Rosedal

Buenos Aires: um roteiro por Rosedal, Jardim Japonês e Flor Metálica

Rosedal

A faixa costeira ao norte do Centro de Buenos Aires funciona como o pulmão urbano da cidade. Entre a Recoleta e Palermo Viejo encontram-se vários parques, cada um com personalidade própria.

Qualquer um deles, isoladamente, funciona como um belo passeio matinal. Buenos Aires acorda tarde (as lojas de Palermo Soho e até mesmo o museu Malba não abrem antes do meio-dia), e um pouco de verde para começar o dia sempre cai bem.

Mas num dia ensolarado e fresco de meia-estação (ou mesmo num dia bonitaço de inverno), dá para tirar um dia inteiro para curtir os parques na seqüência, contrapondo paradas culturais no Malba e no Museu de Belas Artes. O percurso total a pé, da Plaza Italia em Palermo ao Cemitério da Recoleta, dá 5 km.

(No verão, vá a um parque por vez e aproveite a sombra — o calor de Buenos Aires no início do ano não é brinquedo.)



Booking.com


Atualização: zoológico FECHADO

    O Zoológico de Buenos Aires fazia parte deste circuito. Mas em 2016 o governo de Buenos Aires resolveu fechar o zoológico por causa de problemas com os animais. O lugar está sendo reconvertido num ecoparque interativo. Assim que tivermos mais notícias sobre o novo parque, traremos aqui.

Paseo del Rosedal

Rosedal

O coração do Parque 3 de Febrero (vulgo Bosques de Palermo) é o Paseo del Rosedal, o mais romântico jardim de Buenos Aires.

Rosedal

Quando você se cansa das 18.000 rosas do jardim, ainda tem gazebos, fontes, lagos e pontes para apreciar.

Rosedal

A entrada é gratuita e as rosas estão no auge da floração entre outubro e novembro. (Eu fui em junho.)

Rosedal

Vindo do Zoológico, vire à direita e acompanhe o muro até o fim. Então atravesse a avenida e vire à esquerda, que você chega lá.

Jardín Japonés

Jardín Japonés

Se o Rosedal é o mais romântico, o Jardín Japonés é o parque mais curioso de Buenos Aires. Numa cidade sem tradição japonesa, este é um pedacinho de Kyoto transplantado a Palermo.

Jardín Japonés

O lugar funciona como um centro cultural japonês. Tem viveiro de bonsai, restaurante e casa de chá e sedia exposições, festas e eventos tradicionais japoneses (dê uma olhada na agenda).

Jardín Japonés

A entrada custa 50 pesos (R$ 12 no câmbio paralelo, agosto/2015). Abre diariamente das 10h às 18h. Dá uns 15 minutos de caminhada desde o Rosedal, ou meia hora desde o Zoológico.

Pausa cultural: Malba

Malba

A 10 minutos de caminhada do Jardín Japonés, o Malba é uma atração de primeiríssima grandeza que não pode faltar no seu roteiro portenho.

A coleção, particular, proporciona um passeio pelos grandes nomes da arte do século XX da América Latina. Tarsila com Frida Kahlo, Di Cavalcanti com Botero, Diego Rivera com Torres-García: todos os medalhões num só museu.

Malba fica na Av. Figueroa Alcorta, 3415 (tel. 11/4808-6500). Não adianta chegar cedo: o museu abre das 12h às 20h, de 4ª a 2ª (fecha 3ª). A entrada custa 75 pesos (R$ 17 no câmbio paralelo, agosto/2015). Às 4ªs a entrada custa 36 pesos (R$ 9). O restaurante do museu tem entrada independente e funciona das 9h às 20h (6ª e sábado até 0h).

Floralis Genérica

Floralis Genérica

A meio do caminho entre a Recoleta e o Malba encontra-se a escultura mais emblemática de Buenos Aires, a Flor Metálica (nome oficial: Floralis Genérica).
Floralis Genérica

Depois de mais de uma década inerte, em junho a flor de alumínio voltou a abrir e fechar de acordo com a luminosidade, mimetizando o movimento de uma flor de verdade.

A visita é grauita.

Pausa cultural: Museo de Bellas Artes

Buenos Aires

É o ‘Masp’ da Argentina, oferecendo ao visitante a chance de estar tête-a-tête com originais de Rembrandt, Modigliani, Gauguin, El Greco, Manet, Rubens, de Chirico e outros grandes mestres.

Além do acervo, promove exibições temporárias bem bacanas.

A entrada é gratuita. O museu abre de 3ª a 6ª das 12h30 às 19h; sábado e domingo das 9h30 às 19h. Fecha 2ª.

Está a dez minutos de caminhada do Cemitério da Recoleta (saia pela Plaza Francia à direita atravesse a avenida Pueyrredón e você está lá). Vindo da Floralis Genérica, atravesse a passarela logo depois da Faculdade de Direito.

Plaza Francia e Cemitério da Recoleta

O elegante bairro da Recoleta termina (ou começa) nos jardins da Plaza Francia, onde está a igreja de Nossa Senhora do Pilar e o Cemitério da Recoleta.

O Cemitério tem mausoléus lindos, e um que é ponto de peregrinação: o túmulo de Evita Perón. Para encontrar, vire na primeira alameda à esquerda até o fim, então vire à direita e vá em frente. Você saberá, pela aglomeração, quando tiver chegado 🙂

A entrada é gratuita. O Cemitério abre diariamente das 8h às 18h.

Leia mais:

Passagens mais baratas para Buenos Aires no nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Alugue carro em Buenos Aires na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões em Buenos Aires com a Viator

5 comentários

BA é muito legal mas requer muita atenção mesmo. O lugar é belo mas o povo que lida com turista tem por habito tentar tirar proveito o tempo todo. Tentaram nos extorquir várias vezes mas como tínhamos sido alertados antes nada nos aconteceu. Mas deixa uma sensação muito ruim e não te deixa relaxar para curtir melhor os passeios. Tem que estar ligado o tempo todo. Mas no Brasil não e muito diferente em seus pontos mais turísticos, né!!!

Maravilhoso! Deu vontade de largar tudo e visitar Buenos Aires.

Não percam os shows de tango, são extremamente lindos e nos transmitem toda a cultura portenha. Podem consumir sem moderação.

Adorei o post, as fotos estão lindas! Infelizmente, não podemos ficar deslumbrados demais a ponto de descuidar da bolsa… Da última vez, acabei a viagem indo pra delegacia no camburão da polícia fazer um BO de furto na sorveteria em frente ao cemitério da Recoleta… Preciso voltar logo a Buenos Aires para me desfazer dessa lembrança… Seu post me deu vontade!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.