Lisboa: onde ouvir o fado

Heloísa Dall'Antonia
por Heloísa Dall'Antonia

Fado na Adega Machado, em Lisboa

Adega Machado

Durante minha estada em Lisboa, em novembro do ano passado, involuntariamente acabei assistindo a três shows de fado. Quer dizer, sem querer numas: o Comandante já me tinha incumbido de visitar a Tasca do Chico e eu sabia que teria a oportunidade de assistir a um espetáculo com a equipe do Turismo de Lisboa. A terceira vez é que não estava no script: entrei em um restaurante para jantar e eis que havia um show ali também.

O fado foi alçado a Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO em 2011. Original em Lisboa, o gênero é tão português quanto a saudade, e trai a influência moura do bairro onde nasceu, a Mouraria.

Minha primeira experiência foi muito boa e surpreendente. Na Adega Machado (Rua do Norte, 91, tel. 351/ 213-422-282), uma das casas de fado mais antigas do Bairro Alto, serve-se também jantar (€ 30 por pessoa): os comes e bebes, porém, só são servidos quando acontecem as pausas de descanso dos fadistas. Quando os artistas voltam ao palco, o ideal é parar de consumir e apenas se deleitar com as interpretações. Na noite em que estive lá, três eram os fadistas no palco, duas mulheres e um homem. As canções apresentadas em solo foram muito bonitas, mas o momento mais emocionante do espetáculo foi a música que os três artistas cantaram juntos. Posso dizer apenas que, quando as luzes voltaram a intensidade normal dentro da casa, não era só eu que estava com os olhos marejados. smile Há outras casas com o mesmo estilo da Adega Machado, como O Faia, também no Bairro Alto (Rua da Barroca, 54, tel. 351/213-426-742); a Casa de Linhares (Arco de Jesus, 7, tel. 351/218-865-088) e o Clube de Fado (Rua São João da Praça, 86, tel. 351/218-852-704), em Alfama, e a Maria da Mouraria (Largo da Severa, 2, tel. 351/218-860-165), na Mouraria.

Fachada da Tasca do Chico, em Lisboa

Tasca do Chico

Minha segunda noite de fado foi na Tasca do Chico (Rua do Diário de Notícias, 39, tel. 351/965-059-670; aberto todos os dias das 19h às 3h, pagamento conforme o consumo). Na verdade não exatamente na casa, mas na calçada: como era dia de apresentação de fado vadio (segundas e quartas), quando qualquer pessoa pode cantar, o diminuto espaço (lotado de fotos e jornais decorando as paredes) não permitia que nem mais uma alma entrasse ali. Cheguei às 20h, mas as poucas mesas do estabelecimento – que também serve petiscos, como chouriço assado na hora – já estavam todas ocupadas. Descobri que as apresentações só começariam de fato lá pelas 22h e que o ideal seria ter reservado meu lugar. Como eu não tinha jantado ainda, e não iria conseguir uma mesa mesmo, fui para uma padaria no Largo do Camões e fiz hora até o começo do show. Chegando novamente ao local, a surpresa: não dava pra chegar nem perto da janela do barzinho. Me contentei em ficar “por ali” ouvindo a música (por sinal muito boa, anda mais levando-se em conta de não ser interpretada por profissionais), mas sem usufruir de verdade da casa. O clima no lugar é mais descontraído, mas o respeito pelos artistas é o mesmo. Em outros dias da semana, fadistas mais jovens e eventualmente até gente famosa dá as caras para dar uma palhinha gratuita. Quando falei que era do Brasil, a atendente logo contou que a cantora Ana Carolina havia estado lá algumas semanas antes. É certamente uma opção interessante para quem quer ouvir bom fado, mas não tão satisfatória para quem pensa em comer algo antes do ou durante o show. Há outras casas com o mesmo estilo: a unidade da Tasca do Chico em Alfama (Rua dos Remédios, 83, tel. 351/ 961-339-697), a Tasca do Jaime (Rua da Graça, 91, tel. 351/218-881-560) e A Baiuca (Rua de São Miguel, 20, tel. 351/218-687-284).

Na minha última experiência fadista durante a viagem, consegui entender o conceito de “fado folclórico”, que os lisboetas consideram bem pega-turista mesmo. Em outra noite, parei para jantar em um restaurante comum do Bairro Alto. Apesar do bom atendimento, comecei a notar, enquanto comia, uma certa movimentação num palquinho que eu nem tinha percebido que existia. Não deu outra: na minha terceira garfada uma senhora começou a gritar melodicamente alguma coisa que era pra ser um fado. Não estava desafinado, mas era tão barulhento -- parecia que ela estava se esgoelando tanto para cantar -- que até minha fome diminuiu. Não consegui entender nada da letra, coisa que não aconteceu nas minhas duas experiências anteriores, nem achar bonito. Na verdade, eu só queria que ela parasse pra conseguir jantar em paz. Mas não parou (e pro meu azar, como muito devagar). Aliás, não ter terminado a refeição não foi empecilho nenhum para que, no intervalo entre as apresentações, a banda viesse, educadamente, oferecer seus CDs à venda.

Gostou tanto de ouvir a música que quer saber mais a respeito do estilo? Dê um pulo no Museu do Fado (Largo do Chafariz de Dentro, tel. 351/218-823-470 – aberto de terça a domingo, das 10h às 18h, exceto feriados). A entrada custa € 5, mas o valor é menos para quem tem o Lisboa Card.

Heloísa viajou a convite do Turismo de Lisboa.

Leia mais:

12 comentários

Sérgio Zomignani

Pergunta: Como pretendo sair , para conhecer algumas casas de fado,
COM MINHA ESPOSA, há facilidade de se conseguir TÁXI, às altas horas da noite? Qual seria a hora ideal (para retorno ao hotel) de se combinar com o taxista? E o aspecto SEGURANÇA??
Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Sérgio! O problema de segurança nas cidades européias não está à noite, está nas aglomerações turísticas e transporte público durante o dia:
https://www.viajenaviagem.com/2013/07/europa-inseguranca-turismo

Você pode pedir para chamarem um táxi pelo telefone ou usar um app. Estes são os que estão funcionando em Lisboa:
http://tek.sapo.pt/analises/andamos_de_taxi_em_lisboa_com_a_ajuda_de_4_ap_1403524.html

Léa Bueno
Léa BuenoPermalinkResponder

Oi Heloísa, só por curiosidade, qual é o nome da casa de fado (ou restaurante) da sua última experiência em Lisboa?

Heloísa
HeloísaPermalinkResponder

Preciso tentar achar o recibo, Léa! Mas era um pequenininho ali pros lados dos calçadões do Bairro Alto mesmo. Eles tinham duas opções vegetarianas no cardápio, me conquistaram aí. wink

Juliana Letra
Juliana LetraPermalinkResponder

Recomendo também, para quem não quer assistir a shows de fado muito longos, o bar/restaurante Povo no Cais do Sodré (http://povolisboa.com). Ele é pequeno e também fica lotado, é bom chegar cedo, a comida é muito boa. Os cantores se revezam a cada noite e as apresentações se repetem a cada 1 ou 2 horas, pelo menos era assim quando lá estive em 2013. Vale conferir o site.

Adeilda
AdeildaPermalinkResponder

Assisti um excelente fado na "Parreirinha da Alfama". O pequeno restaurante, com excelente bacalhau. Fica próximo ao museu do fado.

Viviane
VivianePermalinkResponder

Eu amei o do Pastel do Fado, lindo de ouvir! Muito bom!!! smile

Vivianne Gusmao

Amo a Tasca do Chico, sempre que vou a Lisboa vou a Tasca. Recomendo que sempre reservem mesa, porque conseguir mesa lá só na sorte (o que já consegui por duas vezes, ainda bem). O lugar é descontraido, o chouriço, o caldo e o vinho verde são deliciosos.
Ao contrário do que foi dito, é fácil achar cantores de fado profissionais na casa, só ficar até um pouco mais tarde, ao terminarem os shows nas casas e restaurantes ao redor eles sempre passam pra cantar um pouco e nos emocionar com seus fados. Recomendo muito a todos que estão por Lisboa nos dias que tem fado vadio na Tasca do Chico.

Georgia SP
Georgia SPPermalinkResponder

Oi, Riq e Bóia. Vou a Lisboa em abril e estou procurando um show de fado que comece um pouco mais cedo, pois estarei com uma criança. Alguma opção para indicar? Ou nas casas de fado indicadas os shows começam cedo?
Até agora só encontrei um tal de "Fado in Chiado", em um teatro, com indicações divididas. Sei que não será uma experiência tão autêntica quanto ir a um local em que possa jantar tranquilamente e curtir a música, mas também não queria me frustar em um "pega turista". Vocês conhecem?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Georgia! Os sets de fado nos restaurantes começam entre 21h e 21h30, não é tão tarde. Confirme por telefone e marque o jantar cedo, antes do espetáculo.

Denise
DenisePermalinkResponder

Olá Riq e Bóia ! Estarei em Lisboa em maio de 2018, e pretendo assistir a um show de fado. Como vou estar sozinha, gostaria de saber se vcs conhecem alguma agência que leve grupos a esses espetáculos. Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Denise! A recepção do seu hotel pode providenciar a reserva ou um contato para você.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar