Montevidéu

Feira Tristán Narvaja, MontevidéuDoce deleite | Ricardo Freire

Oficialmente o Oceano Atlântico só começa em Punta del Este, mas o rio da Prata está tão presente em Montevidéu que todos se referem a ele como ‘mar’.

O Prata contorna a península onde está o centro histórico e então desenha uma orla de balneário para os bairros residenciais. Em Punta Carretas e Pocitos estão shoppings, restaurantes e a vida noturna; em Buceo, a marina; em Carrasco, mais afastado, as mansões dos ricos.

A arquitetura conta a história da expansão de Montevidéu, dos prédios clássicos da cidade velha à elegância anos 60 dos bairros da orla.

É a maior metrópole do mundo gaucho – um lugar onde ninguém vive sem carne e mate (e dulce de leche). Um destino na medida para explorar num fim de semana.


Quando ir Como chegar Onde ficar? O que fazer
Palacio Salvo, Montevidéu Teatro Solís, Montevidéu Pocitos, Montevidéu Mercado del Puerto, Montevidéu
Primavera e outono têm temperaturas agradáveis, tendendo para o frio. O verão é quente e úmido. O inverno é gelado.

Apesar do calor, uma época bastante interessante para ir é janeiro e fevereiro antes do Carnaval. É quando acontecem as entradas, prévias carnavalescas ao som do candombe e de percussão afro-uruguaia, no começo da noite de domingo. No carnaval propriamente dito, porém, a cidade fecha.

Punta del Este vive seu auge do Natal ao Carnaval. Fora de temporada a cidade fica bastante quieta. Permanecem abertos apenas o cassino e os restaurantes tradicionais da Península.

A falência da cia. aérea uruguaia Pluna, que não tem sucessora, diminui bastante a oferta de vôos diretos do Brasil para Montevidéu.

As únicas cidades com vôos diretos agora são São Paulo (Gol e TAM), Rio de Janeiro (TAM) e Porto Alegre (Gol). De todas as outras localidades é preciso fazer conexão.

Punta del Este tem vôos diretos na temporada, vindos de São Paulo (Azul) e Porto Alegre (Buquebus).

Punta fica a uma hora e meia de carro; Colonia del Sacramento está a 2h30 de ônibus.

Pode-se ir a Buenos Aires de barco (3 horas) ou avião (30 minutos).

O bairro onde é melhor dormir e acordar na capital uruguaia é Pocitos, um bairro classe média alta localizado junto ao rio. Você pode caminhar pelo calçadão da Rambla (a avenida que acompanha a orla), curtir os bares animados e a variedade de bons restaurantes, e ainda aproveitar o shopping de Punta Carretas. O centro velho estará a menos de 100 pesos de táxi (cerca de 5 dólares).

Quem se hospeda no Centro e nas imediações da cidade antiga, porém, fica perto dos pontos turísticos. Dali a Pocitos são pouco mais que dez minutos de táxi.

As diárias costumam baixar nos fins de semana – mais um empurrãozinho para você dar aquela escapulida a Montevidéu.

Na Cidade Velha, faça a visita guiada ao Teatro Solís; almoce no balcão de um dos restaurantes do Mercado del Puerto, vendo o churrasco ser preparado à sua frente; visite o Museu do Carnaval; tome um expresso no Café Brasilero.

Vá sexta ou sábado a noite ao Baar Fun Fun e fique para ouvir a banda de candombe. No domingo, a feira Tristán Narvaja (de hortaliças, bichos, antigüidades e cacarecos) é imperdível.

Colonia del Sacramento é muito longe para um bate-volta; visite a cidade a caminho de Buenos Aires, ou durma lá uma noite pelo menos. É possível passear em Punta del Este de carro; mas no verão o bacana é ficar uns dias por lá.

Leia também:

–> Primeira viagem: roteiro completo para Montevidéu por Ricardo Freire

–> Índice de posts, sites e relatos de Montevidéu, organizados por assunto por Ricardo Freire

–> Hotéis de Montevidéu comentados por leitores por Ricardo Freire

508 comentários para “Montevidéu”

1 ... 4 5 6