final da tarde, o melhor horário para isso. É um passeio sossegado e contemplativo, com uma caminhada leve ao redor da dolina, onde foram construídos dois mirantes frente a frente. O passeio ao Buraco das Araras costuma ser combinado com a flutuação no Rio da Prata.

Buraco das Araras

  • Rodovia Jardim/Porto Murtinho, BR 267, km 28 | Tel. 67/3255-4344 | Duração: meio dia | Ingressos: day-use (período de 4h) preço único, R$ 175; trilha (1h20 de duração) a partir de 13 anos, R$ 68; de 8 a 12 anos, R$ 55; observação de pássaros (dia inteiro), R$ 275

Fazenda San Francisco

Bonito: o que fzer - Fazenda San Francisco

Bonito: o que fazer - Fazenda San Francisco

Bonito: o que fazer - Fazenda San Francisco

O day-use da Fazenda San Francisco, em Miranda, serve para matar um pouquinho o desejo de visitar o Pantanal. Na fazenda, a programação costuma incluir um safári fotográfico pela manhã e, depois do almoço, um passeio de chalana com pesca de piranha. Muitos bichos podem ser vistos já na sede, como araras, papagaios e até cervos. No safári, jacarés, capivaras, sucuris e carcarás também dão o ar da graça. Vale a pena ir à Fazenda San Francisco se você tem tempo de sobra em Bonito, e não vai deixar nenhum passeio importante de fora da programação para isso. O bate-volta até lá não substitui uma viagem ao Pantanal. São 160 km de distância; o trajeto é feito em 2h30.

Fazenda San Francisco

  • BR 262, km 583, Pantanal do Miranda | Tel. 67/3242-3333 | Duração: dia inteiro | Ingressos: a partir de 12 anos, R$ 210; de 5 a 11 anos, R$ 144 | Almoço buffet: R$ 42

Projeto Jibóia

Bonito: o que fazer - Projeto Jibóia

O Projeto Jibóia é o melhor passeio que você não precisa fazer em Bonito -- mas vai amar se acabar fazendo. A hilária apresentação noturna de Henrique Naufal sobre cobras não-peçonhentas é muito mais um show de stand-up comedy do que uma palestra. Acontece em uma sede onde é possível observar as cobras em seus terrários, e ainda tirar uma foto com uma jibóia no pesçoco, no fim da apresentação.

Projeto Jibóia

  • Rua Nestor Fernandes, 610 | Tel. 67/8419-0313 | Duração: 2 horas | Ingresso: a partir de 5 anos, R$ 40; até 4 anos, grátis

5 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Roberta Biasutti
Roberta BiasuttiPermalink

Os preços estão um pouco mais salgadinhos do que os anunciados aqui, mas nada de absurdo comparado ao preço que já é um. Estou na expectativa, em abril irei à Bonito com meu namorado em abril e já reservamos tudo pela Bonitour, pois alguns passeios pela ABN já estavam esgotados, e no site da Bonitour também estavam indisponíveis, mas falando direto no chat com o atendente conseguimos o Rio da Prata e a Gruta do Lago Azul.

Thais
ThaisPermalink

Olá. Preciso de uma ajuda: não sei nadar! Tenho pavor de água...até mesmo se fosse apenas para flutuar, pois só de imaginar ficar na posição horizontal com a cabeça embaixo da água respirando pelo snorkle, já me dá desespero. Mesmo assim seria um bom passeio para mim? Gostaria mto de conhecer as belezas de Bonito, mas fico com receio de não aproveitar nada! E os outros passeios são todos embaixo d'água? Eu poderia ficar em pé enquanto os outros flutuam? Eu poderia ficar no barco enquanto os outros flutuam? Obrigada!!!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Thais! As belezas singulares de Bonito estão dentro d'água. Deve destinos de natureza mais baratos e mais fáceis de chegar perto de onde você mora.

Ana Helena
Ana HelenaPermalink

Thais, em Bonito tem passeios de cachoeira como o Parque das Cachoeiras, o passeio de bote no Rio Formoso que é belíssimo, além do passeio de flutuação no Aquário Natural que é acompanhado de um barco que carrega pessoas que não dão conta da flutuação, além disso nesse passeio existe um treinamento realizado na piscina que o guia te dá todas as orientações acerca do mergulho com snorkel e vc já tem uma idéia se vai dar conta ou não. Todos os passeios na água tem coletes salva vidas de forma que vc pode escolher o que melhor te adapta.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Ana Helena! Se ela tem pânico de entrar n'água, só deve ir a Bonito se quiser fazer um trabalho para superar esse pânico. Existem destinos de cachoeira muito mais baratos. Não vale a pena pagar passeios caros em Bonito para não aproveitar a essência deles. A moça precisa de uma indicação técnica, não de um estímulo para gastar seu tempo e seu dinheiro onde não vai aproveitar.