De Orlando a Miami de carro

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

I-95, Flórida

Muita gente combina Orlando e Miami na mesma viagem -- e aproveita as boas tarifas semanais de carros na Flórida para ficar o tempo de carro. Fiz o trajeto rodoviário pela primeira vez agorinha. E deixo aqui minhas reflexões para quem está planejando uma viagem para lá.

Qual é a distância? Quanto tempo leva?

De Orlando a Miami são 380 km, que você faz entre três horas e meia e quatro horas, dependendo do trânsito na saída/entrada das cidades.

Miami-Orlando pela TurnpikeOrlando-Miami pela I-95

Dois caminhos: Turnpike e I-95

A rota mais comum é pela estrada Florida Turnpike, que desce em diagonal pelo interior até chegar à costa em West Palm Beach. Mas é possível também ir pela I-95, ao longo da costa (mas sem vista para o mar). Os tempos se equivalem. Como eu tinha ido almoçar em Winter Park, no norte de Orlando, o GPS acabou me mandando pela costa, e gastei as mesmas três horas e meia do pessoal que vai pela Turnpike.

O que há para ver pelo caminho?

Pelo interior não há nada.

Indo pela costa você pode programar uma parada no Kennedy Space Center em Cabo Canaveral.

Uma hora antes de Miami começam a aparecer uns balneários chiques, como West Palm Beach e Boca Ratón -- mas nada que valha tanto a pena o desvio.

Você pode até sair da auto-estrada para rodar na costeira, mas sua viagem ficará bem mais lenta sem uma contrapartida panorâmica. Neste trecho da costa não há nada impressionante como a estrada suspensa de ilhota em ilhota que leva a Key West. Tampouco você encontrará paisagens como Big Sur, estradas como a 17 Mile Drive ou cidadezinhas como Carmel, que justificam a viagem pela costa da Califórnia.

Acho mais proveitoso encarar o trecho como simplesmente utilitário; quanto mais cedo você chegar no destino, melhor aproveitará.

Vou a Orlando, mas meu vôo é só até Miami. Vale a pena pegar o carro ao chegar?

Um monte de gente faz isso na boa. No meu caderninho, porém, encarar quatro horas de estrada depois de uma noite de vôo na econômica é exigir demais do corpo e da mente. Eu dormiria a primeira noite em Miami.

(Rio e São Paulo também estão a 380 km de distância. Você voaria dos Estados Unidos até o Rio e então pegaria um carro para dirigir direto até São Paulo?)

Ou, melhor do que isso: compraria a passagem que me levasse exatamente onde quero. Se só vou a Orlando, compraria ida e volta a Orlando, mesmo que para isso fizesse conexão (em Miami, no Panamá, em Dallas, Charlotte; acho uma conexão menos cansativa do que uma estrada depois do vôo). Se vou a Orlando e Miami, compraria passagem com ida para uma cidade e volta desde a outra. Alugaria o carro numa cidade com devolução na segunda.

Alugando o carro: o que não pode faltar

Não saia da locadora sem o Sun Pass, um chip de pedágio que é obrigatório para uso das auto-estradas -- e, quando você estiver em Miami, de quebra ainda permite que você use via expressas.

Um GPS também é indispensável. Alugar um não vale a pena: o que você gasta em aluguel dá para comprar um. O ideal é já sair do Brasil com o seu GPS próprio, devidamente carregado com um mapa atualizado dos Estados Unidos.

Caso você queira arriscar comprar ao chegar, a Best Buy mais próxima do aeroporto de Orlando é a do Florida Mall (veja o mapa aqui). Em Miami você pode escolher entre a Best Buy próxima ao Dolphin Mall (veja mapa aqui) ou, se estiver indo a South Beach, a da rua 5 (veja mapa aqui).

Mercedinho da Sixt

Alguns carros top já vêm com GPS de fábrica, incorporado ao painel. Assim era o caso do jipinho Mercedes que a Sixt, locadora que apoiou minha viagem à Flórida, me colocou à disposição. Veja minha cara de tristeza com o upgrade smile

Sixt Orlando

A Sixt é alemã (por isso o Mercedinho...) e tem uma vibe mais moderna do que as locadoras americanas. Todos os carros já são alugados com o Sun Pass. Em Orlando a agência fica fora do aeroporto, mas o transporte é superfreqüente e a pequena viagem é compensada com mimos como uma máquina de Nespresso à disposição do cliente. (Em Miami a agência é no edifício-garagem anexo ao aeroporto, junto das outras locadoras.)

E você? Tem dicas de aluguel de carro na Flórida? Acha que eu pego pesado na dica de não chegar de avião e já encarar a estrada? A caixa de comentários é para isso mesmo!

Leia mais:

743 comentários

Sônia
SôniaPermalinkResponder

Concordo com exatamente tudo o que vc postou. E quanto a Big Sur , Carmel ah... não existe comparação!

Ana Mara Acadroli

Olá, Ricardo. Estamos, eu e meu marido, nesse momento na Flórida Turnpike Maiami/Orlando.
Suas dicas estão corretíssima quanto a NÃO pegar essa rodovia após o vôo de chegada. Não foi o nosso caso, pois estávamos hospedados em Orlando. Então estávamos bem descansados e agora, depois de 3 dias em Miami, estamos retornando à Orlando, rumo ao Brasil.
Todas as informações que lemos em blogs procedem: a estrada é um tapete, a sinalização é perfeita, eficiente; as Service Plaza localizadas entre as pistas, a cada 45 milhas, oferecem serviço de alimentação, banheiros, combustível, emergências. E servem para dar aquelas esticada
nas pernas. A viagem, por si, não tem belezas naturais, mas vale a experiência. Ouvimos sempre teus comentários e adoramos, pois são muito úteis. Um abraço.

Ederson Castro

DICA: Referente a GPS uma dica excelente é usar o próprio celular com GOOGLE MAPS, é necessário baixar o mapa para que o mesmo funcione OFF-LINE, você antes de viajar pode programar os locais onde quer ir marcando com estrelas e depois é só selecionar e bom passeio.

Ge
GePermalinkResponder

Apilcativos como Wase não funcionam para locomover nos Eua?
E mais indicado um GPS?
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gê! Funciona, sim. Esse post foi escrito pré-Waze. Onde você lê "GPS", substitua pelo app de mapas da sua preferência.

Adalgisa katya taques

Adoramos seus comentários e suas dicas e sua participação na BandNews. Esse blog só seria melhor se fosse um aplicativo. Q tal

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar