Como montar seu roteiro de viagem à Europa

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Monte sua viagem à Europa

Costumo dizer que toda ida à Europa é como se fosse a primeira. A menos que você volte exclusivamente a lugares que já visitou, toda nova viagem suscitará as mesmas perguntas iniciais. Por onde chegar? Quantos dias ficar em cada lugar? Que meio de transporte escolher? Use este tutorial como ponto de partida para destrinchar suas próximas viagens européias.

--> Primeiro passo: NÃO compre a passagem aérea

Comprar uma passagem por impulso é o erro mais comum de (falta de) planejamento numa viagem à Europa. Achar uma passagem superdescontada de ida e volta a uma cidade específica só garante a viagem de quem só queria ir para aquela cidade. Continuar a viagem a partir dali -- e sobretudo voltar para lá para pegar o vôo da volta -- pode anular a economia e, pior, causar enormes perrengues logísticos. Só compre a passagem depois de ter definido todo o itinerário (continue lendo e veja por quê).

--> Itinerário: menos é mais

Ao montar um roteiro pela Europa, use o método clássico recomendado para arrumar malas: selecione todos os lugares que você gostaria de visitar, e então reduza à metade. Ou a um terço. Na excitação da montagem do roteiro, nossa tendência é empilhar todos os lugares que estejam no caminho (e fazer longos desvios para chegar a outros).

No mapa, tudo parece perto. Mas números frios, como quilometragens e durações de vôos, não levam em consideração o tempo que se gasta em arrumar a mala, fechar a conta do hotel, deslocar-se ao aeroporto (e chegar com a antecedência necessária para o check-in), vencer o trânsito dos anéis viários para sair de cada cidade e entrar na próxima (em viagens de carro), encontrar o próximo hotel, fazer o check-in, subir com as malas...

Cada troca de local envolve a perda de pelo menos meio dia (e de muita energia). Acredite: quanto mais você troca de cidade, menos você aproveita o seu tempo.

--> Cidades grandes: fique quatro dias

Sim, toda cidade importante da Europa tem um ônibus de dois andares que percorre todos os cartões postais em um dia só. É um pecado, porém, limitar-se a simplesmente constatar ao vivo a existência de monumentos que você já conhecia antes de sair de casa.

Quatro dias são o mínimo necessário para você entender o básico de uma grande capital. No terceiro ou quarto dia dá-se o clique: de repente todas as fichas caem e você começa a se localizar. As obrigações turísticas (os lerês) diminuem, e você começa a se sentir um pouco morador. É uma sensação que você só vai entender quando se deixar ficar pelo menos quatro dias numa grande capital.

(Se essa capital se chamar Paris ou Londres, pense em ficar sete dias -- no fim, você ainda vai achar pouco.)

--> Monte a viagem em módulos

Um jeito bastante simples de resolver o seu itinerário é dividindo o tempo de viagem em módulos de 5 a 7 dias. Aloque cada módulo a uma metrópole (Lisboa, Roma, Munique) ou a uma região que você queira explorar de carro ou trem (Provence, Andaluzia, Highlands, Toscana). Permaneça na cidade grande por toda a duração do módulo; nas viagens de carro ou trem, tente resolver o roteiro em no máximo duas bases.

--> Bate-volta: veja mais, canse menos

A melhor maneira de extrair o máximo das bases que você escolher é o bate-volta. Toda cidade que não justifique um pernoite e que fique a no máximo uma hora e meia de viagem de onde você esteja rende um passeio perfeito. Você não precisa fazer check-out, viaja sem malas (de trem ou de carro) e, ao chegar, aproveita desde o primeiro instante (sem perder o pique com atividades chatas como encontrar o endereço do hotel e fazer check-in). Se você não se exigir demais, ainda volta para o local em que está hospedado com energia para aproveitar a noite. Férias, lembra?

--> Pit stop: saiba usar

Trajetos mais longos entre uma base e a próxima -- tanto de carro, quanto de trem -- ficam mais divertidos quando você pode fazer uma parada estratégica no caminho. Por exemplo: Bruxelas entre Paris e Amsterdã; Dresden entre Praga e Berlim; Pompéia entre Roma e a Costa Amalfitana.

Para lançar mão desse recurso, porém, é preciso ter cuidado extra com a bagagem. Estando de carro, pare em estacionamentos vigiados e em hipótese alguma deixe a bagagem à mostra. Em viagens de trem, certifique-se de que a estação do pit-stop dispõe de guarda-volumes. Pesquise na internet: "lockers", "left luggage", "consigna", "consigne" e "deposito bagagli" associado ao nome da estação.

--> A passagem aérea? NÃO compre ainda!

OK, você já definiu o seu roteiro. Dividiu seus quinze dias em dois módulos de cidades grandes e um de região. Mas ainda falta mais um passo antes de emitir a sua passagem aérea: definir o(s) meio(s) de transporte dentro da Europa.

--> Avião, trem ou carro?

O trem é o meio de locomoção europeu por excelência. Para comparar a duração de viagens entre trem e avião, acrescente sempre três horas ao tempo de vôo -- é o mínimo de tempo extra que você leva para ir e voltar do aeroporto, fazer check-in e esperar bagagens.

Mas não use trem (nem carro) para atravessar o continente; para isso existe o avião. Evite também trens noturnos: teoricamente você ganha tempo, mas na prática o que ganha é uma noite mal dormida -- e de quebra ainda fica cansado para aproveitar o dia segiunte.

Carros e cidades grandes não combinam: o GPS ajuda, mas não elimina o stress do trânsito e da busca de estacionamento.

O carro é perfeito para deslocar-se por estradas secundárias, sem horário nem programa rígido; não por coincidência, as regiões mais apropriadas para explorar de carro são aquelas em que o trem não dá conta do recado (Toscana, Provence, Costa Amalfitana, Sicília, Andaluzia, Portugal, Rota Romântica).

--> Trem: passe ou ponto a ponto?

Passes de trem não valem mais a pena: os dias de uso são limitados e é preciso fazer reserva e pagar suplementos para usar os trens rápidos.

O melhor é fazer os trechos de trem com passagens avulsas, aproveitando tarifas descontadas. Compre diretamente no site da companhia ferroviária do país de origem de cada trecho.

Os únicos passes que continuam um ótimo investimento são os passes nacionais de países que não exigem reservas ou suplementos para uso de seus trens regulares: é o caso da Suíça (Swiss Pass) e da Alemanha (German Pass).

--> Low cost ou não?

Veja bem: aquelas tarifas incríveis de 5 ou 10 euros que fizeram a fama das companhias low-cost da Europa são tão difíceis de conseguir quanto as promoções que as aéreas brasileiras fazem de madrugada. Há muitos custos extraas: para despachar a bagagem, para fazer check-in (mesmo pela internet!), para comprar com cartão de crédito, para marcar assento. O limite de bagagem é avarento (entre 10 e 20 kg) e cada quilo de excesso é cobrado (pelo menos 10 euros por quilo de excesso!). O mais comum é que cada trecho, sem multa de excesso de bagagem, saia em torno de 80 euros.

Antes de sair comprando low-cost a torto e a direito, descubra quanto custaria incluir esses trechos na sua passagem aérea Brasil-Europa-Brasil. Pesquise também quanto custa comprar os trechos internos avulsos nos sites das cias. aéreas convencionais. Com antecedência, costumam oferecer tarifas competitivas nas mesmas rotas.

--> AGORA SIM: compre a passagem aérea

Depois de definir o roteiro e os meios de transporte dentro da Europa, aí sim você está pronto para comprar a passagem aérea mais adequada.

Compre a sua passagem pelo menos até o primeiro destino que você vai efetivamente visitar, voltando do último destino do seu itinerário. Não se prenda aos vôos diretos, nem às companhias aéreas do primeiro ou do último país do seu roteiro. Qualquer aérea pode emitir uma passagem do Brasil a Veneza, com volta ao Brasil desde Praga. O que vai mudar é o aeroporto de conexão.

Definido os pontos de chegada e partida da Europa, orce quanto custa incluir os trechos aéreos internos que você vai precisar fazer entre um módulo e outro do itinerário.

Se cada trecho custar menos de 100 euros (140 dólares), será um bom negócio pela conveniência e pela segurança. (Lembre-se: é difícil conseguir low-costs por menos de 80 euros o trecho, e com as low-costs as conexões não são garantidas e o excesso de bagagem é cruel.)

Passagens multidestinos podem ser compradas com agentes de viagem ou em todos os sites (incluindo aí os das próprias cias. aéreas) que ofereçam a opção "múltiplos destinos" ou "multiple destinations".

--> Quando é melhor fazer as reservas?

Quanto mais cedo você comprar as passagens aéreas, melhores preços deve encontrar (sobretudo se você quiser achar as barbadas das low-costs).

O melhor momento para reservar hotel é exatamente três meses antes da data de hospedagem: é quando as tarifas descontadas aparecem nos sites de reservas de hotéis. Note que os melhores descontos normalmente requerem débito imediato; leia as condições de cancelamento antes de fechar negócio.

Os trechos de trem são lançados nos sistemas das companhias ferroviárias entre 90 e 60 dias antes da data de viagem; as tarifas promocionais aparecem sempre neste momento e esgotam logo.

Dois meses antes de viajar, marque as visitas que podem ser reservadas pela internet: Galleria Uffizi em Florença, Museu do Vaticano, subida à Torre de Pisa, entrada na Alhambra...

--> Cartão, débito ou dinheiro?

Assim como ocorre nos investimentos, o melhor é diversificar.

Leve um pouco de dinheiro vivo (300 a 500 euros) e tente guardar até o fim da viagem. É o seu fundo de reserva para emergências. Mesmo com o IOF mais baixo (O,38%), não vale a pena carregar maços de dinheiro vivo. Primeiro, porque a economia com relação ao cartão de crédito não é de 6% redondos: a taxa de câmbio do euro vivo é sempre um pouco mais alta. A diferença vai dar aí em torno de 4%. Esses 4% de economia não valem a sensação de insegurança de carregar todo o seu dinheiro em espécie.

Para os gastos pequenos em espécie do dia a dia, habilite seu cartão de banco para fazer saques direto da conta corrente. Funciona em qualquer caixa automático (não é preciso achar caixas do seu banco), e o IOF é de 6,38%. Há também a incidência de tarifas fixas;  faça saques sempre equivalentes a 200 euros para que não sejam significativas.

Com a extensão do IOF de 6,38% para os cartões pré-pagos, os cartões de crédito voltaram a ser a melhor alternativa para as grandes despesas. A diferença com relação ao dinheiro vivo, como dissemos no parágrafo acima, será de uns 4%. Pense nesses 4% como uma taxa de conveniência. Se o seu cartão render milhas, você compensa essa diferença emitindo uma passagem nacional na faixa na volta.

Os cartões de débito internacional recarregáveis (tipo Travel Money) hoje só valem a pena como plano C. Leve para carregar à distância, caso dê algum chabu (ou atija o limite de gastos) nos cartões de crédito.

ATENÇÃO:

Desculpe, mas não podemos resolver roteiros individuais de viagem. Perguntas sobre roteiros específicos não serão aprovadas. Obrigado.

Leia mais:

2122 comentários

Melissa
MelissaPermalinkResponder

Olá

No roteiro

Roma
Paris
Londres
Grécia

por onde entrar e sair??

qual a melhor ordem? Serão 20 dias.

Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Melissa!

Comece por este post:
http://www.viajenaviagem.com/2010/07/europa-quantos-dias-em-cada-lugar

Depois, este:
http://www.viajenaviagem.com/2015/01/grecia-dicas-roteiros

A ordem geográfica manda entrar por Londres e voltar por Atenas, ou vice-versa.

Rose
RosePermalinkResponder

Ola, vou em junho com famlia- 6 pessoas. Queremos conhecer Portugal e Espanha, temos em 10 dias de parte terrestre.Na Espanha, maior interesse é Barcelona e Ibiza. Em Portugal, Lisboa e/ou Porto e Compostela. Como montar este roteiro de forma otimizada e economica, levando em conta que não abrimos mão dos 2 países e somos 6 pessoas para viajar?Obrigada!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Ola, Rose! Muitos lugares, pouco tempo.

Leia:
http://www.viajenaviagem.com/2012/03/roteiro-9-dias-europa

http://www.viajenaviagem.com/2007/07/14-dias-em-portugal-e-espanha-pra-carol

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Desista de Ibiza, Rose. Você tem pouco tempo, e não é um destino muito familia. Não subestime Madrid, pessoalmente gosto mais que Barcelona, que acho meio supervalorizada. Não que não recomende, é uma bela cidade, mas muita gente a coloca no nível de Roma ou Paris, e não é assim. Pra festas e noitadas, sim, aí Barcelona é um dos melhores destinos. Grande abraço!

Ana
AnaPermalinkResponder

Boa tarde!!
Estou com uma dúvida cruel se não estou deixando mtos dias pra um mesmo lugar, quem puder me dar umas dicas, agradeço.
O plano é sair do Br rumo a Paris em 23/06, ficando lá 8 dias, rumar para Londres ficando mais 5 dias e de lá para Munique outros 5 ou 6 dias.
A ideia é não ficar apenas nas cidades base, mas fazer arredores... Algumas ideias de cidades?
Paria - Londres faria de trem e Londres - Munique de avião, que tal?

Obrigada!!

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Oi Ana! Sinceramente, eu acho perfeita a quantidade de dias em cada cidade na sua viagem. Algo raro, pois grande parte das pessoas quer aproveitar pra conhecer 10 países em duas semanas. No final passam tão rapidamente que não conhecem nenhuma cidade direito. Tanto Paris (minha preferida!) como Londres merecem vários dias, são cidades relativamente grandes, com muitas atrações e alternativas de passeios por perto. Munique é muito bonita, e você pode fazer vários bate-voltas. Recomendo uma ida a Salzburgo, na Austria, que está a uma hora e meia em trem. Visitar Dachau também é bem emocionante. Enfim, leia bem todos os posts sobre cada cidade:
http://www.viajenaviagem.com/destino/paris/
http://www.viajenaviagem.com/destino/londres/
http://www.viajenaviagem.com/destino/munique/
E para Paris também recomendo o excelente www.conexaoparis.com.br
Os deslocamentos(trem e avião) estão perfeitos. Vai ser uma ótima viagem, sem correrias. Abraço!

Ana
AnaPermalinkResponder

Que bom!!
A ideia é começar por Paris, pois imagino que dos lugares que pretendo ir, é o mais entupido de turistas...
Senão até começaria por Londres, q geograficamente faria mais sentido.

Obrigada!!

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Entre começar por Paris ou Londres, acho que tanto faz, já que você depois iria de avião à Munique. Eu escolheria o que tivesse a passagem mais barata, o importante é que o vôo de volta saía de Munique. E sim, Paris é cheia de turistas nessa época (e Londres também) mas nada insuportável. Vale a pena comprar o Paris Museum Pass de 6 dias, você evita as filas nos caixas das principais atrações (Versailles incluído) e é um excelente custo/beneficio. Praticamente só a Torre Eiffel não está incluída no passe ( Museu Picasso ou Fundação Louis Vouiton tb não). Seria bom tentar comprar a entrada pra Torre antecipadamente online, 90 dias antes, exatamente as 8 e meia da manhã de Paris (5 e meia no Brasil). Em Londres, maravilha, os museus são grátis e com poucas filas. Compre o antes possível a passagem de trem no www.eurostar.com , para conseguir um bom preço, as vendas já estão abertas e essa época é bem demandada.

Ana
AnaPermalinkResponder

Puxa, qtas dicas boas! mto agradecida!
To de olho ver se as passagens dão uma baixada ou rola alguma promoção pq tá de 3.500,00 p/ cima!!

André Lopes
André LopesPermalinkResponder

Olá Ana,

Estamos indo em Set/15 pra Europa e conseguimos passagem pela Royal Air Maroc (São Paulo-Marrocos-Londres-Marrocos-São Paulo) por $488,00. Mesmo com o dolar nas alturas está dando menos de R$2.200,00 com tudo.

Nunca voamos nesta cia, mas já iniciaremos o roteiro pela coragem!!! kkkk

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Que barata essa passagem!! É uma boa cia aérea, já voei para a Europa com eles e foi ótimo.

Danielle
DaniellePermalinkResponder

Olá! Compramos a passagem Brasil/paris ida e volta, mas queremos conhecer a Itália tb, coma passada em Nice e Cannes. Vamos ficar 15 dias, em paris 4 noites, qual roteiro você indicaria, e como (carro, trem ou avião)?

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

A Itália tem muitas opções e como vc não disse onde exatamente vou assumir que seja Roma/Florença. Eu iria de avião até Roma, passaria uns dias na cidade, pegaria um carro e subiria pela Toscana em direção à França. Passaria por Nice e Cannes e deixaria o carro em Marselha de onde pegaria um TGV para Paris.

Só fique ligada que o trecho Paris-Roma de avião terá uma franquia de bagagens diferente do trecho intercontinental, ainda mais se for uma low-cost (nesse caso vc deve ter que comprar sua franquia de bagagem). Veja bem os dias que vc pretende ficar em cada lugar e as distâncias a serem percorridas de carro para não ficar uma viagem muito corrida.

Vivic@
Vivic@PermalinkResponder

Olá,
Eu estou tentando montar um roteiro incrível para meu aniversário de casamento (10 anos!!) que vai começar em Paris e de lá sairíamos de carro para explorar um pouco Côte d'Azur, terminando em Roma, mas queríamos passar em Veneza e Florença. Parece um roteiro meio doido, pois não é muito linear, mas teríamos no total de deslocamento Brasil-Europa 20 dias. Vale a pena ou é muita coisa em uma viagem só? Obrigada desde já!!

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Olá, eu acho totalmente viável, com uma observação: de Paris a Marselha (apenas como referência na região próxima a Cote d'Azur) são 775 km. Eu acho muito pesado. Eu faria esse trecho de trem (acho que tem TGV nesse trecho. É barato se comprar com antecedência e super rápido) e só então pegaria um carro.

Na Itália vc pode ir direto a Veneza (mas tb é um trecho longo) e depois descer para Roma via Florença.

Arlene Maia
Arlene MaiaPermalinkResponder

Em um 2008 fizemos um roteiro parecido de carro, só que ao contrário: pegamos o carro em Roma, subimos pels Toscana, atravessamos para Veneza, atravessamos de novo até San Remo (onde devolveríamos o carro italiano, mas deu errado e crepzamos com o mesmo para a Côte D'Azur). De lá fomos até Annecy e depois para Paris. Foi tudo tranquilo, com duas pessoas dividindo a direção e apreciando as paisagens. Mas precisa ter tempo suficiente para não virar rally!

Miriam
MiriamPermalinkResponder

Bom dia.
Tenho um sonho em conhecer a Toscana .. Vale à pena percorrer ela toda ?
É uma vontade muito estranha ..mas preciso ir.
Quero percorrer de carro com meu marido, não somos " tão " novos e tenho receio das estradas.
Queria tambem conhecer Portugal, mas sou totalmente leiga em viagens pela Europa .. O que fica mais em conta .. ir pela Itália ou por Protugal ?
Voce pode orientar, por gentileza, no roteiro dessa minha tão esperada viagem ?
Nossa estadia pode ser de até 20 dias .. É pouco ?
Agradeço de coração por sua ajuda
Abraços

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Miriam, via de regra, Portugal tende a ser mais em conta que a Itália. Mas são viagens bem diferentes. Sobre a Toscana, acho totalmente viável conhecê-la toda. Tenho muita vontade de fazer isso. Você pode fazer base em Siena (ou arredores) e sair para conhecer. Aqui no VnV tem vários roteiros de carro já prontos para Toscana. Olhe o link abaixo:

http://www.viajenaviagem.com/destino/toscana/

Rubens
RubensPermalinkResponder

Olá, estou planejando ir a Europa e gostaria de conhecer Portugal (Lisboa), Espanha (Barcelona e Madri), França (Paris) e Itália (Roma e Veneza). Creio que terei de 15 à 20 dias para a viagem. Acha que é viável esse roteiro? essa seria a melhor ordem? Em quais trechos eu conseguiria utilizar trem? Obrigado

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Tem cidade demais para pouco tempo. Vai ficar muito corrido, SE der pra fazer tudo (eu acho que não). Se vc tirar a Itália do roteiro já ajuda, mas mesmo assim vc vai perder bastante tempo em traslados.

O único trecho que vejo ser viável de trem é Madri-Barcelona. Os outros ficariam longos demais.

evelyn
evelynPermalinkResponder

olá, estou pensando em ir para portugal, reservei o seguinte roteiro: 02dias em fatima, 02 dias em aveiro, 02 porto 03 dias em lisboa, 02 dias em algarve e 03 dias em funchal.estava procurando os hoteis para reservar pelo booking, quando parei pra dar uma olhada no reclame aqui, várias reclamações, então gostaria de saber, o que você mudaria neste roteiro e se o site booking é confiável, pois não quero chegar lá em portugal para descobrir que não é, visito seu site religiosamente sempre antes de viajar para pegar dicas de locais, hoteis meios de transporte, vejo que sempre responde as questões com seriedade, parabéns pelo site e pelo comprometimento, abraços

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

O Booking é confiável sim, mas é sempre bom conferir os reviews dos hotéis no Tripadvisor e no próprio Booking. Vc tb pode reservar diretamente no hotel, caso se sinta mais confortável com isso.

evelyn
evelynPermalinkResponder

e sobre o roteiro, penso em fazer de carro, chegando no aeroporto de lisboa pegando um carro e fazendo fatima que pelo que ví fica proximo, de lá seguir para as outras cidades, retornando a lisboa para ficar 3 dias e depois seguir para algarve, vi que a passagem de lisboa para funchal é mais barata do que de algarve para funchal.então estou pensando em sair de algarve voltar para lisboa devolver o carro e voar para funchal, vc acha que dá certo este roteiro, ou é pouco tempo para muitas cidades?

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Evelyn, eu havia escrito mas sumiu. Então vai de novo (se eu lembrar de tudo, rs).
Na minha opinião, vc está fazendo uma distância bem grande em pouco tempo. Se vc resolvesse fazer base em Lisboa, poderia conhecer Sintra, Cascais, Fatima, Obidos, Nazaré e talvez até Coimbra. Depois poderia ir para o Algarve. Dessa forma, vc aproveitaria melhor seu tempo em Portugal.
Se mesmo assim vc quiser fazer seu roteiro original, eu recomendo vc ir de trem até o Porto e alugar um carro para ir descendo (Mas acho que não precisa de dois dias em Fátima). Assim vc ganha tempo e acho que faz mais sentido.

evelyn
evelynPermalinkResponder

obrigado Thiago

evelyn
evelynPermalinkResponder

obrigado Thiago

Flavio M. Fernandes

Me permita uma sugestão. Eu gosto de fazer base em Nazaré é uma cidade de praia muito pitoresca. Fatima fica perto e vc aproveita e conhece Batalha e Alcobaça. Sugiro tambem Obidos que é imperdível e dá para conhecer Peniche e o Cabo Espichel. Saindo do aeroporto de Lisboa de carro vc já aproveita e passa em Mafra para tirar umas fotos do Mosteiro. Sempre reservo meus hoteis pelo booking.com e nunca tive qualquer problema. Alugo sempre o carro pela Hertz no Brasil pago em 5 parcelas no cartão de crédito e retiro o veiculo no aeroporto e no balcão peça o Via Verde que é o aparelho para passar pelo pedágio sem precisar de dinheiro. Vc paga na volta ao Brasil juntamente com os impostos do aluguel do carro. Se quiser economizar leve seu GPS do Brasil e só compre o mapa da Europa.
Aveiro vale uma visita e um passeio nos canais e tambem conhecer a praia de Aveiro com suas casas listradas e ainda tem um lindo farol.
O Porto tambem vale a pena e atravesse o Douro e veja o Porto de Vila Nova de Gaia é muito lindo. Minha dica é fazer o passeio de teleferico em V. N. Gaia e vc ainda ganha um voucher para degustar um vinho do Porto.
As estradas são muito boas e tranquilas e as distancias são relativamente curtas mas acho que ainda conhecer Lisboa, Algarve e Ilha da Madeira é um exagero. Eu optaria por Lisboa e arredores (Queluz, Sintra, Cascais) e deixaria Funchal e mesmo o Algarve para uma próxima juntamente com o Alentejo.

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Evelyn, sinceramente eu acho pouco tempo. Na minha humilde opinião (mas é questão de gosto, fique à vontade para fazer o que quiser, claro), vc deveria se concentrar numa região menor. Ficando em Lisboa, vc poderia conhecer Sintra, Cascais, Fatima, Obidos, Nazare e talvez até Coimbra e depois ir fazer o Algarve. Desse jeito que vc colocou, vc vai andar muito e aproveitar pouco. Mas se mesmo assim decidir por esse roteiro, dá pra fazer numa boa de carro. Mas pense em ir de trem até o Porto e aí descer de carro. Acho que faz mais sentido.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Evelyn! O Booking é totalmente confiável, é nosso parceiro e o maior site de reservas de hotéis do mundo. Seu serviço de atendimento ao cliente é excepcional e é feito em português.

Sobre seu roteiro, leia antes:
http://www.viajenaviagem.com/2010/07/europa-quantos-dias-em-cada-lugar

elizabeth
elizabethPermalinkResponder

responder para Evelyn:,fiz viagem em 12/2014 para Portugal com todas reservas pelo Booking sem nenhum problema ,ja fui para varios hoteis nunca tive problema e para o Porto deixe mais dias,como dica faça o passeio pelo rio Douro é encantador

telma machado
telma machadoPermalinkResponder

gostaria de saber de meados de abril 10,20 é um bom período para se visitar o sul da frança ou a região almafitana. qual o melhor nesta época almafitana,região de nice e monaco ou andaluzia?

Sinara de Pinho Peralta

Ola Boia! Minha filha esta morando em Bruxelas e estamos indo de ferias pela primeira vez para lá,teremos 25 dias para fazer um tour a partir de lá,gostaria de um roteiro com bate voltas e quantos dias em cada lugar, como não conhecemos nada lá gostaria de sugestão para conhecer Paris, Holanda e se der mais alguns lugares em Bruxelas .Saímos de Porto Alegre direto Para Bruxelas dia 12/03 a 09/04 sendo que 02 de abril estamos de aniversário de casamento.

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Ricardo e Bóia,

Muito obrigado pelo site! Vcs tornaram minha lua de mel ainda mais inesquecível (fui pra Cancún e NÃO fiquei em all-inclusive).

Vou da França (Paris) para Itália (Milão-Veneza) ficando 4 dias na Suiça (tudo prioritariamente de trem). Quero ficar 1 dia em Montreux para pegar o Trem do Chocolate e e depois rumar pra Lucerna ficando lá 3 dias inteiro e depois seguir para Itália.

Pergunta: esta é a rota mais mais racional? Ou faço Paris-Lucerna-Montreux-Milão? Ou dá pra ficar os 4 dias em Lucerna e fazer o Trem do Chocolate em um bate e volta? Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leonardo! Faça Paris-Lausanne e de lá já siga para Montreux. De Lucerna a Milão você vai pelo Wilhelm Tell Express.

Leia:
http://www.viajenaviagem.com/2013/09/roteiros-trem-suica-swiss-pass

Tiago Amaral
Tiago AmaralPermalinkResponder

Ricardo e Bóia,

Sempre estou no VnV e também ouço diariamente as dicas do Ricardo na rádio.

Preciso de um help de vocês... Estou iniciando o planejamento da minha primeira viagem para Europa. Vamos Eu e minha esposa (casal de 32 anos sem filhos e com um orçamento que não permite luxos e abusos mas que dá para não ficar em hoteis e não em albergues - já passei perengue com isto ).

Queria a ajuda de vocês... Diante das opções abaixo, qual vocês escolheriam fazer (se puder classificar em ordem (1,2,3), ficaria feliz)

Opção A - Paris, Londres e Roma ( 4 dias em cada);
Opção B - Paris, Londres e Amsterdam ( 4 dias em cada);
Opção C - Paris, Londres e Frankfurt ( 4 dias em cada);
Opção D - Paris (4 dias) , Barcelona (2 dias), Madri (2 dias), Lisboa (4 dias);
Opção E - Paris (4 dias) , Barcelona (2 dias), Madri (2 dias), Lisboa (4 dias);
Opção F - Paris (4 dias), Roma ( 4 dias em cada), Barcelona (2 dias), Madri (2 dias),

Desde já, muito obrigado e parabéns pelo site. Suas dicas são excelentes!

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Oi Tiago, respondendo sua pergunta:

1) Opção B (acho que tem a logística mais redonda, mas eu começaria em Amsterdã e terminaria em Londres ou vice-versa);
2) Opção D (acho que tem uma boa logística tb);
3) Opção A.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thiago! Quem responde é A Bóia. Se você ler o post com atenção, vai ver que o Ricardo Freire escolheria as opções A, B, ou C. Na Alemanha, ele indicaria Munique ou Berlim no lugar de Frankfurt.

Cristian
CristianPermalinkResponder

Boa noite pessoal! Estou com dúvida quanto ao período de permanência no espaço schengen. Os 90 dias sem a necessidade de visto são consecutivos? Estou com planejamento de viagem de 96 dias e nesse período passarei 5 dias em Moscou e 3 em Dublin. Com isso ficarei 88 dias intercalados "dentro do Schengen" . A chegada será na Espanha e a saída na Holanda. É possível sem o visto? Obrigado. Boa noite

Marlua
MarluaPermalinkResponder

Olá!! Bóia, Ricardo...
Bom só venho deixar meu testemunho sobre a viagem que fiz a Europa de 15/12/14 à 14 /01/2015...
Foi um mês, realmente pude testificar lá muitas dicas que foram dadas aqui...
O local q. mais fiquei foi Portugal... Lisboa, Coimbra, Serra da Estrela, Obitos, Aveiro, Sintra...Adorei, adore, adorei... Contabilizando em Portugal fiquei 15 dias.
Depois 1 semana em Madri e 4 dias em Paris.
Impressões gerais: com relação a economia, vi muitas pessoas principalmente em Lisboa e Madri fazendo uso de ônibus de turismo. Sinceramente não acho que vale muito a pena, visto que o transporte público (metrô) funciona muito bem e atende todos os pontos turísticos visitáveis, sobretudo em Paris.
A alimentação em Portugal é a melhor mais barata... Em Madri tomei literalmente um "tapa" no estômago rs.... Não me dei mto bem com a comida de lá...
Paris... Bom estava lotada de brasileiros, mas nem por isso menos cara... E a culinária... Cheguei a conclusão que igual a do Brasil não existe igual!
Enfim é muito bom viajar, não gastei quanto achei que gastaria, o q. torna mais cara a viagem, realmente são as passagens aéreas e a entrada nas atrações turísticas.
Sobre o povo... Os portugueses são gente boa e prestativos, um povo muito franco...
Os espanhóis, gentileza não é bem o forte deles, são ríspidos e indiferentes muitas vezes.
E os franceses... Me identifiquei demais, ótimos, educados, prestativos, elegantes...
É isso, algumas impressões, espero ter contribuído. Alguma dúvida é só falar.

Emmanuelle
EmmanuellePermalinkResponder

Oi, gente! Viajo pra Europa desde os meus 12 anos de idade e tenho algumas dicas pra contar pra vocês no meu blog http://www.dupladeviagem.com.br/search/label/Europa Dá uma conferida wink

Roberta
RobertaPermalinkResponder

Gente, please me ajudem! Estou tentando montar um roteiro Milão-Roma ou Roma-Milão... Gostaria de saber por onde é melhor chegar, considerando que iríamos alugar um carro para fazer esse percurso. Vale a pena? Temos 9/10 dias para isso, mas não faço a mínima ideia de como começar. Já li vários posts daqui, inclusive o Europa em 9 dias, mas ainda estou perdida. Estamos em 4 pessoas. Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roberta! Desculpe a sinceridade, mas é você que não quer ser ajudada. O post dos 9 dias se molda perfeitamente à sua viagem. Se você espera que a gente escreva um post sobre como vale a pena fazer uma viagem de carro entre Roma e Milão passando por Veneza e Florença, pode esperar sentada... é uma péssima decisão fazer esse roteiro de carro. Siga os conselhos do post e faça de trem. Ou não siga os conselhos do post, mas também não peça que a gente resolva um roteiro que a gente não aconselha...

jorgeluz
jorgeluzPermalinkResponder

É incrível como as pessoas tendem à transgredir: A última frase do blog é "Não podemos resolver roteiros especificos de viagem.." e é justamente sobre isso que mais as pessoas perguntam! Tentem (com o maior prazer que isso proporciona) fazer seus próprios roteiros, pesquisando nas dicas do Ricardo e outros sites: Isso faz parte das melhores coisas numa viagem!

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Não tem jeito. Tem uma galera muito acomodada mesmo e que quer tudo na mão. Meu conselho? Quer tudo na mão, então abra a mão e contrate um agente de viagens. Aí, já que vc está pagando, vc tira o couro dele. Se não for assim, então tem que pesquisar né?!

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

As dicas são bacanas e úteis, mas discordo quando pede para evitar os trens noturnos. Acho essa uma bela opção para trechos longos em que você economiza diária de hospedagem. Os trens, pelo menos a grande maioria q peguei quando viajei a Europa, são confortáveis e se consegue dormir tranquilamente. Alguns até tem cabines com camas.

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Algumas cabines de 2ª classe são para 6 pessoas. Tenso demais viajar com outras 5 pessoas, ainda mais se forem estranhas (em todos os sentidos). Um amigo fez isso de Veneza a Paris e, na prática, ele não dormiu para que sua esposa o fizesse.

Se vc pegar uma cabine individual, aí é tranquilo. O problema é que é bem mais caro. Esse é o ponto que o post levanta.

Tânia Regina Santos

Sobre Portugal, fiz a viagem ano passado e fiquei 19 dias divididos dessa forma : Entrei por Lisboa e fiquei sete dias no Hotel Altis Suites, excelente, perto de muitas atrações. Nesse período, fomos a Sintra, Cascais e Estoril além de conhecer bem a cidade de Lisboa. No 8º dia pegamos um vôo ás 7 da matina para Ilha da Madeira ( vale muito a pena conhecer mas, tem que alugar carro ) Ficamos 03 dias e depois retornamos a Lisboa no 4º dia bem cedo, pegamos o carro no aeroporto alugado daqui do Brasil e partimos para o norte de Portugal. Fomos direto para Fátima, assistimos a missa, visitamos o Santuário e partimos pois não tem mais nada para fazer. Chegamos em Òbidos na hora do almoço, cidade medieval, toda murada que vale muito a pena conhecer.Dormimos em Óbidos e saímos cedo para Nazaré .Passamos o dia lá e fomos dormir em Batalha. Saímos depois do almoço para Alcobaça. Dormimos em Alcobaça e partimos para a vila de Piódão ( inesquecível). Leva bastante tempo para chegar lá porque é na serra mas valeu muito a pena.De Piódão fomos para Coímbra onde ficamos 02 dias inteiros. De lá fomos para o Porto que na minha opinião é a cidade mais linda de Portugal. Ficamos 03 dias, com direito a passeio de 01 dia inteiro pelo Douro até Peso da Régua. Fui de barco, com direito a almoço, vinho, etc... e retornei a noite para o Porto, de trem. No dia seguinte partimos bem cedo e cruzamos Portugal rumo ao sul.As estradas são muito seguras, tranquilas e a paisagem fabulosa. Chegamos em Évora bem antes do almoço. Ficamos duas noites em Évora e de lá fomos a Monsaraz. Dormimos por lá e no dia seguinte retornamos a Lisboa. Chegamos por volta das 16h. Ainda teriamos 01 noite em Lisboa, nosso voo era no dia seguinte ás 9 h para o Brasil. Dormimos no Ibis próximo a Av. da Liberdade ( ótimo ) jantamos no Solar dos Presuntos e na manhã seguinte saímos para o aeroporto onde devolvemos o carro e retornamos ao Brasil.Quero ressaltar que toda viagem foi programada usando blogs de viagem e o VnV foi fundamental.Espero ter ajudado alguém.

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Olha, que bom que você gostou da sua viagem (e é isso que importa!), mas a logística está bem complicada hein.

Ir à Fátima para dormir em Óbidos é andar mais do que precisa de carro. Eu fiz Óbidos e Nazaré como bate e volta de Lisboa e foi super tranquilo. Depois fui direto pro Norte passando por Fátima. Acho que faz mais sentido. Outra hipótese que poderia fazer sentido era fazer na ordem: Óbidos- Nazaré-Alcobaça-Batalha e aí sim Fátima.

A mesma coisa é ir à Piódão e depois voltar a Coimbra. Seria melhor conhecer Coimbra, ir à Piódão e depois continuar subindo para o Norte (provavelmente por Viseu). No meu caso, eu preferi atravessar a Serra da Estrela e foi fantástico.

A parte do Porto está ok (se bem que eu adorei chegar pelo Pinhão, dormir 2 noites no alto de uma colina de frente pro Douro e só depois ir pro Porto), mas não faz nenhum sentido chegar ao Porto e então descer tudo de novo para Évora que fica lá perto de onde vc começou. São quase 400 km desnecessários!

Bem, novamente, que bom que vc curtiu bastante, mas acho que é importante fazer esse alerta da questão logística pra quem estiver pesquisando poder fazer as melhores escolhas.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Comentar novamente

Cancelar