Foz do Iguaçu

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Compras no Paraguai e na Argentina

Para muitos visitantes a Foz do Iguaçu, as compras em Ciudad del Este e no free-shop de Puerto Iguazú são programas tão indispensáveis quanto o passeio às Cataratas. Desde o início de 2020, o limite para compras no exterior aumentou para 500 dólares por pessoa, possibilitando trazer artigos mais valiosos. Siga as nossas dicas para aproveitar as compras no Paraguai e na Argentina durante sua viagem a Foz do Iguaçu:

Atenção: a fronteira com o Paraguai deve reabrir dia 15 de outubro. A fronteira com a Argentina permanece fechada.

Beabá das compras

Compras no Paraguai: loja Mona Lisa

Loja Mona Lisa, Ciudad del Este

Essas dicas valem tanto para compras no Paraguai quanto para compras na Argentina:

As fronteiras do Paraguai e da Argentina estão abertas?

A fronteira com o Paraguai já foi reaberta e, desde o dia 31 de outubro, não há sequer restrição de horário. Carros e pedestres podem atravessar pela Ponte da Amizade como antigamente. Só não é possível ir além de 30 km da fronteira.

Não há previsão para reabertura da fronteira com a Argentina.

O limite de 500 dólares é total ou por país?

Desde 1º de janeiro de 2020, o limite de compras no exterior em viagens terrestres passou de 300 para 500 dólares.

O limite de 500 dólares é único, por pessoa e por mês. Se você comprar 400 dólares no Paraguai, só poderá comprar mais 100 dólares na Argentina sem pagar excesso. 30 dias depois da primeira compra, você tem direito novamente aos 500 dólares.

Nesse limite entra tudo: cosméticos, roupas, eletrônicos -- incluindo celulares, câmeras e relógios. (A desculpa do "objeto comprado para uso pessoal durante a viagem", que isenta celulares, relógios e câmeras fotográficas nas viagens aéreas, nas viagens terrestres não é válida.)

A cota é individual. Não é possível juntar as cotas de pessoas diferentes da família para 'inteirar' um produto mais caro.

Adultos e crianças têm direito à mesma cota. Mas a cota das crianças não pode ser usada para comprar bebidas alcoólicas ou cigarros. (Nem para 'inteirar' uma cota familiar.)

O que fazer se a compra for superior ao limite?

Se as suas compras excederem a cota isenta de 500 dólares, você deve pagar imposto sobre o excesso. Por exemplo: se comprar um celular de 600 dólares, pagará imposto sobre 100 dólares. A taxa é de 50% sobre o excesso -- no caso, 50 dólares. O imposto é pago em reais.

Para pagar seu imposto, dirija-se ao posto da Receita Federal no posto de fronteira brasileiro. Você pode adiantar o trabalho preenchendo a declaração eletrônica de compras no exterior (clique aqui).

O imposto só pode ser pago nos postos de fronteira do Brasil na Ponte da Amizade (Paraguai) e na Ponte Tancredo Neves (Argentina). Não é possível pagar o imposto em Foz do Iguaçu ou no aeroporto.

Onde as compras podem ser fiscalizadas?

A vistoria das compras no Paraguai e na Argentina não é sistemática, mas pode acontecer. Caso seja constatado que você ultrapassou sua cota, pagará multa de 100% sobre o excesso. Por exemplo: se você comprou um celular de 600 dólares, ultrapassou sua cota em 100 dólares. A multa será de 100 dólares (pagos em reais).

A pegadinha é que o pagamento da multa e a regularização da compra só podem ser feitos nos postos de fronteira com a Argentina e o Paraguai. Se a vistoria acontecer no aeroporto de Foz do Iguaçu ou nas estradas saindo de Foz, a compra 'irregular' pode acabar retida pelo fiscal.

Nas fronteiras

Os fiscais fazem blitze aleatórias, parando carros ou vans, ou ainda entrando no ônibus de linha para examinar os pacotes maiores. No posto de fronteira é possível pagar multa e regularizar a compra.

No aeroporto de Foz do Iguaçu

Mesmo nos vôos domésticos, é preciso passar todas as bagagens, a serem despachadas ou de mão, pelo raio X, antes mesmo da área de check-in. Se os fiscais desconfiarem do conteúdo e descobrirem que passou da cota, as mercadorias são retidas.

Na estrada

Seu carro pode ser parado para vistoria da bagagem. Mercadorias além da cota são retidas.

Voltar | Topo

Compras no Paraguai

Loja Sax

Loja Sax, Ciudad del Este

Com o aumento da cota para 500 dólares, fazer compras no Paraguai ficou bem mais vantajoso.

Mas me permita um conselho: não atravesse a fronteira por mera curiosidade. Vá ao Paraguai se você realmente tiver intenção de comprar. Não é um passeio prazeroso.

Ciudad del Este, fora das lojas

Ciudad del Este, fora das grandes lojas

O centro comercial de Ciudad del Este é bastante conturbado: as ruelas transversais são camelódromos, o assédio de vendedores é constante, e as ruas não são assim um exemplo de limpeza. Você se sente muambeiro mesmo se tiver ido para apenas comprar estritamente dentro da cota.

Compras no Paraguai: dicas e pegadinhas

Qual é o horário das lojas no Paraguai?

As lojas em Ciudad del Este abrem de 2ª a sábado. Pouquíssimas lojas abrem no domingo -- e mesmo assim, só de manhã.

Funcionam, no horário local, das 8h às 17h. Os shoppings podem funcionar até um pouco mais tarde. Quando o Paraguai está no horário de verão (entre o primeiro domingo de outubro e o último sábado de março), esse horário coincide com o horário brasileiro. Entre abril e setembro, porém, o horário do Paraguai tem 1 hora de diferença. Nesse período, as lojas de Ciudad del Este abrem das 7h às 16h no horário brasileiro.

Que moeda levo para fazer compras no Paraguai?

Todos os artigos à venda na zona comercial de Ciudad del Este são cotados em dólar. É melhor levar dólares em espécie para fazer todas as suas compras.

Reais são aceitos, mas a cotação feita pelas lojas não é boa. Usar cartão de crédito tampouco é recomendável, porque a compra é debitada em guaranis, a uma cotação que pode não ser vantajosa (e ainda há os 6,38% de IOF acrescidos).

Como fazer boas compras no Paraguai?

Em Ciudad del Este você está sempre a dois passos de uma grande roubada. Só muambeiros profissionais e contrabandistas em larga escala sabem navegar com alguma segurança pelo submundo das ofertas. Como comprador à paisana, é melhor conseguir uma economia modesta num produto garantido do que pagar uma micharia por algo que seja falso ou não funcione.

  • Não compre nada de camelô ou em loja mequetrefe
  • Desconfie de todos os negócios da China -- devem ser produtos falsos, "refurbished" (recauchutados) ou defeituosos
  • Compre apenas nas grandes lojas. Os preços serão maiores, mas a garantia é mais do que 'soy yo'
  • Teste TODOS os eletrônicos antes de sair com eles da loja
  • Se você vai com guia, siga as dicas dele. Sim, ele (ou a empresa para quem trabalha) está sendo comissionado pelas lojas que indica, mas em compensação não vai indicar nenhuma roubada

Compras no Paraguai: como chegar

Atravessando a fronteira

Quando a fronteira está aberta, não há controle de imigração sistemático em nenhum dos dois lados da Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu a Ciudad del Este. Apesar de o Paraguai exigir certificado de vacinação contra febre amarela de visitantes brasileiros, a regra não é aplicada na fronteira de Ciudad del Este.

Mesmo sem trâmite aduaneiro, a ponte costuma engarrafar com freqüência.

Esteja com seu RG ou passaporte, porque pode ser pedido em alguma fiscalização eventual.

É raro, mas você pode ter suas compras examinadas por fiscais da Receita abordam ônibus e táxis.

De ônibus de linha

Há uma linha regular entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, operada por empresas paraguaias. Os ônibus saem da rodoviária de Foz e fazem uma parada no ponto da av. avenida Juscelino Kubitschek em frente ao TTU. O ponto é identificado pelas bandeirinhas do Brasil e do Paraguai pintadas na cobertura. A tarifa é de R$ 5 e o percurso leva 40 minutos.

De táxi ou Uber

Um táxi desde o centro de Foz do Iguaçu sai uns R$ 60 até Ciudad del Este. Uber não tem permissão para atravessar a fronteira: você vai precisar saltar antes da ponte e tomar um mototáxi.

De carro

As locadoras não permitem atravessar com carro alugado ao Paraguai.

Você pode, no entanto, ir com carro próprio. Se for, deixe seu carro num estacionamento de shopping.

A pé ou de mototáxi

Caso o trânsito esteja totalmente parado na ponte, você pode optar por atravessar a pé ou pegar um mototáxi para cobrir o último trecho. Calcule uns 20 minutos de caminhada.

Mototáxis cobram R$ 10 para levar você à outra extremidade da ponte.

Com tour de compras

Esta é, disparado, a melhor maneira de ir a Ciudad del Leste. Você é apanhado no hotel e levado a lojas onde vai comprar produtos garantidos. Indo com tour você reduz ao mínimo os aspectos desagradáveis da experiência de compras no Paraguai.

Há traslados compartilhados a partir de R$ 10 (ida e volta). Dá para encontrar traslado privado a R$ 120 (ida e volta).

Para compras na Argentina, clique aqui.

Voltar | Topo

Compras na Argentina

Compras na Argentina: free shop

Free-shop na Argentina

Fazer compras na Argentina é menos vantajoso do que no Paraguai, mas é bem mais relax. É a mesma experiência de visitar um free-shop no exterior, mas sem precisar pegar um avião.

Também dá para fazer compras na Feirinha de Puerto Iguazú, que vende artesanato e produtos típicos. Essas compras ficam fora da cota. Nenhum fiscal vai implicar com souvenirs e presentinhos.

Qual é o horário do free-shop da Argentina?

O free-shop argentino funciona 365 dias por ano das 10h às 21h. O horário da Argentina é o mesmo do Brasil.

Que moeda eu levo para fazer compras na Argentina?

O free-shop argentino aceita dólares, reais, pesos e cartão de crédito. Pode levar reais, que você não vai perder dinheiro.

Caso você queira fazer também umas compras na Feirinha de Puerto Iguazú (e essas ficam fora da cota, nenhum fiscal vai implicar com souvenirs), pode levar reais também na boa.

Como fazer boas compras na Argentina?

Fazer compras no free-shop argentino é exatamente como passar pelo free shop de um aeroporto. Você paga preços internacionais, só que livres de impostos. Os produtos são legítimos e podem ser comprados sem receios.

Compras na Argentina: como chegar

Compras na Argentina: o free shop de Puerto Iguazú

Free-shop argentino

Atravessando a fronteira

O free-shop de Puerto Iguazú é vizinho à imigração argentina. Mas não é preciso passar pela imigração para entrar no free-shop: a entrada fica logo antes do posto de fronteira. Leve RG ou CNH: você vai precisar se identificar no momento de pagar as compras.

De táxi ou Uber

Um táxi vai cobrar entre R$ 40 e R$ 50 a ida, ou R$ 80 para ida e volta, com espera.

Uber não pode passar da Ponte Tancredo Neves.

De ônibus de linha

Dá para ir com o os ônibus urbanos que ligam Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú. A passagem custa R$ 5 por trecho.

Todos os passageiros precisam descer para passar pela imigração argentina. Você não precisa passar pela imigração para ir ao free-shop: a entrada fica antes do posto de fronteira.

Voltar | Topo

Nenhum comentário, deixe o primeiro!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Cancelar