O que fazer em Arraial do Cabo

Guia de Arraial do Cabo e Cabo Frio

O que fazer em Arraial do Cabo e Cabo Frio

Praticamente todas as atividades em Arraial do Cabo e Cabo Frio giram em torno de aproveitar as praias mais instagramáveis da costa brasileira.

Em Arraial do Cabo, garanta seu lugar num passeio de barco e curta quantos dias de praia puder. E se não se contentar com as belezas visíveis a olho nu, experimente mergulhar de cilindro.

Em Cabo Frio, aproveite as praias, visite a Casa-Museu Carlos Scliar (quando reabrir) e faça boas compras na Rua dos Biquínis.

Veja o que fazer em Arraial do Cabo e Cabo Frio.

A Bóia recomenda:

O que fazer em Arraial do Cabo

As praias que deram a fama de paraíso a Arraial do Cabo são a Praia do Forno, as Prainhas do Pontal do Atalaia e a praia da Ilha do Farol.

Na comparação com elas, a Prainha e a Praia Grande – que seriam praias nota 11 em qualquer outro ponto do litoral brasileiro – acabam ofuscadas.

Já a Praia dos Anjos, que é a praia “central” da vila – e de onde saem os passeios de barco – é imprópria para banho.

Prainhas do Pontal do Atalaia

Não há lista de praias mais bonitas do Brasil em que não entrem as Prainhas do Pontal do Atalaia. A famosa dupla de praias (que vira uma praia só, na maré baixa) cumpre quase todos os requisitos do que se espera de uma praia dos sonhos.

Areia branquinha? Confere. Mar super calmo? Confere. Água transparente? Confere, também. (A gente só fica devendo mesmo na questão da temperatura do mar. Não se pode ter tudo…)

As Prainas são protegidas por uma encosta, e ao horizonte têm vista para a Ilha do Farol. Não fosse uma mansão construída no canto esquerdo, a impressão que se teria ali seria a de uma praia praticamente selvagem.

Chegue de manhã cedo e vá ficando… vai ser o seu dia de praia mais gostoso em Arraial do Cabo.

Se estiver viajando durante a semana, fora do período de férias ou de algum feriado, você ainda vai aproveitar o visual na companhia de um número bem menor de pessoas, e sem precisar se preocupar de desviar dos barcos de passeio durante o seu banho de mar.

Como chegar às Prainhas do Pontal do Atalaia

Você pode chegar às Prainhas do Pontal do Atalaia de carro, táxi, Uber ou barco-táxi.

O acesso de carro é feito pelo condomínio Pontal do Atalaia, com um trecho final em estrada de terra, e cobrança de R$ 20 por um estacionamento improvisado. Antes de pôr os pés na areia, é preciso descer uma longa escadaria, com mais de 250 degraus.

Durante feriados e na alta temporada, prefira ir de barco-táxi (para ir de carro e conseguir vaga, só saindo da sua pousada antes do café da manhã).

Caso não estejam funcionando os barcos-táxis, chame um Uber (R$ 25) ou vá de táxi (R$ 15 por pessoa).

As Prainhas também são um dos pontos de parada dos passeios de barco que saem da Praia dos Anjos. Há no local barracas alugando cadeiras e guarda-sóis, e vendendo bebidas e petiscos.

Praia do Forno

A Praia do Forno também se caracteriza pelo trio areia branquinha + mar transparente + poucas ondas. Assim como as Prainhas do Pontal do Atalaia, seu entorno é selvagem: a praia é emoldurada por um morro de vegetação rasteira.

A Praia do Forno tem barracas mais estruturadas do que aquelas das Prainhas do Pontal do Atalaia. Na temporada, os barraqueiros cobram uma consumação mínima pesada pelo uso de cadeiras e guarda-sóis. Sempre negocie antes de decidir onde sentar.

O mais gostoso é caminhar de uma ponta à outra da praia, aquecendo o corpo para aquele mergulho gelado.

Durante as férias, feriados e fins de semana de verão, a faixa de areia, que é estreita, fica com lotação máxima.

Como chegar à Praia do Forno

A maneira mais comum de se chegar à Praia do Forno é pela trilha que começa à esquerda do porto, na Praia dos Anjos. Vale a pena topar o esforço de atravessar o morro. A trilha completa leva só 15 minutos, tendo como recompensa um panorama magnífico lá do alto, com cactos compondo o cenário e deixando as fotos ainda mais bonitas.

Como alternativa à trilha, você também pode chegar à Praia do Forno de barco-táxi.

A praia também faz parte do roteiro dos passeios de barco que saem da Praia dos Anjos, mas nem sempre com tempo para mergulho.

Prainha

Antes de mais nada: não confunda a Prainha com as Prainhas. As Prainhas são as do Pontal do Atalaia, cartão-postal número 1 de Arraial do Cabo. Já a Prainha é uma praia urbanizada, ocupada por predinhos baixos, na entrada da cidade.

Se você for capaz de abstrair as construções, vai encontrar as mesmas qualidades do litoral do Arraial: areia alvíssima, mar entre o verde-água e o azul-bebê – um pouquinho mais ondulado do que as Prainhas ou a Praia do Forno.

Vale a pena pegar praia na Prainha? Se você estiver hospedado por aqui, sem dúvida que vale: é só ir caminhando. E se estiver com preguiça de pegar a trilha ou o barco-táxi, o mar caribenho (e urbanizado) da Prainha estará sempre à mão.

Praia Grande

Na península do Arraial do Cabo, a Praia Grande se estende por toda a costa voltada para o oeste. É uma praia oceânica, com mais ondas, e que impressiona pela larga e longa extensão de areia.

Mais perto do canto esquerdo há um calçadão bem ajeitado, com quiosques, ciclovia (curtinha, mas tem) e uma estátua em homenagem à atriz global Flávia Alessandra, nascida na cidade.

É uma praia urbanizada, que está no caminho de que vai ao Pontal da Atalaia.

Vale a pena pegar praia na Praia Grande? A exemplo do que dissemos da Prainha, se você estiver hospedado por aqui, logicamente vai acabar usando a praia. Na temporada, porém, a Praia Grande oferece uma vantagem com relação às outras: do meio da praia até o canto direito, nunca há aglomerações.

Passeio de barco

O passeio imperdível em Arraial do Cabo é o tour de barco que faz o circuitão entre as principais praias dali: a praia da Ilha do Farol (oficialmente chamada de Ilha de Cabo Frio), as Prainhas do Pontal do Atalaia e a Praia do Forno, passando por formações rochosas como a Fenda de Nossa Senhora e a Pedra do Gorila. É um passeio bom de se fazer logo na primeira manhã na cidade, para já eleger a sua praia favorita para voltar no dia seguinte.

Há embarcações de todo tamanho e jeito oferecendo tour, e você pode tanto fazer o passeio em um barco de pescador com 20 pessoas, na maior paz e silêncio, quanto com outros 120 passageiros a bordo, em saveiros com vibe de balada.

Qualquer que seja a embarcação que você prefira, o preço do tour é fixo (R$ 100 por pessoa, mais R$ 10 de taxa de embarque). Mas existe uma pegadinha: o número de visitantes à Ilha do Farol é controlado pela Marinha, e não pode exceder a lotação de 250 pessoas ao mesmo tempo.

Na alta temporada, é melhor eleger alguma das embarcações pequenas que saem mais cedinho da Praia dos Anjos (como a Don Juan e a Arraial VIP) para ter mais chances de conseguir desembarcar na ilha.

Durante o tour são feitas duas ou três paradas para banho, que levam de 30 a 50 minutos, e a duração total do passeio fica entre 3 horas e meia e 4 horas. Reserve o seu lugar de véspera (ou, na alta temporada, garanta a reserva com alguns dias de antecedência, com ajuda da sua pousada).

Nossa parceira Easy Travel Shop oferece passeios de barco com desembarque e parada para mergulhos, além de outros tours para quem está em Arraial do Cabo ou Cabo Frio:

Mergulho

Arraial do Cabo é conhecida por ser um dos principais destinos de mergulho do Brasil. Se você sempre quis fazer mergulho de cilindro, aproveite.

Várias agências oferecem o batismo, que têm preços entre R$ 180 e R$ 250 por pessoa, com equipamento incluso. O ponto do mergulho varia de acordo com as condições do mar, mas é comum encontrar tartarugas, arraias e uma variedade de corais e peixinhos durante os 30 ou 40 minutos debaixo d’água. O batismo é acompanhado de perto por um instrutor (e geralmente também por um mergulhador fotógrafo).

Faça reserva na véspera, nas agências de mergulho. Há várias no centro de Arraial do Cabo, nas proximidades da Praia dos Anjos. Cursos para certificações mais avançadas também são oferecidos, e quem tem mais experiência tem a chance de mergulhar ao redor de embarcações naufragadas e em grutas.

O que fazer em Cabo Frio

Praia do Forte

A Praia do Forte é a praia central de Cabo Frio. É uma das praias urbanas mais bonitas do Brasil. Além da areia branca e do mar azul clarinho, a Praia do Forte tem um calçadão com quiosques bem estruturados.

O canto esquerdo tem o mar mais tranquilo.

Praia das Conchas

Cabo Frio tem uma praia semi-selvagem dentro da área urbana: é a Praia das Conchas, vizinha ao canto direito da Praia do Peró.

É uma enseada perfeita, de águas claras e calmas – uma praia ótima para ir com criança. As areias são ocupadas por quiosques rústicos (para não dizer mal-ajambrados), com mesas e cadeiras de plástico.

No canto direito da praia há um mirante no alto do morro, de onde se percebe o formato de concha que dá nome à praia.

Dá para ir caminhando do canto direito do Peró. De carro, siga as placas até o bolsão de estacionamento (R$ 25 por carro).

Praia do Peró

A Praia do Peró é a última do perímetro urbano de Cabo Frio, já no caminho de Búzios. Fica no bairro do Peró, que tem uma ocupação densa, mas predominantemente horizontal.

O Peró uma praia extensa, situada em sua maior parte numa APA (área de proteção natural). Apenas um pequeno trecho está urbanizado – ao longo do calçadão da orla do Peró. Ali você vai encontrar quiosques e barracas.

Caminhando para a esquerda, você sai da muvuca e aproveita o trecho selvagem da praia.

Caminhando para a direita, também encontra uma área sem urbanização – e em menos de 15 minutos, chega à Praia das Conchas.

Na temporada e em fins de semana de sol é bastante difícil estacionar no Peró (já a Praia das Conchas tem um bolsão próprio de estacionamento).

Forte de São Mateus

Edificação que dá nome à Praia do Forte, o Forte de São Mateus foi inaugurado em 1620 para melhor proteger a entrada para a Lagoa de Araruama (hoje conhecido como Canal do Itajuru) e o povoado de Nossa Senhora da Assunção do Cabo Frio (atual bairro da Passagem).

O forte já ostentou um farol, que foi demolido na década de 30.

Restaurado, o Forte de São Mateus está aberto a visitas. Além do interesse histórico da construção, o forte proporciona bonitas vistas da Praia do Forte, da Ilha do Japones da orla norte de Cabo Frio.

Há um espaço cultural onde eventualmente acontecem exposições.

O acesso é feito por um pontilhão no canto esquerdo da Praia do Forte.

Informações práticas

Casa-Museu Carlos Scliar

Considerado o maior gravurista do Brasil, o gaúcho Carlos Scliar morou e produziu por muito numa casa à beira do canal em Cabo Frio. O trecho em frente à sua casa foi oficialmente batizado pela prefeitura de Orla Scliar.

Esta casa-ateliê foi transformada num museu, a Casa-Museu Carlos Scliar. O acervo contém o mobiliário original da residência, o equipamento de trabalho e obras do gravurista.

Uma estátua em frente à casa perpetua um hábito de Scliar: sentar num banquinho à beira do canal trabalhando em esboços.

Atualmente a Casa-Museu está fechada por causa da pandemia, mas assim que reabrir voltará ser o melhor programa cultural de Cabo Frio.

Informações práticas

Rua dos Biquínis

A Rua dos Biquínis tem mais de 100 lojas de roupas de banho e acessórios de praia, e muitas ofertas à espera de quem se dispõe a garimpar.

Fica fora do centro, do outro lado do canal, com acesso pela Av. do Contorno.

Bate-volta a Búzios

A 35 km de Arraial do Cabo e 25 km de Cabo Frio, Búzios é um passeio imperdível. E perfeitamente factível para quem, como você, já está nas redondezas. (Já o bate-volta saindo do Rio de Janeiro a gente não recomenda – é muito puxado.)

Como aproveitar o seu dia em Búzios?

Os passeios organizados (com agência ou com taxista) oferecem o serviço completo: fazer um tour pelas praias da península.

Caso você faça o passeio por conta própria, porém, vai enfrentar dificuldades para seguir o mesmo roteiro. O estacionamento é caro e escasso em todas as praias. Na temporada, encontrar vaga entre o meio da manhã e o meio da tarde implica esperar um carro sair. O passeio deixa de ser um prazer para virar uma via-crúcis de perrengues.

Aceita uma sugestão? Este roteiro funciona superbem – e permite que você aproveite de verdade as praias mais autenticamente ‘buzianas’:

  • Deixe seu carro num dos estacionamentos do Centro (que ficam vazios durante o dia)
  • Caminhe pela Orla Bardot até a estátua de Brigitte Bardot ou, se curtir caminhada, até a Praia dos Ossos
  • Na Orla Bardot (ou, se for andando até lá, na Praia dos Ossos) pegue o aquatáxi para a Praia da Azeda (pegue praia ali ou na vizinha Azedinha)
  • Siga de aquatáxi para a Praia de João Fernandes (se preferir, fique em João Fernandinho)
  • Volte de aquatáxi ao Centro ou pegue um Uber para o seu estacionamento.
  • Se fizer questão de dar uma olhada em Geribá, entre pela Rua das Gravatás para chegar ao canto direito da praia. Procure uma vaga nas ruas transversais e quadras de trás da praia.
  • De Geribá vá ao complexo Porto da Barra para um almoço tardio.
  • Vá à Praia da Tartaruga para o pôr do sol.
  • Volte ao Centro e faça um passeio de despedida pela Rua das Pedras, que já estará iluminada e com todas as lojas funcionando.

O melhor mesmo é reservar alguns dias em Búzios, para fazer todos os passeios sem atropelo. Veja onde ficar em Búzios.

Receba a Newsletter do VNV

Serviço gratuito

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.