Foz do Iguaçu

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Foz do Iguaçu: quando ir

Foz do Iguaçu é um destino que pode ser visitado o ano inteiro.

Foz do Iguaçu na primavera e no verão

Entre outubro e março, chove um pouco mais e a temperatura máxima freqüentemente ronda os 30ºC. O mês mais chuvoso, historicamente, é outubro. Os mais quentes: dezembro, janeiro e fevereiro.

Nessa época a vazão das águas é maior, e é mais agradável visitar as cataratas -- um passeio em que é impossível não se molhar.

Quando há muita chuva, pode haver a abertura das comportas de Itaipu, que torna a visita à usina ainda mais interessante. Em compensação, o excesso de vazão pode prejudicar a visão da Garganta do Diabo, já que o contorno da catarata muitas vezes acaba escondido pelo spray no ar.

Foz do Iguaçu no outono e no inverno

Entre abril e novembro, chove menos e pode fazer frio. Os meses mais secos, historicamente, são julho e agosto. Os meses mais frios são junho, julho e agosto, quando a temperatura mínima pode descer a 10ºC (de madrugada e no início da manhã). Dias ensolarados, porém, costumam ter grande amplitude térmica, e mesmo nos meses mais frios a temperatura máxima pode chegar aos 25ºC.

Nesta época a vazão das cataratas tende a diminuir. Exceto em caso de secas drásticas, a diminuição do volume das cataratas não prejudica a visita -- algumas quedas, como a Garganta do Diabo, ficam mais bonitas com vazão um pouco menor. Além disso, em época de pouca chuva a espuma fica branca, e não turva como na época chuvosa.

O ponto baixo de visitar nessa época é o frio -- que, num dia sem sol, pode deixar menos agradável sua visita às cataratas. (Mas se abrir o sol, você não passará frio.) Nessa época, tome vitamina C e leve uma mochilinha impermeável com uma muda de roupa para trocar depois de se molhar no spray das cataratas.

Feriadão: vale a pena ir a Foz do Iguaçu?

  • Na comparação com outros destinos clássicos de feriadão na praia e na serra, Foz do Iguaçu oferece muitas vantagens. Você não precisa se procupar com a meteorologia (chuva atrapalha menos em Foz do que na praia ou na serra). A cidade tem condições de absorver os visitantes: Foz não engarrafa, não sofre falta d'água nem de luz. E os hotéis sobem menos as tarifas do que as pousadas de praia e serra.
  • Os parques, claro, estarão bem mais cheios do que fora de feriado. Por isso, procure chegar cedo para fazer os circuitos antes do grosso dos visitantes. E reserve com antecedência passeios com vagas limitadas, como Macuco Safári e Itaipu.

Nenhum comentário, deixe o primeiro!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar