Foz do Iguaçu

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Foz do Iguaçu: o que fazer | Roteiro de passeios

Não, Foz do Iguaçu não termina depois da visita às Cataratas brasileiras (e de um pulinho para muambar no Paraguai). Há muito o que fazer na cidade e arredores -- já pensou em visitar as ruínas jesuíticas dos arredores? Veja aqui por que você deveria ficar mais tempo em Foz.

Menu | Quantos dias? | Deslocamento | Ingressos | Roteiros prontos | Atrações A-Z

  • Quantos dias em Foz do Iguaçu?

O que fazer em Foz do Iguaçu - quanto dias

Para visitar o essencial de Foz do Iguaçu você vai precisar de 3 dias inteiros.

Se você tiver entre 4 e 7 dias, além de cobrir o básico, vai enriquecer sua viagem com passeios e atividades que tenham a ver com seu perfil: compras, programas para fazer com crianças, ecoturismo, um segundo dia no parque argentino, uma esticada às Missões paraguaias e argentinas -- ou simplesmente aproveitar a estrutura do seu hotel estilo resort.

Menu | Quantos dias? | Deslocamento | Ingressos | Roteiros prontos | Atrações A-Z

  • Como se deslocar por Foz do Iguaçu

O que fazer em Foz do Iguaçu: como se deslocar

O que não falta em Foz do Iguaçu são alternativas de transporte. Dá certo de todo jeito. Se você gosta de alugar carro, alugue, que vai ser proveitoso. Mas se você quer fazer os passeios sendo buscado e deixado no hotel, é só comprar os passeios das agências. Além disso, dá para se deslocar de táxi, de Uber e, pasme, de transporte público, que é bastante eficiente (os gringos usam demais).

Na página Como chegar e se deslocar em Foz do Iguaçu você pega o serviço completo do transporte na cidade, incluindo que ônibus pegar para cada atrativo e uma estimativa das corridas de táxi. Clique para ir ao tópico desejado:

Como se deslocar | Carro alugado | Trânsfer | Táxi | Uber | Ônibus

Menu | Quantos dias? | Deslocamento | Ingressos | Roteiros prontos | Atrações A-Z

  • Como comprar ingressos

O que fazer em Foz do Iguaçu: como comprar ingressos

Você pode comprar ingressos na bilheteria das atrações, nos sites das atrações, nos sites das agências e também no seu hotel, onde certamente haverá um posto avançado de alguma agência no saguão da recepção. Algumas agências também vendem transporte compartilhado às atrações.

Caso você compre ingressos online, preste atenção nas condições. Algumas agências e atrações requerem que você imprima o voucher para levar. Peça para imprimir na recepção do seu hotel.

O parque argentino das Cataratas só vende ingressos na bilheteria. O parque não aceita reais: é preciso pagar em pesos ou com cartão de crédito. (O passeio Gran Aventura, porém, é vendido pelas agências no Brasil em reais.)

Há dois pacotes de ingressos com desconto oferecidos pelas atrações. O Passaporte 3 Maravilhas cobre as Cataratas brasileiras, o Marco das 3 Fronteiras e a visita panorâmica a Itaipu. O Passaporte Dreams vale para o complexo Dreamland (museu de cera, Vale dos Dinossauros, Maravilhas do Mundo e Drams Ice Bar).

Precisa comprar com antecedência?

Compre com antecedência o ingresso do Macuco Safari, porque o número de visitantes por dia é limitado.

Os passeios de Itaipu também devem ser comprados antes, porque têm hora marcada. Se você chegar a Itaipu sem ingresso, talvez não consiga pegar a próxima saída do passeio desejado.

Se você vai para as Cataratas argentinas de transporte compartilhado, também vale a pena reservar alguns dias antes para garantir o seu lugar no transporte.

Menu | Quantos dias? | Deslocamento | Ingressos | Roteiros prontos | Atrações A-Z

  • Índice de atrações

Atrações A-Z | Acquamania | Bares de gelo | Cassino | Cataratas argentinas | Cataratas brasileiras | Compras | Dreamland | Ecoturismo | Gran Aventura | Feirinha | Itaipu | Macuco Safari | Maravilhas do Mundo | Marco das 3 Fronteiras | Mesquita | Missões | Parque das Aves | Shows folclóricos | Skydive | Sobrevôo de helicóptero | Supercarros | Templo Budista | Vale dos Dinossauros

  • Dia da chegada: que passeios encaixar

Para mais informações (como é o passeio, quanto custa, como chegar, etc.) clique no nome da atração.

O ideal é conseguir chegar a Foz do Iguaçu à noite, para que no dia seguinte já dê para engatar os passeios mais importantes. Mas se você chegar durante o dia, sempre vai ter algum passeio para encaixar de cara.

Chegando até o meio-dia

Se o dia estiver bonito, é uma boa oportunidade para fazer o Sobrevôo de helicóptero.

Se o tempo não colaborar (ou você não quiser cacifar o helicóptero), pode adiantar a visita ao Parque das Aves.

Se você reservar com antecedência a visita à Mesquita, pode fazer uma tarde árabe em Foz, combinando com um almoço tardio no ótimo restaurante Castelo Libanês.

Chegando até as 16h

Caso você chegue só no meio da tarde, ainda pode ir ao Marco das 3 Fronteiras.

Chegando até as 18h

Se você gostar de shows folclóricos, pode chegar chegando: tem o Jantar-Show Latino-Americano e o espetáculo Yporã na churrascaria Rafain, e show de tango (de 5ª a sábado) no restaurante El Quincho del Tío Querido, em Puerto Iguazú.

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Dia 1: Cataratas brasileiras e Parque das Aves

Sua viagem a Foz só terá começado de verdade quando você se vir diante das Cataratas do Iguaçu. Saindo cedo, você consegue encaixar no mesmo dia o circuito panorâmico do parque brasileiro, uma voltinha no Macuco Safari (compre com antecedência) e ainda sair a tempo de visitar o Parque das Aves, que fica colado ao parque.

Cataratas brasileiras

O que fazer em Foz do Iguaçu: Cataratas brasileiras

O parque brasileiro é organizado e muito fácil de visitar. Ônibus saem a todo momento do Centro de Visitantes e levam até o restaurante Porto Canoas. No caminho há três paradas: na entrada da trilha do Poço Preto, no Macuco Safári e na saída para a Trilha das Cataratas.

Salte na parada Trilha das Cataratas para fazer o circuito panorâmico de 1,2 km que passa em revista várias quedas secundárias (todas superfotogênicas) até chegar à majestosa Garganta do Diabo. No fim da trilha, uma passarela leva até perto da catarata -- a molhação é garantida, por isso não deixe de levar uma capa.

Visitantes com dificuldade de locomoção podem ir até o fim da linha, no restaurante Porto Canoas, e descer de elevador para percorrer a passarela (essa rota é acessível).

O parque brasileiro é privilegiado no quesito cartão-postal: as suas melhores fotos serão daqui. Mas como o circuito panorâmico é relativamente curto, toma pouco tempo. Indo devagar, parando bastante para fotografar, e tomando um banho caprichado de spray na passarela, você deve completar o circuito em pouco mais de 90 minutos.

Ainda dá tempo para outra atividade no parque -- o Macuco Safari ou alguma atividade de ecoturismo como a Trilha do Poço Preto (leia sobre essas atividades aqui).

Parque Nacional do Iguaçu

  • Rodovia das Cataratas, km 18 | Tel.: (45) 3521-4400 | Abre diariamente das 9h às 17h | Ingresso para brasileiros: R$ 37,60 a partir de 12 anos; R$ 10 entre 2 e 11 anos e brasileiroscom 60 anos ou mais | Ingresso para Mercosul: R$ 50,60 a partir de 12 anos, R$ 10 entre 4 e 11 anos | Ingresso para estrangeiros: R$ 63,60 a partir de 12 anos, R$ 10 entre 2 e 11 anos | Pagamento: reais ou cartão | Incluído no Passaporte 3 Maravilhas | Estacionamento: R$ 21

Macuco Safari

O que fazer em Foz do Iguaçu: Macuco Safari

É o complemento perfeito à trilha panorâmica: você é levado de bote, pelo leito do rio Iguaçu, até pertinho das quedas dos Três Mosqueteiros.

Dá para escolher entre duas modalidades: com emoção (o bote chega mais perto da cascata e todo mundo leva um banho) ou sem emoção (o bote fica a uma distância segura da queda d'água e ninguém se molha).

É recomendável comprar o passeio com antecedência, porque o número de visitantes por dia é limitado. Não há, porém, horário marcado: o embarque é por ordem de chegada. Se não pegar muita fila, você conseguirá terminar o passeio em duas horas.

Os mais aventureiros podem comprar o combo Macuco Safari + rafting. Depois do passeio, você é levado a um ponto mais tranqüilo do rio Iguaçu e anda de caiaque nas corredeiras, com direito a parada para um tchibum.

Macuco Safari x Gran Aventura (Argentina)

As Cataratas argentinas oferecem um passeio semelhante: é o Gran Aventura.

A diferença principal é que o passeio argentino é mais intenso. Inclui duas paradas em frente a cascatas (o Macuco só tem uma parada), e os botes chegam consideravelmente mais perto da queda d'água do que os brasileiros.

O Macuco Safari parece ter padrões mais rígidos de segurança. Por isso, Macuco Safari pode ser feito por crianças de qualquer idade; já no Gran Aventura a idade mínima é 12 anos.

Como o circuito panorâmico do Brasil é curto, o Macuco Safari se encaixa direitinho em qualquer visita. Já o parque argentino tem três circuitos, e todos os três merecem ser percorridos. Fazer os três circuitos e o Gran Aventura no mesmo dia resulta numa correria. O Gran Aventura se encaixa melhor no programa de quem divide a visita ao parque argentino em dois dias.

Macuco Safári

  • Rodovia das Cataratas, km 25, Parque Nacional do Iguaçu | Tel.: (45) 3574-4244 | Abre diariamente das 9h às 17h | Ingresso: R$ 215,40 a partir de 12 anos; R$ 107,70 entre 7 e 11 anos e brasileiros com 60 anos ou mais; grátis para crianças até 6 anos | Macuco Safári + rafting (apenas a partir de 14 anos): R$ 323,20; R$ 161,60 para brasileiros a partir de 60 anos | Os preços não incluem o ingresso do parque | Compre com antecedência no site ou nas agências

Parque das Aves

O que fazer em Foz do Iguaçu: Parque das Aves

A 500 metros do Centro de Visitantes das Cataratas brasileiras, o Parque das Aves é um desfecho mais do que conveniente para o dia.

Aqui são mantidas 1.400 aves de 150 espécies diferentes. Tucanos, araras, maritacas, guarás, arapongas, colhereiros, mutuns... (e também jacarés e iguanas).

O ponto alto da experiência é poder entrar nos viveiros com pássaros que não oferecem perigo. Sua selfie com tucano está garantida.

Parque das Aves

  • Rodovia das Cataratas, 12450 | Tel: (45) 3529-8282 | Abre diariamente das 8h30 às 17h | Ingresso: R$ 45 a partir de 17 anos; R$ 22 para estudantes e brasileiros com 60 anos ou mais; grátis para crianças de até 8 anos acompanhadas de adulto | Ônibus: 120 Parque Nacional

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Dia 2: Cataratas argentinas e Marco das 3 Fronteiras

O lado argentino do parque do parque é um passeio essencial: vale investir um dia inteiro (ou mesmo dois dias seguidos!). Na volta, se você ainda tiver fôlego, pode passar no Marco das 3 Fronteiras, que tem programação no fim da tarde/começo da noite. Ou, se estiver interessado em comprar produtos artesanais argentinos, passar na Feirinha de Puerto Iguazú.

Cataratas argentinas

O que fazer em Foz do Iguaçu: Cataratas argentinas

O parque argentino tem mais atrativos que o brasileiro: são três circuitos essenciais (e mais o Gran Aventura, para quem quer uma experiência mais radical que o Macuco Safari). É um parque mais selvagem, onde você está o tempo todo na mata e chega muito perto de várias quedas. O circuito brasileiro tem mais beleza; o argentino, mais adrenalina.

O fato de haver três circuitos já faria a visita ao lado argentino ser mais demorada do que a visita pá-pum ao parque brasileiro. Só que ainda tem um complicômetro: o deslocamento dentro do parque. Em vez de ônibus que partem a todo momento, como no Brasil, no parque argentino o meio de deslocamento é o trem. É romântico e ecológico e tal, mas faz bem menos viagens do que seria desejado. Resultado: filas quilométricas nas estações de embarque. É comum não conseguir embarcar no trem que está na plataforma e precisar esperar até a próxima saída, 20 ou 30 minutos depois.

Mas não se deixe deter por isso. As cataratas argentinas valem muitíssimo a pena.

Recomendo a seguinte estratégia:

  • Chegue o mais cedo possível
  • Caso você queira fazer o passeio Gran Aventura (o Macuco Safari deles), passe no quiosque do passeio e reserve o último horário (15h45)
  • Pegue o trem e vá direto à estação Garganta do Diabo, que é o ponto final da linha. De lá vai caminhar por uma passarela de 1.100 metros que leva até a boca (ops) da Garganta do Diabo, a mais caudalosa das quedas de Foz. No Brasil você contempla a Garganta do Diabo de longe; na Argentina, você sente a força das águas de pertinho. A maioria dos visitantes deixa esse circuito para o final, então indo cedo você tem chance de ficar mais tempo na muretinha da catarata. Contando a volta, é um circuito de 2,2 km
  • Volte de trem até a estação Cataratas. Perto dali saem dois circuitos: o Circuito Inferior, de 1.400 metros, e o Circuito Superior, de 1.750 metros. Ambos passam em revista os saltos do lado argentino de dois ângulos diferentes: de baixo e do topo das cascatas. Qual é o mais bonito? Não tem. Vai por mim: faça os dois. Comece pelo inferior, faça uma pausa para almoçar, volte para fazer o superior
  • Caso você vá ainda fazer o Gran Aventura das 15h45, esteja livre às 15h, para dar tempo de chegar à área de entrada do parque, onde acontece a saída do passeio

O que fazer em Foz do Iguaçu: Cataratas argentinas

Circuito superior x Circuito inferior

Que tal um segundo dia no parque argentino?

Como deu para notar, encaixar todos os atrativos das Cataratas argentinas num dia só deixa a visita bastante corrida. Caso você vá ficar pelo menos quatro dias na região de Foz, considere dedicar dois dias ao parque argentino.

No primeiro dia, você faz os três circuitos principais (Garganta do Diabo, Inferior e Superior).

No segundo dia, você volta para fazer o circuito da Isla San Martín, de 700 metros (aberto das 10h30 às 15h30, mas sujeito às condições de travessia do rio), o passeio Gran Aventura e alguma outra atividade de ecoturismo (leia mais aqui). Você também pode aproveitar para conferir outras atrações de Puerto Iguazú, como o Icebar Iguazú ou a Feirinha de Puerto Iguazú.

Cataratas Argentinas

  • Ruta 101, Puerto Iguazú, Argentina | Tel.: 0054 3757 491469 | Abre diariamente, das 8h às 18h | Ingresso para visitantes do Mercosul (valores em pesos): AR$ 480 a partir de 13 anos; AR$ 120 crianças entre 6 e 12 anos | Pagamento: em pesos ou cartão de crédito/débito internacional | Estacionamento: AR$ 120

Gran Aventura

O que fazer em Foz do Iguaçu: Gran Aventura

É a versão argentina do Macuco Safari.

O esquema é o mesmo: você embarca num caminhão até o embarcadouro, onde é acomodado em grandes botes que chegam até pertinho das cascatas. Na prática, o passeio argentino é bem mais radical que o brasileiro: os botes andam em velocidade maior, fazem duas paradas em cascatas diferentes (o Macuco faz só uma) e chegam ridiculamente perto da cascata (a ponto de dar medo).

Reserve o horário do seu passeio ao chegar ao parque. Há um quiosque no caminho entre a entrada do parque e o embarque do trenzinho. O passeio toma umas duas horas, da saída à volta ao centro de visitantes.

O Gran Aventura se encaixa melhor num programa de visita em dois dias consecutivos ao parque. Há um limite mínimo de 12 anos para embarcar (já o Macuco Safari aceita crianças).

Gran Aventura

  • Parque Nacional Iguazú | Tel.: 0054 3757 421696 | Várias saídas diárias entre 8h45 e 15h45 | Apenas para visitantes com 12 anos ou mais | Ingresso: AR$ 1.200 (aceitam também reais, a uma cotação ruim, e cartão de crédito) | Agências no Brasil vendem a R$ 220

Feirinha de Puerto Iguazú

O que fazer em Foz do Iguaçu: Feirinha de Puerto Iguazú

No final da av. Brasil, no centro de Puerto Iguazú, stands vendem produtos artesanais argentinos que dão bons souvenirs. Alguns pontos também funcionam como bar, com cerveja barata de litrão e petiscos argentinos (ficam concorridos na hora do esquenta para a night). Funciona a partir do meio da tarde.

Marco das 3 Fronteiras

O que fazer em Foz do Iguaçu: Marco das 3 Fronteiras

Cada uma das cidades da tríplice fronteira tem seu marco -- uma espécie de obelisco -- erguido num local que possa ser visível (com binóculos...) dos outros países. Há alguns anos, o marco brasileiro foi concedido à Cataratas S.A. (a mesma administradora do parque nacional), que transformou o lugar num parque temático.

Uma cidade cenográfica reproduz, com competência, o que seria uma missão jesuítica. Uma das edificações é um cinema, onde passa em sessões contínuas um curta-metragem sobre a região, os índios guaranis e a chegada dos europeus.

Depois que escurece há um show de fonte luminosa e, de 3ª a domingo, entre 20h e 20h30, um espetáculo folclórico com dançarinos de Brasil, Argentina e Paraguai.

Há um restaurante no local, mas se eu fosse você, deixava para jantar na cidade.

Num futuro próximo, será erguido um mirante elevado que vai permitir observar toda a região das três fronteiras. Um passeio de barco (sem nenhum desembarque) também está nos planos da concessionária.

Marco das 3 Fonteiras

  • Av. General Meira, s/n, Jardim Eldorado | Tel. (45) 3132-4100 | Abre diariamente das 14h às 23h | Restaurante aberto a partir das 16h | Incluído do Passaporte 3 Maravilhas | Ingressos: adultos, R$ 26,60; crianças de 6 a 11 anos, estudantes e visitantes com 60 anos ou mais, R$ 12,60 | Ônibus: 103 Jardim das Flores

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Dia 3: Itaipu e Templo Budista

Itaipu, Templo Budista e Ciudad del Este são os únicos passeios que estão fora do eixo da Rodovia das Cataratas. Use um dia para combinar Itaipu com o templo.

Itaipu

O que fazer em Foz do Iguaçu: Itaipu

Segunda maior hidrelétrica do mundo em capacidade instalada e primeira na produção de energia (a chinesa Três Gargantas é maior, mas produz menos energia), Itaipu se tornou nos últimos anos um dos motores (ops) do turismo de Foz do Iguaçu.

O menu de passeios é extenso e, se você quiser fazer todos, pode passar o dia inteiro na usina. O Centro de Visitantes é super bem-organizado e tem uma pequena rodoviária de onde saem os ônibus para os passeios. Os ingressos são vendidos com hora marcada.

Há dois passeios principais para escolher:

  • A Vista Panorâmica é o passeio-padrão, que leva até a área da barragem. O guia explica os fundamentos da geração de energia e você tem a chance de ver a usina de vários ângulos. Duração: 2 horas
  • O Circuito Especial é o único passeio que leva ao interior da usina, vendo de perto as turbinas e a sala de controle. É preciso ter 14 anos para fazer o passeio. Duração: 2h45

Os demais passeios são acessórios. Faça o que lhe apetecer, mas sabendo nenhum deles é essencial à visita.

  • O Ecomuseu usa muita tecnologia (e uma enorme maquete) para contar a história da região desde o período jurássico, e para mostrar como foi feita a construção da (então) maior usina hidrelétrica do mundo. Duração: livre (estime ficar uns 45 minutos)
  • O Pólo Astronômico é o planetário de Itaipu. Além do planetário convencional, com duas sessões por dia, o Pólo tem um pequeno museu sobre o Universo e um telescópio solar à disposição do público. Duração: 2 horas e meia

O que fazer em Foz do Iguaçu: Refúgio Ecológico, Itaipu

  • O Refúgio Ecológico é um passeio que leva a uma reserva de mata protegida desde a construção da barragem. Ali você vai ser conduzido por um biólogo por uma trilha onde conhecerá exemplares da mata atlântica e verá animais que foram resgatados no entorno da usina e que não têm mais condições de viver na natureza. A caminhada, com muitas paradas e feita quase toda à sombra, leva cerca de 1 hora. O passeio funciona principalmente como RP da usina (mostra como a companhia é ecologicamente correta). Duração total, com traslados: 2 horas e meia

O que fazer em Foz do Iguaçu: Kattamaran,  Itaipu

  • Caso você passe o dia na usina, pode fazer o passeio do Porto Kattamaram que sai no fim da tarde. O catamarã dá uma volta pelo lago Itaipu à espera do pôr do sol. Spoiler: a paisagem não tem nada demais. Duração, com traslados: 1h30
  • O evento da Iluminação da barragem acontece apenas na 6ª e no sábado. O passeio noturno é igual ao da Visita Panorâmica, com o bônus de ver a usina dramaticamente iluminada. Duração: 1h30

Itaipu

  • Av. Tancredo Neves, 6702, Jardim Itaipu | Tel. (45) 3576-7000 | Abre diariamente | Horários e ingressos: variam conforme a atração | Ônibus: 101 Vila C Norte, 102 Vila C Sul e 104 Vila C (pegue no TTU)

Vista Panorâmica

  • Diariamente das 8h30 às 16h45 (saídas a cada 20 minutos) | Ingressos: R$ 38 adultos e R$ 19 crianças de 6 a 11 anos, estudantes brasileiros e brasileiros com 60 anos ou mais

Vista Panorâmica

  • Diariamente das 8h30 às 16h45 (saídas a cada 20 minutos) | Ingressos: R$ 38 adultos e R$ 19 crianças de 6 a 11 anos, estudantes brasileiros e brasileiros com 60 anos ou mais | Incluído no Passaporte 3 Maravilhas

Circuito Especial

  • Domingo a 5ª: 8 saídas entre 8h30 e 15h30; 6ª e sábado: 12 saídas entre 8h30 e 15h30 | Apenas para maiores de 14 anos | Ingressos: R$ 82 de 14 a 59 anos; R$ 41 brasileiros com 60 anos ou mais 60 anos

Ecomuseu

  • 3ª a domingo das 8h às 17 | Ingressos: R$ 14 adultos e R$ 7 crianças de 6 a 11 anos, estudantes e brasileiros com 60 anos ou mais

Pólo astronômico

  • Diariamente às 10h e 16h | Ingressos: R$ 26 a partir de 6 anos; grátis para crianças até 5 anos

Refúgio biológico

  • 3ª a domingo, 6 saídas entre 8h30 e 15h30 | Ingressos: R$ 26 a partir de 6 anos; grátis para crianças até 5 anos

Porto Kattamaram

  • Diariamente às 17h (fora do horário de verão) ou 19h (durante o horário de verão) | Ingressos: R$ 80 a partir de 12 anos; R$ 40 para crianças de 6 a 11 anos; grátis para crianças até 5 anos

Iluminação da barragem

  • 6ª e sábado às 20h (fora do horário de verão) ou 21h (durante o horário de verão) | Ingressos: R$ 22 a partir de 6 anos; grátis para crianças até 5 anos

Templo Budista

O que fazer em Foz do Iguaçu: Templo Budista

Quem visita o Templo Budista no mesmo dia de Itaipu otimiza o deslocamento: o templo fica (mais ou menos) no caminho. Um táxi desde a usina custa R$ 25 (na bandeira 1). Para o passeio dar certo, porém, você precisa sair até as 15h de Itaipu -- o templo fecha às 16h30 (e não abre 2ª).

A entrada é gratuita. A grande atração do templo são as esculturas no jardim.

A primeira figura a chamar atenção é o Buda Sorridente, que parece dar as boas-vindas ao lugar. Ele é protegido por quatro (amendrontadores) Reis Celestiais.

Um pátio com 108 budas celestiais idênticos reproduz o número de contas do rosário budista (o mala). Ao fundo, uma estátua em bronze do Buda Celestial entre seus iguais.

Em frente ao templo há um Buda Reclinado, representando o momento em que a entidade já atingiu o nirvana.

Espalhados pelo jardim você ainda vai encotrar quatro Boddhisatvas, ou quase-budas.

O interior do templo é bem menos impressionante. Mas você pode deixar um pedido e acender uma vela (compre o papel específico e a vela na lojinha).

Querendo aderir ao ritual, repita o mantra 'Namo Amituofo' quantas vezes puder ao longo da sua visita.

Templo Budista Chen Tien

  • Rua Dr. Josivalter Vila Nova, 99| Tel. (45) 3524-5566 | Abre de 3ª a domingo das 9h30 às 16h30 | Entrada gratuita | Ônibus: 103 Porto Belo

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Compras no Paraguai (e na Argentina)

O que fazer em Foz do Iguaçu: compras no Paraguai

Para muitos visitantes, a possibilidade de fazer compras no Paraguai é um dos maiores atrativos de Foz do Iguaçu. Só vá, porém, se você realmente tiver intenção de comprar. Não é um passeio prazeroso. O centro comercial de Ciudad del Este é bastante conturbado: as ruelas transversais são camelódromos, o assédio de vendedores é constante, e as ruas não são assim um exemplo de limpeza. Você se sente muambeiro mesmo se tiver ido para apenas comprar estritamente dentro da cota.

Para compras na Argentina, clique aqui.

Como atravessar a fronteira

Não há controle de imigração sistemático em nenhum dos dois lados da Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu a Ciudad del Este. Esteja, porém, com seu RG ou passaporte, porque pode ser pedido em alguma fiscalização eventual.

Mesmo sem trâmite aduaneiro, a ponte costuma engarrafar com freqüência.

Há várias maneiras de ir de Foz do Iguaçu ao Paraguai.

De ônibus de linha

Há uma linha regular entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, operada por empresas paraguaias. Os ônibus saem da rodoviária de Foz e fazem uma parada no ponto da av. avenida Juscelino Kubitschek em frente ao TTU. O ponto é identificado pelas bandeirinhas do Brasil e do Paraguai pintadas na cobertura. A tarifa é de R$ 5 e o percurso leva 40 minutos.

De táxi ou Uber

Um táxi desde o centro de Foz do Iguaçu sai uns R$ 60 até Ciudad del Este. De Uber a corrida pode sair desde R$ 30.

De carro alugado: não dá

As locadoras não permitem atravessar com carro alugado ao Paraguai. Você pode, no entanto, ir com carro próprio. Se for, deixe seu carro num estacionamento de shopping.

A pé ou de mototáxi

Caso o trânsito esteja totalmente parado na ponte, você pode optar por atravessar a pé ou pegar um mototáxi para cobrir o último trecho.

Uma reforma em 2016 colocou uma cobertura na área de trânsito de pedestres, tornando a travessia a pé mais confortável. Calcule uns 20 minutos de caminhada.

Mototáxis cobram R$ 10 para levar você à outra extremidade da ponte.

Com tour de compras

Esta é, disparado, a melhor maneira de ir a Ciudad del Leste. Você é apanhado no hotel e levado a lojas onde vai comprar produtos garantidos. Indo com tour você reduz ao mínimo os aspectos desagradáveis da experiência de compras no Paraguai.

Há traslados compartilhados a partir de R$ 10 (ida e volta). Dá para encontrar traslado privado a R$ 120 (ida e volta).

É preciso certificado internacional de vacinação contra febre amarela?

O Paraguai agora exige o certificado de brasileiros. Mas como não há controle sistemático de imigração na fronteira terrestre em Ciudad del Este, a regra acaba não valendo para a cidade.

De todo modo, todo brasileiro deveria vacinar-se ou, se for o caso, solicitar o seu certificado de isenção. Ter uma viagem a Foz do Iguaçu marcada pode ajudar você a receber a dose integral da vacina, que é a única que dá direito ao certificado internacional. Leia mais aqui.

Qual é horário do comércio em Ciudad del Este?

De 2ª a sábado das 7h às 16h, horário do Brasil. (O Paraguai tem uma diferença de uma hora em relação ao horário brasileiro; pelo horário local, as lojas funcionam de 8h às 17h.)

Os shoppings podem abrir até um pouco mais tarde.

Pouquíssimas lojas abrem no domingo -- e mesmo assim, só pela manhã.

Assim como o Brasil, o Paraguai também adota horário de verão. Mas a entrada do novo horário raramente se dá na mesma data que no Brasil. No período em que um país já tenha entrado no horário de verão mas o outro, ainda não, Paraguai e Brasil ficam temporariamente com o mesmo horário.

Como fazer boas compras no Paraguai?

Em Ciudad del Este você está sempre a dois passos de uma grande roubada. Só muambeiros profissionais e contrabandistas em larga escala sabem navegar com alguma segurança pelo submundo das ofertas. Como comprador à paisana, é melhor conseguir uma economia modesta num produto garantido do que pagar uma micharia por algo que seja falso ou não funcione.

  • Não compre nada de camelô ou em loja mequetrefe
  • Desconfie de todos os negócios da China -- devem ser produtos falsos, "refurbished" (recauchutados) ou defeituosos
  • Compre apenas nas grandes lojas. Os preços serão maiores, mas a garantia é mais do que 'soy yo'
  • Teste TODOS os eletrônicos antes de sair com eles da loja
  • Se você vai com guia, siga as dicas dele. Sim, ele (ou a empresa para quem trabalha) está sendo comissionado pelas lojas que indica, mas em compensação não vai indicar nenhuma roubada

Que moeda levo para o Paraguai?

Todos os artigos à venda na zona comercial de Ciudad del Este são cotados em dólar. É melhor levar dólares em espécie para fazer todas as suas compras.

Reais são aceitos, mas a cotação feita pelas lojas não é boa. Usar cartão de crédito tampouco é recomendável, porque a compra é debitada em guaranis, a uma cotação que pode não ser vantajosa (e ainda há os 6,38% de IOF acrescidos).

Qual é o limite de compras isentas de imposto no Paraguai?

Para viagens terrestres, o limite é de US$ 300. Nesse limite entra tudo: cosméticos, roupas, eletrônicos -- incluindo celulares, câmeras e relógios.

A cota é individual. Não é possível juntar as cotas de pessoas diferentes da família para 'inteirar' um produto mais caro.

Como assim? Celular, câmera e relógio entram na cota?

Para viagens bate-volta ao Paraguai, entram na cota sim. A resolução de isentar celular, câmera ou relógio da cota só vale para quando você teoricamente pode precisar desses itens durante a viagem. Quem está hospedado em Foz do Iguaçu e apenas passa o dia no Paraguai não tem como provar que a compra do celular ou da câmera foi necessária para aquela viagem. Logo, um iPhone de 700 ou 800 dólares vai ser considerado para o cálculo da cota -- excedendo em muito o limite de 300 dólares.

Como é feita a fiscalização das compras?

Devido ao grande volume de contrabando, há pouca fiscalização dos viajantes que apenas fazem umas comprinhas -- e por isso os brasileiros continuam a comprar celulares quase despreocupadamente. Mas a fiscalização pode ocorrer, sim.

Onde suas compras podem ser fiscalizadas:

  • Na fronteira -- os fiscais fazem blitze aleatórias, parando carros ou vans, ou ainda entrando no ônibus de linha para examinar os pacotes maiores. Na fronteira ainda é possível pagar multa e regularizar a compra
  • No aeroporto de Foz do Iguaçu -- é preciso passar todas as bagagens, a serem despachadas ou de mão, pelo raio X, antes mesmo da área de check-in. Se os fiscais desconfiarem do conteúdo e descobrirem que passou da cota, as mercadorias são retidas
  • Na estrada -- seu carro pode ser parado para vistoria da bagagem. Mercadorias além da cota são retidas

Compras na Argentina

O que fazer em Foz do Iguaçu: free shop na Argentina

O free-shop de Puerto Iguazú é vizinho à imigração argentina. Funciona 365 dias por ano das 10h às 21h, horário local (ou seja, durante o horário de verão do Brasil, entre 9h e 20h no horário brasileiro).

Fazer compras no free-shop argentino é exatamente como passar pelo free shop de um aeroporto. Você paga preços internacionais, só que livres de impostos. Os produtos são legítimos e podem ser comprados sem receios.

Quanto ao limite de compras, é exatamente o mesmo do Paraguai: US$ 300 por pessoa. Note que não é possível duplicar a cota se você fizer compras nos dois países -- esses US$ 300 é o que você pode comprar por 30 dias. Leia sobre fiscalização de compras aqui.

Como chegar ao free-shop de Puerto Iguazú

Um táxi vai cobrar entre R$ 40 e R$ 50 a ida, ou R$ 80 para ida e volta, com espera.

Dá para ir com o ônibus de linha: todos os passageiros precisam descer para passar pela imigração argentina. Depois de passar pela imigração, é só seguir caminhando para o free shop. Na volta, a mesma coisa: depois de passar pela imigração argentina você pega o próximo ônibus em direção ao Brasil. A passagem custa R$ 5 por trecho.

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Foz do Iguaçu com crianças

Foz do Iguaçu é um excelente destino para viajar com crianças.

Para começar, duas grandes atrações da cidade parecem feitas para os pequenos: o Macuco Safari e o Parque das Aves.

Se você se hospedar no Mabu, as crianças vão poder interagir com os personagens do Sítio do Picapau Amarelo. Já no Bourbon Cataratas, a animação está a cargo da Turma da Mônica.

Mas além dos atrativos naturais e da estrutura dos hotéis, nos últimos anos Foz do Iguaçu ganhou um complexo de atrações voltados para a família, o complexo Dreamland. Se você já foi a Gramado, reconhecerá algumas das atrações. Não são programas essenciais nem imperdíveis, mas quebram o galho quando você precisar entreter a turminha. São visitas curtas, que podem até ser feitas no mesmo dia, em seguidinha -- ou distribuídas ao longo da sua estada. Em meio às atrações para crianças e teens, o complexo tem uma isca para os papais -- o Supercarros.

Fora do complexo Dreamland, conheça também o parque aquático Acquamania.

Dreamland

O que fazer em Foz do Iguaçu: Dreamland Museu de Cera

O Dreamland é o museu de cera à brasileira. Tem estátuas de personalidades estrangeiras e brasileiras, além de personagens não-humanos de filmes e desenhos. O resultado, como no museu de Gramado, é irregular -- algumas figuras são imediatamente reconhecíveis, outras precisam da legenda de identificação. Whoopy Goldberg, Ayrton Senna, a Rainha Elizabeth e Amy Winehouse estão perfeitos. A garotada vai gostar de tirar foto com o E.T., Bob Esponja e Homer Simpson.

Dreamland

  • Rodovia das Cataratas, 810 | Tel.: (45) 3527-8100 | Abre diariamente das 8h às 18h | Ingresso: R$ 50 a partir de 12 anos; R$ 25 entre 5 e 11 anos, estudantes e visitantes com 60 anos ou mais; grátis para crianças até 4 anos | Incluído no Passaporte Dreams | Ônibus: 120 Parque Nacional

Vale dos Dinossauros

O que fazer em Foz do Iguaçu: Vale dos Dinossauros

O Vale dos Dinossauros é um programa que tem algum verniz didático. Trata-se de um pequeno parque ao ar livre povoado por réplicas realistas de dinossauros. Todos têm identificação, com época em que habitaram o planeta e hábitos alimentares. Alguns emitem sons e fazem pequenos movimentos.

Vale dos Dinossauros

  • Rodovia das Cataratas, 8100 | Tel.: (45) 3527-8100 | Abre diariamente das 9h às 18h | Ingresso: R$ 50 a partir de 12 anos; R$ 25 entre 5 e 11 anos, estudantes e visitantes com 60 anos ou mais; grátis para crianças até 4 anos | Compre na bilheteria, no site ou nas agências | Incluído no Passaporte Dreams | Ônibus: 120 Parque Nacional

Maravilhas do Mundo

O que fazer em Foz do Iguaçu: Maravilhas do Mundo

Uma coleção de maquetes de lugares famosos ao redor do mundo: assim é o Maravilhas do Mundo. Miniaturas da Torre Eiffel, da Torre de Pisa, do Taj Mahal, da Praça Vermelha, da Casa Branca, do Big Ben e de outros ícones proporcionam uma volta ao mundo em poucas salas. A iluminação, um tanto escura, aumenta a beleza das maquetes mas prejudica o resultado das selfies.

Maravilhas do Mundo

  • Rodovia das Cataratas, 8100 | Tel.: (45) 3527-8100 | Abre diariamente das 8h às 18h | Ingresso: R$ 50 a partir de 12 anos; R$ 25 entre 5 e 11 anos, estudantes e visitantes com 60 anos ou mais; grátis para crianças até 4 anos | Incluído no Passaporte Dreams | Ônibus: 120 Parque Nacional

Supercarros

Franquia de uma rede que também opera em Gramado e Beto Carrero World, o Supercarros realiza o sonho de dirigir um carrão -- nem que seja por alguns minutos. Em Foz o Supercarros não tem showroom: seus carros (uma Ferrari, um Mustang e um Camaro) ficam estacionados em frente ao Dreamland. Você escolhe seu carro e pode comprar passeios de dois tipos: dirigindo (por 12,5 km), podendo levar um acompanhante, ou na carona (por 4 km). O trajeto é pré-definido e as regras de trânsito continuam valendo durante o passeio -- logo, não dá para trafegar a velocidade maior do que a permitida na estrada.

Supercarros

  • Rodovia das Cataratas, 810 | Tel.: (45) 3527-8100 | Abre diariamente das 9h às 19h | Preços a partir de R$ 90 (carona por 4 km) e R$ 290 (dirigindo por 12,5 km) | Ônibus: 120 Parque Nacional

Leia sobre o Dreams Ice Bar, que também faz parte do complexo Dreamland, na seção Bares de gelo.

Acquamania

O que fazer em Foz do Iguaçu: Acquamania

Anexo ao hotel Panorama Foz, que fica pertinho da Ponte da Amizade, o Acquamania é um parque aquático, digamos, 'normal'. Não chega a ser um Beach Park, mas quebra o galho num dia de calor. As águas não são termais, por isso o parque funciona apenas de outubro a março. Hóspedes do hotel Panorama Foz têm acesso gratuito ou pagam uma pequena taxa para freqüentar o parque durante a sua estada (depende do tipo de diária e do canal de venda).

Acquamania

  • Hotel Panorama Foz - Rodovia das Cataratas, 6798 | Tel. (45) 3529-8272 | Abre de 1º de outubro ao início de março | Horários: nas férias, 2ª a 6ª das 10h às 18h; sábado, domingo e feriado até as 19h; em outras épocas, confirme os dias de funcionamento aqui | Ingresso: a partir de 15 anos, R$ 72; R$ 33 crianças entre 7 e 14 anos, estudantes e visitantes com 60 anos ou mais, R$ 36; crianças até 6 anos, grátis | Ônibus: 120 Parque Nacional

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Foz do Iguaçu árabe

Existem estimativas de que até 10% da população brasileira têm alguma ascendência sírio-libanesa. Os imigrantes originais, no entanto, eram cristãos. Em todo o Brasil, a comunidade árabe de religião muçulmana é quase invisível. Mas não em Foz do Iguaçu. Aqui existe uma colônia árabe de imigração mais recente, que segue o islamismo.

Se você tem uma manhã ou tarde livre, pode fazer um programa duplo que combina uma visita à Mesquita de Foz com um almoço ou jantar no Castelo Libanês, um dos melhores do Brasil na especialidade.

Mesquita de Foz do Iguaçu

O que fazer em Foz do Iguaçu:  Mesquita

Com sua cúpula arredondada e seus dois minaretes, a Mesquita Omar Ibn Al-Khattab é uma construção que se destaca no miolo de uma quadra residencial próxima à avenida Paraná (a mesma do shopping Cataratas JL). Sua vista por fora (principalmente à noite, quando está iluminada) já impressiona. Mas se você quiser visitar por dentro, vai precisar agendar hora e vestir-se apropriadamente (veja abaixo, no box de serviço).

A visita (que é guiada) fica ainda mais interessante quando combinada com uma refeição no Castelo Libanês, que fica a 4 quadras da mesquita. Voltado para a comunidade árabe de imigração recente, usa temperos autênticos, resultando numa experiência diferente da que estamos habituados. O restaurante funciona de 3ª a domingo sem intervalo entre almoço e jantar -- ou seja, dá para programar um almoço tardio sem problemas. Ah, sim: obediente aos preceitos islâmicos, o Castelo não serve álcool. (Vinícius de Moraes, 520, tel. 45 3526-1218)

Mesquita Omar Ibn Al-Khattab

  • R. Meca, 599, Jardim Central | Tel. (45) 3573-1126 | Abre de 2ª a 5ª, das 9h às 11h30 e das 14h às 16h30; 6ª, das 9h às 11h30 e das 14h30 às 16h30; sábado, das 9h às 11h30; fecha domingo | Visita guiada gratuita, mas deve sere agendada pelo telefone (45) 3573-1126 | Mulheres devem vestir calça ou saia longa e vestir véu muçulmano (fornececido no local); homens precisam estar de calça comprida ou bermuda abaixo dos joelhos

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Ecoturismo em Foz do Iguaçu

Os dois parques nacionais, nos lados brasileiro e argentino, oferecem atividades que vão além da contemplação das cataratas ou da aproximação dos saltos por barco (o Macuco Safari do lado brazuca e o Gran Aventura na margem hermana). São atividades que valem uma segunda visita aos parques durante a sua estada em Foz.

Atividades de ecoturismo no parque brasileiro

Trilha do Poço Preto

O passeio dura 4 horas. Começa com uma trilha de 9 km que inclui um trecho de passarela elevada à altura das árvores e uma ponte pênsil. Você escolhe se quer fazer o percurso a pé, de bicicleta ou a bordo de um carro elétrico. O grupo se encontra ao final da trilha para um passeio de barco a motor pelo rio Iguaçu, com parada para quem quiser explorar um trecho do rio de caiaque. Custa R$ 150 a partir de 12 anos; R$ 75 entre 7 e 11 anos. Saídas diárias entre 9h e 17h. Reserve: (45) 3529-9665.

Floating

O exato oposto do Macuco Safári: sai a adrenalina, entra a contemplação. Um passeio em bote inflável silencioso pela parte calma do rio Iguaçu, para observação da fauna e interação com a natureza. Os participantes ajudam a remar. O percurso vai do Porto Bananeiras ao Porto Bananas. Custa R$ 150 a partir de 12 anos; R$ 75 entre 7 e 11 anos. Reserve: (45) 3529-9665.

Observação de aves

Passeios guiados pela Trilha do Poço Preto e pela Linha Martins levam ao encontro de algumas das 340 espécies de aves que habitam as matas dos parques de Iguaçu. É uma atividade recomendada a quem já tenha experiência em birdwatching -- o ritmo do passeio é completamente diferente dos passeios convencionais. Calma e silêncio são primordiais. Custa R$ 515 para participantes entre 12 e 59 anos; R$ 275,50 para crianças de 7 a 11 anos e maiores de 60 anos. É preciso reservar com pelo menos 24 horas de antecedência: (45) 3529-9665.

Atividades de ecoturismo no parque argentino

Navegação em bote no rio Iguaçu superior

É o correspondente argentino ao passeio 'Floating' do lado brasileiro. Um bote inflável navega por 2,5 km por um trecho calminho do rio Iguaçu. A saída é perto da estação Garganta del Diablo do trenzinho argentno, e a chegada está a uma curta caminhada da estação Cataratas. É bem mais barato que o do lado brasileiro: custa 300 pesos argentinos. Reserve no quiosque do Gran Aventura perto do Centro de Visitantes.

Safáris na selva

O parque argentino organiza passeios em 4x4 por diferentes áreas. São três opções de safáris.

  • O 'Expedición en la Selva' percorre 20 km pela trilha Yacaratiá II e proporciona observação de orquídeas, pegadas de animais e eventualmente o encontro com algum mamífero. Sai 2 vezes por dia (10h e 16h) e custa 660 esos (menores entre 6 e 12 anos pagam 330 pesos)
  • O passeio 'Expedición de los Pioneros' parte de Puerto Iguazú às 7h30 a tempo de pegar as aves na área Cataratas do parque. Custa 660 pesos (menores entre 6 e 12 anos pagam 330 pesos)
  • Já o 'Expedición a la Cascada' combina 4x4 com uma caminhada de 800 metros até o salto Arrechea, onde há uma piscina natural. A saída é às 14h e custa 560 pesos (menores entre 6 e 12 anos pagam 280 pesos).

Reserve na Central de Visitantes. Preços de junho/2018.

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Foz do Iguaçu nas alturas

Passeio de helicóptero

O que fazer em Foz do Iguaçu: sobrevôo de helicóptero

Se você pode e o dia não está feio, FAÇA. O sobrevôo das Cataratas é um passeio inesquecível. E custa pouco mais que o dobro do Macuco Safari... A Helisul, que opera os vôos, não aceita reservas. Você vai até o heliponto (que fica em frente ao Parque das Aves, a menos de 500 metros da entrada do parque nacional) e espera a sua vez. O vôo leva 10 minutos -- pelo menos metade deles sobre as cataratas. Um conselho: ou bem você filma o passeio, ou bem você curte o passeio. Pagar uma grana federal para ter a telinha do celular entre você e as cataratas não vale a pena...

Sobrevôo das Cataratas

  • Rodovia das Cataratas, 12499 | Tel.: (45) 3529-7327 | Funciona diariamente das 8h30 às 17h30 | Preço: R$ 430 por pessoa | Ônibus: 120 Parque Nacional

Skydive

Salto duplo de pára-quedas a 20 mil pés, com 30 segundos de queda livre e 7 a 8 minutos de pára-quedas aberto, com vista para Itaipu e -- bem ao longe -- as Cataratas. Esse é o programa do Skydive Foz, que usa como base uma pista de pouso que fica no caminho do Templo Budista (que é um ótimo complemento do passeio, depois do salto). A atividade dura em média 3 horas. Depois de fazer o check-in no horário marcado, é preciso conferir as condições atmosféricas. Depois de decolar, o aviãozinho leva 20 minutos até atingir o ponto do salto. Depois de voltar à base, é preciso esperar mais uns 30 minutos até que suas fotos e vídeo sejam editados.

Skydive Foz

  • R. Ângela Aparecida Andrade, 97, Jardim Porto Belo | Tel. (45) 99916-0162 | Funciona diariamente das 8h ao pôr o sol | Vôo duplo com instrutor: R$ 590 | Pessoas pesando entre 95 kg e 130 kg precisam passar por avaliação

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Bares de gelo

O que fazer em Foz do Iguaçu: Icebar Iguazú

Icebar Iguazú

O que era apenas uma curiosidade do lado argentino -- um bar de gelo em plena 'selva' (os argentinos realmente pensam na província de Misiones como a Amazônia deles) -- virou uma categoria com vários concorrentes. Já são três bares de gelo na região: dois deles, no Brasil.

O que fazer em Foz do Iguaçu: Dreams Ice Bar

Dreams Ice Bar

O esquema é o mesmo em todos. O ingresso dá direito a passar meia hora numa câmara de gelo com temperaturas negativas e open bar. Casaco térmico, luvas e gorro estão incluídos (mas vá com jeans comprido e calçado fechado, senão você vai congelar). O bar serve coquetéis adocicados, destilados e refrigerantes. Você pode beber o quanto quiser -- isto é, dependendo da agilidade dos bartenders em atender os pedidos. Se for ao icebar argentino, aproveite para experimentar Fernet con Coca, o drink oficial da garotada hermana (tipo assim a catuaba deles). Fernet é um bitter feito de ervas que é meio intragável puro, mas a combinação com Coca fica... ahn... curiosa.

Dreams Ice Bar

  • Rodovia das Cataratas, 8100 | Tel.: (45) 3527-8100 | Abre diariamente das 8h às 23h | Ingresso para 30 minutos de permanência com open bar: R$ 50 a partir de 13 anos; R$ 25 entre 5 e 12 anos, estudantes e visitantes com 60 anos ou mais; grátis para crianças até 40 anos | Compre na bilheteria, no site ou nas agências | Incluído no Passaporte Dreams | Ônibus: 120 Parque Nacional

Ice Bar Brasil

  • Shopping Catuaí Palladium - av. das Cataratas, 3570 | Tel. (45) 3017-0005 | Abre diariamente das 13h às 23h | Ingresso: R$ 59 | Ônibus: 120 Parque Nacional

Ice Bar Iguazú

  • Ruta 12, km 5 - Puerto Iguazú | Tel.: 0054 3757 494047 | Abre diariamente das 14h à meia-noite | Ingresso (valores em pesos): AR$ 300 a partirde 13 anos; AR$ 150 crianças entre 7 e 12 anos

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Shows folclóricos & Cassino

Gosta de um show para turista? Quer fazer uma fezinha no Cassino? Separe duas noites para esses programas.

Shows na Churrascaria Rafain

O que fazer em Foz do Iguaçu: Show Latino

Localizada na divisa da Foz urbana com a estrada das Cataratas, a churrascaria Rafain encena dois shows folclóricos por noite, de 2ª a sábado.

O Jantar-show Latino-americano combina um mega-buffet (com churrasco) com uma apresentação de 90 minutos de danças de oito países da América Latina (sete da América do Sul mais o México). Os números são bastante desiguais, com alguns números bem fraquinhos. Mas a parte do Paraguai vale a noite (para quem gosta desse tipo de programa, claro): os dançarinos e músicos são talentosos e entusiasmados. É incrível como a gente conhece tão pouco de um país tão próximo. Para não correr o risco de estar lotado, vale a pena reservar.

O segundo show da noite, realizado um pouco mais tarde e num salão próprio, é o Iporã Lenda-Show. O espetáculo encena a lenda indígena sobre a origem da Garganta do Diabo. De lambuja, tem danças de países latino-americanos também. O jantar não está incluído e é opcional.

Shows folclóricos na churrascaria Rafain

  • Churrascaria Rafain - av. das Cataratas, 1749 | Tel.: (45) 3523-1177

Jantar-show Latino-americano

  • De 2ª a sábado | Jantar a partir das 19h30 | Show: 20h45 | Ingresso: a partir de 11 anos, R$ 129; crianças de 7 a 10 anos, R$ 64,50; grátis até 6 anos | Bebidas pagas à parte

Iporã Lenda Show

  • De 2ª a sábado, 22h | Ingresso: inteira, R$ 89; estudantes e visitantes com 60 anos ou mais, R$ 44,50

Cassino na Argentina

O Cassino de Puerto Iguazú fica na entrada da cidade, ainda à beira da estrada. Se não fosse a aduana, estaria a 10 minutinhos do início da estrada das Cataratas. Táxis de Foz cobram entre R$ 50 e R$ 60 para levar até lá; você pode combinar a volta ou um dos remises de Puerto Iguazú, que cobram a mesma coisa (e em reais). NO cassino abre todos os dias a partir da tarde. De vez em quando shows de grandes atrações nas noites de 6ª e sábado (veja a programação na página do cassino no Facebook). Não se paga nada para entrar. Menores de 18 anos não entram.

Casino Iguazú

  • Ruta 12, 1640, Puerto Iguazú | Tel. 54 3757 498050 | Abre de 2ª a 4ª das 14h às 5h da manhã. 5ª a domingo das 12h às 6 da manhã | Apenas para maiores de 18 anos

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

  • Missões na Argentina e no Paraguai

A região de Foz do Iguaçu tem um atrativo tão espetacular quanto pouco visitado: as ruínas jesuíticas de San Ignacio Miní, na Argentina, e Trinidad & Jesús, no Paraguai. Ambas são bem mais ricas e bem-conservadas do que as nossas ruínas de São Miguel das Missões. Se você tem entre uma e três noites para investir nessa viagem, prometo que a escapada vale a pena. (Leia mais neste post -- Missões, a Missão: São Miguel das Missões, Trinidad e San Ignacio Miní.)

San Ignacio Miní, na Argentina

San Ignacio Miní, Argentina

A 250 km de Puerto Iguazú (3 horas de carro, ou 4 horas e meia de ônibus), San Ignacio Miní é a mais importante ruína jesuítica da Argentina. Sua Plaza Mayor continua bem delineada, e se pode perceber os resquícios do plano urbano. Agências de Foz vendem um bate-volta de um dia só a San Ignacio, mas não vale a pena. Por quê? Porque o melhor de tudo acontece à noite, quando é encenado um show de som e luz de última geração (incorpora holografia, por exemplo). Ao contrário do espetáculo de som e luz de São Miguel das Missões, que é rebuscado e, por vezes, incompreensível (mesmo em português!), o show de San Ignacio é didático e esclarecedor. (Você vai mudar seu conceito sobre os bandeirantes, garanto.)

Um bônus de ir a San Ignacio é transitar pela província de Misiones, que é a mais verde da Argentina. Imprensada entre os rios Paraná e Uruguai, Misiones é o Brasil de cabeça para baixo: a mesma latitude que para nós é sul, para os argentinos é norte. E mesmo que o clima ali seja subtropical, esta é a selva argentina -- a pequena Amazônia deles. Ao atravessar a fronteira, você sai do Brasil agrícola e entra na Argentina silvestre, onde só se planta mesmo erva-mate (que dá em árvore).

Como chegar a San Ignacio Miní

Carros alugados em Foz do Iguaçu só podem transitar até as Cataratas. Para ir de carro, você vai precisar alugar na Argentina ou ir de carro próprio (providenciando o seguro Carta Verde na fronteira). Neste caso, é só seguir pela Ruta 12 que você chega à entrada da cidadezinha (que cresceu no entorno do sítio arqueológico).

De ônibus são 4h30 de viagem desde Puerto Iguazú. Você pode comprar antecipadamente no site da Crucero del Norte (use 'Pto. Iguazú' como origem, o sistema não entende 'Puerto Iguazú'). Custa 360 pesos, algo como 60 reais, ida (junho/2018). Dá também para comprar ao chegar à rodoviária de Puerto Iguazú -- você pega o primeiro ônibus pinga-pinga a Posadas que sair (são 5 cias. fazendo a rota).

Onde ficar em San Ignacio Miní

Onde ficar em San Ignacio Miní

O San Ignacio Adventure Hostel, afiliado aos HI Hostels, tem quartos coletivos e privativos, e uma boa piscina. Fica pertíssimo das ruínas.

Trinidad & Jesús

Trinidad, Paraguai

Trinidad

A 350 km de Puerto Iguazú (via Posadas, na Argentina), Trinidad e Jesús são as duas missões paraguaias classificadas como patrimônio da humanidade. Merecem.

Trinidad é a mais inteira de todas as ruínas jesuíticas do Cone Sul. É a que mantém os vestígios mais visíveis e inteligíveis da organização urbana de uma missão jesuítica. Catedral, claustro, cemitério, a torre de vigia, igrejas secundárias, os quarteirões residenciais dos guaranis, e como tudo isso se dispunha em torno da Plaza Mayor: em Trinidad é muito fácil de perceber. Abandonada por 200 anos, é a bela adormecida das Missões.

Jesús, Paraguai

Jesús

Jesús é menorzinha -- os jesuítas foram expulsos das Missões antes que ela estivesse terminada. Mas como está a apenas um pulinho de Trinidad (10 minutinhos de carro), vale a passada.

Trinidad e Jesús

    Abertas à visitação todos os dias. Ingressos: 300.000 guaranis (equivalentes a 5 dólares). O pagamento deve ser feito em guaranis ou cartão de crédito; o ingresso para uma das missões dá direito a visitar a outra. Som & Luz: 5ª, 6ª, sábado e domingo às 19h (no verão, às 20h), em Trinidad. Não tem site. Tel.: 595 985-772-803.

Como visitar Trinidad e Jesús

Como visitar Trinidad e Jesús

As duas missões estão a 45 km do centro de Encarnación, aonde se pode chegar de ônibus a partir de Ciudad del Este. (Não é aconselhável rodar com seu carro no Paraguai, devido a achaques da polícia rodoviária. As locadoras de Foz não permitem atravessar a fronteira.)

Também é possível visitar Trinidad e Jesús com base em Posadas, cidade argentina a 300 km de Puerto Iguazú que faz fronteira com Encarnación (cada uma numa margem do rio Paraná). Essa foi a minha escolha.

Em Posadas você pega um ônibus de linha para Encarnación e, passada a imigração, negocia um táxi (a 50 dólares) para levar você às duas missões paraguaias e trazer de volta ao mesmo ponto (por mais 10 dólares, meu taxista paraguaio me deixou no hotel). Veja detalhes neste post.

(Não é recomendável atravessar de carro próprio ao Paraguai, devido aos achaques da polícia rodoviária. Locadoras argentinas tampouco permitem que seus carros entrem no Paraguai.)

Como chegar a Posadas

Carros alugados em Foz do Iguaçu só podem transitar até as Cataratas. Para ir de carro a Posadas, você vai precisar alugar na Argentina ou ir de carro próprio (providenciando o seguro Carta Verde na fronteira). Neste caso, é só seguir pela Ruta 12 por 300 km.

De ônibus são 5h30 de viagem desde Puerto Iguazú. Você pode comprar antecipadamente no site da Crucero del Norte (use 'Pto. Iguazú' como origem, o sistema não entende 'Puerto Iguazú'). Custa 420 pesos, algo como 70 reais, ida (junho/2018). Dá também para comprar ao chegar à rodoviária de Puerto Iguazú -- você pega o primeiro ônibus que sair (são 5 cias. fazendo a rota).

Onde ficar em Posadas

Onde ficar em Posadas

Recomendo o hotel Gran Crucero Posadas Express, que é bastante funcional e está a uma quadra da avenida Entre-Ríos, onde passa o ônibus para Encarnación. O calçadão principal da cidade, onde há restaurantes como a tradicional churrascaria La Querencia (Bolívar, 1867, tel. 54 37 6443-3550), está a três quadras do hotel.

Como combinar San Ignacio Miní e Trinidad na mesma viagem

Você vai precisar dormir uma noite em San Ignacio e outra em Posadas.

Estando de carro próprio (ou alugando um em Puerto Iguazú), vale a pena sair cedo e ir direto a Posadas, deixando a mala no hotel e já partindo para a visita a Trinidad e Jesús à tarde. No dia seguinte, com calma, você segue a San Ignacio (são apenas 50 km de distância), visita as missões de dia e depois volta à noite para ver o espetáculo de som e luz.

Indo de ônibus, eu começaria por San Ignacio, para conseguir fazer a visita diurna ainda na parte da tarde, voltando à noite para o show de som e luz. No dia seguinte, seguiria de manhã para Posadas, deixando a mala no hotel e já seguindo de ônibus e táxi para Trinidad. O trajeto San Ignacio-Posadas pode ser comprado com antecedência no site da Crucero del Norte ou na hora na rodoviária de San Ignacio. O percurso leva 1 hora e custa 78 pesos (algo como R$ 12), preço de junho/2018.

O que fazer | Menu de roteiros | Índice de atrações

6 comentários

FlaviaHC
FlaviaHCPermalinkResponder

Parabéns pela atualização do post! Ficou perfeito!
Estou embacando agora para Foz!
Utilizei todas as dicas, obrigada!

João Rodolfo Bosak

Olá!
Só pra dizer que pra ir ao Free Shop argentino não é necessário passar pela imigração. Pra quem vai até lá de Foz de carro, a entrada do estacionamento é antes do posto de fiscalização. Quem optou ir de ônibus é só descer no posto de fiscalização. Tem uma entrada de pedestres ao lado, sem precisar passar, de fato, pela imigração argentina.

Isabela Gomes da Silva

Vou para Foz no próximo sábado, vamos alugar um carro e, por isso, gostaria de saber se essa taxa de turismo de 25 pesos é obrigatória e se o valor é por pessoa ou por carro?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Isabela! Onde você leu, nesta página, sobre essa taxa? Por que você pergunta sobre "essa taxa" se não falamos dela no texto? Não falamos dela no texto porque ela não existe mais, hoje é cobrada somente por quem se hospeda nos hotéis, e vem somada à conta da hospedagem.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar