Austrália: dicas

Austrália

Austrália: dicas do Viaje na Viagem


Bondi Beach
Alto austral

Atrações, hotéis, restaurantes e dicas no guia de Sydney do Viaje na Viagem

Onde ficar em Sydney: as melhores regiões

Transporte em Sydney: como se locomover pela cidade e baía

The Rocks: um passeio pelos arredores da Ópera de Sydney

O que fazer em Sydney: museu, parques, compras e com crianças

Sydney: 3 experiências imperdíveis

Newtown, o bairro meio hippie, meio hipster de Sydney

Sydney: QT, um hotel feito para o Instagram

Postal por escrito: Sydney

Utzon, o fantasma da ópera

Sydney: um passeio completo por Bondi Beach

Sydney: sabadão em Bondi Beach

Manly Beach, a praia do piquenique em Sydney

Diários de Sydney

Em Sydney, procurando defeito

Hunter Valley, o vale dos vinhedos pertinho de Sydney

Melbourne: as atrações centrais em um tour de bicicleta

Melbourne com vertigem: Melbourne Star e Skydeck 88

De Hamilton Island, rumo à Grande Barreira de Corais

Byron Bay, a praia hippie chic da Austrália

#Linkódromo | Sydney, Melbourne e a Grande Barreira de Corais, no Filigrana


Que moeda levar para 50 países
Não perca dinheiro no câmbio

Passagens mais baratas para Austrália no nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Alugue carro na Austrália na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões na Austrália com a Viator

26 comentários

Olá, Bóia,
Devo viajar no primeiro semestre de 2021,( a data depende da vacina da covid) e gostaria de saber o que devo fazer em relação a vacina contra febre amarela. Tenho a carteira de vacina da anvisa de fevereiro de 2011, portanto está pra vencer… tomo a segunda dose? Preciso…? pois tenho 73 anos! Me esclareça por favor, para que não fique perambulando à toa! Obrigada

    Olá, Graça! A vacina da febre amarela agora vale para a vida toda. Por desencargo de consciência, você pode requerer uma segunda via num posto de saúde para que apareça escrito no documento, mas hoje no mundo inteiro, a partir de orientação da OMS, já é consenso de que não é mais necessário o reforço.