Santiago: leitores alertam sobre furtos e taxistas desonestos

  • 0
Ricardo Freire
por Ricardo Freire

furtos em Santiago

No auge do real valorizado, as maiores queixas dos leitores do Viaje na Viagem sobre furtos no exterior se localizavam em Buenos Aires, e estavam relacionadas com compras. Teve uma época em que os alertas vinham de viajantes que estiveram em Montevidéu, com relatos de assaltos, à moda brasileira, nos domingos ermos da Ciudad Vieja.

Este ano estão aparecendo relatos de problemas em Santiago -- uma cidade que transmite grande sensação de segurança, o que faz com que a gente baixe a guarda. É sempre bom lembrar que estamos tão condicionados a detectar situações em que há risco de violência, que acabamos não usando nosso radar para evitar um tipo de crime que é raro no Brasil: o furto (que por aqui só costuma acontecer em grandes aglomerações como carnaval e megashows).

O primeiro relato foi enviado em abril pelo Plínio, por email:

  • Fui a Santiago correr a Meia Maratona de abril. No metrô, na hora do almoço (13h) do dia 31 de março roubaram a carteira da minha esposa com documentos, passaporte e cartões. Passamos a tarde indo na Comissaria/Carabineiros, Consulado Brasileiro e Polícia Federal.
  • O consulado informou que esse problema de furto no metrô lotado acontece sempre... Mulheres: cuidado com as bolsas; usem as do tipo bem fechadas e grossas, pois eles cortam o couro. Se for usar o metrô, consiga um mapa das linhas, não fique dando mole olhando o mapa das linhas nas estações -- com certeza você será abordado por algum malandro (ou alguma malandra, no nosso caso), oferecendo ajuda. Só peça ajuda para funcionários do metrô com coletes verde-limão e faixas vermelhas.
  • O consulado aconselha também a manter todos os seus documentos escaneados numa pasta em seu email, facilita muito para emitir um novo. A partir de agora eu vou levar os meus também num pen drive. Outra dica: para saber se a nota vermelha de 5.000 pesos é falsa, coloque na palma da mão e então feche, amassando a nota. Ao abrir a mão, a nota verdadeira desamassa; a falsa continua amassada.

Ontem foi a vez da Regina contar seu incidente. (Ela usa a palavra 'roubo', mas acredito que tenha querido dizer 'furto'.)

  • Acabamos de voltar do Chile e infelizmente não temos apenas boas histórias para contar. Fomos roubados dentro do Starbucks na porta do Costanera Center (o shopping ainda estava fechado, pois era antes das 10 da manhã) e a menos de 50 metros de uma base da polícia.
  • Não espere a menor empatia da polícia local se você for roubado no Chile. O consulado brasileiro está recebendo brasileiros todos os dias vítimas de roubo e pequenos golpes, e a alta temporada está só começando. Muito necessário alertar a todos.

O terceiro relato é do Marcelo, e fala de problemas com táxi -- e táxi de ponto, no shopping Parque Arauco. (É bom ressaltar que táxi em Santiago sempre foi uma fonte de reclamação dos leitores.)

  • Alerta! Muito cuidado com os táxis em Santiago! Evitem pegar (se possível, usem Uber ou EasyTaxi ou outro app). Descobrimos da pior forma possível que em Santiago os taxistas também aplicam o golpe do 'cambiazo' nos turistas!
  • Conosco aconteceu no shopping Parque Arauco, e foi um duplo golpe! Primeiro o taxista falou que as linhas de metrô mais próximas estavam fechadas (já tínhamos iniciado a viagem para a estação mais próxima quando o comparsa do taxista 'avisou' pelo radio que o metrô estava 'fechado').
  • Depois, quando chegamos ao destino, na hora de pagar, ele trocou as notas (dei duas de dez mil e ele falou que recebeu duas de mil). Seguiu-se aquela discussão, stress, medo, e para encerrarmos logo a situação pagamos novamente o táxi.
  • Voltamos para o hotel, conferimos no metrô que não havia problema nenhum nas linhas e, finalmente, que estava faltando o dinheiro na carteira… Falamos com o pessoal do hotel e eles falaram que é melhor usar uber, pois é mais confiável e barato. Achávamos que esse tipo de coisa só acontecia em lugares como Buenos Aires e acabamos pegos desprevenidos em Santiago…
  • Informei ao shopping Parque Arauco sobre o ocorrido e eles deram aquela resposta preguiçosa típica do 'não podemos fazer nada', que não é responsabilidade deles e que eu deveria ter pego o táxi em frente ao restaurante Perla -- justo o lugar em que pegamos! (Se havia outro lugar para táxis 'do shopping', este devia ser melhor sinalizadom, pelo menos).
  • Ressalto que ao reclamar não solicitei nenhuma compensação do shopping, apenas informei do ocorrido para que não aconteça o mesmo com outras pessoas. Ponto negativo para o shopping que, na hora de atrair o turista para visitar o centro de compras é de um jeito, mas para realmente dar algum suporte real ao turista, nada…
  • Espero que o ocorrido sirva de alerta a todos, e que meu prejuízo seja compensado com a economia dos internautas usando app ao invés dos taxis ordinários!

Obrigado a todos pelos relatos!

Leia mais:

67 comentários

Rafael Machado

Estive em Santiago há cerca de 02 anos e só tenho elogios à cidade e ao povo chileno. Felizmente não tivemos problemas e fomos muito bem tratados. Das cidades que conheci na América do Sul, Santiago é a que mais se aproximou, na minha visão, da segurança que sentimos em países de primeiro mundo. Uma pena ler os diversos relatos de furtos e extorsão.

Val
ValPermalinkResponder

No ano passado passei um feriadão em Santiago com mais 3 amigas. Com a sensação de segurança, baixamos a guarda e caímos no golpe do fotógrafo solícito num restaurante do Patio Bellavista. Ele se ofereceu para tirar foto do grupo e nós aceitamos. Depois de um tempo percebemos que uma das mochilas havia sido furtada. Segundo os policiais que nos atenderam esse é um golpe relativamente comum.

Aurea Weber
Aurea WeberPermalinkResponder

Santiago já foi uma cidade segura. Há algum tempo meu cunhadoteve o celular roubado por um ciclista praticamente em frente ao palácio de La Moneda. Todo cuidado é pouco.

Sergio
SergioPermalinkResponder

Fui com um amigo em uma quarta a noite para o jogo Palestino x Flamengo, em Santiago, no estadio San carlos de Apoquindo. Sai 5 minutos antes de acabar o jogo, pois como o publico era grande queria pegar logo um taxi. Assim que sai do estadio um "taxista" me abordou e entramos em seu carro, logo percebi que o taximetro tava desligado. Ele ligou para uma "central" falsa, e quando soube que queriamos ir ao metro, ele falou que ja estava fechado. Falamos, ja desconfiando, o endereco do hotel, e ele perguntou pra "central" (seu comparça) o preço até o hotel, 30 mil pesos (o estadio e o hotel sao do mesmo "bairro"- Las Condes). Nao tinhamos todo esse dinheiro, mas acertamos de ao chegar no hotel pegar o dinheiro para paga- lo... Chegando no hotel, antes de pegar o dinheiro, fui ate o atendente e perguntei se o metro ja estava fechado, e ele disse que faltava 1 hora ainda para fechar, entao pedi para ele perguntar para a central o preço do estadio ate o hotel, 14 mil pesos no maximo! Estava obvio que fomos enganados, entao eu me recusei a pagar o taxista, que ja estava impaciente com a demora, mas meu amigo foi lesado e como ja tinha acertado, pagou ao ladrao do taxista os 20 mil pesos que faltavam! O que eu podia ter feito era ter tirado foto da placa do carro (na frente do taxista) pra denunciar ou ver se ele desistia do "roubo", mas quando tive essa ideia era tarde demais, o fdp tinha ido embora...

Halley Polastrini

Retornei de Santiago (Chile) há pouco com minha família. Tive minha carteira furtada na saída da estação Baquedano de metrô. Levaram, além de cartões e dinheiro, todos os RGs da família. Fui registrar uma denúncia junto aos Carabineiros (polícia de lá). Com bastante má vontade, emitiram o documento. Depois descobri que precisava registrar o furto junto à PDI - polícia de investigação do Chile. Perdi o dia, pois a fila é gigantesca (4 horas de pé num lugar sujo e fedido). Hoje entendo porque os índices de segurança são elevados em Santiago - registraram o furto de meus documentos como "extravio", ou seja, como se eu tivesse perdido. E só o fizeram porque insisti - como não levaram meus passaportes, o policial não conseguia entender porque minha preocupação em registrar o furto dos RGs...vai entender. O fiz porque o rapaz do consulado brasileiro disse que o Chile é rota de tráfico de órgãos, mulheres e crianças e que os documentos furtados normalmente são vendidos para atos criminosos...não custa ficar esperto...vou dizer que foi um balde de água fria na viagem. Tem coisas bonitas no Chile, sim, mas não pretendo voltar lá tão cedo.

Luciana Maia vitor

Não são só os taxistas que trazem problemas aos turistas em Santiago. Empresas sem comprometimento e respeito aos turistas, também causam prejuízo. Contratei uma empresa para fazer passeios e logo no primeiro dia percebi a falta de qualidade no serviço, mas insisti e fiz mais dois. No dia para Cajon Del Maipo, o ônibus quebrou e ficamos na estrada, 30 pessoas, sem água, sem comida, sem banheiro decente... por 4 horas. A responsável pela agência não nos prestou nenhum suporte, e ainda dificultou o reembolso. Recebemos menos da metade do que foi pago, alugamos roupas e botas e não usamos, perdemos o dia, perdemos o passeio e nos aborrecemos o resto do final de semana. Fica a dica - procurem agências honestas e que preste serviço de qualidade.

Paulo Ferreira

Atenção CUIDADO ao pegar um táxi em Santiago, você tem ima GRANDE chance de ser roubado... taxímetros adulterados, motoristas malandros... combinem antes, não aceitem cobrança por taxímetro, a briga é feia ao chegar ao destino e o malandro te cobrar três vezes mais... Outro holpe é o das notas você entrega 10 ou 20 mil e o malandro diz que você entregou uma nota de 1 ou 5 mil ??

Murilo Camargo

Atenção*** Deixo aqui meu alerta aos turistas que frequentam Santiago, ja vi comentários de turistas sofrendo golpes nos taxis das formas mais variadas, portanto segue meu relato..
Golpe do taxímetro adulterado + troca de notas por notas falsas!!!
Peguei um taxi preto (corolla novo), que estava parado no ponto de taxi em frente à entrada do parque Cerro San Cristobal, queria ir até o zoológico, que fica do outro lado do morro. Perguntei ao taxista e ele falou que seria por volta de 4 mil!
Ok, sentei no banco de trás e estava distraído (normalmente fico na frente e de olho no taximetro), o taxista puxando papo sobre os passeios dando dicas, todo “amigão”. Chegando ao local começou a surpresa taxímetro marcando 10 mil pesos, já achei muito estranho mas ele comentou que seria pq pegamos transito,
como meu espanhol é limitado e estava com pressa dei uma nota de 20mil pra resolver a situação logo, nisso o taxista pegou a nota e disse que a nota estava rasgada, respondi que não estava, eu só tinha notas novas trocadas a poucos dias na casa de cambio em Santiago, inclusive com recibo, mas ele fez q não me entendeu e disse que não podia aceitar nota rasgada então me devolveu a nota eu dei outra de 20mil (kkk fui burro, eu sei..), ele enrolou um pouco com minha nota na mão e disse “não tenho troco” e me devolveu, nisso já perdi a paciência e dei uns trocados que tinha na carteira pra ele, o safado ainda reclamou pedindo pelo menos 6 mil, eu respondi que ele deveria ter troco e q o taxímetro estava errado, enfim, tinha dificuldade pra entender oque ele falava e não quis prolongar a péssima situação. A surpresa veio na sequencia quando desci do taxi olhei melhor a nota supostamente rasgada, era FALSA! O safado saiu rapidamente com o taxi e nao consegui anotar a placa.. De quebra mais tarde, lembrando do que houve percebi que a 2ª nota de 20mil que entreguei na mao dele também havia sido trocada por uma falsa, ou seja, quando o sujeito ficou com as notas na mão trocou as duas rapidamente e me devolveu notas falsas, prejuízo de 200 reais +-
Resultado, andei uns 3km voltando para hotel a pé e p da vida, tentei procurar uma DP para registrar o ocorrido, mas pelo q me informaram era longe para caminhar (não tinha dinheiro para outro taxi), liguei para o consulado brasileiro para instruções e não consegui contato, como já era noite do penúltimo dia acabei rasgando as notas falsas e no outro dia fui embora com bem pouca vontade de voltar para Santiago..

stefânia
stefâniaPermalinkResponder

Infelizmente só vi seu post agora! Pesquisei muito sobre pontos turísticos no chile e locais seguros para hospedagem. Interessante que nada se comenta sobre a falta de segurança e aumento da criminalidade no Chile. Eu e meu namorado tivemos nosso carro alugado arrombado e levaram todos os nossos pertences. Ficamos apenas com a roupa do corpo. Estávamos em Vina Del Mar, fizemos o check out no hotel, colocamos a bagagem no porta mala e retornaríamos no mesmo dia para Santiago. Desviamos o caminho para conhecer Algarrobo e Isla Negra. Paramos no estacionamento de San afonso del mar, em Algarrobo, para conhecer a tal da maior piscina do mundo. Demoramos 15 a 20 minutos e foi o suficiente para quebrarem o vidro do carro e levar todos os nossos pertences. Policiais que chamamos no local fizeram pouco caso. Outras problemas que passamos foram adulteração de taxímetro e aumento da rota com desvio de caminho. Não confiem em taxistas no chile. São ladrões! Usem uber e easytaxi. Ficamos decepcionados com o chile! Não voltarei nunca mais. Minha conclusão é que Chile está igual ao Brasil.

Marcos soares
Marcos soaresPermalinkResponder

Estou voltando ao Brasil hoje, infelizmente cai no golpe do táxi com taxímetro adulterado saindo do shopping parque arauco. Cidade parece segura mas tomem cuidado.

Alessandro Vargas

Também fomos roubados descaradamente por um taxista que pegamos no Costanera Center. De lá até a estação Manoel Montt queria cobrar 16.500 pesos. Era extremamente grosseiro e nos trancou no taxi até pagarmos. Acabou fazendo um "desconto" para 15 mil pesos, no entanto, quando pagamos, aplicou o velho golpe da nota trocada e disse que estava pagando mais 9 mil. Tivemos que dar pois ele está se tornando violento e tinha o endereço do nosso hotel ou poderia sequestrarnos. Ou seja, 25 mil pesos (R$130) por uma corrida de pouco mais de 2 kms. Era um Toyota placa BJ ZH 25, mas acho que o melhor é não pegar NUNCA NENHUM taxi em Santiago, pois segundo o atendente do nosso hostel, são RAROS os taxistas honestos nessa cidade. e esses golpes acontece já há muito tempo e tem uma enorme quantidade de denúncias na internet, no entanto, as autoridades nada fazem. Esse mesmo taxista que nos roubou, aplicou o mesmo golpe em janeiro de 2017 (ver comentário do booking.com) e continua praticando os mesmos crimes e fazendo ponto tranquilamente no Costanera Center, o maior shopping da cidade. Eu tive uma PÉSSIMA impressão com isso e não pretendo voltar NUNCA MAIS para Santiago, infelizmente.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar