Ascensores e elevador de Lisboa

Lisboa: vá de eléctrico, de autocarro, de metro e de elevador

Ascensores e elevador de Lisboa

Lisboa, como muitas cidades, conta com linhas de ônibus turísticos do tipo hop-on/hop-off, que levam você a todas as principais atrações, sempre na companhia de outros colegas turistas. Mas o sistema público de transporte da capital portuguesa, a Carris, tem uma oferta tão boa de linhas, seja de metrô (Metro), ônibus (autocarros), bondes (elé[c]tricos) ou elevadores, que explorar a cidade por conta própria é praticamente um convite.

A seguir veja como funciona e quanto custa cada um dos meios de transporte lisboetas. Para aproveitar mais e pagar menos, não deixe de fazer um Lisboa Card ou um cartão 7 Colinas.

Metrô

O metrô tem quatro linhas (veja o mapa aqui): Azul (cujo símbolo é uma gaivota, e que liga de Amadora Este a Santa Polônia, em 17 estações), Amarela (representada por um girassol e que liga de Odivelas a Rato, em 13 estações), Verde (representada por uma caravela, e que liga de Telheiras ao Cais do Sodré em 13 estações) e Vermelha (chamada de linha do oriente, que liga São Sebastião ao Aeroporto, em 12 estações). Sete Rios e Rossio, duas das estações atendidas pela linha azul, se comunicam também com os trens (comboios) que levam você até Sintra, por exemplo. A partir do Cais do Sodré, os comboios levam a Cascais. Tanto para usuários do metrô, quanto para os do comboio, vale saber: guarde seu bilhete até o final da viagem, pois ele será necessário para passar pela catraca em seu destino final ou poderá ser verificado por um funcionário durante o trajeto (no caso dos trens). O bilhete avulso de metrô custa €1,45, enquanto a passagem para Sintra e Cascais custa €10,40, cada (válido por 24h). Funciona das 6h30 à 1h.

Ônibus

As linhas de ônibus na cidade totalizam 78 percursos (faça um simulação de trajeto aqui), além de outros seis que fazem parte da Rede da Madrugada, serviço de transporte exclusivamente noturno, que funciona diariamente com tarifas regulares. O bilhete avulso custa €1,85.

Bondes

Os elé(c)tricos* fazem cinco roteiros pela cidade. Os bondinhos mais antigos, presentes nas linhas 12 e 28, são um passeio por si só. Com interior de madeira preservado, e velocidade obviamente diferente da de outros transportes, embarcar em um deles para seguir ao Castelo de São Jorge ou a Alfama é entrar em um túnel do tempo de como era se locomover pela cidade 100 anos atrás. Funcionam durante a semana das 8h às 20h45 e aos fins de semana e feriados das 9h às 20h15 (de outubro a fevereiro) e até às 21h (de março a setembro).

Elétrico de Lisboa

Dentro do elétrico, em Lisboa

Já os eléctricos mais novos lembram os metrôs de superfície e são amplamente usados pelos alfacinhas. O diferencial aqui é ficar atento em como entrar e sair do veículo, uma vez que as portas não se abrem sozinhas. Viu o botãozinho perto da porta? Aperte para que elas abram e você possa embarcar. Há várias máquinas para validar o cartão de transporte em cada eléctrico (procure, vai haver uma perto de você). Elas são bastante parecidas com as de bilhete único de São Paulo. Na hora de descer, a mesma coisa: aperte para que as portas se abram e você possa sair do veículo. O bilhete avulso custa € 2,90. Funcionam de 2ª a sábado das 5h45 à 1h e domingos e feriados das 6h05 à 1h.

Elevadores

Na cidade das 7 colinas, os ascensores só podiam mesmo ser alçados a monumentos nacionais. Em funcionamento desde o fim do século 19, os transportes pelas ruas mais íngremes permitem também vistas diferentes de Lisboa. O ascensor da Lavra (que faz o percurso Largo da Anunciada até a rua Câmara Pestana) é o mais antigo em funcionamento – começou em 1884. Funciona de 2ª a 6ª das 7h45 às 20h e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 20h. O ascensor da Glória (que vai da Praça dos Restauradores ao Bairro Alto) é o mais movimentado da capital portuguesa. Funciona de 2ª a 5ª (exceto véspera de feriados) das 7h às 23h55; sextas das 7h às 0h25; sábados das 8h30 às 0h25; domingos e feriados das 9h às 23h55. Já o ascensor da Bica (que vai da rua Duarte Belo ao Largo de Calhariz) é considerado o mais característico da cidade. Funciona de 2ª a sábado, das 7h às 20h55. Custam € 3,70 por duas viagens.

O elevador de Santa Justa (que leva da rua do Ouro ao Largo do Carmo) é o único dos elevadores verticais da cidade que cobram passagem. Criado pelo arquiteto Raoul Mesnier du Ponsard, assim como todos os outros ascensores em funcionamento na cidade, o Santa Justa conta com estrutura em ferro fundido e cabines de madeira. Funciona diariamente das 7h às 22h (de outubro a maio) e das 7h às 23h (de junho a setembro). Com ele você chega ao Miradouro de Santa Justa, para admirar outra bonita vista de Lisboa. Custa € 5,15 por duas viagens.

*Eléctricos/elétricos: pelo Acordo Ortográfico, o “c” já caiu. Mas como existe ainda alguma resistência ao Acordo entre os portugueses, e sendo o Viaje na Viagem contra o acordo, fica aqui o nosso apoio aos rebeldes 😀

Heloísa viajou a convite do Turismo de Lisboa.

Leia mais:

14 comentários

Achei a acessibilidade ruim – nos metros principalmente. Muitos elevadores sem funcionar e a maioria dos locais nem escada rolante tem. A maioria dona locais da cidade creio eu (por uma visão superficial) não está preparada para isso.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.