Não falo inglês. Posso viajar ao exterior mesmo assim?

Placa em papiamento, em Curaçao

Volta e meia essa pergunta aparece aqui no site. Às vezes o inglês vem substituído por espanhol ou francês, mas a origem da preocupação é a mesma.

Dominar um idioma — arranhar também já vale — ajuda muito quando você viaja ao exterior. No entanto, não falar línguas não é impedimento para fazer nenhuma viagem.

O que não falta por aí é gente que viaja só com a cara de pau e a mímica, e volta com histórias deliciosas para contar. É preciso desprendimento e um certo espírito de aventura, mas na imensa maioria das vezes tudo dá certo. O turismo é a maior indústria do planeta, e você vai se surpreender com as maneiras com que você vai ser ajudado.

Minhas recomendações para você encarar uma viagem ao exterior mesmo sem saber nada de gringuês:

1. Vá com tempo sobrando

Nada de agenda cronometrada. Você precisa ter tempo de cometer uma ou outra mancada e refazer a operação. Viajar slow diminui a tensão e dá a chance de você superar o pânico inicial.

2. Estude o destino antes de viajar

Leia tudo o que puder sobre o destino. Faça Google Maps com os seus objetivos de cada dia. Leve guias de bolso do destino junto com você. Serão seus guias em português.

3. Comece por lugares fáceis

É mais fácil aprender os macetes das viagens internacionais em destinos simples de ser entendidos. Vá a Buenos Aires (com passaporte, não com RG). Faça sua primeira viagem a Europa em Portugal ou na Espanha — Itália, quem sabe. A Flórida é um lugar onde você vai estar sempre a dois passos de alguém que fale espanhol. No Caribe de fala espanhola (Cancún, República Dominicana, Cuba), além de Aruba e Curaçao, não há barreira da língua. Tudo o que você experimentar nessa viagem de iniciação terá utilidade em lugares onde o portunhol não tem uso.

4. Não pense que os outros não pagam mico

Viagem sem ao menos um mico não é viagem. Todo mundo está sujeito a eles — inclusive os que dominam vários idiomas, e podem ser vítimas do excesso de autoconfiança. Leve o bom-humor na bagagem e aprenda a se divertir dos (eventuais) pratos incomíveis ou voltas dadas à toa.

A propósito, lembre-se: a língua internacional das viagens não é o inglês. É o inglês macarrônico!

5. Use e abuse dos postos de turismo e agências de receptivo

Os postos de informação e as agências de receptivo (a recepção do seu hotel representa várias) têm paciência infinita com turistas malversados no idioma local. Os postos de informação estão acostumados a lidar com quem não fala inglês. E os tours organizados são ideais para quando você não tiver tempo disponível para corrigir eventuais erros de percurso.

Leia mais:

118 comentários

Olá, bom dia! Pelo que eu andei lendo, em Roma tem o RomaPass, esse cartão me dá direito a entrar em 3 museus e a andar de ônibus e metrô na cidade toda, durante 3 dias? é verdade? já dá para usar no ônibus ou metrô saindo do aeroporto para o hotel?

aguardo informações, muito obrigado

    Olá, Danilo! Dá pra usar grátis nos dois primeiros museus, mas o Coliseu e o Fórum valem como um museu. O segundo museu normalmente é ou a Galleria Borghese ou o Castel Sant’Angelo. Não é possível usar o Roma Pass nos transportes do aeroporto. O ônibus do aeroporto é particular e o trem não aceita Roma Pass.

Agora meu roteiro está totalmente definido:

Brasília a Lisboa 20 de Outubro de 2012 (4 dias em Lisboa)
Lisboa a Barcelona 24/10 a 28/10 (4 dias em Barcelona)
Lisboa a Paris 28/10 a 03/11 (6 dias em Paris)
Lisboa a Roma 04/11 a 08/11(4 dias em Roma)
Lisboa a Brasília 10 de Novembro de 2012.

Todos os trechos irei fazer de avião saindo de Lisboa, achei passagens super baratas, mais baratas que de trem.

Minha dúvida é: o tempo que vou ficar nessas cidades é satisfatório? 6 dias é um bom tempo para Paris? e em Roma, 4 dias é um bom tempo? dá para ir até veneza nesses 4 dias? O que me sugere fazer em Roma nesses 4 dias?

Abraços e obrigado por nos ajudar!!!!!

Estou montando a nossa primeira viagem para Europa. Sempre adiávamos por não falarmos inglês. Estou pensando no seguinte roteiro:

Munique (temos amigos lá) (4 dias)
Viena (2 dias)
Veneza (2 dias)
Florença (3 dias)
Roma(3 dias)

Munique/Viena(trem)
Viena/Veneza (avião)
Veneza/Florença (trem)
Florença/Roma (trem)

Será que a gente se vira bem ou é melhor garantir e ir com agência e guias?

Tinha pensando em comprar alguns passeios nas cidades, estilo city tour.

Aproveitando o ensejo, acha que essa distribuição de dias está bom, ou devo aumentar em alguma cidade?

Obrigada.

    Olá, Karla! Vai dar tudo certo. O roteiro é factível. Fica mais fluido se você cortar Viena; de Munique dá pra fazer um bate-volta a Salzburgo de trem (1h30).

continuação…. e terie que passar pela imigrração de novo? aí na volta de Roma para Lisboa volto de avião de novo, teri que passar pela imigração de novo? Gente será que vopu conseguir fazer essa viagem sozinho ou o melhor é desistir de tudo e ficar apernas em Portugal??? Me ajudem, sejam sinceros comigo por favor!!!

Muitissimo obrigado a quem puder ajudar…

Abraços

Danilo

    Olá, Danilo! Você só passará pela imigração em Lisboa. Todos os vôos entre países que pertencem à Zona Schengen são domésticos.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.