Paris Museum Pass: não saia de chez vous sem ele

Quai d'Orsay

Se você tem intenção de turistar durante sua temporada parisiense, não há melhor negócio do que fazer um Paris Museum Pass. Dá para contar nos dedos os museus importantes que não estão incluídos no passe (o que faz mais falta é o Jeu de Paume).

Além de proporcionar economia, o Paris Museum Pass ainda dispensa você da fila da bilheteria em todas as atrações. Você só vai precisar enfrentar fila nos lugares onde há controle de raio-X (Sainte-Chapelle e Versailles) ou onde a entrada é controlada e, por isso, lenta (Torre de Notre-Dame).

O passe vem em três versões:

  • 2 dias consecutivos: 48 euros
  • 4 dias consecutivos: 62 euros
  • 6 dias consecutivos: 74 euros

Paris Museum Pass
Qualquer uma das versões já se paga quando você chega no Palácio de Versailles….

Versalhes

… vê a fila de 2 horas que se forma em frente à bilheteria.

Como o ingresso médio de cada atração é de 10 euros (os preços vão dos 11 euros do Museu Rodin aos 18 euros de Versailles), basta comprar as versões de 4 ou 6 dias, e visitar 1 monumento e meio (opa!) por dia, que o seu passe já estará matematicamente pago.

E mais: enquanto estiver na validade, você pode voltar quantas vezes quiser ao seu museu favorito.


Seus filhos não pagam e furam fila com você

    Crianças e adolescentes até 17 anos não pagam entrada em museus nacionais na França. Podem furar fila acompanhando adultos portadores do Paris Museum Pass.

Mas o que eu mais gostei foi que, com o passe na mão, acabei visitando lugares onde não entraria. Estava no meu caminho? Ah, vamos dar uma entradinha pra ver como é que é. Tipo — sem compromisso 🙂

Champs-Elysées

Foi assim que me obriguei a subir no Arco do Triunfo.

PanthéonPanthéonVista do Panthéon

Panthéon

Que vi o pêndulo de Foucault no centro do Panthéon e ainda me encaixei num grupo para subir até o terraço, com uma vista sensacional.

Museu de Artes Decorativas
Que bisbilhotei o Museu de Artes Decorativas, anexo ao Louvre.

Que entrei no Instituto do Mundo Árabe (onde, sem o passe, talvez tivesse apenas subido até o terraço).

Institut du Monde ArabeQuai BranlyInvalides

Depois que você “paga” o passe com as visitas aos museus e monumentos principais, pode considerar visitinhas que encareceriam o seu dia, como a Cité des Sciences ou o museu Quai Branly.

Ou dar uma entradinha num ou outro lugar que não valeria o ingresso avulso, como os Invalides.

LouvreLouvreLouvre

Louvre

Dá para usar o passe de um jeito menos desencanado, claro. Esquartejar o Louvre em três visitas curtas faz muito mais sentido do que rodar feito barata tonta numa tarde só.

Voltar ao seu museu favorito — Beaubourg? Quai d’Orsay? Rodin? — sem pagar nova entrada é um luxo.

Georges Pompidou (Beaubourg)

Só é preciso prestar atenção num detalhe: alguns lugares fecham na segunda (por exemplo: Versalhes); outros, na terça (tipo: o Louvre).

Mesmo se não for a sua primeira visita a Paris, o cartão vale a pena. Porque você fica com vontade de ir a todos os museus que nunca visitou — além de lugares nos arredores, como o centro aeroespacial de Le Bourget, o palácio de Fontainebleau e o castelo de Chantilly.

Mas atenção para a pegadinha: a subida à Torre Eiffel não está incluída, assim como uma série de atrações privadas, como a Torre Montparnasse ou os bâteaux-mouches.


Onde comprar o Paris Museum Pass?

    Dá para comprar o Paris Museum Pass nos centros de informações turísticas (nos aeroportos, por exemplo), nas Fnac e em muitos museus participantes. Ele vale a partir da data que você escrever na contracapa do passe.

Paris Museum Pass
(Comprei o de 4 dias porque eu já estava em Paris havia 3 semanas, e já tinha ido a alguns dos museus que queria visitar. Para uma estada de uma semana em Paris, recomendo o de 6 dias.)

Leia mais:

268 comentários

Boa tarde. Li em alguns sites/blogs que muitas vezes, mesmo comprando antecipadamente o ticket (como para Versailles), é preciso enfrentar fila para entrar. Minha dúvida. Em Versailles, com o Paris Pass, conseguirei “furar” fila ou acaba todo mundo ficando na mesma fila.
Obrigado

    Olá, Gilson! Em Versalhes e na Sainte-Chapelle você estará desobrigado da fila da bilheteria, mas terá que pegar a fila do detector de metais.

Olá, Ricardo!

Tenho usado muito suas dicas para preparar meu roteiro parisiense. Muito obrigada!

Queria fazer uma pergunta: li em algum lugar que professores e jornalistas tem desconto em alguns museus por lá? Você sabe me dizer se isso é verdade mesmo e se vale também para turistas?

Obrigada, Thamara

Estou planejando minha viagem à Paris para Maio 2015 e por enquanto o Paris Museum Pass parece mto interessante. Uma dúvida q tenho é qto ao Palácio de Versailles. No site do Paris Museum Pass há a informação de q durante os show musicais com água o acesso ao jardim e o grove está indisponível para quem tem esse passe, e tem um link para os dias q tem esses shows no site de Versailles. Alguém já viu esses shows? Vale a pena? Vou me arrepender de ir num dia sem show?

    Olá, Vanessa! Se você tem tempo de sobra, gosta desse tipo de espetáculo e quer investir no programa, faça.

Boa noite. Em julho/2015, eu, meu marido e minha filha de 13 anos iremos a Paris por 01 semana e pensamos no Paris Museum Pass de 04 dias. Duas dúvidas: 1) preciso comprar para minha filha de 13 anos e 2) posso comprar o passe, aqui, no Brasil e já viajar com o mesmo? A compra é feita por qual site?
Obrigada

    Olá, Isadora! Compre o passe ao chegar; os custos (e a incerteza) de receber pelo correio eliminariam a economia proporcionada. Sua filha não paga para entrar em museus em Paris e acompanha vocês nas entradas fura-fila.

Bom dia. Só atualizando os valores do passe:
2 dias – 42 euros;
4 dias – 56 euros;
6 dias – 69 euros.
Abraço,
Marcos Monteiro

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.