Pesos chilenos

Santiago: onde ficam as casas de câmbio com melhor cotação para reais

Pesos chilenos

No dia 9 de setembro de 2015 (uma quarta-feira), passei em revista mais de 20 casas de câmbio em Santiago para xeretar o quanto estavam pagando pelo real.

O importante neste experimento não são as cotações exatas (se você fosse hoje nas mesmas casas de câmbio encontraria cotações diferentes das que apurei), mas as proporções. Um padrão claro emergiu da rua: onde houver maior concentração de turistas, a cotação será pior. (O conceito é óbvio e talvez nem precisasse de uma pesquisa de campo para ser confirmado, mas sempre é bom ver a teoria funcionando na vida real.)

Meu pitaco: não fique obcecado com a melhor cotação a ponto de cruzar a cidade por causa de 1 ou 2 pesos. Se a casa de câmbio perto do seu hotel paga 170 pesos por real e uma lá no centrão paga 171, a economia final vai ser de menos R$ 6 a cada R$ 1.000 que você trocar. O seu tempo de viagem é muito mais valioso do que isso: não vale a pena fazer grandes desvios de rota por causa de trocado. Apenas evite as casas de câmbio de cotação muito ruim e procure a melhor alternativa das redondezas. Se precisar, por conta das circunstâncias ou do horário, fazer câmbio no aeroporto, no shopping, no Terminal Santiago ou em qualquer casa de câmbio no fim de semana (quando as cotações caem em toda parte), troque o mínimo possível.


Atualização — agosto/2017

  • Numa rápida passagem por Santiago, revisitei os principais locais usados por brasileiros para trocar reais. Os valores, evidentemente, mudaram — mas, conforme previsto, as proporções continuam as mesmas. As piores cotações encontradas foram no aeroporto (163 pesos por real), na casa de câmbio perto da Snowtours (177 pesos) e na Afex do shopping Costanera (177 pesos). Na Pedro de Valdivia, a Afex (187 pesos) desbancou a Cambios Santiago (185 pesos) com a melhor cotação do dia. Na Agustinas, a melhor cotação — não só da rua, como da cidade — foi novamente a da JM Cambios (189 pesos).
  • A recomendação para quem vai levar reais continua a mesma: programe a sua chegada para um dia da semana, e reserve a primeira manhã ou tarde em solo chileno para trocar seus reais por pesos durante o horário bancário, seja na avenida Pedro de Valdivia em Providencia, seja na calle Agustinas no Centro. Seja qual for a região escolhida, passe em revista todas as vitrines para ver a melhor cotação.

Aeroporto

Como costuma acontecer em quase todo lugar, o aeroporto tem cotação baixa. Quando as casas de câmbio da Agustinas ou de Providencia compravam real a 170 pesos, a casa de câmbio do aeroporto comprava a 163. (Lamentavelmente perdi a foto.) Troque bem pouquinho — ou nada: tanto o táxi quanto a van do aeroporto aceitam cartão de crédito ou débito. (Mas se for sair de ônibus e metrô, você vai precisar de dinheiro chileno.)


Não confunda as cotações!

  • Fora do saguão de desembarque, os guichês da casa de câmbio Afex têm painéis que alternam as cotações de compra e venda das moedas, incluindo reais. Atenção: a cotação de ‘venda’ é para quem quer comprar reais — ou seja, chilenos que estão viajando para o Brasil. Esta cotação é bem mais alta que a cotação de ‘compra’, que é que você vai conseguir se trocar seus reais ali. Em agosto de 2017, por exemplo, a cotação de ‘venda’ (para chilenos) era 200 pesos por real; a cotação de compra (para brasileiros) era 163 pesos por real.
  • Alguns brasileiros, ao pegar o avião de volta para o Brasil, vêem a cotação de ‘venda’ acham que perderam a chance de fazer um negócio melhor no aeroporto do que no Centro. Mas é uma mera confusão com as duas cotações.

O saque no caixa eletrônico, que já foi uma ótima opção, não está mais vantajoso: a tarifa de uso do equipamento é muito alta (6.000 pesos), e mesmo fazendo o saque de maior valor (200.000 pesos), a operação não será vantajosa.

Terminal Santiago

Terminal Santiago

A rodoviária internacional de Santiago, onde chegam os ônibus de Mendoza, apresentou a pior cotação do real na minha pesquisa: sua casa de câmbio pagava 160 por real, quando em Providencia ou na Agustinas pagavam no mínimo 170.

Estación Central

O curioso é que, um pouco mais adiante, na Estação Central (onde estão a estação ferroviária e o Terminal San Borja de ônibus para o Norte do país), a agência da Afex tinha a melhor cotação de toda a minha pesquisa: 175. As duas estações ficam a menos de 10 minutos a pé uma da outra, mas não recomendo a caminhada: você vai passar, com bagagem, por uma região de comércio popular e muita aglomeração — é muito stress. Se chegar de Mendoza em dia útil, antes do anoitecer, troque um pouquinho no terminal Santiago, pegue o metrô até a estação seguinte (Central) e faça o resto do câmbio por ali.

Centro

Se o seu city-tour pelo Centro vai ser em dia útil, pode aproveitar o trecho da calle Agustinas entre Paseo Ahumada e calle Banderas para fazer um câmbio vantajoso.

Agustinas

São quase dez casas de câmbio lado a lado, a maioria com as cotações anunciadas do lado de fora. Por ali encontrei, naquela quarta-feira, cotações entre 169 e 174 pesos.

JM Cambios

A campeã foi a JCM Cambios, no número 1056, com 174 pesos por real.

PEGADINHA!

Nem toda casa de câmbio do Centro tem boa cotação.

e-change

A casa de câmbio mais pega-turista da região é E-change, a que fica na calle Agustinas, 1111, pertinho da praça do Palacio de la Moneda: por ali o real estava a pífios 160 pesos, a pior da minha pesquisa (junto com a do Terminal Santiago). Evite! Ande duas quadras e troque na quadra certa da Agustinas.

Cambios Chile

Outra casa de câmbio que tira proveito da concentração de brasileiros é a Cambios Chile, que fica no Paseo Huérfanos, 524. A agência Snowtours, que é de brasileiros e oferece alguns dos passeios mais em conta de Santiago, fica na mesma quadra, mas boa parte da economia pode ir pelo ralo se você fizer câmbio nesta casa de câmbio, que naquela quarta-feira oferecia 165 pesos por real.

Dica!

JM Cambios

Se estiver por ali, nem precisa se deslocar até a quadra das casas de câmbio da Agustinas: bem pertinho, na Augustinas, 673 (entre Miraflores e McYver), a outra loja da JM Cambios tem boas cotações (naquela quarta-feira estava a 173). Esta é a casa de câmbio mais conveniente para quem se hospeda no barrio Lastarria — e também serve para quem está turistando no Cerro Santa Lucía, que fica a duas quadrinhas.

Providencia & shopping

O bairro de Providencia, que tem a maior concentração de hotéis da cidade, tem a sua versão da quadra de casas de câmbio da Augustinas: fica na Pedro de Valdivia, esquina com Providencia.

Pedro de Valdivia

Nesta quadra, as casas de câmbio enfileiradas praticam cotações razoáveis (mas um tanto uniformes). Naquela quarta-feira, todas estavam entre 170 pesos e “ask inside”.

Cambios Santiago

A melhor cotação da rua, no entanto, está na quadra adiante, no número 29 (entre Providencia e Nueva Providencia). Ali fica a Cambios Santiago, escondida numa galeria de fachada curva. Naquela quinta-feira, a Cambios Santiago pagava 173 pesos por real, 3 pesos a mais que as colegas da quadra adiante. E o que eu mais curti: a casa de câmbio praticava o mesmo preço que anunciava em seu site naquele dia, o que significa que sua cotação é um ótimo guia para a situação do câmbio.

Costanera Center

Já a casa de câmbio do shopping Costanera Center, no subsolo (planta baja), deve ser usada apenas como quebra-galho quando as outras estão fechadas. Fica aberta diariamente, inclusive domingo, até as 21h. Naquela quarta-feira, pagava 165 pesos por real.

Fénix

Se você está hospedado na região da estação Tobalaba, no Bosque ou na Isidora Goyenechea, vale a pena em dia útil trocar na Fénix, que fica na esquina de Bosque e Roger Flor. Naquela quarta-feira, a cotação estava 173 pesos.

Resumindo:

  • Troque o mínimo indispensável no aeroporto, no Terminal Santiago, no shopping e no fim de semana
  • Não troque nada junto ao Palácio de la Moneda ou na quadra da agência Snowtours
  • Se estiver hospedado em Providencia, troque na Cambios Santiago da Pedro de Valdivia, 29
  • Se estiver hospedado em Lastarria, troque na JM da Agustinas, 673
  • Aproveite seu tour pelo Centro para trocar na Agustinas entre Ahumada e Banderas

Atenção: pague o hotel com dólares

É sempre bom lembrar que a conta do hotel deve ser paga em dólar (seja em dinheiro vivo, seja com cartão de crédito internacional) para que você seja dispensado de pagar o IVA (imposto sobre valor agregado) de 19%. Para ter direito a esse desconto, você precisa apresentar passaporte ou RG e o cartão de entrada no país, que mostra que você entrou há menos de 60 dias. Você vai receber uma “nota de exportação” como recibo. Reais não são aceitos nessa operação e pesos chilenos não dão direito ao desconto.

(Teoricamente dá para pagar com cartão pré-pago também, mas algumas redes hoteleiras internacionais fazem um bloqueio de valor maior do que as despesas efetivas, e você fica com uma parcela da sua carga indisponível por alguns dias até ser feito o estorno.)

Não compre pesos no Brasil

Parece baratinho, mas você perderá pelo menos 20% em relação ao que pode obter em Santiago. Até o câmbio do aeroporto é melhor do que comprar pesos no Brasil. (Isso vale para qualquer moeda fraca: peso chileno, peso argentino, peso uruguaio, peso mexicano, peso colombiano, sol peruano.)

Leia mais:

Passagens mais baratas para Santiago no nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel em Santiago no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Alugue carro em Santiago na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões em Santiago com a Viator

118 comentários

Olá….pretendo viajar para Santiago no final de Outubro…pretendo levar meu cartão de crédito e poucos dolares.
É certo usar o cartão para grandes compras como um pacote de passeio ou em restaurantes e usar o dolar para pequenas compras em supermercado e coisas menores?
Obrigado.

    Olá, Marcos! O comércio não aceita dólar. Você terá que trocar numa casa de câmbio. Às vezes dólares são aceitos por operadores de passeios, mas preste atenção na conversão, provavelmente será ruim.

Bom dia. Tenho visto sua orientação para não fazermos cambio no aeroporto e boa shoppings. Dizendo que é mais jogo utilizarmos o cartão de crédito ou débito. Fiquei na dúvida pois chegarei na véspera de feriado e tarde da noite não tendo tempo para cambiar mas sinceramente me preocupa não saber ao certo a cotação que será utilizada quando fechar a fatura do cartão e ainda pagar IOF.

    Olá, Leonardo! Você é que sabe. Se você prefere perder 15% no câmbio do aeroporto a pagar 6,38% de IOF (uma perda 9% superior ao IOF), é com você. O dinheiro é seu, a gente só queria ajudar.

Boa noite. Nós vamos chegar em Santiago dia 16/09, num sábado, às 19:30. Estamos preocupados porque chegaremos na véspera de um feriado nacional, em que tudo em Santiago fecha, inclusive comércio. Nesse caso, vocês acham melhor a gente comprar peso no Brasil?! Fiquei pensando se tem alguma chance da casa de câmbio do aeroporto estar aberto quando chegarmos… obrigada 😉

    Olá, Cinthia! Use cartão de crédito e faça saques em caixa automático enquanto as casas de câmbio não reabrirem. Não troque no aeroporto. Não compre pesos no Brasil. Trocando no aeroporto ou comprando peso no Brasil você vai perder mais dinheiro do que o IOF do cartão.

Boa noite bóia! As casas de câmbio de Santiago abrem nas festas pátrias?

    Olá, Gilmar! Com certeza, não. Só a do aeroporto, e deve estar com cotações fantasticamente ruins, já que será a única aberta da cidade. Use cartão, dará menos trabalho e melhor conversão.

Fui semana passada e uma casa de câmbio recusou só por ser antiga, mas aceitam em outros lugares como restaurantes, lojas!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.