Entrando na Europa: como é a imigração em Madri Barajas

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Aeroporto de Barajas, Madri

A partir do finzinho de março de 2011 o Brasil terá dois vôos diretos a Barcelona, ambos saindo de São Paulo: um pela Iberia e outro pela Singapore. Eu ia fazer um post metido a engraçadinho, insinuando se a imigração em Barcelona seria mais amistosa do que a de Madri, quando tive uma idéia muito mais útil: perguntar a vocês que chegaram por Barajas como foi a passagem pela imigração.

Como se sabe, o aeroporto de Madri é o campeão em repatriamento de brasileiros. As maiores vítimas são jovens, maiores candidatos à imigração ilegal e à prostituição. As deportações mais escabrosas costumam ser de estudantes e de artistas que viajam para apresentações.

As exigências da imigração para admissão de turistas compreendem 1) passagem de volta; 2) hotéis reservados (ou carta-convite de quem vai hospedar você); 3) seguro-saúde de 30.000 euros válido para o Espaço Schengen; 4) comprovação de 60 euros por pessoa por dia de permanência.

(Muitos entendem esses 60 euros ao pé da letra, como dinheiro vivo; eu entendo que um extrato do dia anterior do seu Visa Travel Money e dos cartões de crédito com os limites de gastos são suficientes.)

O problema é que, mesmo com tudo em cima, se o guardinha não for com a sua cara, babau. Naquele momento ele é a lei; admite e repatria quem ele quiser, sem direito a apelação.

A gente só fica sabendo dos casos mais injustos de deportação. Mas como há quatro vôos diários do Brasil para Madri (cinco, nos dias que a Air Europa opera desde Salvador), é de se supor que a maioria passe ilesa.

Então: conte pra gente como foi a sua passada pela temível imigração de Barajas. Pediram para ver seus comprovantes? Você precisou mostrar dinheiro vivo? Viu alguém ser barrado?

A caixa de comentários é toda ouvidos.


894 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Sarah Galvao
Sarah GalvaoPermalink

Já entrei diversas vezes por Madrid e nunca tive problemas. Já entrei até sozinha algumas delas e não me fizeram NENHUMA pergunta. Só carimbaram meu passaporte. Pode ser sorte...

fernanda
fernandaPermalink

Eu entrei por Mdrid em 2008 com a minha mãe. Foi super tranquila a imigração. Ele só perguntou oq íamos fazer na Europa, não pediu nenhum documento nem comprovante de nada e teminou dizendo pra minha mãe q ela tinha sorte de ter uma filha tão bonita. hahahah acho q ele foi com a nossa cara! Mas acho tb q o fato de ter carimbos prévios de entrada na União Européia e visto americano ajudaram... em menos de 2 minutos passamos pela imigração com um "Benvenidos a España" =)

Gabriel Dias
Gabriel DiasPermalink

2001? Não seria 2011? smile

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Corrigido, obrigado! mrgreen

gabebritto
gabebrittoPermalink

Nunca entrei direto por Madri. Passei por Barajas em conexão para o Marrocos. Entrei por Algeciras, onde a migra não olhou e nem carimbou meu passaporte.

Porém, uma amigona foi barrada em Madri em 2009. Estava indo de férias sozinha e foi obrigada a voltar, mesmo tendo seguro, reserva de hotel, dinheiro e passagem de volta. Desde então, passei a boicotar a Espanha no blog e não recomendo a ninguém entrar por lá. Até porque a Iberia é uma péssima companhia aérea.

Andre L.
Andre L.Permalink

Acho complicado generalizar assim. Em todos os países já houve alguém "devolvido" ao Brasil nos seus aeroportos.

gabebritto
gabebrittoPermalink

Concordo. Mas foram as exceções, não a regra, como parece ser na Espanha.

renata soares
renata soaresPermalink

saiu na folha esta semana que 8 em 10 prostitutas na espanha sao brasileiras!!! terrivel... se nao fazemos nada para melhorar a situacao destas mulheres no brasil entao a espanha faz a parte dela: restringe a entrada de quem quiser...

Melissa Becker
Melissa BeckerPermalink

Indo para Londres, entrei por Madrid duas vezes em voos da Aerolíneas Argentinas - em 2007 e em abril deste ano (em meio às cinzas vulcânicas...). Foi muito tranquilo, nem me pediram para ver todos os documentos - que, claro, eu tinha! Também não vi ninguém ser barrado. Abraços!

Gustavo - Viajar e Pensar

Entrei com minha esposa, na Europa por Madrid no dia 27/setembro e não ocorreu nada de problema, em 2006 também havia entrado por Barajas e não tenho reclamação. Em 2008 quando entrei por Londres, a entrevista foi muito mais ampla.
Nos solicitaram a passagem de volta somente.
No guichê ao lado uma passageira foi encaminhada para o reservado.

Talita
TalitaPermalink

Eu fui no ano passado e foi terrível. O agente de imigração fazia uma pergunta, ficava me medindo uns 5 minutos, depois mais outra pergunta e um tempão em silêncio. Entre os questionamentos que foram feitos, destaco: Por que você (mulher, jovem, brasileira, solteira) está viajando sozinha? Quem pagou sua viagem? Mas como você é formada sendo tão jovem (Oi?)?
Isso porque eu tinha todos os comprovantes: hotel, seguro, vínculo com o Brasil, passagens de volta, de renda, dinheiro para todos os dias, cartão internacional...
Nessa brincadeira, que levou mais de 40 minutos, quase perdi a minha conexão para Lisboa.
Nesse ano entrei via Portugal, devidamente acompanhada, e foi tranquilo.

Gabi Righetto
Gabi RighettoPermalink

Para os padrões espanhóis imagino que tenham considerado vc muito jovem para estar formada. Eles passam anoooooos na faculdade, se formam super tarde e começam a trabalhar mais tarde ainda. É normal um espanhol conseguir o primeiro emprego aos 26, 28 anos, ou até mais tarde, o que pra nós é totalmente fora dos padrões...

Edson Soares
Edson SoaresPermalink

Que terror!! Espero que você não passe nunca mais por esse tipo de situação !
Cheguei à Europa por Madrid em 2005, mas não tive nenhum problema. De qualquer maneira, estava munido de uma carta da empresa comprovando um treinamento. Não foi necessário apresentá-la. Depois, partindo de Madrid pra viajar p/ outros países europeus foi como viagem doméstica, não houve passagem pela imigração/alfândega.

As reações dos agentes de imigração (de qualquer país) variam muito. Cada caso é um caso. Mas na Europa eles parecem ser um pouco mais exigentes (chatos). Mulheres jovens e solteiras tem que ter um cuidado especial, porque parece que a regra é desconfiar de todas, dado que as redes de prostituição oriundas da América Latina estão bem estruturadas, principalmnete na Espanha e Itália.

renata soares
renata soaresPermalink

Talita... e' obvio que o cara estava pensando que voce e' prostituta... fico contente que voce tinha seus comprovantes!

Edgar
EdgarPermalink

Entrei em 2008. Estava com tudo em ordem, mas o guarda não pediu absolutamente nada. Ele mal olhou na minha cara para ver se o passaporte era o meu mesmo...

Danilo Camargo
Danilo CamargoPermalink

Entrei em 2007, no auge das repatriações. Fui sozinho, tinha 25 anos na época e estava de "mochilão". Me assustei quando vi tudo aquilo acontecendo, e encarei a fila da imigração bem receoso. No entanto, acho que dei sorte, pq peguei o "guardinha" de bom humor, ou sei lá, ele nem olhou p/ minha cara !! Pegou meu passaporte, não perguntou nada e nem olhou p/ minha cara. Até pensei que se estivesse com o passaporte de outra pessoa eu entraria do mesmo jeito, pq ele nem levantou a cabeça p/ me olhar.

A volta foi mais chata, pois peguei um vôo Londres-Madrid e esqueci de preencher a ficha de imigração. Quando cheguei no portão p/ sair, os guardinhas quiseram comprovante de tudo, além de serem mto mal educados e com uma cara de "faz-alguma-coisa-que-te-prendo-agora".

Enfim, é muito loteria, infelizmente. Vc pode ter tudo certo, comprovantes, etc, e pegar o cara num dia ruim e ele te mandar de volta. Ou o contrário também. Vai saber ....

Oscar
OscarPermalink

Ontem mesmo li uma reportagem falando sobre a prostituição na Espanha.. Em 2009 86% das prostitutas presas na Espanha eram mulheres nascidas no Brasil => http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo-bbc.aspx?cp-documentid=26197887

E um percentual parecido com a prostituição masculina => http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/01/080111_prostituicaoespanha.shtml

Muito triste..

fefelima
fefelimaPermalink

Entrei por Madri no meu primeiro (e único so far) mochilão pela Europa em 2008. A escolha de entrar por Madri foi pelo simples motivo de que a passagem da Iberia era mais barata - e depois do vôo terrível entendi o porquê. Ainda no Galeão a atendente do checkin falou que por dia voltavam uns 4 ou 5 brasileiros barrados.

Fiquei super nervosa na migração, tinha levado seguro, comprovantes, meu outro passaporte com visto americano, carteira de trabalho (desespero total), enfim, tudo que pudesse comprovar que eu era uma boa moça que só estava fazendo uma viagem com minhas amigas. smile

O policial não olhou nenhum dos meus papéis, só perguntou quanto tempo eu ia ficar lá e se eu tinha cartão de crédito. Como eu tinha levado meu travel money e meu cartão internacional, ficou tudo certo e ele me liberou.

Catharina
CatharinaPermalink

Nas duas vezes que visitei a Espanha preferi entrar por Lisboa, sendo que a última vez foi em março deste ano. Já sabendo dos aborrecimentos prefiro evitá-los, se puder.

Paulo Torres
Paulo TorresPermalink

Fui à Espanha em 2008, pela TAM, sozinho, para passar 10 dias - 5 noites em Madrid e 4 em Barcelona. O guarda pediu pra ver minhas reservas de hotéis e passagem de volta, entreguei a ele (reservas do hostelworld e e-ticket impressos), e ele me barrou e fiquei aguardando na frente sala da polícia federal deles, ao lado de outras 5 ou 6 pessoas (duas uruguaias, mãe e filha, e os outros pareciam ser cubanos). Depois de quase 1 hora, nos chamaram para entrar na sala, o policial-chefe olhou meus papéis e me liberou sem fazer mais perguntas. O primeiro guarda aparentemente tinha olhado só a primeira das duas páginas das reservas. Daí, minha mala já tinha sido recolhida da esteira, tive que ir ao balcão da TAM para pegá-la, nisso perdi mais 1 hora.

O pessoal da TAM me atendeu muito bem, os funcionários do aeroporto não foram lá muito solícitos, e os policiais sequer permitiam que eu dirigisse a palavra a eles. Enfim, não foram os momentos mais agradáveis da viagem.

Michele Silva
Michele SilvaPermalink

Fui em maio desse ano de Iberia para Londres e não tive nenhum problema.
Não sei se foi porque meu voo era só conexão em Madri (depois LDN), mas só precisei mostrar o passaporte e me indicaram o caminho do meu embarque.
Simples assim. Mas tava morrendo de medo.

Lucas Paio
Lucas PaioPermalink

Entrei por Madrid em 2007, não pediram nada, nem o seguro nem nada. Só olharam o passaporte, carimbaram e pronto.

Ana Muniz
Ana MunizPermalink

Passei por Barajas agora em setembro, com minha mãe, numa primeira viagem à Europa. Levei todos os papéis que tinha da viagem, mas só o que apresentei foi mesmo o passaporte.
O agente foi sarcasticamente simpático, perguntou de estávamos "de vacaciones", se tínhamos dinheiro (enquanto já carimbava o passaporte) e se era o primeiro passaporte da minha mãe, pois ele estava limpo de carimbos.
Também senti um leve olhar de flerte, mas creditei ao hábito galanteador espanhol.
Em resumo foi tranquilo e eu não vi ninguém passando por um questionário muito longo.

Natalie
NataliePermalink

Em 2007 quando viajamos para a Europa pela primeira vez, fizemos a imigração em Madrid e praticamente nem olharam para nós dois.

Esse ano voltamos para a Espanha voando de Air China e foi tão tranquilo quando a primeira vez. Nos perguntaram se estávamos de férias e pediram a passagem de volta.

Será que falar espanhol ajuda um pouquinho nessa hora? Talvez eles devam analisar também a maneira com que se está vestido e a histórico do seu passaporte.

silvia
silviaPermalink

Entrei por Madrid para ir a Lisboa há 2 anos atras e não me perguntaram e nem me pediram absolutamente nada . Eu estava viajando sozinha.
Na minha frente uma moça vestindo uma calça fuseau um pouco justa demais para o ocasiao e blusinha com alças, foi chamada numa salinha.
Eu aconselho sempre pessoas conhecidas e mais jovens a se vestir o mais dicretamente possivel nessas horas, por medida de precaução .

Larissa Popp
Larissa PoppPermalink

Fui a Bruxelas em setembro de 2010, entrei por Madrid porque fui meio de última hora e só tinha vaga na Iberia (que concordo, é péssima). Comigo foi ridículo, eu nem percebi que tinha passado pela imigração, pois o funcionário do aeroporto só carimbou o passaporte e nem perguntou nada.. acho que me irritei mais com a distância enorme entre os terminais e a sinalização meio confusa..
Os funcionários do aeroporto eram bem chatinhos e mau humorados, mas infelizmente eles tem o direito de barrar pessoas que considerem dentro do perfil de imigrante ilegal.

Eduardo Nasi
Eduardo NasiPermalink

Fui a Madri numa dessas épocas em que todo mundo cantava os horrores de se chegar na Europa por Madri. Mas não tinha muita opção: eu estava no altamente improvável papel de vencedor de uma promoção com tudo pago, inclusive a passagem aérea.

E a passagem aérea não era por nenhuma das companhias mais conhecidas, e sim justamente pela Air Europa, bem mais simples, bem mais popular, saindo de Salvador mesmo -- e, pela soma disso, dizem que é bem mais barata que as outras. Já na fila do check-in, de orelhada, percebi que muita gente ali nunca tinha feito uma viagem internacional. E que alguns não tinham nem mesmo feito uma viagem de avião.

Como imigração tem uma ligação muito forte com preconceitos, fui juntando as pecinhas: voo barato + viajantes novatos + rota alternativa. Não parecia a situação mais favorável.

Mas o processo de Barajas foi uma das imigrações mais tranquilas por que passei na vida. Mostrei o passaporte, sorri, improvisei um "vacaciones" e a moça me liberou. Não perguntou se eu tinha dinheiro. Nem mesmo o endereço do hotel. Francamente: nem a imigração do Eurostar foi tão rápida e fácil.

Como pontos a meu favor, eu destacaria um passaporte já carimbado -- mas ainda sem visto pros EUA -- e uma cara descansada de quem já tinha descansado por uma semana em Montevidéu.

Como únicos pontos contra Barajas e a Espanha, o voo de volta pela mesma Air Europa tinha bastantes deportados e expatriados.

De qualquer maneira, havia mais 11 vencedores do concurso, mais pessoas ligadas ao evento que nos levava. E todo mundo passou tranquilamente pela imigração e não havia nenhum registro de qualquer complicação.

Aline
AlinePermalink

Fui com meu marido para Paris via Madrid e não tivemos problema algum. Não pediram nenhuma documentação, mal olharam para nós.

Alis
AlisPermalink

Passei por lá em 2009, foi apenas uma conexão vindo de Israel com direção a SP, chegava pela manhã e saía a noite, aproveitei para passar o dia pela cidade no onibus turistico smile
Estava sozinho, solteiro e passei tranquilamente, não me pediram nada nem olharam nada.

Patricia - Turomaquia
Patricia - TuromaquiaPermalink

Também acho complicado generalizar. Tem gente sendo deportada todos os dias em diferentes aeroportos. Uma amiga ficou 3 horas retida nos Estados Unidos, tendo que tirar roupa e tudo até que deixaram que ela entrasse. Ela tem um passaporte ultra carimbado.
Sei de outro caso, que deportaram em Madrid, mas a pessoa vinha sem nenhum euro em espécie. Ia ficar na casa de um parente e ñ tinha carta-convite!
Quando voltei do Brasil, viajei com um guri simpático de 22 anos, primeira vez na Europa, que estava meio com medo de Barajas, fiquei aguardando sua passagem, e foi tudo realizado em menos de 1 minuto.

Priscila [Inquietos]
Priscila [Inquietos]Permalink

Riq, lá no Inquietos eu conto em dois posts sobre a situação em Madrid. Um post é sobre situações felizes e outro sobre uma amiga inadmitida.

http://inquietosblog.com.br/dicas-gerais/deportacao-na-europa
http://inquietosblog.com.br/dicas-gerais/deportacao-na-europa-ii

Mas para resumir eu entrei umas 4 vezes em 2008 e nunca tinha nem hotel, nem dinheiro, nem carta-convite (como meu marido estava morando em BCN eu ia bem relax). Mas sempre tinha seguro-viagem e cartão de crédito.

Quando eu botei o pé em Barajas na primeira vez me dei conta que não tinha nada! Pensei: é hoje que me mandam embora!

Que nada, sempre entrei super tranquila! Mais de uma vez ainda brincaram comigo dizendo: como você viaja!

Ou seja, é uma questão de sorte, definitivamente.

Ana
AnaPermalink

Eu adoro Madri, e sempre que possível entro na Europa por ali, assim já aproveito pra passar uns dias ali e bater ponto nos meus lugares favoritos da cidade. Nunca tive problemas com a imigração, mas isso não quer dizer nada, porque velhinhas gordas não têm perfil de quem vai viver de prostituição na Europa, né? Em todo o caso, no rol dos meus conhecidos que também são adoradores de Madri, há algumas pessoas com perfil mais adequado ao caso, e eu nunca ouvi falar de qualquer problema vivido por alguém desse grupo.

Priscila [Inquietos]
Priscila [Inquietos]Permalink

Ah, eu não tinha visto americano nessa época. Mas tinha muitos carimbos de viagens recentes.

Marina Bertolucci
Marina BertolucciPermalink

Entrei duas vezes por Madrid, ambas viajando de Iberia (mesmo motivo de sempre, mais barata, mas péssima... fazer o q? ainda tenho q economizar alguns trocados para fazer uma viagem pra europa..rs..).

Em 2009, entrei por Barajas, numa conexão para Paris. Tinha todos os documentos necessários e o medo de todos os brasileiros. Fui no mesmo balcão que o meu acompanhante e a mulher somente perguntou qual o motivo da viagem e qto tempo. mais nada.

Agora em outubro, estava com todos os documentos na mochila e fui no mesmo balcão do meu acompanhante. Não me fizeram nenhuma pergunta. Só carimbaram. Talvez pelos outros carimbos da viagem anterior.

A saída por Barajas q é uma maravilha, só falta te darem "adeusinho"...rs.. querem mais é que vc vaze mesmo!! Não precisa nem tirar a bota na hora de passar pelo detector... No melhor estilo "tá indo pro Brasil? Então pode explodir o avião, se quiser".. hahaha..

abs.

Ermesto, o pato
Ermesto, o patoPermalink

Já entrei várias vezes. É só estar razoávelmente arrumado, que o maximo que me perguntaram eram quantos dias iria ficar.

Em regra os barrados são pessoas mal arrumadas, e, numa atitude preconceituosa, aqueles que são afro descentdentes. Não estou de modo algum apoiando isto, só estou constando um fato.

Luiz Chaimsohn
Luiz ChaimsohnPermalink

Sempre entro por Madri , nunca tive nenhum problema . Acho que proporcionalmente Madri não deporta mais que nehum outro Hub na Europa, é questão de um numero maior de vôos para o destino ..

zuzu
zuzuPermalink

Riq
Já entrei por Barajas "n "vezes, já que sempre vou a Barcelona e nao havia voos diretos, e por pior que fosse a Ibéria, era mais rápido entrar pela própria Espanha do que por outro país europeu(exceto Portugal, que dá mais ou menos o mesmo número de horas totais).
Sempre dizia que nunca tive nenhum problema,mas, desta última vez(agosto deste ano), o fiscal foi bem mais chatinho e exigente. Havia mudado de passaporte, pois o antigo estava vencido, entao era apenas minha segunda viagem a Europa neste novo(só havia o carimbo de Portugal em abril e Eua em maio). Só que eu, que nao sou boba nem nada, estava carregando meu antigo(e carregado, rsrs)passaporte. Entao quando ele começou a perguntar de carta convite, isso ou aquilo, eu lhe disse em espanhol: "Olha, já entrei mil vezes por aqui e já fiz várias viagens para a Europa". E fui sacando meu passaporte antigo, e mostrei a ele.
Daí ele ficou fazendo gracinhas inúteis sobre quanto eu havia viajado, perguntou de Omã, carimbou rapidinho e me dispensou.
Sorte que eu tinha este passaporte antigo(que aliás tem o visto americano), senão poderia complicar.
Uma dica : sempre levar seu passaporte antigo se vc tiver com o novo quase "virgem", e , pricipalmente se este antigo passaporte tiver o visto americano.
Eu nao tinha a tal carta convite, tinha dinheiro vivo(pensei nisso pouco antes de viajar, pois nunca carrego, só um pouco), cartoes,reserva de volta, etc.
Se eu nao tivesse o passaporte antigo nao sei o que iria acontecer. Sei que fiquei um pouquinho tensa. Estava viajando sozinha.
Como diz o Riq, mesmo se vc tiver tudo, se o cara da imigraçao quiser, ele te manda de volta por critérios bem "frouxos".

Alessandro A.
Alessandro A.Permalink

Eu só entrei por Madri 1 vez e foi bem tranquilo. Não perguntaram nada.

Eu acho que os carimbos e vistos no passaporte influenciam bastante, caso o guarda te ache suspeito.

Em compensação já fui abordado 2 vezes na França por oficiais da imigração fora da área de imigração. Uma vez no saguão das malas do aeroporto e outra na saída da estação de trem. Como você não sabe se eles são oficiais mesmo ou ladrões de passaporte, você fica nervoso e eles acabam suspeitando mais ainda.

Alex Melo
Alex MeloPermalink

Primeira viagem prá Europa, agora em Julho, por Madrid. Levei aquele monte de documentos, entrei na fila não muito preocupado, mas....
O carinha que estava na minha frente ficou uns bons 15 minutos sendo atendido, e achei até que não ia entrar, mas conseguiu. Na minha vez ele pegou o passaporte, ficou um tempão vendo alguma coisa no computador, mexeu de novo no passaporte, folheando até encontrar um carimbo dos EUA. Na hora, carimbo na mesma página a entrada - sequer perguntou quanto tempo eu ia ficar por lá.

Realmente, vai de 'lua'.

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalink

Nunca tive problema algum, inclusive em todas as duas vezes que entre pela Espanha antes de ter passaporte europeu os agentes da imigração foram simpáticos.

Lucas
LucasPermalink

Entramos na Europa por Madri em 2007 em uma vôo vindo do Rio de Janeiro e em conexão para Paris. As únicas perguntas foram:

- O que vieram fazer?
- Para onde pretendem ir?

Ao respondermos que iríamos à Fraça e Itália, o agente até bricou que não devia nos deixar entrar por não termos escolhido visitar a Espanha (em tom claramente de brincadeira, enquanto carimbava e devolvia os passaportes). Respondemos que tínhamos de estudar espanhol antes e saímos para a pegar as malas...

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalink

Eu achava que muitos carimbos no passaporte poderiam ajudar a ter facilidade na imigração, mas alguma vez me disseram que ao contrario, pode depor contra vc, principalmente se há passagem por países árabes...será que isso procede?
Enfim, nunca na vida tive nenhum problema com imigração, e na única vez que respondi perguntas habituais foi em Amsterdan (tipo onde vai ficar, quantos dias, etc) tb antes do passaporte europeu.

Nati CS
Nati CSPermalink

Entrei por Madrid em agosto de 2008 bem tranquilamente, quase nem percebi que estava passando pela imigração (talvez pelo fato de estar com visto de estudante -e mesmo assim, um pouco temerosa- mas não lembro de ver ninguém sendo barrado).

Chata mesmo foi uma imigração meses depois disso, em Girona (coisa mais improvável!), quando já estava estabelecida em Barcelona e voltando de Dublin via Ryanair (ou seja, voltando a entrar no espaço Schengen). Mesmo eu com meu NIE (carteira de identidade espanhola) e completamente legal, tive que gastar a saliva com o sujeito, e que ainda chamou o coleguinha do lado pra rir da minha cara sabe-se lá porque. Suuuuper chato, mas foi uma daquela situações que a gente engole a raiva e segue em frente.

Diga-se de passagem que alguns meses depois fui pra Londres (via Eurostar) e a imgração inglesa ainda em Paris foi 1000 vezes menos chata que essa famigerada chegada em Girona...

Renata Moreti
Renata MoretiPermalink

Riq,

entrei faz uns 2 meses, mas como vim para trabalhar (com toda a documentação certinha), não tive grandes problemas. Apenas conferiram a autorização para trabalho (emitida pelo governo espanhol) e perguntaram minha profissão e em que empresa ia trabalhar. No entanto, uma amiga que chegou uma semana depois passou sem problemas, mas enquanto esperava as malas, um oficial pediu para revisar sua documentação e fez algumas perguntas. Nada que impedisse sua entrada, mas tb nada tão tranquilo quanto a minha passagem pela imigração.

Cristina Barroca
Cristina BarrocaPermalink

Entrei por Madri em 2008. Em pânico, porque foi um ou dois meses depois de todas aquelas deportações, em ano de eleição, aquela bagunça toda que o Brasil ainda respondeu com estilo. Ok.

Quando preenchíamos (namorado e eu) os papéis para entregarna imigração, um senhorio ficava rodeando a gente. Ele nos fez rasgar os papeis duas vezes, e não foi nem um pouco simpático quando disse que estavamos preenchendo tudo errado. Mas nós apenas repreenchemos. E o mocinho d aimigração foi simpático, solícito, e fez perguntas breves e óbvias apenas. omo, quanto tempo pretendíamos ficar na Europa, e onde pretendíamos ir. Carimbou. E pronto...

Já Londres... affe...

Wander
WanderPermalink

vale Milão ? agora em junho cheguei na Italia por Milão (TAM) e no guiche da imigração foi tudo tranquilo, perguntaram se estavamos em férias e carimbaram o passaporte. No hall do aeroporto antes do portão de saida um funcionário pediu a minha mulher o passaporte. Ela estava um pouco adiantada a mim e acho que o policial pensou que ela estava sozinha. Apresentado os dois passaportes ele fez algumas perguntas ; se iriamos ficar só em Milão, quantos dias iriamos ficar na Italia, se tinhamos parentes ou conhecidos em Milão. Não pediu nenhuma comprovação de hotel, cartões, etc. mas mandou minha mulher abrir sua mala e revistou-a. Fomos liberados em seguida secamente. Haviam outros passageiros sendo revistados também.

Wander
WanderPermalink

completando o comentário do Alessandro A acima. Este funcionário que nos abordou, no hall, quase a saida do aeroporto, estava em roupa civil, sem uniforme e sem cracha, e ele não se identificou não : pediu passaportes e começou o inquerito. Na hora a gente fica ressabiado mesmo, sem saber direito quem esta te abordando. É que logo vimos que outros passageiros também estavam sendo abordados.Mas vai que a gente desconfia e encrespa. Era um policial mesmo. Fica o alerta.

Lia
LiaPermalink

Como o Alessandro A. eu tb fui barrada por esses oficiais em Paris. Estava já fora do aeroporto quando dois caras com cara de estudante, com roupas normais e mochila nas costas me convidaram gentilmente a ir à uma salinha no aeroporto de Orly. Abriram minha mala, vasculharam e perguntaram tudo, mas foi bem tranquilo e foram simpáticos até. Depois do susto perguntei a razão deles terem me escolhido e eles disseram que o vôo da Tap proveniente do Recife era um dos que eles mais encontravam drogas, que seriam distribuídas pela França.

jader
jaderPermalink

Entrei por Madrid em 2007. Levei tudo que você sugeriu mas não me pediram nada. Só carimbaram o passaporte e deram boas vindas. Também não vi ninguém tendo problemas.

Em Londres em 2008 foram um pouco mais chatos. Mas nada além daquelas perguntas básicas, quanto tempo vai ficar, se é a primeira vez e pediram pra ver a passagem de volta.

Daniela
DanielaPermalink

Entrei por Madri em janeiro de 2009, bem na época que tinham deportado vários. Para mim, só perguntaram para onde eu iria, além de Madri, e o namorado passou direto. Acho que tem a ver com perfil mesmo, com idade e com o jeito de se vestir, etc.

Nós ficamos brincando durante o voo, para ver quais passageiros tinham mais cara de serem barrados. Eu tinha toda documentação, tudo certinho, mas sei que tem uns casos que eles pediram reserva de hotel paga, o que não é muito comum para quem viaja avulso.

Rodrigo
RodrigoPermalink

Eu e minha esposa entramos em Madrid sem problema algum em abril deste ano. Só perguntaram qual seria o próximo destino.

[]s,

Helder
HelderPermalink

Eu e minha mulher entramos por barajas em setembro de 2010. Levei tudo: passagens, reservas de hotel, extrato dos cartões e ate contra-cheque mas... Os caras nem olharam pra mim. Deram um bom dia, perguntaram o motivo da viagem e carimbaram o passaporte, super tranquilo.

Vanessa
VanessaPermalink

Fui em setembro de 2006, começando por Madri. Sou portuguesa de nascimento, mas tenho dupla nacionalidade, pois meu pai é brasileiro. Assim, viajo com dois passaportes: saio do Brasil com o brasileiro e entro no resto do mundo com o português. Meu marido é brasileiro, então, qdo chegamos em Madri, passei rapidinho na fila destinada à Comunidade Europeia, enquanto ele ficou "mofando" na fila dos brasileiros. Entreguei o passaporte dele e combinei de nos encontrarmos junto à esteira da bagagem. As malas chegaram todas e nada do meu marido chegar. De repente, uma agente espanhola começou a chamar o meu nome: na pressa, eu tinha entregue o MEU passaporte brasileiro pro meu marido e fiquei com o dele. A agente da imigração gentilmente foi me procurar, pegou o passaporte do meu marido e então ele entrou no pais sem problemas.É verdade q isso foi antes dos problemas com os brasileiros começarem, mas achei inacreditável (e aprendi a lição: agora espero sempre ele)

Orrico
OrricoPermalink

Entrei em 2007, de mochilão, eu e 3 amigos. Todos jovens e inclusive um deles negro (gente, não estou sendo preonceituoso, mas todo mundo sabe que muitas vezes as "otoridades" são) e que já tinha tido o canivete barrado (esqueceu na mochila de mão - tsc, tsc). E... nada. Perguntas normais, onde vai ficar, endereço e pronto.

Mas na nossa frente, uma brasileira estava de óculos escuros, mostrou o passaporte e o agente pediu para ela tirar os óculos para comparar com a foto. Como "óculos" não se aplica no portuñol (gafas), ela não entendeu e tomou-lhe um passa fora do sujeito.

Dri Miller
Dri MillerPermalink

Nunca tive problemas pra entrar nem pra sair da Espanha (mas meu caso eh diferente pois não viajo com passaporte Brasileiro), mas já viajei de Londres pro Brasil via Madrid de Iberia (pior voo EVER diga-se de passagem!!) e grande parte dos passajeiros no avião eram Brasileiros sendo deportados!!
Fiquei escandalizada com a brutalidade que os guardas estavam tratando alguns dos deportados (uma das garotas chegou a ser amardacada com Silver tape e amarrada na poltrona!! Fiquei MUITO chocada com a falta de despeito!!) e quando questionado o guardinha disse que eles já estavam acostumados a deportar Brasileiros e são os que mais dão trabalho (?!?), e os que mais são deportados também!
Foi uma tristeza assistir aquela cena, e igualmente triste ver o grupo de deportados sendo registrados pela policia federal na entrada do aeroporto do Rio...

Evelyn
EvelynPermalink

Já entrei na Europa por Madrid 2 vezes.
A primeira foi no comecinho de 2009, bem quando ocorreu o ba-fá-fá de devolução de brasileiros. Apesar de ser novinha (faixa etária de risco) e meu passaporte não ter muitos carimbos na época, entrei sem precisar mostrar um único documento, nem mesmo comprovante de hospedagem. Foi tudo mt, mt tranqüilo, e a guarda foi super simpática. A segunda foi em setembro deste ano. O guarda só exigiu o bilhete do vôo de conexão e endereço na cidade de destino (Paris). Demorou bastante olhando pro computador, e também pro vácuo (!), e depois bateu o carimbo sem maiores problemas. O país da Europa onde passei por "interrogatórios" mais detalhados foi Portugal (tanto em Porto como em Lisboa). Mas nunca rolou nenhum stress.

Juliane
JulianePermalink

Em julho de 2009 entrei na UE por Madrid, a caminho da Alemanha, sozinha, morrendo de medo de ser barrada, mas a unica coisa que me perguntaram era se eu estava de férias. Carimbaram meu passaporte sem conferir os comprovantes e pronto... liberada... acho q é uma loteria...

Fabio
FabioPermalink

Todo mundo que me visita aqui vem sem problemas por Madrid... mesmo sem a carta convite que, que me desculpe a expressao, eh um porre de se fazer...