Lisboa como se deslocar: bonde electrico

Guia de Lisboa

Transporte em Lisboa

Veja nesta página como funciona e quanto custa cada um dos meios de transporte em Lisboa, e como pagar menos usando passes de transporte.

Qual é o melhor transporte?

Trajetos curtos: caminhe! (Com ladeira ou sob chuva, chame um Uber.)

De hotéis fora do centro para a Baixa, Chiado ou Cais do Sodré: metro

Para Belém: eléctrico (bonde)

Para LX Factory: eléctrico (bonde)

Para o Parque das Nações: metro

Para Sintra, Estoril e Cascais: comboio (trem)

Para o Castelo: elevadores, Uber ou tuk-tuk

Para o aeroporto: Uber ou metro

Para a rodoviária: metro

Uber e táxi

Lisboa: Uber no aeroporto

Em comparação a outras capitais européias, táxi sempre teve tarifas mais camaradas em Lisboa. Só não é recomendável pegar táxi no aeroporto: há muitas reclamações de taxímetro adulterado e voltas a mais. Dá para tomar táxi na rua ou chamar pelos aplicativos 99 e MyTaxi.

Sempre que não estiver em período de tarifa dinâmica, porém, o Uber & cia (Cabify, Bolt) será um melhor negócio. Na área central de Lisboa, as corridas costumam custar entre 3 e 4 euros. O aplicativo é o mesmo do Brasil. Não é preciso fazer nenhum ajuste. O cartão de crédito vinculado à sua conta, porém, precisa ser internacional. Haverá a incidência de 6,38% de IOF.

Metrô

Em Lisboa, o metrô se chama “metro”. Funciona das 6h30 à 1h e tem quatro linhas: azul (Santa Apolônia-Reboleira), amarela (Rato-Odivelas), verde (Cais do Sodré-Telheiras) e vermelha (São Sebastião-Aeroporto). Você pode consultar o mapa das estações aqui.

As linhas verde e azul são as que você vai usar mais para se deslocar do seu hotel às atrações de Lisboa. Ambas passam pela Baixa/Chiado. A linha verde leva também ao Cais do Sodré e ao Rossio. A linha azul, ao Terreiro do Paço e à rótula do Marquês de Pombal.

O bilhete avulso de metrô, comprado nas maquininhas, custa 1,50 euros. Com cartão Viva Viagem/7 Colinas carregado com zapping, custa 1,33 euro. O uso é gratuito com o Lisboa Card.

Estações-chave

A estação Baixa-Chiado está no coração do centro histórico de Lisboa. O subterrâneo funciona como um túnel (de uso gratuito) que liga o Chiado (restaurantes, vida noturna) à Baixa (comércio de rua diurno).

A estação Restauradores, da linha azul, se comunica com a estação ferroviária do Rossio, a mais prática para pegar o trem (comboio) de Lisboa até Sintra.

O Cais do Sodré, estação terminal da linha verde do metrô, também tem uma estação de trem e uma estação de barcas. Da estação ferroviária do Cais do Sodré saem os trens de Lisboa a Cascais. As barcas levam à margem sul do Tejo — não perca a vista (e os restaurantes de frutos do mar) de Cacilhas.

A estação Jardim Zoológico leva à rodoviária Sete Rios, principal terminal de ônibus (autocarros) intermunicipais de Lisboa.

Já a estação Oriente é a principal estação ferroviária de Lisboa.

Para se deslocar entre o centro de Lisboa e o Aeroporto, você vai precisar fazer uma baldeação: pode ser na estação São Sebastião (linha azul) ou Alameda (linha verde). No aeroporto, a estação de metrô fica junto ao prédio do aeroporto: a entrada fica a 5 minutos de caminhada tanto do desembarque quanto da área de check-in.

Guarde seu bilhete até o fim da viagem!

Tanto para usuários do metrô, quanto para os do comboio, vale saber: guarde seu bilhete até o final da viagem!

O bilhete será necessário para passar pela catraca em seu destino final e poderá ser verificado por um funcionário durante o trajeto.

Cuidado com os batedores de carteira!

Brasileiros na Europa estão expostos a um tipo de insegurança que não temos em casa: os batedores de carteira. No Brasil, esse é um problema que só enfrentamos em situações como carnaval de rua e mega-shows. Na Europa, os batedores atuam o tempo todo, nos lugares turísticos e no transporte público.

Em Lisboa os mãos-leves andam disfarçados de turista. O eléctrico 28 é um dos mais visados, mas eles podem estar em qualquer trajeto, de olho nas bolsas e bolsos dos desatentos. Muitos trabalham em dupla ou trio — enquanto um distrai, o outro subtrai.

Nunca saia para passear com passaporte: deixe seu documento no cofre do hotel (ou carregue numa doleira). Dinheiro e cartões devem estar sempre em bolsos bem apertados, na frente. Mochilas e bolsas é melhor conduzir à frente, nunca às costas.

Tome essas precauções, e você só vai trazer boas lembranças.

Bondes (eléctrico)

Lisboa: como se locomover - bonde

Há seis linhas de bondes (chamam-se elé(c)tricos) em Lisboa. A mais famosa é a linha 28E, operada apenas por antigos bondinhos de madeira, e que faz um trajeto que vale por um passeio. Suba na estação do Campo de Ourique, desça na Graça e você vai ter visto alguns dos lugares mais bonitos da cidade. Faça o passeio num dia de semana para pegar o bonde menos lotado.

Lisboa: como se locomover - eléctrico

Já os eléctricos mais novos são VLTs. É provável que você embarque num deles, da linha 15E, para ir a Belém ou à LX Factory.

Ao contrário dos ônibus ou dos bondinhos antigos, você não precisa se preocupar em entrar pela porta da frente nos eléctricos modernos. Escolha qualquer porta ao longo do veículo, e aperte o botãozinho. A porta vai se abrir, e é só embarcar. Na hora de descer, a mesma coisa: aperte para que as portas se abram e você possa sair do veículo.

Há várias máquinas para validar o seu cartão de transporte ao longo do eléctrico (procure, vai haver uma perto de você). Se estiver sem cartão, procure pelas máquinas a bordo que fazem venda de bilhetes.

O bilhete avulso dos eléctricos em Lisboa custa 3 euros. É vendido pelo condutor, nos eléctricos antigos, e nas maquininhas, nos eléctricos modernos. Com cartão Viva Viagem/7 Colinas carregado com zapping, custa 1,35 euro. O uso é gratuito com o Lisboa Card.

Eléctricos*/elétricos

Pelo Acordo Ortográfico, o “c” já caiu. Mas como existe ainda alguma resistência ao Acordo entre os portugueses, e sendo o Viaje na Viagem contra o acordo, fica aqui o nosso apoio aos rebeldes 😀

Ônibus (autocarro)

Os ônibus (diga: autocarros) circulam por toda a cidade. São menos folclóricos do que os eléctricos, e não tão ligeiros quanto o metrô, mas muitas vezes oferecem viagens com mais conforto — e com vista. Use o Moovit ou o Google Maps para simular trajetos.

Você vai reparar que nos pontos (paragens, em Portugal) existem tabelas com o sentido que os ônibus seguem e os horários em que passam. São quaaase precisos. Tenha atenção que nos finais de semana a frequência de ônibus diminui, e que tarde da noite as linhas dão lugar à Rede da Madrugada, o serviço de transporte noturno.

O bilhete avulso de ônibus em Lisboa, comprado a bordo com o motorista, custa 2 euros. Com cartão Viva Viagem/7 Colinas carregado com zapping, custa 1,35 euro. O uso é gratuito com o Lisboa Card.

Elevadores e ascensores

Lisboa como se deslocar: ascensor

Na cidade das 7 colinas, os ascensores só podiam mesmo ser alçados a monumentos nacionais. Em funcionamento desde o fim do século 19, os transportes pelas ruas mais íngremes permitem também vistas diferentes de Lisboa.

Quando funcionam sobre trilhos, os elevadores se chamam ascensores. (No Brasil, chamaríamos esse tipo de ‘bondinho’ de ‘plano inclinado’.)

Quando funcionam na vertical, os elevadores são chamados de… elevadores, mesmo.

Ascensores

Lisboa: como se deslocar - ascensor da Bica

Há dois ascensores que certamente estarão pelo seu caminho em Lisboa:

O ascensor da Glória leva da Praça dos Restauradores ao Bairro Alto — ou seja, corta caminho da porta de entrada do centro histórico ao bairro boêmio (e de quebra também serve de atalho para o Príncipe Real). É o mais movimentado da capital portuguesa. Apesar de ser um ascensor, é mais conhecido como ‘Elevador da Glória’. Funciona de 2ª a 5ª (exceto véspera de feriados) das 7h15 às 23h55; sextas, das 7h às 0h25; sábados, das 8h45 às 0h25; domingos e feriados, das 9h15 às 23h55.

O ascensor da Bica vai da rua Duarte Belo ao Largo de Calhariz — é o caminho mais pitoresco para chegar ao Largo do Adamastor, um dos mais bonitos (e concorridos) miradouros de Lisboa. Funciona de 2ª a sábado, das 7h às 21h; domingos e feriados, das 9h às 21h.

Jà o ascensor da Lavra (que faz o percurso Largo da Anunciada até a rua Câmara Pestana) é o mais antigo em funcionamento – começou em 1884. Funciona de 2ª a 6ª das 7h50 às 19h55 e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 19h55.

O bilhete avulso dos ascensores serve para ida e volta e custa 3,80 euros.Com cartão Viva Viagem/7 Colinas carregado com zapping, custa 1,35 euro por trecho. O uso é gratuito com o Lisboa Card.

Elevadores

Lisboa como se deslocar: elevador de Santa Justa

Os elevadores normalmente são gratuitos e são quebra-galhos maravilhosos, por exemplo, para chegar ao Castelo de São Jorge sem muito esforço (veja neste post).

O elevador de Santa Justa (que leva da rua do Ouro ao Largo do Carmo) é o único dos elevadores verticais da cidade que cobram passagem. Criado pelo arquiteto Raoul Mesnier du Ponsard, assim como todos os outros ascensores em funcionamento na cidade, o Santa Justa tem estrutura em ferro fundido e cabines de madeira. Funciona diariamente das 7h30 às 21h (de novembro a abril) e das 7h30 às 23h (de maio a outubro).

O bilhete avulso para o elevador de Santa Justa custa 5,30 euros, ida e volta. Com ele você tem acesso ao Miradouro de Santa Justa, para admirar outra bonita vista de Lisboa. Com cartão Viva Viagem/7 Colinas carregado com zapping, custa 1,35 euro, e você pode comprar entrada para o miradouro por 1,50 euros. O uso do elevador e a visita ao mirante são gratuitas com o Lisboa Card.

Trem (comboio)

Lisboa: como se deslocar - linha de Cascais

Há duas linhas de trem (comboio) suburbano que levam atrações que todo viajante quer visitar.

A Linha de Sintra liga a estação ferroviária do Rossio a Sintra. E a linha de Cascais liga a estação ferroviária do Cais do Sodré a Belém, Estoril e Cascais.

A passagem ida e volta custa 4,50 euros em qualquer uma das duas linhas. O valor deve estar carregado num cartão Viva Viagem ou 7 Colinas. Com Lisboa Card, os dois trajetos são gratuitos.

A linha de Cascais também serve ao bairro de Belém, mas os horários são mais espaçados do que os dos ônibus e eléctricos.

Barcas

Lisboa como se deslocar: cacilheiro

As barcas (conhecidas localmente como ‘cacilheiros’) são um meio de transporte importante entre Lisboa e as cidades da margem sul do Tejo, onde vivem muitos dos trabalhadores da capital. Para o visitante, porém, essas linhas são uma ótima oportunidade de fazer um passeio panorâmico, por preço de uma passagem comum.

A travessia mais curta, e mais em conta, é entre o terminal fluvial do Cais do Sodré e o povoado de Cacilhas. A travessia leva 10 minutos e acontece entre 5h35 e 1h40 da madrugada. A passagem ida e volta custa 2,60 euros. Com cartão Viva Viagem/7 Colinas carregado com zapping, custa 2,56 euro (ida e volta). O Lisboa Card não funciona para a travessia.

Tuk-tuk

Lisboa como se deslocar: tuktuk

Nada ilustra melhor a explosão do turismo de Lisboa quanto a proliferação desses carrinhos. Apesar de inspirados nos táxis baratinhos que circulam na Índia (onde se chamam rickshaws) e na Tailândia (onde se chamam tuk-tuks mesmo), em Lisboa os tuk-tuks custam bem caro. Por quê? Porque não servem para transporte, mas para passeios turísticos.

O motorista faz as vezes de guia e normalmente fala dois ou três idiomas (atenção: nem sempre um deles é o português). Os carrinhos têm tamanhos diferentes, que acomodam de dois a seis passageiros. Você vai encontrar tuk-tuks estacionados, prontos para serem contratados, nos lugares mais turísticos da cidade, como a Praça do Comércio (Terreiro do Paço), Time Out Mercado da Ribeira, Praça da Figueira (Rossio)… Você também pode contratar um tuk-tuk por meio do seu hotel.

Os preços variam loucamente, de acordo com o roteiro, o momento e a cara do freguês. Tome como base a tarifa de 50 euros por hora: uma boa negociação levará a esse preço. Há roteiros pré-determinados, mas você também pode montar um itinerário com seu tuk-tukeiro.

Aonde vale a pena ir de tuk-tuk?

Vale a pena investir num tuk-tuk para fazer roteiros ladeira acima, sem precisar usar os eléctricos apinhados. Um roteiro de miradouros para os lados do Castelo (Nossa Senhora do Monte, Graça, o próprio Castelo) é um bom negócio.

Passes de transporte e atrações

Lisboa como se deslocar

Como em toda grande cidade européia, Lisboa oferece passes de transporte que funcionam também para os visitantes. É mais barato e mais prático do que ficar a todo momento comprando um novo bilhete.

Lisboa Card

Lisboa como se deslocar: Lisboa Card

O Lisboa Card é um passe combinado de atrações e transporte.

Oferece entrada gratuita (e sem fila) em 29 atrações, e dá (pequeno) desconto em várias outras.

Oferece também transporte público ilimitado. É aceito no metrô (metro), ônibus (autocarros), bondes (eléctricos) e elevadores de Lisboa. E, ao contrário do Bilhete diário Carris/Metro, vale para ir e voltar de trem para Sintra e Cascais. As barcas do Tejo, porém, não estão incluídas.

Como funciona o Lisboa Card

Há versões do Lisboa Card de 24, 48 e 72 horas consecutivas.

São validados a partir do primeiro uso, seja numa atração, seja num transporte — aquele que você usar antes. Você precisa anotar o horário do primeiro uso no cartão.

Assim, se você usar o seu Lisboa Card 24 horas no metro (ou num museu!) às 10h15, o cartão valerá até as 10h14 do dia seguinte.

Atenção: o Lisboa Card não pode ser considerado um fura-fila. Em alguns museus e atrações será preciso pegar um ingresso gratuito na bilheteria.

Quanto custa o Lisboa Card

  • Lisboa Card 24 horas: 19 euros (12 euros entre 4 e 15 anos)
  • Lisboa Card 48 horas: 32 euros (18 euros entre 4 e 15 anos)
  • Lisboa Card 72 horas: 40 euros (21 euros entre 4 e 15 anos)

O melhor custo x benefício do Lisboa Card está na versão 72 horas: 13,33 euros por dia.

Como comparação, o Bilhete Diário Carris/Metro sai 6,40 euros (mas não dá direito a ingressos ou descontos em atrações).

Faça as contas: o Lisboa Card vale a pena para você?
  • Ida e volta de trem a Sintra (4,50 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Ida e volta de trem a Cascais (4,50 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Bilhete diário Carris/Metro (6,40 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Bilhete avulso de metrô (1,50 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Bilhete avulso de ônibus (2 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Bilhete avulso de eléctrico (3 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Mosteiro dos Jerônimos (10 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Museu Nacional dos Coches (8 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Torre de Belém (6 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Museu Nacional do Azulejo (5 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • MAAT (5 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Arco da Rua Augusta + Lisboa Story Centre (8 euros | grátis com o Lisboa Card)
  • Museu Arqueológico do Carmo (4 euros | 3,20 euros com o Lisboa Card)
  • Fundação José Saramago (3 euros | 2 euros com o Lisboa Card)
  • Oceanário de Lisboa (16 euros | 13,60 euros com o Lisboa Card)
  • Palácio e Jardins de Queluz (10 euros | 9 euros com o Lisboa Card)
  • Parque e Palácio Nacional da Pena (14 euros | 12,60 euros com o Lisboa Card)
  • Palácio Nacional de Sintra (10 euros | 9 euros com o Lisboa Card)
  • Quinta da Regaleira (8 euros | 6,40 euros com o Lisboa Card)

Preços de março de 2019. Site oficial aqui.

Onde comprar o Lisboa Card

Dá para comprar online, mas a entrega é pelo correio. O ideal é comprar nos postos de turismo da Ask Me Lisboa: os mais convenientes são os do Aeroporto e do Terreiro do Paço (Praça do Comércio). Veja a lista aqui . Os postos estão abertos todos os dias, exceto 25 de dezembro e 1º de janeiro.

O Lisboa Card vale a pena?

Compre o Lisboa Card se for a sua primeira visita a Lisboa e você pretende entrar em várias atrações da cidade. De quebra, você não precisa se preocupar com tickets de transporte.

Não compre o Lisboa Card se já não é a sua primeira vez em Lisboa, ou se você se satisfaz em ver os monumentos pelo lado de fora. Em ambos os casos, será mais vantajoso comprar apenas os passes de transporte.

Viva Viagem e 7 Colinas

Lisboa: como se deslocar

Os passes Viva Viagem e 7 Colinas são passes de transporte individuais e recarregáveis. Tanto faz qual você compre: os dois têm as mesmas funções, forma de utilização e preço. Nenhum dos dois pode ser compartilhado, porque são usados para acionar a catraca na entrada e na saída. A catraca não aceita uma segunda entrada antes de registrar uma saída.

Usando o Viva Viagem ou o 7 Colinas você economiza nas passagens e não precisa procurar por trocadinhos toda vez que entrar num transporte em Lisboa.

Você compra o cartão por 0,50 euro e carrega com o passe que for mais vantajoso para você. Quando terminarem os créditos ou a validade do passe, é só fazer uma nova carga no mesmo cartão.

Os cartões Viva Viagem e 7 Colinas são vendidos e podem ser carregados nas maquininhas do metrô e das estações de trem, em bancas de jornais, lotéricas, e nos postos de venda da Carris.

Existem vários tipos de passe para escolher e carregar o seu cartão Viva Viagem/7 Colinas. Você pode carregar seu cartão com viagens avulsas, mas daí vai tarifa inteira. Os carregamentos mais interessantes são o Bilhete Diário Carris/Metro e o Zapping.

Bilhete Diário Carris/Metro

O Bilhete Diário Carris/Metro é o mais vantajoso se você for fazer mais de quatro viagens de transporte público ao longo do dia, ou se a sua programação exigir baldeações entre o metrô e os demais transportes em Lisboa.

Vale no metrô, ônibus, eléctricos e barcas.

Não é válido nos trens de Lisboa a Sintra ou a Cascais. Se precisar usar trem, compre bilhetes avulsos na bilheteria, ou adicione um carregamento zapping no mesmo cartão.

Bilhete Diário Carris/Metro

  • Preço: 6,40 euros
  • Validade: 24 horas corridas
  • Acesso ilimitado à rede Carris (ônibus, bondes, elevadores) e ao metrô
  • Não é válido nos trens de Lisboa a Sintra ou a Cascais

Zapping

O Zapping é o carregamento mais vantajoso se você está revisitando Lisboa e vai rodar menos de transporte público pela cidade.

Dentro da rede Carris (ônibus, bondes e elevadores) todas as passagens caem para 1,35 euros com o zapping, e as baldeações feitas num período de 1 hora não são cobradas.

No metrô, a tarifa cai de 1,50 para 1,33 euros (mas para baldear do metrô para outro tipo de transporte você paga uma segunda passagem).

Os créditos zapping também são válidos nos trens de Lisboa a Sintra ou a Cascais. Do Cais do Sodré a Cascais, ou da estação do Rossio a Sintra, você paga 1,90, em vez de 2,25 euros.

Zapping

  • Permite carregamentos de 3, 5, 10, 15, 20, 25, 30, 35 ou 40 euros
  • Validade: enquanto houver crédito
  • Dá descontos nas tarifas avulsas de ônibus, bondes, elevadores, metrô, trens e barcas
  • É válido nos trens de Lisboa a Sintra ou a Cascais

Preços de março de 2019.

74 comentários

Oiii…
Estou com uma dúvida… Vou viajar daqui a 1 semana…
O Lisboa card dá direito a entrar no Mosteiro Jerônimo, Torre de Belém e elevador Sta Justa, né?! Mas com ele enfrentamos as filas? Pq vc diz q não vale como fura fila…

    Olá, Lis! É preciso entrar na fila da bilheteria para obter o ingresso grátis.

olá, ainda estou um pouco confusa em como pagar os transportes. primeiro eu compro o cartão viva por 0,50 e depois recarrego pelo zapping? zapping é uma máquina nas estações?

    Olá, Ana! 0,50 é o custo do cartão. O Zapping é um crédito que você pode carregar neste cartão. Funciona como um chip pré-pago. Ao comprar o cartão você já pode carregar com o que quiser, passe diário ou créditos pelo Zapping.

Estive em Lisboa entre 17 e 20/02/2020 e quero agradecer pela dica o do Lisboa Card, que atualmente esta 45 euros. Comprei o meu ao lado da Estação e Shopping Oriente e recebi com o cartão um mapa da cidade e um guia turístico, além de orientações de utilização. Valeu! Muito bom.

    Valeu a pena?
    Vou passar 4 dias em Lisboa e estou sem saber qual forma vale mais a pena, pois um dia irei fazer passeio pela Decolar para Sintra, Cascais(Com o cartão teria desconto nos ingressos la) por outro lado nesse dia nao iria usar transporte. Nos outros dias vou conhecer Belem, Mosteiro, Oceanário, que são gratuitos com o cartão e desconto. Mas talvez eu só use transporte 2 vezes.Sera que vale a pena, parece que vai dar no mesmo…

Parabéns pelo site. As informações e redação são excelentes.
Preciso de uma ajuda/opinião. Em abril/maio estarei com minha esposa em Portugal e faremos uma parte da viagem de carro, incluindo Sintra.
Minha dúvida é a seguinte: já que estaremos de carro, o que é melhor? Ir em nos principais pontos turísticos (Quinta da Regaleira, Palácio Nacional de Sintra,
Castelo dos Mouros, Parque e Palácio Nacional da Pena e Parque e Palácio de Monserrate) de Sintra com o carro? Pelo que li não é fácil estacionar perto dos pontos turísticos …
Ou é melhor estacionar em algum lugar na região e utilizar outro tipo de transporte? Bike elétrica é uma boa opção?
Obrigado

    Olá, Adriano! Desde o início do ano, está proibido chegar de carro aos palácios de Sintra. Você teria que deixar o carro estacionado num dos bolsões do Centro. Não vale a pena estar de arro em Lisboa.

Duvida; o Lisboa Card oferece algumas atrações gratuitamente, porém não tem sistema fura fila. Iremos na próxima semana, para quais atrações devemos comprar ingressos on line para evitar filas imensas?O que pensei:
Castelo s jorge, M Jeronimos, Torre Belem, Padrão descobrimentos, Oceanário, Castelo da Pena e Quinta da Regaleira.Vamos perder alguns gratis mas evitando filas.O que vc acha Rick?? Temos mais de 60 anos.Abr

Olá! Vejo que em várias atrações vcs colocam o valor para 65+.
No nosso caso, brasileiros, é só mostrar cópia do passaporte para conseguir esse preço? Como funciona? Obrigada!

    Olá, Andressa! Esta página é sobre transporte. Não há desconto para maiores de 65 anos no transporte. Em atrações (que a gente cobre em outra página, https://www.viajenaviagem.com/destino/lisboa/o-que-fazer-lisboa ), se houver desconto, basta apresentar uma prova de identidade. Não ande com passaporte na rua, há muito furto em Lisboa (e na Europa inteira), os batedores de carteira são muito profissionais.

Olá, Bóia.

É possível comprar o ingressos com desconto com o Lisboa Card após a validade? ou um dia antes do dia do início que prentendo começar a usar transporte e atrações gratuitas?

Ao comprar um ingresso com desconto o Lisboa Card já passa a contar as 24, 48 ou 72h?

Agradeço se puder responder. Obrigada

    Olá, Aline! A validade começa no primeiro uso. Você não convencerá nenhuma catraca a abrir para você depois do prazo de validade. Não é que nem iogurte, que você pode fingir que a validade não acabou.

Olá, Boia!

Gostaria de saber se é possível utilizar o cartão viva viagem também nos transportes dentro de Sintra e Cascais. Vi que de Lisboa para as cidades sim, mas fiquei na dúvida se para circular dentro dessas cidades também seria possível. Outra dúvida, vi que a entrada no castelo de São Jorge no 1º domingo do mês é gratuita. Em alta temporada você acha que é válido ou melhor ir num dia de semana? Me refiro a estar muito cheio. No dia em que é gratuito, também enfrenta-se muita fila?

    Olá, Ana Carla! O Castelo não é uma atração que faça formar filas, não. O Viva Viagem vale em Cascais e Sintra. Os valores debitados serão os dos transportes locais de Cascais e Sintra. Você precisa ter carregado valores correspondentes às viagens.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.