Rota Ecológica

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

A boa mesa é uma característica da Rota Ecológica. Muitas pousadas incluem o prato principal de uma refeição na diária. A outra refeição do dia pode servir de pretexto para dar uma olhada em outro ponto da região -- ou visitar outra pousada.

A novidade de 2015 é que está mais fácil comer fora das pousadas. Mais restaurantes e bares estão abrindo, acompanhando o crescimento no número de pousadas e o interesse pela região.

Caso queira almoçar ou jantar em outra pousada, porém, você vai precisar reservar previamente, ou não será atendido. (A exceção é o restaurante da Estalagem Caiuia, que atende passantes sem stress -- mas mesmo nesse, vale a pena reservar.)

Fora das pousadas

De sul a norte:

Marceneiro

Funcionando apenas durante os dez dias do réveillon Milagres, o Bar da Praia tem uma praça de alimentação com ceviches do Wanchako, comida mediterrânea do Sabatelli e sushis. Abre ao meio-dia. A praça fica nos fundos do lounge e tem entrada gratuita (mas para entrar no lounge em frente é preciso pagar uma pulseirinha de R$ 50). Fica no canto direito da praia (pegue a entrada principal da praia do Marceneiro e siga as placas à direita, seguindo rente ao muro até o estacionamento).

Ali pertinho, no povoado do Marceneiro, abriu um lugar de hamburger e hot-dog, com cara de hambugueria de cidade: o Santo Burger.

Toque

Escondidinho no caminho entre a estrada e as pousadas Amendoeira e Casa Acayu, o No Quintal é um bistrozinho gostoso, com mesas realmente dispostas no quintal. O casal Lucas e Renata Nogueira prepara comida praiana-nordestina criativa, com ingredientes locais. Funciona para almoço e, na temporada, para jantar. Reservar é essencial: tel. 82/9910-7078.

Porto da Rua

Enildo, Porto da Rua

Bar do Enildo

Na categoria almoço-na-praia-sem-gastar-os-tubos, o mais bacana da Rota é o Restaurante do Enildo (tel. 82/3295-1310), com ótimos caldinhos, tira-gostos, peixes e moquecas (e um atendimento bem profissa) ao lado da pracinha da beira-mar de Porto da Rua.

No canto direito do vilarejo fica outro endereço de boa comida caseira, o Restaurante da Simone (antigo Tibiro), com ênfase em frutos do mar.

Por ali, abriu em 2015 o bem-montado Eco Restô e Pizzaria, com pastéis gorduchos de camarão (sem vento!), um cardápio eclético no almoço e no jantar e pizzas de massa beeeem fininha à noite. Tel.: 82/9802-6830.

Na pracinha principal do povoado, outra novidade: a creperia Porto dos Milagres. No almoço, trem pratos do dia (arroz de polvo, frango ao curry). À noite serve apenas crepes salgadas e doces (adorei a de creme de pastel de Belém).

Caminhando pela areia na direção esquerda, o Luna Bar (tel. 82/3295-1579), que ganhou uma super-reforma no verão de 2015. Entre os petiscos estão nachos e tacos (um dos donos é mexicano). Funciona à noite também (mas não em todas as noites; ligue para confirmar o funcionamento).

Na rua de trás do povoado, o Manzuá abre para jantar de 4ª a domingo (tel. 82/3295-1214).

Laje

Guacamole de aratu, Uí Bistrô

Ui Bistrô

Aberto em meados de 2014, o Uí Bistrô. Fica na ruazinha de acesso à Aldeia Beijupirá, cujos donos também são sócios, mas funciona de maneira independente da pousada. Abre para almoço e jantar. A cozinha está sob o comando da jovem chef Maria Claudia Schaefer, formada pelo Cordon Bleu. Não perca a guacamole de aratu com chips de tapioca. Está temporariamente fechado. Abre de quinta a sábado para almoço e de quinta a terça para jantar. Tel.: 82/3298-6523.

Balai de Gato

Balai de Gato

Vizinho de muro do Uí fica outra bem-vinda adição à cena gastronômica: o bar Balai de Gato. Mesmo longe da praia, a cenografia é totalmente praiana: você senta em cadeiras de praia sob ombrellones e pede caipiroskas, caldinhos e espetinhos. (Em vez de areia, porém, você pisa num bem-cuidado gramado.) Tem tudo para virar um dos points mais divertidos da Rota. Abre às 18h30 (tel.: 82/3298-6500).

Beija-Flor

Beija-Flor

Na vila da Laje, na saída para Porto de Pedras, o Beija-flor funciona numa bonita casa reformada. Prepara sanduíches transados e saladas, servidos com caipiroskas feitas em potes. Abre de 3ª a domingo das 15h às 21h.

Praia do Patacho

Inagurado no fim de 2014, o Cokoloco é um restaurante que também funciona como day-use: pagando R$ 50 por cabeça, dá para usar a piscina e pegar praia no Patacho. Tel.: 82/9179-8882.

Porto de Pedras

Há pelo menos 15 anos, a Peixada da Marinete é sinônimo de boa cozinha regional. Fica na vilarejo de Porto de Pedras, no acesso à praia do centro. Tel.: 82/9133-1430.

Japaratinga

A Praia das Bicas tem vários restaurantes com vista para o mar; o mais tradicional é a Cia. da Lagosta (tel. 82/3297-1271). Na orla de Japaratinga, vá ao Mama Pereira (tel. 82/3297-1222).

Nas pousadas

Estalagem Caiuia

Estalagem Caiuia

O restaurante de pousada mais receptivo a não-hóspedes é o da Estalagem Caiuia, em Japaratinga, craque em massas, peixes e frutos do mar. De todo modo, na temporada é recomendável reservar, porque a procura é grande. Tel.: 82/3297-1381.

Beiijupirá

Beijupirá (apenas para hóspedes da Aldeia Beijupirá)

Nas outras pousadas, a confirmação da reserva dependerá do nível de ocupação. Na temporada, o número de mesas disponíveis para não-hóspedes será bem reduzido; marque com antecedência. O restaurante da Aldeia Beijupirá não abre para não-hóspedes (mas agora a pousada é sócia de um ótimo restaurante externo, o Uí Bistrô; veja acima).

As pousadas da praia do Toque têm ótimos restaurantes, que exprimem a personalidade de cada pousada.

Toque Sushi

Toque Sushi

Na Pousada do Toque, o dono-chef Nilo Bulgarelli prepara um peixe na panela de ferro sobre leito de batatas, tomates e cebola ao azeite que é um espetáculo. O almoço pode ser no restaurante da praia (o mais charmoso de toda a Rota!), com vista para o mar; o jantar é no restaurante interno, sem vista. Há também um sushi bar, que funciona só à noite. Não perca as sobremesas (pergunte pela mousse de coco verde). Tel.: 82/3295-1127.

Casa Acayu

Casa Acayu

A especialidade do restaurante da Casa Acayu (antiga Pousada do Caju) é um bacalhau com legumes feito de um jeito que não se encontra nem em Portugal, a terra dos donos José Carlos e Alírio. Com mesas no jardim, o restaurante fica ainda mais gostoso no jantar. Tel.: 82/3295-1103.

Pousada da Amendoeira

Pousada da Amendoeira

A cozinha da Pousada da Amendoeira emana a good vibe dos donos Gessy e Tsachy, com pratos à base de pescados frescos, grãos integrais, verduras e legumes orgânicos. Tudo saudável, criativo, gostosíssimo e super bem-apresentado. Tel.: 82/3295-1213.

Já na Côté Sud, em Porto da Rua, a chef (e proprietária) Corinne Vard não se limita a ter uma horta própria: cria seus próprios patos e galinhas. Os pratos sempre têm um toque francês, na elaboração e na apresentação. O restaurante é bonito de dia, com a vista para o jardim e seus coqueiros, e charmoso à noite. Tel.: 82/3295-1283.

Xuê

Xuê

No quesito credenciais, é difícil bater o italiano Guido Migliorini, que comanda o restaurante da Pousada Xuê, na Praia do Patacho. Antes de se estabelecer na Rota, o chef passou por D.O.M. e Emiliano, em São Paulo. Os pratos tratam ingredientes locais com leveza, como o tartare de abacate e lagostim e o peixe grelhado com banana da terra e molho cremoso de castanha de caju. (A mousse de chocolate com flor de sal é um desfecho perfeito.) Tel.: 82/9103-9909.

Pousada Patacho

Pousada Patacho

Desde o verão de 2014, a charmosésima Pousada Patacho atende não-hóspedes, medidante reserva. O cardápio é da chef Patricia Possas -- que pode também, a pedido, montar um menu-degustação surpresa para ocasiões especiais.

Um pouco antes da vila de Japaratinga, a Pousada do Alto, vale muito a tentativa de reserva: os pratos são sofisticados e o acompanhamento é inigualável: a mais linda vista de toda a Rota (reserve para o almoço). Tel.: 82/3297-1210.

Maragogi

Tuyn

Tuyn (Praiagogi)

Um passeio a Japaratinga também pode muito bem culminar com um almoço numa das duas pousadas da ponta sul de Maragogi que compartilham do mesmo espírito das pousadas da Rota. A Praiagogi tem o Tuyn, onde o chef holandês Sandrijn van Hoof encontra (com grande êxito) pontos de contato entre as culinárias nordestina e do sudeste asiático (tel. 82/3296-1206). Na Camurim Grande, quem comanda as panelas é a fluminense Mara Cardoso, há dez anos a chef mais aclamada de Maragogi. Se tiver lagosta, peça (tel. 82/3296-2044).