Saqsaywaman, Cusco

Cusco, uma cidade estonteante (em todos os sentidos)

Saqsaywaman, Cusco

É fácil perder o fôlego em Cusco. E por Cusco, principalmente. Uma das mais lindas cidades das Américas, a antiga capital do império inca faz o coração palpitar, a cabeça girar e amolece as pernas.

Culpa da altitude – e da incrível mescla de arquitetura inca e colonial espanhola. De Saqsaywamán e do circuito de sítios arqueológicos. Do colorido artesanato andino. Das ruas e vielas de paralelepípedo. Dos cafés, albergues, lojas e pequenas praças que vão aparecendo pelo caminho.

Em Cusco a gente aprende a arfar e suspirar ao mesmo tempo.

Cusco


Primeira viagem ao Peru:

O centro histórico de Cusco e o convento de Santo Domingo

À primeira vista, o centro histórico de Cusco nada mais parece do que uma típica cidade colonial espanhola. Na verdade, os conquistadores construíram tudo aquilo sobre uma estrutura urbana complexa que já existia, de autoria dos incas. Muitos dos grandes símbolos de Cusco hoje, como sua catedral, foram erguidos pelos espanhóis em cima de templos e palácios-símbolo do antigo império.

Convento de Santo Domingo, Cusco

É o caso do convento de Santo Domingo, ou Qoricancha, que em quéchua quer dizer “pátio dourado”. Durante o governo de Inca Pachacuteq (o mais bambambã entre os imperadores Incas), Qoricancha foi o templo principal e o mais cheio de riquezas. Narram as crônicas espanholas que suas paredes eram nesta época cobertas por ouro maciço. Os conquistadores fizeram a rapa, mas podemos dizer que um dos tesouros ficou por ali: o testemunho da sofisticada arquitetura inca, com paredes e câmaras intactas feitas de pedra encaixada.

Convento de Santo Domingo

O convento de Santo Domingo, construído por sobre o templo de Qoricancha, foi fundado no século XVI e é uma das atrações imperdíveis de Cusco.

Um tour pelas ruínas

Os sítios arqueológicos no entorno de Cusco rendem um ótimo passeio de meio dia. Estive em Saqsaywamán, Q’enqo e Puka Pukara. Tambomachay completa o circuito.

Puka Pukara

A melhor maneira de fazer este recorrido é contratando um tour guiado. As explicações do guia são toda a graça desse tipo de passeio. Além do mais, ir de um desses locais a outro usando transporte público não deve ser nada fácil (ou sequer possível).

Cada lugar teria desempenhado uma função diferente durante o império inca. Puka Pukara seria como uma alfândega; Q’enqo, um local de rituais e sacrifícios; Tambomachay, onde os incas teriam construído canais (que ainda funcionam!) para cerimônias de adoração às águas.

Saqsaywamán

De todos os sítios arqueológicos, o mais impressionante é Saqsaywamán. Cenário dos festejos do Inti Raymi a cada 24 de junho, Saqsaywamán é uma construção colossal feita por pedras imensas, que chegam a pesar algumas centenas de toneladas.

Saqsaywamán

A função de Saqsaywamán durante o império inca é ainda discutida. Alguns estudiosos afirmam que teria fins militares. Outros, que os propósitos seriam religiosos.

Saqsaywamán

Saqsaywamán

Eu acho, antes de mais nada, que Saqsaywamán serve mesmo é pra gente se sentir pequenininho.

O puxadinho mais elegante de Cusco

Um dos melhores restaurantes de Cusco está localizado… em um contêiner! A duas quadras da Plaza de Armas, o MAP Café é um elegante puxadinho dentro do Museu de Arte Pré-Colombiana.

Map Café

O museu é grifado – uma espécie de filial do Museu Larco, de Lima. E, se na capital peruana, o restaurante do museu-matriz não é mais do que mediano, em Cusco tive a melhor experiência à mesa de toda a viagem.

MAP Café

Não bastasse a deliciosa sopa de milho e cogumelos, um conforto para os estômagos mais remexidos pelo soroche, ainda encerrei minha passagem pela cidade com o Deus Sol em forma de torta de tangerina.

MAP Café

Ah, Cusco. Meu coração até palpita novamente.

Dicas práticas

Para curtir Cusco:

  • Use o dia da chegada para se acostumar com a altitude
  • Invista em um hotel bacana e próximo à Plaza de Armas
  • Percorra o centro histórico a pé, e sem pressa
  • Visite as ruínas com um tour guiado
  • Tenha paciência com os ambulantes mais insistentes

Cusco e as cidadezinhas do Valle Sagrado costumam anteceder Machu Picchu nos roteiros mais comuns. Eu não faria diferente… mas fiz. Com essa experiência não-ortodoxa, e contrariando todas as minhas previsões, pude concluir que Cusco arrebata mesmo se visitada depois da atração mais-mais do Peru.

Plaza de Armas

(O Valle Sagrado não entrou para o roteiro. Pela logística e pelo impacto, se a viagem inclui o Valle Sagrado, é ainda mais recomendável deixar Machu Picchu para o final.)

Dedique 3 noites a Cusco. Veja aqui um roteiro completo.

Saqsaywamán

Mariana viajou a convite da TAM Linhas Aéreas e do Sumaq Machu Picchu Hotel.

Leia mais:


Machu Picchu

37 comentários

Tome muita água, coma comidas leves, pegue leve nas caminhadas, evite bebidas alcoolicas, e procure dormir/descansar bem nos primeiros dias. Chá de folha de coca também ajuda.

Erika, você comentou que ficou doente lá no Perú, poderia dar um conselho para que não se repetisse conosco, caso vc tenha identificado o que fez mal para vc.
Obrigada

    Oi Wilza, ocorre que eu e meu marido fomos infectados por uma bactéria, por causa de salada mal lavada. Passamos com um médico em uma clínica em Huaraz, ele nos orientou a comer somente frutas com casca (e sem comer a casca, claro), não comer nada cru (carnes, frangos mal passados ou ovo com gema mole). No mais, comidas leves e muita água, como o Danilo abaixo citou.
    Infelizmente em países com problemas de saneamento e higiene de um modo geral temos que ficar alerta,o próprio médico peruano criticou duramente o Peru por causa disso. Disse que praticamente atendia turistas sempre com este problema. Foi um erro estúpido que me causou muita dor de cabeça na viagem, mas aprendi a lição.

Oi Camila, fui em todos esses lugares do seu roteiro. Ainda não acabei todo o conteúdo da viagem ao Peru no blog, mas fique a vontade para consultar os posts já publicados, talvez os passeios em detalhes e com fotos possam te ajudar a ver e decidir: http://www.proximatrip.com.br/category/peru.
Boa viagem!

    Ei Erika, se você já foi a todos os lugares, porque já não dá o pitaco que a garota pediu? Ela já parece ter lido sobre os destinos, o que ela tá pedindo é uma análise dos tempos de permanência e dos deslocamentos…

    (Desculpa se me intrometi A Boia, mas se a pessoa vem aqui no seu espaço fazer propaganda do blog dela tem que ser mais prestativa, não?)

    Adorei, Luis! Também não tenho paciência com alguns comentários…Mas vamos lá! Camila, tenho uma sugestão…porque você não pega um trem mais tarde de Ollantaytambo para Águas Calientes? Assim vc poderá aproveitar mais o tour pelo Vale Sagrado. Já em Águas Calientes, não se tem muita coisa para fazer…e se por acaso você quiser antecipar a passagem, é possível, se houver lugar disponível no trem.

    Talvez a Érika não queira dar pitaco, mas está dizendo que acabou de ir nos mesmos lugares que a Camila quer ir. Então, teria informação muito mais atualizada que poderia ajudar em alguma tomada de decisão. Não acho que seja apenas “propaganda” do blog e mesmo se for, não vejo qual é o problema. O VnV divulga vários tópicos e posts da tal Viajosfera e não tem problema algum. O importante é que a informação esteja disponível. Não vejo pq criar caso com isso.

    Desculpem se fui mal interpretada e passei uma imagem errada no meu comentário. Estou em viagem e por isso acabei enviando uma mensagem na correria, o que na visão de alguns soou superficial e/ou oportunista. Apenas esclareço que não quis “fazer propaganda” do meu blog pois ele é apenas um Hobby, não tenho intenção nenhuma de promovê-lo no sentido negativo que foi colocado aqui. Os comentários no VnV são moderados e se A Bóia entender que meu comentário foi um spam, pode deletá-lo.
    À Camila, acho que o dia 14 está bem puxado, e acho que no dia 4, não há necessidade de sair tão tarde de Ica para Nazca.
    Muitas vezes venho tirar dúvidas que tenho quando planejo minhas viagens e encontro pitacos nos comentários e links para blogs. Acho que o intuito aqui é que cada viajante/leitor contribua da maneira que pode. Agradeço ao Thiago Castro por ter compreendido isso. Este é um espaço precioso na internet que temos para falar de viagens, uma das melhores coisas que existem. Sem tanto ódio no coração gente!
    Boas viagens a todos!

Oi, galera!

Vamos ao Peru em agosto/2015. Depois de muito ler os relatos daqui do fórum, montamos o seguinte roteiro:

Dia 1 – Chegada em Lima às 7:15. Passeio pela cidade.
Dia 2 – Passeios em Lima.
Dia 3 – Saída às 6:30 de Lima com Cruz del Sur, chegando 10:50 em Ica. Tour privado pelas bodegas ou Cachice com transfer até hotel em Huacachina. Passeio de buggy. Pernoite em Huacachina.
Dia 4 – Bate volta Ilhas Ballestas e Reserva Paracas saindo de Huacachina. Cruz del Sur às 21:15 para Nazca, chegando 23:20. Pernoite em Nazca.
Dia 5 – Tour privado com sobrevoo sobre as linhas de Nazca, aquedutos Cantayoc, cemitério Chauchila e pirâmides Cahuachi. Cruz del Sur às 22:00 para Arequipa.
Dia 6 – Chegada em Arequipa às 7:30. Passeio pela cidade.
Dia 7 – Tour de 1 dia pelo Vale del Colca. Pernoite em Arequipa.
Dia 8 – Cruz del Sur às 8:00 chegando às 14:30 em Puno. Passeio privado para Sillustani (porque os horários dos tours regulares começam mais cedo). Pernoite em Puno.
Dia 9 – Passeio de dia inteiro Uros + Taquille. Cruz del Sur às 22h para Cuzco.
Dia 10 – Chegada em Cuzco às 4:30. Passeio pela cidade.
Dia 11 – “City tour” privado.
Dia 12 – Valle Sagrado Sul.
Dia 13 – Valle Sagrado.
Dia 14 – Tour salineras de Maras e ruínas Moray privado, nos deixando em Ollantaytambo para pegarmos trem às 15:37 para Águas Calientes. Pernoite em Águas Calientes.
Dia 15 – Subida no primeiro ônibus para Machu Picchu. Trem de 16:43 para Cuzco, chegando às 20:23. Pernoite em Cuzco.
Dia 16 – Voo de Cuzco às 5:25 para Brasil.

Pitacos? Tem como distribuir melhor os dias? Alguém recomenda com quem fazer os tours privados em Cuzco? E nas outras cidades?

    Olá, Camila! Vamos compartilhar seu roteiro no Perguntódromo. Havendo pitacos, aparecerão aqui.

    Camila, fui ao Peru há dois anos. Visitei em Cusco e Arequipa, então vou relatar minha experiência nessas duas cidades, ok? Aí vai:
    Acho que fazer apenas o tour de um dia em Arequipa ficaria muito corrido, pois o Vale del Colca é muito rico em cultura e belezas naturais, de modo que esse passei de um dia não daria para ver nem 20% do que ele oferece (lembre-se que os deslocamentos não são curtos).
    Quanto aos tours em Cusco, fiz eles por conta própria – ia até a rodoviária e pegava o ônibus comum até a cidade. Em algumas, aliávamos o ônibus ao táxi. Exemplo: pegamos ônibus até Pisac e lá, no pé da montanha, contratamos um táxi até o topo e fizemos o passeio por conta própria, sem a correria das agências (lembrando que há guias no local). Na volta o taxista nos deixou nos sítios perto de Cusco (Tambomachay, Quenko e cia) e fomos conhecendo eles a pé… De Sacsayhuaman se pode ir caminando tranquilamente até a Plaza de Armas (ladeira abaixo).
    Fiz isso e não me arrependo, pois todos falam que por agência é mais correria!
    Uma dica: olhe em vários sites (em especial o mochileiros.com) o relato de outros viajantes.
    Dica geral: cuidado com os períodos curtos em cada cidade, pois fica cansativo chegar de viagem, passear pelo local, arrumar as malas e partir para outro lugar!
    Abraço e boa viagem!

    Oi Camila, fui a Cuzco ano passado e vou dar pitaco:
    esse dia 14 está muito corrido…
    se vc começar esse dia ás 7 da manhã e chegar em Ollanta ao 12hs, talvez seja legal.
    Veja estes horários, pq Ollanta é um lugar incrivel, vc pode fazer um piquenique, tem uma feirinha ótima, e dá prá ir caminhando até o trem.
    prá vc ter uma ideia, eu fiz um tour até Ollanta, mas foi tão corrido, qndo cheguei lá já estava cansada, ( lembre-se da altitude!), que voltei
    de manhã num outro dia, e passei o dia lá, qndo fui pegar o trem para Aguas Calientes!
    Foi um dos melhores dias da minha viagem!
    Fiz piquenique em Ollanta!
    Bjs,boa viagem!
    Dadi

    Camila,

    Concordo que o dia 14 é um pouco corrido. Foi exatamente o que fiz. Pernoitei em Urubamba, conheci Moray e Maras pela manhã e Ollantaytambo à tarde, pegando o trem para Águas Calientes por volta de 16:30. Deu para conhecer Moray e Maras bem, mas a parte de Ollantaytambo foi corrida, e a cidade merecia mais tempo.
    Descrevi as atividades que fiz no dia nestes dois posts:

    http://albumdeviagens.blogspot.com.br/2014/04/vale-sagrado-inca-moray-e-maras.html

    http://albumdeviagens.blogspot.com.br/2014/05/ollantaytambo-embarque-aguas-calientes.html

Olá!

Estou montando uma viagem para o Peru e tenho 5 dias dedicado a Cus(z)co e MP. E fiquei com algumas dúvidas:
– Dos cinco dias, um vai ser de chegada e aclimatação e outro de atividades mais leves. É bem provável que eu dedique dois dias de visitas ao Valle Sagrado e ao final do segundo, já pegue direto o trem para MP, talvez em Ollanta, sem voltar par ao hotel (pelo menos é o que eu gostaria). Eu consigo fazer com facilidade essas visitas estando hospedado em Cusco? Ou é mais recomendável se hospedar em alguma cidade do Valle Sagrado para visitar as ruínas de lá?

– Vi também que é bem recomendável ter um guia para fazer esses passeios e que existem muitas agências que prestam um “pacote de serviço”. É muito problemático eu resolver isso meio que sozinho e só contratar o guia mesmo para nos levar até as ruínas?

Espero que minhas dúvidas não estejam confusas…rs

Obrigado!

Edgard

Olá, estive em Novembro/2013 em Cusco , lugar maravilhoso, contratar guia para visitar toda região do Vale Sagrado é fácil; nos hotéis ou pousadas tem varias opções e dicas: pesquise/ veja preços/ transporte, o ideal é três dias em Cusco,dois visitado o Vale e um em Cusco.

Excelente matéria, Mariana! Cusco é realmente uma cidade fabulosa e, mesmo se Macchu Pichu não tivesse sido descoberta, seria um grande destino por si só. Tive a oportunidade de visitá-la durante as Festas de Cusco, em junho, e pude aproveitar uma semana inteira de desfiles culturais, com grupos de várias cidades e povoados vizinhos desfilando em trajes típicos. Pra quem vai ano que vem, deixo a dica pra que visitem entre 20 e 24, o ponto alto da festa.

Abraço!

Oi Mariana! Onde você indica contratar o guia para visitar as ruinas em Cuzco e no Vale Sagrado?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.