Praia de Curuípe, próxima à Praia dos Amores

O que fazer em Espelho

Praia do Espelho: o que fazer e onde comer

A Praia do Espelho tem quatro praias com acesso a pé. E pode servir de base para outros passeios às redondezas. Veja o que fazer na Praia do Espelho:

A Bóia recomenda: o que fazer na Praia do Espelho

Clique nos nomes em azul para ver os detalhes

Acorde cedo para curtir as praias desertas — os visitantes só começam a chegar depois das 10h

Na maré baixa, aproveite o acesso fácil à Praia dos Amores (Setiquara)

Reserve com antecedência seu almoço na Silvinha

Experimente a moqueca de dona Neide no bar de praia da Calá & Divino

Passe um dia em Caraíva

Voltar | Topo

As praias

Praia de Curuípe, perto da praia dos Amores

A praia mais bonita do Sul da Bahia tem dois trechos distintos.

O canto esquerdo (norte) mantém o nome tradicional do lugar: Curuípe. O canto direito (sul) é o que seria a Praia do Espelho propriamente dita. Não acredite, porém, quando disserem que a praia da direita é “a verdadeira Praia do Espelho”. Na verdade, Curuípe é o ponto mais tradicional e fotografado da praia.

Há outras duas praias com acesso a pé, na maré baixa. A Praia dos Amores (ou Setiquara) e a Praia do Outeiro, ambas ao norte (esquerda) da praia principal.

Praia de Curuípe (canto esquerdo da praia principal)

Praia de Curuípe

Este é o trecho mais gostoso da praia principal. Tem mar calmo, sombra de coqueiros e amendoeiras, e uma falésia amarela que chega até perto da praia no canto esquerdo (e, quando a maré sobe, delimita a praia).

O mar é calmo, mas alguns trechos tem pedras. Na maré baixa fica fácil de saber por onde entrar (o canto esquerdo, junto à falésia, oferece um banho gostosíssimo!), mas na maré alta é preciso entrar com cuidado para não se machucar (peça conselhos aos funcionários dos bares).

Foi nesta praia que, no extinto Bar do Baiano, surgiu o estilo mais charmosamente brasileiro de ocupação de areaia da praia: esteiras de taboa (uma palha que, em camadas superpostas, dá um efeito acolchoado) com almofadões de chita florida. Infelizmente a marca da registrada da praia foi abandonada pela nova administração do bar.

Bar Oriba, Praia de Curuípe

Mas outras barracas mantêm vivo o estilo, como o o quiosque Meu Peixinho (que serve caipiroskas exóticas, moquecas e bobó) e o restaurante Oribá (que tem área coberta e também uma fila de espreguiçadeiras ao sol).
Meu Peixinho | Praia de Curuípe | Tel. (73) 99800-6023 | Facebook
Oribá | Praia de Curuípe | Tel. (73) 99997-7007 | Facebook

Na temporada, é provável que todos os bares deste lado da praia cobrem uma consumação mínima.

Na maré baixa dá para seguir pela esquerda até as praias dos Amores e do Outeiro.

Voltar | Topo

Praia do Espelho (canto direito da praia principal)

Praia do Espelho e seu riozinho

Quanto mais você caminha para o canto direito, fica mais acentuado o aspecto agreste da praia. O mar também vai ficando mais sujeito a pequenas ondas na maré alta.

Bar Aconchego do Espelho

Há um núcleo de bares com preços menos caros que os do canto esquerdo. O estacionamento por ali é maior e mais barato, o que também contribui para atrair as vans de passeios.

Próximo ao canto esquerdo há um riozinho que, na maré alta, fica difícil (mas não impossível) de atravessar. O trecho depois do riozinho é o mais sossegado de toda a praia principal — mesmo durante a permanência dos visitantes de um dia só, pouca gente chega até lá.

Entre o riozinho e a mata ficam dois ótimos lugares para almoçar, com reserva antecipada: o escondidíssimo restuarante da Silvinha e o restaurante de praia da pousada Calá & Divino (leia mais sobre ambos mais abaixo, na seção Onde comer).

Passando a pousada, a praia ganha um paredão e coqueiros que proporcionam sombra e sossego a quem não quer ficar na área dos bares.

Praia dos Amores (Setiquara)

Praia dos Amores

Pegue a paisagem da praia do Taípe, de Arraial da Ajuda (um paredão de falésias rente à areia) e coloque ali o mar azul-clarinho, protegido por recifes, da vizinha Curuípe: assim se faz uma praia com a beleza da Praia dos Amores. A propósito, o nome é tão marqueteiro quanto “Espelho”: entre os nativos, é conhecida como Setiquara. Trata-se de uma praia totalmente selvagem: não há bares nem ambulantes.

O acesso só é possível na maré baixa. A falésia avança em direção ao mar nas duas extremidades da praia — e quando a maré sobe, cobre a faixa de areia que possibilitaria a passagem. Quem está hospedado no Espelho (ou vem passar o dia) chega à praia pelo lado de Curuípe. Quem está no condomínio do Outeiro também pode vir pela praia do Outeiro, do outro lado.

A praia também recebe a visita de lanchas vindas de Trancoso, Arraial ou Caraíva.

Praia do Outeiro

Praia do Outeiro das Brisas

O condomínio do Outeiro das Brisas não ocupa apenas o alto da falésia. O loteamento se estende até uma praia à esquerda (norte) da falésia: a Praia do Outeiro. Ali há casas, bangalôs e o clube de praia do Outeiro — com piscina, estrutura de praia e restaurante, exclusivo para condôminos. (Algumas casas de temporada oferecem passes para seus hóspedes, por uma pequena taxa.)

Para quem não está hospedado no Outeiro, o acesso a essa praia é apenas pela areia ou por lancha. Na maré baixa, dá para vir caminhando da praia de Curuípe (passando pela praia dos Amores).

Voltar | Topo

Onde comer na Praia do Espelho e Outeiro das Brisas

Todas as pousadas têm restaurantes que atendem aos hóspedes. Podem atender também a não-hóspedes, medidante reserva.

Fora de pousadas, estes são os restaurantes mais recomendáveis:

Restaurante da Silvinha (Praia do Espelho)

Restaurante da Sylvinha

A paulistana Sylvinha Calazans Luz freqüenta o Espelho desde 1994, quando morava em Trancoso e escapava com sua família — o então marido Calá e a filha Mel — para fins de semana de praia e mato, sem turistas por perto. Em 1998 abriu seu pequenino restaurante, escondido pela vegetação, junto à beira do riachinho que dá na praia. Ali passou a servir almoço para os afortunados que sabiam o caminho (até então, praticamente secreto) do paraíso. 20 anos depois, chegar ao restaurante continua uma aventura: não há placas nem estacionamento próximo. É preciso vir pela praia (ou pela pousada Calá & Divino) e seguir pela beirada do riachinho até encontrar casa-esconderijo da cozinheira.

A única mudança é que agora você pode (minto: precisa) reservar pelo celular, com pelo menos um dia de antecedência. Não há cardápio: Sylvinha vai trazer sua versão de papadum (pão-folha indiano), o peixe do dia (normalmente, num delicioso molho à base de nam pla tailandês) e inúmeros acompanhamentos (arroz, lentilhas, legumes, quem sabe cuscuz marroquino, chutney, purê…). Custa R$ 140 por pessoa (+ bebidas). Leve cheque ou dinheiro. Antes e depois do pequeno banquete você pode descansar nas espreguiçadeiras, redes e sofás do jardim e do salão.
Restaurante da Sylvinha | Praia do Espelho | Tel. (73) 99985-4157 | Instagram

Calá & Divino (Praia do Espelho)

Restaurante da Praia: Calá & Divino

Se você quiser terminar o seu dia na praia com uma moqueca inesquecível, dirija-se ao canto direito. Ali, no restaurante de praia da pousada Calá & Divino, entregue-se ao talento de Dona Neide, cujas moquecas, bobó e polvo provocam uma romaria entre os bacanas que moram no Outeiro das Brisas.
Bar de Praia Calá & Divino | Praia do Espelho | Tel. (73) 99981-9500 | Instagram

Bistrô do Oswaldo (Outeiro das Brisas)

Bistrô do Oswaldo, Outeiro das Brisas, Praia do Espelho

O elegante Bistrô do Oswaldo é o epicentro da vida social no condomínio. Localizado em frente à Pousada Outeiro, funciona também como empório de ingredientes finos e bebidas (e, na temporada, de carnes nobres). O bar e o restaurante abrem o ano inteiro. Comece com uma bruschetta ou uma burrata, prossiga com o bife de ancho, o peixe com purê de banana ou o talharim com frutos do mar (ou quem sabe com um prosaico estrogonofe). Encerre com o sublime cake de tapioca brûlé, com licuri, geléia de mangaba e sorvete de cajá.
Bistrô do Oswaldo | Outeiro das Brisas | Tel. (73) 99931-2131 | Instagram

Pizza da Leide

A Leide funciona como mercadinho e, à noite, mata a fome de pizza de quem está no Outeiro.
Pizza da Leide | Outeiro das Brisas | Tel. (73) 99957-7788.

Voltar | Topo

Passeios aos arredores

Pela dificuldade de acesso, a Praia do Espelho costuma ser a escolha de quem quer relaxar pé na areia (muitas vezes, fuciona como as “férias das férias” — aqueles dias que você passa inerte à beira-mar depois de uma temporada de saracoteio).

Caso você queira calibrar seus dias de repouso com alguns passeios, dá para programar visitas aos vilarejos de Caraíva e Trancoso (em dias alternados, bem entendido).

Bate-volta a Caraíva

Beira-rio de Caraíva

Dos vilarejos do Sul da Bahia, Caraíva é o que melhor conserva a rusticidade original. Você chega de canoa. As ruas são de areia e por elas não passam carros nem bugues. Depois do dia de praia, a vida se transfere para a beira-rio, que se torna a via do footing.

A praia em Caraíva não está à altura das praias do Espelho. Na maior parte do tempo, o mar está turvo, por conta de sedimentos trazidos pelo rio. Mas em épocas de estio prolongado, as águas podem ganhar um azul-claro lindíssimo. O banho mais gostoso é justamente no encontro do rio com o mar, onde os barraqueiros instalam charmosas tendas no lugar de guarda-sóis.

Um programa diferente é fazer o bóia-cross rio abaixo. E é bom saber que ir a Caraíva e não comer um pastel no Bar do Pará, à beira-rio, é como ir a Roma e não receber a bênção daquele famoso torcedor do San Lorenzo.

Leia também sobre as praias de Caraíva.

Do Espelho a Caraíva de carro ou táxi

De carro, são 23 km até estacionamento de Caraíva, em estrada de terra. A viagem leva uns 40 minutos. O estacionamento custa entre R$ 15 e R$ 20. Há a cobrança de uma taxa de conservação (opcional) de R$ 10. A travessia de canoa, R$ 5 por passageiro em cada sentido.

De táxi dá para negociar a ida, com espera e volta, por R$ 300. Só ida, R$ 200.

Espelho-Caraíva a pé

Da Praia do Espelho a Caraíva, pela beira da praia, são 9 km, que dá para percorrer numa caminhada de 3 horas por praias quase sempre desertas. Prefira ir na maré baixa, para pegar terreno mais plano e areia mais dura. Na maré alta será preciso fazer parte do trajeto por cima da falésia. Veja como consultar a tábua das marés.

Entre 1h30 e 2h depois de sair do Espelho você chegará à praia do Satu, onde haverá bares de praia. Vale a pena parar ali (a praia é melhor do que a de Caraíva). De lá são 45 minutos de caminhada até a foz do rio Caraíva, onde haverá canoas a postos para fazer a travessia (R$ 5 por pessoa).

Levar água é fundamental. E para sua segurança, faça esse passeio em grupo. Há longos trechos ermos.

Um taxista em Caraíva cobrará R$ 200 para trazer você de volta ao Espelho. Mas o melhor é já sair com um traslado de volta combinado (sua pousada ajuda você nisso).

Bate-volta a Trancoso

Quadrado de Trancoso

O condomíno Outeiro das Brisas foi inspirado em Trancoso. Nada mais natural que querer dar um pulinho até a fonte de inspiração.

As praias de Trancoso não são páreo para as do Espelho. Mas se você fizer questão de incluir praia no seu dia, escolha entre o canto esquerdo da Praia dos Coqueiros ou a muvuquinha da Praia do Rio Verde. Se preferir investir o dia numa praia ‘particular’ (ou quase), consiga uma reserva no restaurante Praia das Tartarugas (entre o Rio da Barra e o Club Med).

Um jeito diferente de passar o dia chegar a Trancoso na hora do almoço, com uma reserva confirmada no Floresta, um restaurante montado em meio a um seringal.

A razão maior de visitar Trancoso, porém, é visitar o Quadrado, a praça mais carismática do Brasil (leia sobre ela aqui). O ideal é chegar no fim da tarde e sair só depois do anoitecer.

Do Espelho a Trancoso de carro ou táxi

De carro, são 25 km — dos quais, 20 km em estrada de chão. A viagem vai levar uns 45 minutos em cada sentido.

De táxi espere pagar R$ 350 pelo passeio incluindo ida, espera e volta. (Se for apenas o trânsfer de ida, dá para fechar por R$ 200.) Sua pousada terá motoristas de confiança.

Espelho-Trancoso a pé

De Curuípe até a Praia dos Coqueiros em Trancoso, pela beira da praia, são 16 km, que dá para percorrer numa caminhada de 4 a 5 horas por praias quase sempre desertas. Como outras caminhadas no sul da Bahia, a aventura só dá certo se for feita na maré baixa, para conseguir atravessar o Rio dos Frades. Saia do Espelho quando faltarem duas horas para o nível mínimo da maré — assim você passar pelo Rio dos Frades no momento em que o rio vai estar mais baixo. Veja como consultar a tábua das marés.

Levar água também é fundamental. E para sua segurança, faça esse passeio em grupo. Há longos trechos ermos.

Um taxista em Trancoso cobrará R$ 200 para trazer você de volta ao Espelho. Mas o melhor é já sair com um traslado de volta combinado (sua pousada ajuda você nisso).

Voltar | Topo

Passagens mais baratas para Porto Seguro no Kayak

Encontre sua pousada na Praia do Espelho no Booking

Encontre sua casa de temporada na Praia do Espelho no Booking

Alugue carro em Porto Seguro na Rentcars em até 10 vezes

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Trânsfers e passeios em Praia do Espelho com a Easy Travel Shop

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.