Táxi em Buenos Aires: como não receber notas falsas

Cuidado com os pesos falsos

Notas falsas de peso e enganação no troco do táxi em Buenos Aires são queixas freqüentes aqui no Viaje na Viagem. Algumas vêm de leitores que foram vítimas de golpes; outras vêm de gente que ouviu falar e está com medo de ser engambelado.

Eu normalmente digo que a possibilidade de cair num pequeno golpe como esse não deve deter ninguém de uma viagem a Buenos Aires. Todo o resto é TÃO barato, que se rolar alguma chatice dessas dá pra colocar na conta numa boa.

Não tenho dicas próprias de como reconhecer uma nota falsa porque nunca fui vítima do golpe. Tenho a meu favor um portunhol avançado, praticamente um portenhol.

Mas acho também que o que me ajuda a escapar incólume é que sempre pesquiso o endereço antes no Google Maps; e quando pego o táxi, dou a direção como um “local”: digo a rua e pelo menos uma transversal. Tipo: “Borges y Nicaragua”. Ou duas: “Borges entre Guatemala y Paraguay”. Um taxista vai pensar duas vezes antes de passar uma nota falsa para quem dá um endereço tão completo.

Os trips, especialmente os vibanas, têm dicas mais simples, que não dependem de pronunciar o “ll” e o “y” como xis (Calle Ayacucho, em portenho, é “caxe axacutcho”).

A mais valiosa delas é não entrar em táxi com notas de 50 ou 100 pesos. Procure ter sempre notas de 10 e 20 pesos no bolso antes de entrar em táxi.

Para fabricar troco:

– Tire dinheiro no caixa automático na casa dos 90: 290, 390, 490. Os 90 trocados já ficam para o fundo de táxi. (Eu não entraria para tirar só 90 pesos porque não é bom tirar pouco dinheiro devido às taxa de saque, que normalmente é fixa e acaba melhor diluída quando se faz um saque maior)

– Passe no supermercado e compre alguma besteira (dica do Marco Cavalheiro)

– Troque sempre que tomar sorvete em sorveterias como Freddo (dica do Nelson Breitner)

A Ana Carolina sugere ir à página do Banco Central da Argentina e clicar em “billetes y monedas” para ver a carinha das cédulas.

E o Victor Hugo explica que as notas de 100 falsas são grosseiras, parecem pintadas a mão e não têm marca d’água.

Y vos? Tem alguma dica para fabricar troco, reconhecer notas ou identificar taxistas desonestos em Buenos Aires? Conta pra gente!

348 comentários

estive em Buenos aires durante 15 dias a passeio do dia 14 a 29/10/19. sinceramente fui tensa com essa história de troco com dinheiro falso. no início andei so de metro pra evitar ser passada pra tras. no hotel perguntei como identificar nota falsa. É super facil. so esfrega la num papel tem que sair tinta e todas as nota tem relevos fininhos. mas para surpresa agradável nao tive algum problema com os argentinos. todos foram muito corretos e agradaveis. peguei taxi, uber que ainda não é legal e cabify . paguei pelo aplicativo e tb em
dinheiro e tudo correu bem.
foi uma
viagem
maravilhosa

Estou agora aqui em Buenos Aires e já tomei uns 8 táxis a maioria são bandidos fazem de tudo para te roubar, E se vc esqueceu alguma coisa dentro do táxi esqueça que mais nunca verás.

Pessoal, gostaria de reiterar o comentário da Luana: NÃO utilizem os serviços do Sr Nestor! Ele não cumpriu o combinado!!! Não apareceu para nos buscar no hotel, apesar de já termos pago 80% do trajeto! Quase perdemos o voo esperando 1h por ele. Liguei centenas de vezes e não atendeu. Ele é um péssimo profissional!

Não indico os serviços do Sr. Nestor.
Utilizei os serviços dele na última semana e não valeu a pena.
Fechei o transfer aqui do Brasil, via Whatsapp para não ter problemas ao chegar em Buenos Aires com os taxistas e me arrependi.
O valor cobrado foi R$140,00 para ida e volta do Aeroparque até o hotel no centro.
O combinado foi R$100,00 na chegada e R$40,00 na volta.
Ao chegar, deu tudo certo, ele nos aguardava e nos deixou no Hotel. Porém pegamos muito trânsito até o hotel e descobrimos no dia de retorno que ele fez um caminho muito longo. Ao nos deixar no Hotel nos informou que teria que nos levar ao aeroporto às 10h,pois domingo era Dia dos Pais e não teria quem nos atendesse depois desse horário, depois informou que poderia nos levar 12h. Segundo ele não conseguiriamos Táxi por conta do dia dos Pais.
Meu vôo de retorno era no domingo às 15h50, ou seja, o que eu ficaria fazendo no Aeroparque das 10h até 15h50?
Perguntei sobre isso no Hotel e informaram que não teriamos problema algum para pegar um táxi no Dia dos Pais, assim, cancelei o serviço com o Sr. Nestor após ter pago R$100,00 (CEM REAIS).
No domingo, pedimos um táxi às 13h e em 15min estávamos no Aeroparque, indo pela Autopista que possui pedágio. Pagamos 95 PESOS, ou seja….Um terço do valor que havíamos pago ao Sr. Nestor.
Me senti enganada, pois o valor cobrado foi bem alto, todo tempo nos oferecia passeios e câmbio, mesmo informando que já havíamos fechado os passeios aqui do Brasil. E o seu câmbio também foi bem abaixo do que encontramos na Calle Florida, com uma pessoa de confiança.

Estamos voltando agora de BsAs (3/09/14). Contratamos os remis ida e volta de EZE/Cidade com o Alejandro Canedo. Na chegada o seu ajudante estava nos esperando. Durante o percurso indaguei sobre a compra de pesos que havia combinado por e-mail com o Canedo mas ele, Matias se não me engano, nos informou que não tinha sido informado de nada. Primeira decepção.
Um dia antes da volta mandei um e-mail para o Canedo confirmando o nosso combinado para o retorno ao Ezeiza. Ele respondeu que estava tudo confirmado. Pois bem, na hora aprazada ele simplesmente não apareceu. Nos deu um ‘bolo’. Fomos obrigados a chamar um Radio-Taxi que acabou nos cobrando menos do que eu havia combinado com o Canedo. Pagamos 270 pesos de corrida com mais 30 de pedágios.
Essa já é a segunda vez que combinamos um remis de volta e eles não aparecem. É bom ter um cartão do Radio-Taxi para essas eventualidades.

Como já citado em alguns comentários anteriores, o Marcelo é um contato excelente! Fui com alguns amigos para Buenos Aires em Março e ele nos deu muitas dicas, mas ficamos maravilhados foi com o sócio dele, o Henrique (Kike). Muito bem humorado, paciente, gente boa, honesto… Super recomendo! Eles fazem o translado do aeroporto/hotel/aeroporto e também já tem pacotes com diversos city tours. De quebra ainda trocam dinheiro, tanto real quanto dólar. =)

Contato do Kike:
E-mail: [email protected]
Telefone: +54 9 11 59586737
Nextel ID: 54*670*3616
Facebook: Kike Zarate

Fui pra Buenos Aires no início de novembro/13. Só usei taxi como transporte e realmente é muito barato. A corrida mais cara que paguei foi do hotel em Recoleta para Caminito e deu inacreditáveis 75 pesos. Antes de chegar lá tinha medo das notas falsas, mas o recepcionista do hotel me deu uma dica ótima: só pegue os taxis que tiverem a placa em cima escrito “RADIOTAXI”. Segundo ele, esses são os taxis oficiais e com os quais não teria problema. E foi o que aconteceu. Não peguei notas falsas, nem trajetos mais longos.
Uma vez estava com pressa e peguei um taxi sem essa identificação, coincidência ou não, percebi que ele estava fazendo um percurso maior. Qnd perguntei o motivo, ele disse que uma rua estava interditada. Acho que foi uma desculpa. Por via das dúvidas, só pegava os das placas RADIOTAXI.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.