Sofitel Carrasco, luxo acessível em Montevidéu

Sofitel Montevidéu

Sou fã de hotéis grandiosos, históricos, desses que não são “palace” só no nome: foram construídos e funcionaram realmente como palácios para a aristocracia viajante de outros tempos. Nesses hotéis o luxo faz muito mais sentido do que num 5 estrelas qualquer. Passar uma noite num deles — do Raffles de Cingapura ao Meurice em Paris — é como ir a uma festa à fantasia (sem nem precisar se fantasiar, se você não quiser).

Como experiência, acho muito mais interessante dormir num hotel de luxo histórico do que viajar na primeira classe — os hotéis têm mais charme, mais conforto e custam bem menos. Dica antiga, que eu dou desde o Viaje na Viagem de papel: passar a última noite de uma viagem num hotel desses é fechar as férias com upgrade de ouro 😀

Normalmente, hotéis desta categoria custam entre US$ 500 e US$1.000 a noite. Por isso, quando vi que o Sofitel Montevidéu Carrasco tinha apartamentos a US$ 260 na época em que eu estaria em Montevidéu, reservei na hora.

Como era

Hotel CarrascoHotel Carrasco

O Hotel Carrasco — nome original do hotel-cassino — tem uma história parecida com a do nosso Copacabana Palace. Assim como a Copacabana na época de construção do Copa, Carrasco em 1912 era um deserto de areia. Inaugurado em 1921, o hotel e seu cassino inventaram o turismo de luxo em Montevidéu. A partir dos anos 60, porém, veio a decadência. Em meados dos anos 90, foi fechado e ficou anos abandonado.

Em 2009 o hotel foi licitado para um grupo argentino, que se encarregou da reforma e entregou a administração à rede francesa Accor, que pôs o hotel sob a bandeira Sofitel.

Como ficou

Sofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

Inaugurado em março de 2013, o Sofitel Montevidéu Carrasco teve sua fachada frontal descaracterizada para a instalação de uma rampa larguíssima, com trânsito em duas mãos. (Acho que poderiam ter feito algo mais discreto.)

Cassino Carrasco

Nos fundos, onde fica a entrada do cassino, foi feita uma bela praça, integrada à rua Rostand, que termina numa linha igrejinha e teve um  pequeno trecho transformado em calçadão.

Sofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

Os interiores não procuram trazer de volta o hotel como era em 1921, não. Enquanto vitrais e colunas (e o pé direito) remetem a palácios antigos, a decoração flerta com o moderno, com muitas peças philippe-starckianas (não sei se são do próprio ou apenas inspiradas). Mas o resultado não é esquisito, não: é divertido. Deixa plebeus como eu mais à vontade.

Sofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

O bar Thais tem o ambiente mais impressionante na área social: sob uma abóbada clássica foi instalado um bar moderno, com banquetas de couro branco. Uma taça de espumante ali lhe custará US$ 14.

O apartamento

Sofitel Montevidéu

Fiquei num apartamento superior com duas camas de solteiro (na verdade, quase camas queen, bem grandotas), no último andar.

Sofitel MontevidéuSofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

Não era imenso, mas gostosíssimo. A mobília tem um quê de anos 40. O trabalho em gesso acima do lustre dá o necessário toque rococó.

Sofitel MontevidéuSofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

O banheiro tem compartimentos separados para o vaso e para o chuveiro. Queria levar o compartimento do chuveiro pra minha casa.

O café da manhã

Sofitel MontevidéuSofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

Como costuma acontecer na rede Accor, o café da manhã não estava incluído na diária. Custou US$ 25 por pessoa — e valeu cada cent.

Sofitel MontevidéuSofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

Servido no restaurante principal do hotel, o 1921, o café já valeria pela apresentação. As estações são dispostas em pequenos balcões dispostos no círculo central do restaurante, com uma direção de arte — sim, o termo é esse — que faz você se sentir tomando café numa joalheria.

Sofitel MontevidéuSofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

Venha com fome e sem pressa. Com sorte, você conseguirá uma mesa com vista para o Prata (que em Montevidéu chamam de mar).

O bairro

CarrascoFrancis Carrasco

Carrasco é o bairro mais oriental de Montevidéu: o mais próximo ao aeroporto (são 10 minutos de carro) e de Punta del Este (que está a 100 km).

Já era um bairro meio chique, e agora está ficando mais metido, com a revitalização do hotel e do cassino.

GarcíaFrancis

A rua lateral do hotel, a Arocena, é o point das lojas e restaurantes. Por ali ficam o clássico García (carnes) e a nova filial do Francis, queridíssimo restaurante original de Punta Carretas (e com cardápio eclético e bem-executado, de ojo de bife a sushi).

Sofitel MontevidéuSofitel MontevidéuSofitel Montevidéu

O centro histórico de Montevidéu está a 20 km; os restaurantes de Pocitos e Punta Carretas, a 13 km. O Sofitel Montevidéu Carrasco não é tão conveniente para turistar por Montevidéu, mas faz todo sentido para uma última noite, vindo tanto de Montevidéu quanto de Punta del Este.

Leia mais:

16 comentários

quero fotos das salas de jogos do Carrasco. Estou preparando uma festa (meu aniversário de 75 anos) cujo tema é “Cassino”. Ajudem-me, ok?

    Olá, Vitória! Fotografar salas de cassino é proibido no mundo inteiro, para preservar a privacidade dos jogadores. Veja o que você encontra no site do cassino ou entre em contato diretamente com a administração explicando o seu caso.