Duas princesinhas a bordo do Disney Fantasy (por Paula Bicudo) 1

Duas princesinhas a bordo do Disney Fantasy (por Paula Bicudo)

Disney Fantasy

A querida Paula Bicudo acaba de voltar de um cruzeiro no Disney Fantasy com suas duas princesinhas e a mommy. Ela mandou um email pra Redação perguntando se a gente estaria interessado num relato. Claro! Pois bem: a Paula não mandou um relato — mandou um verdadeiro dossiê com tudo o que você pode querer saber sobre o Disney Fantasy — estrutura, atividades, paradas, procedimentos de reserva, embarque e desembarque — e mais um punhado de coisas que nem tinha passado pela sua cabeça perguntar. Obrigadíssimo, Paula! Ficou sensacional! [Riq]

Texto e fotos | Paula Bicudo

Disney Fantasy: quando os iniciados em Disney ouvem essas palavras, já abrem um sorriso. Eu nem entendia isso muito bem. Mas isso foi antes de embarcar no mais novo cruzeiro da Disney, o Fantasy, em janeiro, na companhia da minha mãe e das minhas duas filhas, de seis e três anos. Ao desembarcar, entendi tudo.

Eu já havia viajado com as meninas para Orlando duas vezes e ficado hospedada dentro do Walt Disney World Resort; portanto, imaginava já ter vivido a “experiência Disney” em toda a sua plenitude. Eu estava errada.

A escolha pelo cruzeiro foi absolutamente racional: eu viajaria com duas crianças e uma senhora e por isso precisava de uma viagem que não tivesse complicações potenciais (ou seja, exerci meu direito ao maior “damage control” possível).

Fiz a reserva pela internet mesmo, no site da Disney Cruise Line, para um cruzeiro de 5 noites no Disney Wonder, o menor navio da linha, saindo de Miami. Cerca de um mês depois, recebi um e-mail da Disney, dizendo que aquele cruzeiro tinha sido cancelado e que eu teria 30% de desconto num novo cruzeiro ou todo dinheiro pago devolvido na íntegra. Optei por um novo cruzeiro, que faria um itinerário diferente do original, mas sairia apenas um dia depois do outro; esse com 7 noites. Com o desconto, consegui um preço ótimo, numa cabine com varanda, num deck alto, no melhor navio da Disney, além de duas noites a mais. Ou seja, o anjo da guarda dos viajantes existe e me mandou lembranças.

Disney Fantasy

[Disney Fantasy]

O Fantasy, ao contrário do Wonder, sairia de Port Canaveral, a cerca de uma hora de Orlando. Pequeno reajuste nos planos, pois nossas passagens eram até Miami, mas nada que não fosse possível solucionar.

–> LOGÍSTICA E EMBARQUE

O Fantasy é o maior e mais novo navio da Disney, e fez sua primeira viagem em 2013. Faz apenas itinerários pelo Caribe e só sai de Port Canaveral. Percorre a cada 7 dias o Caribe Oeste (Cozumel, Costa Maya, Grand Cayman e Castaway Cay) e o Caribe Leste (St. Marteen, St. Thomas/St. John e Castaway Cay), com algumas variações de portos de parada durante o ano. Embarcamos no cruzeiro que faria o Caribe Leste.

Optamos por viajar de carro desde Miami no dia anterior, devolver o carro alugado, dormir em Port Canaveral e no dia seguinte, pegar um shuttle do próprio hotel. Escolhemos o Radisson At The Port, que fica a 5 minutos do porto. Para quem vem de Orlando, que é mais perto, pode vir dirigindo no dia do cruzeiro, deixar o carro nas locadoras em Port Canaveral e as próprias locadoras têm shuttles gratuitos até o porto. Outra possibilidade é contratar o shuttle da própria Disney Cruise a partir do aeroporto de Orlando (para vôos que chegam pela manhã) ou a partir dos hotéis do complexo Disney World.

O embarque começa por volta das 11h da manhã e termina 15h45h Dentro dessa janela de tempo, você pode marcar previamente online um horário para embarque , mas se chegar fora desse horário, não haverá muita burocracia.
O terminal de passageiros da Disney é separado, super organizado e se você fizer check in online antecipadamente, os trâmites nos guichês são bem rápidos. A família toda se identifica, tira uma foto e recebe um cartão chamado “Key to the World” que será sua identificação pelo resto da viagem.

Festa de abertura

[Festa na chegada]

No momento do embarque no navio, seus documentos são conferidos novamente e ao pisar no convés, você já descobre que a viagem será divertida, ao escutar um sonoro “Welcome, Bicudo family”, no meu caso.

–> O NAVIO

Saguão principal

[Saguão principal]

As dimensões do navio assustam: são 14 decks e capacidade para 4.000 passageiros, com tripulação de quase 1.500 pessoas.

Vão central

[Vão central]

A vida no cruzeiro acontece no deck 3, onde há o hall principal e nos decks 11, 12 e 13, onde há bares, restaurantes e piscinas.
As cabines são excelentes e acomodam muito confortavelmente 4 pessoas. Elas são “transformadas” durante o seu horário de jantar, e camas saem de algum lugar mágico.

CabineCabine

[Cabine]

Há vários restaurantes a bordo, cada um com uma característica: o Cabanas, no deck 11, com serviço de buffet de café da manhã e almoço, para refeições mais informais; o Royal Court, Enchanted Garden e o Animator’s Palate, todos com serviço à la carte, nos quais dois grupos de passageiros se dividem para jantar (o das 18h15 e o das 20h15). Portanto, no primeiro ou no segundo grupo, a cada dia, jantamos num local diferente, com os mesmos garçons durante todo o cruzeiro. Jantar com entrada, prato principal e sobremesa, inclusive para os pequenos e com diversas opções deliciosas. Para os adultos, e apenas para estes, há mais dois outros restaurantes, o Palo e o Remy, que exigem reserva, pagamento adicional e paletó para os homens. Não conheci. E por fim, há uma lanchonete no deck 11, servindo hamburgers, nuggets, sanduíches e sorvetes o dia todo. Toda a alimentação é inclusa no pacote do navio, menos os jantares no Palo e no Remy, as bebidas alcoólicas e  água mineral pedida nas cabines. As bebidas alcoólicas são bem caras: uma cerveja Bud custa 6 dólares, e um drink do dia, 10 dólares, mais a “tip”.

Enchanted Gardenárea molhadaPiscina

[Enchanted Garden | Área molhada | Piscina principal]

Piscina crianças

[Piscina-tanquinho dos pequenos]

As piscinas foram o ponto negativo do navio, porque absolutamente não comportam os 4.000 passageiros. São quatro piscinas no total, uma para crianças bem pequenas no deck 12, que mais parece um tanque; uma só para adultos, com menor densidade demográfica; e duas maiores no deck 11, para crianças e adultos, uma mais funda e outra mais rasa, ambas superlotadas. Evitei o quanto pude. Além das piscinas, há as áreas molhadas para a criançada, nas quais a é diversão garantida, sem a superlotação das piscinas.

AcquaDuck

AcquaDuck

[AquaDuck]

O AquaDuck, um toboágua que circunda o convés, é a grande sensação do navio, mas as filas são bem grandes o dia todo e crianças pequenas só podem andar com um adulto.

O “clubinho” (Oceaneer Club e Oceaneer Lab) é praticamente um parque de diversão “indoors”. As crianças precisam ser inscritas e recebem uma “magic band” — que, quando escaneada, mostra a foto dela e dos pais. Depois dessa inscrição, elas podem entrar no clubinho sempre que quiserem e lá rolam atividades o dia todo, até as 22h. As crianças só saem de lá na companhia de um dos pais ou de uma pessoa responsável, após o uso de uma senha. Ou seja, nem precisava ser tão seguro. Só lembrando que há a barreira da língua para nós brasileiros: a maioria das brincadeiras e atividades promovidas nos clubinho é realizada em inglês e os monitores falam principalmente inglês (alguns, espanhol); e algumas crianças pequenas podem se sentir inseguras sem os pais e sem conseguir se comunicar. Adultos não são permitidos dentro do espaço, acompanhando os filhos.

Os adultos e adolescentes têm espaços próprios como bares e boates específicos.

–> A PROGRAMAÇÃO

Princesa Tiana

[Com a Princesa Tiana]

Mesmo os dias no mar são muito intensos: a programação começa cedo, com encontro com personagens diversos da Disney, inclusive alguns que não são muito freqüentes nos parques, como o Dunga, o Capitão Gancho, a Princesa Tiana, a Princesa Ana do Frozen, além do Capitão Jack Sparrow, que é figurinha carimbada no navio. A criançada ama, e as filas para autógrafo e foto são grandes.

MinieBuzz

[Com Minie e Buzz Lightyear]

Há muitas das chamadas atividades para famílias, das quais pais e filhos participam: aulas de culinária e aulas de escultura em toalhas com a equipe que cuida das cabines (toda noite há uma escultura diferente na cama). Há karaokês noturnos e diversas outras atividades com e sem personagens durante todo o dia, das quais você é informado pelo jornal da programação, deixado na sua noite anterior ou através do app Disney Cruise Line, que funciona com a rede interna do navio.

Todos os dias, há um show diferente. Show é modo de dizer: um mega espetáculo nos moldes da Broadway, em três horários diferentes, respeitando os dois horários do jantar, para que todos possam assistir. Novamente, o modo Disney de fazer entretenimento. Perfeito e mágico.

Festa dos piratas

[A autora e uma de suas piratinhas]

Festa do pirata

[Festa do Pirata]

E há a famosa e esperada festa do Pirata, na quarta noite de cruzeiro, no deck da piscina, para qual todos os passageiros (eu disse todos, de todas as idades), se vestem de piratas, com fantasias requintadas. E quem não tem fantasia, pode usar os lenços de pirata que são deixados na sua cabine. No deck da piscina, rola uma apresentação do Jack Sparrow contra outros piratas, um show de fogos (os navios da Disney parece que são os únicos com autorização para soltar fogos em alto mar) e depois uma baladinha para as crianças. É super animada e todo mundo entra no clima. E não adianta torcer o nariz…pegue sua espadinha e vá a luta!

Outra atração super divertida é o jogo de detetives: a gente pega o “caso” no deck 5, e percorre o navio inteiro à  procura das pistas nos quadros interativos em todos os decks. Pais e filhos percorrem o navio com mapas em todas as horas do dia e da noite. E crianças pequenas precisam de ajuda no inglês.

–> AS PARADAS

.

Eu nunca havia pisado no Caribe, e é claro, as paradas do navio são apenas aperitivos para que vejamos as ilhas e desejemos voltar com calma em uma outra oportunidade.

Cerca de 45 dias antes do seu cruzeiro, que precisa estar inteiramente pago nessa ocasião, você pode começar a reservar as atividades nas paradas. Todas as atividades são feitas por agências locais e debitadas na sua conta do navio, no check out.
Eu recomendo fortemente para quem viaja com crianças que reserve os passeios com antecedência e priorize atividades que envolvam praia. Aventuras aquáticas, snorkel, passeios de barco e city tours não fazem muito a cabeça das crianças, principalmente as mais novas, além de serem bem mais caras. Ninguém precisa mais do que um dia de praia com areia branquinha e mar azul para ser feliz. E nos passeios de praia, normalmente nos levam para beach clubs, com toda a infra-estrutura de praia (européia e americana, não espere a “experiência de praia brasileira”).

Porto de St. Maarten

[Porto de Philipsburg, St. Maarten]

Se você estiver sem crianças, nem precisa comprar os passeios. Pode alugar um táxi nos portos mesmo, um até mesmo um carro. Os portos onde os grandes navios de cruzeiros param nessas ilhas do Caribe são planejados para isso, sem causar tanto impacto nas ilhas como em Fernando de Noronha. O “porto” na verdade, é um lindo shopping a céu aberto; especializado em joalherias com Bulgari e Tiffany’s em St. Marteen e em lojas de alto luxo como Louis Vuitton e Gucci em St. Thomas.

Porto de St. Thomas

[Porto de St. Thomas]

Me parece que os preços desses itens são menores nas ilhas, porque não há incidência de impostos como nos EUA, por exemplo, mas como não adquiri nenhum artigo de luxo, não saberia dizer com certeza. [N. da R.: sim, Paula, é isso mesmo! Jóias, perfumes e roupas de grife são os artigos que valem a pena comprar no Caribe!]

Orient Bay

Orient Bay

[Orient Bay/Baie Orientale, St.-Martin]

Paramos em St. Marteen, que é uma ilha linda, francesa e holandesa, com ocupação e culinária creole, muito interessante para ser curtida numa próxima visita. Passamos um lindo dia no beach club em Orient Bay, no lado francês, com toda a mordomia possível.

St. ThomasSt. Thomas

[St. Thomas]

St. John

[St. John]

Em St. Thomas, pegamos um barco até St. John. St.John e St.Thomas pertencem às Ilhas Virgens Americanas e são as ilhas mais bonitas onde já estive. St.Thomas é mais “jetsetter/milionários do mundo”, com seus mega iates e St. John, menor, mais rústica, com uma vegetação que lembra a nossa Mata Atlântica e água azulzinha do Caribe. Dois outros lugares para os quais pretendo voltar, porque as paradas de Cruzeiro tem essa finalidade: te mostrar lugares que você vai querer voltar e ficar.

Castaway Cay

Castaway Cay

[Castaway Cay]

A terceira e última parada é Castaway Cay, a famosa “ilha da Disney”. Na verdade, é uma pequena ilha do arquipélago das Bahamas, na qual moram apenas 30 pessoas que fazem parte do cast da Disney Cruise Line e cuidam da infra-estrutura de lazer montada para que os passageiros dos navios da Disney tenham uma linda experiência de praia nessa parada. Água da cor das Bahamas (azul claro), areia branquinha, aluguel de snorkel e nado com arraias são algumas das atrações que nos esperam por lá.

Castaway Cay

[Castaway Cay]

Há na ilha duas praias para famílias, uma apenas para adolescentes e uma exclusiva para adultos, todas interconectadas por um simpático trenzinho, no melhor estilo Disney de ser. Nas praias familiares há brinquedos aquáticos, aluguel de jet skis e outros tantos equipamentos para esportes aquáticos, mas a grande diversão é ficar o dia todo no mar. O nado com arraias é bem legal, mas pode assustar crianças pequenas, como assustou a minha.

Castaway Cay

Lagosta

[Servido?]

Há quiosques de sorvete, uma lanchonete e um restaurante que serve um churrasco no estilo americano, além de lojinhas e um posto de correio. E os personagens Disney circulam em trajes praianos, posando para fotos. Te parece muito fake? Na verdade é sim, mas é muito divertido. Eu encarei como um dia de praia, na praia mais bonita que já conheci, com toda a infra-estrutura possível. De novo, fui abduzida pela magia da Disney.

–> O DESEMBARQUE

O dia seguinte a Castaway Cay é o dia do desembarque, como se a parada na ilha fosse o ápice do cruzeiro. E é. Novamente, tudo muito tranqüilo e organizado: vocês faz suas malas na noite anterior, mantendo apenas os itens de higiene pessoal e uma troca de roupas pra o dia seguinte, e as deixa para fora da cabine entre 20h e 22h. Elas desaparecem misteriosamente em segundos e só voltam a aparecer já desembarcadas, em setores divididos por cores/personagens, após sua saída do navio, na manhã seguinte.

Os dois grupos do jantar são divididos para o café da manhã, e um deles faz a refeição às 6h15 e o outro, às 8h15. Às 9h30 todos os passageiros tem que estar desembarcados, para que recomece o embarque de um novo grupo às 11h30 — dessa vez, para o Caribe Oeste. Juro que tive vontade fazer meia volta e “re-embarcar”.

Há carregadores que te ajudam com as malas, claro, mediante a um pagamento de “quanto você quiser”. A passagem pela imigração de volta aos EUA é muito tranqüila, rápida e simpática.

Novamente, se você pretende ir para os parques de Orlando ou para o aeroporto, há ônibus em locais determinados fora do terminal. Como nós havíamos alugado um carro pra voltar pra Miami, pegamos o shuttle gratuito da locadora até o seu escritório, já na cidade de Port Canaveral.

Tudo muito simples, rápido e fácil. Meu plano de “damage control” funcionou perfeitamente. Recomendo fortemente essa viagem para quem quer se divertir com os filhos sem passar perrengue nenhum. E mais uma vez, o Mickey roubou mais um pedacinho do meu coração.

–> DICAS EXTRAS
PiratinhaCastaway CayPrincesa Ana

[Festa do Pirata | Castaway Cay | Com a Princesa Ana]

* Não há wifi no navio, apenas uma rede interna para o uso do app, que funciona com os celulares no modo avião. Pode-se contratar um plano de Internet via satélite, cujos preços começam em 55 dólares por 100 minutos. Preferi ficar offline. Afinal, estava de férias.

* As “tips” ou gorjetas são salgadas, já que os mesmos garçons te atendem por todo o cruzeiro, durante o jantar. Eles são sempre muito amáveis e educados, inclusive com as crianças, e até nos afeiçoamos a eles. A Disney faz um pré-débito no seu cartão de crédito de cerca de 4 dólares por pessoa por dia para os dois garçons e para o seu cabineiro e te manda esse pré-pagamento para que você autorize e entregue aos respectivos, em envelopes. Caso não concorde com o valor, deve ir ao atendimento ao passageiro, no Deck 3 e pedir alteração dos valores.

* Leve um documento com foto, pelo menos para os adultos, que não seja o passaporte: nos portos, para reembarcar no navio, você precisa mostrar sua “key to the world” para as autoridades locais, assim como um documento com foto. E não é recomendável andar com o passaporte por lá.

Aquaduck

[AquaDuck]

Divirta-se muito, porque no cruzeiro, mais do que nos parques, há diversão garantida para todas as idades.E como diria o Mickey: “Have a magical trip, I hope to see you very soon”

Leia mais:

48 comentários

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.