Saqsaywaman, Cusco

Cusco, uma cidade estonteante (em todos os sentidos)

Saqsaywaman, Cusco

É fácil perder o fôlego em Cusco. E por Cusco, principalmente. Uma das mais lindas cidades das Américas, a antiga capital do império inca faz o coração palpitar, a cabeça girar e amolece as pernas.

Culpa da altitude – e da incrível mescla de arquitetura inca e colonial espanhola. De Saqsaywamán e do circuito de sítios arqueológicos. Do colorido artesanato andino. Das ruas e vielas de paralelepípedo. Dos cafés, albergues, lojas e pequenas praças que vão aparecendo pelo caminho.

Em Cusco a gente aprende a arfar e suspirar ao mesmo tempo.

Cusco


Primeira viagem ao Peru:

O centro histórico de Cusco e o convento de Santo Domingo

À primeira vista, o centro histórico de Cusco nada mais parece do que uma típica cidade colonial espanhola. Na verdade, os conquistadores construíram tudo aquilo sobre uma estrutura urbana complexa que já existia, de autoria dos incas. Muitos dos grandes símbolos de Cusco hoje, como sua catedral, foram erguidos pelos espanhóis em cima de templos e palácios-símbolo do antigo império.

Convento de Santo Domingo, Cusco

É o caso do convento de Santo Domingo, ou Qoricancha, que em quéchua quer dizer “pátio dourado”. Durante o governo de Inca Pachacuteq (o mais bambambã entre os imperadores Incas), Qoricancha foi o templo principal e o mais cheio de riquezas. Narram as crônicas espanholas que suas paredes eram nesta época cobertas por ouro maciço. Os conquistadores fizeram a rapa, mas podemos dizer que um dos tesouros ficou por ali: o testemunho da sofisticada arquitetura inca, com paredes e câmaras intactas feitas de pedra encaixada.

Convento de Santo Domingo

O convento de Santo Domingo, construído por sobre o templo de Qoricancha, foi fundado no século XVI e é uma das atrações imperdíveis de Cusco.

Um tour pelas ruínas

Os sítios arqueológicos no entorno de Cusco rendem um ótimo passeio de meio dia. Estive em Saqsaywamán, Q’enqo e Puka Pukara. Tambomachay completa o circuito.

Puka Pukara

A melhor maneira de fazer este recorrido é contratando um tour guiado. As explicações do guia são toda a graça desse tipo de passeio. Além do mais, ir de um desses locais a outro usando transporte público não deve ser nada fácil (ou sequer possível).

Cada lugar teria desempenhado uma função diferente durante o império inca. Puka Pukara seria como uma alfândega; Q’enqo, um local de rituais e sacrifícios; Tambomachay, onde os incas teriam construído canais (que ainda funcionam!) para cerimônias de adoração às águas.

Saqsaywamán

De todos os sítios arqueológicos, o mais impressionante é Saqsaywamán. Cenário dos festejos do Inti Raymi a cada 24 de junho, Saqsaywamán é uma construção colossal feita por pedras imensas, que chegam a pesar algumas centenas de toneladas.

Saqsaywamán

A função de Saqsaywamán durante o império inca é ainda discutida. Alguns estudiosos afirmam que teria fins militares. Outros, que os propósitos seriam religiosos.

Saqsaywamán

Saqsaywamán

Eu acho, antes de mais nada, que Saqsaywamán serve mesmo é pra gente se sentir pequenininho.

O puxadinho mais elegante de Cusco

Um dos melhores restaurantes de Cusco está localizado… em um contêiner! A duas quadras da Plaza de Armas, o MAP Café é um elegante puxadinho dentro do Museu de Arte Pré-Colombiana.

Map Café

O museu é grifado – uma espécie de filial do Museu Larco, de Lima. E, se na capital peruana, o restaurante do museu-matriz não é mais do que mediano, em Cusco tive a melhor experiência à mesa de toda a viagem.

MAP Café

Não bastasse a deliciosa sopa de milho e cogumelos, um conforto para os estômagos mais remexidos pelo soroche, ainda encerrei minha passagem pela cidade com o Deus Sol em forma de torta de tangerina.

MAP Café

Ah, Cusco. Meu coração até palpita novamente.

Dicas práticas

Para curtir Cusco:

  • Use o dia da chegada para se acostumar com a altitude
  • Invista em um hotel bacana e próximo à Plaza de Armas
  • Percorra o centro histórico a pé, e sem pressa
  • Visite as ruínas com um tour guiado
  • Tenha paciência com os ambulantes mais insistentes

Cusco e as cidadezinhas do Valle Sagrado costumam anteceder Machu Picchu nos roteiros mais comuns. Eu não faria diferente… mas fiz. Com essa experiência não-ortodoxa, e contrariando todas as minhas previsões, pude concluir que Cusco arrebata mesmo se visitada depois da atração mais-mais do Peru.

Plaza de Armas

(O Valle Sagrado não entrou para o roteiro. Pela logística e pelo impacto, se a viagem inclui o Valle Sagrado, é ainda mais recomendável deixar Machu Picchu para o final.)

Dedique 3 noites a Cusco. Veja aqui um roteiro completo.

Saqsaywamán

Mariana viajou a convite da TAM Linhas Aéreas e do Sumaq Machu Picchu Hotel.

Leia mais:


Machu Picchu

37 comentários

Queria tirar a duvida. Meu plano é ir de Cusco para Ollantaytambo, dormir lá e pegar no dia seguinte o trem para MP. Dormir em MP e no dia seguinte voltar direto de trem para Cusco. Qual o problema? Essa historia de nao poder levar mala no trem. Na volta, daria tempo de pegar as malas no guarda volumes da estacao de Ollantaytambo, antes de seguir viagem no mesmo trem a Cusco?? Alguem sabe informar??

    Olá, Eduardo! Você pode fazer como todo mundo, e deixar sua mala no hotel em Cusco. Todos guardam. Você também pode voltar de van de Ollantaytambo, que é mais barato e até mais rápido, porque vai a Cusco, não a Poroy.

Donos a Cusco para a festa do Rei Sol (Inti Raymi) , no mês de junho. O clímax acontece no dia 24. Simplesmente linda. Reserve com antecedência. Ficamos no Peru por 16 dias. Muito tempo? Não. É um país surpreendente. O planejamento da nossa viagem foi feito pela agência Peru Travel & Adventure. Atendimento perfeito. Ah, sugiro comprar diretamente em agências peruanas. Economia na certa. Por que não associar um passeio a Foz do Iguaçu e pegar um vôo direto a Lima pela LATAM?