Caindo a ficha: Santiago

Santiago do Chile

Precisei de doze dias, espalhados em três visitas, para que finalmente caísse a ficha de Santiago do Chile para mim.

Isso só aconteceu quando eu 1) deixei de procurar Buenos Aires em Santiago e 2) parei com a minha implicância com a parte moderna da cidade.

Mi Santiago querido

A síndrome da comparação com Buenos Aires, que já prejudica bastante nossas visitas a Montevidéu, pode nos fazer passar batidos pelas qualidades de Santiago.

Não se deve perder tempo procurando a arquitetura clássica de Buenos Aires, a sensualidade do tango, os preços indecentes de baratos. Santiago é uma cidade com arquitetura prática, moldada por terremotos, e urbanismo avançado. O chileno é tímido e ordeiro, sem os arroubos extravagantes do argentino. A economia é tocada com responsabilidade há décadas, e por isso a moeda não está subvalorizada. Santiago (o Chile!) não é um lugar que viva do seu passado — e é por isso que ignorar a parte moderna da cidade, como eu fiz das duas primeiras vezes em que lá estive, é um erro amador. Assim como a Recoleta é a expressão da prosperidade argentina da primeira metade do século passado, Las Condes e seu entorno reflete o extraordinário progresso das últimas décadas.

O que é que Santiago tem?

Para o visitante, a primeira qualidade de Santiago tem a ver com logística. Santiago é uma base perfeita para inúmeras viagens curtas, cada uma com um sabor diferente: a colorida cidade portuária de Valparaíso (praticamente a antítese da comportada capital), a elegante Viña del Mar (que está com a visita prejudicada enquanto os palacetes interditados depois do terremoto sejam reabertos), as vinícolas do Vale de Casablanca, as estações de montanha.

Com sorte, você vai pegar um dia em que lá pelo fim da manhã a névoa ao longe se disperse e de repente acenda as cordilheiras que circundam a cidade. Ver os Andes nevados como pano de fundo do skyline não tem preço.

Armado de boas informações, você come muitíssimo bem em Santiago. A qualidade dos ingredientes — frutos do mar, legumes e frutas, carnes também — é espetacular. E os preços, se não são risíveis como os argentinos, são muito razoáveis para quem se aventura por restaurantes da mesma categoria em São Paulo ou Rio.

E finalmente: quando você parar de procurar o antigo, o típico ou o extravagante, você vai se dar conta do que faz Santiago ser realmente incrível: a civilização. Como pode existir uma metrópole tão limpa, organizada, ordeira, em latitudes sul-americanas? Ver com os nossos próprios olhos que isso é possível já vale a viagem.

(Parênteses: na primeira das três viagens recentes, tuitei, todo trabalhado no sarcasmo, que Santiago era a maior Curitiba do planeta. Nessa terceira passada, cristalizei a minha impressão inicial. Só que desta vez isso se transformou em elogio sincero.)

Pronto. Agora que já expliquei Santiago a mim mesmo, posso tocar os posts que faltam: onde se hospedar e onde se divertir. Güentem mais um pouquinho.

Leia mais:

189 comentários

Boa tarde
Vou em setembro para o chile,saindo de campinas são paulo.
Gostaria de ir para porto Varas(lagos andinos)e depois ir de avião para São pedro do atacama,é possível ir direto assim?Grata
Bigitte

    Olá, Brigite! Da mesma maneira que não existem vôos diretos entre Florianópolis e Manaus ou entre Curitiba e Fortaleza, não existem vôos diretos entre Puerto Montt e Calama (que são as cidades com aeroportos mais próximas de Puerto Varas e San Pedro). Tem que fazer uma conexão em Santiago.

Estive em Santiago no carnaval… concordo em gênero, numero e grau com as colocações postadas aqui… e acrescento, encantadora até nos cães de rua que são cuidados por uma ONG parece que ligada ao governo, são vacinados e castrados, calmos parecem guias para te ajudar a atravessar as ruas… nunca tinha visto nada igual.. e todos calmos e na deles, não saem atrás da gente não.
As pessoas realmente educadas e na delas, cara de povo civilizado. Um único detalhe, eles vivem um pouco o padrão americano para turista, somente lhe dão informações turísticas e ai algumas coisas saem caro, dois exemplos: 1 – eu queria ir ao cassino custo do hotel ida e volta 100 mil pesos (R$500,00) depois me informei em alguns sites tinha ônibus que levava ao cassino ida e volta 6 mil pesos (R$30,00), o ponto era a duas quadras do hotel e ninguém no hotel (ótimo hotel) não foi capaz de me dar essa informação. 2 – Mesma coisa ocorreu para ir a Valparaíso e Vina del mar… consegui economizar quase 40 mil pesos indo via linha de ônibus e pegando guia la na cidade. Portanto fica a dica, pesquisar em sites e andar um pouco vale a pena e economiza, o metro é 10 e te leva a qualquer lugar. Abraços.

Já se foi o tempo onde as coisas em Buenos Aires eram ridículas de tão baratas! Agora estão é muuuuuuito caras. R$ 12,00 num suco de laranja!!!

    Olá, Polliana! Suco e café sempre foram caros por lá. Barato é vinho :mrgreen:

Oi pessoal,

vou ficar 6 dias em santiago( do dia 23 ao dia 29)em março. Nessa época dá para levar predominantemente como vestuário calça jeans e blusas mais leves e casaco tipo jaqueta? Ou de noite a temperatura geralmente cai bastante e devo levar roupas mais pesadas?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.