Foz do Iguaçu: um roteiro completo com 90 dicas selecionadas

Cataratas do Iguaçu

Mesmo havendo ali uma das mais espetaculares paisagens do país, a viagem às Cataratas do Iguaçu não costumava estar entre as prioridades dos turistas brasileiros. Mas, nos últimos anos, temos colecionado depoimentos de leitores que voltaram maravilhados de lá. Conhecendo um pouco mais da região — a organização do parque brasileiro, a beleza do parque argentino, os passeios emocionantes, a noite em Puerto Iguazú — não há como não subir a viagem a Foz na lista de próximos destinos. Você ainda não visitou as cataratas? Siga as dicas dos nossos leitores, e comece o seu roteiro já:

Aventura Náutica

[Aventura Náutica, lado argentino]

–> PASSEIOS

–> Cataratas: parque brasileiro e parque argentino

Dica do Comandante: dedique um dia inteiro a cada parque (brasileiro e argentino). As atrações do lado argentino podem render duas visitas.

Celina
Fiquei completamente encantada com toda a região! O Parque Nacional do Iguaçu tem uma infraestrutura fantástica, e passear pela trilha é como ir aquecendo as turbinas para o grand finale, as cataratas vão se mostrando aos poucos e vale parar e tirar muitas fotos em todos os mirantes. Além disso, é um passeio a três países em uma só viagem! A Garganta do Diabo é uma loucura! Foz está totalmente preparada para receber turistas dos mais exigentes e fiquei orgulhosa de termos um destino assim. Relato completo aqui.

Luiz Eduardo
As cataratas brasileiras são mais tranqüilas, um passeio mais fácil onde você terá uma visão maravilhosa. Poderá fazer um passeio de barco, rapel, rafting (opcionais, não inclusos no ingresso) e ainda conhecer o Parque das Aves, que fica ao lado. Já as cataratas argentinas têm caminhadas mais difíceis, porém você estará dentro das cataratas e ainda terá a melhor visão da garganta do diabo, um show imperdível. Há passeios de barcos mais emocionantes do que no lado brasileiro. Resumindo: cataratas brasileiras = tranqüilidade e beleza; cataratas argentinas = emoção, aventura e beleza. Relato completo aqui.

Paula
As cataratas são fantásticas! Tem que fazer os dois lados. Um complementa o outro. O lado brasileiro só tem uma passarela, mais curta, mas que dá uma visão ótima. E leva até a Garganta do Diabo. Molha mesmo. É lugar pra se evitar o jeans. Até coloquei a capa de chuva pois me demorei tirando fotos, mas tava quente e o povo se secava logo. Tem um elevador panorâmico também. O lado argentino tem mais passarelas, demora mais. Passei umas 6 horas lá. Leva até a Garganta do Diabo, só que mais perto e na saída da queda mesmo. Impressionante ver o volume de água. E vai até o Salto de San Martín, 2ª maior queda, que do lado brasileiro só vemos de longe. Fizemos o Macuco Safári. O melhor programa. O barco leva a gente até uma cascata e levamos um bom banho de cachoeira! O passeio no Brasil é mais caro que na Argentina, mas preferi fazer do lado brasileiro. Como tem só uma passarela pra conhecer, sobra tempo de fazer outro programa. No lado argentino, eles dão 50% de desconto no ingresso, caso você queira voltar no dia seguinte. Relato completo aqui.

Alexandra
Feriado prolongado de 12 de outubro por lá é muito difícil, por ser feriado no Brasil e na Argentina. Tudo lotado. A maior dificuldade é no parque das cataratas do lado argentino, tendo que pegar fila e aglomeração o tempo todo. Relato completo aqui.

Carla
Aventura Náutica: imperdível! Vá preparado para se molhar. Lá recebemos uma sacola estanque para guardar sapatos, que eu vesti como um saco e segurei. Não molhei nada nas pernas… e fui de capa também, claro. Relato completo aqui.

Anna Francisca
Lado argentino: as trilhas são mais longas, mais degraus, mas possíveis. Beleza indescritível. O lado brasileiro é mais visual; o argentino, mais sensorial. Relato completo aqui.

Ilza
O que mais gostei do lado argentino foi tomar banho na praia da Isla San Martín. Me senti em um cenário de Jurassic Park com as cachoeiras ao fundo… belíssimo. Já no lado brasileiro, uma coisa muito legal foi fazer rafting e poder tomar banho no rio, sendo levada suavemente pela correnteza. Delicioso e muito bonito. Você pode ter uma visão diferente do cânion de Iguaçu e só pode ser feito pelo lado brasileiro. Relatos completos aqui e aqui.

Antônio
Fiz primeiro as cataratas do lado argentino e foi tão emocionante, que durante o início da trilha das cataratas brasileiras cheguei a ter a sensação de anticlímax. Mas, da metade do percurso do lado brasileiro em diante, fiquei maravilhado também (ou até mais, que do lado argentino). Concluí que é fundamental fazer os dois lados. Lembrando que do lado argentino se cansa muito mais e não se consegue fazê-lo totalmente em um só dia (fiz em um dia e reduzi minhas opções ao Sendero Verde, Paseo Alto e a Garganta). Relato completo aqui.

Lucia
2 dias no lado argentino são pra você se divertir a rodo tomando banho de catarata, parando a cada minuto pra fotografar (que é como a gente viaja…) e ficando um tempinho na prainha da Isla San Martín (que eu adorei). A ilhota tem 2 trilhas principais, e eu curti demais a “janela” que se abre pras cataratas. Por causa da logística pra chegar na Isla, barquinho, caminhada, etc., acho que 2 dias são o mais confortável pra fazer o lado argentino do parque – que foi como a gente fez. Slow travel. Relato completo aqui.

PêEsse
O Gran Aventura é basicamente a mesma coisa que o Aventura Náutica só que, ao final, o trajeto de volta até a entrada do parque, em vez de ser feito via trem, é feito no jipe da empresa. Quem quisesse começar o Gran Aventura lá em cima, na entrada do parque, também poderia. Viria de jipe se encontrar com quem começa o passeio embaixo, à beira das cataratas, no fim do circuito inferior. Comparando o Gran Aventura com o Macuco Safári do lado brasileiro, não tenho a menor dúvida de dizer que o Gran Aventura/Aventura Náutica é infinitamente melhor. No Gran Aventura/Aventura Náutica, o passeio, além de levar você para baixo de duas partes bem intensas das cataratas (no Macuco Safári do lado brasileiro só se vai para baixo de uma queda), ainda fica embaixo delas bem mais tempo do que o Macuco Safári. A sensação é ótima, o banho é uma delícia e não vi perigo (no meu barco havia pessoas de mais idade junto com crianças). A sugestão que dou é não levar câmera, tirar os tênis e ir de bermuda. Depois é só deixar a frescura de lado e curtir. Se, por algum motivo, só houver condições de fazer um passeio, faça o do lado argentino. Se for fazer os dois, faça o do lado brasileiro (Macuco Safári) primeiro. Se fizer primeiro o do lado argentino, quando for fazer o Macuco Safári depois vai ficar aquela impressão de “é só isso mesmo? Já acabou?”. Tanto no Macuco Safári quanto no Gran Aventura há um trecho do passeio no meio da selva, com paradas para comentários sobre a flora. Nos dois, achei dispensável. No Macuco Safári essas paradas são no trecho de carrinho, antes de se ir para o barco, ou seja, elas ficam adiando o que a pessoa mais quer que é tomar banho de catarata. No Gran Aventura as paradas são depois do banho de catarata, com todo mundo muito ensopado. Relato completo aqui.

Vlad
Depois do acidente de 2011 que matou dois turistas americanos no Aventura Náutica, o passeio argentino ficou bem morno, só valendo a pena porque é bem mais barato. Dura 30 minutos. Relato completo aqui.

–> Itaipu

Cláudia
Fiz todos os passeios, até mesmo o que vai para Itaipu (no começo me zanguei, pois foi uma opção do marido, em detrimento ao tour de compras). Mas depois me encantei, as comportas tinham sido abertas, foi um show! Não me arrependi da troca! Relato completo aqui.

Luciana
Itaipu: Fomos na Iluminação da Barragem (ingresso comprado pelo site com antecedência). Recomendo para quem gosta de grandes obras de engenharia, mas pode ser entediante para quem não se liga nestas coisas. Relato completo aqui.

Leonardo
Na primeira vez que estivemos em Foz, visitamos Itaipu Binacional e fizemos o Circuito Especial. Acredito que esta seja uma das atrações mais completas de Itaipu, se não a mais! Vale destacar que só é permitido a maiores de 14 anos. É possível ir de transporte público que sai do terminal de ônibus localizado na esquina da Av. Juscelino Kubitschek com Av. República Argentina. Se você precisar pegar um ônibus até o terminal, não precisará pagar outra passagem; estando lá dentro, poderá pegar qualquer outro coletivo sem pagar nova passagem (funciona como uma estação de metrô). Relato completo aqui.

PêEsse
Em Itaipu, fiz o Circuito Especial. É um passeio de duas horas e meia de duração feito em ônibus com ar-condicionado, com guia e com várias paradas e descidas para explicações sobre o funcionamento da usina. É bem completo, dando uma boa noção de Itaipu por fora e por dentro. Por fora, o ônibus pára em lugares que mostram a grandiosidade da construção. Em época de cheias o vertedouro (que é aquela estrutura que serve para escoar a água em excesso que a gente vê nas fotos de Itaipu e cuja vazão é equivalente a quarenta Cataratas do Iguaçu), estava em pleno funcionamento. Durante boa parte do ano seu uso não é necessário porque o Rio Paraná não está tão cheio. A parte interna do passeio é um tanto quanto maçante. A meu ver, embora tenha seu valor, poderia durar menos. De uma maneira geral, o Circuito Especial vale a pena. A visita panorâmica, embora dure uma hora a menos, não pára (apenas passa) em diversos lugares externos que achei interessantes. Relato completo aqui.

–> Com crianças

Alice
Fui no carnaval do ano passado com crianças de 3 e 6 anos e eles curtiram muito. Fizemos os dois parques, o Macuco Safári, passeio de helicóptero e Parque das Aves. Tivemos que dar colo a eles em parte das trilhas na parte argentina, mas a gente costuma encarar isso bem. O trenzinho é cheio sim, mas você vai sentado. O mais chato é a espera. Para crianças menores, você pode levar um carrinho daqueles tipo guarda-chuva. No parque argentino uma das trilhas tem escadas, mas achei essa a mais tranqüila, porque tem sombra e você vai parando para contemplar os diversos ângulos das cataratas. À Usina de Itaipu eu não fui. Mas, no geral, não achei Foz inadequado para crianças, não, pelo contrário, iria novamente. As eventuais dificuldades são as mesmas que você encara em qualquer passeio que não seja hotel-fazenda ou resort. Aliás, vale a pena se hospedar em resort lá, porque você elimina o estresse de procurar um lugar para jantar depois de toda a odisséia. Relato completo aqui.

Rafael
Foz é um dos lugares mais lindos nos quais já fui, mas não recomendo com crianças pequenas. O clima é muito quente, e olha que sou natural do Piauí. Ademais, o lado argentino é realmente mais “roots”, creio que lá a criança vai mais se cansar do que aproveitar. Já no lado brasileiro, mais contemplativo, acredito que seja possível. Só tome cuidados redobrados com o clima para os pimpolhos não sofrerem. O Parque das Aves acho que vai depender muito do estilo das crianças, creio que algumas possam sentir medo, mas no geral é recomendável. O clima lá dentro é mais ameno e o contato com a natureza é sempre salutar para a criançada, especialmente nesses tempos de excesso de concreto. Relato completo aqui.

Sandra
Para quem vai com crianças é essencial a visita ao Parque das Aves, em frente às cataratas brasileiras. Lá os tucanos e araras ficam soltos, ou então você entra nos viveiros e no borboletário, fora as fotos com a arara no braço ou a cobra no pescoço. Vá na parte da manhã quando as aves estão bem despertas, dica de guia. Relato completo aqui.

–> Parque das Aves

Karin
No mesmo dia em que for visitar as Cataratas do lado brasileiro, aproveite e visite também o Parque das Aves, um parque privado voltado para a conservação ambiental, praticando a reprodução de espécies ameaçadas, educação ambiental para todas as idades e um refúgio para aves resgatadas do tráfico e que não podem ser devolvidas à natureza. Em meio à mata atlântica, o parque tem uma trilha de 1400 metros plana e está apto a receber portadores de necessidades especiais como cadeirantes. Fica a 300 metros da entrada do Parque Nacional. Relato completo aqui.

–> Helicóptero

Lucia
Fiz o passeio de helicóptero e sinceramente foi meu favorito em Foz. Acho imperdível, até para ficar mais embasbacado ainda com a dimensão dessa maravilha. Agora, acho gasto desnecessário o passeio mais longo, de helicóptero até Itaipu. Porque o show são as cataratas mesmo – além disso, é só combustível queimado à toa. Relato completo aqui.

–> Templo budista

Ana Carolina
Quem pretende ir ao templo budista pode fazê-lo na ida a Itaipu, já que ficam para o mesmo lado da cidade. Relato completo aqui.

–> Puerto Iguazú

Sandra
Em Puerto Iguazú não vá como eu, na hora do almoço. Dancei, tudo estava fechado e só abre depois das 16h bem lentamente. Porém, o ônibus é excelente, baratíssimo e com ar-condicionado. Relato completo aqui.

Leia mais: Página-guia de Foz do Iguaçu no Viaje na Viagem

Leia mais: Iguaçu: o lado brasileiro

Leia mais: Iguaçu: o lado argentino

Leia mais: Macuco beleza

Leia mais: Fotoblog: Parque das Aves, em Foz

Leia mais: Água abaixo: passeio de helicóptero

Leia mais: Quatro dias em Foz do Iguaçu: o roteiro da Roberta

Hotel das Cataratas

[Hotel das Cataratas]

–> HOTÉIS

–> Brasil

Anna Francisca
Bancamos o Hotel das Cataratas. O hotel é tudo isso e mais um pouco. Mordomia total. Classudo, impecável, mas bem à vontade, nada formal. Caro, claro. Não tanto pela diária, que vale cada centavo, mas pelos extras. Há coisas que, mesmo caras, valem a pena. Outras, mesmo podendo comprar, não compro. Um latinha de cerveja, R$ 11. Preferi investir nas caipiroskas divinas à beira da piscina, ao cair da tarde, por R$ 15 ou em uma taça de vinho. O preço do buffet do jantar, R$ 90, vale para quem come muito. Na 1ª noite, enfrentamos a comilança. Na 2ª e na 3ª noite, conversamos com o maître e chegamos a um acordo sobre o que iríamos comer e pagar. Deu super certo, ficou razoável e agradou a todos. Para nos levar ao lado argentino, esperar e retornar, pediram R$ 300. O que é isso companheiro? Fomos de ônibus. Relato completo aqui.

Alice
Não sou fã de resort, vou a eles mais por necessidade (2 crianças) do que por afinidade com o estilo de hospedagem. Mas o Bourbon foi, no conjunto, o melhor hotel desse tipo em que já fiquei. Amei a eficiência, a estrutura para as crianças (clubinho da Mônica), o café da manhã (tinha até Danoninho) e o quarto (peça o sem carpete!). Achei que valeu muito a pena, com o jantar (bom) incluído na diária. Os passeios em Foz são cansativos para a gente e sobretudo para as crianças. Então chegar no hotel e ter uma boa infra e um jantar sem sustos, compensa muito. Relato completo aqui.

José Luiz
Gostei muito do Iguassu Resort, que possui imensa área verde, com campo de golfe, bosques, lago e muitos caminhos para caminhadas e corridas. Os aposentos são bem agradáveis, tipo chalés, espalhados em volta da unidade principal onde ficam a recepção e os restaurantes. Um excelente lugar para ficar, localizado próximo ao aeroporto e do Parque Nacional das Cataratas. Funcionários atenciosos e tudo muito bem organizado. A única restrição é para as refeições, especialmente o jantar, que achei fraco. O café da manhã, entretanto, é ótimo. Relato completo aqui.

Renata
O Recanto Park Hotel ficou acima de minha expectativa. Ele fica na beira da BR 277, mais perto de Itaipu e do Paraguai. O hotel é muito bom, principalmente para quem vai com crianças. Tem uma recreação maravilhosa e uma piscina excelente. Para facilitar a locomoção, alugamos um carro dentro do próprio hotel e tivemos a liberdade de ir e vir que valeu a pena. Relato completo aqui.

Re
Fiquei no hotel San Martin, na ala nova. Os quartos são novinhos, o banheiro é uma graça, todo de pastilha. O hotel é lindo, tem uma área de lazer incrível e dá pra ir a pé para as Cataratas. É praticamente do lado do Parque das Aves. Achei ótimo o local, indico ficar na estrada sim, é bem gostoso, como estávamos de carro só vimos prós em ficar lá. Relato completo aqui.

Rafael
Hotel Carimã: decadente. Enorme, quartos grandes, com grande estrutura, mas conforto zero. Banheiros ruins. Fiquei sabendo que é um dos hotéis mais velhos do estado. Não vale o que paguei. café da manhã sem reclamações, mas bem simples, sem nada demais. Escolhi pela localização, muito próximo da fronteira, pois queria jantar e passear em Puerto Iguazú… pura ilusão. Os táxis cobram R$ 40 reais por trecho. No taxímetro tenho certeza que não chegaria a R$ 20. Relato completo aqui.

Adriana
Fiquei hospedada no Hotel Florença, na Av. das Cataratas. Escolhi este hotel pelo site mesmo e adorei. Os funcionários da recepção são atenciosos, o café da manhã é farto, as garçonetes também estão sempre atentas. O quarto é amplo e o chuveiro com aquecimento central. A piscina também é aquecida. Fica próximo ao aeroporto e vão te buscar na chegada, e na hora de ir embora ficou em R$ 14 a corrida, em 2010. Quem optar por transporte coletivo há um ponto em frente ao hotel. Só fica longe mesmo do centro, de resto é tudo pertinho dos passeios. Relato completo aqui.

Eduardo
Fiquei no Rafain Palace, que fica na BR para Curitiba, a uns 10 minutos do centro. A reserva feita por agência deu problema e colocaram a gente (casal) numa suíte muito grande como compensação, o que eu não achei ruim nem um pouco. O hotel é confortável, o café da manhã é agradável, o jantar mais ou menos. Funcionários na média, mas o pecado é a localização. Nos passeios com agência (vans) em que te buscam no hotel, você é sempre o primeiro a ser pego e último a ser deixado. Isso depois de umas 2 vezes fica um saco. O táxi também sempre dói no bolso. Tem um ponto de ônibus em frente ao hotel que eu usei num dia pra ir pra ponte (onibus linha Ponte). Tem uma piscina grande que eu não usei, bar molhado, recepção ampla e para os quem tem crianças pequenas, recreadores. Relato completo aqui.

Ana Carolina
Estive no Bella Italia por 4 noites. Embora o hotel seja antigo, é limpo e o atendimento é primoroso. A localização é realmente boa para um hotel central. Fica em frente a uma zona militar (andava tranqüila pelos arredores, é ali “o” local de caminhada em Foz), ao lado de um shopping (com casa de câmbio), próximo à Mesquita e a algumas quadras de um terminal de ônibus municipal, onde há um ótimo posto de informações turísticas. No hotel há uma agência de turismo que funciona desde 07h30, bem útil para comprar os passeios do dia (vale a pena, sai mais barato que nos parques). É oferecido, também, transporte ao duty free argentino e traslado. Relato completo aqui.

Silvia
Fiquei hospedada no Nadai Confort Hotel – R$ 120,00 o casal, em 2010. Muito bom hotel, categoria 3 estrelas, adorei o café da manhã, tem piscina, quartos novos. O Nadai está no centro. A localização central é melhor para quem quer fazer Itaipu e Cataratas (e de quebra o Paraguai) e está sem carro. Fica a duas quadras do terminal de ônibus, que leva para todos os cantos da cidade, inclusive a Ciudad del Este. (Na verdade, o ônibus que vai até Ciudad del Este a gente pega em frente ao terminal, não dentro.) Relato completo aqui.

Elisa
Ficamos hospedados no Continental Inn. Ótimo hotel, porém ficamos no 1º andar, onde o barulho da rua incomoda um pouco. Prefira os andares mais altos. Relato completo aqui.

Fabiane
Fiquei no Águas do Iguaçu, e acho um excelente custo-benefício. A localização é muito boa, pois fica próximo ao terminal, de onde você pode pegar ônibus para Itaipu, Argentina e Paraguai. Além disso, há uma agência de turismo no mesmo prédio do hotel, e você pode fechar pacotes de passeios se preferir. Relato completo aqui.

Paulo
A pousada Sonho Meu é simples, porém aconchegante, bem limpa. O café da manhã é ótimo, tem piscina muito bem cuidada e estacionamento. O pessoal de atendimento é super simpático, podem ajudar no que precisar. Fica na quadra logo abaixo do terminal de ônibus, o que facilita bastante pois tem ônibus para todos os pontos turísticos (cataratas, Parque das Aves, Itaipu). Na rua lateral do terminal (a mesma rua da pousada) tem ônibus para a Argentina (Puerto Iguazú, duty free), e na avenida de entrada do terminal tem ônibus para o Paraguai. Relato completo aqui.

Leonardo
A melhor região para se hospedar é o centro, pois é possível pegar transporte público para a Argentina e Paraguai, além de haver maior movimentação ao longo do dia e proximidade dos restaurantes. Sugiro o Hotel Villa Canoas. Apesar de estar na categoria econômica, é bem limpinho, agradável, oferece café da manhã gostoso, fica em frente a um clube do exército (segurança!) e ao lado do terminal de transporte urbano (onde é possível pegar ônibus para Itaipu, Paraguai, Argentina e Cataratas). Relato completo aqui.

Valdinho
Como o sistema de transporte público funciona muito bem em Foz, acho que o melhor é ficar em um hotel no centro mesmo. Fiquei no Hotel Baviera, que é um hotel simples mas com uma ótima relação custo x benefício. Localizado na principal avenida da cidade, tem restaurantes, churrascarias e choperias a passos do hotel. Recomendo. Relato completo aqui.

Maria
Há anos ficamos hospedados no Luz Hotel. É um hotel familiar, com funcionários prestativos e atenciosos, simpáticos e sempre disponíveis para nos passar dicas sobre a cidade. Pelo custo benefício, compensa! O hotel fica em frente da rodoviária, que por incrível que pareça é um lugar limpo, afastado do centro da cidade, sem andarilhos, arborizado e gramado. Já aconteceu de não termos feito reserva e por isso não havia lugar, então nos indicaram o outro hotel da rede, o Sun Hotel, e fomos tão bem acolhidos quanto se estivéssemos no Luz. O café da manhã de ambos os hotéis é delicioso e farto e reparamos que o cardápio muda diariamente. Relato completo aqui.

Alexandre
Fiquei no Hostel Bambu, que fica no centro. Lá é realmente muito bom, o staff é bem receptivo e te ajudam em tudo. Saiu por R$ 35 no quarto coletivo. Tem ônibus para tudo quanto é canto e não é necessário andar de táxi. Para quem quer comodidade, tem também as vans que pegam no hostel e te levam onde você quiser. Só combinar o preço. Relato completo aqui.

Paulo
Fiquei num pequeno paraíso de hotel, simples mas de uma paz incrível, e barato, o Iguassu Eco Hostel. Poucos quartos, tem que reservar. Longe da confusão do centro e perto do aeroporto e dos parques (menos de 1 km). Uma linda clareira no meio da mata atlântica. Mas não tem TV nem frigobar, só ar-condicionado. E rede. Relato completo aqui.

–> Argentina

Mariana
Passei a lua de mel nas cataratas. Ficamos no Loi Suites e foi a melhor escolha… O hotel é realmente maravilhoso! Relato completo aqui.

Luciana
Ficamos no Sheraton, dentro do parque do lado argentino, 331 dólares a diária (em 2011) com café da manhã em apartamento superior com uma vista sensacional das cataratas da varanda! Chegamos no fim da tarde e as crianças ficaram na piscina e depois jantamos no hotel, comida bem mais ou menos… O café da manhã, em compensação, era excelente. Relato completo aqui.

Lazaro
Ficamos em um lodge novinho em Puerto Iguazú, fica em frente ao cassino, chama-se Palo Rosa. Foi inaugurado em agosto de 2010. Paguei R$ 150 pela diária (um casal e uma criança 3 anos). O staff é ótimo, todos são da mesma família, pessoas muito atenciosas, em especial o Maurício. A desvantagem é que precisa pegar táxi para ir ao centro de Puerto Iguazú (cerca de R$ 8), mas o pessoal do hotel está sempre indo ao centro e podem dar uma carona. Um pequeno inconveniente de ficar na Argentina é a aduana, pois para ir ao Brasil você deve apresentar documento na saída da Argentina e na entrada ao Brasil, e a mesma coisa no retorno, mas perdemos no máximo 5 minutos o dia que estava mais cheio. Relato completo aqui.

Adriana
Fiquei no lado argentino, num hotel inesquecível, o La Aldea de la Selva. Parecia que estávamos a milhares de quilômetros da civilização, perdidos na selva. Amamos! Relato completo aqui.

Antônio
O Boutique Hotel de La Fonte é até razoável, mas não achei sua localização tão central assim. Minha primeira opção era o Jardín de Iguazú (localização/preço/qualidade), mas estava lotado. Para quem não se preocupa em andar uns 10 a 15 minutos, o Boutique Hotel de La Fonte pode até servir. Outro ponto é que fiquei no quarto mais luxuoso, que tinha banheira e, apesar dela, não o achei tão luxuoso assim (paguei US$ 180/ R$ 360 por noite, em 2012). Mas o atendimento é bom, principalmente o Ariel e a Vanessa. Café da manhã razoável e os preços muito caros (água 500ml a 14 pesos, ou 7 reais). Tem um restaurante, que não experimentei. Relato completo aqui.

Rodrigo
Fiquei hospedado do Yreta Apart Hotel, localizado a 3 quadras do terminal rodoviário. Quarto amplo, funcionários muito simpáticos, ar-condicionado nos dois ambientes, café da manhã fraco e piscina em manutenção. Foi uma boa opção na faixa de preço (102 dólares, em 2011, já com 21% de IVA), uma vez que não consegui ficar no Saint George (aparentemente melhor equipado e com localização ótima). Relato completo aqui.

Leia mais: Hotel das Cataratas: suíte com luz, ar-condicionado, wi-fi e água corrente

Leia mais:Onde ficar em Foz? No Centro ou na estrada?

Ônibus em Puerto Iguazú

[Ônibus em Puerto Iguazú]

–> TRANSPORTE

–> Táxi

Carla
Andei de táxi pra todos os lados… é melhor já pensar na verba de táxi. E às vezes a fronteira tem demoras… pedem identidades para todos… um pouco de paciência ajuda. Relato completo aqui.

Antônio
O preço do táxi do aeroporto até Puerto Iguazú é tabelado e ficou em R$ 80 em 2012. Não procurei os taxistas comuns, porque antes liguei para vários e os preços eram os mesmos. Enviei e-mails para táxis e remises argentinos e o valor era até maior (na ida), mas na volta, pode-se conseguir preço melhor, após usar alguns dentro da cidade e conversar com o taxista. Eu acabei ficando com o mesmo taxista que peguei no aeroporto: Cabral – telefone (45) 8415-0070. e, apesar de ter conseguido preço melhor para voltar ao Brasil, dei-lhe preferência por conta de seus serviços durante minha estada. Fiz com ele de Puerto até as cataratas brasileiras, passei no duty free, quando me esperou e ainda passou em uma zona eleitoral para que eu justificasse minha ausência. Paguei R$ 170 ida e volta no passeio, e de novo R$ 80 no trânsfer de volta ao Brasil. Com os taxistas de Puerto, gastava 15 pesos do hotel ao Centro e, na volta, pagava 15 pesos durante o dia e 20 à noite. Foram 100 pesos de táxi das cataratas argentinas até o centrinho.
Relato completo aqui.

–> Ônibus

Ana Carolina
Versão mais econômica que usar táxi/alugar carro é ir de ônibus a todos os lugares. Partindo do centro de Foz é bem tranqüilo (e ainda há um excelente quiosque de informações no terminal). Relato completo aqui.

Juliana
Eu usei ônibus direto por lá. Só ressalto que o ônibus que liga Foz a Puerto Iguazú encerra suas atividades por volta das 20h. Eu fiquei ilhada em Puerto Iguazú e tive que tomar um remis! Relato completo aqui.

Cristiane
Para ir de ônibus pro aeroporto e para as Cataratas é a mesma linha (Parque Nacional). O ônibus sai do TTU (terminal de integração dos ônibus), segue para o aeroporto pela Av. das Cataratas e depois vai para o parque. Para voltar ele faz o mesmo caminho, porém ao contrário e com o nome da linha diferente: Aeroporto/TTU (parque/aeroporto/TTU). Para Itaipu tem que pegar o Conjunto C no TTU (se você estiver no centro ou ao longo das proximidades da Av. das Cataratas). Para a Argentina e para o Paraguai não dá para pegar no TTU porque não é de integração. Para argentina o nome da linha é Puerto Iguazú e para o Paraguai é Ciudad del Leste. Para o Paraguai tem ônibus no TTU que leva até a ponte; nesses está escrito Ponte. Para a Argentina o ônibus vai até a aduana, todo mundo tem que descer (passar para apresentar o documento), enquanto isso o ônibus fica esperando todo mundo passar para continuar a viagem. Relato completo aqui.

Lazaro
Existe um ônibus que sai da estação rodoviária de Puerto Iguazú e vai para as cataratas brasileiras. Paguei R$ 20, ida e volta, em janeiro de 2011. Relato completo aqui.

–> Carro alugado

Luciana
Preferimos alugar um carro na Avis para não depender de táxi e também para transportar as crianças (de 6 e 2 anos) com segurança nas cadeirinhas que levamos de SP. Relato completo aqui.

Valter
Aluguei carro na Hertz. Eles dão autorização para você ir à Argentina. Quanto ao seguro (Carta Verde), você faz em Foz, em casas lotéricas, mas também dá para fazer num escritório que fica próximo à fronteira Brasil-Argentina. O menor valor é de R$ 48 e dá cobertura por 3 dias. Fiz o seguro. Em momento algum me foi exigido no território argentino, mas na falta do seguro a penalidade é multa e pode até haver a apreensão do veículo. Melhor fazer. Relato completo aqui.

Orlando
Aluguei um carro da Hertz com a autorização para rodar na Argentina. Estava eu tranqüilamente em Puerto Iguazú quando me aparece um guardinha. Me fez parar o carro e pediu o seguro internacional. Ferrou, não tinha isso… Aí me levou para uma espécie de quartel deles e lá disse que eu peguei a contramão e me aplicou duas multas por contramão e por falta do seguro internacional. E lógico que fez pressão para apreender o carro… Final da história: tive que pagar 200 dólares para o safado. Ou seja, o seguro internacional é importantíssimo. E cuidado com os guardinhas de lá que inventam contramão em ruas que nem sinalização têm. Relato completo aqui.

Paula
Fui com uma turma de 11 pessoas e alugamos 3 carros. Compensa demais pela mobilidade e independência, além do que tanto Foz do Iguaçu quanto Puerto Iguazú são lugares fáceis de se locomover de carro, bem sinalizados e com ruas em boas condições. Escolhemos alugar na Localiza por conta do benefício da Porto Seguro, que oferece um desconto excelente. A parte ruim é com relação justamente ao seguro Carta Verde. Não entendi, e ninguém (nem na Porto, nem na Central da Localiza, nem na Localiza do aeroporto de Foz) soube nos dizer, porque o dito custa tão mais caro que nas outras locadoras. Pesquisamos também a IguFoz, uma locadora local, a Avis e a Unidas (aliás, esta oferece 50% de desconto para quem vai pela Gol) e todas cobram R$ 48 por 3 dias contra R$ 225 da Localiza + R$ 10 de autorização para cruzar a fronteira. No final das contas, acabou compensando por conta do desconto e da cobertura da Porto. Meio que saiu elas por elas em comparação aos preços da IguFoz. Acho que o melhor preço seria da Unidas + Gol, mas pra gente não deu, já que o principal motivo por termos optado pela Localiza foi que era a única a funcionar 24 horas, e precisávamos entregar o carro muito cedo. Relato completo aqui.

–> Guias e motoristas

Malu
Nós, dois casais, optamos por alugar um carro com motorista que ficou à nossa disposição 24h. Adoramos a experiência pois o Pacheco tem um Citroën com ar-condicionado, e conhece tudo e todos. Quando chega na fronteira ele pega nossos documentos e faz todos os trâmites para entrar na Argentina. Acompanha em todos os passeios, caso seja do seu interesse. Leva de volta ao hotel, faz as reservas nos restaurantes, leva ao cassino e espera até você sair. O nome dele é Pacheco, telefone (45) 9108-3666, e-mail pacheco.tour@hotmail.com. Ele cobrou R$ 200 a cada 24h (em 2010), para 2 casais. Por R$ 50 por pessoa, com toda essa mordomia, achamos que valeu. Relato completo aqui.

Dione
Tivemos a sorte de termos um verdadeiro guia, não só um motorista, o Daniel, que já mora há 20 anos lá e conhece tudo, não só em Foz, mas também na Argentina e no Paraguai! Alugamos a van dele de 15 lugares por um preço ótimo. Ele agilizou tudo pra gente, nos passeios e nas aduanas, além dele ser uma pessoa sensacional, muito bacana mesmo! Quem quiser contatá-lo o telefone é (45) 9975-3522. Relato completo aqui.

Adriana
Fizemos tudo com um motorista muito legal, que fez preços abaixo do que estavam cobrando, foi super pontual sempre e muito disponível ao que queríamos fazer, sem pressa e sempre sorrindo. Seu nome é Ronaldo e os telefones são (45) 9113-6010 e (45) 9125-5052. Se por acaso ele não puder ir, eles trabalham em família e ele com certeza lhe indicará alguém. Relato completo aqui.

Cari
Em 2011, fiquei hospedada no hotel Turrance. Lá tem um ponto de táxi bem pertinho. “Alugamos” o táxi do Saul pelos 5 dias que ficamos lá. Compras e jantar em Puerto Iguazú = R$ 80. Circuito especial de Itaipu e Paraguai = R$ 150. Cataratas Brasil e Parque das Aves = R$ 80. Cataratas Argentina, jantar e duty free = R$ 150. Saul, Táxi Ponto nº 43, celular (45) 9976-7041, telefone do ponto (45) 3572-4758. Relato completo aqui.

Zuzu
Tenho uma ótima dica de receptivo em Foz! Ele se chama Wladimir e nos levou a Ciudad del Este. Super educado, prestativo e organiza passeios para todos os gostos na região de Foz. Seu contato: (45) 9132-4841 e (45) 9974-3278. Gostamos muito dos serviços dele e por isso indico aqui, pois muitas vezes se cai em armadilha ao contactar um receptivo. Esse podem contactar tranquilos! Relato completo aqui.

–> Vans

Karina
Estando em Foz, descobri uma maneira bem barata de ir jantar em Puerto Iguazú. Como o cassino de Puerto disponibiliza vans todas as noites para levar os hóspedes dos hotéis (é só perguntar na recepção os horários), nós pegávamos a van até o cassino, que é o percurso maior, e de lá um táxi ao restaurante que queríamos. Saía uma merreca! Fomos dessa forma ao Aqva e ao Quincho del Tío Querido, os dois são ótimos, vale muito a pena. É só tomar cuidado com o horário da volta, para não perder a van para Foz. Relato completo aqui.

Rodrigo
Para as compras no Paraguai, optamos por alugar uma van. A motorista que nos acompanhou foi super prestativa e pontual. Kacia Mozer – telefones (45) 8819-4229 e 9119-9788. Relato completo aqui.

Leia mais: Foz do Iguaçu: carro alugado, táxi ou ônibus?

Restaurante Aqva

[Restaurante Aqva]

–> RESTAURANTES

–> Foz do Iguaçu

Carla
Não espere muito das refeições nos parques. Relato completo aqui.

Lu
Arriscaria dizer que comi um dos melhores peixes da minha vida no Trapiche, restaurante tradicional de Foz. O dono estava lá e me recomendou o peixe, fresquinho, chegado naquele dia de Itajaí: robalo assado recheado com roquefort – um escândalo! Relato completo aqui.

Rodrigo
Realmente as melhores opções de restaurantes estão do lado argentino. Mas aqui vai uma dica no Brasil: Restaurante Surubi (ao lado da Rafain Churrascaria). É simples (parece um boteco), mas tem um rodízio de peixes da região muito bom. E é perto do Bourbon. O buffet do Porto Canoas (dentro do parque) é muito bom também, além de um excelente descanso entre um passeio e outro lá dentro. Relato completo aqui.

–> Puerto Iguazú

Carla
Puerto Iguazú todos os dias! Afinal, quem não quer bife de chorizo, empanadas, vinho argentino, alfajor, doce de leite… já que estamos perto ou na Argentina, temos que aproveitar! Restaurantes muito bons: La Rueda e Aqva. Não espere muito das refeições nos parques. Relato completo aqui.

Rafael
Puerto Iguazú é bem legal e come-se muito bem. Recomendo o Aqva, excelente atendimento, pratos muito bons e bem servidos, a preços interessantes. Relato completo aqui.

Paulo
Em Foz tem-se bons lugares para comer, e barato. Mas uma vez na Argentina, o ideal é jantar todas as noites em Puerto Iguazú as famosas carnes argentinas. São simplesmente divinas. Indico primeiro La Vaca Enamorada, depois El Quincho del Tío Querido e o Aqva. Mas tem muito outros, existe uma rua só de restaurantes praticamente. O corte da carne argentina do gado Angus é divino. Relato completo aqui.

Re
No Terra pedimos a especialidade da casa, que são os pratos asiáticos feitos na wok, deliciosos, amei. O lugar é lindo, charmoso, vale muito conhecer. Relato completo aqui.

Dani
Fomos no Tío Querido e no La Rueda. O La Rueda é mais metido a besta (mas ainda não é lá essas coisas, não), com pratos mais diferentes e algumas opções mais sofisticadas. O Tío Querido é mais simples, com várias mesas na varanda, e o cardápio é o tradicional argentino. No final, eu gostei mais do Tío Querido, por achá-lo mais honesto e despojado, e a comida estava uma delícia. Em qualquer dos dois, você estará bem servido. Relato completo aqui.

Carina
Em Puerto Iguazú comi o melhor bife de chorizo da minha vida, no restaurante A Piacere, ao lado do Aqva. Fora as papas fritas a la provenzal, que o gosto ainda está na minha boca. Voltaria lá só por elas. Relato completo aqui.

Jetro
Te Amaré, Maitena: melhor restaurante da viagem, ambiente cool, moderno, garçons super atenciosos, comida saborosa (achei o bife de chorizo muito mais gostoso do que o do El Quincho del Tío Querido), e o sorvete de dulce de leche estava maravilhoso! Relato completo aqui.

Antônio
Durante o dia, Puerto Iguazú é uma verdadeira cidade fantasma. Quase nada abre (descobri na minha chegada, que foi por volta das 13h30), o que a torna ainda mais feia (sim, durante o dia, ela é uma cidade muito feia). Porém, durante a noite, ela se transforma e fica fantástica, com alguns bares e restaurantes sensacionais. Para beliscar, beber e ouvir música ao vivo, nada melhor que o Te Amaré, Maitena. E quanto a almoçar e jantar, segui algumas dicas e gostei demais do A Piacere (experimentem o bife de chorizo ao roquefort). Experimentem a cerveja Patagonia. Muito boa! Carinha, mas boa! Relato completo aqui.

Leia mais: Puerto Iguazú: vale a noitada (e até o pernoite)

Foto do blog http://indiada.wordpress.com

[Ciudad del Este]

–> COMPRAS

–> Ciudad del Este

Dica do Comandante: mesmo que não peguem você na fronteira com o Paraguai, a Receita dá incertas no embarque do aeroporto de Foz do Iguaçu. Se você estiver com um laptop não-brasileiro, ou mais de uma câmera, ou mais de um celular, ou com mais de 300 dólares em compras, você pode pagar multa.

Paula
Fui ao Paraguai mas foi rápido, pois a van contratada só ficou 3 horas lá. Imprimi um mapa que achei na internet e me ajudou muito. Aquilo é uma loucura! Camelô nas ruas, carros e motos pra lá e pra cá. Uma infinidade de lojas. Não achei os preços tão baratos assim. Comprei perfumes e 2 câmeras digitais na Monalisa. Foi onde achamos o melhor preço, com o pouco tempo para fazer pesquisa e compras. E conferi e testei tudo na hora de pegar as bolsas! Relato completo aqui.

Leonardo
Algumas dicas de loja em Ciudad del Este: Nave Shop, Monalisa, Shopping Del Este, Mix Shop, Olympic Games (galeria Jebai). O ideal é pesquisar bastante aqui no Brasil os valores e características dos produtos que quer comprar, para não ser enganado no preço nem na qualidade. Se for comprar a câmera X e lhe oferecerem a Y, não aceite, a não ser que você conheça as características e tenha idéia do preço para não fazer um mau negócio. O comércio local não funciona aos domingos (somente as lojas grandes até meio-dia, aproximadamente), portanto não programe compras para este dia (no domingo o ideal é ir às cataratas). Geralmente nos hotéis existem mapas de lojas do Paraguai, com propagandas, que são interessantes para você se guiar na Cidade do Leste. É bom sempre manter um com você! Sugiro comer no Mc Donald’s ou no Burger King, pois apesar de não ser muito fã, não há muitas opções “apetitosas” nessa região. Relato completo aqui.

Rodrigo
Se não conhece a fundo o produto que está comprando, tenha cuidado. Vi muitas réplicas (para não dizer falsificações) em muitos ítens: cremes, perfumes, relógios, óculos. E tudo isso dentro de lojas. Sendo assim, procure mirar nas lojas mais caras, maiores e de renome. Concentrei minhas compras de eletrônicos na Mega Eletrônicos e Grupo BO. Para perfumes e cremes, Shopping Monalisa, Shopping Hill, SAX eShopping China. Itens de pesca: há várias opções de lojas. Achei todas ótimas e com excelentes preços. Não é muito fácil localizá-las, por isso pesquise antes e as marque no seu mapa. Relato completo aqui.

Lazaro
Fui na SAX, olhei uma câmera na vitrine, mas notei que estava com a tampa da bateria emperrada. Solicitei à vendedora que providenciasse outra. Fui ao andar superior, paguei a máquina, e quando voltei ela estava embalada. Macaco velho no assunto, abri todo o pacote e a dita câmera com defeito é que a vendedora queria me entregar. Dei um escândalo e me devolveram o dinheiro. É bom tomar cuidado, pois apesar da vendedora ser brasileira, parece que existe um costume de tentarem enganar o cliente. Por outro lado, no Shopping Del Este, a vendedora, uma paraguaia muito gentil, pegou várias câmeras em seu estoque, todas lacradas, pediu que eu escolhesse e me vendeu 40 dólares mais barato. Relato completo aqui.

Sandra
Não aconselho ir ao Paraguai com crianças. É uma Rua 25 de Março, só que bem mais suja e confusa. As pessoas te assediam na rua para que você compre o que eles vendem e se você continua a andar, vão te seguindo propondo novos preços. Relato completo aqui.

–> Puerto Iguazú

Carla
Se for feriado, nem perca tempo no duty free. Muito cheio! E, para o Paraguai, fila enorme de carros. Vá pensando numa experiência de passeio numa cidade caótica e, quem sabe, talvez comprar (e não num paraíso de compras). Tem uma loja da Havana no parque argentino, ótimo para levar aquele alfajor que todo mundo gosta. Relato completo aqui.

Paula
O free shop em Puerto Iguazú é uma enganação. Pela foto e por fora parece ser enorme! Só que você entra e vê que não é. É um semi-círculo, com algumas coisas mais caras que no Paraguai. Leva-se muito mais tempo na fila do que comprando. Fomos de transporte gratuito deles, mas só ficou 1h30 esperando. Como perdemos quase esse tempo na fila, tivemos que voltar de táxi. Relato completo aqui.

Camila
Para comprar ótimos vinhos e muito baratos em relação ao Brasil, vá na ODA Vinoteca, em Puerto Iguazú. Boa demais. Relato completo aqui.

Antônio
A feirinha de Puerto Iguazú é muito badalada e, em parte, com razão. Há algumas guloseimas em que vale a pena investir. Só não recomendo trazer a quantidade de azeitonas recheadas que eu trouxe, pois as tampas das embalagens afrouxam e você fica fu**** na hora de trazer. Não gostei do tempero para chimichurri, pois em nada se parece com o tradicional. As empanadas são um meio termo entre empanada e pastel, não sendo boas como nenhum dos dois. Descobri que há somente um fornecedor de empanadas para toda a feira – por isso, após experimentar em 3 lugares, não via diferença nenhuma. Outra dica: comprem bastante alfajor La Recoleta Premium (dulce de leche), pois, apesar de barato (R$ 1,50 cada e numa caixa com 12 sai a R$ 1,25 cada), é o mais parecido com o Havanna (que sai a R$ 3,50 cada nas cataratas). E olha que experimentei cada um que encontrei na feira e nos supermercados. Relato completo aqui.

Lazaro
Existem vários supermercados para fazer uma comprinha de alfajores, doce de leite, etc. Uma descoberta interessante que fizemos foi a Iguazú Cosmética com shampoo Kérastase de 1 litro a R$ 125.Fica na Av. Vitoria Aguirre, Plaza Pueblo, Local 9 e 10. Relato completo aqui.

Leia mais: Manual de sobrevivência em Ciudad del Este, pelo PêEsse

Pesos

–> DINHEIRO

–> Em Puerto Iguazú

Antônio
Saquei pesos no Banco de La Nación. Usei basicamente para pagar táxi, pois fiquei no Boutique Hotel de La Fonte e devido ao enorme calor, não dava pra andar até o centrinho com freqüência. Almocei duas vezes no Il Fratello e só percebi que poderia pagar em reais, cash, na 2ª vez. Verifiquei pelo celular (que tem o serviço de me informar qualquer transação bancária) que paguei 6 reais a mais em cartão, do que se tivesse optado por reais cash (87 x 81 reais). Daí em diante, somente paguei em reais em todos os restaurantes que passei, pois na nota já vem as 3 opções: reais, dólares e pesos (em cartão se paga em pesos, que são convertidos para dólar e depois para reais). Ah, em alguns casos, até a gorjeta dá pra ser em reais, pois tem garçons que preferem reais a pesos. Nos supermercados, a mesma coisa: o caixa lhe pergunta se vai pagar em reais ou pesos. Na feirinha então, nem se fala, pois a maioria dos feirantes é de brasileiros mesmo. Se eu tivesse percebido que poderia usar meus reais desde o início e tivesse ficado em um hotel no centrinho, só teria precisado dos pesos para pagar o passeio às cataratas argentinas. Relato completo aqui.

–> Em Ciudad del Este

Débora
Lá eles reconhecem os brasileiros e falam bem o Português. Os preços costumam estar em dólares, mas você pode pagar em reais se quiser. Cada loja tem sua própria cotação, que costuma estar bem próxima ao dólar turismo. Você pode pagar em cartão ou em dinheiro. Algumas lojas cobram um acréscimo de 10% para pagamento no cartão. Relato completo aqui.

Trem do parque argentino

[Trem do parque argentino]

–> MAIS DICAS

Carla
Não deixe de comprar uma capa. Se não comprar antes, na cara do gol sempre tem. Relato completo aqui.

Elisa
Nós sempre preferimos alugar um carro a ficar refém de grupos de excursão. Mas dessa vez nao teve outro jeito. A cidade estava lotada e só encontramos carros de luxo para alugar. Pegamos um van com mais um casal e uma família e fizemos todos os passeios em grupo. Não foi ruim. As vantagens de van de turismo são: não enfrentamos filas para cruzar as fronteiras e eles conseguem maximizar o nosso tempo, já que são conhecedores das melhores rotas e horários para os passeios. Relato completo aqui.

Paula
Passamos a virada do ano no Rafain Palace Hotel. Custou R$ 340 o ingresso, mas valeu a pena! Comida e bebida farta, música ao vivo e queima de fogos. Como tinha lido na internet antes, é o melhor réveillon de Foz! Só não deu pra ficar até o final porque no dia seguinte acordamos cedo pra ir às cataratas. Relato completo aqui.

Luciana
Fronteira Argentina-Brasil: o trajeto é longo e nunca dá para saber qual o tamanho da fila que encontraremos para passar a fronteira. Até que foi rápido mas, por causa do feriado, a fila de carros na Av. das Cataratas para ir ao Parque demorou mais de 1 hora. Relato completo aqui.

Leonardo
Foz do Iguaçu dispõe do telefone 0800-45-1516 para informações turísticas. Eles informam como está o tempo, valor de ônibus público, qual pegar para cada local, como chegar a determinada região, câmbio, dicas e tudo mais! Os atendentes são muito simpáticos e prestativos! Relato completo aqui.

Vanessa
Para os que vão com crianças que necessitam de autorização para atravessar a fronteira para Argentina, por favor, não esqueçam de levar toda a documentação necessária. Relato completo aqui.

Maria das Graças
Se o dia estiver quente não dá para fazer muitos programas. O calor nos deixa esgotados. E lá quando faz calor é insuportável. A gente só quer uma piscina com água fresca. Relato completo aqui.

Macuco Safári

[Macuco Safári]

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


82 comentários para “Foz do Iguaçu: um roteiro completo com 90 dicas selecionadas”

  1. Estou indo pra foz dia 12/07. Gostaria de saber a respeito do clima, quente ou frio? qual a média de temperatura?

    Outra pergunta, gostaria de algumas dicas de compras de produtos da marca nile adidas. .onde comprar? vale a pena?

    1. Olá, Guilherme! Faz bastante frio — é inverno. Acompanhe a previsão do tempo ao chegar mais perto da viagem.

      Você encontra produtos de marca em Ciudad del Este e no free shop de Puerto Iguazú.

ATENÇÃO:
Desculpe, mas esta caixa está inativa e seu comentário não aparecerá. Estamos aprontando um novo Viaje na Viagem. No novo site a caixa de comentários voltará a funcionar. Obrigado pela compreensão!